Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Genese cap 14 aula 3 de 4 curas ressurreição

165 views

Published on

Estudo Sistematizado da Gênese

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Genese cap 14 aula 3 de 4 curas ressurreição

  1. 1. Dez
  2. 2. Vista Psíquica Catalepsia Ressureições Curas Aparições Transfigurações
  3. 3.  Generalidades  Conceito  Constituição  Natureza
  4. 4. A CONSTITUIÇÃO DO SER VIVO Princípio Espiritual Matéria Primitiva Princípio Material Fluido Universal Fluidos ‘Físicos’ Matéria Orgânica Princípio Vital espírito Fluido Vital Ser Vivo
  5. 5. “Estudar o perispírito é tentar conhecer-se a sí próprio. Sem esse conhecimento, pré-requisito para o estudioso espírita, a mediunidade, os efeitos físicos, as obsessões, a reencarnação, a Lei de causa e efeito não são explicáveis e nem entendidos, por constituir esse corpo vaporoso o agente pelo quais esses fenômenos se desdobram. Inseparável do Espírito desde sua formação, não o deixará jamais em toda sua escala evolutiva, testemunhando suas conquistas e retratando sua superioridade.”
  6. 6. D E U S (Criador) Princípio Espiritual ou Princípio Inteligente Universal (espírito) Princípio Material ou Fluido Universal- FCU (matéria) Elemento primitivo espiritual, cuja natureza desconhecemos É suscetível de desenvolvimento evolutivo
  7. 7. D E U S (Criador) Devendo a matéria ser objeto de trabalho do Espírito, para o desenvolvimento de suas faculdades,era necessário que pudesse atuar sobre ela, por isso veio habitá-la. Deus, em lugar de unir o Espírito à pedra rígida, criou, para seu uso, corpos organizados; flexíveis, capazes de receber todos os impulsos de sua vontade, e de se prestar a todos os seus movimentos.” A Gênese- cap. XI- 10 O Princípio Inteligente não pode agir diretamente sobre a matéria a não ser revestindo-se de outro tipo de matéria semicondensada que possibilite o intercâmbio de informações e sensações de um para o outro
  8. 8. "Revela-nos a Doutrina Espírita que a natureza do ser humano é essencialmente espiritual, ainda que por muito tempo imprescinda, para seu desenvolvimento, do suporte carnal. Isso faz com que, em longo período de sua história evolutiva, viva ao mesmo tempo em dois planos existenciais, imerso na dimensao física, interage com o mundo espiritual, e, desencarnado, liga-se contínua e estreitamente ao mundo material. Compreende-se, entao, que na verdade, o existir é um interexistir. E para esse interexistir possibilita-nos a Providência Divina um valiosíssimo instrumento, espelho da alma e sustentáculo do corpo, que é o Perispírito. O Perispírito é, por excelência, o elo interexistencial."
