FMEA e FTA

17,380 views
17,131 views

Published on

Material de curso sobre FMEA e FTA (Falure mode and effects analysis and Failure Tree Analysis) ou Análise de Modo e Efeitos de Falha e Análise da Árvore de Falhas.

Published in: Education

FMEA e FTA

  1. 1. FMEAFMEA--FTAFTA Análise de Modo e EfeitosAnálise de Modo e Efeitos de Falha / Análise dade Falha / Análise dade Falha / Análise dade Falha / Análise da Árvore de FalhasÁrvore de Falhas FMEA/FTAFMEA/FTAFMEA/FTAFMEA/FTA Carlos David LópezCarlos David López YukimuraYukimura, M.Sc, M.Sc.. 1
  2. 2. FMEAFMEA--FTAFTA PPProgramaPrograma Introdução Conceitos básicos de confiabilidade Garantia da qualidade considerando projeto e processos A relação FMEA e QS 9000 Conceitos de FMEA - FTA Visão geral A linguagem da FMEA e FTA Trabalho em equipe multifuncional FMEA FMEA de Sistemas FMEA de Projeto FMEA de Processo FMEA de Serviço Estudos de caso Exercícios práticos FTA Sistemática do FTA Estrutura da Árvore de Falhas Elementos da Árvore de Falhas Construção da Árvore de Falhas Estudos de caso Exercícios práticos Implementação
  3. 3. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade •• DesempenhoDesempenho C fi bilid dC fi bilid d•• ConfiabilidadeConfiabilidade •• DurabilidadeDurabilidade •• EstéticaEstética A i tê iA i tê i QualidadeQualidade •• AssistênciaAssistência •• AtributosAtributos •• ConformidadeConformidade •• Qualidade percebidaQualidade percebida•• Qualidade percebidaQualidade percebida
  4. 4. FMEAFMEA--FTAFTA C it Bá i d C fi bilid dC it Bá i d C fi bilid dConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade OO termo confiabilidade pode ser definido no sentidotermo confiabilidade pode ser definido no sentido amplo e limitado da palavra. A interpretação amplaamplo e limitado da palavra. A interpretação ampla gira em torno de um sentido degira em torno de um sentido de satisfação por partesatisfação por parte do consumidordo consumidor frente aos produto comuns e umfrente aos produto comuns e um sentidosentido de confiança frente a empresade confiança frente a empresa en ol idaen ol idasentidosentido de confiança frente a empresade confiança frente a empresa envolvida.envolvida. Estes fatores são muito subjetivos. Se estamosEstes fatores são muito subjetivos. Se estamos procurando trabalhar com a confiabilidade de umprocurando trabalhar com a confiabilidade de umprocurando trabalhar com a confiabilidade de umprocurando trabalhar com a confiabilidade de um maneira concreta e quantitativa é necessário umamaneira concreta e quantitativa é necessário uma interpretação mais objetiva.interpretação mais objetiva.
  5. 5. FMEAFMEA--FTAFTA C it Bá i d C fi bilid dC it Bá i d C fi bilid dConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade ““Confiabilidade é a probabilidade queConfiabilidade é a probabilidade que““Confiabilidade é a probabilidade queConfiabilidade é a probabilidade quep qp q uma parte, dispositivo, equipamento,uma parte, dispositivo, equipamento, sistema ou processo desempenhará suasistema ou processo desempenhará sua p qp q uma parte, dispositivo, equipamento,uma parte, dispositivo, equipamento, sistema ou processo desempenhará suasistema ou processo desempenhará suasistema ou processo desempenhará suasistema ou processo desempenhará sua pretendida função por um um período depretendida função por um um período de sistema ou processo desempenhará suasistema ou processo desempenhará sua pretendida função por um um período depretendida função por um um período de tempo específico sob dadas condições.tempo específico sob dadas condições.””tempo específico sob dadas condições.tempo específico sob dadas condições.”” A confiabilidade de um produto/processo pode estar na faixa de 1 (perfeitamente confiável) a 0 (totalmente não confiável)
  6. 6. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade •• SistemasSistemasSistemasSistemas •• ComponentesComponentes •• Partes/PeçasPartes/Peças
  7. 7. FMEAFMEA--FTAFTA C it Bá i d C fi bilid dC it Bá i d C fi bilid dConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade Falha acontece quando: “A função em questão não é exibida” Três casos de falha • Cessar a operaçãoCessar a operação • Operação Instável D i ã d F ã• Deterioração da Função
  8. 8. FMEAFMEA--FTAFTA C it Bá i d C fi bilid dC it Bá i d C fi bilid dConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade •• “Período de tempo específico”“Período de tempo específico”  “Duty Time” Duty Time  “Mission Time” “Sob dadas condições”“Sob dadas condições”•• “Sob dadas condições”“Sob dadas condições” Condições de uso A biAmbiente Engenharia Humana Outros fatores: número de vezes de uso, tempo de armazenagem, tempo de operação esperado etcesperado, etc
  9. 9. FMEAFMEA--FTAFTA C it Bá i d C fi bilid dC it Bá i d C fi bilid dConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade MTBFMTBF -- MTTFMTTF Na prática a confiabilidade é determinada peloNa prática a confiabilidade é determinada peloNa prática a confiabilidade é determinada peloNa prática a confiabilidade é determinada pelo número de falhas (taxa de falhas) por unidade denúmero de falhas (taxa de falhas) por unidade de tempo durante o tempo de missão, ou pelo Tempotempo durante o tempo de missão, ou pelo Tempotempo durante o tempo de missão, ou pelo Tempotempo durante o tempo de missão, ou pelo Tempo Médio Entre Falhas (MTBFMédio Entre Falhas (MTBF -- Mean Time BetweenMean Time Between Failures) ou Tempo Médio para a Falha (MTTF).Failures) ou Tempo Médio para a Falha (MTTF).Failures) ou Tempo Médio para a Falha (MTTF).Failures) ou Tempo Médio para a Falha (MTTF).
  10. 10. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade Nível de desempenho Condição Ideal MínimaMínima Condição Admissível T (TEMPO) MTBF MTTR MTBF T (TEMPO) MTTR
  11. 11. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade k falhask falhas N itens tempo Ttempo T  k = k T Conhecendo a confiabilidadeConhecendo a confiabilidade possibilita a determinação imediatapossibilita a determinação imediata da taxa de falhas. MTBF é a recíprocada taxa de falhas. MTBF é a recíproca d t d f lhd t d f lh MTBF = 1 da taxa de falhas.da taxa de falhas. =
  12. 12. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade MTBF (Tempo Médio Entre Falhas)MTBF (Tempo Médio Entre Falhas) MTBF F1 F2 F3 tempo Ttempo T MTTF (Tempo Médio Para a Falha)MTTF (Tempo Médio Para a Falha) F1 tempo T1x MTTF (Tempo Médio Para a Falha)MTTF (Tempo Médio Para a Falha) p x x F1 tempo T2 F1 tempo T3 MTTF = = T k 2 p
  13. 13. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade Curva da BanheiraCurva da Banheira MortalidadeMortalidade Vida ÚtilVida Útil DesgasteDesgaste Curva da BanheiraCurva da Banheira hashas InfantilInfantil deFalhdeFalhTaxadTaxad Vida Operacional (idade), T, hrVida Operacional (idade), T, hr
  14. 14. FMEAFMEA--FTAFTA C it Bá i d C fi bilid dC it Bá i d C fi bilid dConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade •• Avaliação de Sistemas em cincoAvaliação de Sistemas em cinco ttaspectosaspectos  Confiabilidade Confiabilidade  Disponibilidade  Compatibilidade  Economia Economia  Reproducibilidade
  15. 15. FMEAFMEA--FTAFTA C it Bá i d C fi bilid dC it Bá i d C fi bilid dConceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade Projeto para ConfiabilidadeProjeto para Confiabilidade Fatores que afetam a confiabilidade do produto.Fatores que afetam a confiabilidade do produto. Projeto para ConfiabilidadeProjeto para Confiabilidade •• Qualidade dosQualidade dos materiaismateriais •• ManuseioManuseio E b lE b lmateriaismateriais •• Qualidade deQualidade de f b i ãf b i ã •• EmbalagemEmbalagem •• InstalaçãoInstalação fabricaçãofabricação •• MovimentaçãoMovimentação •• Operação eOperação e •• ManutençãoManutençãoManutençãoManutenção Podem ter um efeito negativo sobre a qualidade do produto. Porém para todos os intentos e propósitos nenhum destesPorém, para todos os intentos e propósitos, nenhum destes fatores pode melhorar a confiabilidade do projeto.
