• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
MemePop - Adriana Amaral
 

MemePop - Adriana Amaral

on

  • 1,168 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,168
Views on SlideShare
795
Embed Views
373

Actions

Likes
2
Downloads
5
Comments
0

4 Embeds 373

http://youpix.com.br 366
http://www.youpix.com.br 4
http://feeds.feedburner.com 2
http://youpix.virgula.uol.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    MemePop - Adriana Amaral MemePop - Adriana Amaral Presentation Transcript

    • MEMES: MICRONARRATIVAS DA CULTURA POP ADRIANA AMARAL Professora do Pós-graduação em Ciências da Comunicação e do curso de Comunicação Digital da UNISINOS. Pesquisadora CNPq @adriaramaral
    • PONTOS PARA O DEBATE 1) Origem do termo2) De onde vêm os memes na cultura digital? 3) Estrutura dos memes 4) Meme como prática cultural 5) Meme como performance 6) Meme e o digital trash
    • ORIGENS: MEME BEGINS Mimeme (grego) Meme - abreviação Richard Dawkins – biólogo evolucionista inglês Livro “ O gene egoísta ” (1976)Transmite a ideia de uma unidade de transmissão cultural ou de imitação Metáfora biológica
    • ...os memes devem ser considerados como estruturas vivas,não apenas metafórica mas tecnicamente. Quando você planta um meme fértil em minha mente, você literalmente parasitameu cérebro, transformando-o num veículo para a propagação do meme, exatamente como um vírus pode parasitar o mecanismo genético de uma célula hospedeira. Exemplos de memes são melodias, idéias, "slogans", modas do vestuário... (DAWKINS, 2007 [1976])
    • Imitation of life - REMO termo meme virou ele mesmo um meme saindo da biologia e sendo pensado em outras áreas como a comunicação Para a especialista em memética Susan Blackmore (2000), memes são instruções que contém comportamentos arquivados no cérebro (ou em outros objetos) e passados adiante por imitação
    • DE ONDE VÊ OS MEMES NA CULTURA DIGITAL? REBOOT Produtos midiáticos da cultura pop (TV, Cinema, Música, etc) Acontecimentos Causos e experiências de pessoas comuns publicadas na rede Comportamentos emergentes Não há autenticidade
    • MAPEANDO AS ORIGENS INTERNÉTICAS DOS MEMESLúdico 4 CHAN (2 CHAN em 2003) – Christian PooleCômico 2004 – Fechou e reabriuTrash Cultura OtakuSpoofs / Paródias Mainstream / UndergroundAuto-ajuda Trolls / Anonymous(FONTANELLA, 2010, Digg FELINTO, 2007) Tumblr Reddit 9 Gag
    • ESTRUTURA DOS MEMES Unidade visual / textual Economia simbólica Concisão linguistica (MARINO, 2012)
    • EIKE LOUCURA @narcisaoficialBordões replicáveis como forma de apropriação da identidade (SANTOS, 2011)
    • MEME COMO PRÁTICA CULTURAL Cultura Remix Hibridismo Cultural Mashups
    • MEME COMO PERFORMANCEa performance se situa num contexto ao mesmo tempo cultural e situacional: nesse contexto ela aparece como uma "emergência", um fenômeno que sai desse contexto ao mesmo tempo em que nele encontra lugar. Algo se criou, atingiu a plenitude e, assim, ultrapassa o curso comum dos acontecimentos. (ZUMTHOR, 2000)
    • MEME O DIGITAL TRASH Digital Trash (PEREIRA, 2006)A nova cultura digital se diferencia daquela anterior, produto direto do que foi considerado por alguns puristas de tradição frankfurtiana como o lixo da cultura de massa — criticada especialmente a partir de produtos como histórias em quadrinhos, rock’n’roll e cinema hollywoodiano — a partir da possibilidade do próprio público dominar os meios para a produção de obras que passam a dialogar diretamente com a cultura contemporânea #trashhunting
    • HIPÓTESEMeme – Elemento performativo estrutural e hipertextual da cultura pop que se replica através dos processos de viralização Meme como micronarrativa da cultura pop Cultura Jovem – bordões, gírias, piadas internas, pertencimento, grupos
    • REFERÊNCIASBLACKMORE, Susan. The Meme Machine , Oxford and New York, Oxford University Press, 2000.DAWKINS, Richard. O gene egoísta. SP: Cia das Letras, 2007 (tradução do livro de 1976)FELINTO, Erick. Videotrash: o YouTube e a cultura do spoof na Internet, Compós, 2007. Disponível em: http://tinyurl.com/99zk5tfFONTANELLA, Fernando. Nós somos Anonymous: anonimato, trolls e a subcultura dos imageboards.Intercom, 2010.http://tinyurl.com/98q2lofMARINO, Thomaz S. Estudo sobre a origem e propagação dos memes em ambientes digitais. TCC Comunicação Digital, Unisinos, 2012.SANTOS, Dierli M. A apropriação de identidade no ambiente virtual: uma abordagem sobre os perfis fakes do Twitter, TCC, Jornalismo, Unisinos, 2011. http://tinyurl.com/9rnhohk
    • VALEU!!