Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Na agenda brasileira desta semana destacamos as surpresas negativa, em termos de maiorinflação, na divulgação do IGP-DI (o...
Fontes: IBGE, BCB e Pine ResearchIsto, não devemos esquecer, em um ambiente de pleno emprego e com perspectiva deaceleraçã...
Fontes: IBGE e Pine ResearchA crise externa, de fato, amortece esta tendência. De qualquer forma, é necessário percebera d...
Fontes: IBGE e Pine ResearchResearch: Economia - PINEMarco MacielMarco Antonio Caruso  Caso não queira receber mais esta m...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

PINE: IPCA E SEUS CONDICIONAMENTOS ATUAIS

377 views

Published on

Na agenda brasileira desta semana destacamos as surpresas negativa, em termos de maior inflação, na divulgação do IGP-DI (observado: 1,52%, Pine: 1,45%, último: 0,69%) e do IPCA de julho (observado: 0,43%, Pine: 0,39%, último: 0,08%). Com isto, o IGP-DI acumulado nos últimos 12 meses passou de 5,7% para 7,3%, maior patamar desde setembro/11, enquanto o IPCA teve sua primeira aceleração (5,2%) desde setembro último também. Para agosto, a nossa expectativa preliminar é de IPCA em 0,36%, abaixo portanto da variação mensal de julho, e IGP-DI pouco abaixo de 1,00%.

Published in: Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

PINE: IPCA E SEUS CONDICIONAMENTOS ATUAIS

  1. 1. Na agenda brasileira desta semana destacamos as surpresas negativa, em termos de maiorinflação, na divulgação do IGP-DI (observado: 1,52%, Pine: 1,45%, último: 0,69%) e do IPCA dejulho (observado: 0,43%, Pine: 0,39%, último: 0,08%). Com isto, o IGP-DI acumulado nosúltimos 12 meses passou de 5,7% para 7,3%, maior patamar desde setembro/11, enquanto oIPCA teve sua primeira aceleração (5,2%) desde setembro último também. Para agosto, anossa expectativa preliminar é de IPCA em 0,36%, abaixo portanto da variação mensal dejulho, e IGP-DI pouco abaixo de 1,00%. Fontes: IBGE, FGV e Pine ResearchNeste ambiente, revisamos para cima nossas projeções de IPCA de 2012 para 5,0% (4,8%anterior), em linha com a mediana das projeções do Relatório Focus, e de IGPs mais próximosde 8,0% (anteriormente em 7,5%). Como temos alertado há um tempo, diferente do cenáriode melhora proeminente da inflação no 1S12, para segundo é importante considerar os riscosinflacionários advindos (i) da seca norte-americana, que hoje afeta o preço dos grãos e ospreços ao produtor brasileiro e (ii) da opção do governo em manter o real em nívelrelativamente desvalorizado (ver gráfico abaixo), fato que tende a potencializa o efeitoinflacionário da alta das commodities.
  2. 2. Fontes: IBGE, BCB e Pine ResearchIsto, não devemos esquecer, em um ambiente de pleno emprego e com perspectiva deaceleração da atividade: ainda que a hiato do produto, segundo nosso cálculos, devapermanecer negativo (produto efetivo abaixo do “potencial”) pelos próximos trimestres, amanutenção da taxa de desemprego abaixo de 6,0%-6,5% implica o crescimentodo PIB realacima do seu potencial (estimado) no início de 2013 (gráficos abaixo).
  3. 3. Fontes: IBGE e Pine ResearchA crise externa, de fato, amortece esta tendência. De qualquer forma, é necessário percebera discrepância entre a produção brasileira e a demanda doméstica e, da mesma forma, adesconexão entre a inflação de bens comercializáveis no exterior e não-comercializáveis, osquais são diretamente ligados à economia interna. Em resumo, os riscos daqui para frente sãode inflação maior, contidos pela perspectiva de baixo crescimento mundial e pelapossibilidade de novas rodadas de desonerações por parte do governo. Assim, estimamos IPCAvindo de 5,0% em 2012 para 5,3% ao final de 2013.
  4. 4. Fontes: IBGE e Pine ResearchResearch: Economia - PINEMarco MacielMarco Antonio Caruso Caso não queira receber mais esta mensagem, responda a este e-mail digitando a palavra "REMOVER" no campo assunto.

×