  16. 16. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade FF Probabilidade de falha C Confiabilidade, probabilidade que a C Confiabilidade, probabilidade que a falha não ocorrerá C11 F = 1 - C C22 C11 C22 C33 C33 C11 C22 C33 Cs = 1 - Fs = (1-F1)(1-F2)(1-F3)...(1-Fn) = Cn Cs = 1 - Fs Cs = 1 - Fs =1- (1-F1)(1-F2)(1-F3)C1.1. C2.2. C3.3.= ... Cn Cs 1 Fs 1 (1 F1)(1 F2)(1 F3)
  17. 17. FMEAFMEA--FTAFTA Elementos de Avaliação Pontos de AvaliaçãoElementos de Avaliação Pontos de Avaliação 1. Projeto Redundância Fator de segurança Condições ambientais Segurança Economia Confiabilidade 1. Confiabilidade Inerente (Ci) ç assumidas Engenharia Humana Testes (Ci) 2. Fabricação Material e máquina Procedimento de fabricação Controle de qualidade Administração do b lh d Produção Economia Fornecimento Confiabilidade Operacional (Co=Ci xCu) 1. Uso trabalhador Procedimento Treinamento Moral Desempenho Função Expansão 2. Confiabilidade de Uso 2 M t ã Manual instrução Procedimento p Vida em serviço Operação Adaptabilidade Manutenibilidadede Uso (Cu) 2. Manutenção Procedimento Controle de peças de reposição Treinamento do pessoal de manutenção Manutenibilidade Subtituibilidade Testes Intercambiabilidade Fornecimento 3. Ambiente Armazenagem- Expedição Embalagem Ambiente do uso Armazenagem Expedição
  18. 18. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade Problemas durante a fase de projetoProblemas durante a fase de projeto•• Problemas durante a fase de projetoProblemas durante a fase de projeto  Estabelecimento das especificações de confiabilidade  Condições ambientaisç  Failsafe e foolprof  Redundância  Projeto para confiabilidadej p •• Problemas durante os testesProblemas durante os testes •• Problemas durante a fabricaçãoProblemas durante a fabricaçãoProblemas durante a fabricaçãoProblemas durante a fabricação  Processos de fabricação  Partes compradas  Falhas prematuras e debugging Falhas prematuras e debugging  Cronograma e expedição
  19. 19. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade •• Fontes deFontes de FeedbackFeedback de Produtode Produto I •• Fontes deFontes de FeedbackFeedback de Produtode Produto  Testes de resultados de Protótipo / DesenvolvimentoDesenvolvimento  Resultados de teste final  Relatórios de inspeção, não conformes e Relatórios de inspeção, não conformes e estatísticas de rejeição  Retorno do consumidor  Reclamações do cliente  Testes e análise de fábrica ou falhas de campo  Requisição por mudanças ou desistentes Reclamações do vendedor Reclamações do vendedor
  20. 20. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade F t dF t d F db kF db k d P d td P d t II •• Fontes deFontes de FeedbackFeedback de Produtode Produto  Ordem para reparo ou peças de reposição ó ú Relatório da indústria sobre problemas ou estatísticas de desempenho/confiabilidade  Informações trocadas em conferências Informações trocadas em conferências técnicas ou feiras de negócios.  Pesquisa com o consumidor pêlosq p vendedores ou os negociantes  Relatório de serviço do pessoal de vendas l d i t i dou pessoal de serviço autorizado  Reunião com consumidores ou usuários
  21. 21. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade Identificar o P bl Preparar Relatório do Problema Relatório do Problema Logar & Distribuir Relatório Para os Para G ê i Analisar e Determinar a Ação a Ser Tomada Arquivos de Confiabilidade GerênciaTomada Obter Aprovação ep ç Implementar a Ação Corretiva
  22. 22. FMEAFMEA--FTAFTA Conceitos Básicos de ConfiabilidadeConceitos Básicos de Confiabilidade CASO TENHA SIDO OBSERVADA UMA FALHACASO TENHA SIDO OBSERVADA UMA FALHA•• CASO TENHA SIDO OBSERVADA UMA FALHACASO TENHA SIDO OBSERVADA UMA FALHA  Quais foram as condições de uso? Q l t f lh ? Qual componente falhou?  Qual foi o tempo de uso? Q l f i ti d f lh ? Qual foi o tipo de falha?  Quais foram as conseqüências para os equipamentos ?equipamentos ?  Como o equipamento estava funcionando antes de falhar?antes de falhar?  Quais as causas prováveis de falha?  Quais foram as ações corretivas tomadas? Quais foram as ações corretivas tomadas?
  23. 23. FMEAFMEA--FTAFTA G ti d Q lid dG ti d Q lid dGarantia da QualidadeGarantia da Qualidade •• Fatores RelevantesFatores Relevantes 1 E tá i d1. Estágio da compra  Apropriado ao propósito  Aparência, estilo e design  Preço  Dimensões, peso, etc.  Fácil de manusear  Versatilidade  Marca e assistência pós-venda
  24. 24. FMEAFMEA--FTAFTA G i d Q lid dG i d Q lid dGarantia da QualidadeGarantia da Qualidade •• Fatores RelevantesFatores Relevantes 2 E tá i d U2. Estágio do Uso  Queda no desempenho no tempo  Tendência a dar problemas  Fácil de manutenção  Segurança  Fácil de manejar ou manipular  Apropriado nas dimensões e forma  Tendência frente ao desgaste
  25. 25. FMEAFMEA--FTAFTA G i d Q lid dG i d Q lid dGarantia da QualidadeGarantia da Qualidade FASE 1 FASE 2 FASE 3 FASE 4 FASE 5 Início/Aprovação do Conceito Aprovação do Programa Protótipo Piloto Lançamento FASE 1 FASE 2 FASE 3 FASE 4 FASE 5 PlanejamentoPlanejamento PlanejamentoPlanejamento Projeto/Desenv. do Produto Projeto e Desenvolvimento do Processoj Validação do produto e Processo Produção Avaliação do feedback e Ações Corretivas
  26. 26. FMEAFMEA--FTAFTA Garantia da Qualidade: OGarantia da Qualidade: O ProcessoProcessoGarantia da Qualidade: OGarantia da Qualidade: O ProcessoProcesso Planejamento de Produto Re nião de Garantia da Projeto de Produto Prototipagem T t /A li ã Reunião de Garantia da Qualidade na Fase Zero Definir o Plano Básico Teste/Avaliação Preparação da Produção 1ra Reunião de Garantia da Qualidade Decidir se passa para a fase produção em massa Preparação da Produção Produção do Protótipo T t / A li ãTeste / Avaliação Produção em Massa 2da Reunião de Garantia da Qualidade Decidir se passa para expedição Produção em Massa (Estg. Inicial) d 3ra Reunião de Garantia da Qualidade Avaliar problemas da qualidade e ações corre- Produção em Massa (Rotina) Q q ç tivas durante o estg.inicial do período de produção
  27. 27. FMEAFMEA--FTAFTA Garantia da Qualidade:Garantia da Qualidade: Q lid d d P j tQ lid d d P j tGarantia da Qualidade:Garantia da Qualidade: Qualidade de ProjetoQualidade de Projeto Passo Dept. de Engenharia Dept. de Garantia da Qualidade Dept. de Manufatura Avaliação de Requisitos de Engenharia Desdobramento daDesdobramento da Função Qualidade Planejamento de Produto Designção para Controle no estágio inicial R i ã d P j F Z / R iã d G i d Q lid d F ZRevisão de Projeto na Fase Zero / Reunião de Garantia da Qualidade na Fase Zero Projeto de Produto FMEA/FTA Especificação da Qualidade A dit d Q lid d /Protótipo Audit. da Qualidade/ Testes de Confiabilidade P&D de Tecnologia da Produção 1ra Revisão de Projeto / 1ra Reunião de Garantia da Qualidade DesenhosDesenhos Requisitos de CQ ao Dept. de Manufatura
  28. 28. FMEAFMEA--FTAFTA Garantia da Qualidade:Garantia da Qualidade: Qualidade de ConformidadeQualidade de Conformidade Passo Dept. de Engenharia Dept. de Garantia da Qualidade Dept. de Manufatura Plano de Processo Plano de Ferramental Especificação da Inspeção FMEA de Processo Especificação da Inspeção Ferramental Padrão técnico de Processoe a e ta Preparação de Processo Network da G.Q. Estudo de Capa- cidade de processo Operação PadrãoAudit. Qualidade/ 2da Revisão de Projeto / 2da Reunião de Garantia da Qualidade cidade de processo Produção Piloto p ç Treinamento Q Testes de Confiabilidade Produção em Massa(Estg.Inicial) 3ra Revisão de Projeto / 3ra Reunião de Garantia da Qualidade Avaliação do Progresso da Qualidade Liveração do Controle (Estg.Inicial) Produção em Massa(Rotina) Audit. Qualidade/ Testes de Confiabilidade
  29. 29. FMEAFMEA--FTAFTA C i i ã d N QSC i i ã d N QS 90009000Constituição da Norma QSConstituição da Norma QS--90009000 Elementos Adicionais Qualidade Manuais de Referência PAQP, MSA FMEA CEP Elementos Adicionais Malcolm B ld i Norma Internacional ISO 9000 Seção ISeção I Total FMEA, CEP Baldrige R i it E ífiRequisitos Específicos Processo de Aprovação de Peça e Produção Melhoria Contínua C id d d F b i ã Seção IISeção II Capacidade de Fabricação Requisitos Específicos dos Clientes Seção IIISeção III
  30. 30. FMEAFMEA--FTAFTA Níveis de Documentação do Sistema daNíveis de Documentação do Sistema daNíveis de Documentação do Sistema daNíveis de Documentação do Sistema da Qualidade da QSQualidade da QS--90009000 Definição de Política Autoridade e Responsabilidade Definição do “O Que”, “Quem” e “Quando” Fazer Manual da Qualidade Procedimentos Definição do “Como” Fazer • APQP • FMEAoced e tos Instruções de Trabalho • FMEA • MAS •CEP Documentos e Registros do Sistema da Qualidade Demonstração de Evidências da Efetividade do Sistema da Qualidade
  31. 31. FMEAFMEA--FTAFTA Níveis de Documentação do Sistema daNíveis de Documentação do Sistema daNíveis de Documentação do Sistema daNíveis de Documentação do Sistema da Qualidade da QSQualidade da QS--90009000 •• MSA: Análise de Meios de MediçãoMSA: Análise de Meios de MediçãoMSA: Análise de Meios de MediçãoMSA: Análise de Meios de Medição •• SPC: Controle Estatístico de ProcessosSPC: Controle Estatístico de Processos FMEA A áli d M d Ef it d F lhFMEA A áli d M d Ef it d F lh•• FMEA: Análise de Modos e Efeitos de FalhasFMEA: Análise de Modos e Efeitos de Falhas •• APQP: Planejamento avançado da QualidadeAPQP: Planejamento avançado da Qualidade do Produto e Plano de Controledo Produto e Plano de Controle •• PAPP: Processo de Aprovação de Peça dePAPP: Processo de Aprovação de Peça depp ProduçãoProdução
  32. 32. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral FMEAFMEAFMEAFMEAFMEAFMEA Uma análise de modos e efeitos de falha (FMEA) éUma análise de modos e efeitos de falha (FMEA) é uma técnica de engenharia usada para definiruma técnica de engenharia usada para definir FMEAFMEA Uma análise de modos e efeitos de falha (FMEA) éUma análise de modos e efeitos de falha (FMEA) é uma técnica de engenharia usada para definiruma técnica de engenharia usada para definiruma técnica de engenharia usada para definir,uma técnica de engenharia usada para definir, identificar e eliminar falhas conhecidas e/ou emidentificar e eliminar falhas conhecidas e/ou em potencial problemas erros e assim por diante dopotencial problemas erros e assim por diante do uma técnica de engenharia usada para definir,uma técnica de engenharia usada para definir, identificar e eliminar falhas conhecidas e/ou emidentificar e eliminar falhas conhecidas e/ou em potencial problemas erros e assim por diante dopotencial problemas erros e assim por diante dopotencial, problemas, erros e assim por diante, dopotencial, problemas, erros e assim por diante, do sistema, projeto, processo e e/ou serviço antessistema, projeto, processo e e/ou serviço antes que eles cheguem ao consumidor (ASQC 1983)que eles cheguem ao consumidor (ASQC 1983) potencial, problemas, erros e assim por diante, dopotencial, problemas, erros e assim por diante, do sistema, projeto, processo e e/ou serviço antessistema, projeto, processo e e/ou serviço antes que eles cheguem ao consumidor (ASQC 1983)que eles cheguem ao consumidor (ASQC 1983)que eles cheguem ao consumidor (ASQC 1983).que eles cheguem ao consumidor (ASQC 1983).que eles cheguem ao consumidor (ASQC 1983).que eles cheguem ao consumidor (ASQC 1983).
