Your SlideShare is downloading. ×

Slides capitulo 1

5,877
views

Published on


0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,877
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
163
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Relatório Contábil Relatórios Contábeis É a exposição resumida e ordenada de dados colhidos Os Relatórios são elaborados de acordo com as pela Contabilidade. necessidades dos usuários. Relatórios Contábeis Demonstrações Contábeis Relatórios As Demonstrações Contábeis são o conjunto de Contábeis informações que devem ser obrigatoriamente divulgadas, anualmente, segundo a lei 6404/76, pela administração de uma sociedade por ações (SA) e representa a sua prestação de contas para os sócios e acionistas A prestação anual de acionistas. Obrigatórios Não Obrigatórios contas é composta pelo Relatório da Administração, as Demonstrações Contábeis e as Notas Explicativas que as acompanham, o Parecer dos Auditores Independentes (caso houver). Demonstrações Contábeis ou Financeiras 1
  • 2. Demonstrações Contábeis Obrigatórias Demonstrações Contábeis Obrigatórias Art. 176 da Lei 6.404/76 Sociedades Anônimas Demonstrações Aberta Fechada Balanço Patrimonial X X Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Abertas Fechadas X Acumulados (DLPA) Demonstração das Mutações do Patrimônio X Líquido (DMPL) • Balanço Patrimonial Demonstração do Resultado do Exercício • Balanço Patrimonial X X • DMPL (DRE) • DLPA • DRE • DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) X X* • DFC • DFC * Demonstração do Valor Adicionado (DVA) X • DVA * Somente para Companhias Fechada com Patrimônio Líquido, na data do balanço, superior a R$ 2.000.000,00 * Somente para empresas com Patrimônio Líquido superior a R$ 2.000.000,00 Demonstrações Contábeis Obrigatórias Balanço Patrimonial Sociedades Limitadas O Balanço Patrimonial é a “mais importante” demonstração Comuns Sociedades de contábil que tem por objetivo evidenciar a situação ME e EPP Receita entre Grande Porte patrimonial da entidade em um dado momento R$ 2.400.000 e Receita superior a Receita até R$ 2.400.000 R$ 240.000.000 e Ativo até R$ 300.000.000 ou Ativo 240.000.000 R$ 240 000 000 superior a R$ 240 000 000 i 240.000.000 ATIVO PASSIVO • Balanço Patrimonial OBRIGAÇÕES • Balanço Patrimonial (Exigível) • DRE BENS • Nenhuma • DRE • DLPA + • DLPA • DFC DIREITOS PATRIMÔNIO LÍQUIDO (Não Exigível) Balanço Patrimonial Demonstração do Resultado do Exercício A Demonstração do Resultado do Exercício visa fornecer os resultados (lucro ou prejuízo) auferidos pela empresa em Balanço Patrimonial determinado exercício, diante do confronto das receitas e $$$$$$$$ ATIVO PASSIVO $$$ despesas apuradas segundo o regime de competência, os p p g g p , $ $ quais serão transferidos para contas do Patrimônio Aplicações $$$$$$$$ Origens $$$$$$$$ Líquido. Próprios e de Terceiros 2
  • 3. Demonstração do Resultado do Exercício Integração Balanço e DRE D.R.E DRE Receita Receitas de Vendas 100.000 (-) Despesa/Custo ( – ) Despesas (60.000) Capital de Terceiros (outras fontes) Lucro Líquido ( = ) Lucro 40.000 Balanço Patrimonial DRE Dividendos ATIVO PASSIVO Receitas de Vendas 60.000 ( – ) Despesas (100.000) Aplicacões de P. Líquido ( = ) Prejuízo (40.000) Recursos Investidores DLPA DLPA A Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados evidencia de maneira clara as movimentações do resultado PASSIVO 31.12.X2 31.12.X1 do período, bem como sua distribuição, ou seja, busca PATRIMÔNIO LÍQUIDO demonstrar toda a destinação ou aplicação do resultado ç p ç Capital Social p 600.000 500.000 do período. Reservas 22.000 20.000 Lucros Acumulados 84.000 50.000 DLPA DMPL A Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido DRE evidencia a movimentação de todas as contas do Receitas 100.000 DLPA Patrimônio Líquido ocorrida no exercício. ( – ) Despesas (60.000) Saldo Inicial 50.000 ( = ) Lucro 40.000 ( + ) Lucro do Exercício 40.000 É obrigatória para as Cias. Abertas. ( – ) Reservas (2.000) ( – ) Dividendos (4.000) ( = ) Saldo Final 84.000 3
