Theka 2008 gerir recursos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Theka 2008 gerir recursos

on

  • 520 views

 

Statistics

Views

Total Views
520
Views on SlideShare
518
Embed Views
2

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

2 Embeds 2

http://www.linkedin.com 1
https://www.linkedin.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Theka 2008 gerir recursos Theka 2008 gerir recursos Presentation Transcript

  • Gerir recursos geraraprendizagens na, com, pelaBiblioteca Escolar Equipa Coordenação THEKA mariajosevitorino@gmail.com Faro, 15.12.2007
  • eLearningLisboa07Conclusõespreliminares Ligar a Aprendizagem, a Qualidade e a Inovação Como podem preparar-se as pessoas para algo que não conhecemos? Como podemos preparar-nos para algo que não conhecemos?
  • Novas competências para novos empregos 4 desafios Mudança organizacionalVisão prospectiva menos ensinomenos adaptação mais aprendizagemmelhor antecipação Em busca das competências Inclusão social menos passiva menos barreiras mais activa mais inclusão
  • Como podemos nós?  …antecipar, com segurança, as necessidades do futuro?  …[as instituições educativas/formativas tradicionais] tornarmo-nos agentes inovadores e marcadores activos desse futuro?  …levar os indivíduos a tornarem-se mais activos e mais capazes de gerir, autonomamente, o seu capital intelectual?  …promover a generalização e a qualidade da utilização das tecnologias de informação e comunicação por todos os cidadãos?
  • Capital intelectual Autonomia Tecnologias de informação e comunicação Pesquisa Recursos comuns Organização para a partilha Memória e criação – políticas de património Utilização das TIC  Generalização  Qualidade  Por todos
  • Para quem 1 Gosto do ambiente… é calmo, bom para estudar e às vezes até oiço música! ZÉ, O CONCENTRADO 2 É o meu espaço de trabalho: se preciso de modelos, têm lá posters e álbuns; se preciso de fazer um cartaz, têm um kit de materiais; se preciso de uma máquina fotográfica, posso requisitá-la; se preciso de inspiração, vou para a mesa junto à janela. Com auscultadores. TIAGO, O ARTISTA 3 Dá jeito, no mesmo sítio, termos quase tudo: os filmes, as músicas, as revistas, os livros e o mundo todo na net. DANIELA, A COMODISTA 4 Às vezes esqueço-me de um ou outro manual escolar e lá dão sempre uma ajudinha! MANEL, O ESQUECIDO 5 Como gosto de ler, costumo encontrar o que quero e descobrir coisas novas. E bem actuais! EUNICE, A INTELECTUAL
  • Para quem 6 Tem montes de BD’s, desportivos e revistas fixes!! RUI, O RADICAL 7 Estar lá é estar no meu mundo: mando mails, vou aos fóruns, converso no MSN, pesquiso no Google, acedo aos materiais da plataforma Moodle e aos próprios livros do catálogo da biblioteca. Irrita-me, às vezes, o toque da campainha. HUGO, O CIBERNAUTA 8 Como têm tudo informatizado, a pesquisa de assuntos é rápida e o empréstimo é logo a seguir. JOÃO, O ELÉCTRICO 9 P’rós testes, tenho sempre dicionários à minha disposição! TIAGO, O PRÁTICO 10 Eu sei que eles até têm pacotes de livros para casa e dossiês de fichas e de exames e tudo… mas não vou lá, porque não posso falar alto quando me apetece! LUÍS, O FALA-BARATO
  •  1 Gosto muito de passar pela biblioteca e ver as novidades na área da literatura juvenil. Faço uma leitura «em diagonal» para propor o livro certo ao aluno certo. MARIA JOÃO, PROFESSORA DE PORTUGUÊS 2 Há filmes na biblioteca que retratam o espírito de uma época e motivam os alunos. Requisito-os muito, por vezes para aulas de substituição ou até para os meus fins de semana… TERESA, PROFESSORA DE HISTÓRIA 3 Na biblioteca encontro traduções de obras de introdução à filosofia acessíveis e interessantes. São boas para o trabalho lectivo e também para os alunos continuarem a ler em casa. MARGARIDA, PROFESSORA DE FILOSOFIA 4 Passo regularmente pela biblioteca. Quando lá encontro um grupo de alunos meus aproveito para lhes mostrar recursos – documentos e equipamentos – que podem utilizar para realizar trabalhos. O meu lema é: a biblioteca é um pequeno grande mundo ao alcance de todos. MARIA, PROFESSORA DE INGLÊS. 5 Não sei como seria possível desenvolver com os alunos métodos de pesquisa e de investigação, se não pudesse praticar com eles essas competências na biblioteca. JOÃO, PROFESSOR DE CIÊNCIAS NATURAIS