  9. 9. PERISPÍRITO Ou Envoltório Fluídico do Espírito É a forma preexistente e sobrevivente do ser humano, sobre o qual se modela o envoltório carnal, como uma veste dupla invisível constituída de matéria quintessenciada (Matéria fluidica originaria do plano astral)
  10. 10. L.E-62- Qual é a causa da animalização da matéria? “Sua união com o princípio vital” “Num período apropriado Deus criou o P.V na Terra e apartir de então se deu a expansão da Criação” Adenáuer
  11. 11. -“Fluido magnético, ou fluido elétrico animalizado.” ( LE -65) -Subproduto do FCU -Elemento básico da vida -É mantido pela ação dos órgãos físicos, pelos alimentos, ar e centros de força -Ao desencarnar é restituído à fonte universal
  12. 12. AS TRÊS PARTES ESSENCIAIS DO SER HUMANO Alma ou Espírito – princípio inteligente, foco da consciência e da personalidade NATUREZA DESCONHECIDA Perispírito – invólucro fluídico permanente Corpo físico - temporário
  13. 13. https://www.youtube.com/watch?v=hzK6W1eWz6Q
  14. 14. A palavra foi empregada pela primeira vez por: Allan Kardec: Item 93- (LE) “Envolvendo o gérmen de um fruto, há o perisperma, do mesmo modo, uma substância que, por comparação, se pode chamar Perispírito, serve de envóltorio ao Espírito, propriamente dito
  15. 15. “Antes das pesquisas de Kardec, o corpo perispiritual era conhecido e estudado há milênios pelos iniciados nas ciências secretas, pesquisadores, magos e médiuns” Luiz G. Pinheiro
  16. 16. Egípcios: Khá Pitágoras: Corpo sutil da alma Aristóteles: Corpo sutil e etéreo Tertuliano: Corpo vital da alma Budismo: Kama-rupa Cabala: Rouach Hipócrates: Eu astral Paulo de Tarso: Corpo espiritual Cristãos primitivos: Corpo glorioso Católicos: Alma Pesquisadores modernos: Corpo Psíquico, Corpo Bioplamático
  17. 17. O Perispírito é formado pela metabolização do Fluido Cósmico Universal e das energias, vibrações e outros fluidos presentes no ambiente em que se encontre o Espírito (Elementos do mundo onde esteja encarnado). CONSTITUIÇÃO
  18. 18. CONSTITUIÇÃO Sua formação é resultado da aglutinação da energia cósmica (Fluido Cosmico) adequada à natureza de nosso planeta. Os espíritos de acordo com seu grau de elevação moral modificam esses elementos, com maior ou menor facilidade, pela ação do pensamento. Geziel Andrade Perispirito
  19. 19. CONSTITUIÇÃO Nos mundos Inferiores é formado de elementos do FCU mais grosseiros, semelhante vestidura de feição pastosa, verdadeira criação do corpo físico Nos mundos superiores o perispírito dos que ali habitam é formado com elementos do FCU mais sutis e essa substancia que as envolve pode apresentar admirável luminosidade.
  20. 20. CONSTITUIÇÃO Elevando-se moralmente o espírito tem a capacidade de modificar seu perispírito. Geziel Andrade Perispirito Roteiro - Emmanuel Os Espíritos agem sobre a matéria através do Perispírito. “É o envoltório sutil ou semimaterial, extremamente porosa e plástica e perene da alma, que possibilita sua interação com os meios espiritual e físico.” • Perispírito- Z.Z Perispírito – Campo Fluídico de União do Espírito à Matéria
  21. 21. • O Períspirito não é como o corpo que precisa de energia para manter sua estrutura. • O períspirito é um agregado de fluidos "espirituais" ao redor do espírito. Quanto mais evoluído moralmente o espírito for, fluidos mais puros serão atraídos ao seu redor formando um períspirito mais puro.
  22. 22. Hernani Guimarães: Modelo Organizador Biológico (MOB) O perispírito apresenta células, tecidos e órgãos ( em outra dimensão vibratória) a servirem no processo de reencarnação, como matrizes nos correspondentes biológicos.
  23. 23. Quando a encarnação esta prestes a acontecer o corpo material já esta ligado ao espirito através do períspirito. Portanto as moléculas do Períspirito ligam-se durante a gestação as moléculas do corpo físico. É desta forma que o períspirito serve de intermediário. Durante o sono há um afrouxamento no laço. Isso permite que a alma se emancipe e mantenha relação com os espíritos e a vida espiritual. A partir do instante da concepção o espirito designado para habitar o corpo liga-se por um laço fluídico semimaterial que se vai estreitando cada vez mais até o nascimento. No momento da concepção uma certa perturbação vai envolvendo o espirito até o momento do nascimento.
