Colégio de São José<br />física<br />ELETROMAGNETISMO <br />2011.2<br />Prof. Luiz Carlos ferreira<br />
ELETROMAGNETISMO <br />	Conhecido pelo ser humano há séculos, os ímãs ainda hoje despertam curiosidade. Estão presentes em...
CAMPO MAGNÉTICO  <br />	O vocábulo “magnetismo” provém de Magnésia, nome da região localizada na antiga Grécia, onde as pr...
PÓLOS MAGNÉTICOS   <br />	Todo ímã apresenta duas regiões distintas, denominadas pólos , que possuem comportamentos oposto...
INSEPARABILIDADE DOS PÓLOS   <br />	Imagine um ímã em forma de barra com seus pólos norte e sul.<br />	Se o seccionarmos a...
SUBSTÂNCIAS MAGNÉTICAS   <br />Dizemos que um corpo apresenta propriedades magnéticas quando há uma predominância de ímãs ...
INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA SOBRE A IMATAÇÃO<br />                 A experiência mostra que, acima de um determinado valor d...
CAMPO MAGNÉTICO    <br />	Analogamente ao campo elétrico, denominamos campo magnéticoa região ao redor de um ímã na qual o...
CAMPO MAGNÉTICO    <br />	Um campo magnético é uniforme quando o vetor campo magnético é constante em todos os pontos do c...
CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR CORRENTES ELÉTRICAS<br />	Experimentalmente, em 1820, o físico dinamarquês Hans C. Oersted veri...
CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR CORRENTE ELÉTRICA NUM FIO CONDUTOR<br />	O sentido das linhas de campo magnéticos criados por u...
CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR CORRENTE ELÉTRICA NUM FIO CONDUTOR<br />	As linhas de campo são circulares e concêntricas ao fi...
INTENSIDADE DO VETOR CAMPO MAGNÉTICO <br />	A intensidade do vetor campo magnético em qualquer ponto do campo é proporcion...
CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR UMA ASPIRA CIRCULAR.<br />	Considere uma espira circular de centro O e raio R, percorrida  por ...
 Sentido: dado pela regra da mão direita
 Intensidade: dada pela expressão:                               </li></ul> Para N espiras circulares iguais e justapostas...
CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR UMA ASPIRA CIRCULAR.<br />	Na aspira circular, o lado em que entram as linhas de campo magnétic...
CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR UM SOLENÓIDE.<br />	O solenóide é um dispositivo constituído  de um fio condutor enrolado em fo...
ELETROÍMÃ<br />	A propriedade do ferro macio (ferro aquecido e esfriado lentamente) de magnetizar-se sob influência das co...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Eletromagnetismo

9,946 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
9,946
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
363
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Eletromagnetismo

  1. 1. Colégio de São José<br />física<br />ELETROMAGNETISMO <br />2011.2<br />Prof. Luiz Carlos ferreira<br />
  2. 2. ELETROMAGNETISMO <br /> Conhecido pelo ser humano há séculos, os ímãs ainda hoje despertam curiosidade. Estão presentes em nosso cotidiano, dos enfeites de geladeira aos discos rígidos que armazenam informações nos computadores. Quando ouvimos músicas no aparelho de som, o movimento nos alto-falantes que propagam no ar o som que chega aos nossos ouvidos se deve aos ímãs. Os motores elétricos de corrente contínua, presentes em grande número de eletrodomésticos portáteis, funcionam baseados nos ímãs. <br />
  3. 3. CAMPO MAGNÉTICO <br /> O vocábulo “magnetismo” provém de Magnésia, nome da região localizada na antiga Grécia, onde as propriedades dessas pedras foram descobertas. Quando suspensas por seus centros de massa, tais pedras orientavam-se sempre na direção Norte-Sul. Eram constituídas de óxido de ferro e denominadas magnetita. Atualmente, recebem o nome genérico de ímã natural. Só mais tarde se descobriu a possibilidade de fabricar ímãs artificiais. <br />
  4. 4. PÓLOS MAGNÉTICOS <br /> Todo ímã apresenta duas regiões distintas, denominadas pólos , que possuem comportamentos opostos: pólo norte e pólo sul. <br />Pólos magnéticos de mesmo nome se repelem e de nomes contrários se atraem.<br />
