APOSTILA


  GESTÃO
ESTRATÉGICA
DE CUSTOS
   1ª PARTE
1- INTRODUÇÃO

Supondo que você pretendesse ter o seu próprio negócio, ou que fosse contratado como gerente geral ou
admin...
final encontrado, representará o C.M.V. (Custo das Mercadorias Vendidas). Em resumo, o valor do custo das vendas
é encontr...
2.3- MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES

    •   UEPS: Último a entrar é o primeiro a sair.
           – A adoção do UEPS n...
EXERCÍCIO 1
1- No dia 1 a empresa comprou 30 unidades de matéria-prima, conf. NF 187, no valor de R$ 15.000,00
2- No dia 1...
CUSTO MÉDIO   ENTRADAS                 SAÍDAS                SALDO
              Quant    Custo   Custo   Quant Custo   Cu...
3- TERMINOLOGIA CONTÁBIL

DESEMBOLSO:Saídas de dinheiro do caixa ou das contas bancárias da empresa. Exemplo: Ex.: Na comp...
4- CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS

4.1- EM RELAÇÃO À APROPRIAÇÃO AO BEM PRODUZIDO OU AO SERVIÇO PRESTADO




                   ...
Quando não é possível identificar onde ou quanto foi consumido um gasto para elaboração de um bem ou prestação
de serviços...
EXEMPLO CÁLCULO CUSTO TOTAL
                               Custos Diretos
Gastos                     Produto A Produto B P...
CÁLCULO DOS CUSTOS DIRETOS E INDIRETOS
           GASTOS           PRODUTO A PRODUTO B PRODUTO C TOTAL
      CUSTOS DIRETO...
2- a Empresa Rubi produz 2 produtos A e B, cujo volume de produção e de vendas é de cerca de 12.000 unidades do
produto A ...
Custos Indiretos de Fabricação (CIF) (em R$)

Supervisão da Produção......................................    3.600
Deprec...
b) Custo Unitário de cada produto:
      Sabão em pó:
      Sabão Líquido:

4.1.3- DEPARTAMENTALIZAÇÃO

Porque departament...
130           100           100              70              50            450
 Aluguel da fábrica
      SOMA             ...
16
a) Custo total de cada produto:



                                  17
CUSTOS DIRETOS        CUSTOS INDIRETOS DE         CUSTOS TOTAIS
                                                          ...
Material de consumo escritório         $ 25.000,00

Frete venda                            $ 15.000,00

                  ...
SOMA

                                Produto ALFA              Produto BETA               Total
CUSTOS DIRETOS
  Materia-...
Dos custos dos departamento auxiliares a serem distribuidos o primeiro é depto de compras, depois o depto de RH e
Almoxari...
APOSTILA


  GESTÃO
ESTRATÉGICA
DE CUSTOS
              22
2ª PARTE




4-CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS
4.2-QUANTO AO VOLUME DE PRODUÇÃO

4.2.1- Custo Fixo - Custos Fixos são aqueles cuj...
OUTROS EXEMPLOS: : Matéria-prima consumida, materiais secundários, etc.




Classifique os seguintes Custos em Fixos ou Va...
5- CUSTOS PARA PLANEJAMENTO E DECISÃO




                                        25
CUSTO-VOLUME VOLUME-LUCRO LUCRO
Técnica que permite estudar os interrelacionamentos entre Custos, Volume ou Nível de Ativi...
Uma é para fabricar 200 carrinhos de chá, ao preço de venda unitário de $ 550; a outra é para 110 estantes ao preço
de ven...
5.2- PONTO DE EQUILÍBRIO
Para alcançar o equilíbrio nas linhas de produção e/ou no serviço do departamento, deverá ser cal...
Exercícios:
2) Continuação...Calcular o ponto de equilíbrio em unidade e valor (do exercício 2):




5.3- PREÇO DE VENDA

...
CÁLCULO DO PREÇO DE VENDA
Preço de Venda =        Custo Unitário     .
                 100% - (%DV + %DF + %ML) *
* Fator...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Apostila gestão estratégica de custos

