Que futuro para o centro de aveiro
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Que futuro para o centro de aveiro

on

  • 3,535 views

Que futuro para o centro de Aveiro? Um contributo para a reflexão

Que futuro para o centro de Aveiro? Um contributo para a reflexão

Statistics

Views

Total Views
3,535
Views on SlideShare
1,547
Embed Views
1,988

Actions

Likes
0
Downloads
25
Comments
1

4 Embeds 1,988

http://amigosdavenida.blogs.sapo.pt 1101
http://aveiro2020.blogs.sapo.pt 559
http://jcmworks.blogs.sapo.pt 327
http://webcache.googleusercontent.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • muito bacana, zé carlos, parabéns pelo txt e pela bela apresent. creio que há ideias boas e iniciativas sempre interessantes. mudar é preciso! e a gente consegue com gene como vc

    abraços do brasil
    *
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Que futuro para o centro de aveiro Que futuro para o centro de aveiro Presentation Transcript

    • ‘QUE CENTRO PARA AVEIRO?’Novembro 2011 – documento de reflexão Uno, Luís Queimadela JOSÉ CARLOS MOTA Investigador e docente universitário Desenvolve tese de doutoramento sobre ‘Planeamento Territorial Colaborativo’ Membro de plataformas cívicas: ‘Amigosd’Avenida’ e ‘Cidades pela Retoma’ https://www.facebook.com/josecarlosmota
    • Guião de resposta1.A crise (o que ela significa e que impactos produz)2.A importância das cidades para a construção do futuro3.O que tem sido a agenda de ação (e de debate) em Aveiro (que opções e que resultados);4.À luz dos desafios do futuro (que a agenda europeia determina) como é que Aveiro tem sabidoutilizar/valorizar os diversos recursos que dispõe;5. Um futuro possível para o centro e para Aveiro (ideias fortes e implicações);6. Começar já a construir o futuro (um desafio final aos cidadãos, instituições e partidos)
    • 1. Crise 1. Crise sobrepostas (financeira, económica, ambiental e social) 2. Crise a diferentes escalas (global, nacional e local) 3. Crise das ideias
    • Razões1. Gastamos demais (Estado e [muitos] Cidadãos);2. Gastamos mal, consumimos coisas de que não precisamos;3. Muitos não consomem o que precisam;4. Temos padrões de mobilidade irracionais;5. Exacerbamos o nosso sentido individualista, perdemos o sentido colectivo, práticas culturais e sociais;6. O território e as cidades sofrem de modo particular com estas irracionalidades;
    • Consequências‘Vivemos o fim de uma das maioresnarrativas do 25 de Abril e quealimentámos durante anos que era aesperança na melhoria da qualidadede vida dos portugueses’‘o presente momento vai trazer umasérie de modificações (na maneira deviver, no consumismo, como se olhapara a política, nas relações entre aspessoas)’[no fundo, nas diferentesformas de organização colectiva]José Gil, filósofo, 2011
    • 2. As Cidades e o futuro 1. ‘Europa 2020’ uma agenda europeia para o crescimento 2. Temas da agenda (‘empty signifiers?’) • Crescimento inteligente • Crescimento verde • Crescimento inclusivo 3. Europa 2020 e o papel das cidades • Regeneração e Construção Sustentável • Mobilidade Sustentável • Economia Cultural e criativa • Alimentação Local • Envelhecimento Activo
    • A responsabilidade das políticas para as cidades‘La política territorial y el urbanismo, y losprofesionales que a ello se dedican, han tenidoresponsabilidades destacadas en el origen de la crisis,sea por haber contribuido activamente a generar lascircunstancias en las que nos encontramos, sea por nohaber sabido oponernos con suficiente fuerza a laderiva que nos llevaba a ellas’ Oriol Nel·loNew Deal para la ciudad europea‘(…) diseñar un urbanismo para la crisis que tenga como preocupación principal evitarla degradación de la ciudad, asegurar la vivienda, hacer frente a los efectos de lasegregación, proveer servicios, contribuir a generar empleo Oriol Nel·lohttp://www.elperiodico.com/es/noticias/opinion/urbanismo-crisis-1187727 Cidades e o futuro