  5. 5. INSEPARABILIDADE DOS PÓLOS <br /> Imagine um ímã em forma de barra com seus pólos norte e sul.<br /> Se o seccionarmos ao meio, surgirão novos pólos norte e sul em cada um dos pedaços, constituindo cada um deles um novo ímã. <br />
  6. 6. SUBSTÂNCIAS MAGNÉTICAS <br />Dizemos que um corpo apresenta propriedades magnéticas quando há uma predominância de ímãs orientados sobre os demais. <br />Classificação das substâncias magnéticas <br />Substancias ferromagnéticas: aquelas cujos ímãs elementares se orientam facilmente quando submetidos à ação de um campo magnético. Exemplos: ferro, níquel, cobalto e algumas ligas metálicas.<br />Substancias paramagnéticas: aquelas cujos ímãs elementares não se orientam facilmente sob ação de um campo magnético: a imantação é pouco intensa. Exemplos: platina, plásticos, madeira, óleo etc. <br />Substancias diamagnéticas: aquelas cujos ímãs elementares se orientam em sentido contrário ao vetor indução magnética, sendo, portanto, repelidas pelo ímã que criou o campo magnético. Exemplos: bismuto, cobre, ouro, prata , chumbo. <br />
  7. 7. INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA SOBRE A IMATAÇÃO<br /> A experiência mostra que, acima de um determinado valor de temperatura, os corpos condutores perdem todas as suas propriedades ferromagnéticas.<br /> Essa temperatura, constante para cada tipo de material, é denominada ponto Curie. <br />INDUÇÃO MAGNÉTICA <br /> Uma agulha de aço é, normalmente, um corpo não-imantado. Porém, quando é colocada na presença de um ímã, o campo magnético por ele criado orienta os ímãs elementares da agulha, tornando-a imantada. <br />Denomina-se indução magnética o fenômeno de imantação de um corpo por meio de um ímã. <br />
  8. 8. CAMPO MAGNÉTICO <br /> Analogamente ao campo elétrico, denominamos campo magnéticoa região ao redor de um ímã na qual ocorre um efeito magnético.<br /> Sua representação é feita por meio de linhas de campo ou linhas de indução, que são linhas imaginárias fechadas que saem do pólo norte e entram no pólo sul.<br /> Cada ponto de um campo magnético é caracterizado por um vetor B denominado vetor indução magnética ou vetor campo magnético, sempre tangente às linhas de campo e no meso sentido delas.<br />
  9. 9. CAMPO MAGNÉTICO <br /> Um campo magnético é uniforme quando o vetor campo magnético é constante em todos os pontos do campo. Nesse caso, a sua representação é um conjunto de linhas paralelas igualmente espaçadas e orientadas.<br /> No caso de o vetor campo magnético ser variável, o campo será dito não-uniforme e sua representação será um conjunto de linhas cuja densidade é variável. <br />
  10. 10. CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR CORRENTES ELÉTRICAS<br /> Experimentalmente, em 1820, o físico dinamarquês Hans C. Oersted verificou que corrente elétrica cria seu redor um campo magnético.<br /> Verificou que, ao fechar o circuito, a agulha magnética da bússola sofria um desvio e permanecia quase perpendicular ao condutor, graças ao aumento da corrente. Verificou ainda que, se o sentido da corrente fosse invertido, a agulha também sofria uma inversão em seu sentido. <br />Quando o circuito está aberto, a agulha <br />da bússola fica paralela ao condutor. <br />Fechando-se o circuito, a agulha da bússola sofre um desvio. <br />Uma corrente elétrica cria ao seu redor um campo magnético. <br />
  11. 11. CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR CORRENTE ELÉTRICA NUM FIO CONDUTOR<br /> O sentido das linhas de campo magnéticos criados por uma corrente elétrica foi estudado por Ampère, que estabeleceu uma regra para determiná-lo, conhecida como regra da mão direita.<br /> segure o condutor com a mão direita, envolvendo-o com os dedos e mantendo o polegar apontando o sentido da corrente. O sentido das linhas de campo é dado pela indicação dos dedos que envolvem o condutor. <br />
