Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

L Mediuns CAP17 Da Formacao dos Mediuns

290 views

Published on

Livro dos Médiuns Capitulo !7 da Formação dos Mediuns

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

L Mediuns CAP17 Da Formacao dos Mediuns

  1. 1. Livro dos Médiuns CAP 17 – itens 200 a 218 Da formação dos Médiuns
  2. 2. Na sala principal de uma mansão em Paris, um grupo de senhores elegantes observa em silêncio a garota de 14 anos. Julie Baudin está sentada em frente a uma mesa redonda e segura um estranho objeto – uma cesta com um lápis encaixado na borda, que risca letras em espiral. Cada palavra é analisada atentamente por um dos homens. A garota parece não saber por que os adultos olham para ela tão concentrados – volta e meia ela ri e faz algum comentário engraçado. Suas mãos, porém, desenham no papel frases que em poucos meses irão fundar uma religião: o espiritismo. https://super.abril.com.br/historia/os-bastidores-do-livro-dos-espiritos/
  3. 3. Médiuns Escreventes ou Psicógrafos  De todos os meios de comunicação, a escrita manual é o mais simples, a mais cômoda e a mais completa.  Pela facilidade que os Espíritos encontram de se exprimirem por esse meio, eles nos revelam seus mais íntimos pensamentos. Para o médium, a faculdade de escrever é, além disso, a mais suscetível de desenvolver-se pelo exercício. LM Cap. XIV, item 178
  4. 4. 4 Pneumatografia x Psicografia Pneumatografia (escrita direta) Psicografia Utilização do aparelho mediúnico para escrever – a mão do médium Sem utilização de nenhum aparelho mediúnico para escrever – Médium ou qualquer outro objeto
  5. 5. Psicografia direta – o médium toma o lápis na mão e transmite, consciente ou não, o pensamento do espírito comunicante A evolução das formas de intercâmbio foram em direção à escrita, pelos espíritos, utilizando o lápis e o papel Kardec classifica: Psicografia indireta – lápis preso a objetos Psicografia
  6. 6. Psicografia 6 Na psicografia intuitiva, o Médium recebe as mensagens na mente e as passa para o papel. É pura intuição. Na psicografia semi-mecânica, o Médium, à medida que vai escrevendo, vai também tomando conhecimento do que escreve. O espírito atua, simultaneamente, na mente e na mão do Médium. Na psicografia mecânica, o espírito atua somente na mão do Médium, que escreve sem tomar conhecimento da mensagem recebida. Quando, ao invés de escrever, o espírito utiliza a mão do Médium para pintar, esse tipo de Mediunidade é chamado de PSICOPICTOGRAFIA Psicografia: tipo de Mediunidade, podendo ser intuitiva, semi- mecânica ou mecânica. É a capacidade de receber comunicações pela escrita.
  7. 7. PARIS 15 DE JANEIRO DE 1861 Mais difundida Mais Simples Mais cômoda Resultados mais satisfatórios Local em Casa Exercitar de 10 a 15 min por dia 15, 30 ou 60 dias ou até mais se necessário Sozinho Pancadas – Pranchetas - Mão HOJE Psicofonia Psicografia Casa Espírita Estudo Orientação de Médium Experiente Experimentação Mão (Pode ser auxiliada por outro médium – Magnetismo) Psicografia
  8. 8. CARACTERÍSTICAS DA MEDIUNIDADE ATRAVÉS DA PSICOGRAFIA • sensação de formigamento nas mãos; • dor no braço
  9. 9. OSTENSIVA • necessidade compulsiva e inoportuna de escrever idéias que não lhe são próprias – acontece normalmente • Criança – sala de aula
  10. 10. Procedimento olápis – papel – caneta ( pena ?) oPosição do médim oDisposição do material
  11. 11. Médium aspirante o Impaciência o Comunicar-se com o espírito que amou Preocupar-se primeiro em melhorar o instrumento (médium)
  12. 12. impecilhos o Relações fluídicas; o Espírito não querer se comunicar; o Não estar em condições; o Não haver permissão superior.
