Your SlideShare is downloading. ×
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Remédios florais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Remédios florais

1,095

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,095
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
57
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Remédios FLORAISCHRISTINE WILDWOODREMéDIOSFLORAISEDITORIAL ESTAMPA1994
  • 2. FICHA TÉCNICATítulo original: Floiver Remedies. Natural Healing with FloiverEssences Ilustrações: Nancy LawrenceCapa: José AntunesIlustração da capa: Clematis. (Estampa)Fotocomposição: Byblos - Fotocomposição, Lda.Impressão e Acabamento: Rolo & Filhos - Artes Gráficas, Lda.Depósito Legal nº 76063/94ISBN 972-33-0959-9Copyright: (@) Christine Wildwood 1992Edição original publicada por Element Books, Limited Grã-Bretanha 1992 (@) Editorial Estampa, Lda., Lisboapara a língua portuguesa
  • 3. íNDICEAGRADECIMENTOS .................................................................. 111. O QUE SÃO OS REMÉDIOS FLORAIS DE BACH?......... 13Um método simples depotenciação ....................................... 16Remédios Florais emacção .................................................... 18 Complementares eprofilácticos ........ ...................................... 20 Existem ainda mais Remédios por encontrar?........................ 21O treino em Terapia Floral deBach .......................................22 Bach, o compositor, ou“Batch”? ............................................ 23 Comprar osRemédios ......................... .................................... 232. COMO FUNCIONAM ESTES REMÉDIOS?........................ 25* energiavital ......................................................................... 26* escultura ou orio? .............................................................. 26Vibração ....................................................... ........................... 28 Abarcando o Todo.................................................................. 28 Vibraçõesmedicinais ........................................... .................... 29 Aaura ...................................................................................... 31 Pelas suas próprias palavras........... ......................................... 323. APRENDER ARECEITAR ................................ ................... 33Receitar a si
  • 4. próprio ................................................................ 34Autoconhecimento ............................................................... 34
  • 5. Reacções aotratamento ..................................................... 35 Encontrar o Remédiocerto ................................................ 36 Aprender a seleccionar osRemédios .................................37 Análise dossonhos ............................................................. 38 Receitar para osoutros ............................... ............................. 40Aconsulta ........................................................................... 41 Usos especiais dos Remédios Florais...................................... 43Gravidez ............................................................................. 43Bebés .................................................................................. 44Crianças .......... ................................................................... 45Animais ............................................................................... 46Plantas ................................................................................ 464. OS TRINTA E OITOREMÉDIOS ........................................ 47Agrimony ................................................................................. 49Aspen ....................................................................................... 51Beech ....................................................................................... 53Centaury .................................................................................. 54Cerato ...................................................................................... 56 CherryPlum ............................................................................ 57 ChestnutBud ........................................................................... 59Chicory .................................................................................... 61Clematis ................................................................................... 62 CrabApple ..................................................
  • 6. ............................ 64EIm .......................................................................................... 65Gentian ....................... ............................................................. 67Gorse ....................................................................................... 68Heather .................................................................................... 70Holly ........................................................................................ 71Honeysuckle ............................................................................ 73 Hombeam ................................................................................ 75Impatiens ................................................................................. 76Larch ............................................... ., ....................................... 77Mimulus ............................................................. ...................... 79Mustard .................................................................................... 80Oak .......................................... .... ............................................ 82Olive ......................... ............................................................... 83
  • 7. Pine .......................................................................................... 84 RedChestriut ............................................................................ 86 RockRose .............................................. ................................. 87 RockWater ............................................................................. 88SclerantIrus ................................... ............................................ 90 Star of Bethlehem................................................................... 91 SweetChesmut ....... ................................................................. 93Vervain ....................................................................................94Vine ......................................................................................... 96WaInut .......................................... ........................................... 98 WaterVíolet ............................................................................ 99 WhiteChestnut ........................................................................ 100 WildOat ................................................................................ .. 102 WildRose ................................................................................ 103willow ..................................................................................... 104 Rescue Remedy....................................................................... 1065. DOSAGENS E OUTRAS APLICAÇõES.............................. 109Preparação dotratamento ........................................................ 110Dosagem .................................................................................. 110Utilizaçãogenérica ............................................................ 110 Bebés e mães aamamentar ............................................. 110Animais ...................................... ......................................... 111Plantas ................................................................................ 111 Aplicações externas
  • 8. ...................................................... ........... 111Compressas .................................. ....................................... 111Banhos .................................................................... ............112 Tratamento do rosto........................................................... 112Duração dotratamento ................................ ............................ 112 Utilização do Rescue Remedy................................................ 1136. EXPERIÊNCIAS COM A TERAPIA DE BACH......... ......... 115Alguns casosestudados ..................... .......... ............................ 1167. PARA UMA SAúDETOTAL .................. .............................. 125Pôr emprática ........................... .............................................. 128A origem dostress ............................ ................................. 128
  • 9. Harmonia com anatureza ............................. .................... 129 Procurainterior . ................................................................. 130 Protecçãofísica ........................................................................ 134Fortalecer aaura ............................................................... 135 Criar um canal decura ..................................................... 136 Meditaçãoprojectada ......................................................... 137 Efinalmente ... ........................................................................ 140NOTAS ......................................................................................... 141OUTRASLEITURAS .................................................................. 143MAPA DE CONSULTARÁPIDA.. ....... ..................................... 14510
  • 10. AGRADECIMENTOSUm “muito obrigado” a todas as pessoas de Mourit Vemon e a todosaqueles que, de alguma forma, contribuíram para o “nascimento”deste livro. Muito obrigado ainda ao Dr. Edward Bach, cujoespírito brilhante continua vivo através do seu trabalho.
