Tecido adiposo e cartilaginoso

35,788 views

Published on

0 Comments
12 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
35,788
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
11
Actions
Shares
0
Downloads
563
Comments
0
Likes
12
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tecido adiposo e cartilaginoso

  1. 1. Tecido Adiposo E Tecido Cartilaginoso
  2. 3. Tecido Adiposo <ul><li>O tecido adiposo é uma variedade do tecido conjuntivo. </li></ul><ul><li>As células do tecido adiposo possuem a capacidade de armazenar gordura. </li></ul><ul><li>O tecido adiposo é a maior reserva corporal de energia, que sob a forma de triglicerídeos. </li></ul><ul><li>As células hepáticas e o músculo esquelético também acumulam energia na forma de glicogênio. </li></ul>
  3. 4. Tecido Adiposo <ul><li>Podemos considerar o tecido adiposo como um tecido conjuntivo especial, no qual se observa a predominância de um único tipo celular os ADIPÓCITOS. </li></ul><ul><li>Essas células podem ser encontradas isoladas ou em pequenos grupos no tecido conjuntivo frouxo. </li></ul><ul><li>Porém, a maioria delas forma grandes agregados (infelizmente!) distribuídos pelo corpo. </li></ul><ul><li>Em pessoas com IMC (índice de massa corporal) normal esse tecido adiposo deve corresponder a 20-25% do peso corporal na mulher e 15-20% no homem. </li></ul><ul><li>Os triglicerídeos são mais eficientes em fornecer energia ao organismo do que o glicogênio porque fornecem 9,3 Kcal contra 4,1 kcal do glicogênio. </li></ul>
  4. 5. Tecido Adiposo Os triglicerídeos do tecido adiposo não são depósitos estáveis, porém se renovam continuamente, e o tecido é muito influenciado por estímulos nervosos e hormonais. Além do papel energético o tecido adiposo tem um papel modelador. Localizando-se embaixo da pele, modela a superfície, sendo em parte responsável pelas diferenças de contorno entre o corpo do homem e da mulher. Além disso, por ser a gordura má condutora de calor são ótimos isolantes térmicos.
  5. 7. Tecido Adiposo O tecido adiposo coordena uma variedade de processos metabólicos , incluindo: Metabolismo Energético ; Função Neuro-endócrina ; Função Imunológica . As funções do tecido adiposo podem ser divididas em três categorias: secreção de proteínas com efeitos metabólicos à distância; Produção de enzimas envolvidas no metabolismo de hormônios esteróides e expressão de receptores (DAMIANI, 2005).
  6. 8. Tecido Adiposo Outros exemplos de função do tecido adiposo: Isolante Elétrico: a bainha de mielina que envolve o axônio de certos neurônios (células nervosas) é formada por células cuja membrana possuiu alta porcentagem de lipídios, atuando como isolante elétrico e facilitando a condução do impulso nervoso nestas células. Produção de Água: quando oxidados, os lipídios produzem água. Um grama de lipídio produz 1,07 gramas de água. Proteção mecânica: as gorduras armazenadas no tecido adiposo dos animais atuam protegendo estruturas (órgãos) internas, funcionando como um amortecimento. Ex.: região glútea e parte inferior dos pés.
  7. 9. Tecido Adiposo Tecido Adiposo Unilocular: também chamada de gordura amarela. Suas células possuem uma única gotícula de lipídio, que ocupa quase todo o espaço celular formando um grande vacúolo. Sua cor varia entre o branco e o amarelo-escuro Forma o Panículo adiposo, camada de gordura disposta sob a pele; no recém nascido é de espessura uniforme, já em adultos o acúmulo é em determinadas posições. Esta a distribuição seletiva é regulada pelos hormônios sexuais e pelos hormônios produzidos pela camada cortical da glândula supre adrenal. Principal lipídio armazenado é o triglicerídeo. As células adiposas uniloculares são grandes medindo de 50-150  m.
  8. 10. Tecido Adiposo Corte de tecido adiposo unilocular de mamífero jovem. As setas indicam os núcleos, as estrelas o tecido conjuntivo de sustentação.
