Balanço das incidências criminais e administrativasno Estado do Rio de Janeiro    (1º semestre de 2010)         Diretor-Pr...
BALANÇO DAS INCIDÊNCIAS CRIMINAIS E ADMINISTRATIVASNO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (1º SEMESTRE DE 2010)                      ...
SUMÁRIOIntrodução. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ....
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010INTRODUÇÃO    Este relatório apresenta um balanço das incidências  ...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010NOTAS METODOLÓGICAS    Este relatório apresenta um balanço das inci...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010    A seção “Outros registros policiais” apresenta títu-   outros t...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201001. VÍTIMAS DE CRIMES VIOLENTOS  Esta seção traz informações sobre ...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010    A tentativa de homicídio apresentou, no                        ...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201002. VÍTIMAS DE CRIMES VIOLENTOS DE TRÂNSITO   Nesta seção encontram...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201003. COMPARATIVO DE HOMICÍDIO DOLOSO POR PAF       E HOMICÍDIO CULPO...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201004. VÍTIMAS DE MORTES COM TIPIFICAÇÃO PROVISÓRIA   Os títulos que t...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201005. REGISTROS DE CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO   Os crimes contra o pa...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010    Furto de veículos teve uma redução                             ...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010   Roubo a banco apresentou uma re-                                ...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010   Roubo de aparelho celular apresentou                            ...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010   No primeiro semestre de 2010 houve                              ...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201006. ATIVIDADE POLICIAL   Os títulos que tratam da atividade policia...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010    De acordo com dados do ICCE, em                      Quadro 1 -...
Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010    O total de artefatos explosivos apreen-         Gráfico 6.5 - Ar...
Balanco semestral 2010
Balanco semestral 2010
Balanco semestral 2010
Balanco semestral 2010
Balanco semestral 2010
Balanco semestral 2010
Balanco semestral 2010
Balanco semestral 2010
Balanco semestral 2010
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Balanco semestral 2010

790 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
790
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Balanco semestral 2010

  1. 1. Balanço das incidências criminais e administrativasno Estado do Rio de Janeiro (1º semestre de 2010) Diretor-Presidente Paulo Augusto Souza Teixeira Organização Marcus Ferreira Orlinda Claudia Rosa de Moraes Equipe Andréia Soares Pinto João Batista Porto de Oliveira Leonardo de Carvalho Silva Marcello Montillo Provenza Renato Dirk Equipe de apoio Bruna Chervezan Souza e Silva Daniel Keidel Renan Alves de Oliveira Pedro Assis Senna Medureira Programação visual Kelson Moreira Assessoria de imprensa Renata Fortes Priscila Diniz Revisão e edição Thaís Chaves Ferraz
  2. 2. BALANÇO DAS INCIDÊNCIAS CRIMINAIS E ADMINISTRATIVASNO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (1º SEMESTRE DE 2010) Sérgio Cabral Filho Governador do Estado do Rio de Janeiro Dr. José Mariano Beltrame Secretário de Estado de Segurança Paulo Augusto Souza Teixeira Diretor-Presidente do Instituto de Segurança Pública Contatos: Av. Presidente Vargas, 817, 16° andar, Centro - Rio de Janeiro/RJ Telefone: (21) 2332-9690 isp@isp.rj.gov.br - www.isp.rj.gov.br
  3. 3. SUMÁRIOIntrodução. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4Notas Metodológicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .501. Vítimas de crimes violentos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .702. Vítimas de crimes violentos de trânsito. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .903. Comparativo de homicídio doloso por PAF e homicídio culposo de trânsito. . . . . . . . .1004. Vítimas de mortes com tipificação provisória . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1105. Registros de crimes contra o patrimônio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1206. Atividade Policial. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1707. Outros registros. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2108. Totais de registros. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .23Considerações Finais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .24Anexo A . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .25
  4. 4. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010INTRODUÇÃO Este relatório apresenta um balanço das incidências Com relação ao título “Armas apreendidas”, foramcriminais e administrativas ocorridas no Estado do Rio acrescentadas informações sobre os tipos de arma-de Janeiro no primeiro semestre de 2010, comparado mentos apreendidos, segundo seu poder destrutivo oucom o mesmo período de 2009. Para uma reflexão mais grau de periculosidade, bem como informações sobreaprofundada dessas incidências, nas Considerações apreensões de artefatos explosivos. No primeiro se-Finais apresentamos um comparativo dos títulos que mestre de 2010, apesar da diminuição no número demais se destacaram, considerando os primeiros seis armas apreendidas – menos 17,0%, se comparado aomeses dos anos de 2003 a 2010. primeiro semestre de 2009 –, em relação à qualidade Além do balanço semestral, foram realizadas análi- do potencial destrutivo