Gerir e Organizar Bibliotecas Escolares I ntrodução à Gramática da Gestão de Bibliotecas Formação Portugal, 2007 Maria Jos...
Fundamentos <ul><li>As questões da identidade são essencialmente questões de linguagem. (…) </li></ul><ul><li>A linguagem ...
Quem gere (ou interfere na gestão) bibliotecas escolares, com que palavras/discursos fala disso?  Onde está o  sujeito ?  ...
A caminho da gestão colaborativa, da responsabilidade pessoal e social.  Relações entre sujeitos Pronomes nós vós tu eu el...
Acção e reacção Verbos <ul><li>Agente </li></ul><ul><ul><li>Conceber (visão) </li></ul></ul><ul><ul><li>Desenvolver </li><...
Objectos Complementos (i) <ul><li>Gerimos, organizamos  uma biblioteca de tipologia definida (escolar), um serviço educati...
Objectos Complementos (ii) <ul><li>Gerimos  para  promover/regular </li></ul><ul><ul><li>modos de uso dos recursos (quais?...
Objectos Complementos (iii) <ul><li>Gerimos  para quem? </li></ul><ul><ul><li>Destinatários contemporâneos </li></ul></ul>...
Objectos Complementos (iv) <ul><li>Fins </li></ul><ul><li>2 exemplos </li></ul><ul><ul><li>Imaginação </li></ul></ul><ul><...
Estratégias. Promoção da imaginação Porquê? <ul><li>Amos Oz (2006).  Contra o fanatismo . Lisboa: Asa  </li></ul><ul><ul><...
Estratégias. Promoção da imaginação Imaginação &  Literatura <ul><li>Infelizmente, muitos poemas, muitas histórias e drama...
Estratégias. Promoção da imaginação  Imaginação &  Literatura Seleccionada <ul><li>Shakespeare. Gogol. Kafka. Faulkner </l...
Estratégias. Promoção da imaginação   Imaginação &  Humor <ul><li>E se me prometerem não levar à letra o que vou dizer, at...
Estratégias. Competências Leitoras Multimedia  & Livros, e  viceversa   Porquê? <ul><li>A investigação vem marcando evidên...
Estratégias. Competências Leitoras Multimedia  & Livros, e  viceversa Porquê? <ul><li>Os utilizadores jovens recorrem a es...
Estratégias. Competências leitoras Promoção de Leitura / de Literacia da Informação Articulação <ul><li>ASSOCIAR </li></ul...
Estratégias. Competências leitoras Promoção de Leitura / de Literacia da Informação Prioridades Educar para a proactividad...
Para que serve a Gramática da Gestão da Biblioteca Escolar? Verbalizando se ajuda o Pensamento
Para que serve a Gramática da Gestão da Biblioteca Escolar? Pensando e Sentindo se alimenta a Acção
Para que serve a Gramática da Gestão da Biblioteca Escolar? Agindo se experimentam e medem Argumentos
Para que serve a Gramática da Gestão da Biblioteca Escolar? Reflectindo (ao espelho) se põe à prova Imaginação e Humor
Referências <ul><li>Lançar a rede de bibliotecas escolares (1996) </li></ul><ul><li>Manifesto da IFLA Unesco (1999) </li><...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Gerir E Organizar A Biblioteca Escolar Mjvitorino[1]

6,830 views

Published on

THEKA SESSÃO PRESENCIAL Faro 15.12.2007

Published in: Business
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,830
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
67
Actions
Shares
0
Downloads
127
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Apresentação em diaporama de noções sobre gestão e organização de bibliotecas escolares, para uso em situações de formação. Trabalho desenvolvido no âmbito do Curso de Formação de Formadores on-line sobre BE’s promovida pela DGIDC/RBE,1ª turma. Domínio 3. 26 de Abril de 2007 O trabalho foi realizado pelas duas na matriz dos conteúdos, Cada uma trabalhou., depois, graficamente a sequência de 29 diapositivos. Usou-se o Microsoft Powerpoint O objectivo deste material não é o de sintetizar informação, para consulta, mas o de induzir a participação dos grupos em formação e promover o registo de dos cursos, para confronto e debate. A sua utilização em formato projectável prevê cerca de 45 minutos de sessão de formação (com cerca de 3 minutos em média por diapositivo). No caso de ser utilizado com acesso em linha assíncrono, o tempo não é calculável, mas a ordem alfabética facilita a leitura e minora as dificuldades quando se retoma o documento após interrupção.
  • Gerir E Organizar A Biblioteca Escolar Mjvitorino[1]