14,706

Published on

Apostila gestão estratégica de custos

  1. 1. APOSTILA GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS 1ª PARTE
  2. 2. 1- INTRODUÇÃO Supondo que você pretendesse ter o seu próprio negócio, ou que fosse contratado como gerente geral ou administrador de uma empresa. Assim como diversos empresários, você com certeza também teria as seguintes questões: A Qual produto ou serviço prestado pela empresa é o mais lucrativo ? Pode-se eliminar algum produto ou serviço deficitário ? Como formar o preço de venda? Qual o custo dos produtos fabricados ou serviços Qual a relação entre custo e preço? prestados pela empresa ? Como identificar e eliminar os desperdícios ? PREÇO = CUSTO + LUCRO Qual o desempenho (resultado) de cada departamento ? Deve-se terceirizar parte do processo ? Como formar o preço de venda ? qualidade das decisões tomadas pelo empresário impacta diretamente na lucratividade de uma empresa, o que garante a sua sobrevivência no meio empresarial. 1.1- CUSTOS, DESPESAS E INVESTIMENTOS Custos: valores gastos diretamente na aquisição/elaboração do produto e/ou na execução de serviços. Despesas: valores gastos na comercialização de produtos/serviços e administração das atividades empresariais. Investimentos: valores aplicados na aquisição de bens utilizados nas atividades operacionais por vários períodos. 1.2- CUSTOS DE: MERCADORIAS, PRODUTOS E SERVIÇOS • Controle e apuração por unidade. • Ganhar na compra e na produtividade. • Acompanhamento e análise dos valores.  Considerar todos os valores: EMPRESA COMERCIAL INDÚSTRIA Custo = $ aquisição Custo = $ produção - Indústria: materiais, insumos, mão-de-obra (CPV); ( $ estoque) ( $ transformação) - Comércio: valor de aquisição das mercadorias (CMV); - Serviços: mão-de-obra, material aplicado (CSP). 2- CONTROLE DOS ESTOQUES: PERIÓDICO x PERMANENTE 2.1- CONTROLE PERMANENTE Dentro deste sistema a empresa mantém um controle de maneira contínua sobre as entradas e saídas de mercadorias (em quantidade e valores) de forma que em qualquer momento pode dispor da posição atualizada dos estoques e do custo das mercadorias vendidas (C.M.V.), além de informações básicas para o planejamento de compras, de forma a evitar que haja faltas no estoque ou compras em excesso, bem como acompanhar a evolução dos resultados no decorrer do exercício. Os métodos de avaliação dos estoques veremos, em detalhes, posteriormente. 2.2- CONTROLE PERIÓDICO Por este sistema a empresa registra todas as suas compras durante o exercício em uma conta acumulativa, não apurando ou contabilizando o custo das mercadorias vendidas (C.M.V.) após cada venda. No final de cada exercício é feito um inventário físico para apuração do estoque final e, o estoque inicial somado às compras, menos o estoque 2
  3. 3. final encontrado, representará o C.M.V. (Custo das Mercadorias Vendidas). Em resumo, o valor do custo das vendas é encontrado pela seguinte fórmula: CMV: Custo das Mercadorias Vendidas EI: Estoque Inicial C: Compras CMV = EI + C – EF EF: Estoque Final Exemplo: EI= 100,00 CMV = EI + C – EF C= 1400,00 CMV= 100,00 + 1400,00 – 500,00 EF= 500,00 CMV= 1000,00 Venda = 1800,00 1800,00 – 1000,00 Lucro = Venda – Custo Lucro = 800,00 2.2.1- FATOS QUE ALTERAM O VALOR DAS COMPRAS: Despesas Acessórias: entendemos os valores dos fretes e dos seguros, quando correm por conta do destinatário (Comprador). Descontos ou abatimentos incondicionais: são parcelas redutoras do preço de compra, quando constam da própria nota fiscal de compra e não dependem, para sua concessão de eventos posteriores à emissão desses documentos. Portanto havendo esses descontos, o valor dos materiais já constará do total da nota fiscal deduzido desses descontos, motivo pelo qual o registro dos mesmos é desnecessário. Devoluções de compras ou compras anuladas: corresponde a anulação de valores registrados como compras. Uma vez efetuada a compra, poderá ocorrer a sua anulação total ou parcial, por motivos variados, como: materiais recebidos de qualidade inferior ao adquirido; quebra ou danos no transporte, ou qualquer outro motivo desconhecido no momento da compra. EXERCÍCIOS: CONTROLE PERIÓDICO 1- A empresa apresenta compras líquidas de $ 6.000; estoque inicial de $ 10.000 e estoque final de $ 3.000. Qual é o Custo das Mercadorias Vendidas? 2- Agora a empresa apresenta compras líquidas de $ 5.000; estoque inicial de $ 12.000 e o Custo das Mercadorias Vendidas de $ 7.000. Qual é o estoque final? 3- Nesse mês a empresa apresenta Custo das Mercadorias Vendidas de $ 6.000; estoque final de $ 4.000 e estoque inicial de $ 9.000. Qual foi a compra líquida do período? 4- Finalmente a empresa apresenta uma compra líquida de $ 4.000; estoque final de $ 6.000 e custo das mercadorias vendidas de $ 8.000. Qual é o estoque inicial? 5- A empresa apresenta compras líquidas de $ 4.500, frete líquido sobre compras de $ 150, estoque inicial de $ 1.000 e estoque final de $ 2.050. Qual o custo das mercadorias vendidas? 6- A empresa apresenta compras líquidas de $ 5.100, frete líquido sobre compras de $ 250, Seguro de compras de $ 75; estoque inicial de $ 2.000 e estoque final de $ 1.375. Qual o custo das mercadorias vendidas? 3
