Porque A Sociedade Enfatiza Tanto A CrençA Em Deus
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Porque A Sociedade Enfatiza Tanto A CrençA Em Deus

on

  • 732 views

 

Statistics

Views

Total Views
732
Views on SlideShare
732
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Porque A Sociedade Enfatiza Tanto A CrençA Em Deus Porque A Sociedade Enfatiza Tanto A CrençA Em Deus Document Transcript

  • Porque a sociedade enfatiza TANTO a crença em Deus? Os ateus reclamam que a sociedade enfatiza muito a fé em Deus, e que os discrimina por eles não acreditarem, e acham isso injusto, e uma ditadura religiosa. Eu vou tentar explicar nessa matéria os motivos porque se enfatiza tanto a fé num criador, e a observância das doutrinas religiosas. Na realidade, o que é necessário para a vida não é adorar a um ser maior, pois eles não precisam de adoração, justamente por serem supeiores de fato. Na realdiade, o que precisamos mesmo, é ter um ideal elevado. É necessário DESEJAR EVOLUIR. Desejar o BEM, o BELO, a MORAL, a JUSTIÇA, e todas as coisas boas. Mas para que isso aconteça, é preciso dar motivos para que as pessoas desejem isso, visto que elas não tem esse grau de desenvolvimento pessoal suficiente para se guiarem sozinhas. A massa é IMUNDA, PORCA, sem noção, perdida, cheia de instintos ruins, e propensões negativas, vícios, imoraliades e defeitos de toda sorte. Para que essas pessoas (ou espíritos) atrasados não cometam barbaridades contra seus semelhantes, foi preciso desenvolver sistemas de crenças para fazer as pessoas sentirem necessidade de se equilibrarem, e de se endireitarem, para evitar os excessos, os erros e os crimes. Um jeito de fazer o ser humano buscar se corrigir, mesmo que seja através do medo. Por isso foram criadas as religiões. Para dar sustentação, suporte, amparo para os seres humanos. Uma referencia, um norte, um parâmetro, para poderem pautar seus passos, e uma forma de coerção moral, para obrigar as pessoas a andarem na linha. E a forma como os sábios do passado encontraram para fazer o ser humano buscar esses valores foi IMPLANTAR A CRENÇA EM DEUS através de sistemas religiosos, ou RELIGIÕES. Não estou dizendo que Deus não exista. Não é isso. Não conclua coisas prescipitadas do que escrevi. Entenda minha linha de raciocínio. Deus existe, mas não da forma religiosa. É isso que eu quero dizer com a frase: ” Implantar a crença em Deus”. A forma religiosa é uma forma teísta. Ou seja, uma forma de ver Deus como um ser que nos vigia o tempo todo, que pensa, sente, e age de forma semelhante a a humana (antropoformismo), e que ele reage as nossas ações diariamente, condenando, aprovando, e interage nos recompensado e nos punindo a todo instante. Muito bem.
  • Com as religiões foi possível incutir no ser humano a necessidade de ser pessoas boas, em vez de serem pessoas ruins, mesquinhas, avarentas, adulteras, cobiçosas, ladras, pérfidas, falsas, mentirosas, etc… Religião é necessária para pessoas (ou se quiser outro termo, para espíritos) atrasados. Servem para pessoas realmente PRIMITIVAS. Que tem necessidade de correção moral. Pessoas evoluidas não precisam de legislação, nem de leis religiosas para as guiar, pois elas sabem por natureza, instintivamente, de forma espontânea, o que é o certo e o que é o errado, e assim sendo, não precisam de uma promessa de Céu ou vida melhor no futuro para recompensá-la por ter sido uma pessoa boa nessa vida. Nem precisa de ameaça de um inferno de tortura eterna caso ela não escolha ser boa pessoa. A religião condicionou a nossa cultura dessa forma. Mas mesmo assim, temos de entender que a religião, com todos os seus defeitos, ainda assim FOI MUITO NECESSÁRIA. Pois sem a religião, o nosso mundo seria MUITO PIOR do que ele já é! Graças as doutrinas religiosas, as pessoas FREIAM seus impulsos animais, e refreiam suas imoralidades, e assim se torna possível viver em sociedade. Se não fossem as religiões, a humanidade seria uma imensa terra de ninguém e uma verdadeira sodoma e gomorra generalizada, pior do que já é!!! E hoje em dia o mundo está pior porque os laços morais das religiões AFROUXARAM. Antigamente não tinha tanta safadeza como tem hoje em dia. A safadeza SEMPRE existiu, mas antigamente as pessoas eram mais religiosas, mais família, mais direitas. As safadezas praticadas em toda a história da humanidade foram praticadas por pessoas sem religião ou pora aquelas pessoas que não seguem corretamente