Lentes marista parte1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Lentes marista parte1

on

  • 449 views

 

Statistics

Views

Total Views
449
Views on SlideShare
449
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Lentes marista parte1 Lentes marista parte1 Presentation Transcript

  • LENTES
  • Lentes CôncavasUma característica que podemosusar para identificá-las, é quepossuem as bordas (extremidades)mais grossas, que a parte central.Podemos dar nome a essas lentesdependendo do tipo de superfície,como na figura ao lado: Uma outra característica desteslentes são a capacidade que elastêm em divergir os raios de luz,quando nlente > nmeio.
  • Lentes Convexas • São lentes de bordas delgadas (finas). A parte central é mais grossa. Podem classificar-se como na figura ao lado:
  • • As lentes convergentes concentram os raios de luz.
  • Lentes Divergentes
  • Resumo Resumo: LentesEspelho Côncavo convergentes • Objeto ou imagem real colocada Real, invertida, menor antes do Raior de curvatura. • Objeto ou imagem real colocada Real, Invertida, igual sobre o Raio de curvatura . • Objeto ou imagem real colocada Real, invertida e Maior entre o foco e o raio. • Objeto ou imagem real colocado Não forma imagem sobre o foco. • Objeto ou imagem real colocada Virtua, direita e Maior entre o foco e o espelho. R f 2
  • Espelho ConvexoLentes divergentes • Objeto ou imagem • Objeto ou imagem real colocada em real colocada em Virtual Virtual qualquer distância qualquer distância Direita e da lente Direita e do espelho Convergente menor menor R f 2
  • EQUAÇÕES ? Ti A T0 di A do f A f do
  • a) O que é uma lente divergente ou côncava?b) Qual lente pode ser utilizada para aquecer um material?c) Imagens reais podem ser projetadas por lentes convergentes ouespelhos convexos?d) Imagens invertida poderão ser formadas em lentes divergentes?e)Imagem virtual podem ser projetadas ?f) Através de uma lente divergente pode-se ampliar uma imagem?
  • 1. A distância i medida é menor que a distância f.2. A distância d, entre a lente e a árvore, é dada por: d = (f x i) / (i - f).3. A imagem da árvore, projetada no fundo da caixa, é invertida.4. Se o volume interior da caixa for preenchido com água, a imagem nítida daárvore será obtida a uma distância da lupa maior que i.
  • Uma imagem foi projetada em uma parede através de uma lente. Julgue as alternativas a seguir:1. Tanto uma lente convergente quanto uma lente divergenteprojetam a imagem de um ponto lumi-noso real na parede.2. A lente é convergente, necessariamente, porque somente uma lenteconvergente fornece uma imagem real de um objeto luminoso real.3. A imagem é virtual e direita.4. A imagem é real e invertida.5. A lente é divergente e a imagem é virtual para que possa serprojetada na parede.
  • (2ºVestibular UnB - 2010) A figura I ilustra uma imagem da nebulosa planetária NGC7662. Ao contrário do que essa imagem sugere, as nebulosas planetárias não são tão etéreas e tranquilas; na realidade, são enormes e tempestuosas. Adornando toda a Via Láctea como enfeites de árvore de Natal, as nebulosas planetárias são os restos coloridos de estrelas de baixa massa – aquelas com tamanho inferior a oito vezes a massa solar. As estrelas, ao morrerem, perdem suas camadas externas, que se transformam em uma espécie de vento, cuja velocidade atinge até 1.000 km/s.
  • As estrelas, gradualmente, vão-se desfazendo até chegarem àscamadas mais quentes e profundas, quando emitem luz ultravioletacapaz de ionizar o vento e torná-lo fluorescente.No fenômeno da fluorescência, um átomo absorve energia e areemite na forma de radiação eletromagnética, composta de umacoleção de comprimentos de onda característicos, sendo parte delescompreendida na região do visível, conforme ilustra a figura II, queexemplifica o caso do átomo de hidrogênio. No estudo dessefenômeno, para se identificar a presença de cada elemento químiconas estrelas e nebulosas, usam-se cores, que podem ser determinadaspor meio de um espectroscópio, cujo esquema básico é mostrado nafigura III.A partir dessas informações, julgue os itens (certo ou errado),sabendo que a relação entre a energia E de um fóton e o seucomprimento de onda λ é dada por E = , em que h = 6,62 · 10–34 J·s éa constante de Planck e c = 3 · 108 m/s, a velocidade da luz novácuo.