  33. 33. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• A análise de avaliação pode tomar doisA análise de avaliação pode tomar dois cursos de ação para definir as falhascursos de ação para definir as falhas ::ç pç p 1. Utilizando dados históricos de produtos e/ou serviços similares dados de garantiae/ou serviços similares, dados de garantia reclamações dos clientes e qualquer outra informação.informação. 2. Utilizando inferências estatísticas, d l t áti i l õmodelagem matemática, simulações, engenharia simultânea e engenharia da confiabilidadeconfiabilidade.
  34. 34. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Características e indicadoresCaracterísticas e indicadores  Características críticas Características críticas  Os tribunais - responsabilidade legal Agências regulamentadoras - leis e Agências regulamentadoras - leis e regulamentações  Normas industriais - práticas aceitas na Normas industriais práticas aceitas na indústria  Requisitos do consumidor - desejos,q j , necessidades e expectativas  Requisitos de engenharia interna - dadosq g históricos ou de novas tecnologias ou da experiência
  35. 35. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Características e indicadoresCaracterísticas e indicadores  Características significativasg  Identificadas pelo consenso entre consumidor, fornecedor e a equipe de FMEAq p  Fases de projeto produto e processo são fundamentais para identificar estas características  Características Chave  Indicadores de controle que provem rápido feedback para o processo  Provem definição do problema na fonte
  36. 36. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral CAUSAS FUNDAMENTAISCAUSAS FUNDAMENTAIS •• Na análise de falhas (problemas), deveNa análise de falhas (problemas), deve-- se chegar às causas fundamentais, quese chegar às causas fundamentais, quese chegar às causas fundamentais, quese chegar às causas fundamentais, que normalmente estão nos componentesnormalmente estão nos componentes de um dado sistema produto e/oude um dado sistema produto e/oude um dado sistema, produto e/oude um dado sistema, produto e/ou processo. Estas causas podem serprocesso. Estas causas podem ser t i t i tt i t i texternas ou internas ao sistemaexternas ou internas ao sistema 34
  37. 37. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• A Utilização da FMEA:A Utilização da FMEA:  Quando novos sistemas, produtos, processosp p ou serviços são projetados  Para sistemas, produtos, processos ou serviços existentes, desconsiderando a razão  Quando são achadas novas aplicações para as di õ i t t d i t d tcondições existentes do sistemas, produtos, processos ou serviços  Quando são consideradas melhorias para os Quando são consideradas melhorias para os sistemas, produtos, processos ou serviços existentesexistentes
  38. 38. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral Processo para conduzir uma FMEAProcesso para conduzir uma FMEA•• Processo para conduzir uma FMEAProcesso para conduzir uma FMEA  Selecionar a equipe e realizar brainstorm  Diagrama funcional em blocos e/ou fluxograma do processo  Priorizar  Coleta de dados  Análise  Resultados  Confirmação/avaliação/medidas  Kaizen (PDCA)
  39. 39. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Processo para conduzir uma FMEAProcesso para conduzir uma FMEA Selecionar a equipe e brainstormSelecionar a equipe e brainstorm  Assegurar-se que participem as pessoas adequadasadequadas  É fundamental para um eficiente levantamento das possibilidades delevantamento das possibilidades de melhoria, identificação dos problemas, dados disponíveis e especificação da tarefa
  40. 40. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral Análise Funcional  Diagrama funcional em blocos e/ou fluxograma do processo  A idéia é manter todos sintonizados com o tema dando uma visão do modelo de t b lh d l i t i t õ dtrabalho do relacionamento e interações do sistema, subsistemas, componentes, partes processos montagens e /oupartes, processos, montagens, e /ou serviços.
  41. 41. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral Análise Funcional  Procedimentos da Análise Funcional  Especificar o objetivo ou missão e expandir isto para as várias funções  Identificar as principais funções que o produto deve desempenhar  Estas funções serão organizadas em um di bldiagrama em blocos 40
  42. 42. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral Exemplo:Exemplo: ObjetivoObjetivoObjetivoObjetivo Desenvolver uma ferramenta portátil capaz de fazer furos de 1/2 polegada e 2capaz de fazer furos de 1/2 polegada e 2 polegadas. A ferramenta terá auto-power e será projetado para o mercado faça oserá projetado para o mercado faça-o você mesmo. E t bj ti id tifi â t Este objetivo identifica poucos parâmetros chave (portátil, auto-power), furos de 1/2 e 2 polegadas de diâmetro) e o uso final (faça-o 41 polegadas de diâmetro) e o uso final (faça o você mesmo)
  43. 43. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral Diagrama de fluxo funcional 3 0 Prover Potência g f f para uma ferramenta manual 4.0 3.0 1.0 Prover Estrutura de Sustentação Potência Prover F t Fazer Furos Ferramenta 2.0 Prover Conformação Manual 4.0 4.1 4.2 1.0 Manual Segurar F Segurar Sistema de Potência Fazer Furos Prover Estrutura de Sustentação Ferramenta 4.3
  44. 44. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Processo para conduzir uma FMEAProcesso para conduzir uma FMEA O fl dO fl d •• Processo para conduzir uma FMEAProcesso para conduzir uma FMEA •• O fluxograma de processoO fluxograma de processo estabelece umestabelece um entendimento maisentendimento mais organizado das diferentesorganizado das diferentes interações entre osinterações entre os diferentes componentesdiferentes componentespp do sistema e oferece umado sistema e oferece uma característica lógica quecaracterística lógica que todos podem acompanhartodos podem acompanhartodos podem acompanhartodos podem acompanhar e dessa forma entrar eme dessa forma entrar em sintoniasintonia 43
  45. 45. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Processo para conduzir uma FMEAProcesso para conduzir uma FMEA P i i Priorizar  Qual é a parte mais importante ?  Por onde a equipe começa ?  Geralmente a gerência estabelecerá as i id d d t d f ã dprioridades do estudo em função das necessidades do cliente a nível de qualidade (confiabilidade) custo prazo e segurança(confiabilidade), custo, prazo e segurança. 44
  46. 46. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Processo para conduzir uma FMEAProcesso para conduzir uma FMEA C l t d D dColeta de Dados  Aqui é onde a equipe inicia a coleta de dados d f lh t i d f i ddas falhas e as categoriza de forma apropriada.  As falhas identificadas são os modos de falha daAs falhas identificadas são os modos de falha da FMEAFMEAFMEAFMEA  Neste ponto se inicia o preenchimento dos formulários 45
  47. 47. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Processo para conduzir uma FMEAProcesso para conduzir uma FMEA A áliAnálise  A análise pode ser qualitativa ou quantitativa  7 ferramentas, DOE, CEP, modelagem matemática, simulação, análise de confiabilidade, etc DadosDados InformaçãoInformação ConhecimentoConhecimento DecisãoDecisão 46 FLUXOFLUXO
  48. 48. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Processo para conduzir uma FMEAProcesso para conduzir uma FMEA R lt dResultados  A informação deste passo será usada para tifi id d d t ã ê iquantificar a gravidade, detecção, ocorrência e como resultado o NPR (Número de Prioridade de Risco) que é uma medida quantitativa parade Risco) que é uma medida quantitativa para se avaliar e acompanhar o risco de modo de falha 47
  49. 49. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Processo para conduzir uma FMEAProcesso para conduzir uma FMEA Confirmação / Validação / MedirConfirmação / Validação / Medir  A situação é melhor que a anterior ? A it ã é i t i ? A situação é pior que a anterior ?  A situação é a mesma que a anterior ? Melhoria contínua SS DDCC AA SS DDCC AA PP DDCC AA 48 DDCC
  50. 50. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Tipos de FMEATipos de FMEA  FMEA de Sistema  FMEA de Projeto  FMEA de Processo FMEA de Processo  FMEA de Serviço 50
  51. 51. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Tipos de FMEATipos de FMEA  FMEA de Sistema  Usado para analisar sistemas ou subsistemas no início do processo conceptual e preliminar de projeto. O f d FMEA d i t tá O foco do FMEA de sistemas está nos modos de falha potenciais nas funções do sistema causado pelas suas deficiênciassistema causado pelas suas deficiências 51
  52. 52. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Tipos de FMEATipos de FMEA  FMEA de Projeto  Usado para analisar produtos antes que sejam liberados para fabricação. Normalmente na fase de projeto detalhado. O f tá d d f lh d O foco está nos modos de falha causado pelas deficiências do projeto. 52
  53. 53. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Tipos de FMEATipos de FMEA  FMEA de Processo  Usado para analisar processos de fabricação e montagem  O foco está nos modos de falha causados l d fi iê i dpelas deficiências do processo