desse armamento, foi observa-ses mais detalhadas referentes aos títulos “Apreensão do um aumento (de 28,7% para 35,1%) na apreensãode drogas”, “Apreensão de armas” e “Apreensão de de fuzis, metralhadoras/ submetralhadoras e pistolas,artefatos explosivos”, com utilização de informações classificadas como armas de “Categoria A”.advindas da Coordenadoria de inteligência da PMERJ A análise sobre apreensão de drogas contou come do Estado-Maior Geral da PMERJ, assim como do dados sobre o tipo de substância apreendida e a quan-Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), da Po- tidade periciada pelo ICCE no primeiro semestre delícia Civil. A utilização de outras fontes de dados, além 2010. Inicialmente, cumpre esclarecer que o detalha-daquelas que usualmente apoiam a análise das esta- mento acerca dos tipos de drogas apreendidas foi feitotísticas oficiais, traz não só a possibilidade de um ou- a partir da leitura dos registros de ocorrência em quetro olhar sobre o mesmo tema, como também amplia a houve apreensões de substâncias a princípio identifi -qualidade das informações deste relatório. Com relação cadas como drogas. A partir daí, foram identificados eaos delitos classificados como “Crimes Violentos”, ob- computados os tipos de substâncias mencionadas emservou-se que, na comparação com o primeiro semes- cada registro (maconha, cocaína, crack, etc.). Nessetre de 2009, houve redução percentual nos crimes de sentido, mais de um tipo de droga pode ser apreen-homicídio doloso (20,2%), latrocínio (34,2%) e tentativa dido através de um mesmo registro. Cabe ainda des-de homicídio (13,6%), enquanto apresentaram aumento tacar que, nesse detalhamento, os percentuais deos crimes de lesão corporal seguida de morte (45%) e drogas apresentados se referem ao total dos tipos delesão corporal dolosa (2,5%). drogas mencionadas nos registros de apreensão, não Nos crimes violentos de trânsito, os dados mostram se tratando, portanto, de quantidade (massa, unida-que o homicídio culposo de trânsito acumulou uma re- de, etc.). Partindo-se dessa metodologia, constatou-dução da ordem de 5,5%, de janeiro a junho de 2010. se que, no primeiro semestre de 2010, a droga maisEm relação ao mesmo período de 2009, foram menos apreendida, em termos de registro, foi cocaína, repre-67 vítimas. A partir dos dados referentes aos homicídios sentando 41,4% do total das drogas mencionadas nosculposos de trânsito e dos homicídios dolosos provo- registros de apreensão, seguida pela maconha, comcados por arma de fogo (PAF), foi feita uma outra aná- 39,8%. Outro aspecto a ser destacado é o aumento dalise, a qual mostra que esses dois tipos de homicídio participação do crack nas apreensões de um semestreapresentaram redução no primeiro semestre de 2010 para outro, passando de 11,8% em 2009 para 17,2%em relação ao mesmo período de 2009. Entretanto, a em 2010. Já em relação às quantidades de drogasredução percentual mais significativa é verificada nos periciadas no primeiro semestre de 2010, observa-sehomicídios por PAF, que apresentaram decréscimo de que o maior montante foi de maconha, com 1.952kg21,1% no período. Dentre os crimes contra o patrimô- periciados, seguida pela cocaína e crack, com cercanio, com exceção dos crimes de extorsão, extorsão com de 250kg e 54kg, respectivamente.momentânea privação de liberdade e estelionato, todos O primeiro semestre de 2010 apresentou redução deos demais apresentaram redução no acumulado de ja- 25,1% no número de registros de apreensões de drogasneiro a junho de 2010 em relação ao mesmo período em relação ao mesmo período de 2009. Já a respeito dode 2009. Nesse sentido, destacam-se as reduções no total de pessoas desaparecidas, verificou-se a reduçãocrimes de roubo de veículo (23,1%), roubo em coletivo de 2,6%. Também houve diminuição dos autos de resis-(17,8%), roubo de aparelho celular (16,6%), roubo a tran- tência, que decresceram em 10%. Verificaram-se, ainda,seunte (13,5%), roubo a residência (9,2%), roubo a esta- menos mortes de policiais civis e militares em serviço:belecimento comercial (5,2%) e furto de veículo (4,5%). enquanto no primeiro semestre de 2009 foram mortos Nas atividades policiais, observou-se o aumento do nú- em serviço 23 policiais, no mesmo período de 2010 hou-mero de prisões entre os meses de janeiro e junho de 2010, ve 08 mortes de policiais nessas circunstâncias.com mais 948 casos (10,7%). Contudo, o período registrou O total de roubos registrados no Estado do Rio de Ja-a redução do número de cumprimento de mandados de neiro no primeiro semestre de 2010 decresceu 15,8%,prisão em 6,4%, assim como os registros de apreensões enquanto o total de furtos no mesmo período aumen-de drogas também diminuíram em torno de 25,0%. No que tou 4,8%. Em relação ao número total de registros notange à apreensão de armas, houve redução de 17,0%, em período, houve redução de 0,6%, o que corresponde,comparação ao mesmo período de 2009. precisamente, a menos 2001 registros. 4
