38202349 direito-constitucional

1,158 views

Published on

Direito Constitucional para concursos

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,158
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
87
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

38202349 direito-constitucional

  1. 1. DIREITO CONSTITUCIONAL CURSO PREPARATÓRIO PARA MPU / 2010 MATERIAL DE APOIO AO ALUNO Prof. Daniel Sena daniel.sena@alfaonline.com.br
  2. 2. Caros alunos, Estamos inciando hoje mais um cursinho preparatório para o concurso do Ministério Público da União cujo edital já foi lançado. O nosso estudo em Direito Constitucional se espelhará no edital e consistirá nas seguintes matérias: 1. Constituição: princípios fundamentais. 2. Da aplicabilidade das normas constitucionais: normas de eficácia plena, contida e limitada; normas programáticas. 3. Dos direitos e garantias fundamentais: dos direitos e deveres individuais e coletivos; dos direitos sociais; dos direitos de nacionalidade; dos direitos políticos. 4. Da organização político-administrativa: das competências da União, Estados, Distrito Federal e Municípios. 5. Da Administração Pública: disposições gerais; dos servidores públicos.6. Do Poder Executivo: das atribuições e responsabilidades do presidente da república.7. Do Poder Legislativo: do processo legislativo; da fiscalização contábil, financeira e orçamentária.8. Do Poder Judiciário: disposições gerais; do Supremo Tribunal Federal; do Conselho Nacional de Justiça; do Superior Tribunal de Justiça; dos Tribunais Regionais Federais e dos Juízes Federais; dos Tribunais e Juízes do Trabalho; dos Tribunais e Juízes Eleitorais; dos Tribunais e Juízes Militares; dos Tribunais e Juízes dos Estados.9. Das funções essenciais à Justiça: do Ministério Público; da Advocacia Pública; da Advocacia e da Defensoria públicas. Nosso objetivo é prepará-los para a aprovação e para facilitar o estudo,estaremos a disposição quando precisarem. Além do nosso contato no dia-a- dia em sala de aula, vocês poderão tirar dúvidas de exercícios ou qualquer outra que tenha aparecido no decorrer do estudo através do meu e-mail que encontra-se no rodapé da página.Para auxiliar-lhes, disponibilizarei este material de apoio no site, o qual vocês poderão imprimir para acompanhar a aula. Feitas estas considerações iniciais, vamos ao trabalho!!! Sucesso a todos e rumo a aprovação!!! Daniel Sena daniel.sena@alfaonline.com.br
  3. 3. TÍTULO I Dos Princípios Fundamentais________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela uniãoindissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-seem Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: I - a soberania; II - a cidadania III - a dignidade da pessoa humana; IV - os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa; V - o pluralismo político. Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce pormeio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos destaConstituição.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 2º São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, oLegislativo, o Executivo e o Judiciário.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ daniel.sena@alfaonline.com.br
  4. 4. Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativado Brasil: I - construir uma sociedade livre, justa e solidária; II - garantir o desenvolvimento nacional; III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdadessociais e regionais; IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça,sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 4º A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relaçõesinternacionais pelos seguintes princípios: I - independência nacional; II - prevalência dos direitos humanos; III - autodeterminação dos povos; IV - não-intervenção; V - igualdade entre os Estados; VI - defesa da paz; VII - solução pacífica dos conflitos; VIII - repúdio ao terrorismo e ao racismo; IX - cooperação entre os povos para o progresso da humanidade; X - concessão de asilo político. Parágrafo único. A República Federativa do Brasil buscará aintegração econômica, política, social e cultural dos povos da AméricaLatina, visando à formação de uma comunidade latino-americana denações.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ daniel.sena@alfaonline.com.br
  5. 5. TÍTULO II Dos Direitos e Garantias FundamentaisConsiderações iniciais____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Características dos Direitos Fundamentais  Historicidade  Inalienabilidade  Irrenunciabilidade  Universalidade .  Efetividade  Complementariedade (concorrência)  Limitabilidade (relatividade)  Não-taxatividade (normas de caráter aberto)  Imprescritibilidade  Proibição de retrocesso____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Classificação  Na CF/88  Gerações de direitos fundamentais (dimensões)  1ª geração  2ª geração  3ª geração  4ª geração____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ daniel.sena@alfaonline.com.br
  6. 6. Cláusulas Pétreas e os Direitos Fundamentais  Art. 60, § 4º, CF Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir: I - a forma federativa de Estado; II - o voto direto, secreto, universal e periódico; III - a separação dos Poderes; IV - os direitos e garantias individuais.____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Direitos X Garantias____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ CAPÍTULO I DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquernatureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes noPaís a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, àsegurança e à propriedade, nos termos seguintes:Destinatários dos Direitos Fundamentais • Residentes (STF)Direito à Vida • Início da vida • Fim da vida • Abrangências do direito à Vida o Direito à existência o Direito à integridade física e moral o Direito à um nível adequado de vida________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ daniel.sena@alfaonline.com.br
  7. 7. • Aborto________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ • Eutanásia________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ • Pena de Morte________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ • Tortura________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Direito à Liberdade • Direitos de 1ª geraçãoDireito à Igualdade • Princípio da igualdade ou isonomia • Direitos de 2ª geração o Igualdade material § Ações Afirmativas o Igualdade formal • Igualdade nos concursos públicos o Exigência de idade mínima e altura o Súmula 683 STF O limite de idade para a inscrição em concurso público só se legitima em face do art. 7º, XXX, da CF quando possa ser justificado pela natureza das atribuições do cargo a ser preenchido. • Igualdade tributária o Art. 150,II, CF Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: II - instituir tratamento desigual entre contribuintes que se encontrem em situação equivalente, proibida qualquer distinção em razão de ocupação daniel.sena@alfaonline.com.br