  54. 54. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA U Vi ã G lFMEA U Vi ã G lFMEA: Uma Visão GeralFMEA: Uma Visão Geral •• Tipos de FMEATipos de FMEA  FMEA de Serviço  Usado para analisar o serviço antes dele chegar ao consumidor  O foco está nos modos de falha causadas l d fi iê i d i tpelas deficiências do sistema ou processo
  55. 55. FMEAFMEA--FTAFTA FTA Vi ã G lFTA Vi ã G lFTA: Visão GeralFTA: Visão Geral FTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHASFTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS •• FTA foi desenvolvido em 1961 naFTA foi desenvolvido em 1961 na B ll T l h CB ll T l h CBell Telephone CompanyBell Telephone Company •• A Boeing fez algumas modificaçõesA Boeing fez algumas modificaçõesg g çg g ç ao ponto que hoje todos tipos deao ponto que hoje todos tipos de indústrias o utilizamindústrias o utilizamindústrias o utilizamindústrias o utilizam
  56. 56. FMEAFMEA--FTAFTA FTA Vi ã G lFTA Vi ã G lFTA: Visão GeralFTA: Visão Geral FTA ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHASFTA ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS •• FTA é uma técnica analítica dedutivaFTA é uma técnica analítica dedutiva FTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHASFTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS FTA é uma técnica analítica dedutivaFTA é uma técnica analítica dedutiva de análise da confiabilidade ede análise da confiabilidade e segurançasegurançasegurançasegurança •• Usado para sistemas dinâmicosUsado para sistemas dinâmicos complexoscomplexos •• Oferece uma base objetiva paraOferece uma base objetiva paraOferece uma base objetiva paraOferece uma base objetiva para análise e justificação para mudançasanálise e justificação para mudanças
  57. 57. FMEAFMEA--FTAFTA FTA Vi ã G lFTA Vi ã G lFTA: Visão GeralFTA: Visão Geral Á ÁÁ Á •• Na FTA parteNa FTA parte--se do efeito e chegase do efeito e chega--sese FTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHASFTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS Na FTA parteNa FTA parte--se do efeito e chegase do efeito e chega--sese à causaà causa •• PodePode--se examinar a possibilidade dese examinar a possibilidade de falhas nas peças e componentes defalhas nas peças e componentes dep ç pp ç p nível mais elementar e quais as suasnível mais elementar e quais as suas conseqüências nos níveisconseqüências nos níveisconseqüências nos níveisconseqüências nos níveis hierárquicos superiores do sistemahierárquicos superiores do sistema
  58. 58. FMEAFMEA--FTAFTA FTA Vi ã G lFTA Vi ã G lFTA: Visão GeralFTA: Visão Geral FTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHASFTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS •• Este usa uma arvore para mostrar oEste usa uma arvore para mostrar o relacionamento de causa e efeitorelacionamento de causa e efeitorelacionamento de causa e efeitorelacionamento de causa e efeito •• FTA é um modelo que logicamente eFTA é um modelo que logicamente e fi t t á ifi t t á igraficamente representa as váriasgraficamente representa as várias combinações de possíveis eventoscombinações de possíveis eventos que levam ao evento indesejadoque levam ao evento indesejado
  59. 59. FMEAFMEA--FTAFTA FTA Vi ã G lFTA Vi ã G lFTA: Visão GeralFTA: Visão Geral •• Os procedimentos de uma FTAOs procedimentos de uma FTA Diagramando Árvore de Falhas Coletando dados de falhas básicas Taxa de falhas, taxa de erro humano Fatores de aplicação Computando probabilidade numérica Fórmulas de proba- bilidade para “E” e “OU” Determinar aspectos críticos Aspectos críticos e a proba- bilidade de uma falha básica causar uma falha geral Formulando ações corretivas e recomendações causar uma falha geral Áreas para reprojeto e seleção de componentes. Critérioe recomendações de componentes. Critério de projeto. Procedimentos de manutenção, inspeção e CQ
  60. 60. FMEAFMEA--FTAFTA FTA Vi ã G lFTA Vi ã G lFTA: Visão GeralFTA: Visão Geral FTA ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHASFTA ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS •• Após a árvore ser construída e a(s)Após a árvore ser construída e a(s) FTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHASFTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS Após a árvore ser construída e a(s)Após a árvore ser construída e a(s) causa(s) raiz identificada, devem sercausa(s) raiz identificada, devem ser determinadas:determinadas:determinadas:determinadas:  ações corretivas necessárias para i t lprevenir ou controlar e  sempre que possível, probabilidades devem ser associadas com o evento indesejável
  61. 61. FMEAFMEA--FTAFTA FTA Vi ã G lFTA Vi ã G lFTA: Visão GeralFTA: Visão Geral FTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHASFTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS •• BenefíciosBenefícios FTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHASFTA: ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHAS  Auxilia a visualizar a análise  Identificar a confiabilidade e determina a probabilidade de ocorrência  Prover evidências documentadasProver evidências documentadas  Avalia o impacto de mudanças e alternativas de projetoalternativas de projeto  Permite concentrar-se sobre uma falha d dde cada vez
  62. 62. FMEAFMEA--FTAFTA FMEAFMEA FTA U Vi ã G lFTA U Vi ã G lFMEAFMEA -- FTA: Uma Visão GeralFTA: Uma Visão Geral Como a qualidade é projetada no sistema Projeto Conceptual Como a qualidade é projetada no sistema •Especificações orientadas ao cliente •FMEA - FTA •DOE (Taguchi) Desenvolv. Como o teste é maximizado •Aumento de confiabilidade •FMEA - FTA DOE•DOE •Que classe de testes são efetivos Como pode isto ser testado Q l d t á btid ? Teste de Validação •Que classe de amostra será obtida ? •Que classe de teste será realizado ? •Quanto durarão os testes ? •O teste de confiabilidade é apropriado ? •O teste acelerado é apropriado ? Processo O teste acelerado é apropriado ? Como pode o processo ser mantido sob controle e ser melhorado •FMEA FTA•FMEA - FTA •CEP
  63. 63. FMEAFMEA--FTAFTA FMEAFMEA FTA Vi ã G lFTA Vi ã G lFMEAFMEA -- FTA: Visão GeralFTA: Visão Geral Primeiro usaremos FTA !!!! Não, primeiro usaremos FMEA !!!! FTA !!!!
  64. 64. FMEAFMEA--FTAFTA FMEAFMEA FTA Vi ã G lFTA Vi ã G l A qualidade de projeção FMEAFMEA -- FTA: Visão GeralFTA: Visão GeralDe quais maneiras esta lâmpada poderáA qualidade de projeção deste retro está muito fraca. A que se deverá esta lâmpada poderá falhar Como isto afetará o retro FMEA !!q FTA !! FMEA !!
  65. 65. FMEAFMEA--FTAFTA FMEAFMEA FTA Vi ã G lFTA Vi ã G lFMEAFMEA -- FTA: Visão GeralFTA: Visão Geral FMEA FTA  Identificação das falhas críticas em  Identificação das causas OBJETIVO  Identificação das falhas críticas em cada componente, suas causas e consequências  Hierarquizar as falhas  Análise da confiabilidade do  Identificação das causas primárias das falhas  Elaboração de uma relação lógica entre falhas primárias e falha final do produto sistema  Análise da confiabilidade do sistema  Análise das falhas em potencial de todos os elementps do sistema, e  Identificação da falha (evento) que é detectada pelo usuário do PROCEDIMENTO previsão das consequencias  Relação de ações corretivas (ou preventivas) a serem tomadas produto  Relacionar essa falha com falhas intermediárias e eventos mais básicos por meio de í b l ló isímbolos lógicos CARACTERÍSTICA BÁSICA  Pode ser utilizado na análise de falhas simultâneas e co- relacionadas  Todos os componentes do sistema  Melhor método para análise individual de uma falha específica  O enfoque é dado à falha finalBÁSICA  Todos os componentes do sistema são passíveis de análise  O enfoque é dado à falha final do sistema
  66. 66. FMEAFMEA--FTAFTA A Li d FMEA FTAA Li d FMEA FTAA Linguagem da FMEA e FTAA Linguagem da FMEA e FTA •• FunçãoFunção •• Verificação deVerificação deFunçãoFunção •• FalhaFalha M d d f lhM d d f lh Verificação deVerificação de projetoprojeto •• Controles usuaisControles usuais•• Modo de falhaModo de falha •• Causa de falhaCausa de falha •• Controles usuaisControles usuais •• Evento de falhaEvento de falha •• Efeito de falhaEfeito de falha •• Validação deValidação de •• Portas lógicasPortas lógicas Validação deValidação de processoprocesso
  67. 67. FMEAFMEA--FTAFTA A Li d FMEA FTAA Li d FMEA FTAA Linguagem da FMEA e FTAA Linguagem da FMEA e FTA •• FunçãoFunção A t f i t j t A tarefa que o sistema, projeto, processo, componente, subsistema, i d d hserviço deve desempenhar  Verbo  Lubrificar, Posicionar, Reter, Suportar, Controlar, etc. Sistema técnico máquina, equipamento ou aparelho Energia Sinal Material Energia Sinal Materialequipamento ou aparelhoa e a a e a
  68. 68. FMEAFMEA--FTAFTA A Li d FMEA FTAA Li d FMEA FTAA Linguagem da FMEA e FTAA Linguagem da FMEA e FTA •• FalhaFalha A i bilid d d i t j t A inabilidade do sistema, projeto, processo, serviço ou subsistema d h f ã t diddesempenhar a função pretendida  Defeitos funcionais  Falha acontece quando:  “A função em questão não é exibida”ç q Exemplos  Quebrar Esquentar Fazer Ruído Corroir etc Quebrar, Esquentar, Fazer Ruído, Corroir, etc.
