A automatização de processos: WebCentral<br />Hernâni Andrés<br />
Soluções que acompanham a evolução das organizações<br />
A internet em Portugal<br />
Utilização das TIC nas empresas<br />Os resultados do Inquérito à Utilização de TIC nas Empresas revelam que, em 2009, 95,...
Empresas que utilizaram o comércio electrónico para efectuar e receber encomendas<br />Das empresas que efectuaram encomen...
Empresas que efectuaram troca automática de informação<br />A troca de informação, realizada num formato que permite o seu...
Utilização das TIC pelas Famílias<br />53%<br />No primeiro trimestre de 2009, 56% dos agregados domésticos tinham acesso ...
Qual o Papel do WebCentral na desmaterialização de processos?<br />
Evolução dos Sistemas Gestão<br />
Solução à medidadasuaOrganização<br /> Quality & Compliance<br />Portal  Institucional<br />Portal  Colaborador<br />Porta...
WebCentral | CaracterísticasGerais<br />
Exemplo: PORTAL B2B - Processos Logísticos<br />Portal B2B  (WebCentral) <br />Colaboradores/ Comerciais<br />Vendas<br />...
Encomendas
Dados Clientes
…</li></ul>Contas correntes<br /><ul><li>Extracto CC
Pendentes</li></ul>Clientes<br />Clientes<br />ERP PRIMAVERA<br /><ul><li>ras
 Stocks
…</li></ul>Financeira<br /><ul><li> Contas Correntes
Bancos
…</li></ul>Logística<br /><ul><li> Vendas
 Compras
 Stocks
 …</li></li></ul><li>Vantagens | PORTAL B2B - Processos Logísticos<br />Poupança na comunicação com clientes<br />Impacto ...
Portal para Gestão da Obra  (WebCentral) <br />Colaboradores<br />Operações<br /><ul><li>Autos-medição
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Qpoint - apresentação software gestão da qualidade

872

Published on

Qpoint é a resposta da PRIMAVERA BSS à crescente necessidade das organizações mais exigentes implementarem mecanismos de controlo interno, assentes em Boas Práticas de Gestão, que conduzam à melhoria da qualidade dos seus processos e a uma performance de excelência.

Published in: Business, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
872
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Mostrar que sabemos o que estamos a construir. Deixar que o público tenha tempo de ver e perceber onde se encaixam as peças que constituem a oferta PRIMAVERA.Deixar que aqueles que já são clientes percebam onde estão posicionados.DAR muita ênfase ao WebCentral enquanto o produto que transporta a “organização para a rede”, produto que se conecta a outras ofertas.É sempre interessante referir que o Express é gratuíto, deverá ter mais de 200.000 downloads, podendo haver mais de 30.000 micro empresa a utilizá-lo. Etc.
  • Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC)Em 2009, 95,3% das empresas com dez e mais pessoas ao serviço utilizaram computador, 90,5% comunicaram através de correio electrónico (e-mail) e 92,7% acederam à Internet.A utilização destas tecnologias varia na razão directa da dimensão da empresa (medida pelo empregoi):a totalidade das grandes empresas (com 250 e mais pessoas ao serviço) utilizou computador, e-mail e acedeu à Internet; nas médias empresas 99,8% utilizou computador, 99,6% usaram e-mail e 99,2% acederam à Internet; nas pequenas empresas (entre 10 e 49 pessoas ao serviço) o computador foiutilizado por 94,5%, o correio electrónico por 88,9% e a Internet por 91,6%.Em comparação com as tecnologias anteriormente analisadas, a posse de website tem menor expressão relativa: 47,3% das empresas com 10 e mais pessoas ao serviço afirmaram ter presença na Internet, sendo esta proporção de 94% quando aferida no universo das grandes empresas.
