Your SlideShare is downloading. ×
Produção Discente UFAL - ENEBD 2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Produção Discente UFAL - ENEBD 2010

1,182
views

Published on

Trabalho apresentado no XXXIII Encontro de Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação. João Pessoa - PB, em julho de 2010.

Trabalho apresentado no XXXIII Encontro de Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação. João Pessoa - PB, em julho de 2010.

Published in: Devices & Hardware

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,182
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. XXXIII ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO, CIÊNCIA E GESTÃO DA INFORMAÇÃO - ENEBD ATIVIDADES CULTURAIS NAS UNIDADES DE INFORMÇÃO: o caso do museu Théo Brandão em Alagoas Adriele da Silva Isaac Kimbell Sales Neves José Diógenes de O. Lima Zays Cláudio Gomes da Silva Maceió-AL 2010
  • 2. 1 INTRODUÇÃO
    • A presente pesquisa apresenta como temática principal a produção científica dos discentes universitários. Como locus de análise busca-se investigar a realidade da produção científica dos discentes do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Alagoas – UFAL.
    • A pesquisa e a produção são fatores respeitáveis para o intercâmbio científico e progressão intelectual da humanidade, além de servir como auxílio para o curso obter status na comunidade científica e crescimento dentro da instituição.
  • 3. OBJETIVOS
    • OBJETIVO GERAL
    • Investigar as características das produções dos discentes do curso de Biblioteconomia da UFAL.
    • OBJETIVOS ESPECÍFICOS  
    • Identificar e mapear as produções discentes do curso de Biblioteconomia da UFAL durante os anos de 2007, 2008, 2009 e 2010;
    • Demonstrar a necessidade e a importância da pesquisa aos discentes do curso de Biblioteconomia da UFAL; 
    • Fazer com que este artigo sirva de referência para aumento das pesquisas e produções dos discentes do curso; 
    • Desenvolver um mini-curso para discutir e apresentar argumentos incentivadores da pesquisa discente.
  • 4.   2 COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
    • Para Mueller (1995, 64) citando Kaplan e Storer (1968) & Garvey (1979) “o termo Comunicação Científica se refere à troca de informações entre cientistas e inclui todas as atividades associadas com a produção, disseminação e uso da informação, desde a hora em que o cientista teve a idéia de pesquisa até o momento em que os resultados de seu trabalho são aceitos como parte integrante do conhecimento científico.”
  • 5. 2 COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
    • Em consonância com Mueller (1995) entende-se que a Comunicação Científica não é só imprescindível aos pesquisadores de alto nível, mas sim a qualquer novo pesquisador que pretende iniciar sua vida de investigador, independente de seu estágio como pesquisador.
  • 6. 3 PRODUÇÃO CIENTÍFICA: BREVES CONSIDERAÇÕES
    • De acordo com Santos et al (2007) a produção cientifica pode ser entendida como um processo de desenvolvimento de uma determinada sociedade, pois, o conhecimento que o estado e a nação produz no mundo é para a contribuição efetiva nos diversos setores do cotidiano, especificamente, da economia, da política, da cultura, sobretudo, nas relações de mudança de poder entre as classes sociais no mundo.
    • Portanto, percebe-se que, quanto mais “cedo” os estudantes de graduação começam a produzir cientificamente, consequentemente poderão ser tornarem pesquisadores, com o objetivo espera-se, de solucionar os problemas sociais que, a sociedade contemporânea vem enfrentando no seu cotidiano.
  • 7. 3.1 PRODUÇÃO CIENTÍFICA DISCENTE
    • A despeito Ivashita e Rodrigues (200?, p. 1) apud Chervel (1990) “teoriza acerca da análise da produção discente, argumentando que ela propicia elementos que permitem identificar e avaliar as práticas pedagógicas, bem como observar o nível de assimilação entre os discentes, avaliar a distância entre o que se ensinou e o que se aprendeu. E, por último, permitem também verificar se fez surgir, entre os discentes, uma autonomia ou uma vontade própria, contrariando a lógica das finalidades das disciplinas.”
  • 8. 4 ESPÍRITO CRÍTICO DO PESQUISADOR
    • Macedo (1987) expõe sobre a dedicação que se deve ter numa investigação na quais diversos fatores incidem de forma positiva (ou não), estes (fatores) a autora elenca alguns: o espírito crítico e inquiridor, a vontade de encontrar novos caminhos, superar defasagens e solucionar problemas. Desse modo, sabe-se que o pesquisador antes, durante e após a pesquisa terá que se auto avaliar, pois cada etapa é de suma importância.
    • Além disso, ele precisa obter um bom contato com a comunidade científica, com pesquisadores de renome, colegas cientistas e claro, um bom envolvimento com sua área de pesquisa. “Na verdade, faz parte da formação de um futuro cientista aprender as regras do sistema de comunicação cientifica, para a sua própria sobrevivência como pesquisador” (MUELLER, 1995, p. 70).
  • 9. 5 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
    • A presente pesquisa buscou métodos e técnicas quantitativas e qualitativas para análise e coleta de dados, tendo em vista como suporte de coleta o uso do questionário para caracterização da produção dos discentes. Outros dados foram pesquisados e analisados pelos Currículos Lattes disponibilizados na Plataforma Lattes do Centro Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico – CNPq e pelos Projetos de Pesquisa do curso através do Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil.