as religiões, ou aquelas que usam das religiões para se beneficiar, e que na verdade não pratica nada do que é ensinado, e é um religioso de fachada. Desde de que o mundo é mundo, e que as pessoas se conhecem por gente, sempre teve patifes entre nós que causaram problemas. Mas nos lugares onde a religiosidade era forte, sem fanatismo, mas levado a sério como MEIO DE VIDA, a sociedade dessas localidades eram mais corretas, mais morais, e assim por diante. Nas localidades onde a religião era conduzida por grupos maldosos de elite, o povo fazia a vontade dessas elites, e partiam para guerra santa contra os “inimigos”. A verdade é uma só: Os seres humanos atrasados precisam ser doutrinados para crer num Deus que pune e que recompensa, e que exige obediencia a seus mandamentos, para que essas pessoas possam evoluir. E os que já são evoluídos e que já adquiriram CONSCIENCIA, não precisam acreditar num Deus que pune e que recompensa, pois JÁ SABEM a verdade da vida, e procuram ser
  • BOAS PESSOAS não porque tem um Deus que cobra e que vigia, mas sim porque a PRÓPRIA PESSOA RECONHECE QUE TEM QUE SER ASSIM. A crença no Deus que recompensa foi criada para que as pessoa que obedecessem ao Deus religioso não ficassem com sentimento de injustiça, pois os demais que não seguiam a esse Deus aprontavam e nada lhes acontecia, mas os fiéis eram injustiçados. Então foi criado o céu e o inferno para fazer essa “correção” moral. Por isso que essas coisas só ocorrem após a morte, porque em vida NUNCA ocorrerá. A realidade da vida não é como ensina a religião. Eles criaram a religião para endireitar o ser humano, e implantou a crença num Deus pessoal, que vigia, e interaege diariamente conosco, que houve nossas orações, e que vê as coisas que acontecem na Terra e que age sobe todos, punindo-os, libertando-os, corrigindo-os, recompensando-os, ajudando-os, etc… Mas os fiéis veem que seus semelhantes infiéis cometem todo tipo de coisa detestável, reprovada, e nada lhes acontece. Então questionam porque Deus permite aquelas coisas. Então foi criado o conceito de Diabo. Para justificar o porque das coisas ruins no mundo. E também o inferno, para aqueles que em vida só comentem infrações e nunca se arrependem. Assim, quando morrerem, irão para o inferno, ser atormentado com o Diabo para todo o sempre. Isso foi uma forma de aplacar os questionamentos dos fiéis, daquelas pessoas que se esforçavam em ser pessoas boas, mas que durante a vida, eram tratadas de modo desigual, e se sentiam injustiçadas por isso. Então, de modo a acabar com isso, criou-se o conceito de recompensa e punição somente após a morte. Um paraíso para quem fosse boa pessoa ao longo da vida, e um inferno de tormento eterno, de dores e sofrimentos para quem fosse pessoa ruim. Esse sistema fazia as pessoas pensarem que iriam para o inferno se continuassem a ser más. E servia como modo coercivo para forçá-las a serem pessoas boas. O paraíso no céu serve para estimular as pessoas a serem pessoas decentes, fazendo-as se esforçar em cumprir os mandamentos para receber o seu galardão. E ao mesmo tempo serve de consolo para os que são bons e sofrem com as más ações dos maus, para que não desista de ser bom nem de fazer o bem ao longo da vida, dando um motivo para perseverar nessa boa conduta. Temos de admitir que é um sistema inteligente, que mexe com o mais profundo dos sentimentos do ser humano, a fé a esperança, e o medo. Como as pessoas não aceitam as opiniões e imposições de uma sobre a outra, foi criada as religiões, para dizer que aquelas regras morais (ou mandamentos) eram de Deus. Assim elas aceitariam mais facilmente do que aceitar uma declaração de uma pessoa ou grupo qualquer.
  • Como Deus é um ser maior, poderoso, dono da vida e da morte, e devido ao medo do desconhecido e do pós-morte, os seres humanos se sujeitaram as religiões, e assim a humanidade vem evoluindo LENTAMENTE até o aperfeiçoamento. Com certeza, as religiões desempenharam e ainda desempenham um papel importante na EDUCAÇÃO HUMANA, no desenvolvimento da MORAL da sociedade. Se moral não fosse importante, não haveria necessidade de LEIS, de sistema JUDICIÁRIO, nem de policiais. Essas coisas existem para que seja possível viver em sociedade. Pois se deixar as pessoas fazerem o que bem entendem, não seria possível a sobrevivencia nem mesmo a feliciadade. Graças a moral e/ou as leis, as pessoas aprendem a respeitar seu semelhante. E as religiões