  • Comércio Electrónico nas Empresas não financeirasEm 2008, 15% das empresas com dez e mais pessoas ao serviço receberam encomendas de bens ouserviços por via electrónica (através de Internet ou outras redes) e 18,4% efectuaram encomendas pelamesma via.A proporção de empresas que realizam comércio electrónico com 250 emais pessoas ao serviço, decrescendo à medida que diminui a é mais elevada nas empresas dimensão das empresas: entre as grandesempresas 32,8% receberam e 30,8% efectuaram encomendas; no conjunto das médias empresas asproporções são de 17,9% e 19,1%, respectivamente; e entre as pequenas empresas 14,2% receberam e18,1% efectuaram encomendas electrónicas.Das empresas que efectuaram encomendas electrónicas em 2008, mais de metade (56,1%) referem ter efectuado encomendas querepresentam 10% e mais do valor total de compras da empresa. Sublinha-se ainda que para perto de um quarto das empresas (24,8%), as compras por via electrónica representam entre 1% a menos de 5% do total das compras.Nota: Para o cálculo dos indicadores Encomendas electrónicas recebidas e Encomendas electrónicas efectuadas, são apenasconsideradas as encomendas que representam pelo menos 1% do total do volume de negócios e do total das compras daempresa, respectivamente.
  • A dimensão da empresa é um factor importante na utilização desta prática, demonstrando que quanto maior o número de pessoas ao serviço na empresa, maior a utilização da troca automática da informação: 71,9% das empresas com mais de 250 pessoas ao serviço; 48,9% das médias empresas e 35,8% das pequenas empresas, utilizaram esta funcionalidade. Em termos de actividade económica, a troca automática de informação é mais frequente entre as empresas de Actividades financeiras e de seguros (69,6%), de Actividades de informação e de comunicação (60,1%) e das actividades incluídas nas secções D e E da Classificação de Actividades Económicas (CAE) Rev.3 (57%).Entre as empresas que efectuaram troca automática de informação, a maior parte (84,5%) tem como propósito a troca de informação com autoridades públicas; 81,7% enviaram ou receberam informação sobre produtos; 73,2% utilizaram esta funcionalidade para enviar instruções de pagamento a instituições financeiras; as encomendas de bens ou serviços foram, por esta via, recebidas por 69,9% e efectuadas por 62% das empresas.A utilização da troca automática para enviar ou receber facturas electrónicas foi uma funcionalidade recebida por 54,1% e enviada por 29,8% das empresas que efectuaram troca automática de informação.
  • As Tecnologias da Informação e da Comunicação nos Agregados DomésticosNo primeiro trimestre de 2009, mais de metade dos agregados domésticos (56%) tinham acesso a computador1 e 47,9% dispunham de ligação à Internet em casa; entre estes, 96,4% (46,2% do total de agregados) efectuava a ligação através de banda larga. Face a 2005, observa-se um aumento do número de agregados que dispõem destas tecnologias, traduzido por um crescimento médio anual de 24,4% no que se refere à ligação por banda larga, de 11,7% na ligação à Internet e de 7,7% no acesso a computador a partir de casa.Comércio Electrónico – Encomendas de bens e serviços pela InternetNo primeiro trimestre de 2009, 9,7% dos indivíduos entre os 16 e os 74 anos efectuaram encomendas através da Internet, correspondendo a 20,9% dos indivíduos que utilizam Internet. A proporção de indivíduos que efectuaram encomendas pela Internet tem vindo a aumentar nos últimos 5 anos. Desde 2005 o número de indivíduos que efectuaram encomendas online registou um crescimento médio anual de 27,6%, verificando-se um crescimento ainda mais expressivo, situado em 52,6%, quando se analisa a proporção actual relativamente à do ano transacto.
  • A evolução dos Sistemas de Gestão está hoje Orientada à cadeia de valor, os processos são transversais às organizações, como tal as empresas não se podem restringir “a 4 paredes” , e têm que caminhar no sentido de permitir que os Sistemas comuniquem entre si e que todas as pessoas intervenientes nos processos tenham acesso aos mesmo.
  • O WebCentral é uma solução disponibilizada pela  PRIMAVERA que permite às empresas o suporte e a integração de processos de negócio através da internet. É por isso uma plataforma fundamental para todas as empresas que pretendam garantir a existência de uma intranet  ou extranet, através das quais os seus funcionários, parceiros, clientes e potenciais clientes, poderão interagir activamente com a sua organização.