  • 11. O QUE SÃO OS REMÉDIOS FLORAIS DE BACH?Motint Vernon, uma casinha com jardim em Oxfordshire, naInglaterra, é a origem de um curioso sistema de cura conhecidocomo Terapia Floral de Bach.Neste método certas flores silvestres são seleccionadas devido àsua especial capacidade de tratar problemas de personalidade oude ordem emocional que perturbam o doente, mais do que pelapretensão de curar os sintomas físicos de determinada doença.Os trinta e oito remédios, que compõem a farmacopeia dos floraisde Bach, têm vindo a ser preparados em Mount Vemon há cerca desessenta anos. De facto, os actuais responsáveis continuam arecolher flores silvestres dos mesmos locais e a utilizar osmétodos de preparação originais que foram descobertos nos anos30 pelo médico visionário Dr. Edward Bach. A beleza simples dacasa, também conhecida por Centro de Bach, combinada com apersonalidade simples do próprio Dr. Bach, é perfeitamentevisível nas suaves curas com plantas que têm vindo a ser, emborapacificamente, cada vez mais reconhecidas por todo o mundo.Foi em Mount Vernon que Bach passou os seus últimos anos devida. Foi aqui que aperfeiçoou o seu trabalho e foi daqui quepartiu, satisfeito com o facto de a sua missão na Terra ter sidocumprida.Para podermos começar a perceber o sistema de Bach, precisamosde analisar a filosofia em que se baseia. Embora este assunto váser
  • 12. aprofundado uns capítulos mais adiante, comecemos pela procurapor Bach de um método de tratamento que abarcasse tanto a mentecomo o espírito das pessoas - um método que não exigisse tanto aprática de medicina, quanto uma sensibilidade natural epreocupação para com os outros.Em 1930, Edward Bach, agora com 43 anos de idade, era jádetentor de um extraordinário talento como consultor,bacteriologista e homeopata.O seu nome foi perpetuado pelos sete “Nósodos de Bach”, que eledescobriu e que ainda são utilizados, hoje em dia, como“remédio” homeopático. (Nósodos são “medicamentos” homeopáticos,preparados com substâncias de origem patológica).Para grande surpresa da classe médica britânica, Bach sentiu-seinspirado (pois nada mais explica o que aconteceu) a deixar asua lucrativa prática médica e a dedicar-se a uma nova forma decura; um método perfeitamente benigno, que não afectasse oshomens nem os animais. Estava convencido de que substânciasvenenosas, de origem animal, vegetal ou mineral, não deveriam serutilizadas para curar - mesmo quando utilizadas em dosesmínimas, como no caso da homeopatia.A sua experiência homeopática abriu-lhe, no entanto, os olhospara uma terapia vibrátil. Tinha a noção de que substânciasmédicas, muito bem diluídas (tão diluídas que não conseguiriamser observadas no laboratório), podiam despertar um poderosoefeito de cura no corpo humano. Esta noção veio a influenciar odesenvolvimento do seu próprio sistema de cura.Igualmente importante para Bach era a percepção de que o stresspermanente, resultante de emoções fortes como a raiva, o medo ouapreocupação, diminuíam a capacidade de defesa contra as doenças.Nessa altura o corpo ficaria mais atreito a todo o tipo deinfecções e doenças, podendo tratar-se de uma constipação,herpes, um problema digestivo, ou algo bastante mais grave.Ao mesmo tempo reparou que o estado de espírito da pessoa temtudo a ver com o percurso, gravidade e duração da doença de quepadece. Bach notou ainda que pessoas sofrendo do mesmo mal etendo o mesmo tipo de personalidade se davam bem com o mesMotipo de “medicamentos”, mas outras pessoas com diferentetemperamento e padecendo da mesma doença precisavam de um“medicamento diferente. Assim, o lema de Bach passou a ser oseguinte:14
  • 13. “Não prestes atenção à doença; considera, sim, a personalidadeda pessoa doente.”De acordo com as ideias de Bach, a doença é a consolidação de umestado mental e, neste campo, partilhava as opiniões de Platão ede muitos outros praticantes contemporâneos da medicinaholística.Embora inteligentíssimo e com um sólido passado científico, Bachnunca perdeu o contacto com a sua natureza espiritual. Era, maisdo que tudo, um “homem de coração”, guiado pela intuição ou poraquilo a que algumas pessoas chamam inspiração divina.Acreditava cegamente que a chave para a arte da verdadeira curase encontrava, não nos laboratórios, mas no reino das plantas eque estas, tão especiais, poderiam ser encontradas na natureza,alimentadas pela Terra-Mãe e a receber “energia” pela acçãocombinada da água, ar puro e luz solar.Logo depois de deixar Londres, Bach instalou-se numa pequenaaldeia perto de Betws-y-Coed, a norte do País de Gales. Vivendoperto da natureza, a sua sensibilidade inata desenvolveu-se porcompleto. Já tomara consciência do seu dom de cura pois, muitasvezes seguira o impulso de pôr a mão no braço ou sobre o ombrode um dos seus pacientes e, de imediato, estes se sentiaminvadir por uma “onda” de energia “curativa”.Entretanto, no País de Gales, a sua sensibilidade apurou-se detal forma que lhe bastava pôr uma pétala na língua ou pôr a mãosobre uma planta a florescer, para se aperceber das suasrepercussões a nível mental, físico e espiritual.Mais tarde, Bach veio a adquirir conhecimentos por outra via:durante alguns dias, antes de a planta para determinada doençater sido descoberta, sentia com muita intensidade o perturbanteestado de espírito para o qual essa flor constituia o “remédio”.Na verdade, Bach sofreu bastante durante estas pesquisas, tantoa nível físico como mental.Na sua opinião, certas flores pertencem a uma “ordem superior” etêm mais poder do que as plantas medicinais normais, que curam ocorpo a um nível bioquímico. As verdadeiras plantas curativas,dizia ele, resolviam a desarmonia entre o estado espiritual efísico do ser, transformando emoções negativas, como o medo, amelancolia e o ódio, em coragem, alegria e amor; e é desta formaque elas “corrigem” a causa da nossa doença.Os Remédios Florais não abafam simplesmente ossintomas de uma percepção turbulenta, como é o caso de tantassubs-15
  • 14. tâncias perturbadoras. Em vez disso, agem como um suavecatalisador, gerando a mudança a partir do interior.A maneira exacta como este método se processa, ninguém o sabe aocerto. O seu modo de agir pode ser semelhante ao de outrosmétodos de cura vibracionais (ver Capítulo 2), principalmente ashomeopatias “mentais” , que são receitadas consoante otemperamento da pessoa em questão e não devido aos seus sintomasfísicos. Citando Bach:“Os Remédios curam não por atacarem as doenças, mas porqueinvadem o nosso corpo com as belas vibrações da nossa NaturezaSuperior, na presença da qual a doença começa a derreter, como aneve derrete ao Sol.”Um método simples de potenciação“Que a simplicidade deste método não vos afaste do seu uso, poisdescobrirão que quanto mais as vossas pesquisas avançarem, maisevidente se tornará a simplicidade de toda a Criação. (2)11Enquanto morou no País de Gales, Bach passeava pelos verdesprados onde o orvalho matinal ainda se fazia notar no chão. Foientão que lhe ocorreu que cada gota de orvalho deveria conteralgumas das propriedades da planta sobre a qual caía. Decidiutestar a sua teoria recolhendo orvalho de várias flores etestando-o em si próprio.Através dos seus sentidos bem apurados, Bach chegou à conclusãode que o orvalho continha, realmente, um determinado poder. Maisainda; o orvalho das flores que cresciam ao sol era bem maispotente do que aquele que havia sido recolhido das flores quecresciam à sombra. Chegou também à conclusão de que a energiaessencial das plantas só poderia ser encontrada quando as floresestivessem já completamente desenvolvidas, ouseja, quando tivessem atingido o seu auge de perfeição eestivessemprestes a cair.Tendo provado a si próprio que o orvalho aquecido pelo solabsorvia as propriedades da planta onde caía, decidiu dedicar-seà tarefa de encontrar uma técnica mais simples de obter asenergias da flor (retirar oorvalho das plantas revelou-se uma técnica muito morosa).Ao procurar um método que não destruísse nem danificasse aplanta em si, chegou16