  8. 8. profissional ou função por eles exercida, independentemente da denominação jurídica dos rendimentos, títulos ou direitos;Direito à Segurança • Estabilidade das relações sociais • Garantias constitucionaisDireito à Propriedade • Limitações o Função social o Requisições administrativas o Desapropriação____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termosdesta Constituição; Art. 226, § 5º, CF - Os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo homem e pela mulher. • Exceções____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senãoem virtude de lei; • Liberdade de ação o Liberdade matriz o Principio da Legalidade____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________III - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano oudegradante; • Ver inciso XLIII • Norma de Eficácia Limitada • Lei 9.455/97 – Lei de Tortura • Responsabilidade • Súmula Vinculante nº 11 daniel.sena@alfaonline.com.br
  9. 9. Só é lícito o uso de algemas em caso de resistência e de fundado receio de fuga ou de perigo à integridade física própria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros, justificada a excepcionalidade por escrito, sob pena de responsabilidade disciplinar civil e penal do agente ou da autoridade e de nulidade da prisão ou do ato processual a que se refere, sem prejuízo da responsabilidade civil do Estado”.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado oanonimato; V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, alémda indenização por dano material, moral ou à imagem; • Liberdade de pensamento o Vedação do anonimato________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendoassegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na formada lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias; VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistênciareligiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva; VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosaou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-sede obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestaçãoalternativa, fixada em lei; • Liberdade de consciência e de crença religiosa o Relação entre o Estado e a Igreja o Escusa de consciência________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica ede comunicação, independentemente de censura ou licença; • Liberdade de expressão X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagemdas pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material oumoral decorrente de sua violação; daniel.sena@alfaonline.com.br
  10. 10. • Intimidade • Vida privada • Honra • Imagem XI - a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendopenetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrantedelito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, pordeterminação judicial; • Inviolabilidade domiciliar________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XII - é inviolável o sigilo da correspondência e das comunicaçõestelegráficas, de dados e das comunicações telefônicas, salvo, no últimocaso, por ordem judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecerpara fins de investigação criminal ou instrução processual penal; • Sigilo de correspondências e comunicações o Correspondências o Comunicações Telefônica o Sigilo bancário e fiscal________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão,atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer; • Liberdade de ação profissional o Norma de eficácia contida XIV - é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado osigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional; • Liberdade informação • Ver inciso XXXIII XV - é livre a locomoção no território nacional em tempo de paz,podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer oudele sair com seus bens; • Liberdade de locomoção________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ daniel.sena@alfaonline.com.br
  11. 11. XVI - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locaisabertos ao público, independentemente de autorização, desde que nãofrustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local,sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente; • Liberdade de reunião________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XVII - é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a decaráter paramilitar; XVIII - a criação de associações e, na forma da lei, a de cooperativasindependem de autorização, sendo vedada a interferência estatal em seufuncionamento; XIX - as associações só poderão ser compulsoriamente dissolvidasou ter suas atividades suspensas por decisão judicial, exigindo-se, noprimeiro caso, o trânsito em julgado; XX - ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecerassociado; XXI - as entidades associativas, quando expressamente autorizadas,têm legitimidade para representar seus filiados judicial ouextrajudicialmente; • Liberdade de associação________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XXII - é garantido o direito de propriedade; XXIII - a propriedade atenderá a sua função social; XXIV - a lei estabelecerá o procedimento para desapropriação pornecessidade ou utilidade pública, ou por interesse social, mediante justae prévia indenização em dinheiro, ressalvados os casos previstos nestaConstituição; XXV - no caso de iminente perigo público, a autoridade competentepoderá usar de propriedade particular, assegurada ao proprietárioindenização ulterior, se houver dano; • Requisição administrativa daniel.sena@alfaonline.com.br
  12. 12. XXVI - a pequena propriedade rural, assim definida em lei, desde quetrabalhada pela família, não será objeto de penhora para pagamento dedébitos decorrentes de sua atividade produtiva, dispondo a lei sobre osmeios de financiar o seu desenvolvimento; • Bem de famíliaXXVII - aos autores pertence o direito exclusivo de utilização, publicaçãoou reprodução de suas obras, transmissível aos herdeiros pelo tempoque a lei fixar; • Propriedade autoral • Lei 9.610/98________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XXVIII - são assegurados, nos termos da lei: a) a proteção às participações individuais em obras coletivas e àreprodução da imagem e voz humanas, inclusive nas atividadesdesportivas; b) o direito de fiscalização do aproveitamento econômico das obrasque criarem ou de que participarem aos criadores, aos intérpretes e àsrespectivas representações sindicais e associativas; XXIX - a lei assegurará aos autores de inventos industriais privilégiotemporário para sua utilização, bem como proteção às criaçõesindustriais, à propriedade das marcas, aos nomes de empresas e a outrossignos distintivos, tendo em vista o interesse social e o desenvolvimentotecnológico e econômico do País; • Propriedade industrial • Lei 9.279/96________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XXX - é garantido o direito de herança; XXXI - a sucessão de bens de estrangeiros situados no País seráregulada pela lei brasileira em benefício do cônjuge ou dos filhosbrasileiros, sempre que não lhes seja mais favorável a lei pessoal do "decujus"; • Direito à herança XXXII - o Estado promoverá, na forma da lei, a defesa do consumidor; • Lei 8.078/90 – Código de Defesa do Consumidor daniel.sena@alfaonline.com.br