  69. 69. FMEAFMEA--FTAFTA A Li d FMEA FTAA Li d FMEA FTAA Linguagem da FMEA e FTAA Linguagem da FMEA e FTA  Modo de falhaModo de falha  É descrição física  Fragilidade  Quebrado  É descrição física da maneira na qual a falha ocorre  Corroído  Descolorido B d  Exemplos  Circuito aberto  Borrado  Desalinhado  Omitido  Vazamento  Superfície quente P did d  Omitido  Deformado  Trincado  Pedido errado  Super dimensionado  Excêntrico  Sujo Mi t d Misturado
  70. 70. FMEAFMEA--FTAFTA A Li d FMEA FTAA Li d FMEA FTAA Linguagem da FMEA e FTAA Linguagem da FMEA e FTA Ní i d d d f lhNí i d d d f lh•• Níveis de modos de falhaNíveis de modos de falha Sistema Projeto Processo ServiçoSistema Projeto Processo Serviço Nível 1 Modo de falha Falhou ao funcionar Não pode gerar Alimentação de material Serviço deficiente de falha Nível 2 Causa Material g pulso Circuito deficiente Variabilidade Falta deNível 2 Causa de Primeiro Nível Material muito fino (pode ser uma questão de espc ) Circuito aberto Variabilidade de operador disponibilidade de serviço auxiliar Nível 2 Causa de Segundo espc.) Material quebrou ( d Switch On-Off Falta de treinamento Insuficiente número de pessoalde Segundo Nível: Causa raiz (pode ser uma questão de tensões) pessoal
  71. 71. FMEAFMEA--FTAFTA A Li d FMEA FTAA Li d FMEA FTAA Linguagem da FMEA e FTAA Linguagem da FMEA e FTA  Causas de falhaCausas de falha Causas de falhaCausas de falha  Exemplos de causa de falha Sistema Sistema  O item não funciona  Curto circuito  Projeto  Vibração  Cargas de choque Cargas de choque  Processo  Voltagem variável  Mancal torto  Serviço  Erro humano Erro humano  Habilidade deficiente
  72. 72. FMEAFMEA--FTAFTA A Li d FMEA FTAA Li d FMEA FTAA Linguagem da FMEA e FTAA Linguagem da FMEA e FTA  Efeitos de falhaEfeitos de falha O lt d d f lh b i t O resultado da falha sobre o sistema, projeto, processo ou serviço  O que acontece quando a falha ocorre ?  Quais são as conseqüências de esta falha ?  Dois pontos de vista  Local  Global
  73. 73. FMEAFMEA--FTAFTA A Li d FMEA FTAA Li d FMEA FTAA Linguagem da FMEA e FTAA Linguagem da FMEA e FTA Al t l i d f lhAl t l i d f lh •• Estudos deEstudos de id did d •• CEPCEP T i t dT i t d Alguns controles para prevenir as causas de falhaAlguns controles para prevenir as causas de falha capacidadecapacidade •• Diretrizes deDiretrizes de projetoprojeto •• Treinamento doTreinamento do operadoroperador •• Testes deTestes deprojetoprojeto •• Revisão de projetoRevisão de projeto •• Delineamento deDelineamento de •• Testes deTestes de durabilidadedurabilidade •• Testes deTestes de•• Delineamento deDelineamento de experimentosexperimentos •• Projeto FoolproofProjeto Foolproof Testes deTestes de simulaçãosimulação •• Análise deAnálise deProjeto FoolproofProjeto Foolproof •• Testes de funçãoTestes de função •• SGQSGQ elementos finitoselementos finitos •• R&RR&R ( titi id d &( titi id d & SGQSGQ (repetitividade &(repetitividade & reproducibilidadereproducibilidade
  74. 74. FMEAFMEA--FTAFTA Trabalho em Equipe no FMEA e FTATrabalho em Equipe no FMEA e FTA  Fatores que influenciam o desempenhoFatores que influenciam o desempenho e produtividade da equipe são:e produtividade da equipe são:e produtividade da equipe são:e produtividade da equipe são:  Organização  A própria equipe  Membros individuais da equipeMembros individuais da equipe OrganizaçãoOrganização Equipe I di ídIndivíduo
  75. 75. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  FocoFoco T d i id d i l Traduzir a necessidade operacional em uma descrição dos parâmetros de d hdesempenho  Configuração do sistema através de um processo interativo de análise funcional, síntese, otimização, definição, projeto, teste e avaliação
  76. 76. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema Visão Sistêmica: Sistema / ProjetoVisão Sistêmica: Sistema / Projeto M Visão Sistêmica: Sistema / ProjetoVisão Sistêmica: Sistema / Projeto M I M I E I E M I M I E E E
  77. 77. FMEAFMEA--FTAFTA Modo de Falha Efeito Causa FMEA de SistemaFMEA de Sistema O problema A ramificação do problema A(s) causa(s) do problema Modo de Falha Efeito Causa FMEA de ProjetoFMEA de Projeto a a As causas do problema do FMEA de Sistema O efeito do FMEA de Sistema com talvez uma me- lhor definição Novas causas raiz para os modos de falha de projetoSistema lhor definição de projeto Modo de FMEA de ProcessoFMEA de Processo Modo de Falha Efeito Causa As causas do problema do O mesmo efeito como o FMEA Causas reais específicasp FMEA de pro- jeto de projeto p para os modos de falha de pro- cesso
  78. 78. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d Si Modo de Falha Efeito Causa FMEA de SistemaFMEA de Sistema O problema A ramificação do problema A(s) causa(s) do problema FMEA de MontagemFMEA de Montagem Modo de Falha Efeito Causa FMEA de MontagemFMEA de Montagem As causas do problema do FMEA de Sistema O efeito do FMEA de Sistema com talvez uma me- lhor definição Novas causas raiz para os modos de falha de montagemç g Modo de Efeito Causa FMEA das PeçasFMEA das Peças Modo de Falha Efeito Causa As causas do problema do FMEA d O mesmo efeito como o FMEA d t Causas reais específicas dFMEA de mon- tagem de montagem para os modos de falha de mon- tagem
  79. 79. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d Si Modo de Falha Efeito Causa FMEA de SistemaFMEA de Sistema O problema A ramificação do problema A(s) causa(s) do problema FMEA de ProjetoFMEA de Projeto Modo de Falha Efeito Causa FMEA de ProjetoFMEA de Projeto As causas do problema do FMEA de Sistema O efeito do FMEA de Sistema com talvez uma me- lhor definição Novas causas raiz para os modos de falha de projetoç p j Modo de Efeito Causa FMEA de ServiçoFMEA de Serviço Modo de Falha Efeito Causa As causas do problema do FMEA d O mesmo efeito como o FMEA d j t Causas reais específicas dFMEA de ser- viço de projeto para os modos de falha do pro- cesso
  80. 80. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  ObjetivoObjetivo D fi i d t b l t Definir e demostrar um balanceamento entre os fatores:  Operacional e  Econômico  Base  Necessidades, desejos e expectativas do consumidor  Informação interna (p.e.necessidade de melhoria)
  81. 81. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  RequisitosRequisitos  Projetar um formulário adequado para FMEA de sistemaFMEA de sistema  Identificação da Classificação das Medidas de Severidade, Ocorrência e Detecção.
  82. 82. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema F lá iF lá i FMEA d Si tFMEA d Si t FormulárioFormulário -- FMEA de SistemaFMEA de Sistema  (1) Identificação do Sistema (2) R bilid d d Si t (2) Responsabilidade do Sistema  (3) Envolvimento de Outras Áreas (4) E l i t d F d (4) Envolvimento de Fornecedores ou Outros (fora da organização)  (5) Modelo ou produto (5) Modelo ou produto  (6) Data de Liberação da Engenharia  (7) Preparado por (7) Preparado por ...  (8) Data da FMEA - Original  (9) Data da FMEA Revisão (9) Data da FMEA - Revisão
  83. 83. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema F lá iF lá i FMEA d i tFMEA d i t FormulárioFormulário -- FMEA de sistemaFMEA de sistema  (10) Função do Sistema (11) M d d F lh P t i l (11) Modo de Falha Potencial  (12) Efeito(s) de Falha em Potencial (13) C t í ti C íti (13) Características Críticas  (14) Severidade do Efeito (15) C ( ) P t i l d F lh (15) Causa(s) Potencial da Falha  (16) Ocorrência (17) Mét d d D t ã (17) Método de Detecção  (18) Detecção (19) Nú d P i id d d Ri (NPR) (19) Número de Prioridade de Risco (NPR)
  84. 84. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  FormulárioFormulário -- FMEA de sistemaFMEA de sistema  (20) Ação Recomendada (20) Ação Recomendada  (21) Área ou Pessoa Responsável e Data de Conclusão  (22) Ação Realizada  (23) NPR Revisada( )  (24) Assinatura de Aprovação  (25) Assinatura do Responsável( ) p
  85. 85. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  Função do SistemaFunção do Sistema  Pergunte-se: Propósito, pretensão, propósito, meta e objetivo do sistema ?p p , j  Este deve derivar das necessidades, desejos e expectativas dosdesejos e expectativas dos consumidores Descrever de forma sucinta a função que oDescrever de forma sucinta a função que o sistema deve desempenharsistema deve desempenharsistema deve desempenharsistema deve desempenhar
  86. 86. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  Modo de FalhaModo de Falha  São os eventos que levam associados a São os eventos que levam associados a eles a diminuição parcial ou total da função do sistema e de suas metas de d hdesempenho  Descrevendo a maneira (modo) pela qual o componente falha em termosqual o componente falha, em termos físicos e objetivos  Lembrar que: Lembrar que:  Pode haver mais do que uma falha para cada funçãocada função
  87. 87. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema CAUSASCAUSASCAUSASCAUSAS Eventos que geram (provocam,Eventos que geram (provocam, induzem, motivam) o modo de falhainduzem, motivam) o modo de falha MODO DE FALHAMODO DE FALHAMODO DE FALHAMODO DE FALHA (TIPOS)(TIPOS) Eventos que levam associados umaEventos que levam associados uma diminuição (parcial ou total) da funçãodiminuição (parcial ou total) da funçãodiminuição (parcial ou total) da funçãodiminuição (parcial ou total) da função EFEITOSEFEITOS Formas como os modos de falha afetamFormas como os modos de falha afetam o desempenho do sistema do pontoo desempenho do sistema do pontop pp p de vista do clientede vista do cliente
  88. 88. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema Efeito de falhaEfeito de falha Efeito de falhaEfeito de falha  São as formas como os modos de falha f t d h d i t dafetam o desempenho do sistema, do ponto de vista do cliente “O t / l ifi “O que acontece e/ou qual a ramifi- cação deste problema ou falha?” Documentos úteis: Documentos úteis:  Documentos de garantia  Reclamações dos clientes Reclamações dos clientes  Dados de serviço no campo  Dados de confiabilidade  Estudos de viabilidade
  89. 89. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  Efeito de Falha PotencialEfeito de Falha Potencial  Exemplos de efeitos potenciais: Exemplos de efeitos potenciais:  Próximo ao sistema superior: falha em operar relé do circuitooperar relé do circuito  Próximo ao sistema inferior: nenhum  Outro(s) sistemas: nenhum( )  Produto: superaquecimento do motor  Consumidor: insatisfação completa, sistema falha em operar  Governo: não pode cumprir com o STD-XXX
  90. 90. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  Severidade do EfeitoSeveridade do Efeito I di l ifi ã d i d d d Indica a classificação de seriedade do efeito do modo de falha potencial do i tsistema  A severidade é revisada do ponto da perspectiva do sistema em si, outros sistemas, o produto, o consumidor e as regulamentações do governo