  • 15. mesmo a descobrir dois métodos de extracção, ou “potenciação”,comoele preferia chamar-lhe: o Método Solar e o Método de Ebulição.No Método Solar, as melhores cabeças de flores sãocuidadosamente escolhidas e colocadas numa fina e límpida taçade cristal ou vidro contendo água da nascente. A taça é depoisposta no chão (perto do local onde as plantas foram recolhidas),e exposta durante algumas horas auma forte luz solar - ou até a energia curativa dos rebentos sertransferida para a água da taça. Depois as plantas sãocuidadosamente retiradas de dentro de água, com uma folha ouramo da planta medicinal, evitando-se assim o contacto físicocom a água vitalizada, ou “essência”. Esta11 essência” é depois vertida dentro de uma garrafa meio cheiade brandy, que actua como conservante, e é rotulada com adesignação de “Tintura-Mãe”.Alguns anos mais tarde, à medida que o seu trabalho foievoluindo, Bach apercebeu-se de que certos rebentos, tais comoStar of Bethlehem, Willow e Ehri exigiam um método de extracçãomuito mais poderoso, embora não tivesse explicado porquê. Foipara estas plantas que criou o Método de Ebulição.Durante este processo, as diversas partes da planta (rebentos,cones ou flores) são colocadas numa panela de esmalte com águada nascente para ferverem em lume brando, durante meia hora.Depois, cobre-se a panela e deixa-se arrefecer. Quando já estáfria, a essência é coada e, tal como no Método Solar, conservadaem quantidades iguais de brandy com o rótulo “Tintura-Mãe”.O passo seguinte, em ambos os métodos, é a diluição da “Tintura-Mãe” numa outra porção de brandy. Esta garrafa é rotulada como“Concentrado de Provisão” e é sob esta forma que os Remédios sãonormalmente vendidos.Embora o Concentrado seja o derivado da tintura original, nãodeixa de ser considerado um Remédio Concentrado por si só, poisrequere diluição adicional em água da nascente, antes de seradministrado (ver Capítulo 5).Dos trinta e oito Remédios Florais, dois são ligeiramentediferentes, pois não são preparados a partir de plantassilvestres europeias. São eles a Rock Water (água da nascente,potenciada) e o Cerato que é uma planta cultivável, provenientedos Himalaias.O facto de Bach ter escolhido a Rock Water como Remédio é fácil17
  • 16. de perceber, uma vez que esta é preparada com água da nascente,água essa já vitalizada pelas energias da Terra (ver página 88).Porém, a razãopela qual escolheu a ornamental Cerato como planta medicinal,ninguém a sabe.Julian Barriard, autor de vários livros sobre as curas de Bach,propõe uma teoria interessante, segundo a qual a planta,simultaneamente, faz a pergunta e dá a resposta. Cerato é paraaquelas pessoas que sofrem de incerteza!Remédios Florais em acçãoQuem não esteja familiarizado com os princípios da homeopatia,que as plantas medicinais até certo ponto imitam, pode terdificuldade emaceitar o facto de com tão pouco se poder fazer tanto.Tal como temos tido oportunidade de ver até aqui, os RemédiosFlorais representam a energia das plantas e não quantidadesmensuráveis de uma substância terapêutica. Por este facto, osmesmos podem ser descritos como uma forma de energia medicinalou cura espiritual, acessível a qualquer pessoa.Os Remédios são preparados com plantas não venenosas e água purae, por isso, tal como aconteceria com drogas ou medicamentoscompostos de ervas, uma “overdose” seria perfeitamenteinofensiva. Estes não criam dependência e podem ser tomadosindistintamente por adultos, crianças ou mesmo recém-nascidos.Para além disso, muitos utilizadores das curas de Bachverificaram que os Remédios também podem ser benéficos para osanimais, e até para as plantas, o que naturalmente acaba com omito dos placebos frequentemente propagado pelos cépticos.Para podermos utilizar os Remédios Florais com êxito, precisamosde deixar de pensar em termos de sintomas físicos. Pelo simplesfacto de um determinado medicamento natural ter curado o eczemaou a ansiedade de um amigo, isso não significa que a mesmareceita resolva o seu problema de pele. É importante escolher oRemédio, ou a combinação de Remédios, adequados às suasnecessidades emocionais específicas.Como já vimos, Bach reconheceu trinta e oito flores compropriedades medicinais, uma para cada um dos estados deespírito negativos que correntemente ensombram a nossapercepção. Cada medicamento transpõe o aspecto negativo para olado oposto ou positivo. Holly (Sagrado),18
  • 17. por exemplo, é o medicamento ideal para os que sentem ódio,inveja oususpeita. Uma dose deste remédio permite à pessoa dar sem terque, obrigatoriamente, receber algo em troca e ainda ficar felizcom a felicidade dos outros.Consideremos ainda o tipo Vine: dominador, inflexível e, porvezes, excessivamente ambicioso. Uma dose deste Remédio farátransparecer o lado positivo de uma personalidade com estascaracterísticas, que é própria de um líder duro mas gentil; umtipo de pessoa capaz de inspirar os outros.Analisemos um exemplo tirado da vida real. Quem mais, senão umutilizador habitual das curas florais de Bach, acreditaria que adelicada flor cor-de-rosa do Castanheiro Vermelho (Red Chestnut)poderia ajudar uma pessoa que está, habitualmente, demasiadopreocupada com o bem-estar dos seus entes queridos?Ocorreu-me recentemente a energia específica que este Remédiotransmite quando Mary veio ter comigo. Ela estava deprimida eansiosa pelo facto de o seu sobrinho, Peter, um jovem soldado,estar a fazer a tropa no Golfo, durante a recente guerra. Elatemia pela sua segurança:“E se ele for morto? Como é que a minha irmã irá suportar a dorde o perder? Se ao menos eu o tivesse conseguido convencer a nãose alistar... Ele deve sentir-se tão sozinho, tão assustado... Oque poderei fazer para o ajudar?”Alguns dias depois de começar a tomar o Remédio, Mary telefonou-me a dizer que se sentia muito mais calma e, mais importanteainda, que tinha enviado, para o sobrinho, palavrasencorajadoras de amor e segurança.“Ele afinal de contas é um homem” -- disse ela, -- logo, tem odireito de dar à sua vida o rumo que entender, por mais perigosoque seja.”Depois deu-se o caso de Mark, um homem tímido ao qual faltavaconfiança em si próprio e que previa, antecipadamente, a suaderrota permanente. A certeza desse seu fracasso estavaenraizada e era reforçada por experiências passadas.Aos trinta e sete anos de idade, estava em vias de fazer o seuexame de condução, pela décima vez:“Não vale a pena” dizia ele, “eu não fui feito para conduzir,nunca vou conseguir passar. Nem sei porque continuo a gastar omeu dinheiro.”19