  • 1) Ao se usar o espectroscópio ilustrado na figura III para analisar a luz visível emitida pelo átomo de hidrogênio, obtêm-se três imagens da fenda sobre o filme ou detector, uma para cada cor, como mostra a figura II.2) No prisma ilustrado na figura III, a velocidade de propagação da luz vermelha é menor que a velocidade de propagação da luz violeta.3) Considerando-se como poder de resolução de um equipamento a capacidade em distinguir duas cores próximas, é correto inferir que o poder de resolução do espectroscópio representado na figura III independe da distância focal da lente que focaliza o feixe sobre o filme.4) Se o espectro da figura II tivesse sido obtido a partir da luz emitida por uma estrela que se afasta velozmente da Terra, então todas as linhas espectrais ficariam deslocadas à direita das linhas da figura II.
  • UnB – 2010) A técnica empregada no espectroscópio que permitedistinguir os elementos químicos presentes em uma estrela tem porprincípio fundamental as diferenças de :a) frequências das radiações emitidas pelos vários elementos químicosexistentes na estrela.b) velocidades de propagação das cores da radiação no trajeto da estrela àTerra.c) polarização da luz emitida por cada um dos elementos químicos quecompõem a estrela.d) intensidade da radiação emitida por cada um dos elementos químicosque compõem a estrela.
  • • Sensíveis às radiações eletromagnéticas com comprimento de onda entre 370 e 740 nm
  • A retina humana• epitélio pigmentar• camada dos receptores• membrana limitante externa• camada nuclear externa• camada plexiforme externa• camada nuclear interna• camada plexiforme interna• camada de células ganglionares• camada de fibras ópticas• membrana limitante interna
  • • A esclerótica é opaca às radiações visíveis. Nela estão inseridos os músculos externos que são responsáveis pela movimentação do globo ocular;• A coróide, que é mais interna do que a esclerótica, tem uma espessura que varia de 0,1 até 0,22 mm;• A córnea é transparente à luz visível e participa como uma importante lente para formação da imagem na retina.
  • • A íris à frente do cristalino é uma membrana móvel e cuja cor determina a coloração do olho. Ela atua como diafragma, limitando a área iluminada do cristalino e a quantidade de luz que chega à retina.• A abertura da íris por onde passa a luz , chama-se pupila.
  • • A quantidade de luz que entra no olho é proporcional à área da pupila, isto é, ao quadro do diâmetro da mesma. O diâmetro da pupila varia de cerca de 1,5 mm até 8 mm. Isto permite uma variação da quantidade de luz por um fator 30. Isto é, com a pupila totalmente aberta entra 30 vezes mais luz do que quando ela atinge o mínimo.
  • C 3 X 10 8 m / spico f 5,6 X 10 14 Hz picopico 535 ,7 nm
  • Miose Midríase• Focalização de objeto muito • Focalização de objeto distante. próximo.• Ambiente muito iluminado. • Ambiente pouco iluminado.• Sono: a miose se acentua com a profundidade do sono. • No momento da morte.• Na agonia e algumas horas após a morte (12 a 24 h). • Fadiga ligeira, cólicas, dores, orgasmo, ruído, odor e sabor• Fadiga extenuante. fortes.
  • GLAUCOMA Canal de Schlemm
  • Polarização
  • A tecnologia 3D na verdade é umagrande ilusão. Sim, não se trata de algoreal e sim uma “peça” que é pregadana sua mente. A imagem em trêsdimensões é gerada por um efeitochamado estereoscopia. Parececomplicado, mas não é: trata-se apenasda projeção de duas imagens damesma cena, só que de pontos de vistaligeiramente diferentes. Seu cérebroautomaticamente funde as duasimagens em apenas uma e, nesseprocesso, obtém informações quanto àprofundidade, distância, posição etamanho dos objetos, gerando umailusão de visão em 3D.
  • • Aqui está o olho de uma vaca da empresa de carne. A parte branca é a esclera, a cobertura externa do globo ocular. O azul é a córnea , que começa claro, mas torna-se turva após a morte
  • • Sem mover a cabeça, olhar para cima. Olhe para baixo. Olhe ao redor. Seis músculos ligados ao globo ocular mover o olho para que você possa olhar em diferentes direções. As vacas têm apenas quatro músculos que controlam os seus olhos. Eles podem olhar para cima, baixo, esquerda e direita, mas não pode rolar seus olhos como você pode
  • Se você chegar e sentir-se em torno de seu olho, você vai sentir o osso de seu crânio. Hágordura ao redor do seu globo ocular para mantê-lo por bater-se contra o osso e ficar machucado.Na dissecção da vaca olho, que cortar toda a gordura e músculo para que possamos ver o globo ocular