  91. 91. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema Efeito Classificação Critérios h f i SeveridadeSeveridade Nenhuma 1 Nenhum efeito Muito leve 2 Consumidor não se irrita. Efeito muito leve sobre o desempenho do produto ou sistema Leve 3 Consumidor levemente irritado. Efeito leve sobre o desempenho do produto ou sistema Menor 4 O consumidor experimenta um pequeno incomodo. Pequeno efeito sobre o desempenho do produto ou sistema Moderado 5 O consumidor experimenta alguma insatisfação. Efeitop g ç moderado sobre o desempenho do produto ou sistema Significante 6 O consumidor experimenta desconforto. O desempenho do produto cai, porém operável e seguro. Falha parcial, mas operávelp Grande 7 Consumidor insatisfeito. O desempenho do produto afetado severamente, porém continua funcionamento e seguro Extremo 8 Consumidor muito insatisfeito. Produto sem condições de operação mas seguro Sistema sem condições operacionaisoperação mas seguro. Sistema sem condições operacionais Sério 9 Efeito perigos potencial. Capaz de parar o produto sem nenhum contratempo - falha dependente do tempo. Em conformidade com regulamentação governamental Perigoso 10 Efeito perigoso Relativos à segurança falha súbita NãoPerigoso 10 Efeito perigoso. Relativos à segurança - falha súbita. Não conforme com os regulamentos do governo
  92. 92. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  Causa da Falha PotencialCausa da Falha Potencial  São os eventos que geram (provocam São os eventos que geram (provocam, induzem) o aparecimento do tipo (modo) de falhade falha  Quais variáveis do processo podem t d d f lh ?provocar este modo de falha ?  Duas formas de falha que podem ser examinadas:  Como elas se relacionam a falhas específicas  Como elas se relacionam à curva da banheira
  93. 93. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema Ocorrem falhas devido a causas Ocorrem falhas devido a desgasteOcorrem falhas devido a causas precoces ou ao acaso Ocorrem falhas devido a desgaste mais causas ao acaso asas Ocorrem somente falhas ao acaso eFalhaeFalha MortalidadeMortalidade InfantilInfantil Vida ÚtilVida Útil DesgasteDesgaste TaxadeTaxade Taxa de falhas TT 8 f Taxa de falhas 8 f
  94. 94. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  Um modo de falha pode ser causado por um ou mais componentes individuais ou pela interação com outros componentes, componentes de outro sistema, com o consumidor ou com o governo  Três condições:  A causa específica é desconhecida, mas esta existe  A causa específica existe, mas não pode ser detectada  A causa específica existe e pode ser detectada
  95. 95. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  OcorrênciaOcorrência OcorrênciaOcorrência  É o valor de classificação correspondente ao número estimado de falhas que poderiam ocorrer para uma dada causa durante a vida projetada do sistema  Meios  Matemática da confiabilidade  Freqüência esperadaq p  Número acumulado de falhas do componente (NAF) por 100 ou 1000 componentes (NAF/100 ou NAF/1000)
  96. 96. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d Si NAF: Número Acumulado de Falhas FMEA de SistemaFMEA de SistemaDetecção Classificação Critério NAF/1000 Quase nunca 1 Falha improvável. Históricos <,00058 OcorrênciaOcorrência Quase nunca 1 Falha improvável. Históricos mostram nenhuma falha ,00058 Remoto 2 Número raro de falhas probáveis ,0068 Muito insignificante 3 Muito pouca probabilidade de falha ,0063 Insignificante 4 Pouca probabilidade de falha ,46 Baixo 5 Número ocasional de 2 7Baixo 5 Número ocasional de probabilidade de falhas 2,7 Médio 6 Número médio de probabilidade de falha 12,4 Moderadamente alto 7 Número moderadamente alto de probabilidade de falhas 46 Alto 8 Número alto de probabilidade 134 de falhas Muito alto 9 Número muito elevado de probabilidade de falhas 316 Quase certo 10 Falhas quase certas Histórico >316Quase certo 10 Falhas quase certas. Histórico de falhas de projetos previos ou similares >316
  97. 97. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema Detecção Classificação Critério Cpk (médio) OcorrênciaOcorrência Detecção Classificação Critério Cpk (médio) Quase nunca 1 Falha improbável. Históricos mostram denhuma falha (Menor que 1 em 500.000) 1,67 [+ 5,0 s] Remoto 2 Número raro de falhas probáveis 1,5 [+ 4,5 s] (1 em 50.000 - 1 em 500.000) Muito insignificante 3 Muito pouca probabilidade de falha (1 em 5.000 - 1 em 50.000) 1,33 [+ 4,0 s] Insignificante 4 Pouca probabilidade de falha 1,17 [+ 3,5 s]g f (1 em 1.000 - 1 em 5.000) Baixo 5 Número ocasional de probabilidade de falhas (1 em 200 - 1 em 1.000) 1 [+ 3,0 s] Médio 6 Número médio de probabilidade de falha ,83 [+ 2,5 s]Médio 6 Número médio de probabilidade de falha (1 em 50 ~ 1 em 200) ,83 [ 2,5 s] Moderadame nte alto 7 Número moderadamente alto de probabilidade de falhas (1 em 15 ~ 1 em 50) ,67 [+ 2,0 s] Alto 8 Número alto de probabilidade de falhas 5 [+ 1 5 s]Alto 8 Número alto de probabilidade de falhas (1 em 5 ~ 1 em 15) ,5 [+ 1,5 s] Muito alto 9 Número muito elevado de probabilidade de falhas (1 em 2 ~ 1 em 5) ,33 [+ 1,0 s] Q t 10 F lh t Hi tó i d f lh d 22 [+ 0 67 ]Quase certo 10 Falhas quase certas. Histórico de falhas de projetos previos ou similares >= 1 em 2) ,22 [+ 0,67 s]
  98. 98. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  Método de DetecçãoMétodo de Detecção  Objetivo: detectar o antes possível a Objetivo: detectar o antes possível a deficiência do projeto  Avalia a probabilidade de uma falha ser Avalia a probabilidade de uma falha ser detectada antes que o produto chegue ao cliente  Meios  Procedimento  Teste  Revisão de Projeto A áli d h i Análise de engenharia
  99. 99. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  Método de DetecçãoMétodo de Detecção  Classificação (opções) U i f ã d hi ó i d i Usar informação de históricos ou de tipos de componentes e sistemas similares  “Nenhum identificado até aqui”q  Brainstorming  Como pode ser descoberta esta falha?  De que maneira pode ser reconhecida esta falha?q p  DetecçãoDetecção  É o valor de classificação que avalia a b bilid d d f lh d t t dprobabilidade de a falha ser detectada antes que o produto chegue ao cliente  Modo de Falha -> EfeitoModo de Falha Efeito  Controles atuais exercidos
  100. 100. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA de SistemaFMEA de SistemaFMEA de SistemaFMEA de Sistema Detecção Classificação Critério Q 1 Mé d d d ã id di í l á i d DetecçãoDetecção Quase certo 1 Método de detecção provido e disponível no estágio de conceito Muito alto 2 Provida análise de computador disponível no início do tá i d j testágio de projeto Alto 3 Simulação e(ou) modelagem no estágio inicial Moderadamente alto 4 Testes iniciais sobre os protótipos dos elementos do sistemaalto sistema Médio 5 Testes sobre a pre-produção dos componentes do sistema Baixo 6 Testes sobre componentes do sistema similaresBaixo 6 Testes sobre componentes do sistema similares Insignificante 7 Teste do produto com protótipos com componentes do sistema instalados Muito 8 Provendo testes de durabilidade sobre os produtos comMuito insignificante 8 Provendo testes de durabilidade sobre os produtos com componentes do sistema instalados Remoto 9 Somente técnicas disponíveis não experimentadas ou nãoconfiáveis Quase impossível 10 Não se conhece as técnicas disponíveis
  101. 101. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  Número de Prioridade de Risco (NPR)Número de Prioridade de Risco (NPR) S O D NPR S x O x D = NPR  Recomendações de AçõesRecomendações de Açõesç çç ç  A idéia das recomendações é reduzir os índices de severidade, ocorrência eíndices de severidade, ocorrência e detecção  O maior NPR O maior NPR  O maior índice de severidade  O maior índice de ocorrência O maior índice de ocorrência
  102. 102. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema Cl ifi ã dClassificação de Avaliação O S D Causa da Falha Ação Tomada O 1 1 S 1 10 D 1 10 Situação ideal (meta) Domínio assegurado N/A N/A 1 1 10 1 10 1 10 g Falha não alcança o usuário Falha alcança o usuário N/A N/A Sim 10 10 10 1 1 10 1 10 1 Frequêntes falhas, detectável, custoso Falhas frequêntes, alcança o usuário Frequêntes flahas com maior impacto Sim Sim Sim10 10 10 10 1 10 Frequêntes flahas com maior impacto Problema !! Sim Sim, Sim
  103. 103. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d SiFMEA d SiFMEA de SistemaFMEA de Sistema  Ação RealizadaAção Realizada A h li ã d ã Acompanhar a realização da ação  NPR revisadoNPR revisado  Assinatura de aprovação e dosAssinatura de aprovação e dos responsáveisresponsáveisresponsáveisresponsáveis
  104. 104. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P jFMEA d P jFMEA de ProjetoFMEA de Projeto “É um método de análise disciplinado para“É um método de análise disciplinado paraÉ um método de análise disciplinado paraÉ um método de análise disciplinado para identificação de modos de falha potenciaisidentificação de modos de falha potenciais h id h th id h tou conhecidos e prover o acompanhamentoou conhecidos e prover o acompanhamento e a ação corretiva antes que a primeirae a ação corretiva antes que a primeira partida de produção ocorra”.partida de produção ocorra”.
  105. 105. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P jFMEA d P jFMEA de ProjetoFMEA de Projeto  Escopo do projetoEscopo do projeto  Documentos aplicáveisDocumentos aplicáveis  Padrões/ Normas  RequisitosRequisitos  Requisitos de projeto  Considerações dePadrões/ Normas  Documentos de garantia e segurança  Documentos de produtos anteriores e semelhantes Considerações de manutenção  Objetivos de custo  Alternativas de projeto anteriores e semelhantes  Informação geralInformação geral  Funções do produto  Entender quem é o  Sistemas críticos  Garantia de produtoGarantia de produto  Documentação de requisitos Entender quem é o consumidor  Necessidades, desejos e expectativas do id requisitos  Requisitos de testes e inspeção  Requisitos de consumidor  Entendimento do consumidor do uso e mal uso Requisitos de embalagem e movimentação
  106. 106. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P jFMEA d P jFMEA de ProjetoFMEA de Projeto AnáliseAnálise FuncionalFuncional SínteseSíntese DefiniçãoDefiniçãoOtimizaçãoOtimização RevisãoRevisão DefiniçãoDefiniçãoçç RevisãoRevisão de Projetode ProjetoProjeto/DesignProjeto/Design TestesTestes AvaliaçãoAvaliação
  107. 107. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P jFMEA d P jFMEA de ProjetoFMEA de Projeto Perguntas específicas no curso ao realizar uma FMEAPerguntas específicas no curso ao realizar uma FMEA • Qual é a função do produto e qual é seu uso pretendido? Perguntas específicas no curso ao realizar uma FMEAPerguntas específicas no curso ao realizar uma FMEA • Como o produto desempenha sua função • Que matérias primas e componentes são usados para construir o produto? • Como, e sobre que condições há interface com outros produtos? • Que produtos são criados pelo produto ou pelo uso do ?produto? • Como o produto é usado, mantido, reparado e descartado no fim da sua vida útil? Q i ã d f b i ã d ã d• Quais são os passos de fabricação na produção do produto ? • Que fontes de energia são envolvidas e como ? Q á t á t d d t i ã• Quem usará ou estará perto do produto, e quais são as capacidades e limitações destes indivíduos ?