  • A plataforma WebCentral incorpora um vasto conjunto de ferramentas que oferecem às empresas a possibilidade de desenvolverem a sua solução através da internet, garantindo uma sistemática redução de custos de operação devido à automatização de processos entre os vários stakeholders.De acordo com as necessidades de cada organização, o Parceiro Primavera através das suas competências (ao nível do negócio, tecnologias, desenvolvimento, …) poderá proporcionar a solução ideal para cada organização, utilizando a Plataforma WebCentral. Criando de forma fácil portais Para colaboradores, Clientes, etc.., ou mesmo desenvolvendo soluções mais especificas, recorrendo aos módulos disponibilizados pelo WebCentral.
  • Exemplo de uma solução que poderá ser adaptado em função da demonstração parao Projecto em causa
  • Exemplo de uma solução que poderá ser adaptado em função da demonstração parao Projecto em causa
  • Poupança na comunicação com ClientesSubstituição do Correio, fax, etc.. Crescimento do negócio Vs Nº de funcionáriosImpacto na fidelização de clientesPerdas evitadas pela Qualidade dos serviços Impacto ao nível das VendasClientes / Negócios captados via PortaisImpacto ao nível MarketingSubstituição dos Meios tradicionais Vs WEB (interacção, abrangência, …)…….
  • Exemplo de uma solução que poderá ser adaptado em função da demonstração parao Projecto em causa.
  • Poupança na comunicação / Substituição do Correio, fax, etc.. Crescimento do negócio Vs Nº de funcionáriosPerdas evitadas pela Qualidade dos serviços Clientes / Negócios captados via PortaisSubstituição dos Meios tradicionais Vs WEB (interacção, abrangência, …)…….Um negócio deverá gerar dinheiroQuando um cliente faz um investimento deverá ter um retorno do mesmoidentificar as melhorias ao nível dos processos e os benefícios económicos.
  • Qpoint – O novo produto da Primavera para gerir a Qualidade e a Performance EmpresarialE porquê Qpoint ? (Porquê a necessidade de existir um produto para gerir a Qualidade e a Performance Empresarial)
  • Bem, entre outros desafios :As Organizaçõestêm, hoje em dia e cada vez mais, de operar :1-num mercadocada vez maisglobalizado e regulado2 - logo mais competitivo e exigente3 - onde a margem para falhas é praticamente inexistente.
  • Face a esta realidade as Organizações têm de concentrar os seus esforços 1 - não só no aumento dos níveis de produtividade dos seus processos de negócio2- mas também no aumento da sua eficiência3-de forma a atingirem vantagens competitivas duradouras, que permitam olhar para o futuro com confiança e de uma forma sustentada
  • Daí que, para atingir tais objectivos:1 – A implementação de processos e procedimentos de controlo com base num modelo assente em princípios de boa Governação, Gestão do Risco e da Conformidade2 – E que envolva todas as partes interessadas – Colaboradores, Clientes, Fornecedores, Parceiros, Accionistas, Sociedade3 - Torna-se fundamental para uma gestão que queira basear as suas decisões em factos.Mas estes processos só serão verdadeiramente eficazes e facilmente implementados se existir uma ferramenta para os suportar
  • OQpoint surge assim como uma ferramenta que visa auxiliar as Organizações :1 - A implementar, suportar e automatizar estes processos2 - Face a um conjunto crescente de requisitos externos ou internos que poderão ser : ……..5- Com o objectivo de permitir a uma dada Organização monitorar continuamente e de uma forma sustentada a conformidade dos seus processos com vista ao aumento da sua eficiência e eficáciabem como à diminuição dos riscos associados visando, no fundo, a melhoria contínua da sua performance
  • Um aspecto que gostaria de destacar do Web Central é a sua camada de : MiddleWareQue através do uso de Adpters e Conectores possibilita a ligação a diversas fontes de dados com o objectivo de obter a informação necessária para, por exemplo, construir Indicadores, Criar Actividades despoletadas por eventos em WorkflowsAssim : São disponibilizados “Built-In” um conjunto de Adpaters e Conectores para o ERP PrimaveraPoderão ser facilmente desenvolvidos outros para outras fontes de dados (Exsº)Permitindo que o Qpoint funcione não só stand-alone ou Integrado com O ERP Primavera, mas também com outros Sistemas
  • Assim assentando em Web Central foram modelados um conjunto de processos de controlo tais como :1 – Controlo Documental, através do qual é disponibiliza uma Biblioteca organizada por processos, onde cada colaborador poderá aceder aos documentos mais relevantes para as actividades que tem de executar, …..2 - Controlo de Ocorrências3 - Controlo de Acções4 – Controlo de Auditorias5 - Avaliação de Fornecedores6 – Satisfação de StakeHolders7- Monitorização do Desempenho8 - Aos quais se seguiram processos de controlo noutras áreas como seja : Ambiente, Segurança, EMM, Competências, Formação, ….