  24. 24. Sua habitação na dimensão espiritual ou material está baseada aos elementos do seu perispirito. Quando precisar voltar a agir num mundo inferior, ele precisa revestir o perispirito com os elementos mais grosseiros do FCU do local. Geziel Andrade Perispirito
  25. 25. Não. Com a simples troca de fluidos ele pode adaptar-se a cada mundo, conservando suas conquistas Adaptação gradativa
  26. 26. L.E- 187: “A substância do perispírito é a mesma em todos os mundos?” “- Não. Ela é mais ou menos etérea. Passando de um mundo para outro, o Espírito se reveste da matéria própria de cada um.” O Espírito muda a substância de que é composto o perispírito com a finalidade de adaptar-se àquela nova situação. Sem os fluidos do planeta em que aporta, o seu perispírito não se ajustaria às novas condições, ficando impossibilitado de receber as impressões daquele mundo, por inadequação da aparelhagem perispiritual.”Luiz G. Pinheiro
  27. 27. Segunda morte: *Quando se tornam Espíritos puros – Gúbio: “ …Raras as vezes tive notícias de amigos que perderam o veículo perispiritual conquistando planos mais altos.”
  28. 28. Como já vimos, o que se conhece pelo nome de perispírito é um conjunto de estruturas semelhantes a corpos que se interpenetram e vão se transformando à medida que o Espírito evolui
  29. 29. ANDRÉ LUIZ: Aura humana, psicosfera ou fotosfera psíquica LÉON DENNIS: Fotosfera humana “Campo resultante de emanações de natureza eletromagnética, a envolver todo ser humano encarnado ou desencarnado.”  Encarnados Reflete sua realidade evolutiva, seu padrão psíquico, sua situação emocional e o estado físico do momento  Desencarnados É apenas o reflexo de seu perispírito
  30. 30. “É comum considerar a aura como se fosse patrimônio exclusivo do ser vivo. Todavia, sabe-se que todo ser, animado ou inanimado, tem sua projeção energética” Z.Z
  31. 31. “É por essa couraça vibratória, espécie de carapaça fluídica, que começaram todos os serviços da mediunidade na Terra, considerando-se mediunidade como atributo do homem encarnado para corresponderem-se com homens libertados do corpo físico.”
  32. 32. Primeiro nível de contato Compatibilidade energética Sintonia mediúnica entre os Espíritos envolvidos
  33. 33. Possui a função de absorver as energias vitais do ambiente distribuindo-as equitativamente Forma-se com a encarnação e reconfigura-se a necessidade do Espírito após a morte Certa semelhança com o corpo físico, ultrapassando- lhe as dimenções em cerca de 1cm (NDM- Desdobramento de Castro) Peso aproximado de 60g
  34. 34. Luiz G. Pinheiro
  35. 35. Envoltório sutil da mente É a parte imperecível do perispírito, pois acompanha o princípio inteligente qualquer que seja seu grau de evolução, desde a criação simples e ignorante até o nível dos puros.
  36. 36. Preside a formação do Perispírito Indestrutível diante de qualquer agressão Sede da memória perispiritual “O corpo mental é a matriz de onde se extrai os dados necessários à modelagem do perispírito que é sua cópia grosseira”
  37. 37. Participa na reconstrução do perispírito (quando esse é total ou parcialmente lesionado)
  38. 38. FUNÇÃO INSTRUMENTAL FUNÇÃO INDIVIDUALIZADORA FUNÇÃO DE ARMAZENAGEM FUNÇÃO ORGANIZADORA FUNÇÃO SUSTENTADORA
  39. 39. Servir de instrumento à alma, em sua interação com os mundos espiritual e físico Veículo das manifestações do Ser Agente de transmissão: “O Espírito quer, o perispírito transmite e o corpo executa”
  40. 40. Veículo da mediunidade – “Princípio de todas as manifestações” Veículo do pensamento – Responsável pela irradiação do pensamento  O pensamento nasce na mente, percorre todo o organismo (cada célula) antes de se irradiar.  Não há um segundo do nosso pensamento que não fique gravado no nosso perispírito. (NDM – André Luiz (cap. 1)
  41. 41.  Serve à individualização e identificação:  Características periféricas: Mantém a forma humana e os traços fisionômicos por ocasião da renovação celular  Conquistas evolutivas: Indicador do estágio evolutivo do Espírito.
