Especialidades Odontológicas

3,774 views
3,480 views

Published on

Slide sobre Especialidades Odontológicas feito pelas alunas do curso Técnico em Saúde Bucal da escola técnica Nova Biotec - Bragança Paulista.

Published in: Health & Medicine
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,774
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
114
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Especialidades Odontológicas

  1. 1. Especialidades Odontológicas Trabalho para aquisição de conhecimento apresentado no Curso Técnico em Saúde Bucal da escola técnica Nova Biotec, pelas alunas Yasmim Zarur, Nayara Mariano, Thais Moraes, Elisa Pereira e Barbara Andrade, sob a supervisão do Professor Eduardo Gomes.
  2. 2. Na Odontologia, os dois tipos de radiografias mais utilizados são as periapicais ( retiradas de dentro da boca) e as panorâmicas. A radiografia panorâmica, um dos mais importantes mecanismos, de uso amplo, que possibilita determinar, na face do paciente, a situação do osso, bem como a arcada dentária, em uma só tomada radiográfica, é de grande facilidade, já que o filme é colocado fora da boca do paciente.  Radiologia Panorâmica e Periapical. Em áreas como Cirurgia Buco-Maxilo-Facial, Ortodontia, Implantodontia e Periodontia a radiologia é imprescindível. Na primeira, é utilizada para diagnosticar lesões, fraturas ósseas, dentes supranumerários(em maior número que o normal), impactados ( inclusos ou que “não nasceram”) e outros, permitindo o planejamento para a melhor intervenção cirúrgica e acompanhamento.
  3. 3. Na Implantodontia, entre os muitos benefícios, permite a recolocação de elementos dentais, evitando o uso de próteses fixas ou móveis( por exemplo: ponte-fixa e Roath), além de avaliar a condição óssea para implantes, se há necessidade de enxerto ósseo e a osseointegração( fixação) entre implante e osso. Na Ortodontia, especialmente na Documentação Ortodôntica, que compreende radiografias e exames diversos, a radiologia é largamente utilizada. É útil ainda na confecção de moldes de gesso, fotos e slides entre outros procedimentos (dependendo do caso tratado), fundamentais para o planejamento e tratamento ortodôntico. Na Periodontia é utilizada, principalmente, para visualizar perdas ósseas, e assim planejar corretamente o tratamento.
  4. 4. Rx Panorâmica. Rx Oclusal Rx Periapical Rx Interproximal
  5. 5. Quais são os exames radiográficos na rotina odontológica? O cirurgião-dentista costuma executar os exames intrabucais no seu consultório e solicita as técnicas extrabucais para serviços especializados. Na atualidade, a maioria das especialidades utiliza a técnica panorâmica por ser de fácil execução e pelo fato de que, numa radiografia, visualizam-se as estruturas que compõem o complexo maxilomandibular, assim como estruturas anexas, como órbitas, seios maxilares, fossa nasal e articulações temporo-mandibulares.
  6. 6. Radiografia Panorâmica A radiografia panorâmica é um importante exame radiográfico utilizado para o diagnóstico e planejamento terapêutico das doenças dos dentes e dos ossos da face. Atualmente, a maioria dos dentistas solicita esse exame no início e no controle dos tratamentos odontológicos. Ela é um excelente exame quando uma visão ampla da maxila e mandíbula é desejada.  Vantagens: O exame ortopantomográfico, mais conhecido como radiografia panorâmica, é um exame útil e bastante prático para complementar o exame clínico no diagnóstico das doenças dos dentes (cáries ou doenças endodônticas) e dos ossos da face. Através desse exame, o dentista pode visualizar todos os dentes de uma só vez, inclusive os que ainda não estão erupcionados. Cáries, fraturas dentais, infecções ou outras doenças dos ossos que sustentam os dentes podem ser visualizadas e, muitas vezes, diagnosticadas.
  7. 7. Além do diagnóstico das lesões dentais, quais as outras indicações das radiografias panorâmicas? Praticamente no diagnóstico de todas as lesões dos ossos da maxila e mandíbula. Através desse exame, pesquisam-se reabsorções ósseas e radiculares, cistos, tumores, inflamações, fraturas pós-acidentes, distúrbios da articulação temporomandibular (que causam dor na região de ouvido, face, pescoço e cabeça) e sinusite. É comum solicitá-lo também como exame pré-operatório em cirurgias dos dentes e ossos.
  8. 8. Nas crianças, quando são indicadas as radiografias panorâmicas? Em Odontopediatria, esse exame tem amplas indicações, tanto na prevenção como no diagnóstico de distúrbios dentais e raciais. O dentista pode fazer o “pré- natal” dos dentes, examinando-os mesmo antes que eles erupcionem, podendo analisar sua localização, forma, angulação e a presença de dentes extranumerários (dentes que excedem o número normal) ou agenesia (falta do germe dentário) e assim prevenir ou atenuar futuros problemas estéticos e/ou relacionados à articulação. O estudo dos ossos na procura por lesões intraósseas, como cistos e tumores, também faz parte de uma boa odontologia preventiva.
  9. 9. Existe algum perigo quando se realiza a radiografia panorâmica? Atualmente, com os modernos aparelhos de raios-x, a proteção dos aventais de chumbo e os filmes mais sensíveis, esse método é bastante seguro. Nas mulheres grávidas, optamos por realizá-lo depois do terceiro mês de gestação ou após o parto, dependendo da necessidade do caso e sempre observando as medidas de segurança.
  10. 10. Dentística Restauradora Dentística ou odont ologia estética atua na área da cosmética e restauração dental. Entre outros serviços, os profissionais desta especialidade tratam de clareamentos dos dentes, uso de resinas diretas, peeling gengival, facetas e restaurações estéticas.
  11. 11. O seu principal foco é a estética, ainda que a restauração de dentes também seja uma medida importante para a saúde individual, já que a permanência de cáries pode causar problemas a vários níveis, além de criar problemas na mastigação dos alimentos. Pesquisa os vários tipos de preparações dentárias, a relação dos materiais restauradores com a estrutura dentária e o resto do organismo, técnicas restauradoras, etc. Tornando possível ao cirurgião-dentista restaurar de forma direta ou indireta a estética e a função dos dentes comprometidos.