  4. 4. 2.3- MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES • UEPS: Último a entrar é o primeiro a sair. – A adoção do UEPS não é permitida pela legislação do imposto de renda, devido a redução no lucro que o método provoca. • PEPS: Primeiro a entrar é o primeiro a sair. • MÉDIA PONDERADA ou CUSTO MÉDIO: A cada aquisição é calculado o custo médio do estoque. Descrição Consumo Estoque Lucro UEPS Alto Baixo Baixo PEPS Baixo Alto Alto MÉDIA Média Média Média EXERCÍCIO: MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES: PEPS HISTORICO ENTRADAS SAÍDAS SALDO Quant Custo Custo Quant Custo Custo Quant Custo Custo Unit Total Unit Total Unit Total Compra conf. NF 182 100 90,00 9.000,00 100 90,00 9.000,00 Compra conf. NF 195 100 100,00 10.000,00 Compra conf. NF 176 100 110,00 11.000,00 EXERCÍCIO: MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES: UEPS HISTORICO ENTRADAS SAÍDAS SALDO Quant Custo Custo Quant Custo Custo Quant Custo Custo Unit Total Unit Total Unit Total Compra conf. NF 182 100 90,00 9.000,00 100 90,00 9.000,00 Compra conf. NF 195 100 100,00 10.000,00 Compra conf. NF 176 100 110,00 11.000,00 EXERCÍCIO: MÉTODOS DE AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES: CM HISTORICO ENTRADAS SAÍDAS SALDO Quant Custo Custo Quant Custo Custo Quant Custo Custo Unit Total Unit Total Unit Total Compra conf. NF 182 100 90,00 9.000,00 100 90,00 9.000,00 Compra conf. NF 195 100 100,00 10.000,00 Compra conf. NF 176 100 110,00 11.000,00 4
  5. 5. EXERCÍCIO 1 1- No dia 1 a empresa comprou 30 unidades de matéria-prima, conf. NF 187, no valor de R$ 15.000,00 2- No dia 10 a empresa comprou 20 unidades de matéria-prima, conf. NF 192, no valor de R$ 10.400,00 3- No dia 12 foram transferidas para produção 40 unidades da referida matéria-prima, conf. Requisição nº 1 PEPS ENTRADAS SAÍDAS SALDO Quant Custo Custo Quant Custo Custo Quant Custo Custo HISTORICO Unit Total Unit Total Unit Total UEPS ENTRADAS SAÍDAS SALDO Quant Custo Custo Quant Custo Custo Quant Custo Custo HISTORICO Unit Total Unit Total Unit Total CUSTO MÉDIO ENTRADAS SAÍDAS SALDO Quant Custo Custo Quant Custo Custo Quant Custo Custo HISTORICO Unit Total Unit Total Unit Total EXERCÍCIO 2 1- No dia 1 a empresa comprou 500 unidades de matéria-prima, conf. NF 183, no valor de R$ 55.000,00 2- No dia 10 a empresa comprou 200 unidades de matéria-prima, conf. NF 191, no valor de R$ 22.400,00 3- No dia 12 foram transferidas para produção 400 unidades da referida matéria-prima, conf. Requisição nº 1 4- No dia 15 a empresa comprou 300 unidades de matéria-prima, conf. NF 197, no valor de R$ 34.500,00 5- No dia 18 foram transferidas para produção 300 unidades da referida matéria-prima, conf. Requisição nº 2 Adotando o critério CUSTO MÉDIO: a) Qual o valor das matérias-primas transferidas para a produção? b) Qual o valor dos estoques remanescentes? EXERCÍCIO 3 1- No dia 1 a empresa comprou 20 unidades de matéria-prima, conf. NF 175, no valor de R$ 4.000,00 2- No dia 10 a empresa comprou 30 unidades de matéria-prima, conf. NF 179, no valor de R$ 6.090,00 3- No dia 12 foram transferidas para produção 40 unidades da referida matéria-prima, conf. Requisição nº 1 4- No dia 15 a empresa comprou 50 unidades de matéria-prima, conf. NF 188, no valor de R$ 10.250,00 5- No dia 18 foram transferidas para produção 20 unidades da referida matéria-prima, conf. Requisição nº 2 Adotando o critério CUSTO MÉDIO: a) Qual o valor das matérias-primas transferidas para a produção? b) Qual o valor dos estoques remanescentes? 5
  6. 6. CUSTO MÉDIO ENTRADAS SAÍDAS SALDO Quant Custo Custo Quant Custo Custo Quant Custo Custo HISTORICO Unit Total Unit Total Unit Total CUSTO MÉDIO ENTRADAS SAÍDAS SALDO Quant Custo Custo Quant Custo Custo Quant Custo Custo HISTORICO Unit Total Unit Total Unit Total 6