    • O valor da aposta ‘local’‘More small firms means more jobsThe Secret to Job Growth: Think Small’ Harvard Business Review http://hbr.org/2010/07/the-secret-to-job-growth-think-small/ar/1 Cidades e o futuro
    • Novas apostas de governação à escala local Agenda for Prosperity - City of Toronto (Canada) Urbact Cities - Facing the crisis (Urbact – EU) Ten Steps to Save the Cities (UK); City Relationships: Economic linkages in Northern city regions (UK)Driving economic recovery: The Core Cities – A new partnership (UK) Cidades e o futuro
    • As cidades como palco demobilização cívica Cidades e o futuro
    • O futuro das cidades‘Temos de ir caminhando pelas ruas econversando com as pessoas para ir àprocura dessas micro-histórias‘ Cidades e o futuro
    • 3. Agenda de debate em Aveiro 1. Desconsideração da importância do papel do cidadão no processo de tomada de decisões (um ano e meio de discussão em torno da Obra do Alboi, entretanto parcialmente alterada) 2. Opções de investimento discutíveis (obras da Ponte Pedonal do Rossio e do Parque D. Pedro) cuja necessidade, utilidade, localização e impacto é merecedor de amplo reparo; 3. Deficits de intervenção em espaços emblemáticos (por exemplo no Rossio); 4. Projeto para a Avenida (demasiado centrado no instrumento ‘projeto de espaço público’)
    • 4. À luz dos desafios que recursos dispõe Aveiro?Tendo em conta algumas das dimensões referenciadas noâmbito da agenda europeia para o crescimento: • Regeneração e Construção Sustentável • Mobilidade Sustentável • Economia Cultural e criativa • Alimentação Local • Envelhecimento Ativoque recursos Aveiro tem para oferecer?como os tem sabido utilizar?e como podem ser úteis para a qualificação da cidade e do(s)seu(s) centro(s)?
    • Que recursos dispõe? Economia Cultural e Criativa A cidade/município está a saber tirar partido de ter • 350.000 habitantes e oito Centros Culturais num raio de 30 min (Aveiro, Ílhavo, Estarreja, Albergaria, Sever do Vouga, Águeda e Ovar) • Museus de âmbito nacional (Arte e Ciência) • Vasto conjunto de Associações e Artistas (Música, Dança, Teatro, Artes Plásticas e Fotografia) • Eventos de referência (Cerâmica artística, Música erudita/ do mundo, TEDx) • Empresas na área das tecnologias, comunicação e design (INOVARIA) • Formação Superior (Comunicação, Arte, Tecnologia, Cultura, Turismo e Território) • I&D (Tecnologias – SAPO Campus, Etnomusicologia, Jazz, Artes Performativas, Design & Media, Estudos Culturais, Estudos Literários, Turismo, Território) • Parque Ciência & Inovação UA (TICE) • ADDICT – Associação para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas
    • Que recursos dispõe? Regeneração Urbana e Construção Sustentável A cidade/município está a saber tirar partido de ter • Património edificado com problemas de conservação (Adobe e Azulejo) • 8.200 fogos não ocupados (1/5 do total); mais 1.500 do que há dez anos (INE 2011) • Empresas de relevância nacional no sector dos materiais de construção; • Formação Superior (Regeneração Urbana) • I&D - Eficiência Hídrica – POVT (CIRA/UA) • Plataforma para a Construção Sustentável (Centro Habitat – UA) • Rede ‘Aveiro-Domus’ cooperação e transferência de tecnologia e conhecimento • Parque Ciência & Inovação UA (Materiais) • Participação em Redes Europeias - Europe Interclusters; • Normativas Europeias (Balanço Zero – Energia; Água, Materiais, Resíduos)
    • Que recursos dispõe? Mobilidade Sustentável A cidade/município está a saber tirar partido de ter • Condições favoráveis (morfologia, tradição, ria) • BUGA – 1.º sistema de bicicletas de utilização gratuita nacional • Participação em redes europeias de promoção da Mobilidade Ciclável (Lifecycle & Active Accesss) • Dinâmicas de empresas da região de Aveiro (BykeTour - Sportis, LARUS – mobiliário urbano, REVIGRES – pavimentos tácteis) • Dinâmicas cívicas (Massa Crítica; Pedalar Aveiro) • I&D Mobilidade - Projecto BikeEmotion (desenvolvido no âmbito da TICE Mobilidade) • Parque Ciência & Inovação UA (Energia/Materiais) • Projetos regionais de promoção do lazer ciclável (CICLORIA) • Produção industrial da bicicleta na região (ABIMOTA) • Cluster Nacional da Mobilidade Eléctrica