  • 4. DMPL DMPL PASSIVO 31.12.X2 31.12.X1 Lucros Movimentação Capital Reservas Total Acum. PATRIMÔNIO LÍQUIDO Saldo Inicial 500.000 20.000 50.000 570.000 Capital Social 600.000 500.000 ( + ) Aumento Capital 100.000 100.000 Reservas 22.000 20.000 ( + ) Lucro Líquido 40.000 40.000 Lucros Acumulados 84.000 50.000 ( ± ) Reservas 2.000 (2.000) - 706.000 570.000 ( – ) Dividendos (4.000) (4.000) ( = ) Saldo Final 600.000 22.000 84.000 706.000 Inclusão da DLPA na DMPL Demonstração do Valor Adicionado A Demonstração do Valor Adicionado demonstra quanto de riqueza a empresa adicionou ao seu produto final e de que forma essa riqueza foi distribuída entre os vários fatores de p produção - empregados, acionistas, governo, financiadores ç p g g DMPL DLPA etc. Demonstração do Valor Adicionado Demonstração do Valor Adicionado DVA Valor Adicionado distribuído em 2004 – Petrobrás Receitas 100.000 ( – ) Insumos (60.000) ( = ) Valor Adicionado 40.000 Distribuição do Valor Adicionado Funcionários 10.000 Governo 8.000 Bancos 2.000 Acionistas 5.000 Retido 15.000 4
  • 5. Demonstração do Valor Adicionado Demonstração dos Fluxos de Caixa Valor Adicionado distribuído em 2008 - SANASA A Demonstração dos Fluxos de Caixa indica a origem de todo o dinheiro que entrou no Caixa, bem como a aplicação de todo o dinheiro que saiu do Caixa em determinado 22% 5% 4% Pessoal e Encargos p período. Impostos, Taxas e Contribuições No Brasil a Demonstração dos Fluxos de Caixa substituiu a 26% Juros e Aluguéis 43% Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos. JCP e Dividendos Lucros Retidos Demonstração dos Fluxos de Caixa Demonstração dos Fluxos de Caixa Demonstração dos Fluxos de Caixa Fluxos de Caixa da Atividade Operacional 10.000 31-Dez-X1 31-Dez-X2 Recebimento de Clientes 100.000 Pagamento a Fornecedores (50.000) ATIVO ATIVO Pagamento de Despesas (40.000) Disponibilidades 10.000 Disponibilidades 50.000 Fluxo de Caixa da Atividade de Investimento (40.000) •Caixa 1.000 •Caixa 2.000 Aquisição de Imobilizado (40.000) •Bancos 5.000 •Bancos 30.000 •Aplicações Financeiras 4.000 •Aplicações Financeiras 20.000 Fluxo de Caixa da Atividade de Financiamento 70.000 Captações de Empréstimos 80.000 Amortização de Empréstimos (10.000) Saldo Inicial 10.000 ( ± ) Variação 40.000 Saldo Final 50.000 Sociedades de Grande Porte Complementação Obrigações: Elaboração das demonstrações contábeis Auditoria independente Relatório da Administração Ativo superior a R$ 240 milhões Notas Explicativas Receita bruta anual Parecer dos Auditores superior a R$ 300 milhões Balanço Social 5
  • 6. Relatório da Administração Relatório da Administração Representa um necessário e importante complemento às Descrição dos negócios, produtos e serviços demonstrações contábeis publicadas pela empresa, em Conjuntura econômica termos de permitir o fornecimento de dados e Recursos Humanos informações adicionais que sejam úteis aos usuários em ç q j Investimentos seu julgamento e processo de tomada de decisões. Pesquisa e Desenvolvimento Novos Produtos e Serviços Proteção ao Meio Ambiente Perspectivas e Planos Notas Explicativas Notas Explicativas Visa ao completo esclarecimento das Critérios de avaliação dos elementos patrimoniais demonstrações contábeis. A utilização Investimentos em outras companhias de notas auxilia também a estética do Obrigações de longo prazo balanço, tornando-o mais “limpo”, pois p ç p Composição do capital social pode-se fazer constar