  7. 7. 3- TERMINOLOGIA CONTÁBIL DESEMBOLSO:Saídas de dinheiro do caixa ou das contas bancárias da empresa. Exemplo: Ex.: Na compra a prazo, o gasto gasto ocorre imediatamente, mas o desembolso só ocorrer ocorrerá no pagamento. GASTOS: Sacrifício financeiro que a empresa arca/suporta para obter um bem ou serviço qualquer. Gasto implica em desembolso, mas são critérios distintos. Exemplo: gastos com matéria-prima consumida no processo produtivo, gasto com energia elétrica, etc. CUSTOS: Gastos relativo a bens ou serviços CONSUMIDOS na produção de outros bens ou serviços. Exemplo: matéria-prima, mão-de-obra e outros insumos consumidos para fabricar outro bem ou produto. DESPESAS: Gastos relativo a bens ou serviços CONSUMIDOS no processo de geração de RECEITA. Exemplo: gastos com Salários do Administrador, Despesas Administrativas, Despesas com Vendas, etc. 3.1- Classifique em Ativo (A), Custos (C), Despesas (D), Perdas (P) ou Desembolso (Db). Compra a vista de um computador ___ Compra a prazo de matérias-primas ___ Transferência de matérias primas do almoxarifado para a produção ___ Pagamento Comissões sobre Vendas ___ Impostos sobre as vendas ___ Salários do pessoal dos depto produtivos ___ Depreciação dos equipamentos - depto produtivos ___ Danificação de matérias-primas em função de incêndio ___ Salários do pessoal administrativo ___ Pagamento de duplicatas ___ Honorários da Diretoria ___ Depreciação dos computadores da administração ___ 7
  8. 8. 4- CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS 4.1- EM RELAÇÃO À APROPRIAÇÃO AO BEM PRODUZIDO OU AO SERVIÇO PRESTADO 4.1.1. Os principais CUSTOS DIRETOS, compõem-se de materiais e mão-de-obra MATERIAIS: matérias-primas, materiais de embalagem, componentes e outros materiais necessários à produção, ao acabamento e à apresentação final do produto. Exemplo: numa editora ou gráfica: os materiais diretos são, o papel e as tintas. Num hospital o medicamento e o material médico são apropriados diretamente a um serviço ou procedimento médico. MÃO-DE-OBRA DIRETA: trata-se do trabalho aplicado diretamente na confecção de um produto ou na prestação de um serviço. Sabendo-se quanto tempo cada funcionário trabalhou na elaboração do produto ou na prestação do serviço e o preço da mão-de-obra, é possível apropriá-la diretamente ao produto. Exemplo: Quantidade de horas aplicadas na elaboração de um produto ou consumidas para prestar um serviço: 30 horas. Salário por hora: $ 42,00 CUSTO COM MÃO-DE-OBRA DIRETA: $ 1.260,00 4.1.2. 8
  9. 9. Quando não é possível identificar onde ou quanto foi consumido um gasto para elaboração de um bem ou prestação de serviços, temos a figura do CUSTO INDIRETO. Para apropriá-lo a um bem produzido ou serviço prestado é necessário algum critério de rateio. MATERIAIS INDIRETOS: materiais empregados nas atividades auxiliares de produção. Exemplo: graxas, lubrificantes, lixas, parafusos de pequeno valor. MÃO-DE-OBRA INDIRETA: representa o trabalho executado em que não é possível relacioná-lo diretamente ou quantificar o valor consumido para a produção de um bem ou prestação de um serviço. Exemplo: Salário do Supervisor de uma indústria. Salário da enfermeira-chefe de uma ala de hospital (atendimento de vários pacientes). Salário de um gerente de Auditoria. OUTROS CUSTOS INDIRETOS: aluguel, depreciação, seguros, gastos com limpeza, gastos com energia elétrica e água, etc. 4.1.2.1- 9
  10. 10. EXEMPLO CÁLCULO CUSTO TOTAL Custos Diretos Gastos Produto A Produto B Produto C Total Matéria-prima 32.000,00 34.960,00 26.400,00 93.360,00 Salários e Enc. Sociais 50.400,00 57.600,00 36.000,00 144.000,00 Outros Custos 12.000,00 14.400,00 10.560,00 36.960,00 94.400,00 106.960,00 72.960,00 274.320,00 CUSTOS INDIRETOS Gastos Valor Critério de rateio Aluguel 14.400,00 área ocupada Telefone 3.780,00 número de funcionários Outros Custos Indiretos 12.000,00 custos diretos 30.180,00 Dados estatísticos e de produção descrição Produto A Produto B Produto C Total área ocupada em m2 2.400 3.240 1.560 7.200 número de funcionários 96 114 42 252 10
  11. 11. CÁLCULO DOS CUSTOS DIRETOS E INDIRETOS GASTOS PRODUTO A PRODUTO B PRODUTO C TOTAL CUSTOS DIRETOS Matéria-prima 32.000,00 34.960,00 26.400,00 93.360,00 Salários e Enc. Sociais 50.400,00 57.600,00 36.000,00 144.000,00 Outros Custos 12.000,00 14.400,00 10.560,00 36.960,00 Sub total 94.400,00 106.960,00 72.960,00 274.320,00 CUSTOS INDIRETOS Aluguel 4.800,00 6.480,00 3.120,00 14.400,00 Telefone 1.440,00 1.710,00 630,00 3.780,00 Outros Custos Indiretos 4.129,48 4.678,92 3.191,60 12.000,00 Sub total 10.369,48 12.868,92 6.941,60 30.180,00 TOTAL 104.769,48 119.828,92 79.901,60 304.500,00 RATEIO DOS CUSTOS INDIRETOS EXERCÍCIOS: 1- A Indústria Asa Branca fabrica três produtos com os seguintes custos diretos, alocados aos produtos: Tendo custos indiretos de fabricação fixos (CIF Fixos) no montante de R$ 200.000,00 e havendo orientação do diretor da empresa para que o rateio dos custos fixos seja realizado com base no custo de mão-de-obra direta, o custo total por produto, em reais, será: ITENS PRODUTO A PRODUTO B PRODUTO C TOTAL CUSTOS DIRETOS CUSTOS INDIRETOS SOMA 11