  42. 42. MEMÓRIA MEMÓRIA CORTICAL MEMÓRIA PERISPIRITUAL MEMÓRIA ESPIRITUAL
  43. 43. Registra as experiências mais recentes As portas de entrada são os sentidos físicos mas pode receber influências através dos sonhos Exclusivamente mecânica Passível de falhas Depende do funcionamento do sist. Nervoso)
  44. 44.  Registra os atos das existências- toda a saga da matéria  “Se presta à armazenagem das experiências complexas da existência do princípio espiritual como da vida humana” Psicologia do Espírito- Adenáuer Novaes  L.E- 257- “O perispírito é apenas o agente de transmissão, pois é no Espírito que está a consciência”  Refletor da memória psicológica
  45. 45. SÃO GRAVADAS AS LEIS DE DEUS É aonde a evolução do Espírito se processa O domínio da lembrança das experiências pregressas torna-se desnecessário ao Espírito Puro porquanto ele já percebe o significado de tê-las vivido.” Psicologia do Espírito- Adenáuer Novaes
  46. 46.  A ação perispirítica é decisiva na formação do corpo, é por seu intermédio que a alma rege sua encarnação.  (Excessão: Natimortos)
  47. 47. "Frequentemente isso se dá e Deus o permite como prova, quer para os pais do nasciturno, quer para o Espírito designado a tomar lugar entre os vivos." (Essa lição, aliás, é tão importante quanto se sabe que são inúmeros, a propósito, os relatos de suicidas que, por não terem valorizado as oportunidades de vida física, procuram depois recompor-se, enfrentando as frustrações das reencarnações malogradas...).
  48. 48.  Modelo Organizador Biológico (H.G)  “molde” que determina as linhas morfológicas e hereditárias do corpo físico.
  49. 49. “Sustenta o veículo físico desde sua formação até o completo crescimento, conservando-o, depois, na vida adulta,durante o tempo necessário” Z.Z
  50. 50. Sustenta o complexo processo de renovação celular- *Conserva da linhas fisionômicas *Renovação dos neurônios – Pesquisas apartir de 1988 “ Sustenta o Sistema Imunológico A deficiência imunológica está estreitamente vinculada a fatores que dizem respeito ao equilíbrio emocional. O comprometimento psíquico pode repercurtir na ação sustentadora do psicossoma provocando enfraquecimento das defesas orgânicas Recomposta a harmonia mental as forças perispiríticas de sustentação voltam a operar, reativando a imunologia
  51. 51. AS CURAS DE JESUS
  52. 52. Mateus 4:23 • ... E percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas suas sinagogas e pregando o evangelho do reino, e CURANDO todas as enfermidades e moléstias no meio do povo...
  53. 53. E hoje? É HOJE ???
  54. 54. O que é saúde para nós? Corpo físico ausente de doença? Força? Poder? Felicidade?
  55. 55. SAÚDE . • “estado de completo bem estar físico, psíquico e social e não meramente a ausência de doenças”. Organização Mundial da Saúde (OMS) - • Saúde é a harmonia da alma.Abordagem Espírita- Emmanuel
  56. 56. Saúde é a HARMONIA da Alma Emmanuel Harmonia: significa “sintonia” com seu momento de vida, seu estagio de amadurecimento, suas necessidades psicológicas, sociais e biológicas. Harmonia: - Não depende de ausência de doenças, podendo se manifestar mesmo na presença destas.
  57. 57. Chico Xavier : Vivia com o corpo coberto de enfermidades e o coração pacificado em Deus, harmonizado com sua proposta e sua missão. Hitler: Trazia o corpo aparentemente saudável e a alma desarmonizada, desconectada com o seu papel no universo e em seu momento evolutivo.