  5. 5. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010NOTAS METODOLÓGICAS Este relatório apresenta um balanço das incidên- que, tal recurso foi empregado especialmente no quecias criminais e administrativas ocorridas no Estado concerne ao dados referentes aos anos anteriores ado Rio de Janeiro e registradas nas Delegacias de 2010, tendo em vista que, a partir deste ano, há umaPolícia Civil no primeiro semestre de 2010, em com- consolidação dos registros de estupro com base naparação com o mesmo período de 2009. A análise é nova definição.baseada em todos os títulos discriminados no Diário Na seção “Vítimas de crimes violentos de trânsi-Oficial do Estado do Rio de Janeiro, nas seções: “Víti- to” são tratados os delitos que envolvem os casos demas de crimes violentos”, “Vítimas de crimes violentos acidentes de trânsito, de caráter involuntário ou não-de trânsito”, “Vítimas de mortes com tipificação provi- intencional, que resultaram em vítimas fatais ou não-sória”, “Registros de crimes contra o patrimônio”, “Ati- fatais. Desta forma, são analisados os homicídiosvidade policial”, “Outros registros policiais” e “Totais culposos de trânsito, nos episódios em que houvede registros”. vítimas fatais, e as lesões culposas de trânsito, com A categoria “Crimes violentos”, utilizada neste vítimas não-fatais.relatório, se refere a crimes contra a pessoa, pra- O segmento “Vítimas de mortes com tipificaçãoticados com o uso de violência; crime contra o pa- provisória” refere-se às ocorrências nas quais não foitrimônio, com resultado morte; e crimes contra a possível caracterizar, no momento do registro, a cau-liberdade sexual. sa da morte como natural ou externa. Nesses casos, Com relação a crimes violentos contra a pessoa dois tipos foram considerados: encontro de cadáver enos quais houve morte, dois tipos foram analisados: encontro de ossada.homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte. Os crimes analisados na seção “Registros de cri-Dentre os casos sem morte de crimes violentos contra mes contra o patrimônio” dizem respeito aos roubos,a pessoa, foram estudadas a tentativa de homicídio e furtos, extorsões e estelionatos. Conforme o Códigoa lesão corporal dolosa. Penal Brasileiro, o crime de roubo consiste em sub- Os crimes contra o patrimônio, que resultaram em trair coisa alheia móvel, para si ou para outrem, me-morte, referem-se a roubo seguido de morte, também diante grave ameaça ou violência contra a pessoa,chamado de latrocínio. enquanto o furto é o ato de subtrair, para si ou para O crime contra a liberade sexual integrante da outrem, coisa alheia móvel. Cabe ressaltar, no en-seção que trata dos “Crimes violentos” é o estupro. tanto, que este se distingue do roubo por se tratar deEntretanto, cabe esclarecer que a categoria “estupro” uma abordagem sem grave ameaça ou violência. Ocorresponde ao somatório dos crimes anteriormen- crime de extorsão consiste em constranger alguém,te registrados como “atentado violento ao pudor” e mediante violência ou grave ameaça (e com o intuitoaqueles registrados como “estupro”. Essa mudança de obter para si ou para outrem indevida vantagemna metodologia foi necessária em virtude da promul- econômica), a fazer, tolerar que se faça ou deixargação da lei que alterou, em parte, o Código Penal de fazer alguma coisa. Estelionato se caracterizaBrasileiro (CP), ou seja, a Lei 12.015, de 07 de agosto pela obtenção, para si ou para outrem, de vantagemde 2009, referente aos crimes contra a dignidade se- ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo al-xual. Com isso, o crime de atentado violento ao pudor, guém em erro, mediante artifício, ardil ou qualqueranteriormente previsto no artigo 214 do Código Penal, outro meio fraudulento.foi revogado integralmente pelo artigo 7º da referida Os crimes contra o patrimônio apresentados nestelei. Porém, a Lei 12.015/09 também mudou a redação relatório foram: roubo a estabelecimento comercial,do artigo 312 do CP, que passou a incluir no rol das roubo a residência, roubo de veículo, roubo de carga,condutas previstas como estupro aquela que anterior- roubo a transeunte, roubo em coletivo, roubo a banco,mente era definida como atentado violento ao pudor, roubo de aparelho celular, roubo com condução da ví-destacando-se que, a partir de então, tanto homens tima para saque em instituição financeira, furto de veí-quanto mulheres podem ser vítimas de estupro. As- culos, extorsão mediante sequestro (sequestro clássi-sim, as séries históricas desses dois crimes foram so- co), extorsão, extorsão com momentânea privação damadas, permitindo uma análise comparativa do crime liberdade (sequestro- relâmpago) e estelionato.ao longo do tempo, tendo em vista sua atual defini- A atividade policial constitui uma agregação deção. A utilização desse recurso metodológico buscou várias ocorrências policiais, intituladas como: apre-respeitar o tempo de adaptação necessário para a ensão de drogas, armas apreendidas, prisões, apre-implementação e aplicação dos novos títulos aos re- ensão de crianças e/ou adolescentes e cumprimentogistros de ocorrência da Polícia Civil. Cabe ressaltar de mandado de prisão. 5
  6. 6. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010 A seção “Outros registros policiais” apresenta títu- outros tipos de drogas (somatório de LSD, “cheirinholos que se enquadram em definições variadas e que da loló”, ecstasy, haxixe e heroína).não se adequavam às categorias já apresentadas: Vale ressaltar que considerou-se pó branco como“Ameaça”, “Pessoas desaparecidas”, resistência com cocaína e erva seca como cannabis sativa por se tra-morte do opositor, ou seja, “Auto de resistência”, “Po- tar de um procedimento de caracterização da drogaliciais militares mortos em serviço” e “Policiais civis quando ainda não há um laudo pericial.mortos em serviço”. O Instituto de Criminalística Carlos Éboli disponibi- O detalhamento das informações sobre apreen- lizou informações sobre a quantidade de drogas peri-sões de drogas teve como fontes o sistema ROWEB ciadas no primeiro semestre de 2010. As categorias ee dados provenientes do Instituto de Criminalística unidades de medida usadas nesta análise seguem oCarlos Éboli (ICCE). modelo enviado pelo ICCE ao ISP. O sistema ROWEB, gerenciado pelo Departamen- As categorias de armas apreendidas utilizadas nasto Geral de Tecnologia da Informação e Telecomuni- análises tiveram como fonte de dados a Polícia Civil ecações (DGTIT) da Polícia Civil do Estado do Rio de a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Os tiposJaneiro, permite a consulta on-line dos registros de de armas apreendidas foram agregados por técnicos,ocorrência de todas as delegacias policiais. da seguinte forma: fuzil, metralhadora/submetralhado- A partir dos tipos de drogas especificados no siste- ra e pistola (Categoria A); carabina, rifle, espingardama ROWEB foram utilizadas as seguintes categorias: e escopeta (Categoria B); revólver (Categoria C); ecocaína (somatório de cocaína e pó branco), maconha arma de fabricação caseira, garrucha/garruchão e(somatório de cannabis sativa e erva seca), crack e trabuco (Categoria D). 6