  12. 12. 2- a Empresa Rubi produz 2 produtos A e B, cujo volume de produção e de vendas é de cerca de 12.000 unidades do produto A e 4.000 unidades do produto B, por período, e os custos indiretos de produção (CIP) totalizam $ 500.000. Em determinado período, foram registrados os seguintes custos diretos por unidade (em $): Produto A Produto B Material direto 20 25 Mão-de-obra direta 10 6 Pede-se calcular o valor dos Custos Indiretos de Produção (CIP) de cada produto, utilizando o custo de mão-de-obra direta como base de rateio. Produto A Produto B TOTAL Material direto Mão-de-obra direta CIF SOMA 3- Uma empresa em determinado período apresenta o seguinte quadro de gastos: CUSTOS DIRETOS CUSTOS TOTAL PROD. A PROD. B PROD. C INDIRETOS Materia-prima 75.000 135.000 140.000 - 350.000 Mão-de-obra 22.000 47.000 21.000 30.000 120.000 Energia Elétrica 18.000 20.000 7.000 40.000 85.000 Depreciação 60.000 60.000 Seguros 10.000 10.000 Materiais diversos 15.000 15.000 Manutenção 70.000 70.000 TOTAL 115.000 202.000 168.000 225.000 710.000 Do total do custo de produção $ 485.000 são diretos e $ 225.000 são indiretos. A empresa conhecendo o tempo DCE fabricação de cada produto, resolve fazer a apropriação do CIF com base na mão-de-obra direta, então temos: Produto A Produto B Produto C TOTAL CUSTOS DIRETOS CUSTOS INDIRETOS SOMA 4- A Industria Aniel produz sabão em pó e sabão líquido. Em determinado período produziu 20.000 caixas de sabão em pó e 16.000 frascos de sabão líquido, incorrendo os seguintes custos: PÓ LÍQUIDO Matéria-prima $2,00/kg 12.000kg 8.000kg Mão-de-obra direta $5,00/hora 6.000h 3.000h 12
  13. 13. Custos Indiretos de Fabricação (CIF) (em R$) Supervisão da Produção...................................... 3.600 Depreciação de Equipamentos de produção........ 12.000 Aluguel do galpão industrial................................ 4.500 Seguro dos equipamentos................................... 1.500 Energia elétrica consumida na produção.............. 2.400 Os CIF são apropriados aos produtos de acordo com o tempo de MOD empregada na produção de um e de outro, sabendo-se que são necessários 18 minutos para produzir uma caixa de sabão em pó e 11,25 minutos para produzir um frasco de sabão líquido. Pede-se: a) Elabora um quadro de apropriação de custos aos produtos; e b) Calcular o custo unitário de cada produto. MATÉRIA-PRIMA Produtos Volume de Produção Custo Unitário Total Sabão em Pó Sabão Líquido MÃO-DE-OBRA DIRETA Produtos Volume de Produção Custo Unitário Total Sabão em Pó Sabão Líquido a) Custo total de cada produto: Sabão em Pó Sabão Líquido Total CUSTOS DIRETOS Materia-prima Mão-de-obra direta CUSTOS INDIRETOS CUSTO TOTAL 13
  14. 14. b) Custo Unitário de cada produto: Sabão em pó: Sabão Líquido: 4.1.3- DEPARTAMENTALIZAÇÃO Porque departamentalizar? Do ponto de vista de gestão (direção e controle), a departamentalização serve para delegar responsabilidades e funções e facilitar o controle destas. Analisando pelo lado do custeio, a departamentalização serve para traduzir melhor o consumo dos recursos indiretos da empresa, ou seja, facilita o rastreamento de todos os gastos incorridos num determinado período. Consiste em dividir a fábrica em segmentos, chamados departamentos, aos quais são debitados todos os custos de produção neles incorridos. Existem dois grandes grupos: • DEPARTAMENTOS PRODUTIVOS, • DEPARTAMENTOS DE SERVIÇOS. DEPARTAMENTOS PRODUTIVOS - são aqueles que atuam sobre os produtos e tem seus custos apropriados diretamente a estes. Exemplos: Corte, Costura, Acabamento. SERVIÇOS - são aqueles que não atuam diretamente na produção e sua finalidade é prestar serviços aos Departamentos de Produção. Seus custos não são apropriados diretamente aos produtos, pois estes não transitam por eles, e sim são transferidos para os Departamentos de Produção através de rateio. Rateio dos Custos Comuns Custos comuns são aqueles custos indiretos que não são identificados especificamente com nenhum departamento ou centro de custo e, portanto, necessitam de rateio para serem alocados. Exemplo: alguns custos comuns e suas possíveis bases de rateio  Aluguel: m2.  Seguro Predial: m2 ou valor estimado.  Energia elétrica: potencial instalado (KW).  Telefone: no de pontos de uso. Esquema Básico de Contabilização com Departamentos 1o Passo: Separação dos gastos entre Custo e Despesa. 2o Passo: Apropriação dos Custos Diretos diretamente aos produtos. 3o Passo: Apropriação dos Custos Indiretos Próprios aos centros de custo, agrupando, à parte, os comuns. 4o Passo: Rateio dos Custos Indiretos Comuns aos diversos centros de custo, quer de Produção ou de Serviços. 5o Passo: Escolha da seqüência de rateio dos custos acumulados nos centros de custo de serviços e sua distribuição aos demais centros de custo. 6o Passo: Atribuição dos Custos Indiretos, que agora só estão nos Centros de Custo Produtivos, aos produtos segundo critérios de rateio adequados. MAPA DE APROPRIAÇÃO DOS CUSTOS INDIRETOS POR DEPARTAMENTOS PRODUTIVOS SERVIÇOS DEPTO DEPTO DEPTO DEPTO GERÊNCIA DE CUSTOS INDIRETOS TOTAL CORTE MONTAGEM ACABAMENTO MANUTENÇÃO PRODUÇÃO 250 200 150 100 300 1000 Mão de obra 120 80 100 60 40 400 Energia Elétrica 50 30 50 20 0 150 Manutenção Máq. 14