  58. 58. AS CURAS DE JESUS Analisaremos a postura terapêutica do Cristo e suas curas, encontraremos farto material simbólico a nos direcionar o pensamento e o sentimento para a consciência de nosso papel co-criador e auto-curativo.
  59. 59. O cego de Jericó Marcos 10:46-52
  60. 60. Marcos 10:46-52  E depois, foram para Jericó. E, saindo ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, Bartimeu, o cego, filho de Timeu, estava assentado junto do caminho, mendigando. E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim. E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim. E Jesus, parando, disse que o chamassem; e chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, que ele te chama. E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus. E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu veja. E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho.
  61. 61. O cego de Jericó Interessante a postura do Mestre que pede para que o “cego” levante-se e vai ter com ele, que se encontra no meio da multidão. Bartimeu esqueceu de suas ilusórias limitações, importante observação para aqueles que vivem a vida semelhante ao mendigo, à espera de migalhas alheias na forma de afeto, atenção, considerações e valor pessoal, sem conhecer a sua possibilidade de enfrentar a multidão de seus desafios pessoais com otimismo e confiança em si mesmo e na vida. Bartimeu lançando de si a “capa” = Tudo aquilo que encobria seu ser.
  62. 62. - Que queres que Eu faça? - Será que Jesus não sabia o que ele queria? - Que eu VEJA... O cego de Jericó
  63. 63. Que eu veja... -.Que sejamos capazes de enxergar nossos pontos fortes e fracos. Que sejamos capazes ver aquilo que vai destruir e construir a nossa vida. Que consigamos ver o papel de cada pessoa na nossa vida, inclusive aquelas que não gostamos. Que possamos enxergar os caminhos da vida por onde nossas pernas haverão de trilhar, por onde haveremos de buscar a nossa felicidade e a nossa alegria, a realização de nossa alma
  64. 64. A cura do paralitico – João 5:1-15
  65. 65. A cura do paralitico – João 5:1-15 • Ora, em Jerusalém há, próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu Betesda, o qual tem cinco alpendres. Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressicados, esperando o movimento da água. Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse. E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são? O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito, e anda. Logo aquele homem ficou são; e tomou o seu leito, e andava.
  66. 66. Assim também a humanidade atual, que acredita que as respostas para seus dramas e a cura para as doenças do corpo e da alma virão exclusivamente de fora, da ciência, da psicologia ou da religião, e aguardam imóveis a solução miraculosa que as liberte de seu sofrimento e de seu vazio interior.
  67. 67. das ovelhas Se a docilidade, a resignação, a paciência e a compreensão, são virtudes a serem conquistadas pelos discípulos do Nazareno de todas as épocas, nela encontramos todas estas qualidades. Define que as nossas conquistas espirituais passam pela prática de todas as virtudes que este dócil animal representa
  68. 68. 3- Ali costumava ficar grande número de pessoas doentes e inválidas: cegos, mancos e paralíticos. Enfermos de todo tipo se juntavam aguardando uma gota de misericórdia. Almejam o alívio de suas dores físicas e morais
  69. 69. 5-Um dos que estavam ali tomado de compaixão Jesus curou o mais enfermo de todos os doentes
  70. 70. 6-Você quer ser curado? • o Senhor coloca nas mãos do enfermo sua própria cura. • Conjugação do verbo querer. • A saúde é resultado do que fizermos; e a nossa ação será sempre direcionada pelo desejo, que se alimentado pela Boa Vontade de nos encaminharmos segundo a segurança cristã, trará benefícios plenos.
  71. 71. 7- Senhor, não tenho ninguém que me ajude a entrar no tanque quando a água é agitada. • aguardamos que o outro, venha por nós realizar, • pelo menos que ele tome a iniciativa, • Responsabilizamos os outros pelos nossos fracassos. • Estamos na condição de “Enquanto estou tentando entrar, outro chega antes de mim".