  13. 13. XXXIII - todos têm direito a receber dos órgãos públicos informaçõesde seu interesse particular, ou de interesse coletivo ou geral, que serãoprestadas no prazo da lei, sob pena de responsabilidade, ressalvadasaquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e doEstado; XXXIV - são a todos assegurados, independentemente do pagamentode taxas: a) o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de direitos oucontra ilegalidade ou abuso de poder; b) a obtenção de certidões em repartições públicas, para defesa dedireitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal; • Direito de petição e certidão____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XXXV - a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ouameaça a direito; • Princípio da Inafastabilidade da jurisdição o Direito de ação, princípio do livre acesso ao poder judiciário o Não depende do esgotamento das vias administrativas § Exceções____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XXXVI - a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeitoe a coisa julgada; • Não se aplica as leis benéficas • Art. 6º, LICC (Dec. Lei nº 4.657/42) A Lei em vigor terá efeito imediato e geral, respeitados o ato jurídico perfeito, o direito adquirido e a coisa julgada. § 1º Reputa-se ato jurídico perfeito o já consumado segundo a lei vigente ao tempo em que se efetuou. § 2º Consideram-se adquiridos assim os direitos que o seu titular, ou alguém por ele, possa exercer, como aqueles cujo começo do exercício tenha termo pré-fixo, ou condição pré-estabelecida inalterável, a arbítrio de outrem. § 3º Chama-se coisa julgada ou caso julgado a decisão judicial de que já não caiba recurso.____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ daniel.sena@alfaonline.com.br
  14. 14. XXXVII - não haverá juízo ou tribunal de exceção; • Igualdade jurisdicional o Princípio do juiz natural ou princípio do juiz legal §Tribunais ad hoc §Foro privilegiado____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XXXVIII - é reconhecida a instituição do júri, com a organização quelhe der a lei, assegurados: a) a plenitude de defesa; b) o sigilo das votações; c) a soberania dos veredictos; d) a competência para o julgamento dos crimes dolosos contra avida;____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XXXIX - não há crime sem lei anterior que o defina, nem pena semprévia cominação legal; • Princípio da anterioridade XL - a lei penal não retroagirá, salvo para beneficiar o réu; • Princípio da Irretroatividade XLI - a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos eliberdades fundamentais; XLII - a prática do racismo constitui crime inafiançável eimprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei; XLIII - a lei considerará crimes inafiançáveis e insuscetíveis de graçaou anistia a prática da tortura , o tráfico ilícito de entorpecentes e drogasafins, o terrorismo e os definidos como crimes hediondos, por elesrespondendo os mandantes, os executores e os que, podendo evitá-los,se omitirem;XLIV - constitui crime inafiançável e imprescritível a ação de gruposarmados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o EstadoDemocrático; daniel.sena@alfaonline.com.br
  15. 15. Imprescritíveis Inafiançáveis Insuscetíveisde graça e anistia• • •• • • • • • • • • XLV - nenhuma pena passará da pessoa do condenado, podendo aobrigação de reparar o dano e a decretação do perdimento de bens ser,nos termos da lei, estendidas aos sucessores e contra eles executadas,até o limite do valor do patrimônio transferido; XLVI - a lei regulará a individualização da pena e adotará, entreoutras, as seguintes: a) privação ou restrição da liberdade; b) perda de bens; c) multa; d) prestação social alternativa; e) suspensão ou interdição de direitos; XLVII - não haverá penas: a) de morte, salvo em caso de guerra declarada, nos termos do art.84, XIX; b) de caráter perpétuo; c) de trabalhos forçados; d) de banimento; e) cruéis; • Pena de morte________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XLVIII - a pena será cumprida em estabelecimentos distintos, deacordo com a natureza do delito, a idade e o sexo do apenado; • Princípio da individualização da pena XLIX - é assegurado aos presos o respeito à integridade física emoral; L - às presidiárias serão asseguradas condições para que possampermanecer com seus filhos durante o período de amamentação; daniel.sena@alfaonline.com.br
  16. 16. LI - nenhum brasileiro será extraditado, salvo o naturalizado, em casode crime comum, praticado antes da naturalização, ou de comprovadoenvolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, na formada lei; LII - não será concedida extradição de estrangeiro por crime políticoou de opinião;•Extradição____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ LIII - ninguém será processado nem sentenciado senão pelaautoridade competente; • Ver inciso XXXVII LIV - ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem odevido processo legal; • Princípio do devido processo legal o Princípio da proporcionalidade e razoabilidade _________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________LV - aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aosacusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, comos meios e recursos a ela inerentes; • Princípios da ampla defesa e do contraditório o Exceções o Súmula Vinculante 3 Nos processos perante o Tribunal de Contas da União asseguram-se o contraditório e a ampla defesa quando da decisão puder resultar anulação ou revogação de ato administrativo que beneficie o interessado, excetuada a apreciação da legalidade do ato de concessão inicial de aposentadoria, reforma e pensão. . o Súmula Vinculante 5 A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar não ofende a Constituição________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ LVI - são inadmissíveis, no processo, as provas obtidas por meiosilícitos; daniel.sena@alfaonline.com.br
  17. 17. • Inadmissibilidade das provas ilícitas o Provas ilícitas por derivação________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ LVII - ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado desentença penal condenatória; • Princípio da não-culpabilidade ou presunção da inocência LVIII - o civilmente identificado não será submetido a identificaçãocriminal, salvo nas hipóteses previstas em lei; (Regulamento). • Lei 12.037/2009 – Lei de identificação criminal LIX - será admitida ação privada nos crimes de ação pública, se estanão for intentada no prazo legal; • Ação penal privada subsidiária da pública LX - a lei só poderá restringir a publicidade dos atos processuaisquando a defesa da intimidade ou o interesse social o exigirem; • Publicidade dos atos processuais____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ LXI - ninguém será preso senão em flagrante delito ou por ordemescrita e fundamentada de autoridade judiciária competente, salvo noscasos de transgressão militar ou crime propriamente militar, definidos emlei; LXII - a prisão de qualquer pessoa e o local onde se encontre serãocomunicados imediatamente ao juiz competente e à família do preso ou àpessoa por ele indicada; LXIII - o preso será informado de seus direitos, entre os quais o depermanecer calado, sendo-lhe assegurada a assistência da família e deadvogado; LXIV - o preso tem direito à identificação dos responsáveis por suaprisão ou por seu interrogatório policial; LXV - a prisão ilegal será imediatamente relaxada pela autoridadejudiciária; daniel.sena@alfaonline.com.br