  12. 12. Dentística Restauradora (Estética) Nos últimos anos, o desejo de ter uma aparência saudável, jovem e bonita, tornou-se cada vez mais um aspecto importante do nosso tratamento. A especialidade de Dentística Restauradora, também conhecida como Odontologia Estética é usada para clarear, aumentar, diminuir, corrigir de pequenas à grandes imperfeições, além de disfarçar tudo que pode prejudicar a beleza e harmonia de um sorriso. Restaurações: A odontologia segue caminhos buscando restabelecer a estética e o bem estar do cliente, devolvendo-lhe a autoestima, o prazer em sorrir, ou seja, o prazer em viver. Inúmeras são as técnicas e materiais utilizados para a melhoria do sorriso que vão desde o clareamento dental, resinas, facetas e coroas de porcelana .Hoje os pacientes procuram o tratamento odontológico por estética, não aceitam mais restaurações de amalgama (escuras) e metais.
  13. 13. De acordo com a Dra Luciana as restaurações em resina, também conhecidas como restaurações brancas, são muito utilizadas hoje em dia, seja para trocar restaurações antigas ou restaurar cavidades de cárie. As resinas também são muito utilizadas para melhorar a forma de dentes, consertar dentes quebrados, manchados, espaçados ou um pouco desalinhados que podem ser transformados em um novo sorriso. É possível mudar todas as restaurações escuras ou metálicas. Os dentes posteriores, que antes eram restaurados apenas por amálgama de prata (material metálico, de cor cinza), agora já podem ser restaurados em resina. A vantagem mais conhecida das resinas compostas é a estética. Quando corretamente indicada, as resinas restauram o dente de forma “conservadora”, pois se aderem ao dente como “cola”. Assim, não requerem desgaste de tecidos dentários sadios, ou seja, o dentista remove apenas a cárie ou a restauração antiga.
  14. 14. Clareamento Dental Um fator de muita influência sobre o comportamento das pessoas. Dentro deste contexto, é natural que a odontologia esteja preparada para atender os anseios estéticos. A busca por um sorriso mais branco vem se tornando a cada dia mais comum. O Clareamento Dental é uma solução não invasiva que branqueia a superfície dental e é um método excelente para obter um sorriso mais harmônico.
  15. 15. Segundo a Dra Luciana Triches um dos tratamentos mais procurados atualmente é o clareamento dental. O Clareamento dental visa a recuperação da cor original dos dentes pois com o passar da idade há um escurecimento natural dos dentes que é acelerado pela ingestão de alguns alimentos e bebidas como, vinho tinto, chimarrão, refrigerantes, cafezinho, cigarro entre outros . O clareamento pode ser feito por qualquer pessoa, e não prejudica os dentes. Os produtos utilizados são aprovados pela American Dental Association ( ADA)
  16. 16. Existem basicamente dois tipos de clareamento dental: • Clareamento Caseiro No clareamento caseiro, a maior parte do tratamento é realizada pelo próprio paciente, o qual utiliza o gel clareador dentro de uma moldeira personalizada feita pelo dentista. Estes materiais são fornecidos pelo Cirurgião Dentista, que irá supervisionar o tratamento através de visitas periódicas do paciente ao consultório. O paciente irá usar o gel por aproximadamente 20 dias, geralmente a noite, após a higienização.
  17. 17. • Clareamento no consultório No clareamento realizado no consultório, o dentista irá aplicar sobre os dentes um agente gel clareador mais potente. Durante a aplicação, a gengiva, lábios e bochechas são protegidos . Sobre o clareador é aplicado o laser que irá promover uma intensificação do clareamento. Ideal pra quem tem pouco tempo e exige resultados rápidos. A sessão dura em média 1:30 hora, e número de sessão varia de 2 à 5. As duas técnicas trazem ótimos resultados. Entretanto, o clareamento a laser é o mais procurado, pois traz resultados mais rápidos e de maior praticidade. Há a possibilidade também de se associar as duas técnicas.
  18. 18. Facetas As principais indicações para realização dos tratamentos estéticos compreendem alterações na face vestibular (parte de fora) dos dentes anteriores, manchas por fluorose, escurecimento dos dentes, má formação, mau posicionamento no arco, diastemas, restaurações amplas, perda de estrutura coronária por cárie ou traumatismo, tratamento das lesões de erosão, abrasão e atrição. A faceta pode ser executada diretamente na boca do paciente com resina composta ou ser de porcelana realizada no laboratório e, posteriormente colocada no dente do paciente. A Faceta proporciona um resultado estético bonito e aspecto bucal saudável para o paciente sem amarelar com o tempo.
  19. 19. Fechamento de Diastemas Diastema são espaços existentes entre os dentes que podem comprometer a estética e harmonia de um sorriso. Geralmente acometem os dentes anteriores superiores causando uma desarmonia na estética facial. A solução para esse problema é resolvido com a área da odontologia estética. O fechamento desses espaços pode ser feito com tratamento ortodôntico, o uso de resinas ou com facetas de porcelana.
  20. 20. Sensibilidade Um problema que incomoda bastante os pacientes é a questão da sensibilidade dentinária na região do colo dos dentes. Já é possível minimizar esse sintoma e até mesmo eliminá-lo dependendo do caso. A sensibilidade pode estar relacionada a diversos fatores: retração gengival (a gengiva se retrai e expõe parte da raiz do dente, que geralmente é sensível), desgaste dentário (escovação incorreta, hábitos de roer unhas, ossos, canetas, apertamento de dentes ou bruxismo), lesões de erosão ácida (causada por dieta ácida, frutas cítricas, refrigerantes, vinhos; e até problemas estomacais como refluxo gastro-esofágico), defeitos de formação de tecidos dentários (dentinogênese e amelogênese imperfeitas), etc. A cárie também pode dar sensibilidade. O dentista deve ser consultado para diagnosticar e tratar este problema.
  21. 21. O que são implante dentário? Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal (normalmente de titânio) posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva para substituir as raízes dentárias. Uma vez colocados, permitem ao dentista montar dentes substitutos sobre eles.
  22. 22. Quais são os benefícios de se fazer um implante? Por serem integrados ao osso, os implantes oferecem um suporte estável para os dentes artificiais. Próteses parciais e totais montadas sobre implantes não escorregarão nem mudarão de posição na boca, um grande benefício durante a alimentação e fala. Esta modalidade de prótese é chamada “prótese sobre implante” e confere ao paciente mais segurança em todas as funções bucais proporcionando uma situação mais natural do que pontes ou dentaduras convencionais.