  • 18. Mark é um exemplo típico do estilo de Larch. O aspecto inclinadoe lânguido das raízes desta árvore espelha exactamente o tipo decaracterísticas ao qual este remédio se destina - falta deconfiança e desespero. Tenho de admitir que Mark não passou notal teste de condução, mas dois meses mais tarde, estando já atomar o Remédio havia duas semanas, conseguiu passar - o queconstitui um milagre, tal como ele próprio explicou!Na maior parte das vezes, as pessoas não se incluem tãofacilmente num só tipo de personalidade, tal como os exemplosanteriores sugerem. A maior parte dos casos necessita de umacombinação de Remédios Florais, para assim lidar com os váriosaspectos negativos que predominam, especialmente em casos deprofunda desarmonia física e emocional (ver Capítulos 3 e 6).Complementares e profilácticosEmbora Bach fosse um idealista, não era irrealista. Por isso,terá sido o primeiro a utilizar outras formas de tratamento,sempre que necessário, como complemento dos Remédios Florais.A filosofia holística diz que o intelecto, o corpo e o espíritoestão interligados e que o que quer que afecte um destesaspectos, afecta os outros também.É sabido que são poucas as pessoas que se ajudam a si próprias,vivendo uma vida o mais saudável possível. Uma pessoa que sealimente, apenas, com comida pouco saudável, fume demasiado enão se levante da cadeira, não pode esperar que os Remédiosfaçam milagres a nível físico, muito embora eles consigamdespertar nas pessoas o desejo de mudar de hábitos.No entanto, até o próprio Dr. Bach, ciente embora da importânciade uma vida saudável e de uma boa dieta, nem sempre aderiu aeste princípio.De facto, não seria exagero dizer que foi o seu própriodesleixo, decorrente do excesso de trabalho e de cigarros, quecontribuiu para o seu fraco estado de saúde e morte precoce.Os Remédios Florais de Bach são um excelente complemento detodas as outras formas de tratamento, quer se trate da Alopatia(medicina ortodoxa), Homeopatia, curas com ervas, Acupunctura,Aromaterapia ouquaisquer outras. Funcionam a nível mental/espiritual seminterferirem20
  • 19. nas outras curas destinadas ao corpo, reforçando, sim, essasformas de tratamento.Na minha experiência como terapeuta de aromas, os medicamentosnaturais ajudam a libertar certos medos e tensões que, comfrequência, se manifestam através de frio, dores e hiper-sensibilidade em certas áreas do corpo como os pés, o plexosolar, os ombros ou as nádegas. Os Remédios parecem acelerar osprocessos de cura, especialmente naquelas pessoas que não seconseguem desligar dos problemas.Os Remédios de Bach têm um papel muito importante na área dotratamento preventivo. É realmente muito melhor tomá-los comotal, em vez de esperar por estar doente. Estes Remédios ajudam-nos a lidar com os altos e baixos da vida. Agem sobre as emoçõesque, por seu turno, agem sobre o corpo. Se se tentar corrigir umestado de espírito negativo, será possível evitar umaperturbação física antes desta ter tempo de se manifestar comodoença.Existem ainda mais Remédios por encontrar?Embora Bach achasse que o seu trabalho estava completo, seriairrealista pensar que não existem mais plantas de “nívelsuperior”. Pode até já ter deparado com outros medicamentosnaturais conhecidos por11 essências florais”, preparados pelo método de Bach. Emboraestes métodos sejam, sem dúvida alguma, eficazes, não devem serconfundidos com os Remédios Florais de Bach, nem com extracçõesaromáticas conhecidas como óleos de essências, também por vezeschamados “essências”, utilizadas na aromoterapia e na perfumaria.Algumas essências florais são baseadas em Remédios de ervanária:quer-se com isto dizer que, para além dos seus efeitosfisiológicos, se pensa que estas poderão também influenciaralguns estados de espírito. Os medicamentos de Bach lidam, únicae exclusivamente, com estados de espírito negativos.Mimulus, por exemplo, embora tenha propriedades medicinais, seutilizado como chá de ervas ou como remédio homeopático, lidacom o medo e a ansiedade, enquanto Remédio de Bach. Não temqualquer tipo de influência directa no corpo. No entanto, aotransformarem o medo e a ansiedade nos seus pólos positivos decoragem e21
  • 20. compreensão, uma cura a nível físico é bastante provável. Destaforma os Remédios de Bach, curam indirectamente o corpo.No primeiro contacto com o sistema de Bach, pode ser difícilaceitar que só existem trinta e oito estados de espíritonegativos. Com certeza que deverá haver mais! Por exemplo, nãoexiste nenhum medicamento específico para a fúria.De acordo com John Rainsell e Judy Howard do Centro de Bach, afúria e outros estados de espírito não incluídos, são apenas“derivados” de outros mais importantes. São sentimentos quepodem ser criados ou provocados por um sem número de problemasdiferentes.Precisamos, então, de aprofundar mais as causas, começando pordeterminar como e porquê qualquer condição do intelecto semanifesta.A fúria é muitas vezes associada ao ódio e à inveja, mas podetambém ser causada por uma frustração, preocupação,ressentimento ouqualquer outro tipo de condição mental. Precisamos, então, deperguntar a nós próprios ou à pessoa em tratamento, qual a causada sua fúria?Por outras palavras: é aprofundando as causas da fúria de cadaum que o Remédio, ou combinação de Remédios, se torna evidente.Embora eu por vezes utilize outras essências de flores, fico umpouco desorientada com um estado de espírito não “identificado”.Independentemente daquilo de que uma pessoa sofre, há sempre umRemédio Floral de Bach adequado à sua personalidade e padrão decomportamento em mudança.O treino em Terapia Floral de BachNão há quaisquer qualificações profissionais na Terapia Floralde Bach. A maioria dos praticantes são especializados emqualquer outro tipo de terapia e utilizam os Remédios de Bachcomo complemento de outra cura qualquer. O Dr. Bach pretendiaque o seu tratamento fosse uma medida simples e de auto-ajuda,ao alcance das pessoas dos diversos níveis sociais. Por essarazão os livros e panfletos existentes foram sempre consideradossuficientes por si só.Os Remédios de Bach nunca são publicitados, mas no entanto háseminários e palestras organizados por pessoas cujo intuito éespalhar a ideia da sua existência. Poderá22