  7. 7. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201001. VÍTIMAS DE CRIMES VIOLENTOS Esta seção traz informações sobre os títulos “Homicídio doloso”, “Lesão corporal seguida de morte”, “Latrocínio” (roubo seguido demorte), “Tentativa de homicídio”, “Lesão corporal dolosa” e “Estupro”. No primeiro semestre de 2010, houve Gráfico 1.1 - Homicídio dolosoredução de 20,2% no número de vítimasde homicídio doloso em comparação com 700o mesmo período de 2009. Em termos de 600 551 556 588 542 522valores absolutos, foram 646 vítimas a 500 439menos, o que significou, em média, uma 473 492redução mensal 107 homicídios no perí- 400 447 432odo . Analisando-se o primeiro semestre 300 361 347de 2010, é possível verificar que o maior 200número de homicídios dolosos ocorreuno mês de março, com 492 vítimas, e o 100mês que apresentou o menor número foi 0junho, com 347 homicídios. jan fev mar abr mai jun Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 2009 = 3.198 2010 = 2.552 Abs. = -646 % = -20,2 O título “Lesão corporal seguida de Gráfico 1.2 - Lesão corporal seguida de mortemorte”, no primeiro semestre de 2010,registrou um aumento de 09 vítimas em 8 7relação ao mesmo período de 2009. O 7maior número de vítimas na série obser- 6 7 6vada se deu nos meses de maio e junho 5 6de 2010, com 07 casos. No total, o pri- 5 4meiro semestre de 2010 teve 29 vítimas, 4 3enquanto o mesmo período de 2009 re- 3 4 2gistrou 20 vítimas. 2 3 2 1 0 0 jan fev mar abr mai jun Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 2009 = 20 2010 = 29 Abs. = 9 No primeiro semestre de 2010, o título Gráfico 1.3 - Latrocínio“Latrocínio” apresentou redução em rela- 35ção ao mesmo período de 2009: foram 30menos 38 vítimas, o que, em termos per- 30 27centuais, significa uma redução de 33,3% 25no total dos roubos seguidos de morte. O 19 19 20primeiro semestre de 2009 totalizou 114 14vítimas, enquanto no mesmo período de 15 17 12 112010 esse número decresceu para 76. 10 13Em relação aos totais mensais do primeiro 11 11 5semestre de 2010, o maior valor ocorreu 6em janeiro, com 19 casos, e o menor, em 0fevereiro, com 06 casos. jan fev mar abr mai jun Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 2009 = 114 2010 = 76 Abs. = -38 % = -33,3 7
  8. 8. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010 A tentativa de homicídio apresentou, no Gráfico 1.4 - Tentativa de homicídioprimeiro semestre de 2010, uma reduçãode 13,6% em relação ao mesmo período 500 444de 2009, o que, em termos de valores ab- 450 383 423 386 378 378solutos, significa menos 325 vítimas. Isso 400denotou, em média, uma redução mensal 350 391de 54 vítimas no período. Analisando-se o 300 377 347 345 329primeiro semestre de 2010, é possível ve- 250 278rificar que o maior número de ocorrências 200desse delito se deu no mês de março, que 150teve 391 vítimas. Já o menor número, 278 100vítimas, ocorreu em junho. 50 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 2.392 2010 = 2.067 Abs. = -325 % = -13,6 A lesão corporal dolosa, no primeiro Gráfico 1.5 - Lesão corporal dolosasemestre de 2010, apresentou um au-mento de 2,5%. Foram mais 970 vítimas 9.000em comparação com o mesmo período 7.716 8.000 7.201 7.183de 2009. O maior número de vítimas do 6.705 6.565 7.000período analisado ocorreu no mês de ja- 6.153 6.000 6.631 6.595 6.767neiro, que totalizou 7.716 vítimas, e o me- 6.185 5.000 6.267 5.640nor número pôde ser verificado em junho, 4.000com 6.153 vítimas. 3.000 2.000 1.000 0 jan fev mar abr mai jun Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 2009 = 39.319 2010 = 40.289 Abs. = 970 % = 2,5 Estupro apresentou, no primeiro se- Gráfico 1.6 - Estupromestre de 2010, uma redução de 4,8%em comparação com o mesmo período 500 441 391de 2009, ou seja, menos 106 casos. 450 381 372Com relação ao primeiro semestre de 400 359 3472010, observa-se que o maior valor do 350período ocorreu no mês de fevereiro, 300 345 322 341 337 345 337com 391 vítimas, e o menor, em abril, 250com 337 vítimas. 200 150 100 50 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 2.212 2010 = 2.106 Abs. = -106 % = -4,8 8
  9. 9. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201002. VÍTIMAS DE CRIMES VIOLENTOS DE TRÂNSITO Nesta seção encontram-se análises sobre os crimes de homicídio culposo de trânsito e de lesão corporal culposa de trânsito. Homicídio culposo de trânsito apre- Gráfico 2.1 - Homicídio culposo de trânsitosentou uma redução de 67 vítimas, ou 3005,5%, em relação ao mesmo período de2009. No primeiro semestre de 2010 fo- 250 239 216ram 1.154 vítimas, enquanto no primeiro 204 208 206semestre de 2009 houve 1.221. Abril foi 200 189o mês com o maior número de vítimas, 189 194 185 150 198 186totalizando 216. Janeiro, por sua vez, foi 161quando ocorreu o menor número do perí- 100odo analisado: 161 vítimas. 50 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 1.221 2010 = 1.154 Abs. = -67 % = -5,5 No primeiro semestre de 2010, lesão Gráfico 2.2 - Lesão corporal culposa de trânsitocorporal culposa de trânsito apresentouum aumento de 1.009 vítimas, ou 5,1%, 4.500em relação ao mesmo período de 2009. 4.000 3.511 3.661 3.674 3.462Analisando-se o Gráfico 2.2, é possível 3.500 3.267 3.209observar que todos os totais mensais do 3.000 3.493 3.571 3.241 3.167 3.230 3.073primeiro semestre de 2010 ficaram acima 2.500daqueles verificados no mesmo período 2.000do ano anterior. Outro aspecto também ob- 1.500servável através do gráfico é a semelhen- 1.000ça entre as curvas de comportamento dos 500dois períodos. Nesses primeiros meses de 02010 em questão, a maior quantidade de jan fev mar abr mai junvítimas ocorreu em maio (3.674 pessoas), Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010e a menor, em abril (3.209 casos). 2009 = 19.775 2010 = 20.784 Abs. = 1.009 % = 5,1 9