  23. 23. Requesitos necessários para se fazer um implante Para receber um implante, é preciso que você tenha gengivas saudáveis e ossos adequados para sustentá- lo. Você também deve comprometer-se a manter estas estruturas saudáveis. Uma higiene bucal meticulosa e visitas regulares ao dentista são essenciais para o sucesso a longo prazo de seus implantes.
  24. 24. Implante ósseo integrado É o mais indicado. São implantados por meio cirúrgico diretamente no osso maxilar. O período da osseointegração (integração ao osso) leva em média 4 a 6 meses dependendo da região a receber o implante. Após este período, uma segunda cirurgia é necessária para ligar o implante ao meio bucal, nesta fase o cirurgião dentista remove a gengiva que está recobrindo o implante e finalmente, um dente artificial (ou dentes) é conectado ao implante, individualmente, ou agrupado em uma prótese.
  25. 25. 1. Os pinos são colocados cirurgicamente sob a gengiva. 2. Dentes artificiais, agrupados em uma ponte, são encaixados nos pinos. 3. Os implantes oferecem um encaixe bastante estável e firme. Resultado Final. Implantes servem de base para dentes substitutos isolados. Veja nas imagens passo a passo!
  26. 26. A prótese dentária (ou prótese dental) é a arte dental, ciência que lida com a reposição de tecidos bucais e dentes perdidos, visando restaurar e manter a forma, função, aparência e saúde bucal. Aplicados à odontologia, são utilizados indistintamente os termos prostodontia e prótese dentária. O termo "prótese dentária" também é utilizado para se referir ao artefato que se propõe a substituir a função original dos dentes perdidos ou ausentes. O seu principal objetivo é a reabilitação bucal, em todas as suas funções: estética, fonética e mastigação. Repõe ou restaura de forma indireta (por meio laboratorial) os (dentes), por meio de confecção de próteses fixas (coroas em metal, porcelana e materiais poliméricos e pontes) ou próteses removíveis como prótese total, a popular dentadura ou prótese parcial removível, ponte móvel). Recentemente encontramos próteses modernas produzidas sobre implantes como overdentures, próteses fixas livres de metal (metalfree) e próteses protocolo.
  27. 27. Prótese dentária fixa Por excelências as próteses dentárias fixas são as coroas e as pontes:  As coroas são capas cerâmica ou metálicas utilizadas para substituir a capa original de um dente quando ainda resta uma parte dele.  Já as pontes são coroas que se apoiam em outros dentes, quando não resta sequer um pedaço original do dente a ser substituído.
  28. 28. Prótese dentária removível Podem ser confeccionadas de várias formas e por serem removíveis têm a vantagem de poderem ser retiradas para higienização. Podem ser retidas por grampos, encaixes ou telescópica. São utilizadas desde 1950, na odontologia para a reabilitação de arcadas dentárias parcialmente desprovidas de dentes. Existem centenas de trabalhos científicos que comprovam a superioridade destas próteses com relação a estética e conforto no uso, além dos benefícios para a higiene bucal que este tipo de prótese proporciona devido a possibilidade de o próprio usuário poder removê-la para limpeza, sendo considerada a primeira escolha em reabilitações de pacientes que sofreram extrações.
  29. 29. Telescópica, o nome vem do tipo de sistema de encaixe da prótese nos dentes. São dois corpos de metal, onde um cabe perfeitamente dentro do outro. O menor fica revestindo os dentes e implantes e o maior embutido na prótese. Finalmente vem a terceira estrutura de metal que será revestida com o material estético. Este sistema proporciona segurança pois a prótese fica retida por fricção entre os dois copos. Problemas periodontais, são facilmente controlados pelo próprio paciente. Que, como se pode perceber, nas figuras (2 e 3), sem estar utilizando a prótese, os dentes ficam protegidos por uma fina camada de ouro.
  30. 30. Utilizando as escovas de dentes e "escova" inter- dental, proporciona-se a limpeza eficiente da gengiva marginal, após o tratamento periodontal. De entre todas as próteses removíveis, existe um tipo que pela sua massificação deve ser referida. Se trata da dentadura. Esta se subdivide por sua vez em prótese total ou parcial, isto é, se a dentadura suprir a ausência de todos os dentes do paciente se considera que é uma prótese total. Se por outro lado for apenas para suprir a ausência de apenas alguns dentes, esta prótese é denominada de parcial.
  31. 31. Prótese maxilofacial Apesar da importância dos implantes dentários, os autores não consideram a implantologia como uma divisão principal da prótese dentária. Em vez disso, os implantes são considerados auxiliares da terapia fixa, removível ou maxilofacial.
  32. 32. Moldagem Obtida através de instrumentos e materiais especiais. É o ato de se obter o negativo (molde) da boca do paciente (no caso da prótese). Molde: é o negativo obtido com o ato da moldagem. Modelo: é a reprodução da boca em gesso, isto é, o positivo. A moldagem pode ser:  Anatômica: é aquela em que o CD, efetua com os músculos mandibulares do paciente em situação estática – músculos em repouso. É realizada com moldeira de estoque.  Funcional: é aquela em que o CD, executa com os músculos mandibulares do paciente em situação dinâmica – com os músculos em movimento. É realizada com moldeira individual.
  33. 33. • Alginato: Possui uma reprodução regular, indicando que os detalhes e os pormenores serão reproduzidos menos satisfatoriamente, por isto é utilizado durante a moldagem anatômica em prótese total, prótese parcial removível e prótese fixa, para se obter o modelo de estudo. É um hidrocolóide (algas marinhas), porém irreversível. É o único material de moldagem usado pelo técnico em prótese dental, cuja finalidade no laboratório é reprodução de modelos. Apresentação: Latas e envelopes.
  34. 34. • Composição: Alginato de sódio; Sulfato de cálcio didratado; Fosfato de sódio ou carbonato de sódio; Fluoretos de zinco alcalinos; Corantes. • Manipulação: Proporção – água/pó – 1:1 (de acordo com fabricante). Feita a mistura, espatular com vigor, até conseguir uma substância bastante homogênea. Uma relação água/pó maior aumenta a resistência mecânica, resistência ao rompimento e a consistência, diminuindo os tempos de trabalho e de presa, bem como a flexibilidade.