  • Ofront-end da Solução poderá ser um Portal Qpoint, Acessível a todos que consoante os seus papeis na Organização poderão Consultar informação relevante paras as tarefas que desempenham nos diferentes processos onde intervêm :
  • A utilização do Qpoint possibilitara a estas empresas :1- Dar maior visibilidade a estes processos, fazendo-os sair dos silos onde muito vezes se encontram e pondo-os a serviço da gestão da empresa2- Promover o envolvimento de todos os colaboradores nestes processos, pois passem a ter uma ferramenta de fácil acesso3- Permitir adoptar uma abordagem mais orientado ao controlo e não reactiva mas sim preventivaEm Suma,Sobre o Qpoint salientaria, então, as seguintes vantagens competitivas:1- A TecnologiaSuportada num plataforma Web, altamente extensível e configurávelCom uma elevada capacidade de costumização e integração.2 – O Know-How IncorporadoQue se traduz num conjunto de boas práticas que já vão pré-configuradas na soluçãoE para a qual contamos com o apoio de especialistas3- O facto de ser uma Oferta diferenciadora ----- &gt; quer face à concorrência existente que é muito fragmentada e apresenta soluções + isoladas e menos abrangentes------&gt; quer face à concorrência directa da Primavera que não tem uma oferta integrada nestas áreasE também Porque : Potenciando a integração com o Sistema Global de GestãoPossibilita uma nova abordagem na Controlo da Performance e da Conformidade …..4- que Partindo da Qualidade Ruma à Excelência Empresarial 4- Que no fundo acrescente maior valor para a Gestão.
  • Qpoint - apresentação software gestão da qualidade

    1. 1. A automatização de processos: WebCentral<br />Hernâni Andrés<br />
    2. 2. Soluções que acompanham a evolução das organizações<br />
    3. 3. A internet em Portugal<br />
    4. 4. Utilização das TIC nas empresas<br />Os resultados do Inquérito à Utilização de TIC nas Empresas revelam que, em 2009, 95,3% das empresas com dez e mais pessoas ao serviço utilizaram computador e 92,7% dispunham de acesso à Internet.<br />As ligações à Internet através de banda larga foram efectuadas por 81,7% das empresas.<br />Fonte:<br />INE/ Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2009<br />
    5. 5. Empresas que utilizaram o comércio electrónico para efectuar e receber encomendas<br />Das empresas que efectuaram encomendas electrónicas em 2008, mais de metade (56,1%) referem ter efectuado encomendas que representam 10% e mais do valor total de compras da empresa.<br />Fonte:<br />INE/ Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2009<br />
    6. 6. Empresas que efectuaram troca automática de informação<br />A troca de informação, realizada num formato que permite o seu processamento automático, i.e. sem necessidade de intervenção manual, ocorre em 38,1% das empresas com dez e mais pessoas ao serviço.<br />Fonte:<br />INE/ Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2009<br />
    7. 7. Utilização das TIC pelas Famílias<br />53%<br />No primeiro trimestre de 2009, 56% dos agregados domésticos tinham acesso a computador em casa, 47,9% dispunham de ligação à Internet e 46,2% dispunham de acesso por banda larga. <br />Entre os indivíduos dos 16 aos 74 anos, 51,4% utilizaram computador, 46,5% acederam à Internet e 9,7% efectuaram encomendas de bens ou serviços através da Internet.<br />Fonte: INE/Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009<br />
    8. 8. Qual o Papel do WebCentral na desmaterialização de processos?<br />
    9. 9. Evolução dos Sistemas Gestão<br />
    10. 10.