  10. 10. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201003. COMPARATIVO DE HOMICÍDIO DOLOSO POR PAF E HOMICÍDIO CULPOSO DE TRÂNSITO Esta seção traz informações sobre o número de vítimas de homicídio doloso cuja morte foi causada por projétil de arma de fogo (PAF)nos primeiros semestres de 2010 e 2009, no Estado do Rio de Janeiro. Também é apresentado um comparativo entre o quantitativo dehomicídios dolosos por PAF e as mortes ocasionadas por acidentes de trânsito no Estado no mesmo período. Os homicídios provocados por projétil Gráfico 3.1 - Homicídio doloso por PAFde arma de fogo (PAF) tiveram reduçãode 485 vítimas, ou 21,1%, no primeiro 500 434semestre de 2010 em relação ao mes- 450 397 388 398 385mo período de 2009. Isso significou, em 400média, uma redução mensal de 80 homi- 350 293cídios provocados por PAF no período 300 358considerado. Analisando-se o primeiro 315 315 250 295 275semestre de 2010, é possível perceber, 200 252pelo Gráfico 3.1, que todos os valores 150desse período ficaram abaixo daqueles 100observados no mesmo período do ano 50anterior. Quanto às incidências mensais 0desse tipo de delito, ocorridas no primei- jan fev mar abr mai junro semestre de 2010, verifica-se que o 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestralmaior número foi registrado em março 1º Sem. 2010 2009 = 2.295 2010 = 1.810 Abs. = -485 % = -21,1(358 vítimas), enquanto o menor númerose deu em junho (252 vítimas). O primeiro semestre de 2010, em rela- Gráfico 3.2 - Comparativo entre Homicídio doloso por PAF eção ao mesmo período de 2009, registrou Homicídio culposo de trânsito - Vítimasredução tanto nos homicídios dolosos pro-vocados por PAF quanto nos homicídios 3.000culposos de trânsito. Todavia, o maiorpercentual de redução foi verificado nos 2.500 2.295homicídios por PAF: 21,1% no período 2.000 1.810(Gráfico 3.2). 1.500 Redução de 1.221 1.154 485 vítimas ou 1.000 21,1% Redução de 67 vítimas ou 500 5,5% 0 Homicídio doloso por PAF Homicídio culposo de trânsito 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 10
  11. 11. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201004. VÍTIMAS DE MORTES COM TIPIFICAÇÃO PROVISÓRIA Os títulos que tratam as mortes com tipificação provisória são “Encontro de cadáver” e “Encontro de ossada”. Considerando as mortes que tiveram Gráfico 4.1 - Encontro de cadávercomo tipificação provisória o título “En- 80contro de cadáver”, observou-se que 69 67o primeiro semestre de 2010, em com- 70 57paração ao mesmo período de 2009, 60apresentou um aumento de 87 vítimas 50 45 44 46(36,1%). Pela análise do Gráfico 4.1, ob- 50 50 40serva-se que todos os totais mensais do 41 30 39primeiro semestre de 2010 ficaram acima 32 29daqueles verificados no mesmo período 20de 2009. Especificamente em relação 10aos totais mensais do primeiro semestre 0de 2010, observa-se que o maior valor jan fev mar abr mai junocorreu em janeiro (foram 69 vítimas), e 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 Total semestral Variação semestralo menor, em maio (44 vítimas). 2009 = 241 2010 = 328 Abs. = 87 % = 36,1 As mortes tipificadas provisoriamente Gráfico 4.2 - Encontro de ossadacomo “Encontro de ossada” tiveram um 4aumento de 02 vítimas no total acumula- 3 3 3do no primeiro semestre de 2010 em rela- 3ção ao mesmo período de 2009. 3 2 2 2 2 2 2 1 1 1 1 1 0 0 0 jan fev mar abr mai jun Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 2009 = 9 2010 = 11 Abs. = 2 11
  12. 12. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201005. REGISTROS DE CRIMES CONTRA O PATRIMÔNIO Os crimes contra o patrimônio apresentados nesta seção são: “Roubo a estabelecimento comercial”, “Roubo a residência”, “Roubo deveículo”, “Roubo de carga”, “Roubo a transeunte”, “Roubo em coletivo”, “Roubo a banco”, “Roubo de aparelho celular”, “Roubo com con-dução da vítima para saque em instituição financeira”, “Furto de veículo”, “Extorsão mediante sequestro (sequestro clássico)”, “Extorsão”,“Extorsão com momentânea privação da liberdade (sequestro-relâmpago)” e “Estelionato”. Observando-se a distribuição percen-tual de roubos no Estado, no primeiro Gráfico 5.1 - Distribuição do percentual de roubos - 2010semestre de 2010, verifica-se que o rouboa transeunte concentrou 52,6% do total 52,6%dos registros. Em segundo lugar ficou oroubo de veículo, com 17,2%, seguido deroubo em coletivo, com 6,4%, e roubo deaparelho celular, com 5,9%. O roubo emestabelecimento comercial correspondeu 17,2%a 3,8% do total de roubos, enquanto os ou-tros tipos de roubos totalizaram 14,2% dasocorrências. Cabe esclarecer que na cate- Roubo a transeuntegoria “outros” estão agregadas titulações Roubo de veículode roubo tais como: “roubo em interior de 6,4% Roubo em coletivoveículo”, “roubo a residência”, “roubo em Roubo em estab. comercialestabelecimento industrial”, “roubo a turis- 3,8% Roubo de aparelho celularta”, “roubo de documento de veículo”, “rou- 5,9% Outrosbo de carga”, “roubo outros”, dentre outras. 14,2% No primeiro semestre de 2010, roubo Gráfico 5.2 - Roubo a estabelecimento comerciala estabelecimento comercial apresentou 500 465 441uma redução de 5,2% em relação ao mes- 450 450mo período de 2009. Em termos de valor 400 392 381 410 441 418absoluto, foram 130 casos a menos. Pela 420 350 373análise do Gráfico 5.2 observa-se que, 363 300com exceção do mês de maio, todos os 348 250totais mensais do primeiro semestre de 2002010 ficaram abaixo dos valores observa-dos no mesmo período do ano anterior. O 150maior número de ocorrências do primeiro 100semestre de 2010 se deu nos meses de 50março e maio, cada um com 441 casos. 