  9. 11. Tecido Adiposo Tecido Adiposo Multilocular : também denominado “gordura marrom”, esse tecido é formado por células que contêm várias gotículas de gordura, ou seja, possui vários vacúolos de gordura e várias mitocôndrias. Sua cor castanha é devido à vascularização abundante e às numerosas mitocôndrias (por serem ricas em citocromos têm cor avermelhada), que fazem gerar energia mais rápido que o tecido unilocular. Localiza-se em áreas determinadas, encontrados em grande quantidade em animais hibernantes e em recém nascidos. Como este tecido não cresce , sua quantidade no adulto é extremamente reduzida. Tem como principal função gerar calor.
  10. 12. Tecido Adiposo Ultra-estrutura da célula adiposa multilocular mostrando uma terminação do sistema simpático, com vesículas sinápticas contendo material elétron-denso. O citoplasma dessa célula contém muitas mitocôndrias, situadas entre aas goticulas lipídicas, que estão representadas em cinza.
  11. 13. Tecido Adiposo
  12. 14. Tecido Adiposo Coloração: Pararrosanilina e azul de toluidina Tecido adiposo unilocular Tecido adiposo multilocular
  13. 15. Tecido Adiposo
  14. 16. Tecido Adiposo
  15. 17. Tecido Adiposo Os animais hibernantes armazenam gorduras que os protegem do frio no inverno ; para isso apresentam bastante tecido adiposo multilocular capaz de gerar calor, além de funcionar como isolante térmico.
  16. 18. Tecido cartilaginoso <ul><li>O tecido cartilaginoso é uma forma especializada de tecido conjuntivo de consistência rígida. </li></ul><ul><li>Desempenha a função de suporte de tecidos moles, reveste superfícies articulares onde absorve choques, facilita os deslizamentos e é essencial para a formação e crescimento dos ossos longos. </li></ul><ul><li>A cartilagem é um tipo de tecido conjuntivo composto exclusivamente de células chamadas condrócitos e de uma matriz extracelular altamente especializada. </li></ul>
  17. 19. Tecido cartilaginoso É um tecido elástico e flexível, aderente a superfícies articulares dos ossos. É formado por condrócitos e condroblastos revestido pelo pericôndrio. O tecido serve para dar forma e sustentação a algumas partes do corpo, mas com menor rigidez que os ossos e também serve para não dar atrito entre os ossos. No tecido cartilaginoso não existem vasos sanguíneas , nervos e vasos linfáticos.
  18. 20. Tecido cartilaginoso Fotomicrografia da cartilagem hialina. Os condrócitos fazem grupos isógenos e se encontram nas lacunas da matriz. Nas partes superior e inferior encontra-se o pericôndrio, estas células gradualmente se diferenciam em condrócitos.
  19. 21. Tecido cartilaginoso A cartilagem é um tipo de tecido conjuntivo composto exclusivamente de células chamadas condrócitos e de uma matriz extracelular altamente especializada. Não possui vasos sanguíneos, sendo nutrido pelos capilares do conjuntivo envolvente (pericôndrio) ou através do líquido sinovial das cavidades articulares. Em alguns casos, vasos sanguíneos atravessam as cartilagens, indo nutrir outros tecidos.
  20. 22. Tecido cartilaginoso Cartilagem hialina Distingue-se pela presença de uma matriz vítrea, homogênea e amorfa (figura ao lado). Por toda cartilagem há espaços, chamados lacunas, no interior das lacunas encontram-se condrócitos. Essas lacunas são circundadas pela matriz, a qual tem dois componentes: fibrilas de colágeno e matriz fundamental.
  21. 23. Cartilagem hialina Origem: traquéia (H.E) TC:Tecido Conjuntivo,C:condrócitos,Ms:matriz,P:pericondrio,Gi:grupo isogênico, Cb: condroblastos Tecido cartilaginoso
  22. 24. Tecido cartilaginoso O tecido cartilaginoso também é desprovido de vasos linfáticos e de nervos. Dessa forma, a matriz extracelular serve de trajeto para a difusão de substâncias entre os vasos sangüíneos do tecido conjuntivo circundante e os condrócitos. As cavidades da matriz, ocupadas pelos condrócitos, são chamadas lacunas; uma lacuna pode conter um ou mais condrócitos.