  15. 15. 130 100 100 70 50 450 Aluguel da fábrica SOMA 550 410 400 250 390 2000 Rateio da Gerencia 100 100 100 90 (390) --- de Prod. SOMA 650 510 500 340 --- 2000 Rateio da 120 100 120 (340) --- --- Manutenção TOTAL 770 610 620 --- --- 2000 Prod. A (60%) 462 366 372 --- --- 1200 Prod. B (40%) 308 244 248 --- --- 800 TOTAL 770 610 620 --- --- 2000 RATEIO DOS CUSTOS INDIRETOS POR DEPARTAMENTOS Exercícios: 1- A Empresa Nanca produz dois produtos, A e B, cuja produção no último período contábil foi de 4.000 e 1.000 unidades, respectivamente. Seus custos departamentais e o número de empregados foram os seguintes: Departamentos Custos Nº de empregados Gerencia Geral da Produção $ 1.050, 2 Manutenção $ 1.110, 4 Montagem $ 9.300, 8 Acabamento $ 7.140 8 Pede-se, calcular o custo de cada produto considerando que: a) Os custos da gerencia geral da produção devem ser os primeiros a serem distribuídos aos demais, e a base é o número de empregados. b) Em seguida, devem ser rateados os custos do depto de manutenção: 75% para montagem e 25% para acabamento. c) Finalmente distribuir os custos de montagem e acabamento para os produtos, proporcionalmente às unidades produzidas. CUSTOS GERÊNCIA DE DEPTO DEPTO DEPTO TOTAL INDIRETOS PRODUÇÃO MANUTENÇÃO MONTAGEM ACABAMENTO CIF´s Rateio da Gerencia de Prod. SOMA Rateio da Manutenção TOTAL Prod. A Prod. B TOTAL 15
  16. 16. 16
  17. 17. a) Custo total de cada produto: 17
  18. 18. CUSTOS DIRETOS CUSTOS INDIRETOS DE CUSTOS TOTAIS FABRICAÇÃO Bombons Barras Total b) custo unitário de cada produto: CUSTO TOTAL VOLUME CUSTO UNITÁRIO (EM R$) (UNIDADE) (EM R$/UN) Bombons Barras EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1 A Industrial Canarinho, industrializa os produtos ALFA e BETA, apresentando em agosto/2008, os seguintes gastos: Depreciação fábrica $ 65.000,00 Salário operários fábrica $ 110.000,00 Matéria prima consumida $ 530.000,00 Seguro da fábrica $ 25.000,00 Seguro prédio administrativo $ 15.000,00 Honorários da diretoria $ 50.000,00 Manutenção fábrica $ 35.000,00 Correios e telégrafos $ 5.000,00 Comissão s/vendas $ 10.000,00 Juros s/ financiamento $ 15.000,00 Despesas c/ veículos vendedores $ 12.000,00 Energia elétrica fábrica $ 40.000,00 18
  19. 19. Material de consumo escritório $ 25.000,00 Frete venda $ 15.000,00 $ 952.000,00 • O consumo de matéria prima é controlado através de requisição, estando assim distribuída. - Produto ALFA - $ 300.000,00 - Produto BETA - $ 230.000,00 • A mão de obra utilizada na fábrica, cujo controle se realiza através de cartões de apontamento, determina os seguintes valores neste mês: - Mão de Obra Indireta - $ 30.000,00 - Mão de Obra Direta (MOD)- $ 80.000,00, (sendo: ALFA $ 45.000,00 e produto BETA $ 35.000,00) PEDE-SE: 1) Efetuar a separação entre custos de produção e despesas; 2) Efetuar a apropriação dos custos Diretos; 3) Efetuar a apropriação dos custos Indiretos, pelo critério da proporcionalidade do custo direto, aos produtos ALFA E BETA. CUSTO DE PRODUÇÃO DESPESAS Depreciação fábrica _________________ __________________ Salário operários fábrica _________________ __________________ Matéria prima consumida _________________ __________________ Seguro da fábrica _________________ __________________ Seguro prédio administrativo _________________ __________________ Honorários da diretoria _________________ __________________ Manutenção fábrica _________________ __________________ Correios e telégrafos _________________ __________________ Comissão s/vendas _________________ __________________ Juros s/ financiamento _________________ __________________ Despesas c/ veículos vendedores _________________ __________________ Energia elétrica fábrica _________________ __________________ Material de consumo escritório _________________ __________________ Frete venda _________________ __________________ 19