  13. 13. Evocação dos Espíritos 13
  14. 14. 14
  15. 15. “Nas reuniões mediúnicas, usuais nas Casas Espíritas, os Espíritos se manifestam de forma espontânea, segundo planejamento estipulado pela direção espiritual do grupo mediúnico. É comum evocar a assistência dos benfeitores espirituais, os quais revelam a sua presença por meio de mensagens consoladoras e esclarecedoras.” O Consolador- Emmanuel
  16. 16. 16 o Não tem fórmula ou receita; o Devem ser feitas sempre em nome de DEUS; o Anjo Guardião o Prece o Ambiente ( Médiuns/Doutrinadores); o Desejo ardente e firme ( boa vontade); o Paciencia o Pureza de Intenções; o Perguntas precisas. Evocação dos Espíritos
  17. 17. o Ajuda de um médium experiente mão ou dedos sobre a mão do que se deseje escrever. o Apendice da mão do médium. o Vontade de auxiliar.
  18. 18. Importancia do ambiente o Todos com o mesmo desejo e propósito. o Silencio OBS: A fé não é condição rigorosa e sim a pureza de intenções, o desejo, a boa vontade e o estudo (conhecimento da doutrina)
  19. 19. Indícios • “Perseverar é o caminho”!!! o Tremor ou não, no braço; o Impulso para escrever (rabiscos, riscos, escritas correntes);
  20. 20. Médiuns Improdutivos  Aceitar;  Dedicarem-se a outro trabalho.
  21. 21. Dificuldades o Espíritos Inferiores o Levianos o Zombeteiros Orar e Vigiar o Cuidados com formas ridículas ou letras moldadas, mas sem conteúdo;
  22. 22. CUIDADOS o Vigiar para não cair na dependência de maus espíritos, brincalhões ou zombeteiros; o Desejo incontrolável de escrever; o Evocação de um espírito qualquer por impaciência; o Ninguém é bastante forte para desembaraçar-se de um espírito inferior ( Reforma Íntima); o Fascinação (Ego).
  23. 23. ESPIRITOS SÉRIOS o Escrita legível; o Escrita simples e com conteúdo; o Quando não querem responder, aparece um traço.
  24. 24. Intuitiva dúvidas?? conhecimento, prudência e experiencia ESCRITA MECÂNICA E INTUITIVA o Não abusar da faculdade; o Moderação; o Disciplina ( dia, hora para treinar); o Recolhimento o Se as tentativas forem infrutíferas, renunciar à mediunidade
  25. 25. o Ninguém está privado da assistência dos bons espíritos o O verdadeiro desenvolvimento é a educação do médium, aplicando-a ao Bem. o Curiosidade ficou lá com os fenômenos das mesas girantes, necessários, para permitir a propagação da doutrina.
  26. 26. o Na página de o Consolador – (Cronicas e Artigos) http://www.oconsolador.com.br/ano8/360/christina_nunes.html, o Há a citação de casos de PSICODIGITAÇÃO (CHRISTINA NUNES meridius@superig.com.br )
  27. 27. A técnica evocativa dos Espíritos teve sua época, como tiveram as mesas girantes, as pranchetas, as tiptologias, as pneumatografias e pneumatofonias, as materializações etc. Como também teve sua época “o diálogo com os Espíritos através da psicografia. O retorno ao método da evocação, inclusive, não dinamizaria as atividades mediúnicas e nem propiciaria o surgimento de médiuns mais aptos e seguros. No caso destes é exatamente o contrário: o surgimento de médiuns mais adestrados é que possibilitaria (talvez) as condições para as evocações”. Shubert, Suely Caldas. Artigo – “Da evocação dos Espíritos nas reuniões mediúnicas”, Disponível em http://suelycaldasschubert.webnode.com.br/artigos/
  28. 28. Ser médium é investir-se a criatura de sagrada responsabilidade perante Deus e a própria consciência, uma vez que é ser intérprete do pensamento das esferas espirituais, medianeiro entre o Céu e a Terra. “Emmanuel”
  29. 29. “NÃO É A MEDIUNIDADE QUE TE DISTINGUE. É AQUILO QUE FAZES DELA.” Seara dos Médiuns - Emmanuel
  30. 30. ASSIM COMO O DESENHO FICOU DIFERENTE DA IDEIA ORIGINAL, OS NOSSOS AMIGOS TAMBÉM INTERFEREM EM NOSSA VIDA, EM NOSSAS AÇÕES

×