    11. 11. Solução à medidadasuaOrganização<br /> Quality & Compliance<br />Portal Institucional<br />Portal Colaborador<br />Portal B2B<br /> ISV Solution x<br /> . . . <br />PlataformaWebCentral<br />Administrator<br />Portal Designer<br />Application Builder<br />Analytics<br /> SDK<br />Core<br />(Logistica,RH,Construction)<br />Content Management<br />Workflow Designer<br />Document Management<br />CCOP<br />…<br />…<br />ERP<br />
    12. 12. WebCentral | CaracterísticasGerais<br />
    13. 13. Exemplo: PORTAL B2B - Processos Logísticos<br />Portal B2B (WebCentral) <br />Colaboradores/ Comerciais<br />Vendas<br /><ul><li>Catálogo B2B
    14. 14. Encomendas
    15. 15. Dados Clientes
    16. 16. …</li></ul>Contas correntes<br /><ul><li>Extracto CC
    17. 17. Pendentes</li></ul>Clientes<br />Clientes<br />ERP PRIMAVERA<br /><ul><li>ras
    18. 18. Stocks
    19. 19. …</li></ul>Financeira<br /><ul><li> Contas Correntes
    20. 20. Bancos
    21. 21. …</li></ul>Logística<br /><ul><li> Vendas
    22. 22. Compras
    23. 23. Stocks
    24. 24. …</li></li></ul><li>Vantagens | PORTAL B2B - Processos Logísticos<br />Poupança na comunicação com clientes<br />Impacto ao nível das vendas<br />Impacto ao nível marketing<br />Catalisador expansão negócio<br />
    25. 25. Portal para Gestão da Obra (WebCentral) <br />Colaboradores<br />Operações<br /><ul><li>Autos-medição
    26. 26. Requisições internas
    27. 27. …</li></ul>Custos<br /><ul><li> Pessoal
    28. 28. Equipamentos
    29. 29. ..</li></ul>ERP PRIMAVERA<br /><ul><li>ras
    30. 30. Stocks
    31. 31. …</li></ul>CCOP<br /><ul><li>Orçamentação
    32. 32. Planeamento
    33. 33. …</li></ul>Logística<br /><ul><li>Compras
    34. 34. Stocks
    35. 35. …</li></ul>Exemplo: Mobilidade na Gestão da Obra <br />
    36. 36. VANTAGENS<br /><ul><li>Diminuição de custos
    37. 37. Agilidade no registo da informação
    38. 38. Maior disponibilidade da informação
    39. 39. Facilidade de Implementação e escalabilidade</li></ul>Mobilidade na Gestão da Obra<br />
    40. 40. Exemplo: Employee Self-Service<br />PORTAL do Colaborador ( WebCentral) <br />Funcionários<br />RH<br /><ul><li> Dados pessoais
    41. 41. Férias
    42. 42. Recibos Vencimento
    43. 43. …</li></ul>Conteúdos<br /><ul><li>Fóruns
    44. 44. Documentação
    45. 45. ….</li></ul>ERP PRIMAVERA<br />RH<br /><ul><li> Salários
    46. 46. Cadastro
    47. 47. Férias
    48. 48. …</li></ul>RH Formação<br /><ul><li> Gestão da formação …</li></li></ul><li>Vantagens - Employee Self-Service<br />Disponibilidade da informação <br />Redução trabalho administrativo<br />Informação em tempo real / Optimizar tarefas RH<br />Retenção de Conhecimento / Envolvimento do colaborador<br />
    49. 49. <ul><li>Redução de custos
    50. 50. Desmaterializar e agilizar e processos
    51. 51. Optimizar a relação com Stakeholders
    52. 52. Maior eficácia e eficiência
    53. 53. Facilidade de Implementação e escalabilidade
    54. 54. …</li></ul>Impacto na Organização <br />Soluções de VALOR ACRESCENTADO<br />
    55. 55. Qpoint<br />Quality & Performance Management<br />
    56. 56. From Quality to Business Excellence<br />“Business excellence is the systematic use of quality management principles and tools in business management, with the goal of improving performancebased on the principles of customer focus, stakeholder value, and process management. <br />Key practices in business excellence applied across functional areas in an enterprise include continuous and breakthrough improvement, preventative management and management by facts.”<br />Wikipedia<br />
    57. 57. Desafios<br />Mercado cada vez mais Globalizado e Regulado<br />Mais Competitivo e Exigente <br />Margem para Falhas é praticamente Inexistente<br />
    58. 58. Desafios<br />Concentração de Esforços<br />