  20. 20. SOMA Produto ALFA Produto BETA Total CUSTOS DIRETOS Materia-prima Mão-de-obra direta CUSTOS INDIRETOS CUSTO TOTAL EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 2 Indústria de Geradores H&P Ltda. - O consumo de matéria prima é controlado através de requisição, estando assim distribuída: - Produto X- $ 200.000,00 - Produto Y- $ 120.000,00 - Produto Z- $ 80.000,00 - Mão de Obra direta: - Produto X- $ 35.000,00 - Produto Y- $ 28.000,00 - Produto Z- $ 17.000,00 Com base nas informações disponíveis, apure os custos totais dos produtos X, Y e Z, fazendo a alocação dos Custos Diretos e apropriando os custos indiretos dos departamentos auxiliares da produção para os departamentos que utilizaram seus serviços. A Indústria de Geradores H&P Ltda possui os seguintes departamentos produtivos e auxiliares de produção, cujos CIF´s em novembro foram: AUXILIARES PRODUTIVOS - Compras $ 25.000 - Laminação $ 32.000 - Almoxarifado $ 60.000 - Funilaria $ 48.000 - Recursos humanos $ 35.000 - Total $ 80.000 - Total $120.000 Durante o mês, os departamentos auxiliares prestaram serviços aos demais departamentos, conforme tabela a seguir: 20
  21. 21. Dos custos dos departamento auxiliares a serem distribuidos o primeiro é depto de compras, depois o depto de RH e Almoxarifado. CUSTOS DEPTOS AUXILIARES DEPTOS PRODUTIVOS TOTAL INDIRETOS Compras RH Almoxarifado Laminação Funilaria CIF´s Rateio do Compras SOMA Rateio do RH SOMA Rateio do Almoxarifado TOTAL Prod. X (45%) Prod. Y (35%) Prod. Z (20%) TOTAL Produto X Produto Y Produto Z Total CUSTOS DIRETOS Materia-prima Mão-de-obra direta CUSTOS INDIRETOS CUSTO TOTAL 21
  22. 22. APOSTILA GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS 22
  23. 23. 2ª PARTE 4-CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS 4.2-QUANTO AO VOLUME DE PRODUÇÃO 4.2.1- Custo Fixo - Custos Fixos são aqueles cujos valores são os mesmos qualquer que seja o volume e produção da empresa. É o caso, por exemplo, do aluguel da fábrica. Este será cobrado pelo mesmo valor qualquer que seja o nível de produção, inclusive no caso da fábrica nada produzir. Observe que os Custos Fixos são fixos em relação ao volume de produção, mas podem variar de valor no decorrer do tempo. O aluguel da fábrica, mesmo quando sofre reajuste em determinado mês, não deixa de ser considerado um Custo Fixo, uma vez que terá o mesmo valor qualquer que seja a produção do mês. Outros exemplos: Imposto Predial, Depreciação dos equipamentos (pelo método linear), Salários de vigias e porteiros da fábrica, Prêmios de seguro, etc. 4.2.2- Custo Variável - Custos Variáveis são aqueles cujos valores se alteram em função do volume de produção da empresa. Exemplo: matéria-prima consumida. Se não houver quantidade produzida, o Custo Variável será nulo. Os Custos Variáveis aumentam à medida que aumenta a produção. 23
  24. 24. OUTROS EXEMPLOS: : Matéria-prima consumida, materiais secundários, etc. Classifique os seguintes Custos em Fixos ou Variáveis: a) Desgaste dos pneus dos ônibus de uma empresa de turismo ___ b) Salários do pessoal da segurança de uma indústria petroquímica ___ c) Depreciação do prédio de uma fábrica de armas ___ d) Pólvora utilizada numa fábrica de fogos de artifícios ___ e) Cacau, açúcar e leite utilizado numa fábrica de sorvete ___ f) Madeira utilizada numa fábrica de caixotes ___ 24
  25. 25. 5- CUSTOS PARA PLANEJAMENTO E DECISÃO 25
  26. 26. CUSTO-VOLUME VOLUME-LUCRO LUCRO Técnica que permite estudar os interrelacionamentos entre Custos, Volume ou Nível de Atividades e Receitas, para medir sua influência sobre o lucro. Importância da Análise CUSTO-VOLUME-LUCRO Apóia a Tomada de Decisões relativamente a: – Fabricar ou comprar – Introdução de linhas de produto – Determinação de preços de venda – Dimensionamento da empresa Planejamento – Facilita a elaboração de orçamentos – Permite a projeção de lucros – Induz à redução de gastos Controle – Facilita o controle orçamentário – Permite a realização de orçamentos flexíveis 5.1-MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO • É a diferença entre o preço de venda e os gastos variáveis (custos e despesas). • Fórmula: MC = Preço de venda - (Cv + Dv) Cv = Custo variável unitário Dv = Despesa variável unitária • Representa quanto cada produto/serviço, contribui para cobrir as despesas fixas e formar o lucro da empresa. MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO Qual produto deveria ser incentivado ? Mesas ou Cadeiras ? E se adotássemos apenas os custos variáveis ? Margem de Contribuição por unidade: Margem de Preço de Custos e Contribuição Venda Despesas Variáveis Produtos Quantidade Custos Indiretos Custos Diretos Custos Variáveis p/un por unidade Variáveis Cadeiras 2.000 u $ 80 / u $ 700 / u $ 780 / u Camas 2.600 u $ 100 / u $ 1.000 / u $ 1.100 / u Mesas 2.500 u $ 90 / u $ 750 / u $ 840 / u Produtos Custos Preço Margem de Variáveis unitário Contribuição $ O produto incentivado deve Cadeiras $ 780 / u $ 1.550 770 ser as camas Camas $ 1.100 / u $ 2.000 900 Mesas $ 840 / u $ 1.700 860 A empresa Arte e Estilo produz móveis de luxo por encomenda. Seus custos e despesas variáveis são os seguintes, por unidade: MATERIAL COMISSÃO FRETE Carrinhos.................... 150 50 25 Estantes...................... 500 150 55 No início de maio, a empresa recebe duas propostas de clientes: 26