  35. 35. Endodontia é a especialidade da odontologia responsável pelo estudo da polpa dentária, de todo o sistema de canais radiculares e dos tecidos Periapicais, bem como das doenças que os afligem. Em casos de alterações por cárie, fraturas dentárias, trauma dentário, trauma ortodôntico, lesões endo-periodontais, necessidades protéticas e outras patologias endodônticas, o tratamento endodôntico (ou o tratamento de canal) está indicado, visando a manutenção do dente na cavidade bucal, e a saúde dos tecidos periapical.
  36. 36. O que faz? O tratamento endodôntico consiste em variadas manobras técnicas que visam restabelecer a normalidade dos tecidos dentais, ou pelo menos manter a estrutura dura em seu alvéolo sem presença de inflamação ou infecção. Por isso, o tratamento de Canal é apenas uma parte deste, em que baseia-se em remover todo o tecido, vivo ou não, da câmara pulpar e do sistema de canais radiculares presente nas raízes selando-os em seguida. Dentre as manobras podemos destacar, em ordem de complexidade, o tratamento expectante, a curetagem pulpar, a pulpotomia, a pulpectomia e o tratamento cirúrgico (cirurgia parendodônticas).
  37. 37. Tratamentos • Tratamento expectante É a manobra mais conservadora do tratamento endodôntico, em que consiste sempre na remoção do tecido cariado, a proteção do complexo dentina-polpa, e o selamento provisório da cavidade. Vários são o materiais que podem ser utilizados pelo Cirurgião Dentista (ou Médico Dentista ou Médico Estomatologista em Portugal) o mais indicado é o Hidróxido de Cálcio P.A, mas é de consenso geral que, o mais importante é preservar a estrutura biológica do estímulo que vem gerando a alteração pulpar.
  38. 38. Curetagem Pulpar Consiste na remoção superficial da polpa coronária (presente na coroa do dente) que eventualmente tenha sido exposta durante o tratamento conservador, potencialmente contaminado por microrganismos do meio bucal.
  39. 39. Pulpotomia A pulpotomia é a remoção da polpa presente na câmara pulpar. Neste caso preserva-se o tecido pulpar que está nos condutos radiculares (canais). Devido a isso, a pulpotomia está indicada somente em casos que a lesão inflamatória restringe-se a uma pequena porção da polpa coronária. Em crianças é onde se encontram os maiores índices de sucessos neste tratamento, devido ao fato do tecido pulpar não estar completamente amadurecido. Existe uma grande índice de insucessos na pulpotomia, tais como mortificação pulpar ou formação de cálculos pulpares, o que restringe a técnica mais a dentes jovens. A pulpotomia está indicada principalmente, na Odontopediatria.
  40. 40. Pulpectomia É o tratamento de canal comumente conhecido. Consiste em despolpar totalmente o dente; higienizar as paredes internas e a luz dos canais; modelar e selar, de modo o mais hermético possível, o sistema de canais radiculares com guta-percha (derivado de resina vegetal). A pulpectomia é considerada um procedimento complexo, onde tamanho do campo operatório, o comprimento do dente, a anatomia do sistema de canais radiculares e a fadiga dos instrumentos de corte contribuem para as dificuldades técnicas deste procedimento.
  41. 41. Tratamento Cirúrgico O tratamento cirúrgico está indicado em casos de falhas anteriores no tratamento endodôntico, em perfurações acidentais, presença de lesões refratárias (não respondem ao tratamento endodôntico convencional), em alguns casos de fratura de instrumentos e a presença de próteses extensas que do ponto de vista estético e funcional estejam satisfatórias.
  42. 42. Preparo do Canal Radicular Após o diagnóstico clínico, o dente é preparado para o tratamento endodôntico (anestesia, isolamento do campo operatório, antissepsia do campo). É realizada a abertura do dente, com o uso de brocas apropriadas, para o acesso ao canal. Em seguida inicia-se o preparo do canal radicular alargando a entrada até o terço médio do dente. A limpeza e a modelagem do canal radicular devem atingir uma profundidade, que é determinada pela medição do comprimento do dente (odontometria). A limpeza e modelagem do sistema de canais radiculares se faz pelo uso de instrumentos endodônticos manuais (aço inoxidável ou NiTi).
  43. 43. Outra possibilidade mais recente é o emprego de instrumentos rotatórios os quais são acionados por motor especial de baixa rotação , que apresentam regulagem limite de torque, o que da mais segurança ao procedimento , diminuindo a probabilidade de fratura do instrumento (limas). Atualmente essa etapa encontra-se tão evoluída que se usa apenas um instrumento rotatório para realizar todo o procedimento de instrumentação, onde antes se usava de seis a mais de dez limas, uma única lima (wave one) limpa e formata o canal para que este possa ser fechado (obturado), é a ciência colaborando cada vez mais para o tratamento de canal ser feito em uma sessão como a grande maioria das práticas cirúrgicas.
  44. 44. Instrumentais Instrumentos de Pega Dígito-Manual e Dispositivos Auxiliares Os instrumentos dígitos-manuais são constituídos por cabo, intermediário e ponta ativa. Podem ser simples (possui ponta ativa em apenas uma das extremidades) ou duplos (possui pontas ativas em ambas extremidades). Os instrumentos manuais mais frequentemente empregados em Endodontia estão relatados neste documento.
  45. 45. • Espelho Plano nº 5 com cabo nº 25 O espelho planos nº 5 com cabo nº 25 é empregado para a visualização indireta dos elementos dentais, câmaras pulpares e embocaduras dos canais radiculares. • Pinça para Algodão nº 317 A Pinça para Algodão nº 317, entre várias utilizações diversas, é empregada para a pega dos cones de guta- percha principais e acessórios e cones de papel absorvente
  46. 46. • Explorador Clínico nº 5 O Explorador Clínico nº 5 é utilizado principalmente na sondagem de teto durante a cirurgia de acesso endodôdontico. • Explorador reto nº 47 para endodontia O Explorador Reto nº 47 é indicado para a busca e exploração da embocadura dos canais radiculares
  47. 47. Seringa Carpule A Seringa Carpule além de ser utilizada em sua função primordial durante o procedimento de anestesia, pode ser utilizada na endodontia como meio de irrigação endodôntica. Neste caso, após a limpeza, autoclavagem e marcação de tubetes, eles são preenchidos com solução irrigante que é aplicada dentro do canal radicular por meio da utilização de agulhas 27 G (curta ou longa).
  48. 48. Escavadores Os Escavadores nº 17 e 19 são empregados em momentos diferentes da terapia endodôntica: 1 - remoção de tecido cariado; 2 - remoção do tecido pulpar nas pulpotomias; e 3 - remoção de restos de cimento endodôntico e de material selador provisório (toalete da câmara pulpar) preferencialmente, 30 G (extra-curta ou curta).