    59. 59. Desafios<br />Implementação de processos e procedimentos de controlo interno<br />Envolvendo todas as partes interessadas <br />Colaboradores<br />Clientes<br />Fornecedores<br />Parceiros<br />Accionistas<br />Sociedade<br />(…)<br />Decisões<br />
    60. 60. Visão<br />Construídos pela gestão<br />Conjunto crescente de Requisitos Internos e Externos<br />Implementar<br />Suportar<br />Automatizar<br /> Normativos<br /> Legais<br /> Mercado<br /> Gestão<br />Processos de Controlo<br />Monitorar Conformidade<br />Melhoria contínua da performance<br />+ Eficiência<br />+ Eficácia<br />- Riscos<br />
    61. 61. Tecnologia<br />Qpoint<br />Middleware<br />Adapters<br />Connectors<br />Origens de <br />dados<br />Entidades<br />Transacções<br />Monitorização<br />Objectivos<br />ERP PRIMAVERA<br />Outros ERPs<br />Outras fontes<br />
    62. 62. Visão <br /> Performance<br />KPI´s<br />Objectivos<br />Dashboards<br />Limites de Controlo<br />Auditorias<br /><ul><li> Multi-Circuitos
    63. 63. Tipificação
    64. 64. Programas
    65. 65. Planos
    66. 66. Relatórios
    67. 67. Não Conformidades</li></ul>Acções<br /><ul><li> Multi-Circuitos
    68. 68. Tipificação (CAPA)
    69. 69. Definição
    70. 70. Implementação
    71. 71. Verificação de Eficácia</li></ul>Ocorrências<br /><ul><li> Multi-Circuitos
    72. 72. Categorias (NC;OM)
    73. 73. Tipificação
    74. 74. Registo
    75. 75. Análise de Causas
    76. 76. Tratamento</li></ul>Fornecedores<br /><ul><li> Avaliação segundo múltiplos critérios
    77. 77. Qualificação Inicial
    78. 78. Avaliação de Entregas / Organização
    79. 79. Lista de fornecedores Qualificados</li></ul>StakeHolders<br /><ul><li> Índice de Satisfação
    80. 80. Questionários
    81. 81. Inquéritos
    82. 82. Recolha de Respostas
    83. 83. Análise Estatística</li></ul> Documentos<br />Biblioteca<br />Processos<br />Permissões<br />Controlo de Versões<br />Circuitos de Verificação, Aprovação e Publicação<br />Web Central<br />WorkFlow<br />ApplicationBuilder<br />DMS<br />Analytics<br />
    84. 84. Portal Qpoint (DEMO)<br />Auditor<br /><ul><li>Consulta Documentos
    85. 85. Consulta Indicadores
    86. 86. Consulta Ocorrências
    87. 87. Consulta Acções
    88. 88. Elabora Relatórios </li></ul>Auditoria<br />Dono Processo <br />(Vendas, Produção,..)<br /><ul><li>Aprova Documentos
    89. 89. Define Indicadores
    90. 90. Define Tratamento </li></ul>Ocorrências<br /><ul><li>Define Acções
    91. 91. Distribui Tarefas</li></ul>Qualidade<br /><ul><li>Define Circuitos
    92. 92. Efectua Parametrizações
    93. 93. Programa Auditorias
    94. 94. Monitoriza o Desempenho</li></ul>Técnicos<br /><ul><li>Consulta Documentos
    95. 95. Consulta Indicadores
    96. 96. Tarefas Pendentes
    97. 97. Reporta Ocorrências
    98. 98. Implementa Acções</li></li></ul><li>Os Indicadores constituem uma forma de aferição e de medição da eficácia das estratégias definidas pela Organização. <br />Uma correcta definição de indicadores e das suas respectivas metas face aos objectivos que se pretendem atingir, bem como a partilha desta informação pela Organização é fundamental para monitorar o desempenho dos processos de negócio, bem como servir de base para a tomada de decisões fundamentadas.<br /> <br />Performance<br />
    99. 99. Performance<br /><ul><li>Com recurso à ferramenta de Analytics, são disponibilizados um conjunto de Indicadores de Desempenho (KPI), bem como um conjunto de Dashboards, orientados para apresentar a informação dos indicadores associados aos diferentes processos da Organização.</li></li></ul><li>Os documentos são o repositório das informações e do conhecimento da Organização. Desta forma torna-se fundamental padronizar os processos de criação, identificação, validação, aprovação e distribuição e partilha dos documentos visando garantir que o conhecimento está rapidamente acessível.<br />Documentos<br />