  18. 18. LXVI - ninguém será levado à prisão ou nela mantido, quando a leiadmitir a liberdade provisória, com ou sem fiança; LXVII - não haverá prisão civil por dívida, salvo a do responsável peloinadimplemento voluntário e inescusável de obrigação alimentícia e a dodepositário infiel; • Súmula vinculante 25 É ilícita a prisão civil de depositário infiel, qualquer que seja a modalidade do depósito. LXVIII - conceder-se-á "habeas-corpus" sempre que alguém sofrer ouse achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade delocomoção, por ilegalidade ou abuso de poder; • Ação Constitucional Penal • Partes: o Impetrante o Paciente o Autoridade coatora____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ LXIX - conceder-se-á mandado de segurança para proteger direitolíquido e certo, não amparado por "habeas-corpus" ou "habeas-data",quando o responsável pela ilegalidade ou abuso de poder for autoridadepública ou agente de pessoa jurídica no exercício de atribuições do PoderPúblico; LXX - o mandado de segurança coletivo pode ser impetrado por: a) partido político com representação no Congresso Nacional; b) organização sindical, entidade de classe ou associação legalmenteconstituída e em funcionamento há pelo menos um ano, em defesa dosinteresses de seus membros ou associados; • Ação Constitucional Civil • Lei 12.016/09____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ LXXI - conceder-se-á mandado de injunção sempre que a falta denorma regulamentadora torne inviável o exercício dos direitos eliberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade,à soberania e à cidadania; • Ação Constitucional Civil daniel.sena@alfaonline.com.br
  19. 19. ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ LXXII - conceder-se-á "habeas-data": a) para assegurar o conhecimento de informações relativas à pessoado impetrante, constantes de registros ou bancos de dados de entidadesgovernamentais ou de caráter público; b) para a retificação de dados, quando não se prefira fazê-lo porprocesso sigiloso, judicial ou administrativo; • Ação Constitucional Civil • Lei 9.507/97____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ LXXIII - qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popularque vise a anular ato lesivo ao patrimônio público ou de entidade de queo Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e aopatrimônio histórico e cultural, ficando o autor, salvo comprovada má-fé,isento de custas judiciais e do ônus da sucumbência; • Ação Processual Civil • Lei 4.717/65____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ LXXIV - o Estado prestará assistência jurídica integral e gratuita aosque comprovarem insuficiência de recursos; • Defensorias Públicas LXXV - o Estado indenizará o condenado por erro judiciário, assimcomo o que ficar preso além do tempo fixado na sentença; LXXVI - são gratuitos para os reconhecidamente pobres, na forma dalei: a) o registro civil de nascimento; b) a certidão de óbito;____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ LXXVII - são gratuitas as ações de "habeas-corpus" e "habeas-data",e, na forma da lei, os atos necessários ao exercício da cidadania. daniel.sena@alfaonline.com.br
  20. 20. LXXVIII a todos, no âmbito judicial e administrativo, são asseguradosa razoável duração do processo e os meios que garantam a celeridade desua tramitação. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ § 1º - As normas definidoras dos direitos e garantias fundamentaistêm aplicação imediata.Eficácia das normas • Eficácia plena • Eficácia contida • Eficácia limitadaAmplitudes das normas • Eficácia vertical • Eficácia horizontal____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ § 2º - Os direitos e garantias expressos nesta Constituição nãoexcluem outros decorrentes do regime e dos princípios por ela adotados,ou dos tratados internacionais em que a República Federativa do Brasilseja parte. § 3º Os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanosque forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional, em doisturnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros, serãoequivalentes às emendas constitucionais. (Incluído pela EmendaConstitucional nº 45, de 2004) (Decreto Legislativo com força deEmenda Constitucional)____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ § 4º O Brasil se submete à jurisdição de Tribunal Penal Internacional acuja criação tenha manifestado adesão. (Incluído pela EmendaConstitucional nº 45, de 2004)____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ daniel.sena@alfaonline.com.br
  21. 21. ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ CAPÍTULO II DOS DIREITOS SOCIAISEficácia dos Direitos sociais___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Destinatários____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, otrabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteçãoà maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na formadesta Constituição. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 64, de2010)____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além deoutros que visem à melhoria de sua condição social: I - relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou semjusta causa, nos termos de lei complementar, que preverá indenizaçãocompensatória, dentre outros direitos;____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ II - seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário;____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ III - fundo de garantia do tempo de serviço; IV - salário mínimo , fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz deatender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família commoradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene,transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhepreservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação paraqualquer fim; daniel.sena@alfaonline.com.br
  22. 22. ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ V - piso salarial proporcional à extensão e à complexidade dotrabalho; VI - irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ouacordo coletivo; VII - garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os quepercebem remuneração variável; VIII - décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou novalor da aposentadoria; IX – remuneração do trabalho noturno superior à do diurno;____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ X - proteção do salário na forma da lei, constituindo crime suaretenção dolosa;____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XI – participação nos lucros, ou resultados, desvinculada daremuneração, e, excepcionalmente, participação na gestão da empresa,conforme definido em lei; XII - salário-família pago em razão do dependente do trabalhador debaixa renda nos termos da lei; (Redação dada pela EmendaConstitucional nº 20, de 1998) XIII - duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias equarenta e quatro semanais, facultada a compensação de horários e aredução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho;(vide Decreto-Lei nº 5.452, de 1943) XIV - jornada de seis horas para o trabalho realizado em turnosininterruptos de revezamento, salvo negociação coletiva; XV - repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos; XVI - remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, emcinqüenta por cento à do normal; (Vide Del 5.452, art. 59 § 1º) XVII - gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terçoa mais do que o salário normal; XVIII - licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, coma duração de cento e vinte dias; daniel.sena@alfaonline.com.br