  49. 49. Condensadores de Canal de PAIVA números 1, 2, 3 e 4 Os Condensadores de Canal de PAIVA números 1, 2, 3 e 4 são utilizados na condensação vertical da obturação endodôntica. Também são usados, aquecidos por chama de lamparina à álcool, para a remoção de excessos de obturação endodôntica dos canais radiculares.
  50. 50. Esculpidor Hollenback 3S São utilizados para o corte do cone principal e dos cones acessórios. Para tanto, são aquecidos ao rubro em chama de lamparina à álcool.
  51. 51. Calcador de Woodson 6337 nº 2 e Calcador Duflex 6332 nº 3 São utilizados tanto na adaptação da guta-percha em bastão plastificada sobre a embocadura do canal radicular quanto na escultura coronária do material selador provisório durante a realização do curativo de demora. O Calcador de Woodson 6337 nº 2 é mais adequado pois sua extremidade de condensação cone invertida também possibilita a remoção de excessos de material selador provisório das paredes laterais da câmara pulpar.
  52. 52. Aplicador de Guta-Percha O Aplicador de Guta-Percha é utilizado para a introdução da guta-percha em bastão plastificada na câmara pulpar durante a realização do curativo de demora. Para tanto, é aquecido em chama de lamparina à álcool. As Figuras 2.10-1 e 2.10-2 ilustra o Aplicador de Guta-Percha (Dispenser Guta) produzido pela Microdent (Aparelhos Odontológicos LTDA). O uso da guta-percha sobre a bolinha de algodão e sob o material selador provisório é conveniente pois possibilita a remoção do material selador provisório com broca esférica em baixa rotação antes do isolamento absoluto. Após o isolamento absoluto, remove-se a guta-percha e a bolinha de algodão e procede-se ao tratamento endodôntico em um campo operatório limpo.
  53. 53. Régua Endodôntica As réguas são utilizadas para se aplicar ao instrumento o comprimento de trabalho pelo deslocamento do cursor. As réguas devem ser perfeitamente calibradas pois o comprimento do dente e o comprimento de trabalho são dados que devem constar no prontuário do paciente e que poderão ser utilizados por outro profissional na fase protética. As Réguas Endodônticas podem conter orifícios calibradores de cones de guta-percha ou dispositivos utilizados para curvarem os instrumentos endodônticos de pega digital.
  54. 54. Materiais para obturação 01 tesoura reta pequena -12 cm- ponta fina.  01 lâmina tipo Gillette.  01 jogo com 4 compactadores de guta-percha tipo Paiva.  01 caixa cones de guta-percha 1ª série.  01 caixa cones de guta-percha 2ª série.  01 caixa de cones guta-percha acessórios B 7. 01 caixa de cones guta-percha acessórios B 8.  01 caixa de cones de papel absorvente 1ª série, esterilizados. 01 caixa de cones de papel absorvente 2ª série, esterilizados.
  55. 55. Materiais para isolamento 01 caixa de lençol de borracha (espessura média). 01 perfurador de lençol de borracha.  01 arco “porta-dique” de plástico (tipo Ostby).  01 pinça “porta-grampo”.  Grampos 202, 206, 207, 208, 210, 211, 212, 26 e W8A.  01 rolo de fio dental pequeno.  01 tubo de creme de barbear pequeno. Pode ser dividido em seringas entre os alunos. 01 tubo de adesivo Super-Bonder ou similar
  56. 56. Cursores 25 cursores –1 mm de espessura com maior diâmetro (6 mm). 25 cursores –1 mm de espessura com menor diâmetro (4 mm). 25 cursores –0,5 mm de espessura com maior diâmetro (6 mm). 25 cursores –0,5 mm de espessura com menor diâmetro (4 mm).  01 pote plástico pequeno com boca larga para os cursores
  57. 57. Geral 01 micromotor com contra ângulo. 01 caneta de alta-rotação.  01 lençol de plástico grosso - 50 x 70 cm para forrar bancada de trabalho.  01 almotolia de 100 mL – escura  01 régua plástica milimetrada com 15 cm (flexível, branca e fosca).  01 pacote de esponjas pré-cortadas.  01 recipiente plástico para colocação das esponjas cortadas.  30 saquinhos papel opaco/amanteigado (pipoca / hambúrguer). 01 rolo de fita adesiva. 01 porta-algodão (inox).  01 isqueiro ou 01 caixa de fósforos.
  58. 58. 02 potes Dappen de vidro. ( ) 20 pontas para sugador (descartáveis). ( ) 10 agulhas descartáveis para anestesia “Gauge 30”. ( ) 05 seringas descartáveis de 3 mL com agulha 25 x 7. ( ) 30 películas radiográficas periapicais. ( ) 60 compressas de gaze. ( ) 01 lupa com aumento de 2,5 X – grande (10 cm de diâmetro). ( ) 01 caixa de luvas descartáveis. ( ) 01 pacote de gorros descartáveis ( ) 01 óculos de proteção
  59. 59. ( ) 02 caixas plásticas com tampa - dimensões internas – mínimas: comprimento: 22 cm - largura: 13 cm - altura: 5 cm ( ) 01 caixa plástica com tampa, maior que as anteriores, para acondicionar itens diversos. ( ) 02 panos tipo Perfex (para forrar as caixas plásticas). ( ) 01 fotografia 3 x 4 recente. ( ) 01 pasta plástica tipo poliondas com elástico. ( ) 10 envelopes com dimensões aproximadas de 15 x 10 cm. ( ) 01 lápis e borracha. ( ) 01 conjunto seringa Centrix com pontas 01 lamparina.  04 vidros de antibiótico – tipo Benzetacil – vazios e limpos – remover rótulos e tampa de borracha.
  60. 60. Medicamentos Analgésicos periféricos • Tylenol, dipirona comprimidos,em gotas e solução oral • Analgésicos com ação central • Tramal comprimidos,cápsulas e solução oral e tylex
  61. 61. Analgésicos de ação central não opióide • Dolamim • Aines • Advil.motrim, • doretrim, • Naprosyn • Flanax • Cataflam • Voltarem • Profenid • Feldene • Ciclladol • tilatil. • Aines inibidores da cox2 • Movatec • Nimensulida • Bextra • Celebra • Decadron • celestone
  62. 62. Antibióticos • Pen-ve-oral • Amoxil • Clavulin • amplacilina/binotal • Cefamox • Keflex • Ceclor • Klaricid • Zitromax • Ilosone • Dalacin • Flagil • Pletil.