  •  6 Se queremos criar um país de leitores, nós professores podemos ser os primeiros a contribuir para esse fim: a biblioteca escolar está a um passo…os alunos também! JOSÉ, PROFESSOR RESPONSÁVEL PELO PNL NA ESCOLA 7 Quando quero diferenciar as propostas de actividades e materiais para trabalhar com uma turma em grupos, recorro aos “Kit’s” de documentos que a biblioteca disponibiliza para a sala de aula, em várias áreas disciplinares. ISABEL, PROFESSORA DE MATEMÁTICA 8 Com a escola a tempo inteiro os meninos estão muitas horas na sala de aula. Não vejo porque não havemos de aproveitar também a biblioteca para realizar aí as actividades de Apoio ao Estudo. SARA, PROFESSORA DO 1º CICLO 9 Na planificação das minhas aulas, uso os recursos da biblioteca. Já nem sei fazer de outra maneira! JOÃO, PROFESSOR DE CIÊNCIAS F.Q. 10 A página da BE‑CRE da minha escola tem guiões sobre pesquisa da informação, estratégias de leitura e dicas sobre métodos de estudo. É para lá que encaminho os meus alunos. JOAQUIM, PROFESSOR DA ÁREA DE PROJECTO
  • Recursos em gestão Valor pedagógico do catálogo e do seu uso Desafios da gestão de equipas nas BECRE, hoje e já amanhã Orçamento(s): o quê, porquê, para quê, como Por quem – coordenador, para que vos quero?
  • decidir Visão, missão, razão Coerência, pertinência Legitimidade, poder, territórios  Hierarquia  Redes e confiança  Normas e memória Autonomia, colaboração Cooperação, parcerias, redes
  • Em cada escola / agrupamento I Recursos Intervenientes na Gestão Limites / orientações de progresso Planeament o Propos Decis Execuç Contro Avaliaç t ã ã l ã Tipo Subtipo a o o e o Normas Padrões Intern Extern Intern Extern a a o o s s s sMateriais Espaços MP RBE Tempos MP Fundos doc. MP RBE Equipamentos MP RBE Mobiliário MP RBE Consumíveis MP Outros MP
  • Em cada escola / agrupamento II Recursos Intervenientes na Gestão Limites / orientações de progresso Propos Decis Execuç Contro Avaliaç Planeame t ã ã l ã Tipo Subtipo nto a o o e o Normas Padrões Intern Extern Intern Extern a a o o s s s sHumanos Equipa RI, MP RBE Colaboradores MP RBE Outros - internos MP Outros - externos MP
  • Em cada escola / agrupamento III Recursos Intervenientes na Gestão Limites / orientações de progresso Propo Contr s Decis Execuç o Avaliaç Planeame t ã l ã Tipo Subtipo nto a o e o Normas Padrões Intern Extern Intern Extern a o o s s sFinanceiro s Orçamento MP NG Fontes de financiamento MP NG Contabilidade MP NG
  • Renúncia ao educador perfeitoA minha formação como homem e a minha carreira como profissional, devo-a tanto às interferências positivas dos meus educadores e mestres, como, sobretudo, aos erros educativos que eles cometeram para comigo. Aprendi por intuição e experiência de vida que as atitudes chamadas erradas são tão válidas em educação como as atitudes correctas.O educador em que me tornei renunciou há muito à crença mágica do educador perfeito, como o profissional que sou renunciou a esconder a ignorância com a erudição.Aprecio, portanto, os homens mais por aquilo que são (para o meu sentir) do que por aquilo que dizem. João dos Santos
  • Uma ajudinha do outro lado do mundo
  • Thinkingshift (Australia)During the 1980s (…) I was a teacher librarian. I have reinvented myself several times since then (…) but, at heart, I remain a librarian aka someone who is interested in enriching a user community by empowering minds and encouraging curiosity and inquisitiveness.So I am keeping a close watch on the Library 2.0 movement - a new model for library service where libraries are embracing social software and finding innovative ways to reach users.By using Web 2.0 technologies, libraries are creating new services that were not possible before and they are able to offer user-centric service opportunities. Kim Sbarcea
  • Que é deles? E delas? Cadê?