  23. 23. ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XIX - licença-paternidade, nos termos fixados em lei; XX - proteção do mercado de trabalho da mulher, medianteincentivos específicos, nos termos da lei; XXI - aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo nomínimo de trinta dias, nos termos da lei; XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normasde saúde, higiene e segurança; XXIII - adicional de remuneração para as atividades penosas,insalubres ou perigosas, na forma da lei; XXIV - aposentadoria; XXV - assistência gratuita aos filhos e dependentes desde onascimento até 5 (cinco) anos de idade em creches e pré-escolas;(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006) XXVI - reconhecimento das convenções e acordos coletivos detrabalho; XXVII - proteção em face da automação, na forma da lei; XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador,sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando incorrer emdolo ou culpa; XXIX - ação, quanto aos créditos resultantes das relações detrabalho, com prazo prescricional de cinco anos para os trabalhadoresurbanos e rurais, até o limite de dois anos após a extinção do contrato detrabalho; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 28, de 25/05/2000)____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XXX - proibição de diferença de salários, de exercício de funções ede critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil; XXXI - proibição de qualquer discriminação no tocante a salário ecritérios de admissão do trabalhador portador de deficiência; XXXII - proibição de distinção entre trabalho manual, técnico eintelectual ou entre os profissionais respectivos; XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre amenores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos,salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos; (Redação dadapela Emenda Constitucional nº 20, de 1998) daniel.sena@alfaonline.com.br
  24. 24. ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ XXXIV - igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculoempregatício permanente e o trabalhador avulso. Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadoresdomésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VIII, XV, XVII, XVIII,XIX, XXI e XXIV, bem como a sua integração à previdência social.____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado oseguinte: I - a lei não poderá exigir autorização do Estado para a fundação desindicato, ressalvado o registro no órgão competente, vedadas ao PoderPúblico a interferência e a intervenção na organização sindical; II - é vedada a criação de mais de uma organização sindical, emqualquer grau, representativa de categoria profissional ou econômica, namesma base territorial, que será definida pelos trabalhadores ouempregadores interessados, não podendo ser inferior à área de umMunicípio; III - ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ouindividuais da categoria, inclusive em questões judiciais ouadministrativas; IV - a assembléia geral fixará a contribuição que, em se tratando decategoria profissional, será descontada em folha, para custeio do sistemaconfederativo da representação sindical respectiva, independentementeda contribuição prevista em lei; V - ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado asindicato; VI - é obrigatória a participação dos sindicatos nas negociaçõescoletivas de trabalho; VII - o aposentado filiado tem direito a votar e ser votado nasorganizações sindicais; VIII - é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir doregistro da candidatura a cargo de direção ou representação sindical e, seeleito, ainda que suplente, até um ano após o final do mandato, salvo secometer falta grave nos termos da lei. daniel.sena@alfaonline.com.br
  25. 25. Parágrafo único. As disposições deste artigo aplicam-se àorganização de sindicatos rurais e de colônias de pescadores, atendidasas condições que a lei estabelecer.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 9º É assegurado o direito de greve, competindo aostrabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre osinteresses que devam por meio dele defender. § 1º - A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporásobre o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade. § 2º - Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às penas da lei. Art. 10. É assegurada a participação dos trabalhadores eempregadores nos colegiados dos órgãos públicos em que seusinteresses profissionais ou previdenciários sejam objeto de discussão edeliberação. Art. 11. Nas empresas de mais de duzentos empregados, éassegurada a eleição de um representante destes com a finalidadeexclusiva de promover-lhes o entendimento direto com os empregadores._________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ CAPÍTULO III DA NACIONALIDADE_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 12. São brasileiros: daniel.sena@alfaonline.com.br
  26. 26. I - natos: a) os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de paisestrangeiros, desde que estes não estejam a serviço de seu país; b) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira,desde que qualquer deles esteja a serviço da República Federativa doBrasil; c) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãebrasileira,desde que sejam registrados em repartição brasileira competente ouvenham a residir na República Federativa do Brasil e optem, em qualquertempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade brasileira;(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 54, de 2007)_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ II - naturalizados: a) os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira,exigidas aos originários de países de língua portuguesa apenasresidência por um ano ininterrupto e idoneidade moral; b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes naRepública Federativa do Brasil há mais de quinze anos ininterruptos esem condenação penal, desde que requeiram a nacionalidade brasileira.(Redação dada pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ § 1º Aos portugueses com residência permanente no País, sehouver reciprocidade em favor de brasileiros, serão atribuídos os direitosinerentes ao brasileiro, salvo os casos previstos nesta Constituição.(Redação dada pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ daniel.sena@alfaonline.com.br