  63. 63. Definição Periodontia ou periodontologia (peri: em volta de, Odonto: dente) é a ciência que estuda e trata as doenças do sistema de implantação e suporte dos dentes. Este aparelho é formado por osso alveolar, ligamento periodontal e cemento. As alterações patológicas do periodonto são chamadas doenças periodontais, como, placa bacteriana, gengivite, periodontite. A função do periodonto é a inserção do dente ao tecido ósseo dos maxilares e conservar a superfície da mucosa mastigatória da cavidade bucal. O periodonto também é chamado de aparato de inserção ou de tecido suporte do dente e estabelece uma unidade funcional biológica e evolutiva que sofre modificações com a idade e com relação às modificações do meio bucal.
  64. 64. Doenças Peridontais • Placa bacteriana Entre a gengiva, gengiva livre, e o dente há um espaço reduzido (cerca de 1 a 3 milímetros de profundidade) onde se aloja a placa bacteriana. Esta placa é um biofilme aderido à superfície do dente que é melhor removido sob ação mecânica - escovação e uso de fio dental e escovas interdentais. A massa bacteriana aumenta com o contínuo crescimento da aderência de organismos, com a adesão de novas bactérias, e com a síntese de polímeros extracelulares. Com o aumento da espessura, a difusão dentro e fora do biofilme começa a tornar-se mais e mais difícil.
  65. 65. Como resultado da rápida utilização do oxigênio pelas bactérias superficiais depositadas e da pobre difusão através da matriz do biofilme desenvolve-se um gradiente de oxigênio. O oxigênio é um determinante ecológico importante já que as bactérias variam em suas habilidades de crescer e multiplicar a diferentes níveis de oxigênio. Produtos de dieta dissolvidos na saliva são uma importante fonte de nutrientes para as bactérias da placa abaixo da linha da gengiva. Os resíduos do metabolismo destas bactérias e as próprias bactérias acabam por afetar a gengiva, causando uma inflamação. A esta inflamação damos o nome de gengivite. Uma vez estabelecida a gengivite e sem que haja a interferência na contínua formação da placa bacteriana, (controle mecânico da placa) pode se desenvolver um quadro de Periodontite.
  66. 66. Periodontite A periodontite é uma inflamação que vai além da gengiva alcançando o tecido ósseo subjacente, o ligamento periodontal e o cemento radicular formando a bolsa periodontal; ou seja um espaço entre a gengiva e o dente maiores que 3 milímetros de profundidade, e acarretando em perda óssea. Muitas bactérias encontradas em bolsas periodontais produzem enzimas hidrolíticas com as quais podem quebrar macromoléculas complexas do hospedeiro em simples peptídeos e aminoácidos. Estas enzimas podem ser a maior causa do processo destrutivo dos tecidos periodontais. E uma vez destruído o osso e principalmente o ligamento periodontal dificilmente vamos conseguir a regeneração destes tecidos.
  67. 67. Este processo inflamatório é acompanhado de um processo imune, ambos atuam no tecido gengival a fim de proteger o homem contra o ataque microbiano e prevenir que estes avancem ou invadam os tecidos, em alguns casos estas reações de defesa do hospedeiro podem ser prejudiciais ao próprio hospedeiro podendo danificar células e estruturas do tecido conjuntivo adjacente. Assim as reações inflamatória e imune podem estender-se em profundidade sob a base da bolsa no tecido conjuntivo, podendo envolver o osso alveolar neste processo destrutivo. Este processo “defensivo” pode paradoxalmente explicar muitas das injúrias teciduais observadas na gengivite e periodontite. A consequência da periodontite, quando deixada sem tratamento, pode ser a perda do elemento dental, mobilidade dental, sensibilidade dental, abscessos, espaços aumentados (diastemas) entre os dentes, modificação na estética do sorriso, e várias consequências com relação à oclusão.
  68. 68. Instrumentais Os instrumentais devem ter esses requisitos • Delicado, confortável, forma adequada • Rígido sem ser grosseiro • Permitir manipulação e liberdade de movimento sem esforço excessivo • Facilidade e rapidez para serem afiados • Número não muito grande • SONDA MILIMETRADA, utilizadas para medição do sulco gengival. • CURETAS PERIODONTAIS, utilizadas para retirada de cálculo dentário, a numeração varia de acordo com a região da arcada. • RASPADORES PERIODONTAIS, utilizados para retirada de cálculo dentário, a numeração varia de acordo com a região da arcada.. • GENGIVÓTOMOS, usados para o corte da gengiva
  69. 69. Cureta Gracey • 2 Gracey 1-2 • 2 Gracey 5-6 • 2 Gracey 9-10 • 2 Gracey 11-12 • 2 Gracey 13-14 • 2 Gracey 1-2 Mini • 2 Gracey 11-12 Mini • 2 Gracey 13-14 Mini • Curetas Gracey, também conhecidas como curetas de áreas específicas, utilizadas para raspagens dos dentes anteriores.
  70. 70. • Foices Raspagens supragengival nas faces proximais. • Enxadas São raspadores reservados para raspagem de grandes caulculos supra e subgengival,em áreas de fácil acesso. • Limas Fraturar grandes massas de cálculos, subgengival das faces livres, proximais de áreas desdentadas e distal dos últimos molares entre outros.