  • 10. 5 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
    • As análises seguem algumas etapas.
    • Etapa 1 – Discentes
      • Mapeamento dos discentes pesquisadores do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Alagoas e, suas devidas linhas de pesquisa.
    • Etapa 2 – Veículos de Informação/Publicação
      • Caracterização dos veículos utilizados para pesquisa e produção dos discentes;
      • Anais de Congressos, Encontros e outros;
      • Periódicos;
      • Livros.
    • Etapa 3 – Produção Científica
      • Identificar as literaturas utilizadas na produção dos discentes, isto é, nacional/internacional;
      • Quantificar as médias da produção dos discentes por período.
  • 11. 6 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS
    • Percebeu-se que no Curso de Biblioteconomia da UFAL, há cerca de 124 discentes matriculados. Foram aplicados 70 questionários sendo 58 recebidos. Desta forma, têm-se nos dados no quadro 01, as informações sobre a produção discente no respectivo curso.
  • 12. 6 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS Nota-se que no Curso de Biblioteconomia da UFAL, existe um quantitativo relevante de discentes que não estão produzindo cientificamente. Quadro 01. Quantitativo de Discentes Pesquisadores do Curso de Biblioteconomia/UFAL. Fonte: Sitio do Curso de Biblioteconomia/UFAL e na Plataforma Lattes/CNPQ. Discentes Sim Não Total Produz cientificamente 15 43 58
  • 13. 6 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS Observa-se que, os estudantes do curso de Biblioteconomia da UFAL, estão priorizando os anais de congresso para a comunicação de seus artigos científicos. Gráfico 01. Veículos utilizados para comunicação da produção científica dos discentes.
  • 14. 6 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS
    • Através dos coletados com aplicação de questionários e investigação na base de dados do Diretório de Grupos de Pesquisa do Brasil, percebeu-se que o curso através do Corpo Docente, com exceção de alguns, não norteia a produção científica dos discentes.
    Fonte: Diretório de Grupos de Pesquisa do Brasil. Disponível em: <http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhepesq.jsp?pesq=8048999419906071> >. Quadro 02. Quantitativo de Grupos de Pesquisa do Curso de Biblioteconomia/UFAL.
  • 15.   7 CONSIDERAÇÕES FINAIS
    • Assim sendo, conclui-se a pesquisa acerca da produção científica por discentes do Curso de Biblioteconomia da UFAL, com base nos resultados da pesquisa, tanto do ponto de vista do pouco número de discentes pesquisadores e grupos de pesquisa, apenas 02 (dois).
    • Enfim, as lacunas identificadas nessa pesquisa podem servir de base para outras investigações posteriores com intuito de formar nos discentes de Biblioteconomia da UFAL uma realidade da qual eles, precisam está conscientes da necessidade de se produzir pesquisas científicas, pois como é sabido, tais questões são relevantes num processo de avaliação, por exemplo, uma avaliação do Ministério da Educação – MEC, ENADE, CNPQ entre outras instituições como esse objetivo .
  • 16. REFERÊNCIAS
    • BOOTH, Wayne C; COLOMB, Gregory G; WILLIAMS, Joseph. A arte da pesquisa . São Paulo: Martins Fontes, 2008.
    • CASTRO, César Augusto. A pesquisa discente nos cursos de graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Transinformação , Campinas, v. 14, n. 1, p. 49-53, jan./jun. 2002. Disponível em: <http://arte.ricesu.com.br/art_link.php?art_cod=1854> Acesso em: 23 out. 2009.
    • CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO-CNPQ. Plataforma Lattes . Disponível em: <http://lattes.cnpq.br/>. Acesso em: 2 fev. 2010.
    • CURSO DE BIBLIOTECONOMIA. Resolução Nº 01/2002 de Curso de Biblioteconomia/UFAL de 09/04/2002. Disponível em: <http://www.ichca.ufal.br/graduacao/biblioteconomia/v1/wp-content/uploads/resolucao-de-tcc-2010.pdf>. Acesso em: 2 fev. 2010.
    • KOBASHI. Nair Yumiko. Notas sobre o papel da pesquisa em cursos de graduação em ciência da informação. Transiformação , São Paulo, v. 14, n. 2, p. 153-158, jul./dez. 2002. Disponível em: < http://revistas.puc-campinas.edu.br/transinfo/viewissue.php?id=1&locale=fr>. Acesso em: 23 out. 2009.
    • KUHN, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas . 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1978.
    • MACEDO, Neusa Dias de. Pesquisa em ciência da informação e biblioteconomia: questões de base; implicações na pós-graduação; análise temática. Ciência da Informação, Brasília, v. 16, n. 2, p. 129-144, jul./dez. 1987. Disponível em: <http://revista.ibict.br/index.php/ciinf/article/view/1466/1085>. Acesso em: 18 out. 2009.
    • MEADOWS, A.J. A comunicação científica . Brasília, DF: Briquet de Lemos, 1999.
    • MUELLER, Suzana Pinheiro Machado. O crescimento da ciência, o comportamento cientifico e a comunicação cientifica: algumas reflexões. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG , Belo Horizonte, v. 24, n.1, p.63-84, jan./jun. 1995.
    • TARGINO, Maria das Graças. A interdisciplinaridade da ciência da informação como área de pesquisa. Revista Informação & Sociedade , v. 5, n. 1, 1995. Disponível em: <http://www.informacaoesociedade.ufpb.br/519501.pdf>. Acesso em: 28 jun. 2009.
    • SANTOS, Márcio Adriano Costa dos. et. al. Características da produção e comunicação cientifica dos docentes da universidade federal de alagoas – UFAL. In. VII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação-ENANCIB. Disponível em: <http://www.enancib.ppgci.ufba.br/artigos/GT7--229.pdf>. Acesso em: 3 set. 2009.
  • 17. OBRIGADO