  108. 108. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P jFMEA d P jFMEA de ProjetoFMEA de Projeto P P (I)P P (I) •• Função de ProjetoFunção de Projeto Passo a Passo (I)Passo a Passo (I) •• Função de ProjetoFunção de Projeto •• Modo de Falha PotencialModo de Falha Potencial •• Efeito(s) de Falha PotencialEfeito(s) de Falha Potencial Características CríticasCaracterísticas Críticas•• Características CríticasCaracterísticas Críticas •• Severidade do EfeitoSeveridade do Efeito •• Causa(s) de Falha PotencialCausa(s) de Falha Potencial O ê i (f üê i )O ê i (f üê i )•• Ocorrência (freqüência)Ocorrência (freqüência)
  109. 109. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P j tFMEA d P j tFMEA de ProjetoFMEA de Projeto Passo a Passo (II)Passo a Passo (II) •• Método de Detecção, VerificaçãoMétodo de Detecção, Verificação Passo a Passo (II)Passo a Passo (II) ç çç ç de Projeto, Controle Existentede Projeto, Controle Existente •• DetecçãoDetecção•• DetecçãoDetecção •• NPRNPR •• Ação RecomendadaAção Recomendada •• Ação TomadaAção Tomada•• Ação TomadaAção Tomada •• NPR RevisadaNPR Revisada •• AssinaturasAssinaturas
  110. 110. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P jFMEA d P jFMEA de ProjetoFMEA de Projeto •• Modo de Falha Potencial:Modo de Falha Potencial:  É definido como a maneira pela qual um compenente, b i t i t t i l t f lh i isubsistema, ou sistema potencialmente falharia ao cumprir o objetivo do projeto. Também pode ser a causa de uma falha potencial de um sistema ou subsistema de um nível superior, f it d t í l i f iou ser o efeito de um componente em um nível inferior  Liste cada modo de falha potencial para o item e sua função. Assume-se que a falha pode ocorrer, mas não i t inecessariamente vai ocorrer.  Modos de Falha, podem ser: Trincado Engripadog p Deformado Em curto-circuito Solto Oxidado Vazado Faturado
  111. 111. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P jFMEA d P jFMEA de ProjetoFMEA de Projeto •• Efeito(s) Potencial(is) da FalhaEfeito(s) Potencial(is) da Falha  São definidos como os efeitos do modo de falha na função como percebido pelo clientefunção, como percebido pelo cliente.  Descreva os efeitos da falha em termos que o cliente possa perceber ou experimentar.  Defina claramente se a função poderia afetar a segurança ou descumprimento e regulamentos/legislação.g g ç  Lembrar que existe uma hierarquia sistema - subsistema - componentes E l Exemplos:  Barulho, operação defeituosa, aparência degradada, Instabilidade, Aspereza, Inoperância, Odor desagradável, etc.
  112. 112. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P jFMEA d P jFMEA de ProjetoFMEA de Projeto •• Causa(s) e Mecanismo(s) Potencial(is) da FalhaCausa(s) e Mecanismo(s) Potencial(is) da Falha  É definida como uma indicação de uma deficiência do projeto, cuja ê i é d d f lhconsequência é o modo de falha. •• OcorrênciaOcorrência  Probabilidade de um mecanismo/causa específico vir a ocorrer. p  Algumas devem ser consideradas  Qual a experiência /histórico de campo com componentes ou sistemas similaressimilares  O componente é proveniente ou similar ao nível anterior de componentes ou sistema?  Qual o significado das alterações em relação a uma versão maisg ç ç antiga?  O componente é radicalmente diferente de um componente de um nível anterior?  A aplicação do componente mudou?  Quais as modificações do meio ambiente?
  113. 113. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P jFMEA d P jFMEA de ProjetoFMEA de Projeto Detecção Classificação Critério Quase certo 1 Tem muito alta eficiência em cada categoria aplicável Muito alto 2 Tem muito alta eficiência Alto 3 Tem alta eficiência Moderadamente alto 4 Tem moderada alta eficiência Médi 5 T fi iê i édiMédio 5 Tem eficiência média Baixo 6 Tem baixa eficiência Insignificante 7 Tem muito baixa eficiência Muito 8 Tem muito baixa eficiência em cada categoria aplicávelMuito insignificante 8 Tem muito baixa eficiência em cada categoria aplicável Remoto 9 Sem provas ou inconfiável ou eficiência é desconhecida Quase 10 Não se conhece as técnicas disponíveis ou conhecida, e ouQ impossível nenhuma é planejada
  114. 114. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P jFMEA d P jFMEA de ProjetoFMEA de Projeto •• Trabalho emTrabalho em Engenheiro de Sistemas*Engenheiro de Sistemas* Engenheiro de ConfiabilidadeEngenheiro de Confiabilidade Engenheiro de TestesEngenheiro de Testes EquipeEquipe Engenheiro de TestesEngenheiro de Testes Engenheiro de MateriaisEngenheiro de Materiais Engenheiro de Processos*Engenheiro de Processos*gg Representante de MarketingRepresentante de Marketing Engenheiro de Projeto *Engenheiro de Projeto * * Obrigatório
  115. 115. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P j /PFMEA d P j /PFMEA de Projeto/ProcessoFMEA de Projeto/Processo PROJETO DOPROJETO DO PROJETO DOPROJETO DOPROJETO DOPROJETO DO PRODUTOPRODUTO PROJETO DOPROJETO DO PROCESSOPROCESSO RFRF 1. RF1. RF11 PPPP 1. PP1. PP11 VPVP 1 VP1 VP 11 2. RF2. RF22 ‘‘ ‘‘ 1. PP1. PP11 2. PP2. PP22 ‘‘ 1. VP1. VP11 2. VP2. VP22 ‘‘‘‘ nn--RFRFnn ‘‘ nn--PPPPnn ‘‘ nn--VPVPnn DOMÍNIODOMÍNIO FUNCIONALFUNCIONAL DOMÍNIODOMÍNIO FÍSICOFÍSICO DOMÍNIO DODOMÍNIO DO PROCESSOPROCESSO
  116. 116. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d PFMEA d PFMEA de ProcessoFMEA de Processo Mão de ObraMão de ObraMão de ObraMão de Obra MáquinaMáquinaMáquinaMáquinaMétodoMétodoMétodoMétodo OutputOutput MaterialMaterialMaterialMaterial MediçãoMediçãoMediçãoMediçãoAmbienteAmbienteAmbienteAmbienteMaterialMaterialMaterialMaterial MediçãoMediçãoMediçãoMediçãoAmbienteAmbienteAmbienteAmbiente
  117. 117. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d PFMEA d PFMEA de ProcessoFMEA de Processo •• Meta/Objetivo/PropósitoMeta/Objetivo/Propósito “Definir, demonstrar e maximizar soluções“Definir, demonstrar e maximizar soluções de engenharia em resposta à qualidade,de engenharia em resposta à qualidade, confiabilidade, manutenibilidade, custos econfiabilidade, manutenibilidade, custos ef , ,f , , produtividade como definido pelo FMEAprodutividade como definido pelo FMEA de projeto e o consumidor”de projeto e o consumidor”de projeto e o consumidorde projeto e o consumidor
  118. 118. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d PFMEA d PFMEA de ProcessoFMEA de Processo • Qual é o verdadeiro desempenho e eficiência do processo? • Qual é o produto e seu uso pretendido? • Qual é a verdadeira efetividade da capacidade de apoio?Qual é a verdadeira efetividade da capacidade de apoio? • São os requisitos inicialmente especificados apropriados ao processo? Eles estão sendo atendidos? • Como o processo desempenha sua função?Como o processo desempenha sua função? • Que matérias primas e componentes são usados no processo? • Como e sob que condições se realiza a interface com outros processos? C é d id d d d fi l d• Como o processo é usado, mantido, reparado e descartado no final de sua vida útil? • Quais são os passos de fabricação na produção do produto? • Quais são e como as fontes de energia envolvidas? • Quem operará ou estará na vizinhança do processo, e quais são as capacidades e limitações destes indivíduos? • O processo é de custo-efetivo?
  119. 119. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d PFMEA d PFMEA de ProcessoFMEA de Processo Função do ProcessoFunção do Processo Função do ProcessoFunção do Processo  Diagrama de fluxo  Fluxo de operações - Pessoas - Equipamentos Análise da tarefa Análise da tarefa  O que inicia a tarefa; equipamento usado; resposta humana; feedback da tarefa;resposta humana; feedback da tarefa; características do output da tarefa.  Identificação da tarefaç  Análise do sistema; linhas de tempo; análise de tempos e movimentos; análise de fi bilid d h di dconfiabilidade humana; digrama de seqüência operacional.
  120. 120. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d PFMEA d PFMEA de ProcessoFMEA de Processo M d d F lh P t i lM d d F lh P t i l•• Modo de Falha PotencialModo de Falha Potencial •• Efeito(s) de Falha PotenciaisEfeito(s) de Falha Potenciais •• Característica CríticaCaracterística Crítica•• Característica CríticaCaracterística Crítica •• Severidade do EfeitoSeveridade do Efeito •• Causas de Falha PotencialCausas de Falha PotencialCausas de Falha PotencialCausas de Falha Potencial •• OcorrênciaOcorrência •• Método de DetecçãoMétodo de Detecçãoçç •• DetecçãoDetecção •• NPRNPR •• Ação RecomendadaAção Recomendada •• Ação RealizadaAção Realizada NPR revisadoNPR revisado•• NPR revisadoNPR revisado
  121. 121. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d PFMEA d PFMEA de ProcessoFMEA de Processo •• Modo de FalhaModo de Falha  É definido como a maneira pela qual o processo É definido como a maneira pela qual o processo potencialmente falharia em atender aos requisitos do processo/ projeto. P t Perguntar:  Como o processo/peça poderia falhar em atender as especificações?  Além das especificações de engenharia, o que um cliente considera como falha?  Podem ser: Podem ser:  Dobrado, furado, com rebarba, danificado, rachado, sujo, preparação impropria, aterrado, circuito aberto, em curto circuito ferramenta desgastada etccircuito, ferramenta desgastada, etc.