  • 21. encontrar informações sobre essas palestras nos “placards”informativos de lojas de produtos naturais, clínicas naturistase bibliotecas públicas.Se pretender estabelecer-se como praticante de curas com floraisde Bach, seria muito vantajoso aprofundar os seus conhecimentosna área do aconselhamento e obter a respectiva qualificação. Nãodeixe de seinformar sobre os cursos à sua disposição na área onde reside.Bach, o compositor, ou “Batch”?Visitantes de Mourit Vemon decerto já ouviram o nome do médicopronunciado como “Batch”. A família de Bach é oriunda do País deGales onde a palavra bach tem o significado de “pequeno” ou“querido” e é pronunciado guturalmente, como acontece com o nomedo compositor. No entanto, Bach iniciou a sua actividade médicaem Inglaterra onde a maioria dos seus colegas estudantes eramingleses e pronunciavam (ou deturpavam) o seu nome como “Batch”;e é assim que ele é conhecido desde então, pelo menos em MountVemon.Comprar os RemédiosOs Concentrados bem como os Remédios podem ser adquiridos emdiversas lojas de produtos naturais, farmácias homeopáticas ounas ervanárias.23
  • 22. COMO FUNCIONAM ESTES REMÉDIOS?Até há bem pouco tempo, uma explicação não esotérica do modo deactuar dos medicamentos seria perfeitamente inconcebível.De facto, os autores têm tentado manter-se afastados da dura luzdas razões científicas, para assim se refugiarem nas suavessombras da reflexão espiritual. Finalmente, no entanto, com oexcelente “despertar” da ciência para a física quântica e odesenvolvimento da medicina dirigida para o corpo e para ointelecto, uma explicação equalizada poderá ser possível.Antes de começarmos a perceber como é que os remédios funcionam,precisamos de nos afastar dos preconceitos materialistas.Primeiro que tudo temos que acreditar na existência de uma únicainteligência universal, ou energia vital.Em segundo lugar, temos de analisar o conceito, já antigo, deque o corpo não é uma estrutura sólida, mas sim um rio que estásempre em movimento.Em terceiro lugar, devemos analisar os componentes desse rio, ouseja, as partículas subatómicas, melhor conhecidas como energia,ou vibrações.Por fim, devemos analisar o mundo como um todo e apercebermo-nosde que, longe de sermos meros observadores do universo, somos naverdade parte integrante da sua malha”, uma parte vibrante dotodo.25
  • 23. A energia vitalA doutrina do materialismo refere que o corpo e toda a vida emgeral têm uma natureza bioquímica e que a realidade da mente nãopassa de uma projecção da matéria.Mas será que podemos reduzir o ser humano a um nível unicamentequímico?Consideremos, por um momento, a espantosa coordenação e acçãosinergética da nossa fisiologia. Temos tendência para ver ocorpo como uma máquina composta por muitas partes e funções,operando em compartimentos separados, quando de facto, tal comoos eco-sistemas terrestres, tudo está ligado por um eloinvisível. Nós conseguimos, simultaneamente, respirar, comer,falar, pensar, digerir a comida, combater infecções, renovar asnossas células e fazer muitas mais coisas.As células sanguíneas, por exemplo, afluem para o local daferida e começam a formar um coágulo. Estas células não sedirigiram para lá por acaso; elas “sabiam” para onde se dirigire o que fazer quando lá chegassem.É um facto que qualquer actividade do organismo é activada poruma força “inteligente” e invisível; uma força que tem a ver como nosso todo, a todos os níveis e não apenas a nível bioquímico.Segundo o físico Dr. Deepak Chopra, “é a inteligência queestabelece a diferença entre uma casa desenhada por umarquitecto e ummonte de tijolos” ou, por assim dizer, depois da morte física oselementos químicos permanecem, mas há algo que desaparece.A escultura ou o rio?O filósofo grego Heraclito de Éfeso acreditava num mundo deeterna mudança ou de “transformação” permanente. Ele fez aseguinte interessante observação: “ninguém se pode banhar no mesmo rio duas vezes” (isto porque orio está constantemente a correr).De igual modo, e de acordo com o Dr. Chopra, se conseguíssemosver o corpo tal como ele é na realidade, nunca veríamos também omesmo corpo duas vezes.
  • 24. Longe de ser uma “massa” sólida, o corpo está em constantemudança.O esqueleto, por exemplo, pode parecer sólido, mas os ossos quetemos agora não são os mesmos que tínhamos há três meses atrás.As células do corpo estão constantemente a ser substituídas.Produzimos um fígado26
  • 25. novo cada seis semanas, uma nova pele uma vez por mês e um novorevestimento do estômago de quatro em quatro dias. Aliás,noventa eoito por cento dos átomos existentes no nosso corpo não são osmesmosde há um ano atrás.Por isso, o corpo que nós vimos e tocamos é, nada mais nadamenos, do que uma corrente de energia. Mas e o intelecto?Há muitos séculos que os filósofos têm vindo a contemplar anaturezado intelecto. Uns chegaram à conclusão de que o intelecto é umfenómeno separado da realidade física, um aspecto do espíritoimortal de cada um.Outros decidiram que o intelecto é uma simples função docérebro, umaficção, utilizando o vocabulário médico.Embora nunca venhamos a conhecer a verdade absoluta, a físicamoderna tem começado a aproximar-se da natureza do intelecto.Na década de 70 ocorreram interessantes descobertas centradas emnovos produtos químicos, chamados neurotransmissores eneuropeptídios. Na altura, estes produtos foram consideradosrevolucionários, pois provaram que os nervos não funcionavamelectronicamente como um sistema de telégrafo, tal como sepensava na época, mas sim que os impulsos nervosos tinham umaorigem química.Tal como foi dito pelo Dr. Chopra:“A chegada dos neurotransmissores marcou a interligação entre ointelecto e a matéria de uma forma muito mais móvel e fluente doque alguma vez tinha sido até então considerada: muito próximado modelo de um rio.Ajudam também a preencher o abismo existente entre o intelecto eo corpo, um dos mais fascinantes mistérios com que o Homem setem deparado desde a altura em que começou a considerar a suaprópria existência. (’)”Surpreendentemente, parece que o pensamento não-material dárazão aos neuroquímicos. “Pensar” diz Chopra, “é produzirreacções químicas cerebrais, promovendo uma série de respostaspelo corpo todo”.Outra fascinante descoberta que vem dar razão à convicção de queo intelecto transcende a matéria” é o facto de receptores dos
  • 26. neuroquímicos poderem ser encontrados em várias partes do corpo,tal como na pele e células do sistema imunológico, chamadasmonócitos. Estas células sanguíneas “inteligentes” circulamlivremente pelo corpo todo, aparentemente enviando e recebendomensagens tão diversas quanto aquelas que se encontram nosistema nervoso central. Isto significa que,27