    1. 1. Gerir e Organizar Bibliotecas Escolares I ntrodução à Gramática da Gestão de Bibliotecas Formação Portugal, 2007 Maria José Vitorino [email_address] c/ Ana Melo Santos [email_address]
    2. 2. Fundamentos <ul><li>As questões da identidade são essencialmente questões de linguagem. (…) </li></ul><ul><li>A linguagem (...) é uma componente maior da subjectividade. (…) a identificação social é um mecanismo essencial da construção dos sujeitos. (…) </li></ul><ul><li>(…) falar da sua vida é, para a maioria das pessoas, uma operação de alto risco, mesmo quando tem confiança no seu interlocutor. </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Claude Dubar (2006) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>A cride das identidades: a interpretação de uma mutação . Lisboa: Celta </li></ul></ul></ul></ul>
    3. 3. Quem gere (ou interfere na gestão) bibliotecas escolares, com que palavras/discursos fala disso? Onde está o sujeito ? Quantos sujeitos ? <ul><li>Bibliotecário Escolar e na Equipa (Manifesto da Unesco) </li></ul><ul><li>Escola e na Equipa, e seu Coordenador (Guidelines IFLA) </li></ul><ul><li>Conselho Executivo? </li></ul><ul><li>Conselho Pedagógico? </li></ul><ul><li>Assembleia de Escola? </li></ul><ul><li>“ Rede” (conversa informal entre professores e estruturas do Ministério)? </li></ul><ul><li>SABE (Bibliot. Munic. / Autarquias)? </li></ul><ul><li>… .. </li></ul>
    4. 4. A caminho da gestão colaborativa, da responsabilidade pessoal e social. Relações entre sujeitos Pronomes nós vós tu eu eles/elas eu ele/ela outro Comunidade (s) Interacção Ética Colaboração Cooperação Parceria Assertividade Liderança Negociação Proximidade Acesso Projecto eu outros eles/elas nós
    5. 5. Acção e reacção Verbos <ul><li>Agente </li></ul><ul><ul><li>Conceber (visão) </li></ul></ul><ul><ul><li>Desenvolver </li></ul></ul><ul><ul><li>Inquirir </li></ul></ul><ul><ul><li>Observar </li></ul></ul><ul><ul><li>Interpretar </li></ul></ul><ul><ul><li>Planear </li></ul></ul><ul><ul><li>Comunicar </li></ul></ul><ul><ul><li>Reflectir/Avaliar </li></ul></ul><ul><li>Paciente </li></ul><ul><ul><li>Ouvir </li></ul></ul><ul><ul><li>Sentir </li></ul></ul><ul><ul><li>Lembrar </li></ul></ul><ul><ul><li>Entender </li></ul></ul><ul><ul><li>Estar disponível </li></ul></ul><ul><ul><li>Ser avaliado </li></ul></ul>
    6. 6. Objectos Complementos (i) <ul><li>Gerimos, organizamos uma biblioteca de tipologia definida (escolar), um serviço educativo com uma missão específica, de acordo com a cultura da escola e da comunidade em que se insere </li></ul><ul><li>Gerimos, organizamos recursos </li></ul><ul><ul><ul><li>Materiais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Espaço/Lugar (acesso presencial e/ou virtual) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tempo, tempos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Verbas (existência, ausência, carência) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Gente ( idem ) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Informação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Conhecimento (inc. curriculum) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Serviços (servir bem, só a olhar a quem…) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Projectos (delimitados temporalmente) </li></ul></ul></ul>
    7. 7. Objectos Complementos (ii) <ul><li>Gerimos para promover/regular </li></ul><ul><ul><li>modos de uso dos recursos (quais?) </li></ul></ul><ul><ul><li>desenvolvimento de competências (inc. atitudes) </li></ul></ul><ul><ul><li>construção de referências/valores/memórias (porquê essas e não outras?) </li></ul></ul>
    8. 8. Objectos Complementos (iii) <ul><li>Gerimos para quem? </li></ul><ul><ul><li>Destinatários contemporâneos </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Alunos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Docentes </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pessoal Não Docente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Famílias </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Administração educativa (local, regional, nacional) </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Destinatários futuros </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Indivíduo(s) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Comunidade(s) </li></ul></ul></ul>
    9. 9. Objectos Complementos (iv) <ul><li>Fins </li></ul><ul><li>2 exemplos </li></ul><ul><ul><li>Imaginação </li></ul></ul><ul><ul><li>Competências leitoras </li></ul></ul>