dele determinada Eventos subsequentes conta pelo seu total, com os detalhes necessários expostos através de uma nota explicativa. Auditoria Independente Parecer dos Auditores No Brasil a Lei das Sociedades por Ações (Lei nº 6.404 de É o documento por meio do qual o auditor expressa sua 15/12/1976, sendo alterada em parte pela Lei nº 11.638 de opinião informando se as Demonstrações Contábeis foram 28/12/2007), determina que as demonstrações contábeis feitas de acordo com as práticas contábeis brasileiras sejam auditadas por auditores independentes registrados j p p g na CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Normas específicas também exigem que as instituições subordinadas ao Banco Central do Brasil, à Superintendência de Seguros Privados e outras também tenham suas demonstrações contábeis auditadas 6
  • 7. Parecer dos Auditores Parágrafos de um Parecer As Companhias Abertas, 1.º) Identificação das demonstrações contábeis e definição Instituições Financeiras, da responsabilidade dos administradores Sociedades Seguradoras e 2.º) Extensão dos trabalhos de Previdências Privada 3.º) Opinião b 3 º) O i iã sobre as D Demonstrações C táb i t õ Contábeis estão obrigadas a publicar as Demonstrações com o Parecer da Auditoria Parecer sem Ressalva (Parte 1) Parecer sem Ressalva (Parte 2) 1. Examinamos os balanços patrimoniais da Entidade X em 2. Nossos exames foram conduzidos de acordo com as normas de auditoria aplicáveis no Brasil e compreenderam: 31 de dezembro de 20X2 e 20X1, e as respectivas a) o planejamento dos trabalhos, considerando a relevância demonstrações do resultado, das mutações do dos saldos, o volume de transações e o sistema contábil e de patrimônio líquido, dos fluxos de caixa e do valor controles i t t l internos d E tid d b) a constatação, com b da Entidade; t t ã base adicionado, correspondentes aos exercícios findos naquelas em testes, das evidências e dos registros que suportam os datas, elaborados sob a responsabilidade de sua valores e as informações contábeis divulgadas; e c) a administração. Nossa responsabilidade é a de expressar avaliação das práticas e das estimativas contábeis mais uma opinião sobre essas demonstrações contábeis. representativas adotadas pela administração da Entidade, bem como da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Parecer sem Ressalva (Parte 3) Tipos de Pareceres 3. Em nossa opinião, as demonstrações contábeis acima referidas representam adequadamente em todos os Parecer sem Ressalva (limpo) aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira de da Entidade X em 31 de dezembro de 20X2 e de 20X1, o Parecer com Ressalva resultado de suas operações, as mutações de seu patrimônio líquido, os seus fluxos de caixa e os valores Parecer Adverso adicionados nas operações referentes aos exercícios findos naquelas datas, de acordo com as práticas contábeis Negativa de Parecer adotadas no Brasil. 7
  • 8. Parecer sem Ressalva Parecer com Ressalva “Tudo está em Ordem” “Existem algumas coisas que não correspondem à verdade” “Em nossa opinião, as demonstrações contábeis acima referidas representam adequadamente em “Em nossa opinião, exceto pela falta de divulgação todos os aspectos relevantes (...)” da informação mencionada no parágrafo anterior, as demonstrações contábeis acima referidas representam adequadamente em todos os aspectos relevantes (...)” Parecer Adverso Negativa de Parecer “Tudo está errado ou a maioria está em desacordo “Não é possível concluir-se pelo certo e nem pelo com a realidade” errado” “Em nossa opinião, devido à relevância dos efeitos p , “Devido à relevância do assunto mencionado no do assunto comentado no parágrafo anterior, as parágrafo anterior, a extensão de nosso exame não demonstrações