  • 27. quando estamos contentes, deprimidos, zangados, apaixonados ousentindo o que quer que seja, produzimos químicos cerebrais emdiversas partes do corpo, e essas partes ficarão igualmentecontentes, deprimidas, zangadas ou apaixonadas.Ainda mais (como se isto não fosse suficientemente espantoso),sabe-se agora que a insulina, uma hormona normalmente associadaao pâncreas, é também produzida no cérebro, tal como os químicoscerebrais transferon e CCK são também produzidos no estômago.Sem dúvida, a fluente inter-relação mente-corpo, é uma realidade.VibraçãoUma fórmula matemática muito conhecida, o Teorema de Bell,formulado em 1964 pelo físico irlandês John Bell, defende que arealidade do universo é um todo inter-relacionado, onde todos osobjectos e acontecimentos reagem às mudanças.O astrónomo inglês Sir Arthur Eddington chegou ao ponto deconcluir que é uma força inteligente que mantém unido ouniverso: “A natureza do mundo é a natureza mental”.Mais recentemente, teóricos como o físico inglês David Bolim,chegaram auma conclusão semelhante: que existe um “campo invisível”mantendo toda a realidade unida, um campo que tem o dom de sabertudo aquilo que se está a passar em todo o lado, ao mesmo tempo.Este é o mundo mecânico dos “quanta”, um mundo para além doátomo, do protão, do electrão e do quark. Se estes podem serdivididos em partículas mais pequenas (pelo menos em teoria),então, ocupam espaço. O que quer que seja que molda o universo elhe concede vida, é não-material e não ocupa espaço. Pensa-seentão que o mundo dos “ quanta” subatómico é aquele que écomposto por energia ou vibração e que é na assumpção destefacto que se dá a união entre ciência e misticismo.A física moderna, em sintonia com o misticismo oriental, vê ouniverso como uma teia de vida contínua, harmoniosa e vibrante.Abarcando o TodoAo nível dos “quanta”, a matéria, desde a de um cristal à de umserhumano, é essencialmente energia ou vibração. Neste âmbito, nãoé feita28
  • 28. qualquer distinção entre o animado e o inanimado, entre oespírito e amatéria.Nós vemo-nos separados das outras coisas porque diferentes tiposde matéria e de energia, tais como a água, a pedra e as formasde vida sensíveis, vibram em frequências diferentes. A energiado intelecto, por exemplo, vibra tão depressa que aparenta serinvisível, enquanto apedra vibra tão devagar que a pessoa não se apercebe do seudinamismo. Desta forma os humanos são “surdos” no que dizrespeito a frequências altas e baixas, o que não significa quenão possam ser afectados por elas.Segundo -o médico alemão Werner Heisenberg, se fizermos vibraruma única teia cósmica, afectamo-las todas:“Desta forma o mundo parece-nos ser um complicado enredo deacontecimentos no qual diferentes aspectos se alternam,sobrepõem ou combinam, e assim determinam a textura do todo. (’)”Tomando tudo isto em consideração, podemos agora observar o modode actuar dos Remédios Florais de Bach.Vibrações medicinaisBach acreditava que as plantas utilizadas na confecção dosremédios pertenciam a uma “ordem superior”. Ao contrário daservas medicinais que vibram quase ao mesmo ritmo da matéria emsi, os Remédios Florais estão em sintonia com as melhoresfrequências do intelecto e do espírito. Inundando o nosso campode energia (ver página 3 1) com estas frequências superiores,todo o nosso ser (intelecto, corpo e espírito) se alinha com acorrente cósmica.As linhas discordantes das emoções negativas, as quais abrandamas nossas vibrações e nos fazem sentir menos bem, vão tomandouma forma harmoniosa. Tal como foi dito pelo próprio Bach: “Oser, humano volta a ser mais ele próprio exactamente na alturaem que deixou de o ser.”Existem, no entanto, muito mais métodos de cura que funcionam aum nível subtil ou vibrátil: por exemplo a homeopatia, a curaespiritual, a cura por cores, a cura com cristais, a curamusical e a aromaterapia,29
  • 29. embora esta última necessite de recorrer à massagem, para assimfazer realçar a etérea e vibrátil influência dos óleos deplantas aromáticas.Para podermos analisar melhor a eficácia das substânciasmedicinais vibráteis, voltemos ao mundo da ciência. Embora orelato seguinte fale dos princípios da homeopatia, é tambémrelevante para o modo de actuar dos Remédios de Bach, na medidaem que estes são utilizados emquantidades infinitezimais.Em 1987, um imunobiólogo francês abalou os alicerces da teoriamédica dos “não-quanta”, ao demonstrar que certas substânciasaltamente diluídas podem ser tão potentes como grandesquantidades dessas mesmas substâncias.Em testes de laboratório, o Dr. Jacques Benveniste demonstrouque células vivas podiam ser influenciadas pelo imunoglóbulo E,em diluições tão fortes que seria pouco provável que umamolécula sobrevivesse”.Apesar de as descobertas de Benveniste terem desafiado as leisdo materialismo, este repetiu a experiência 70 vezes e pediu aoutros cientistas que a repetissem em Israel, no Canadá e emItália. Todos chegaram à mesma conclusão. Embora as descobertasde Benveniste tivessem sido publicadas na edição de Junho de1988 da revista inglesa Nature, oseditores continuaram a afirmar o seu cepticismo.Benveniste deu crédito aos métodos homeopatas que implicamquantidades muito pequenas de substâncias antagónicas para curaro corpo. Um mês depois de publicados os resultados daexperiência, a Nature enviou uma equipa de peritos a França,para observar as descobertas de Benveniste. Infelizmente estenão foi capaz de obter os resultados previstos; umas tentativasresultaram, mas outras não. Rapidamente e sem mais delongas, aNature condenou o trabalho de Benveniste, chamando-lhe uma“ilusão” e ignorando o facto de esse mesmo trabalho ter sidoassinado por outros doze investigadores, em quatro paísesdiferentes.Tendo em conta aquilo que já sabemos acerca da natureza dointelecto, será admissível que as vibrações negativasprovenientes dos observadores cépticos, pudessem ter interferidonas tentativas? Por acaso, a Nature “esqueceu-se” de mencionaras tentativas que resultaram. Ao que parece, certos membros damedicina convencional estão bastante relutantes em entrar noreino da realidade quântica.30
  • 30. A auraComo vimos atrás, os métodos vibráteis de cura, tal como ahomeopatia e os Remédios Florais de Bach, actuam a um nívelmuito subtil. Muitos terapeutas ligados a estes remédios achamque o efeito de cura é accionado no campo de energia do homem,ou na aura, a qual rodeia e interpenetra a forma física.Neste campo, que é essencialmente uma forma de pensamento, oefeito de cura dos Remédios é absorvido “internamente”, a nívelfísico. Por outro lado, outras formas de cura, tais como ervas edrogas, agem de “dentro para fora”, podendo eventualmenteafectar a aura.Embora a Física descreva a aura de uma forma diferente, de acordocom o seu próprio nível de percepção física, acredita-se,tacitamente, que a aura é uma emanação em arco-íris que rodeia ocorpo (algumas pessoas mais sensíveis conseguem ver as suascores). A aura é composta por um mínimo de três e um máximo desete “camadas” de energia, cada camada vibrando numa frequênciadiferente. O corpo, ou matéria, vibra na frequência mais lentaou densa, enquanto que o intelecto, tal como a electricidade,vibra muito mais rapidamente, razão pela qual raramente nosapercebemos da sualexistência. A parte do intelecto mais próximado nível físico, emanando a cerca de dois centímetros e meio docorpo, é o chamado corpo etérico ou vital. É interessantesublinhar que o corpo etérico vibra a uma frequência que podeser detectada por uma técnica de alta voltagem chamadafotografia de Kirlian. A informação adquirida por este processomostra uma espécie de luminosidade e correntes de energia,vindas das mãos ou dos pés. Para um perito, estes esquemasreflectem o estado emocional e físico de um indivíduo e podem serutilizadas como um instrumento de diagnóstico.Uma aura saudável funciona como um filtro, deixando apenaspassar aquilo que for benéfico para a própria pessoa. OsRemédios Florais de Bach procuram harmonizar as subtisfrequências de energia que se encontram dentro da aura, as quaispodem ser enfraquecidas pelo stress edificuldades da vida. Uma aura enfraquecida dará aso a doenças.Para intensificar a acção dos Remédios, podemos aprender acontrolar e a fortalecer a nossa própria aura. Este é umexcelente exercício, pois uma31