0Já o menor número ocorreu em fevereiro: jan fev mar abr mai jun348 casos. 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 2.516 2010 = 2.386 Abs. = -130 % = -5,2 Roubo de veículo, no primeiro se- Gráfico 5.3 - Roubo de veículomestre de 2010, apresentou uma redu- 3.000ção de 3.266 casos (menos 23,1%) em 2.573 2.564 2.367comparação com o primeiro semestre de 2.500 2.310 2.3402009. Isso significou, em média, uma re- 1.968 2.000dução mensal de 544 roubos de veículos 2.041 1.945no período. Analisando-se o Gráfico 5.3, 1.500 1.784 1.739 1.648 1.699é possível observar que todos os totaismensais desse delito registrados no pri- 1.000meiro semestre de 2010 ficaram abaixo 500daqueles verificados no mesmo períodode 2009. Através do gráfico é possível, 0ainda, observar a semelhança entre as jan fev mar abr mai juncurvas de distribuição dos casos nos dois 1º Sem. 2009semestres considerados. 1º Sem. 2010 Total semestral Variação semestral 2009 = 14.122 2010 = 10.856 Abs. = -3266 % = -23,1 12
  13. 13. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010 Furto de veículos teve uma redução Gráfico 5.4 - Furto de veículode 472 casos (ou 4,5%) no primeiro se- 1.850 1.830mestre de 2010, em comparação com o 1.789mesmo período do ano anterior. No pri- 1.800 1.759meiro semestre de 2009 foram 10.386 1.750 1.691ocorrências, enquanto no mesmo perío- 1.700 1.679do de 2010 esse número decresceu para 1.713 1.638 1.650 1.6839.914. O maior valor do primeiro semes- 1.669 1.670tre de 2010 ocorreu em março, com 1.713 1.600 1.594veículos furtados. Já o menor valor des- 1.550 1.585se semestre se deu em junho, que teve 1.5001.585 casos. Cabe destacar que todos os 1.450valores mensais do primeiro semestre de jan fev mar abr mai jun2010 ficaram abaixo dos observados em2009 no mesmo período. 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 10.386 2010 = 9.914 Abs. = -472 % = -4,5 Roubo de carga teve uma redução de Gráfico 5.5 - Roubo de carga27 casos (ou menos 2,0%) no primeiro 300semestre de 2010 em relação ao mes- 236 236mo período de 2009. O maior número 250 234 226 221 221de ocorrências desse delito nos seis pri-meiros meses de 2010 foi verificado em 200 229 215 212 212janeiro, totalizando 234 casos. Já o mês 188 181 150que apresentou o menor número do se-mestre foi abril, com 181 casos. 100 50 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2008 = 1.319 2009 = 1.292 Abs. = -27 % = -2,0 O roubo em coletivo, no primeiro se- Gráfico 5.6 - Roubo em coletivomestre de 2010, apresentou uma redução 1.000 926de 873 casos. Isso em termos percentu- 829 900 780ais significou um decréscimo de 17,8% 788 769 802 800em comparação ao primeiro semestre 700 795de 2009. Em média, a redução verifica- 716 669 600 691da no primeiro semestre de 2010 foi de 582 500 568145 roubos por mês. Pela análise do Grá- 400fico 5.6 observa-se a semelhança entre 300as curvas de distribuição dos casos nos 200dois períodos considerados, e é possível 100verificar ainda que todos os valores men- 0sais do primeiro semestre de 2010 ficaram jan fev mar abr mai junabaixo dos registrados nos seis primeiros 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestralmeses de 2009. O maior valor do primeiro 1º Sem. 2010 2009 = 4.894 2010 = 4.021 Abs. = -873 % = -17,8semestre de 2010 foi observado no mêsde março: 795 casos. Janeiro registrou omenor valor: 568 ocorrências. 13
  14. 14. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010 Roubo a banco apresentou uma re- Gráfico 5.7 - Roubo a bancodução de 12 casos no primeiro semestre 7de 2010 em relação ao mesmo período 6de 2009. No primeiro semestre de 2009 6 5 5foram registrados 22 roubos a banco, en- 5quanto no mesmo período de 2010 esse 4número caiu para 10 ocorrências . 3 3 3 2 2 1 2 2 2 1 0 1 0 jan fev mar abr mai jun -1 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 2009 = 22 2010 = 10 Abs. = -12 Roubo com condução da vítima Gráfico 5.8 - Roubo com condução para saque em IFpara saque em instituição financeira 20apresentou uma redução de 31,7% no 18 18 17primeiro semestre de 2010. Em compa-ração ao mesmo período de 2009, fo- 16 14 13ram menos 26 casos. Analisando-se o 12 12 14 10primeiro semestre de 2010, observa-se 12que o mês de março foi o que apresen- 10 12 10tou o maior número de ocorrências: no 8total foram 14 registros. Já o menor nú- 8 6mero, 06 episódios, ocorreu nos meses 4 6 6de fevereiro e abril. 2 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 82 2010 = 56 Abs. = -26 % = -31,7 No primeiro semestre de 2010, em re- Gráfico 5.9 - Roubo a transeuntelação ao mesmo período de 2009, o roubo 8.000a transeunte teve uma redução de 5.160 6.686 6.506 7.000 6.145 6.279 6.369 6.277casos, o que, em termos percentuais,significa um decréscimo de 13,5%. O pri- 6.000meiro semestre de 2010 apresentou, em 6.036 5.000 5.581 5.749 5.292 5.361média, uma redução mensal de 860 casos 5.083 4.000de roubo a transeunte. O maior número doperíodo considerado ocorreu no mês de 3.000março, totalizando 6.036 episódios. Já o 2.000menor número se deu no mês de junho, 1.000que registrou 5.083 casos. 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2008 = 38.262 2009 = 33.102 Abs. = -5.160 % = -13,5 14