    • Que recursos dispõe? Envelhecimento Ativo A cidade/município está a saber tirar partido de ter • População envelhecida; • Rede de Equipamentos para a Terceira Idade e instituições com vasta experiência na matéria; • Experiência local em projetos mobilizadores envolvendo pessoas idosas (por ex: Viver a Idade; Vestir Aveiro) • Dinâmicas Locais (Universidade de Terceira Idade) • Formação superior e I&D no domínio da saúde e gerontologia (UA) • Participação em Redes (Cidades Amigas das Pessoas Idosas) • Políticas nacionais – ‘Transformar Portugal na Flórida da Europa’ (Min. Economia e DPP) • 2012 Ano Europeu do Envelhecimento Ativo
    • Que recursos dispõe? Alimentação Local A cidade/município está a saber tirar partido de ter • Um dos dez mercados Agricultura Biológica a nível nacional está em Aveiro no Mercado Manuel Firmino – AGROBIO; • Vasto conjunto de terrenos agrícolas disponíveis • Dinâmicas locais: Projeto “Hortas Comunitárias” das Barrocas • Propostas PECA (Hortas de Utilização Pública de Aveiro) • Dinâmicas Cívicas: movimentos de Transição; • Comércio e serviços ligados à Restauração (e Cantinas) • Chefs de cozinha de prestígio nacional • Escola Profissional Agricultura de Vagos (EPDVR) • I&D no domínio alimenta: Química Alimentar • Parque Ciência & Inovação UA (Agro-alimentar)
    • Que recursos dispõe? Empresas Poder dos cinco Local Redes de Conhecimento temas da agenda 5 temas de uma agenda de futuro Regeneração e Construção Cidadãos Dinâmicas Sustentável e Sociais Mobilidade Sustentável dinâmicas Culturais Economia Cultural e criativa Alimentação Local cívicas Envelhecimento Ativo Como tirar partido?
    • 5. Um futuro possívelAVEIRO 1. Aveiro tem recursos únicos para se afirmar como uma referência internacional na experimentação da aplicação colaborativa dos princípios dacidade agenda ‘Europa 2020’ (uma oportunidade para qualificar a cidade e as funções de habitar, mover,colaborativa criar/estar, produzir e cuidar); 2. Dimensão colaborativa recomenda uma postura de diálogo autêntico e responsável com os cidadãos e métodos voluntaristas de trabalho em parceria; 3. A experimentação sugere, no contexto de parcos recursos, a mobilização de saberes (científicos e tácitos) no desenvolvimento de micro-iniciativas de baixo-custo e alto impacto na cidade
    • 6. Qualificar o(s) centro(s) Qualificar o(s) centro(s) através de um exercício de experimentação colaborativa alinhado com a agenda europeia para o crescimento (Europa 2020)
    • Experimentação colaborativa em Aveiro 1. Ideias de pequena 4. apoio low-profile das escala, ligeiros, rápida instituições públicas execução, efeito visível e locais e comunidades baratos 5. com talentos e 2. promovidos por recursos humanos locais cidadãos ou de grupos e regionais de cidadãos (bairro/rua), 6. com recursos para a comunidade financeiros locais e regionais 3. sustentados em passos experimentais e 7. acompanhamento e incrementais coerência assegurada por poderes públicosPesquisa desenvolvido no âmbito da Plataforma ‘Cidades pela Retoma’ locais
    • Experimentação colaborativa em Aveiro GERAR IDEIAS ECONOMIA DA CRIATIVIDADE ANIMAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO REGENERAÇÃO ECONOMIA DA /CONSTRUÇÃO AGENDA DE CULTURA SUSTENTÁVEL QUALIFICAÇÃO EDIFÍCIOS DA CIDADE DEVOLUTOS DE AVEIRO MOBILIDADE SUSTENTÁVEL ENVELHECIMENTO ACTIVO ALIMENTAÇÃO LOCAL FINANCIAMENTO DE IDEIAS