  71. 71. Material  Espelho de mão (tamanho médio ou grande) 01  Prendedor para guardanapo (jacaré) 02  Potes de Dappen, de cada 01  Alicate de corte 01  Alicate 139 01  Instrumental e material de isolamento absoluto  Pincéis para adesivo, espátula para resina (da dentística)  Laje de vidro 01  Luvas, gorros, máscaras  Luvas cirúrgicas estéreis, pares 05
  72. 72.  Óculos de proteção 02  Saquinho de sacolé 100  Saco para lixo (tipo cachorro quente) 100  Sobre luvas 100  Manequim (o mesmo da dentística) 01  Filme plástico (30 metros), rolos 01  Brocas carbide cirúrgica nº 2, 3 e 4 01 de cada  Pontas diamantadas 3118F, 3195F, 3216 e 2200 01 de cada  Pontas diamantadas 1012HL e 1014 HL 01 de cada  Brocas esféricas de aço nº 4 01  Lâminas para bisturi números 12 , 15C, 11, 05 de cada  Aspiradores cirúrgicos descartáveis esterilizados (Indusbello ou similar) 04  Seringas de 20ml, descartáveis e esterilizadas com agulha (B-D) – Plastipak ou similar 05
  73. 73.  Fio de sutura (seda-4.0) 05  Fio de sutura (mononylon-4.0)  Material cirúrgico  Gengivótomo de Kirkland ou Goldman-Fox 01  Bisturi de Orban + fino 01  Tesoura cirúrgica Goldman-Fox, lâmina serrilhada de 2,5 cm curva 01  Destaca-periósteo delicado Molt -2/4 e micro freer 01 de cada  Alicate de Goldman-Fox ou alicate de cutícula – Solingen ou Mundial 01  Pinça hemostática reta – tipo mosquito 01  Jogo de cinzéis micro Ochsenbein 1, 2, 3 e 4 01
  74. 74.  Lima de Schluger PHD 9-10 01  Afastador de Minessota 01  Porta – agulhas tipo Castroviejo (pequeno) 01  Caixas metálicas perfuradas (médias) 03  Cuba metálica (média) para soro fisiológico 02  Cabo para bisturi nº 3 02  Tesoura curva 01  Broca 701c KG SORENSEN 01  Agulhas para aspiração 40/20, ou similar (pode ser substituído pelo kit de aspiração 02
  75. 75. Medicamentos Spidufen 600 - No alívio da dor leve ou moderada: cefaléias, nevralgias, dismenorréia, pós-cirúrgico dental e dores dentárias, musculares e traumáticas. Spidufen 600 também está indicado na artrite reumatóide e na osteoartrite e em outras patologias musculares e ósseas que se manifestem com dor e inflamação.
  76. 76. Definição Odontologia Legal é a especialidade que tem como objetivo a pesquisa de fenômenos psíquicos, físicos, químicos e biológicos que podem atingir ou ter atingido o homem, vivo, morto ou ossada, e mesmo fragmentos ou vestígios, resultando lesões parciais ou totais reversíveis ou irreversíveis. O campo de atuação da odontologia legal engloba diferentes tipos de atividades periciais. No que se refere à identificação, os dentes e os arcos dentários podem fornecer, em certas circunstâncias, subsídios de real valor para a resolução de problemas médico-legais e criminológicos constituindo-se, por vezes, os únicos elementos com que o perito pode contar.
  77. 77. A Odontologia Legal exerce atualmente, importância fundamental na identificação de vítimas em desastres aéreos, por exemplo, devido às vantagens que o estudo dos elementos dentários apresenta em relação às demais técnicas de determinação da identidade. Uma forma diferenciada de identificação é por meio da análise das marcas de mordida, a mordida é exclusivamente marcas feitas apenas por dentes ou aliado a outros elementos da boca. As vítimas de incêndio são geralmente identificadas pela sua arcada, pelo sua resistência ao fogo, podendo resistir a temperaturas acima de 1.093 ºC. Para a identificação de uma pessoa através dos dentes, os investigadores forenses, podem usar amostras de DNA e registros dos dentistas do indivíduo. O esmalte do dente é mais rígida substância do corpo humano, é por esse motivo que os dentes resistem mesmo se as outras partes do corpo estiverem em decomposição.
  78. 78. Breve histórico da odontologia legal: • 1897 - Incêndio na Ópera Cômica de Paris ("Bazar de la Charité"), resultando na morte e carbonização de, aproximadamente, uma centena de pessoas. A identificação de diversas vítimas (cerca de 90%) somente foi possibilitada pela análise dos elementos dentais. • 1903 - Estudo de Amoedo discursando sobre a importância dos dentes após a morte, sob o aspecto médico-legal. • 1909 - Incêndio criminoso no Consulado da Legação Alemã em Santiago, no Chile. O cirurgião-dentista Germán Valenzuela de Basterrica determinou cientificamente a identidade de um carbonizado favorecendo a resolução do caso.
  79. 79. • 1912 - Naufrágio do Titanic determinando o falecimento de 1.513 pessoas. A análise das arcadas dentárias permitiram o reconhecimento de muitas vítimas. • 1972 - Sognnaes determinou a identidade de Martin Bormann, chanceler do Terceiro Reich alemão durante a II Guerra Mundial, através de comparação com os registros do Dr. Hugo Blaschke, então dentista dos nazistas dos altos escalões. • 1973 - Incêndio no Hotel Hafnia, em Copenhague, ocasionando 35 mortes. Oito dentistas colaboraram equipe de identificação, comparando os dados ante- mortem e post-mortem através de análises visuais, fotográficas e radiográficas. Foi possível o reconhecimento de 74% das vítimas (26 casos).
  80. 80. • 1983 - Bernstein dissertou sobre a relevância da utilização de fotografias para a acurácia da documentação odontológica post-mortem, justificada pelo fato das evidências dentais, a despeito de sua resistência, serem compostas de materiais perecíveis. • 1985 - Endris descreveu o emprego dos conhecimentos odontolegais no auxílio do reconhecimento do carrasco nazista Josef Mengele a partir de uma ossada suspeita. • 1990 - Ocorre um dos maiores acidentes navais da história, o do Scandinavian Star, vitimando 158 pessoas. Os exames dentários viabilizaram o reconhecimento de 107 corpos (68%).
  81. 81. Definição É uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada. Dentes tortos ou dentes que não se encaixam corretamente são difíceis de serem mantidos limpos, podendo ser perdidos precocemente, devido à deterioração e à doença periodontal. Também causam um estresse adicional aos músculos de mastigação que pode levar a dores de cabeça, síndrome da ATM e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas. Os dentes tortos ou mal posicionados também prejudicam a sua aparência. O tratamento ortodôntico torna a boca mais saudável, proporciona uma aparência mais agradável e dentes com possibilidade de durar a vida toda. O especialista neste campo é chamado de ortodontista. Os ortodontistas precisam fazer um curso de especialização, além dos cinco anos do curso regular.
  82. 82. Como saber se preciso de um ortodontista? Apenas seu dentista ou ortodontista poderá determinar se você poderá se beneficiar de um tratamento ortodôntico. Com base em alguns instrumentos de diagnóstico que incluem um histórico médico e dentário completo, um exame clínico, moldes de gesso de seus dentes e fotografias e radiografias especiais, o ortodontista ou dentista poderá decidir se a ortodontia é recomendável e desenvolver um plano de tratamento adequado para você.