  15. 15. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010 Roubo de aparelho celular apresentou 5.10 - Roubo de aparelho celularuma redução de 737 casos, ou 16,6%, no 900 799primeiro semestre de 2010 em relação ao 782 766 800 718primeiro semestre de 2009. Analisando- 659 711se o Gráfico 5.10 observa-se que todos 700os valores mensais registrados no pri- 600 693 650meiro semestre de 2010 ficaram abaixo 622 613 500 574 546daqueles verificados no mesmo período 400de 2009. Outro aspecto também obser- 300vavel pelo gráfico é que as curvas dosdois períodos descrevem o mesmo com- 200portamento. O maior valor do primeiro 100semestre de 2010 foi registrado no mês 0de março, com 693 casos. Já o mês de jan fev mar abr mai junfevereiro teve o menor número de regis- Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2009tros do semestre, com 546 eventos. 1º Sem. 2010 2009 = 4.435 2010 = 3.698 Abs. = -737 % = -16,6 No primeiro semestre de 2010, o 5.11 - Roubo a residênciaroubo a residência apresentou uma re- 180dução de 9,2%. Em relação ao mesmo 156 160período em 2009, foram menos 76 ca- 134 135 143 140 125 136sos. Analisando-se o primeiro semestre 148de 2010, observa-se que o mês com 120 132maior número de ocorrências foi março, 123 121 100 116 113com 148 casos, e o menor número do 80período ocorreu em abril, que registrou 60113 roubos a residência. 40 20 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 829 2010 = 753 Abs. = -76 % = -9,2 O número de vítimas de extorsão 5.12 - Extorsão mediante sequestromediante sequestro (sequestro clás- 3sico) no primeiro semestre de 2010 foiigual ao verificado no mesmo períodode 2009: 04 pessoas. Pela análise do 2 2 2 2primeiro semestre de 2010, observa-seque, nos últimos três meses do período,não houve qualquer registro de extrosão 1 1mediante sequestro. 1 0 0 0 0 0 0 0 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 Total semestral Variação semestral 2009 = 4 2010 = 4 Abs. = 0 15
  16. 16. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010 No primeiro semestre de 2010 houve 5.13 - Extorsãoum aumento de 2,7% nos registros de ex- 200torsão, em comparação ao primeiro se- 180 169mestre de 2009. Em termos absolutos, o 160período registrou um aumento de 18 ca- 140 140sos. Analisando-se o primeiro semestre 122 120 120de 2010, é possível verificar que o maior 123 128 100 89 118número de ocorrências foi registrado no 112 107 80mês de março, quando houve 169 casos, 60 73enquanto o mês com o menor número foi 65 40fevereiro, com 65 casos. 20 0 jan fev mar abr mai jun Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 2009 = 674 2010 = 692 Abs. = 18 % = 2,7 Extorsão com momentânea privação 5.14 - Extorsão com momentânea privação da liberdadeda liberdade (sequestro-relâmpago), no 14primeiro semestre de 2010 em compa- 12ração com o mesmo período de 2009, 12 11apresentou um aumento de 14 vítimas. O 10maior valor do primeiro semestre de 2010 8 8 7 7ocorreu em março (foram 12 vítimas), e o 6menor, nos meses de janeiro e maio (05 6 6vítimas em cada qual). 4 5 5 5 4 2 2 0 jan fev mar abr mai jun Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010 2009 = 32 2010 = 46 Abs. = 14 O primeiro semestre de 2010, em re- 5.15 - Estelionatolação ao mesmo período de 2009, apre- 3.000sentou um aumento de 7,6% nas ocor-rências de estelionato no Estado. Em 2.500 2.249 2.215termos absolutos foram mais 825 casos. 2.032 1.813Analisando-se o primeiro semestre de 2.000 1.752 1.6442010, verifica-se que o mês que apresen- 1.975 1.956 1.892 1.500 1.628tou o maior número de casos foi março, 1.716 1.609com 2.249. Já o menor número ocorreu 1.000no mês de fevereiro, que registrou 1.628ocorrências desse delito. 500 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 10.828 2010 = 11.653 Abs. = 825 % = 7,6 16
  17. 17. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 201006. ATIVIDADE POLICIAL Os títulos que tratam da atividade policial são: “Apreensão de drogas”, “Armas apreendidas”,“Prisões”, “Apreensão de criança/adoles-cente”, “Recuperação de veículo” e “Cumprimento de mandado de prisão”. No primeiro semestre de 2010, em re- Gráfico 6.1 - Apreensão de drogaslação ao mesmo período de 2009, houveuma redução de 1.398 (25,1%) registros 1.200 1.053de apreensão de drogas. Analisando-se o 1.000 912 892 946 888 881Gráfico 6.1, é possível verificar que todosos valores mensais registrados no pri- 800meiro semestre de 2010 ficaram abaixo 765 600 741daqueles observados no mesmo período 657 653 700 658de 2009. O maior número de registros 400do primeiro semestre de 2010 se deu emmaio, com 765 apreensões, enquanto o 200menor número desse período ocorreu emfevereiro, com 653 casos. 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 5.572 2010 = 4.174 Abs. = -1.398 % = -25,1 A seguir, apresentamos informações detalhadas sobre os tipos e quantidades de drogas mais apreendidas. A partir dos dados disponibi-lizados no sistema ROWEB, da PCERJ, foram analisadas as seguintes categorias: cocaína, maconha, crack e outros. Inicialmente, cumpre esclarecer que o detalhamento acerca dos tipos de drogas apreendidas foi feito a partir da leitura dos regis-tros de ocorrência em que houve apreensões de substâncias a princípio identificadas como drogas. A partir daí foram identificados ecomputados os tipos de substâncias mencionadas em cada registro (maconha, cocaína, crack, etc.). Nesse sentido, mais de um tipode droga pode ser apreendido através de um mesmo registro. Cabe ainda destacar que nesse detalhamento os percentuais de drogasapresentados se referem ao total dos tipos de drogas mencionadas nos registros de apreensão, não se tratando, portanto, de quantidade(massa, unidade, etc.). As informações sobre as quantidades de drogas periciadas no primeiro semestre de 2010 foram disponibilizadas pelo Instituto de Crimi-nalística Carlos Éboli (ICCE), cabendo ressaltar que o ISP utilizou as categorias e as unidades de medida do modelo enviado pelo ICCE. A partir da metodologia acima des- Gráfico 6.2 - Tipos de drogas apreendidas - Valores Percentuaiscrita, constatou-se que no primeiro se-mestre de 2010 a droga mais apreendi- 60,0da, em termos de registro, foi cocaína, 47,7 50,0representando 41,4% do total das drogas 41,4 39,8mencionadas nos registros de apreen- 40,0 37,9são, seguida pela maconha, com 39,8%. 30,0Outro aspecto observado é que o períodoanalisado registrou aumento da participa- 20,0 17,2ção de crack no total de apreensões, que 11,8 10,0passou de 11,8% no primeiro semestre 2,6 1,7de 2009 para 17,2% no mesmo período 0,0de 2010. Cabe esclarecer que eventuais Cocaína Maconha Crack Outrosalterações provenientes de aditamentos 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010dos registros de ocorrência feitos pelaPolícia Civil, no decorrer de um ano parao outro, podem promover pequenas alte-rações em relação aos percentuais cons-tantes de publicações anteriores, umavez que foram utilizadas para a confec-ção deste relatório as informações maisatualizadas disponíveis. 17