  • 31. aura forte proteger-nos-á das influências mais diversas, desdeos germes ao stress (ver Capítulo 7).Pelas suas próprias palavrasVamos concluir este capítulo com algumas citações retiradas doconciso trabalho de Bach, Heal ThyseIf. (1)“A doença nunca será curada ou erradicada pelos métodosmaterialistas actuais, pela simples razão de que a doença, nasua origem, não é material. ““O outro grande princípio é a compreensão da União existenteentre todas as coisas: que o Criador de tudo é o amor e que tudoaquilo de que temos consciência é, em todas as suas formasinfinitas, uma manifestação desse amor.”“A Escola Médica do futuro não vai interessar-se grandementepelos resultados e consequências da doença... mas, sabendo averdadeira causa das perturbações e consciente de que ossintomas físicos são perfeitamente secundários, ela vaipreocupar-se em promover a harmonia entre o corpo, o intelecto eo espírito, obtendo assim o alívio da doença.”32
  • 32. APRENDER A RECEITARComo já vimos, o princípio básico dos Remédios Florais de Bach é“tratar o paciente e não a doença”. O Dr. Bach acreditavafirmemente que a doença física era o resultado da desarmoniaentre o intelecto e o espírito. Em psicoterapia, o espírito émuitas vezes designado como o11 eu superior”, omnisciência que se manifesta naquelas raras epreciosas ocasiões de inspiração e clareza; aqueles momentos deintrospecção profunda sobre a verdadeira razão da nossaexistência.O eu superior está consciente da nossa verdadeira missão na vidae procura realizá-la através do intelecto e das emoções: apersonalidade. Contudo, a personalidade nem sempre se apercebeda existência do eusuperior, razão pela qual, muitas vezes, não damos ouvidos ànossa “voz interior”. Vivemos apenas meio acordados,impulsionados pelas condições sociais e pelas nossas respostas,subjectivas, aos acontecimentos da vida. Como resultado disto,segundo Bach, em vez de sentirmos alegria, realização pessoal,sabedoria e coragem, sentimos apenas a desarmonia. Se pudéssemosagir totalmente em harmonia com o nosso próprio espírito ou eusuperior (o qual, por seu lado, é já uma grande parte do Todo,abrangendo a humanidade, o planeta e o Cosmos), conseguiríamosatingir as nossas potencialidades máximas e sentir-nosverdadeiramente felizes. Onde houver uma lacuna entre o eusuperior e a personalidade, há33
  • 33. doença. O mais recente poder curativo dos Remédios Florais deBach provém da sua capacidade de libertar o bloco de energiaentre a personalidade e o eu superior. É desta forma que osRemédios ajudam amelhorar o aspecto físico da pessoa, sem o qual não poderiahaver umaverdadeira cura.É claro que o corpo físico é uma parte que está interligada como Todo corpo, intelecto e espírito. Daí a importância deestarmos conscientes das nossas necessidades a todos os níveis.Não devemos descurar o corpo com o intuito de atingirmos aespiritualidade nem, por outro lado, seguir a ideia de cuidarmosapenas da parte física/material, ignorando as nossasnecessidades espirituais. O resultado seria um desequilíbrio deenergias.Será certo, no entanto, dizer que algumas doenças têm umaorigem puramente física - intoxicação alimentar, malária, febretifóide e por aí em diante? A resposta será sim ou nãodependendo do ponto de vista de cada um. No que nos dizrespeito, e de um ponto de vista primário, a doença pode terinício a este nível e infiltrar-se até aos mais variados níveisdo nosso Ser, chegando por fim ao nível mental e emocional. Noentanto, e de acordo com a filosofia esotérica (que reflecte osprincípios de Bach), a vida na terra é uma aprendizagem. Oespírito escolheu aprender e crescer através da doença, dosofrimento, das desavenças, de defeitos congénitos, doençasmentais e pobreza. Logo, neste sentido, a verdadeira origem dadoença e do sofrimento (até dos acidentes) é espiritual.A vida nunca teve como objectivo ser fácil - eessa é a lição mais difícil de aprender. Infelizmente, está paraalém da esfera deste pequeno livro aprofundar as causas e osmotivos da filosofia esotérica. Por esta razão eu encorajo oleitor interessado a obter um exemplar do livro de Bachintitulado Heal ThyseIf.Receitar a si próprioAutoconhecimentoAntes de começarmos a receitar para os outros, precisamos deadquirir algum autoconhecimento. Se você for terapeuta ouestiver de algum modo ligado ao “movimento de crescimento”,então terá consciência da34
  • 34. importância do autoconhecimento como pré-requisito paracompreender os outros. No entanto, o maior obstáculo destatarefa é ser capazes de olhar para a outra pessoa sem nosdeixarmos influenciar pelos nossos pró prios medos, pelas nossasexperiências, condicionamentos sociais, crenças religiosas oupreconceitos. Muito poucos seres humanos chegam a atingir umaposição de não julgamento dos outros, mas podemos todos, pelomenos, tentar fazer o mesmo.Podemos começar por nosconsciencializarmos dos nossos próprios bloqueios,condicionamentos eáreas de crescimento atrofiado. Este será o primeiro passo. Osegundo passo será aplicar os Remédios Florais de Bach.Observe como se sente quando precisa de um Remédio em particulare como se sente depois de o tomar. Se a sua vida está estável,neste momento, então é óbvio que será mais difícil notarqualquer diferença em termos de perspectivas. Contudo, sãopoucas as pessoas que se encontram completamente isentas deconflitos interiores, por isso pode tentar receitar os Remédiosde acordo com os sonhos que tem. O subconsciente nunca esqueceos conflitos não resolvidos, embora o intelecto consciente ofaça muitas vezes (ver “Análise dos sonhos” na pág. 38).Uma dificuldade comum na tarefa de autodiagnóstico,especialmente quando uma pessoa está a passar por uma crise, é aincapacidade da pessoa se “afastar de si própria” o suficientepara se aperceber de que Remédios Florais precisa. É aqui que umamigo ou um terapeuta floral de Bach poderá ajudar. Desabafarcom uma pessoa compreensiva que se consegue relacionar connosco,é já uma parte muito importante do processo de cura e poderáfazer com que encontremos a nossa força interior.Reacções ao tratamentoDurante as primeiras semanas de tratamento, as radiações dasplantas podem abranger apenas as emoções superficiais, em vezdos medos e conflitos profundos, que são a causa do nosso estadofísico e mental. No entanto, lidando com cada estado emocionalnovo que surja, bloqueios mais antigos poderão vir ao de cima e,eventualmente, sair cá para fora. Quando isto acontecer poderásentir os sintomas físicos piorarem eexperimentar maiores ou menores crises de consciência.35