    10. 10. Estratégias. Promoção da imaginação Porquê? <ul><li>Amos Oz (2006). Contra o fanatismo . Lisboa: Asa </li></ul><ul><ul><li>Acredito, de uma forma simples e cautelosa, que a imaginação possa servir de protecção parcial e limitada contra o fanatismo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Neste momento, bem gostaria de vos dizer que a literatura é a resposta, porque a literatura contém um antídoto contra o fanatismo, que é a injecção de imaginação nos leitores. Gostava de poder receitar simplesmente: leiam literatura e ficção e ficarão curados do vosso fanatismo. Infelizmente, não é assim tão simples. </li></ul></ul>
    11. 11. Estratégias. Promoção da imaginação Imaginação & Literatura <ul><li>Infelizmente, muitos poemas, muitas histórias e dramas ao longo da História foram utilizados para fomentar o ódio e a superioridade moral nacionalista. Apesar de tudo, há algumas obras literárias que julgo poderem ajudar até certo ponto. </li></ul>
    12. 12. Estratégias. Promoção da imaginação Imaginação & Literatura Seleccionada <ul><li>Shakespeare. Gogol. Kafka. Faulkner </li></ul><ul><li>Y. Amijai: </li></ul><ul><ul><li>Onde temos razão não podem crescer flores </li></ul></ul><ul><ul><li>(selecção Amos Oz) </li></ul></ul><ul><li>Camões </li></ul><ul><li>Quem não sabe Arte não a estima </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>(sel. minha) </li></ul></ul></ul></ul></ul>
    13. 13. Estratégias. Promoção da imaginação Imaginação & Humor <ul><li>E se me prometerem não levar à letra o que vou dizer, atrever-me-ia a assegurar que, pelo menos em princípio, julgo ter inventado o remédio contra o fanatismo. O sentido de humor é uma grande cura. (…) </li></ul><ul><li>O sentido de humor implica a capacidade de se rir de si próprio. </li></ul><ul><li>Amos Oz, o.c. </li></ul>
    14. 14. Estratégias. Competências Leitoras Multimedia & Livros, e viceversa Porquê? <ul><li>A investigação vem marcando evidências sobre as aprendizagens desenvolvidas na Escola actual: </li></ul><ul><ul><li>Deficientes competências leitoras </li></ul></ul><ul><ul><li>Deficientes competências leitoras multimedia </li></ul></ul>
    15. 15. Estratégias. Competências Leitoras Multimedia & Livros, e viceversa Porquê? <ul><li>Os utilizadores jovens recorrem a esta sobretudo para jogar e fazer download de ficheiros, para usar o email, e, muito menos, para pesquisar ou para produzir/criar conteúdos. </li></ul><ul><li>Precisamos promover atitudes </li></ul><ul><ul><ul><li>- consumistas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>+ críticas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>+ criativas </li></ul></ul></ul>
    16. 16. Estratégias. Competências leitoras Promoção de Leitura / de Literacia da Informação Articulação <ul><li>ASSOCIAR </li></ul><ul><ul><li>Livros </li></ul></ul><ul><ul><li>Multimedia </li></ul></ul><ul><ul><li>Biblioteca - Ambiente de Aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><li>Biblioteca - Comunidade que Aprende </li></ul></ul><ul><ul><li>Escola – Organização de Conhecimento </li></ul></ul>
    17. 17. Estratégias. Competências leitoras Promoção de Leitura / de Literacia da Informação Prioridades Educar para a proactividade Papel das Artes – inc. a Criação Literária - e da Tecnologia Fomentar a criação/produção própria Educar para os media Papel das Ciências e da Filosofia Promover o espírito crítico Formar para utilizar os recursos de conhecimento por si próprio Educar para a colaboração e a partilha Defender a autonomia na aprendizagem
    18. 18. Para que serve a Gramática da Gestão da Biblioteca Escolar? Verbalizando se ajuda o Pensamento
    19. 19. Para que serve a Gramática da Gestão da Biblioteca Escolar? Pensando e Sentindo se alimenta a Acção
    20. 20. Para que serve a Gramática da Gestão da Biblioteca Escolar? Agindo se experimentam e medem Argumentos
    21. 21. Para que serve a Gramática da Gestão da Biblioteca Escolar? Reflectindo (ao espelho) se põe à prova Imaginação e Humor
    22. 22. Referências <ul><li>Lançar a rede de bibliotecas escolares (1996) </li></ul><ul><li>Manifesto da IFLA Unesco (1999) </li></ul><ul><li>Directrizes da IFLA para Bibliotecas Escolares (2002) </li></ul><ul><li>THEKA Projecto Gulbenkian de Formação de Professores para o Desenvolvimento de Bibliotecas Escolares (2004- ) </li></ul><ul><li>ENSIL European Network for School Libraries and Information Literacy (2003- ) </li></ul><ul><li>Forums do Curso de Formação de Formadores on-line RBE/DGIDC , 1ª turma (2007) </li></ul><ul><ul><li>Imagens retiradas da web, cf Creative Commons </li></ul></ul>

    ×