  12. 12. CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR CORRENTE ELÉTRICA NUM FIO CONDUTOR<br /> As linhas de campo são circulares e concêntricas ao fio por onde passa a corrente elétrica e estão contidas num plano perpendicular ao fio. <br /> A direção do vetor campo magnético B é sempre tagantes às linhas de campo em cada considerado e sempre no mesmo sentidos delas. <br /> Representa um vetor campo magnético perpendicular ao plano da folha de papel e orientado para fora.<br />Representa um vetor campo magnético perpendicular ao plano da folha de papel e orientado para dentro. <br />
  13. 13. INTENSIDADE DO VETOR CAMPO MAGNÉTICO <br /> A intensidade do vetor campo magnético em qualquer ponto do campo é proporcional à intensidade da corrente elétrica que passa pelo fio e inversamente proporcional à distância desse ponto ao fio. Sua expressão, que a lei de Biot-Savart, é: <br /> A unidade de B no SI é o tesla (T). <br />
  14. 14. CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR UMA ASPIRA CIRCULAR.<br /> Considere uma espira circular de centro O e raio R, percorrida por uma corrente de intensidade i.<br />O vetor campo magnético B, no centro O da espira, tem as seguintes características:<br /><ul><li> Direção: perpendicular ao plano da espira
  15. 15. Sentido: dado pela regra da mão direita
  16. 16. Intensidade: dada pela expressão: </li></ul> Para N espiras circulares iguais e justapostas (bobina chata) a intensidade do vetor B no centro da bobina vale:<br />
  17. 17. CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR UMA ASPIRA CIRCULAR.<br /> Na aspira circular, o lado em que entram as linhas de campo magnético pode ser associado ao pólo sul, e o lado de onde saem as linhas pode ser associado ao pólo norte. <br /> Aplicando a regra da mão direita, podemos determinar o sentido do vetor B. <br />
  18. 18. CAMPO MAGNÉTICO CRIADO POR UM SOLENÓIDE.<br /> O solenóide é um dispositivo constituído de um fio condutor enrolado em forma de espiras não- justapostas. Recebe também o nome de bobina longa ou eletroímã. <br />A intensidade do vetor indução magnética no interior de um solenóide é dada pela expressão: <br />
  19. 19. ELETROÍMÃ<br /> A propriedade do ferro macio (ferro aquecido e esfriado lentamente) de magnetizar-se sob influência das correntes elétricas e perder sua magnetizado logo que essa influência cesse tornou possível a fabricação de ímãs artificiais, intermitentes, chamadoseletroímãs. <br /> um eletroímã é um dispositivo constituído por uma barra de ferro envolvida por um solenóide. <br /> As aplicações dos eletroímãs é bastante intensa na industria, sendo utilizados nas campainhas, nos telefones e em guindastes de alta capacidade, notadamente na indústria de construção naval. <br />
  20. 20. Exercícios <br />(MED-STA CASA-SP) A corrente elétrica de intensidade i num fio retilíneo de comprimento praticamente infinito, gera num ponto P um campo magnético B. Sendo R a distância de P ao fio, mostre que o módulo de B é proporcional a i/R.<br />2. (UBERABA) Um fio retilíneo muito longo é percorrido por uma corrente elétrica constante i e o vetor indução magnética, num ponto P perto do fio, tem módulo B. Se o mesmo fio for percorrido por uma corrente elétrica constante 2i, qual o módulo do vetor indução magnética no mesmo ponto P?<br />3. (OSEC-SP) Um fio metálico reto e extenso é percorrido por uma corrente de intensidade 4,5 A. Calcule a intensidade do campo magnético a 30 cm do fio. Dado: µ = 4 .10-7T.m/A.<br />4. (MAUÁ-SP) É dado um fio metálico reto, muito longo, percorrido por uma corrente elétrica constante. a) esboce as linhas do vetor indução magnética produzido por essa corrente elétrica. b) Explique como se determina o sentido do vetor indução magnética.<br />
  21. 21. EXERCÍCIO <br />5. (MED-STA CASA-SP) Dois fios dispostos como indica a figura, determinam as quatro regiões do plano. Em qual (ais) região (ões) as correntes elétricas I' e I'' podem produzir campos de intensidade nula?<br />6. (FATEC-SP) Dois fios metálicos retos, paralelos e longos são percorridos por correntes elétricas i e 3i de sentidos iguais (entrando na tela, no esquema). O ambiente é o vácuo.Determine os valores (proporcionais) de x e y para que o campo resultante produzido por essas correntes seja nulo no ponto P. <br />

×