  27. 27. _____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ § 2º - A lei não poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos enaturalizados, salvo nos casos previstos nesta Constituição. § 3º - São privativos de brasileiro nato os cargos: I - de Presidente e Vice-Presidente da República; II - de Presidente da Câmara dos Deputados; III - de Presidente do Senado Federal; IV - de Ministro do Supremo Tribunal Federal; V - da carreira diplomática; VI - de oficial das Forças Armadas. VII - de Ministro de Estado da Defesa (Incluído pela EmendaConstitucional nº 23, de 1999)_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ § 4º - Será declarada a perda da nacionalidade do brasileiro que: I - tiver cancelada sua naturalização, por sentença judicial, em virtudede atividade nociva ao interesse nacional; II - adquirir outra nacionalidade, salvo no casos: (Redação dada pelaEmenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994) a) de reconhecimento de nacionalidade originária pela leiestrangeira; (Incluído pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de1994) b) de imposição de naturalização, pela norma estrangeira, aobrasileiro residente em estado estrangeiro, como condição parapermanência em seu território ou para o exercício de direitos civis;(Incluído pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ daniel.sena@alfaonline.com.br
  28. 28. ______________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da RepúblicaFederativa do Brasil. § 1º - São símbolos da República Federativa do Brasil a bandeira, ohino, as armas e o selo nacionais. § 2º - Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão tersímbolos próprios._________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ CAPÍTULO IV DOS DIREITOS POLÍTICOS Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal epelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos dalei, mediante: I - plebiscito; II - referendo; III - iniciativa popular._________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ § 1º - O alistamento eleitoral e o voto são: I - obrigatórios para os maiores de dezoito anos; II - facultativos para: a) os analfabetos; b) os maiores de setenta anos; c) os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos. § 2º - Não podem alistar-se como eleitores os estrangeiros e, duranteo período do serviço militar obrigatório, os conscritos. daniel.sena@alfaonline.com.br
  29. 29. _________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ § 3º - São condições de elegibilidade, na forma da lei: I - a nacionalidade brasileira; II - o pleno exercício dos direitos políticos; III - o alistamento eleitoral; IV - o domicílio eleitoral na circunscrição; V - a filiação partidária; VI - a idade mínima de: a) trinta e cinco anos para Presidente e Vice-Presidente da Repúblicae Senador; b) trinta anos para Governador e Vice-Governador de Estado e doDistrito Federal; c) vinte e um anos para Deputado Federal, Deputado Estadual ouDistrital, Prefeito, Vice-Prefeito e juiz de paz; d) dezoito anos para Vereador._________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ § 4º - São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos. § 5º O Presidente da República, os Governadores de Estado e doDistrito Federal, os Prefeitos e quem os houver sucedido, ou substituídono curso dos mandatos poderão ser reeleitos para um único períodosubseqüente. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16, de 1997) § 6º - Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República,os Governadores de Estado e do Distrito Federal e os Prefeitos devemrenunciar aos respectivos mandatos até seis meses antes do pleito. § 7º - São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjugee os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, daniel.sena@alfaonline.com.br
  30. 30. do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, doDistrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dosseis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo ecandidato à reeleição._________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ § 8º - O militar alistável é elegível, atendidas as seguintes condições: I - se contar menos de dez anos de serviço, deverá afastar-se daatividade; II - se contar mais de dez anos de serviço, será agregado pelaautoridade superior e, se eleito, passará automaticamente, no ato dadiplomação, para a inatividade. § 9º Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidadee os prazos de sua cessação, a fim de proteger a probidadeadministrativa, a moralidade para exercício de mandato considerada vidapregressa do candidato, e a normalidade e legitimidade das eleiçõescontra a influência do poder econômico ou o abuso do exercício defunção, cargo ou emprego na administração direta ou indireta. (Redaçãodada pela Emenda Constitucional de Revisão nº 4, de 1994) § 10 - O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a JustiçaEleitoral no prazo de quinze dias contados da diplomação, instruída aação com provas de abuso do poder econômico, corrupção ou fraude. § 11 - A ação de impugnação de mandato tramitará em segredo dejustiça, respondendo o autor, na forma da lei, se temerária ou demanifesta má-fé. Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda oususpensão só se dará nos casos de: I - cancelamento da naturalização por sentença transitada emjulgado; II - incapacidade civil absoluta; III - condenação criminal transitada em julgado, enquanto duraremseus efeitos; IV - recusa de cumprir obrigação a todos imposta ou prestaçãoalternativa, nos termos do art. 5º, VIII; daniel.sena@alfaonline.com.br
  31. 31. V - improbidade administrativa, nos termos do art. 37, § 4º._________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 16. A lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor na datade sua publicação, não se aplicando à eleição que ocorra até um ano dadata de sua vigência. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 4, de1993) TÍTULO III Da Organização do Estado________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA Art. 18. A organização político-administrativa da RepúblicaFederativa do Brasil compreende a União, os Estados, o Distrito Federal eos Municípios, todos autônomos, nos termos desta Constituição. § 1º - Brasília é a Capital Federal. § 2º - Os Territórios Federais integram a União, e sua criação,transformação em Estado ou reintegração ao Estado de origem serãoreguladas em lei complementar. § 3º - Os Estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se oudesmembrar-se para se anexarem a outros, ou formarem novos Estadosou Territórios Federais, mediante aprovação da população diretamente daniel.sena@alfaonline.com.br