tem um papel fundamental nisso. Se não fosse a criação das religiões e a implantação da crença em um Deus que vigia, pune e que recompensa, e que interage conosco (TEÍSMO), e se não fossem as leis e a justiça humana e sua polícia, a humanidade estaria numa situação CAÓTICA !!! A corrupção do judiciário as leis injustas e as religiões fundamentalistas e suas imoralidades são assuntos para outro debate, não entra no mérito desse tema. Aí já são outras circunstancias, efeitos colaterais do remédio. No caso destes, eles não acreditam que haja Deus, carma, ou seja, são pessoas de má índole, ruins mesmo. Nada dá jeito neles. Por isso, são um caso a parte. Agora, voltando ao nosso tema, as religiões foram criadas para fazer os seres humanos melhorarem, e evitar o mal. O conceito de Deus antropomórfico, ou parecido com o ser humano, foi concebido para criar uma identificação com ele, para atrair as pessoas a dividnade, as coisas superiores. E esse Deus antropomorfico assume três papéis fundamentais. 1 – Vigilante 2 – Punidor 3 – Recompensador 1 – Deus como vigilante serve para as pessoas se preocuparem com seus pensamentos, sentimentos e suas intenções ocultas. 2 – Deus como punidor serve para as pessoas sentirem medo da punição, do inferno após a morte. E medo da punição atual antes da morte. 3 – Deus como recompensador serve para que a pessoa seja recompensada por ter feito o bem e suportado as tentações de cair nos erros dos outros e de ter suportado o mal dos outros que não seguiam esse Deus. E serve para incentivar a pessoa a ser uma pessoa boa e seguir os mandamentos até o final da vida. Essa ênfase em se acreditar em Deus é uma imposição para gerar o sentimento de responsabilidade perante a vida, e perante as outras pessoas. Pois há muita gente que só pensam em melhorarem se Deus existir. Se ele não existir, não haveria motivos para ser uma boa pessoa, e cada um poderia fazer o que quisesse.
  • Essa mentalidade humana faz com que se gere essa necessidade de se dar ênfase na crença em Deus, e em insistir na religião. Repetindo o que disse lá no princípio: Religião é importante para pessoas atrasadas. Pessoas evoluidas não precisam de religião. Pessoas evoluidas crêem em Deus sem necessidade de religião, e não temem inferno (pois não existe) nem fazem o bem pensando em recompensa de ir para o céu (pois também não existe). Pessoas evoluídas fazem o bem e são pessoas boas por natureza INTERIOR, não por doutrinação externa vindo de instituições religiosas. Essa última serve para humanos atrasados ou não desenvolvidos o suficiente para serem autonomos, e se conduzirem por conta própria sem prejudicar a si mesmo nem aos demais semelhantes. Por isso que as religiões estão aí. Porque se disserem para as pessoas que não existem leis espirituais, e que Deus não existe ou que ele não está nem aí, com toda certeza, muita gente cairia na farra, cometeria excessos, adultérios, assassinatos, calotes, etc… Não que a humanidade religiosa não faça isso. Eles fazem. Mas ficam com sentimento de culpa, e muitos desistem do que fizeram. E se arrependem, ficam com remorso, etc… Mas outros, cuja vida a religião não teve força para disciplinar, ela comete essas coisas como se fossem a coisa mais normal e aceitável que existe. Religião direciona a pessoa para um ser maior, para que sinta necessidade de prestar contas, e de ser uma pessoa responsável pela sua própria vida, e pela vida dos semelhantes. Se alguém não quer acreditar em religião, e seguir uma vida livre de doutinação, porque já sabe como se conduzir, então PERFEITO! ÓTIMO!, parabéns. Seja uma pessoa conscienciosa, criteriosa, justa, honesta, correta, que nada de mal lhe sobevirá, a menos que seja um carma necesário. Não sendo isso, não há nada com que a pessoa precise se preocupar. Deus não vai te punir. Nem precisa de Bíblia, nem de Corão, nem de livro algum. Siga a sua consciencia, e será mais feliz. Religião serve para pessoas primitivas que não sabem se conduzir sozinhas.. É isso! Se gostou, recomende, envie o link da página por e-mail para seus amigos, ou se participa de alguma comunidade, ou fóruns na internet, copie e coloque lá também.
  • Ajude a disseminar essa idéia. E se alguém tiver alguma idéia sobre algum assunto, por favor, me mande um comentário dando as sugestões. Muito obrigado por lerem essa matéria Fonte: http://blig.ig.com.br/heldermoraes/2009/05/11/porque-a-sociedade-enfatiza-tanto-a- crenca-em-deus/