  72. 72. Indecisão Os sugestionáveis A tentativa daquele enfermo de justificar sua ociosidade, não pode se repetir conosco. “Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente: oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te ei da minha boca”. Ap 3. 15-16
  73. 73. 8-Levanta toma tua maca e anda Suas razões são até certo ponto lógicas e justas, mas isto se levarmos em consideração os valores do mundo. Entretanto, saúde não é conquista mundana, e sua aquisição é proporcional às virtudes conquistadas no que diz respeito aos bens do Reino. Jesus propõe desvincule-se da retaguarda, saia da ociosidade, do comodismo; levanta-te…
  74. 74. Queremos nos curar da paralisia da alma?
  75. 75. Queres ficar são? – Opção individual. A vida deixa- nos escolher. Não adianta o melhor terapeuta se não houver disposição do enfermo de se curar. Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me meta no tanque. – Transferência de responsabilidade. Queremos sempre que os outros façam por nós. Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma a tua cama, e anda. – Jesus indica a terapia: dinamismo, ação. A terapia é individual, cabe a cada um fazer a sua parte. Só nós mesmos podemos nos curar.
  76. 76. Jesus pergunta: - Queres ficar são? E Nós? Queremos ficar sãos?
  77. 77. A vida nos chama ao trabalho de renovação e somos abençoados com a luz do conhecimento. O que fazemos? Permanecemos indecisos, sem coragem de caminhar para a realização da tarefa que nos elevaria. Somos conduzidos ao trabalho de ajuda ao próximo, para fortalecer nossos objetivos de crescimento, mas por aguardarmos gratidão ou reconhecimento pelos nossos atos, afastamo-nos do serviço, quando isso não acontece.
  78. 78. • - Companheiros difíceis são colocados a conviver conosco, seja no lar ou no trabalho, como atendimento de Jesus às nossas rogativas, e, no entanto, nos afligimos, revoltamo- nos, abandonando a luta redentora, afastando-nos deles.
  79. 79. A CURA DOS 10 LEPROSOS
  80. 80. Em Lucas 17:11-19 A caminho de Jerusalém, Jesus passou pela divisa entre Samaria e Galileia. Ao entrar num povoado, dez leprosos dirigiram-se a ele. Ficaram a certa distância e gritaram em alta voz: "Jesus, Mestre, tem piedade de nós!” Ao vê-los, ele disse: "Vão mostrar-se aos sacerdotes". Enquanto eles iam, foram purificados. Um deles, quando viu que estava curado, voltou, louvando a Deus em alta voz. Prostrou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Este era samaritano. Jesus perguntou: "Não foram purificados todos os dez? Onde estão os outros nove? Não se achou nenhum que voltasse e desse louvor a Deus, a não ser este estrangeiro?“ Então ele lhe disse: "Levante-se e vá; a sua fé o salvou"
  81. 81. A Hanseníase, nesse contexto, simboliza tudo aquilo que isola e afasta o homem do convívio sadio com os seus, com a sociedade de que faz parte, no cumprimento de seu papel e sua missão. A pele é símbolo da troca, do afeto. É o que nos limita e nos separa do outro, mas também é a fonte da sensibilidade e da percepção a interação com o meio.
  82. 82. Não foram dez os curados? Onde estão os outros nove? Vá, a tua fé te curou
  83. 83. REFLEXÕES
  84. 84. • Pode ser paradoxal, mas adoecemos porque precisamos nos curar. Não é castigo divino, é o processo natural de reequilíbrio do espírito encarnado, liberando-se pela dor, reeducando-se diante das Leis Divinas.
  85. 85. Encaremos a doença como um sinal de que algo tem que ser mudado. Não adianta, apenas, viver a experiência dolorosa, precisamos modificar comportamentos e atitudes para que sobrevenha a cura.
  86. 86. A cura nem sempre é compreendida do ponto de vista moral. No entanto, a doença tem início, na grande maioria das vezes, nos defeitos morais em que ocorrem em várias fases da encarnação de uma pessoa. Descobrir que somos responsáveis por ela assusta! No entanto, somos também capazes de nos curarmos!