  27. 27. Uma é para fabricar 200 carrinhos de chá, ao preço de venda unitário de $ 550; a outra é para 110 estantes ao preço de venda unitário de $ 1.400. De acordo com a margem de contribuição unitária qual proposta a empresa deveria aceitar? Analisando a MC total, permanece a mesma proposta? EXERCÍCIOS: 1) A Indústria Diamantina apresentou as informações relativas aos três produtos que fabrica, referentes ao mês de dezembro de 2005, com valores em reais. Sabendo-se que a tabela acima corresponde a valores unitários, com base exclusivamente nesses dados, pode-se afirmar que a margem de contribuição unitária dos produtos, em reais, é: 2) Classifique os fatos ocorridos na empresa INDUSTRIAS ABC LTDA (fabricante de camisa de malhas), identificando os Custos Fixos ou Variáveis (F ou V) ou Despesas. • Consumo de 10.000 metros de tecido a um custo total de $50.000,00; • Energia Elétrica da Fábrica no valor total de $ 1.000,00; • Salário do pessoal da produção no valor total de $ 5.000,00; • Comissão paga aos funcionários por unidade produzida $ 1.000,00; • Depreciação de maquinários da fábrica $ 1.200,00; • Consumo de botões e linhas $ 500,00 • Pagamento de aluguel do barracão industrial $ 2.000,00; • Salário do pessoal da manutenção $ 1.600,00 • Comissões pagas ao pessoal de vendas $ 3.000,00. Pede-se ainda: a) Total dos custos fixos e variáveis; b) valor total do custo do mês; c) no mês a empresa produziu 6.000 camisas tamanho GG, calcule o custo unitário de cada uma; d) calcule a margem de contribuição, partindo do pressuposto de que os únicos custos são os acima apresentados e que para cada unidade vendida a empresa paga 20% de impostos e mais R$ 0,50 por unidade referente a comissão de vendas e teve um preço de venda unitário de R$ 30,00. 27
  28. 28. 5.2- PONTO DE EQUILÍBRIO Para alcançar o equilíbrio nas linhas de produção e/ou no serviço do departamento, deverá ser calculado o volume de vendas necessário para cobrir os custos, saber como usar corretamente esta informa informação e entender como os custos reagem com as mudanças de volume. PONTO DE EQUILÍBRIO É o ponto onde os Custos Totais e as Receitas Totais se igualam. A partir deste ponto a empresa a empresa entra na área da lucratividade. A análise do Ponto de Equilíbrio é fundamental nas decisões referente investimentos, nos planejamento controle do lucro, no lançamento ou corte de produtos e para análises das alterações do Preço de Venda conforme o comportamento do mercado. Equação Geral: Exemplo: Pe= C.F.___ , onde: Preço Venda = $ 20,/ unidade MC Unit. Margem de Contribuição unitária=$ 16, Custos fixos = $ 130.000/mês Pe – Ponto de Equilíbrio Ponto de Equilíbrio unidades = $ 130.000, MC – Margem de Contribuição 16, Peu = 8.125 unidade/mês CF – Custo Fixo PE $ = 8.125 unidade x $ 20, = $ 162.500, (receita) GRÁFICO 28
  29. 29. Exercícios: 2) Continuação...Calcular o ponto de equilíbrio em unidade e valor (do exercício 2): 5.3- PREÇO DE VENDA • Preço de venda ideal é aquele que cobre todos os custos e despesas e ainda sobra o Lucro Líquido. • Preço de venda ideal tem de ser competitivo, ser melhor do que o preço da concorrência. ESTRUTURA DO PREÇO DE VENDA Preço de venda = ......................................100% Custo do Produto/Mercadoria/Serviço = .... % Despesas Variáveis = ................................. % Despesas Fixas = ........................................ % Lucro LÍquido =........................................... % Políticas do Preço de Venda Considerar : • Preço de venda mínimo _ custos + despesas • Estratégias competitivas _ enfrentar a concorrência • Diferenciais oferecidos _ mix de produtos • Nichos de mercado _ público-alvo • Recuperação do capital investido 29
  30. 30. CÁLCULO DO PREÇO DE VENDA Preço de Venda = Custo Unitário . 100% - (%DV + %DF + %ML) * * Fator de Formação do Preço de Venda (Mark-up) EXEMPLO Informações: Preço de Venda = 10 .= R$ 17,24 • Custos do Produto = R$ 10,00 * 100% - (7% + 25% + 10 %) • Despesas Variáveis = 7% • Despesas Fixas = 25% *(58% ou 58/100=0,58) • Margem de Lucro = 10% DV – Despesas Variáveis DF – Despesas Fixas Exercícios: ML – Margem de Lucro Calcular o preço de venda: • Custo unitário: 8,00 • Despesas gerais e administrativas: 10% • Comissões de vendas: 5% • Tributos sobre o preço de venda: 20% • Margem de lucro desejada: 5% 30

×