    100. 100. Documentos<br /> <br /><ul><li>Utilizando a ferramenta de DMS, disponibiliza-se uma estrutura de categorias predefinidas de forma a possibilitar uma organização eficaz dos Documentos, bem como a gestão do seu ciclo de vida.</li></li></ul><li>Uma Ocorrência (Não Conformidade Potencial ou Efectiva ou Oportunidade de Melhoria) constitui uma constatação de um desvio ou de um não cumprimento de um dado requisito (de um processo, de um produto, de uma regulamento ou politica interna, etc.. ).<br />Tratar convenientemente as Ocorrências detectadas é um processo central para o controlo da conformidade, pois permite analisar as suas causas e estabelecer acções para evitar a sua repetição.  <br />Ocorrências / Acções<br />
    101. 101. Ocorrências / Acções<br />Principais Funcionalidades<br /><ul><li>Circuito pré-definido com possibilidade de costumização e/ou criação de novos Circuitos
    102. 102. Tipificação de Ocorrências
    103. 103. Registo e Caracterização de Ocorrências
    104. 104. Análise e Tratamento de Ocorrências com atribuição de responsabilidades e prazos de execução
    105. 105. Definição e Análise de Causas</li></li></ul><li>Ocorrências / Acções<br />Principais Funcionalidades<br /><ul><li>Definição de Acções
    106. 106. Gestão do ciclo da Ocorrência desde o seu registo até ao seu fecho
    107. 107. Geração de Notificações para os intervenientes nas diferentes fases do processo
    108. 108. Controlo dos timings definidos para cada interveniente com a geração dos correspondentes alertas
    109. 109. Geração de Histórico de Estados e Decisões com identificação da responsabilidade
    110. 110. Relatórios e Análises</li></li></ul><li>Ocorrências / Acções<br />Principais Funcionalidades (Acções)<br /><ul><li>Circuito pré-definido com possibilidade de costumização e/ou criação de novos circuitos
    111. 111. Tipificação de Acções – Correcção, Correctivas, Preventivas, Melhoria
    112. 112. Registo e Caracterização de Acções
    113. 113. Planeamento da Implementação com atribuição de responsabilidades e prazos de execução
    114. 114. Planeamento da Verificação de Eficácia com atribuição de responsabilidades e prazos de execução </li></li></ul><li>Ocorrências / Acções<br />Principais Funcionalidades (Acções)<br /><ul><li>Aprovação de Acções
    115. 115. Actualização do progresso da implementação
    116. 116. Gestão do ciclo da Acção desde o seu registo até ao seu fecho
    117. 117. Geração de Notificações para os intervenientes nas diferentes fases do processo
    118. 118. Controlo dos timings definidos para cada interveniente com a geração dos correspondentes alertas
    119. 119. Geração de Histórico de Estados e Decisões com identificação da responsabilidade
    120. 120. Relatórios e Análises</li></li></ul><li>A realização regular de diferentes tipos de auditorias/inspecções permite reduzir de forma significativa o risco de Não Conformidades uma vez que, através da comparação sistemática com os referenciais em vigor na Organização, permite fornecer informações relevantes para a melhoria dos processos. <br />O módulo de Auditorias permite suportar o registo de toda a informação relacionado com o ciclo de vida de uma auditoria/inspecção, agilizando a colaboração entre todos os intervenientes no processo.<br />Auditorias<br />
    121. 121. Auditorias<br />Principais Funcionalidades<br /><ul><li>Circuito pré-definido com possibilidade de costumização e/ou criação de novos circuitos
    122. 122. Tipificação de Auditorias
    123. 123. Criação de Listas de Verificação
    124. 124. Criação de Auditorias
    125. 125. Aprovação de Auditorias
    126. 126. Planos de Auditoria