  87. 87. 92
  88. 88. 93 Que buscais? (J, 1:38) Se vos tenho falado de coisas terrenas e não me credes, como crereis se vos falar das celestiais? (J,3:12) Como pode Satanás expulsar Satanás? (Mc, 3:23) Pois se nem ainda podeis fazer as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras? (Lc,12:26) E o que tens ajuntado, para quem será? (Lc,12:20) E se saudardes unicamente aos vossos irmãos, que fazeis de mais? (Mt,5:47) E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão e não vês a trave que está no teu olho? (Mt,7:3)
  89. 89. 94 Não te maravilhes de ter dito: Necessário vos é nascer de novo. És Mestre em Israel e não sabes isso? (J,3:10) E por que me chamais Senhor, Senhor, se não fazeis o que eu digo? (L,6:46) Simão, filho de Jonas, amas-me? (J,21:17) Onde está a vossa fé? (Lc,8:25) Queres ficar são? (J,5:6) Mulher, onde estão os teus acusadores? Ninguém te condenou? (J,8:10) Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses? (J,10:34) – referência ao profeta Asafe (Salmos, 82:6)
  90. 90. 95
  91. 91. 96 Mateus:20, 32
  92. 92. “Esses dados comprovam, mais uma vez, o papel fundamental dessa extraordinária malha energética que é o perispírito – já desde suas mais primitivas protoformas, na dimensão animal – sustentando e reorganizando continuamente o edifício celular.” Z.Z
  93. 93. Ajuda-te que o céu te ajudará!
  94. 94. 100 A poesia suave de Jesus Autor: Luiz Gonzaga Pinheiro
  95. 95. 101 O evangelho de Jesus é um poema à simplicidade. Não requer explicações metafísicas nem elasticidade filosófica para entendê-lo.
  96. 96. 102 Olhai as aves do céu; não semeiam nem ceifam, mas nosso pai celestial as alimenta. = É a lição do desprendimento =
  97. 97. 103 Aquele que põe a mão no arado e olha para trás não está apto ao reino de Deus. = É a lição da perseverança =
  98. 98. 104 Aquele que estiver sem pecado que atire a primeira pedra. = É a lição da auto-análise =
  99. 99. 105 Quando fordes convidados para um banquete senta no último lugar. = É a lição da humildade =
  100. 100. 106 Aquele que quer ser o maior que seja o que mais serve. = É a lição da caridade =
  101. 101. 107 Vinde a mim todos vós que estás aflitos e sobrecarregados e eu vos aliviarei. = É a lição do acolhimento =
  102. 102. 108 Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração. = É a lição da delicadeza =
  103. 103. 109 Reconcilia-te com o teu inimigo enquanto estás a caminho com ele. = É a lição da paz =
  104. 104. 110 Saiu o semeador a semear sua semente. = É a lição do trabalho =
  105. 105. 111 Para entrar no reino do céu é necessário nascer de novo. = É a lição da volta =
  106. 106. 112 O filho do homem veio para servir e não para ser servido. = É a lição da nobreza =
  107. 107. 113 Seja o vosso falar sim,sim e não, não. = É a lição da firmeza =
  108. 108. 114 Tratai a todos como gostarias de ser tratado. = É a lição da justiça =
  109. 109. 115 Vai e não peques mais! = É a lição da resistência =
  110. 110. 116 Lázaro, levanta-te e anda! = É a lição da fé =
  111. 111. 117 Procure Jesus nas coisas simples; na lágrima, no afago, na alegria pura, no trabalho honesto, no gesto fraterno, no poema à vida, enfim, em tudo que eleva e ilumina. Por isso é tão dificil para a ciência e para a filosofia encontrá-lo.
  112. 112. 118 A poesia suave de Jesus Autor: Luiz Gonzaga Pinheiro

×