  32. 32. interessada, através de plebiscito, e do Congresso Nacional, por leicomplementar. § 4º A criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento deMunicípios, far-se-ão por lei estadual, dentro do período determinado porLei Complementar Federal, e dependerão de consulta prévia, medianteplebiscito, às populações dos Municípios envolvidos, após divulgaçãodos Estudos de Viabilidade Municipal, apresentados e publicados naforma da lei. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 15, de 1996) Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aosMunicípios: I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los,embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seusrepresentantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na formada lei, a colaboração de interesse público; II - recusar fé aos documentos públicos; III - criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ CAPÍTULO II DA UNIÃO Art. 20. São bens da União: I - os que atualmente lhe pertencem e os que lhe vierem a seratribuídos; II - as terras devolutas indispensáveis à defesa das fronteiras, dasfortificações e construções militares, das vias federais de comunicação eà preservação ambiental, definidas em lei; III - os lagos, rios e quaisquer correntes de água em terrenos de seudomínio, ou que banhem mais de um Estado, sirvam de limites comoutros países, ou se estendam a território estrangeiro ou dele provenham,bem como os terrenos marginais e as praias fluviais; IV as ilhas fluviais e lacustres nas zonas limítrofes com outros países;as praias marítimas; as ilhas oceânicas e as costeiras, excluídas, destas,as que contenham a sede de Municípios, exceto aquelas áreas afetadasao serviço público e a unidade ambiental federal, e as referidas no art. 26,II; (Redação dada pela Emenda Constituciona nº 46, de 2005) daniel.sena@alfaonline.com.br
  33. 33. V - os recursos naturais da plataforma continental e da zonaeconômica exclusiva; VI - o mar territorial; VII - os terrenos de marinha e seus acrescidos; VIII - os potenciais de energia hidráulica; IX - os recursos minerais, inclusive os do subsolo; X - as cavidades naturais subterrâneas e os sítios arqueológicos epré-históricos; XI - as terras tradicionalmente ocupadas pelos índios. § 1º - É assegurada, nos termos da lei, aos Estados, ao DistritoFederal e aos Municípios, bem como a órgãos da administração direta daUnião, participação no resultado da exploração de petróleo ou gásnatural, de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica e deoutros recursos minerais no respectivo território, plataforma continental,mar territorial ou zona econômica exclusiva, ou compensação financeirapor essa exploração. § 2º - A faixa de até cento e cinqüenta quilômetros de largura, aolongo das fronteiras terrestres, designada como faixa de fronteira, éconsiderada fundamental para defesa do território nacional, e suaocupação e utilização serão reguladas em lei.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 21. Compete à União: I - manter relações com Estados estrangeiros e participar deorganizações internacionais; II - declarar a guerra e celebrar a paz; III - assegurar a defesa nacional; daniel.sena@alfaonline.com.br
  34. 34. IV - permitir, nos casos previstos em lei complementar, que forçasestrangeiras transitem pelo território nacional ou nele permaneçamtemporariamente; V - decretar o estado de sítio, o estado de defesa e a intervençãofederal; VI - autorizar e fiscalizar a produção e o comércio de material bélico; VII - emitir moeda; VIII - administrar as reservas cambiais do País e fiscalizar asoperações de natureza financeira, especialmente as de crédito, câmbio ecapitalização, bem como as de seguros e de previdência privada; IX - elaborar e executar planos nacionais e regionais de ordenaçãodo território e de desenvolvimento econômico e social; X - manter o serviço postal e o correio aéreo nacional; XI - explorar, diretamente ou mediante autorização, concessão oupermissão, os serviços de telecomunicações, nos termos da lei, quedisporá sobre a organização dos serviços, a criação de um órgãoregulador e outros aspectos institucionais; (Redação dada pela EmendaConstitucional nº 8, de 15/08/95:) XII - explorar, diretamente ou mediante autorização, concessão oupermissão: a) os serviços de radiodifusão sonora, e de sons e imagens;(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 8, de 15/08/95:) b) os serviços e instalações de energia elétrica e o aproveitamentoenergético dos cursos de água, em articulação com os Estados onde sesituam os potenciais hidroenergéticos; c) a navegação aérea, aeroespacial e a infra-estrutura aeroportuária; d) os serviços de transporte ferroviário e aquaviário entre portosbrasileiros e fronteiras nacionais, ou que transponham os limites deEstado ou Território; e) os serviços de transporte rodoviário interestadual e internacionalde passageiros; f) os portos marítimos, fluviais e lacustres; XIII - organizar e manter o Poder Judiciário, o Ministério Público e aDefensoria Pública do Distrito Federal e dos Territórios; XIV - organizar e manter a polícia civil, a polícia militar e o corpo debombeiros militar do Distrito Federal, bem como prestar assistênciafinanceira ao Distrito Federal para a execução de serviços públicos, por daniel.sena@alfaonline.com.br
  35. 35. meio de fundo próprio; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19,de 1998) XV - organizar e manter os serviços oficiais de estatística, geografia,geologia e cartografia de âmbito nacional; XVI - exercer a classificação, para efeito indicativo, de diversõespúblicas e de programas de rádio e televisão; XVII - conceder anistia; XVIII - planejar e promover a defesa permanente contra ascalamidades públicas, especialmente as secas e as inundações; XIX - instituir sistema nacional de gerenciamento de recursoshídricos e definir critérios de outorga de direitos de seu uso; XX - instituir diretrizes para o desenvolvimento urbano, inclusivehabitação, saneamento básico e transportes urbanos; XXI - estabelecer princípios e diretrizes para o sistema nacional deviação; XXII - executar os serviços de polícia marítima, aeroportuária e defronteiras; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998) XXIII - explorar os serviços e instalações nucleares de qualquernatureza e exercer monopólio estatal sobre a pesquisa, a lavra, oenriquecimento e reprocessamento, a industrialização e o comércio deminérios nucleares e seus derivados, atendidos os seguintes princípios econdições: a) toda atividade nuclear em território nacional somente seráadmitida para fins pacíficos e mediante aprovação do CongressoNacional; b) sob regime de permissão, são autorizadas a comercialização e autilização de radioisótopos para a pesquisa e usos médicos, agrícolas eindustriais; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 49, de 2006) c) sob regime de permissão, são autorizadas a produção,comercialização e utilização de radioisótopos de meia-vida igual ouinferior a duas horas; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 49,de 2006) d) a responsabilidade civil por danos nucleares independe daexistência de culpa; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 49, de2006) XXIV - organizar, manter e executar a inspeção do trabalho; XXV - estabelecer as áreas e as condições para o exercício daatividade de garimpagem, em forma associativa. daniel.sena@alfaonline.com.br
  36. 36. ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 22. Compete privativamente à União legislar sobre: I - direito civil, comercial, penal, processual, eleitoral, agrário,marítimo, aeronáutico, espacial e do trabalho; II - desapropriação; III - requisições civis e militares, em caso de iminente perigo e emtempo de guerra; IV - águas, energia, informática, telecomunicações e radiodifusão; V - serviço postal; VI - sistema monetário e de medidas, títulos e garantias dos metais; VII - política de crédito, câmbio, seguros e transferência de valores; VIII - comércio exterior e interestadual; IX - diretrizes da política nacional de transportes; X - regime dos portos, navegação lacustre, fluvial, marítima, aérea eaeroespacial; XI - trânsito e transporte; XII - jazidas, minas, outros recursos minerais e metalurgia; XIII - nacionalidade, cidadania e naturalização; XIV - populações indígenas; XV - emigração e imigração, entrada, extradição e expulsão deestrangeiros; XVI - organização do sistema nacional de emprego e condições parao exercício de profissões; daniel.sena@alfaonline.com.br