contábeis acima referidas não foi suficiente para nos possibilitar emitir, e por isso representam adequadamente em todos os não emitimos opinião sobre as demonstrações aspectos relevantes (...)” contábeis referidas no parágrafo 1” Maiores Empresas de Auditoria do Mundo Rodízios de Empresas de Auditoria Instrução CVM 308 de 14 de maio de 1999 Art. 31. O Auditor Independente – Pessoa Física e o Auditor Independente – Pessoa Jurídica não podem prestar serviços para um mesmo cliente, por prazo superior a cinco anos consecutivos, contados a partir da data desta Instrução, exigindo-se um intervalo mínimo de três anos para a sua recontratação. 8
  • 9. Rodízios de Empresas de Auditoria Período de Apresentação Deliberação CVM 549 de 10 de setembro de 2008 “(...) facultar que as companhias abertas não substituam EXERCÍCIO SOCIAL (Período Contábil) seus atuais auditores independentes até a data de emissão do parecer de auditoria para as demonstrações 12 meses financeiras relativas ao exercício social a se encerrar em 2011 (...)” 01 - JAN 31 - DEZ Requisitos para Publicação Requisitos para Publicação Cia. Moreira Dados Fundamentais para Publicação: Balanços Patrimoniais em 31/12/X2 e 31/12/X1 Em R$ mil Denominação da Empresa Ativo 31.12.X2 31.12.X1 Passivo 31.12.X2 31.12.X1 Caixa Contas Título da demonstração (BP, DRE....) Data do exercício social Estoques Impostos Valores do exercício referência e anterior Móveis Capital Moeda e representação (mil, milhões...) Assinatura dos Administradores Assinatura do Contabilista legalmente habilitado Diretor Contador Eliminação de 3 Dígitos Eliminação de 6 Dígitos Em R$ Em R$ Ano 2004 Ano 2003 Ano 2004 Ano 2003 537.951.355.415 276.580.182.450 537.951.355.415 276.580.182.450 537.951.355.415 276.580.182.450 537.951.355.415 276.580.182.450 Em R$ mil Em R$ milhões Ano 2004 Ano 2003 Ano 2004 Ano 2003 537.951.355 276.580.182 537.951 276.580 9
  • 10. Publicação das Demonstrações Publicação das Demonstrações As publicações legais de uma S/A cuja sede é, por exemplo, Publicação no Estado de São Paulo, deverão ser feitas: No Diário Oficial do Estado de São Paulo, e Em outro jornal de grande circulação editado na Diário localidade em que está situada a sede da companhia. Oficial Outro Jornal de Grande Circulação Publicação das Demonstrações Prazo para Publicação Entende-se por “jornal” o que se publica, no mínimo, As Demonstrações Contábeis deverão ser publicados até cinco dias na semana, a exemplo do próprio Diário Oficial do 5 dias antes da Assembléia Geral Ordinária (art. 133 § 3º Estado de São Paulo que tem cinco publicações semanais. da Lei 6.404/76) E por “grande circulação” entende-se o jornal cuja distribuição é feita na localidade em que é editado de forma regular e de fácil acesso aos acionistas. Balanço Social Balanço Social É um demonstrativo publicado anualmente pela empresa No balanço social a empresa mostra o que faz por seus reunindo um conjunto de informações sobre os projetos, profissionais, dependentes, colaboradores e benefícios e ações sociais dirigidas aos empregados, comunidade, dando transparência às atividades que investidores, investidores analistas de mercado acionistas e à mercado, buscam melhorar a qualidade de vida para todos Ou seja todos. seja, comunidade. sua função principal é tornar pública a responsabilidade social empresarial, construindo maiores vínculos entre a empresa, a sociedade e o meio ambiente. 10
  • 11. Selo IBASE Empresas que receberam o Selo IBASE É conferido anualmente a todas as empresas que publicam o balanço social. Através deste Selo as empresas podem mostrar - em seus anúncios, embalagens, balanço social, sites e campanhas p p publicitárias - q que investem em educação, saúde, cultura, esportes e meio ambiente. 11