  122. 122. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d PFMEA d PFMEA de ProcessoFMEA de Processo •• Efeito(s) Potencial(is) da FalhaEfeito(s) Potencial(is) da Falha•• Efeito(s) Potencial(is) da FalhaEfeito(s) Potencial(is) da Falha  É definido como o efeito do modo de falha no cliente. Neste contexto, o cliente pode ser a próxima operação, operações subsequentes ou locais, o revendedor, e/ou o proprietário do produto.  Exemplos: Exemplos:  Barulho, operação errática, inoperância, instabilidade, Pré- lançamento, Aparência degradada, Aspereza, Esforço excessivo Odor desagradável Operação prejudicadaexcessivo, Odor desagradável, Operação prejudicada, Operação intermitente, Controle prejudicado. •• Causa(s) e Mecanismo(s) Potencial(is) da FalhaCausa(s) e Mecanismo(s) Potencial(is) da Falha  As causa de falha podem ser  Torque indevido, solda incorreta, falta de exatidão nos meios de medição tratamento térmico lubrificaçãomeios de medição, tratamento térmico, lubrificação inadequada, etc
  123. 123. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P ( l )FMEA d P ( l )FMEA de Processo (exemplo)FMEA de Processo (exemplo)  Processo de revestimento de chapasProcesso de revestimento de chapas Fl d Fluxograma do processo  Variáveis do processo  composição química  condensação dos fluídos para o recobrimento  circulação dos fluídos no banho  tempo de permanência da chapa no banho  forma e dimensão dos eletrodos  filtragem
  124. 124. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P ( l )FMEA d P ( l )FMEA de Processo (exemplo)FMEA de Processo (exemplo) DESENGRAXAMENTODESENGRAXAMENTO RECEBIMENTORECEBIMENTO INSPEÇÃOINSPEÇÃO DESENGRAXAMENTODESENGRAXAMENTO E LIMPEZAE LIMPEZA NEUTRALIZAÇÃONEUTRALIZAÇÃO RECOBRIMENTORECOBRIMENTONEUTRALIZAÇÃONEUTRALIZAÇÃO RECOBRIMENTORECOBRIMENTO SUPERFICIALSUPERFICIAL LIMPEZALIMPEZA TRANSPORTETRANSPORTE SECAGEMSECAGEM INSPEÇÃOINSPEÇÃOTRANSPORTETRANSPORTE SECAGEMSECAGEM ÇÇ FINALFINAL
  125. 125. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P ( l )FMEA d P ( l )FMEA de Processo (exemplo)FMEA de Processo (exemplo) •• Processo de revestimento de chapasProcesso de revestimento de chapas•• Processo de revestimento de chapasProcesso de revestimento de chapas  Lista de verificação: falhas/causas 1 Composição inadequada do banho1. Composição inadequada do banho – presença de partículas contaminantes – mistura inadequada dos componentes (falha no misturador)misturador) – condensação inadequada 2. Sinal elétrico inadequado falha primária na fonte de alimentação– falha primária na fonte de alimentação – regulagem inadequada da fonte de alimentação – leitura dos instrumentos: falha do operador. 3 Tempo de exposição do banho inadequado3. Tempo de exposição do banho inadequado – regulagem inadequada do temporizador – defeito no temporizador â d / át d d f d– ânodo/cátodo deformado – ânodo/cátodo inadequados
  126. 126. FMEAFMEA--FTAFTA FMEA d P ( l )FMEA d P ( l )FMEA de Processo (exemplo)FMEA de Processo (exemplo) FMEA Data de elaboração: Cliente/Ref.:FMEA Sistema Projeto Processo Serviço ç Data da próxima revisão Coordenador: Unidade/Setor: Produto: Processo: NOME DO FUNÇÃO DO FALHAS POSSÍVEIS AÇÕES x ITEM NOME DO PROCESSO COMPONENTE/ PROCESSO FALHAS POSSÍVEIS MODO EFEITO CAUSAS CONTROLES ATUAIS AÇÕES ADICION. NECESS.O S D NPR 1 Recobrimento superficial Revestimento protetor: Composição inadequada Recobrimento inadequado Presença de partículas 7 5 9 315 0,1 mm de cromo em aço e carbono do banho contami- nates Porosidade Mistura inadequada 7 5 9 315 7 8 5 280 Acabamento superficial inadequado Condensação inadequada 7 6 4 168
  127. 127. FMEAFMEA--FTAFTA FTAFTA Análise daAnálise da Árvore deÁrvore deÁrvore deÁrvore de FalhasFalhasFalhasFalhas
  128. 128. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” •• Os procedimentos de uma FTAOs procedimentos de uma FTA•• Os procedimentos de uma FTAOs procedimentos de uma FTA Diagramando Árvore de Falhas Coletando dados de falhas básicas Taxa de falhas, taxa de erro humano Fatores de aplicaçãop ç Computando probabilidade numérica Fórmulas de proba- bilidade para “E” e “OU”numérica E e OU Determinar aspectos críticos Aspectos críticos ea proba- bilidade de uma falha básica Formulando ações corretivas d õ causar uma falha geral Áreas para reprojeto e seleção de componentes Critérioe recomendações de componentes. Critério de projeto. Procedimentos de manutenção, inspeção e CQ
  129. 129. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” Fi lid dFi lid d Finalidades:Finalidades:  Estabelecer um método padronizado de análise de falhas ou problemas verificandoanálise de falhas ou problemas, verificando como ocorrem em um equipamento ou processop  Análise da confiabilidade de um produto ou processo C ã d d d f lh d Compreensão dos modos de falha de um sistema, de maneira dedutiva  Priorização das ações corretivas a serem Priorização das ações corretivas a serem tomadas  Análise e projeto de sistemas de segurançap j g ç ou sistemas alternativos em equipamentos
  130. 130. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis”  Finalidade (continuação)Finalidade (continuação)  Compilação de informação parap ç ç p manutenção de sistemas e elaboração de procedimentos de manutenção Indicação clara e precisa de componentes Indicação clara e precisa de componentes mais críticos ou condições críticas de operaçãop ç  Compilação de informações para treinamento na operação de equipamentos C il ã d i f õ Compilação de informações para planejamento de testes e inspeção  Simplificação e otimização de Simplificação e otimização de equipamentos
  131. 131. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” Falha do SistemaFalha do SistemaFalha do SistemaFalha do Sistema Evento de TopoEvento de Topo A Árvore de Falhas consta de umaA Árvore de Falhas consta de umaA Árvore de Falhas consta de umaA Árvore de Falhas consta de uma seqüência de eventos que podemseqüência de eventos que podem conduzir ao evento de topoconduzir ao evento de topo Eventos que têm uma causa maisEventos que têm uma causa maisEventos que têm uma causa maisEventos que têm uma causa mais básica são colocados em retângulosbásica são colocados em retângulos contendo a descrição dos mesmoscontendo a descrição dos mesmos Os eventos que compõem a seqüênciaOs eventos que compõem a seqüênciaOs eventos que compõem a seqüênciaOs eventos que compõem a seqüência estão ligados por meio de portasestão ligados por meio de portas lógicaslógicas E, OUE, OU ou outrasou outras A üê i fi liA üê i fi liA seqüência finaliza nas causasA seqüência finaliza nas causas básicas indicadas em círculosbásicas indicadas em círculos A eliminação das causas básicas temA eliminação das causas básicas temA eliminação das causas básicas temA eliminação das causas básicas tem como conseqüência a eliminação docomo conseqüência a eliminação do evento de topoevento de topo
  132. 132. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” ClassificaçãoClassificação •• PrimáriaPrimária M I M ClassificaçãoClassificação PrimáriaPrimária •• SecundáriaSecundária I E M I E •• De comandoDe comando M I M I I E I E •• Passiva ePassiva e •• AtivaAtiva•• AtivaAtiva
  133. 133. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” NomenclaturaNomenclatura Q a b ca b c Cond. Q a b ca b c Cond. AA OUOU EE InibiçãoInibição
  134. 134. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” Lógica BooleanaLógica Booleana T A B A B A B Lógica BooleanaLógica Booleana T 0 0 0 0 1 0 0 1 0 1 0 1 E2E1 0 1 0 1 1 1 1 1 EE A C E4E3 B C A B
  135. 135. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” TTop DownTop Down T E E E2E1 T = E1 E2 E1 = A E3 E4E2 = C EE 1 3 42 T = (A E3 ) E4 )(C A C E4E3 E3 = B C E4 = A B B C A B T = [ A (B C)] [ C (A B)]
  136. 136. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” Evento Topo: MOTOR NÃO DÁ PARTIDAEvento Topo: MOTOR NÃO DÁ PARTIDAEvento Topo: MOTOR NÃO DÁ PARTIDAEvento Topo: MOTOR NÃO DÁ PARTIDA Circuito ElétricoCircuito ElétricoCircuito ElétricoCircuito Elétrico Bobina Cabos Velas i ib i Motor nãoMotor não Bateria Ignição Elect. Distribuição Chave Ignição Motor nãoMotor não dá Partidadá PartidaCarburador M i Nível Gasolina CAUSACAUSA Mangueiras Filtro Nível Gasolina Bomba Combustível OperacionaisOperacionaisOperacionaisOperacionais Circuito de CombustívelCircuito de CombustívelCircuito de CombustívelCircuito de Combustível
  137. 137. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” Bomba A Interrupção de Bombeio OU B b B Fonte Elétrica Falha da OU Bomba B Falha da Bomba1 2 OU Bloqueio do Filtro Falha da Tubulação 3 Falha de Ambas as Bomba Bloqueio do E 4 5 Bloqueio do Sistema Elétrico 4 5 Falha da Bomba A Falha da Bomba B
  138. 138. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” CHUVEIRO ELÉTRICOCHUVEIRO ELÉTRICOCHUVEIRO ELÉTRICOCHUVEIRO ELÉTRICO Sistema de AquecimentoSistema de Aquecimento AlimentaçãoAlimentação elétricaelétrica ResistênciaResistência elétricaelétrica ChaveChave SeletoraSeletora DiafragmaDiafragma
  139. 139. FMEAFMEA--FTAFTA FTA “F l T A l i ”FTA “F l T A l i ”FTA “Fault Tree Analysis”FTA “Fault Tree Analysis” Água fria Vazamento de Vazamento de Ausência deVazamento de água antes do aquecimento Vazamento de água antes do aquecimento Ausência de corrente na resistência Anel de vedação rompido Montagem mal feita Corrente elevada Superaque- cimento Pino de encaixe não fecha contato com a resistência Falha nos contatos p Envelheci- Ressecamento S b cimento da resistência Fusão (supera- Quebra por Diafragma não aciona t t Fusão dos contatosEnvelheci mento da borracha Curto circuito Sobre- tensão na fonte (supera quecimento Quebra por oxidação contatos contatos Vazão insuficiente de água Material não suporta funciona- mento pro- longado Deformação do diagrama Conexão mal feita Ruptura do diafragma Super aquec. por tempo prolongado

×