  18. 18. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010 De acordo com dados do ICCE, em Quadro 1 - Quantidade de drogas periciadas pelo Instituto derelação à quantidade (em termos de Criminalística Carlos Éboli (ICCE)massa) de drogas periciadas no primei-ro semestre de 2010, a maconha repre- 1º Sem. 2010 Quantidadesentou o maior montante, seguida pelacocaína. No entanto, tem-se observado Substânciaum incremento na participação de crack Maconha (Kg) 1.952,71entre as drogas periciadas, o que refle- Cocaína (Kg) 250,97te o aumento das apreensões desse tipode droga. No período, foram periciados Outras subst. controladas1.952,71 kg de maconha; 250, 97 kg de Haxixe (kg) 3,51cocaína e 53,88 kg de crack. Cabe sa- Crack (Kg) 53,88lientar que o Quadro 1 refere-se exclusi- MDMA (g) 84,53vamente às quantidades de drogas pe-riciadas no primeiro semestre de 2010, LSD (unid.) 3.629não se tratando necessariamente do to- Cannabis sativa L. - frutos (g) 2,8tal apreendido no período, mas apenas Cannabis sativa L. - vegetal (unid.) 23do que foi periciado. Cabe destacar queas massas de MDMA e frutos de ma- Cloreto de etila (ml) 7.720conha estão lançadas em gramas, poisem termos de quilogramas praticamentenão apresentam significado. O número de armas apreendidas no Gráfico 6.3 - Armas apreendidasprimeiro semestre de 2010 decresceu 1.000 92317,0% em comparação com o mesmo 900 789período de 2009. No primeiro semes- 716 739 764 800 704tre de 2009 foram apreendidas 4.635 700armas, enquanto no mesmo período 736 600 666de 2010 esse número foi reduzido para 500 641 623 6383.845 armas, o que representa em ter- 400 541mos absolutos uma diferença de me- 300nos 790 armas. 200 Em contrapartida, foi possível verificar 100que o número de armas apreendidas de 0maior potencial destrutivo (ou grau de pe- jan fev mar abr mai junriculosidade) aumentou. 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 4.635 2010 = 3.845 Abs. = -790 % = -17,0 No primeiro semestre de 2009, 28,7% Gráfico 6.4 - Categoria de Armas apreendidasdo total de armas apreendidas foram segundo grau de periculosidade - %fuzis, metralhadoras/ submetralhadorase pistolas (Categoria A), enquanto no 60,0mesmo período de 2010 esse percentual 53,7subiu para 35,1%. 50,0 46,9 Deve-se destacar que os dados aqui 40,0tratados, para os primeiros semestres 35,1de 2009 e 2010, referem-se a identifica- 30,0 28,7ções provisórias feitas pelos policiais nomomento da apreensão das armas, care- 20,0 13,5 14,1cendo ainda de apreciação pericial para 10,0uma classificação definitiva quanto às ca- 4,1 3,8racterísticas do material apreendido. 0,0 Categoria A Categoria B Categoria C Categoria D Outro fato relevante que se observa 1º Sem. 2009 1º Sem. 2010pelo Gráfico 6.5 da página seguinte é onúmero de artefatos explosivos, principal- Categoria A: fuzil, metralhadora/submetralhadora e pistolamente granadas, apreendidos no Estado Categoria B: carabina, rifle, espingarda e escopetado Rio de Janeiro desde 2005. Categoria C: revólver Categoria D: arma de fabricação caseira, garrucha/garruchão e trabuco 18
  19. 19. Instituto de Segurança Pública | Balanço Semestral 2010 O total de artefatos explosivos apreen- Gráfico 6.5 - Artefatos explosivos apreendidos - N° de registrosdidos compreende granadas, outros tipos 800de materiais bélicos explosivos e “bombasde fabricação caseira”. No primeiro se- 700mestre de 2010, observa-se uma redução 678 665 600de 12,3% no número de apreensões des- 500 595 522ses artefatos em comparação com o mes- 400 457mo período de 2009. Contudo, esse tipo 369 + 48,4%de apreensão vem apresentando números 300 - 1,9%superiores aos verificados nos anos de 200 - 10,5% + 23,8%2005 e 2006. A maior quantidade de ar- 100 -12,3%tefatos explosivos apreendidos nos primei- 0ros semestres de 2005 a 2009 ocorreu em 1º sem 2005 1º sem 2006 1º sem 2007 1º sem 2008 1º sem 2009 1º sem 20102007, a qual totalizou 678 artefatos. No primeiro semestre de 2010, o nú- Gráfico 6.6 - Prisõesmero de prisões aumentou em 948 casos 2.500(em relação ao mesmo período de 2009),o que representou um crescimento de 1.909 2.000 1.67710,7%. A maior quantidade de prisões 1.667 1.513 1.479 1.534nesse período ocorreu no mês de maio 1.500de 2010, com 1.909 prisões, enquanto o 1.600 1.569 1.534 1.475 1.317menor número ocorreu em fevereiro, com 1.000 1.3361.479 prisões. 500 0 jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 8.831 2010 = 9.779 Abs. = 948 % = 10,7 O primeiro semestre de 2010, em re- Gráfico 6.7 - Apreensão de criança/adolescentelação ao mesmo período de 2009, apre- 300sentou um aumento de 30,6% nas apre- 254ensões de crianças/adolescentes. Foram 250 218 222 213302 apreensões a mais. O mês de maio 199 182 200registrou o maior número: 254 casos.Já o menor valor do primeiro semestre 150 174 170 182 163de 2010 foi registrado em fevereiro: 182 159 138episódios. Analisando-se o Gráfico 6.7, 100observa-se que todos os valores mensais 50registrados no primeiro semestre de 2010ficaram acima daqueles observados no 0mesmo período de 2009. jan fev mar abr mai jun 1º Sem. 2009 Total semestral Variação semestral 1º Sem. 2010 2009 = 986 2010 = 1.288 Abs. = 302 % = 30,6 19

×