  23. 25. Tecido cartilaginoso Cartilagem hialina – matriz composição e organização
  24. 26. Tecido cartilaginoso
  25. 27. Tecido cartilaginoso Micrografia eletrônica de um corte da cartilagem fibrosa de um animal jovem.
  26. 28. Tecido cartilaginoso Cartilagem elástica É uma cartilagem na qual a matriz contém fibras elásticas e lâminas de material elástico , além das fibrilas de colágeno e da substância fundamental. O material elástico confere maior elasticidade à cartilagem, como a que se pode ver no pavilhão da orelha. A presença desse material elástico (elastina) confere a esse tipo de cartilagem uma cor amarelada, quando examinado a fresco. A cartilagem elástica pode estar presente isoladamente ou formar uma peça cartilaginosa junto com a cartilagem hialina. Como a cartilagem hialina, a elástica possui pericôndrio e cresce principalmente por aposição .
  27. 29. Tecido cartilaginoso Ela pode ser encontrada no pavilhão da orelha, nas paredes do canal auditivo externo, na tuba auditiva e na laringe. Em todos estes locais há pericôndrio circundante. Diferentemente da cartilagem hialina, a cartilagem elástica não se calcifica. Cartilagem elástica com fibras elásticas.
  28. 30. Tecido cartilaginoso Fibrocartilagem ou Cartilagem fibrosa: é um tecido com características intermediárias entre o conjuntivo denso e a cartilagem hialina. É uma forma de cartilagem na qual a matriz contém feixes evidentes de espessas fibras colágenas. Na cartilagem fibrosa, as numerosas fibras colágenas constituem feixes, que seguem uma orientação aparentemente irregular entre os condrócitos ou um arranjo paralelo ao longo dos condrócitos em fileiras. Essa orientação depende das forças que atuam sobre a fibrocartilagem. Os feixes colágenos colocam-se paralelamente às trações exercidas sobre eles. Na fibrocartilagem não existe pericôndrio.
  29. 31. Tecido cartilaginoso A fibrocartilagem está caracteristicamente presente nos discos intervertebrais, na sínfise púbica, nos discos articulares das articulações dos joelhos e em certos locais onde os tendões se ligam aos ossos. Fibrocartilagem. Condrócitos separados por fibras colágenas.
  30. 32. Tecido cartilaginoso Histogênese: a cartilagem possui dois tipos de crescimento: aposicional e intersticial . Crescimento aposicional é a formação de cartilagem sobre a superfície de uma cartilagem já existente. As células empenhadas nesse tipo de crescimento derivam do pericôndrio. O crescimento intersticial ocorre no interior da massa cartilaginosa. Isso é possível porque os condrócitos ainda são capazes de se dividir e porque a matriz é distensível. Embora as células-filhas ocupem temporariamente a mesma lacuna, separam-se quando secretam nova matriz extracelular.
  31. 33. Tecido cartilaginoso Quando parte desta última matriz é secretada, forma-se uma divisão entre as células e, neste ponto, cada célula ocupa sua própria lacuna. Com a continuidade da secreção da matriz, as células ficam ainda mais separadas entre si. Na cartilagem do adulto, os condrócitos freqüentemente estão situados em grupos compactos ou podem estar alinhados em fileiras . Esses grupos de condrócitos são formados como conseqüência de várias divisões sucessivas durante a última fase de desenvolvimento. Há pouca produção de matriz adicional e os condrócitos permanecem em íntima aposição. Tais grupos são chamados de grupos isógenos.
  32. 34. Tecido cartilaginoso Histogênese da cartilagem hialina , a partir do mesênquima (A). A multiplicação das células forma um tecido muito celular (B). Em seguida, pela produção de matriz extracelular os condroblastos se afastam (C). Finalmente, a multiplicação mitótica destas células dá origem aos grupos de condrócitos (grupos isógenos) (D) .

×