  37. 37. XVII - organização judiciária, do Ministério Público e da DefensoriaPública do Distrito Federal e dos Territórios, bem como organizaçãoadministrativa destes; XVIII - sistema estatístico, sistema cartográfico e de geologianacionais; XIX - sistemas de poupança, captação e garantia da poupançapopular; XX - sistemas de consórcios e sorteios; XXI - normas gerais de organização, efetivos, material bélico,garantias, convocação e mobilização das polícias militares e corpos debombeiros militares; XXII - competência da polícia federal e das polícias rodoviária eferroviária federais; XXIII - seguridade social; XXIV - diretrizes e bases da educação nacional; XXV - registros públicos; XXVI - atividades nucleares de qualquer natureza; XXVII – normas gerais de licitação e contratação, em todas asmodalidades, para as administrações públicas diretas, autárquicas efundacionais da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, obedecidoo disposto no art. 37, XXI, e para as empresas públicas e sociedades deeconomia mista, nos termos do art. 173, § 1°, III; (Redação dada pelaEmenda Constitucional nº 19, de 1998) XXVIII - defesa territorial, defesa aeroespacial, defesa marítima,defesa civil e mobilização nacional; XXIX - propaganda comercial. Parágrafo único. Lei complementar poderá autorizar os Estados alegislar sobre questões específicas das matérias relacionadas nesteartigo.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Art. 23. É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federale dos Municípios: daniel.sena@alfaonline.com.br
  38. 38. I - zelar pela guarda da Constituição, das leis e das instituiçõesdemocráticas e conservar o patrimônio público; II - cuidar da saúde e assistência pública, da proteção e garantia daspessoas portadoras de deficiência; III - proteger os documentos, as obras e outros bens de valorhistórico, artístico e cultural, os monumentos, as paisagens naturaisnotáveis e os sítios arqueológicos; IV - impedir a evasão, a destruição e a descaracterização de obras dearte e de outros bens de valor histórico, artístico ou cultural; V - proporcionar os meios de acesso à cultura, à educação e àciência; VI - proteger o meio ambiente e combater a poluição em qualquer desuas formas; VII - preservar as florestas, a fauna e a flora; VIII - fomentar a produção agropecuária e organizar o abastecimentoalimentar; IX - promover programas de construção de moradias e a melhoriadas condições habitacionais e de saneamento básico; X - combater as causas da pobreza e os fatores de marginalização,promovendo a integração social dos setores desfavorecidos; XI - registrar, acompanhar e fiscalizar as concessões de direitos depesquisa e exploração de recursos hídricos e minerais em seusterritórios; XII - estabelecer e implantar política de educação para a segurançado trânsito. Parágrafo único. Leis complementares fixarão normas para acooperação entre a União e os Estados, o Distrito Federal e osMunicípios, tendo em vista o equilíbrio do desenvolvimento e do bem-estar em âmbito nacional. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº53, de 2006)________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislarconcorrentemente sobre: daniel.sena@alfaonline.com.br
  39. 39. I - direito tributário, financeiro, penitenciário, econômico eurbanístico; II - orçamento; III - juntas comerciais; IV - custas dos serviços forenses; V - produção e consumo; VI - florestas, caça, pesca, fauna, conservação da natureza, defesa dosolo e dos recursos naturais, proteção do meio ambiente e controle dapoluição; VII - proteção ao patrimônio histórico, cultural, artístico, turístico epaisagístico; VIII - responsabilidade por dano ao meio ambiente, ao consumidor, abens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico epaisagístico; IX - educação, cultura, ensino e desporto; X - criação, funcionamento e processo do juizado de pequenascausas; XI - procedimentos em matéria processual; XII - previdência social, proteção e defesa da saúde; XIII - assistência jurídica e Defensoria pública; XIV - proteção e integração social das pessoas portadoras dedeficiência; XV - proteção à infância e à juventude; XVI - organização, garantias, direitos e deveres das polícias civis. § 1º - No âmbito da legislação concorrente, a competência da Uniãolimitar-se-á a estabelecer normas gerais. § 2º - A competência da União para legislar sobre normas gerais nãoexclui a competência suplementar dos Estados. § 3º - Inexistindo lei federal sobre normas gerais, os Estadosexercerão a competência legislativa plena, para atender a suaspeculiaridades. § 4º - A superveniência de lei federal sobre normas gerais suspendea eficácia da lei estadual, no que lhe for contrário.________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ daniel.sena@alfaonline.com.br
  40. 40. ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ CAPÍTULO III DOS ESTADOS FEDERADOS Art. 25. Os Estados organizam-se e regem-se pelas Constituições eleis que adotarem, observados os princípios desta Constituição. § 1º - São reservadas aos Estados as competências que não lhessejam vedadas por esta Constituição. § 2º - Cabe aos Estados explorar diretamente, ou medianteconcessão, os serviços locais de gás canalizado, na forma da lei, vedadaa edição de medida provisória para a sua regulamentação. (Redação dadapela Emenda Constitucional nº 5, de 1995) § 3º - Os Estados poderão, mediante lei complementar, instituirregiões metropolitanas, aglomerações urbanas e microrregiões,constituídas por agrupamentos de municípios limítrofes, para integrar aorganização, o planejamento e a execução de funções públicas deinteresse comum. Art. 26. Incluem-se entre os bens dos Estados: I - as águas superficiais ou subterrâneas, fluentes, emergentes e emdepósito, ressalvadas, neste caso, na forma da lei, as decorrentes deobras da União; II - as áreas, nas ilhas oceânicas e costeiras, que estiverem no seudomínio, excluídas aquelas sob domínio da União, Municípios outerceiros; III - as ilhas fluviais e lacustres não pertencentes à União; IV - as terras devolutas não compreendidas entre as da União. Art. 27. O número de Deputados à Assembléia Legislativacorresponderá ao triplo da representação do Estado na Câmara dosDeputados e, atingido o número de trinta e seis, será acrescido de tantosquantos forem os Deputados Federais acima de doze. § 1º - Será de quatro anos o mandato dos Deputados Estaduais,aplicando- sê-lhes as regras desta Constituição sobre sistema eleitoral,inviolabilidade, imunidades, remuneração, perda de mandato, licença,impedimentos e incorporação às Forças Armadas. § 2º O subsídio dos Deputados Estaduais será fixado por lei deiniciativa da Assembléia Legislativa, na razão de, no máximo, setenta ecinco por cento daquele estabelecido, em espécie, para os DeputadosFederais, observado o que dispõem os arts. 39, § 4º, 57, § 7º, 150, II, 153, daniel.sena@alfaonline.com.br

×