    127. 127. Relatórios de Auditoria com Avaliação dos requisitos auditados e registos de Não Conformidades</li></li></ul><li>Auditorias<br />Principais Funcionalidades<br /><ul><li>Pontuação de Auditorias
    128. 128. Comunicação de Resultados
    129. 129. Rastreabilidade de Não Conformidades e Acções
    130. 130. Geração de Notificações para os intervenientes nas diferentes fases do processo
    131. 131. Controlo dos timings definidos para cada interveniente com a geração dos correspondentes alertas
    132. 132. Geração de Histórico de Estados e Decisões com identificação da responsabilidade
    133. 133. Relatórios e Análises</li></li></ul><li>Aopinião (satisfação/insatisfação) das diferentes partes interessadas (accionistas, colaboradores, fornecedores e clientes) reveste-se de uma particular importância, uma vez que todos eles fornecem “inputs” valiosos sobre os processos bem como sobre os produtos e/ou serviços da Organização.<br />Um adequado tratamento dessa informação, nomeadamente das causas de insatisfação, permite identificar pontos de melhoria a implementar nos processos, nos produtos e/ou serviços, bem como a melhorar a percepção da Organização sobre das expectativas e anseios dos vários StakeHolders.<br />O módulo de Satisfação de StakeHolders permite implementar e suportar vários tipos de Inquéritos, agilizando e simplificando a recolha das respostas bem como o seu tratamento e análise estatística.<br />Satisfação de StakeHolders<br />
    134. 134. Satisfação de StakeHolders<br />Principais Funcionalidades<br /><ul><li>Parametrização de Questionários
    135. 135. Geração de Inquéritos de Avaliação
    136. 136. Recolha de Respostas
    137. 137. Avaliação do Grau de Satisfação dos StakeHolders
    138. 138. Análise estatística de dados dos Inquéritos</li></li></ul><li>A qualidade dos Produtos e/ou Serviços disponibilizados por uma Organização é afectada pela maior ou menor conformidade, face aos critérios estabelecidos para as matérias primas e/ou serviços que estes incorporam.<br />Uma eficaz selecção e contínua avaliação dos fornecedores, suportada em critérios mensuráveis, permite reduzir a quantidade e a extensão dos problemas provocados por fornecimentos que não se enquadrem nos critérios estabelecidos.<br />O módulo de Avaliação de Fornecedores permite suportar as actividades de selecção e avaliação, através da parametrização de metodologias que conduzem a elaboração de rankings de classificação.<br />Avaliação de Fornecedores<br />
    139. 139. Avaliação de Fornecedores<br />Principais Funcionalidades<br /><ul><li>Parametrização de Estruturas de Avaliação de Fornecedores
    140. 140. Gestão da Qualificação Inicial de Fornecedores
    141. 141. Avaliação de Entregas
    142. 142. Avaliação da Organização
    143. 143. Simulação de Classificações de Fornecedores
    144. 144. Classificação e Qualificação/Desqualificação de Fornecedores
    145. 145. Lista de Fornecedores Qualificados
    146. 146. Histórico de Avaliações e Classificações efectuadas</li></li></ul><li>Benefícios<br />Maior Visibilidade dos Processos<br />Maior Envolvimento de Todos os Colaboradores<br />Adoptar uma Nova Abordagem mais Orientada ao Controlo<br />Know-How Incorporado<br />Elevada capacidade de costumização e integração<br />Acrescentar maior Valor para a Gestão<br />
    147. 147. Vantagens Competitivas<br />Tecnologia<br />Suportada numa plataforma Web<br />Capacidades de Customização e Interoperabilidade<br />Know-How Incorporado<br />Conjunto de Boas Práticas<br />Apoio de Especialistas<br />Oferta Diferenciadora<br />Potencia a integração com o Sistema Global de Gestão<br />Possibilita uma nova abordagem na Controlo da Performance e da Conformidade<br />
    148. 148. FromQuality to BusinessExcellence<br />
    149. 149. Encerramento<br />
    1. A particular slide catching your eye?

      Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

    ×