  83. 83. Casos que precisam usar aparelhos ortodônticos: • Sobremordida, algumas vezes chamada de "dentes salientes" — este problema é caracterizado por um excesso vertical da região anterior da maxila e/ou uma sobre-erupção dos dentes dessa região. Nos casos de sobremordida, os dentes anteriores superiores recobrem quase 100% dos dentes inferiores, conferindo um sorriso desagradável e problemas mastigatórios. Os dentes inferiores podem, inclusive, estar tocando no palato e na gengiva do arco superior.
  84. 84. • Mordida cruzada anterior — uma aparência de "bulldog", quando a arcada inferior está projetada muito à frente ou a arcada superior se posiciona muito atrás. • Mordida cruzada — ocorre quando a arcada superior não fica ligeiramente à frente da arcada inferior ao morder normalmente. • Mordida aberta — espaço entre as superfícies de mordida dos dentes anteriores e/ou laterais quando os dentes posteriores se juntam. • Desvio de linha mediana — ocorre quando o centro da arcada superior não está alinhado com o centro da arcada inferior.
  85. 85. Como funciona um tratamento ortodôntico eficaz? Diversos tipos de aparelhos, tanto fixos como móveis, são utilizados para ajudar a movimentar os dentes, retrair os músculos e alterar o crescimento mandibular. Estes aparelhos funcionam colocando uma leve pressão nos dentes e ossos maxilares. A gravidade do seu problema é que irá determinar qual o procedimento ortodôntico mais adequado e mais eficaz.
  86. 86. Aparelhos fixos podem ser: • Aparelho fixo - este é o tipo mais comum de aparelho; consiste de bandas, fios e/ou braquetes. As bandas são fixadas em volta de vários dentes ou um só dente, e utilizadas como âncoras para o aparelho, enquanto que os braquetes são presos na parte externa do dente. Os fios em forma de arco passam através dos braquetes e são ligados às bandas. Apertando-se o arco, os dentes são tracionados, movendo-se gradualmente em direção à posição correta. Os aparelhos fixos são geralmente apertados a cada mês para se obter os resultados desejados, que podem ocorrer no prazo de alguns meses até alguns anos. Atualmente eles são menores, mais leves e exibem bem menos metal que no passado. Podem apresentar cores vivas para as crianças, bem como estilos mais claros, preferidas por muitos adultos.
  87. 87. • Aparelho fixo especial — utilizados para controlar o hábito de chupar o dedo ou a língua "presa", estes aparelhos são fixados aos dentes através de bandas. Por serem muito desconfortáveis durante as refeições, devem ser utilizados apenas como um último recurso. • Mantenedor de espaço fixo — se o dente de leite é perdido precocemente, um protetor de espaço é utilizado para manter este espaço aberto até que o dente permanente nasça. Uma banda é cimentada ao dente próximo ao espaço vazio e um fio é estendido até o dente do outro lado do espaço.
  88. 88. Aparelhos móveis incluem: • Niveladores — uma alternativa para os aparelhos convencionais para adultos, niveladores em série estão sendo utilizados por um número crescente de ortodontistas para mover os dentes da mesma forma que os aparelhos fixos, mas sem os fios de aço e os braquetes. Os niveladores são virtualmente invisíveis e removíveis para que o usuário possa se alimentar, escovar os dentes e passar o fio dental. • Mantenedores de espaço móveis - estes aparelhos têm a mesma função que os mantenedores fixos. São feitos com uma base acrílica que se encaixa sobre a mandíbula e têm braços de plástico ou arame entre determinados dentes que devem ser mantidos separados.
  89. 89. • Aparelhos reposicionadores de mandíbula — também chamados de talas, estes aparelhos podem ser utilizados no maxilar superior ou mandíbula, e ajudam a "treinar" a mandíbula a fechar em uma posição mais favorável. São utilizados para disfunções da articulação temporomandibular (ATM). • Amortecedores de lábios e bochechas — são destinados a manter os lábios e bochechas afastadas dos dentes. Os músculos dos lábios e bochechas podem exercer pressão sobre os dentes e os amortecedores ajudam a aliviar esta pressão.
  90. 90. • Expansor palatino — um mecanismo utilizado para alargar o arco da mandíbula superior. Consiste em uma placa de plástico que se encaixa sobre o céu da boca. A pressão externa aplicada sobre a placa por meio de parafusos força as juntas dos ossos do palato a se abrirem para os lados, alargando a área palatina. • Contentores móveis — utilizados no céu da boca, estes aparelhos de contenção previnem que os dentes voltem à posição anterior. Podem também ser modificados e utilizados para evitar que a criança chupe o dedo. • Aparelho extrabucal — com este aparelho, uma faixa é colocada em volta da parte de trás da cabeça, e ligada a um elástico na frente, ou um arco facial. Este aparelho retarda o crescimento da maxila e mantém os dentes posteriores onde estão, enquanto os dentes anteriores são empurrados para trás.
  91. 91. As pessoas procuram a odontologia estética por várias razões. Algumas simplesmente querem parecer mais jovens, e a odontologia estética é como uma plástica dentária que pode "reverter" de forma rápida o processo natural de envelhecimento dos dentes. Outras (a maioria) tiveram dentes feios a vida inteira e sempre souberam disso. Essas pessoas raramente sorriem, e isso pode esconder o aspecto mais caloroso de suas personalidades. A odontologia moderna oferece uma grande variedade de opções de tratamento para pessoas que buscam melhorar seus sorrisos. As opções variam de facetas de porcelana a aparelhos. Em muitos casos, é necessária uma combinação de técnicas para atingir os melhores resultados.
  92. 92. A associação de conceitos, como bom humor, boas energias, saúde e beleza no sorriso, revela um perfil de sucesso, que confere a seu dono a satisfação de estar de bem com a vida. Alcançar esse objetivo, entretanto, está mais fácil do que há alguns anos, graças ao avanço da Odontologia Estética. Esta área da Odontologia recebeu muitos investimentos em pesquisa nos últimos anos revelando um crescimento nunca antes experimentado, possibilitando a homens e mulheres a reabilitação de seus dentes com materiais que se assemelham ao dente natural, e o que é melhor, com uma grande durabilidade. As pessoas que buscam o belo e a harmonia, depois do tratamento, percebem uma mudança completa, um ganho inclusive de auto-estima.

×