    • Experimentação colaborativa em Aveiro PODER LOCAL (DO FUTURO) ASSOCIAÇÕES E ORGANIZAÇÕES CIDADES, CIDADÃOS ACTORES DA ARTE/CULTURA, CIÊNCIA, AGENDA DE DESENVOLVIMENTO E VIZINHOS QUALIFICAÇÃO CIDADANIA BAIRRO, RUA, DA CIDADE CIDADE DE AVEIRO ACTORES ECONÓMICOS DAS UNIVERSIDADES E CIDADES INVESTIGADORES
    • Experimentação colaborativa em Aveiro Exemplos inspiradores Pesquisa desenvolvido no âmbito da Plataforma ‘Cidades pela Retoma’
    • Discussão colaborativa para gerar e/ou divulgar ideias ‘low-cost’• Eventos colaborativos para gerar ideias para cidades (https://www.facebook.com/lisboaideia)• Concurso de ideias para cidades promovidos por cidadãos (http://www.norulesgreatspot.com/)• Interfaces colaborativos para gerar ideias para cidades (https://www.facebook.com/IdeasforCities)
    • Aproveitamento temporário de edifícios comerciais devolutos• Residências temporárias de projectos artísticos, científicos, tecnológicos em lojas devolutas (1/3/6 meses); Oferecer a montra vazia para a valorização de um talento ou competência local, com troca de pequenas obras/limpezas (Newcastle – Australia); http://renewnewcastle.org/• …
    • Aproveitamento de edifícios públicos devolutos• Casa das brincadeiras no Porto (antiga Escola Primária) https://www.facebook.com/casadasbrincadeirasemconstrucao• Es.Cola da Fontinha (http://escoladafontinha.blogspot.com/)• …
    • Reabilitação Low-Cost• Recuperações ‘low-cost’ de edifícios devolutos - ateliers artísticos, de empresas ou associações, aproveitando fábricas devolutas (Seres – Caldas da Rainha);• …
    • Reabilitação Low-Cost• Reabilitação de baixo-custo (Plano B - Porto) http://lowcosthouses.wordpress.com/• Edifício-Manifesto (http://edificiomanifesto.wordpress.com/)• …
    • Co-work - Trabalho colaborativo• Trabalho colaborativo (http://www.co-work.net/thehubporto/ )• …
    • Qualificação low-cost do espaço público• Jardinagem de guerrilha (http://www.guerrillagardening.org/)• ‘Vestir Aveiro’ (Aveiro)• …
    • Qualificação low-cost do espaço público• Parking Day (http://parkingday.org/)• Espaços públicos temporários• …
    • Qualificação ‘low-cost’ do espaço público• Limpezas performativas (http://www.c-e-m.org/ )• …
    • Qualificação low-cost do espaço público• Fornos comunais – 36-Hour Dinner Party (‘a focus for social life, a place to gather and gossip and escape the solitude of cooking at home’)• …
    • Animação do espaço público• Re-Make (CIN), a ilustração e o texto no espaço público;• Manobras no Porto (http://manobrasnoporto.com/);• ‘Ler um Livro passeando pela Cidade’ com Gonçalo M. Tavares (em Aveiro)• …
    • Animação do espaço público• Eventos desportivos ou de lazer no espaço público (encerramento temporário ao trânsito automóvel);• Vias Recreativas (http://www.cicloviasrecreativas.org/en)• …
    • Agricultura de proximidade• Horta ‘Quinta Musas da Fontinha’ (Porto)• Banco de terras – Montemor-o-Novo (http://redemontemor.blogspot.com/)• Parques Agrícolas de Lazer
    • Serviços colaborativos e partilhas• Boleias e partilha de carro (http://www.deboleia.com/ ou https://www.liftshare.com/uk/ ou http://www.whipcar.com/ )• Banco do Tempo (http://www.bancodetempo.net/)• Eu prometo (http://www.pledgebank.com/)
    • Serviços colaborativos e redes de solidariedade• Redes de solidariedade com idosos - Tyze (http://www.tyze.com/)• Rede de solidariedade entre famílias - ‘Family by family’ (http://familybyfamily.org.au/)
    • Economia Cultural e Criativa• Fab-lab municipais low-cost (Leonel Moura, ‘Cidades Criativas 3.0’)•…
    • Crowdfunding – financiamento pela comunidade• Financiamento de projectos pela comunidade• …
    • Um futuro possível AVEIRO cidade colaborativa Contributos de reflexão podem ser enviados para josecarlosmota@gmail.com ou jcmota@ua.pt Cidades pela Retoma http://noeconomicrecoverywithoutcities.blogs.sapo.pt/ https://www.facebook.com/CidadespelaRetoma Amigosd’Avenida https://www.facebook.com/AmigosdAvenida.Aveiro http://amigosdavenida.blogs.sapo.pt/