  • 35. Qualquer agravamento durará, apenas, alguns dias e deverá serencarado como um sinal positivo, pois é a prova de que a pessoaescolheu o Remédio certo. Diz-se, por vezes, que “uma pessoa nãopode fazer sair cá para fora o que não se encontre já ládentro”, por isso tal reacção não é um efeito secundário, comoacontece com as curas com drogas, mas uma indicação de que o seucorpo e mente se estão a corrigir e os Remédios Florais de Bachactuando como um catalisador, no processo. Deverá salientar-seque a intensidade da reacção parece ter a ver com asensibilidade própria e com a abertura de cada um em relação àmudança. A maioria das pessoas passa por mudanças ténues durantealgumas semanas ou meses, sentindo-se, no entanto, cada vez maisoptimistas e capazes de lidar com os altos e baixos da vida.Se, no entanto, se sentir oprimido com as várias mudanças queestão a ocorrer no seu corpo e na sua mente, embora isto sejararo, deverá deixar de tomar os Remédios de Bach e procurarajuda profissional de um terapeuta de Bach ou de um consultorbem formado na área do “crescimento pessoal”.Encontrar o Remédio certoNo primeiro “encontro” com as descrições dos Remédios Florais noCapítulo 5, poderá sentir que precisa de todos eles! Bach fezquestão de testar um composto dos trinta e oito medicamentos,mas não ficou satisfeito com o resultado. Descobriu que avibração de uma só planta, bem escolhida, tinha um efeito maisprofundo do que várias em conjunto, o que não obsta a que possahaver pessoas que, temporariamente, precisem de um composto deseis ou mais plantas.A melhor maneira de começar é registar os nomes dos Remédios deque pensa precisar e depois analisá-los bem, um a um, paradecidir qual será o Remédio-Tipo e quais serão os Remédios deApoio.Remédios-Tipo: o Remédio-Tipo é a flor vibrátil que correspondepor inteiro à sua personalidade. Poderá ser extrovertido, umlíder nato e muito falador. Estas características sugeremRemédios como o Vine, Vervain e Impatiens. Se, por outro lado,você é calado e reservado, então precisaria de Remédios como oMimulus, Centaury, ou Water Violet. Claro que a vibração de cadaplanta tem o seu aspecto positivo e nega-36
  • 36. tivo. O lado positivo do Impatiens, por exemplo, é notórionaqueles que, embora aprendam depressa, são pacientes ecompreensivos com aqueles que não são tão espertos. Contudo,quando as vibrações do Impatiens começam a diminuir, o aspectonegativo deste tipo de personalidade torna-se evidente:impaciência e falta de tacto com aqueles que não são tãoespertos como eles próprios. O Remédio-Tipo de uma pessoa pode,então, ser necessário em épocas intervaladas da vida de umapessoa.Remédios de Apoio: os Remédios de Apoio destinam-se aos estadosemocionais superficiais que não são característicos, mas simtemporários. Por exemplo, podemos guardar sentimentos de invejaou ódio em relação ao novo companheiro de uma antiga namorada(Holly) ou sentir-mo-nos nervosos e apreensivos antes de um casode tribunal (Mimulus).Curiosamente, Bach descobriu que o modo como a pessoa secomporta quando não se sente bem, é muitas vezes a chave paradescobriro seu Remédio-Tipo. Em geral, a maioria dos trinta e oitoRemédios-Tipo pode ser utilizada como Remédios-Tipo ou Remédiosde Apoio.Aprender a seleccionar os RemédiosNão deverá ser muito difícil reduzir o número de remédios de queprecisa para seis, mas se verifica que poderá vir a precisar desete ou oito não deixe de os apontar, para não acontecer omitiruma das flores essenciais. Com o tempo, o processo de selecçãotornar-se-á cada vez mais fácil.Os seguintes tópicos, testados e comprovados, ajudarão na suafamiliarização com os Remédios Florais:1. Tente “receitar” para personagens das telenovelas ou dosromances. As personagens de ficção são normalmente versõesexageradas de pessoas verdadeiras, logo têm traços depersonalidade muito bem definidos. Ou, para tornar as coisas umpouco mais difíceis, tente diagnosticar Remédios-Tipo parapessoas conhecidas da sociedade em que se insere: políticos,membros da Família Real ou pessoas da televisão, por exemplo.Observe, ainda, a suaprópria família, amigos e vizinhos.37
  • 37. 2. Faça uma retrospectiva da sua vida e tente identificar osdiferentes estados emocionais que predominam em diferentesépocas. Como é que se sentiu no seu primeiro dia de escola, porexemplo? Sentia-se seguro e com confiança em si próprio, o líderdo grupo (Vine)? Ou sentiu-se intimidado pela exuberância dasoutras crianças e consequentemente demasiado envergonhado parase juntar a elas (Mimulus)? E na sua vida amorosa? Era você aparte sempre rejeitada, o parceiro demasiado dominador queacabava com a alegria e espontaneidade de todas as relações(Chicory)? Ou você foi sempre a vítima, o escravo voluntário deuma personalidade mais forte e vincada (Centaury)?3. Agora pense no presente. Pense na forma como reage a críticas;como reagiria se lhe faltasse dinheiro para pagar a conta nosupermercado; como lida com a doença e com a dor. Observando assuas reacções face às situações da vida, depressa descobrirá oseu Remédio-Tipo.Análise dos sonhosEmbora não seja um modo tradicional de aplicar os RemédiosFlorais de Bach, a experiência ensinou-me que os sonhos são uminstrumento precioso para a terapia de Bach. É um método quetanto pode serempregue num autodiagnóstico como, quando tiver já maisexperiência, no diagnóstico de outrem.A maioria dos sonhos representa situações e padrões aguardandoresolução e, ao contrário do que se possa pensar, os sonhos nãocostumam fornecer resoluções para os nossos problemas (embora jáo tenham feito). Pelo contrário, eles põem questões e pedemrespostas. Por isso, em vez de nos deixarmos inundar pelosimbolismo e interpretação dos sonhos, que podem ser muitoilusórios para os principiantes, concentremo-nos no sentimento enas reacções, ou falta de reacções, que os seus sonhos lheevocam e receite de acordo com elas. Por exemplo, você podeficar chocado por uma expressão de inveja ou violência num sonhoseu (Hollv), ou qualquer outro tipo de reacção forte, queraramente transparece quando você está acordado. É um facto queaquilo com que nós não lidamos na vida, aparecerá retratado nosnossos sonhos - sonhos repetidos são particularmente importantespara explicar este ponto. Da38
  • 38. mesma forma, a falta de sono pode ser explicada pelo facto de apessoa, inconscientemente, não querer lidar com certos problemasreprimidos que precisam de ser expressos.É interessante ver que, se as reacções que a pessoa tem nossonhos forem parecidas com aquelas que tem quando está acordada,significa que já atingiu um certo nível de consciência de siprópria. Se, por outro lado, as reacções forem muito diferentes,isto significa que há muita coisa reprimida que a pessoa tem deenfrentar. De igual modo, se você for apenas um espectador nomundo do sonho, não seria arriscar muito dizer que você serátambém um espectador na vida.Os Remédios Florais tendem a activar o mundo dos sonhos; daí serimportante anotar os seus sonhos durante o primeiro mês,enquanto estiver a tomar os medicamentos (receitados da formahabitual). Quando conseguir identificar temas ou emoçõesrepetidas, estará pronto para começar um trabalho mais profundocom os Remédios. Poderá até “pedir” um sonho em particular antesde adormecer; o subconsciente, normalmente, obedece.Mantenha uma caneta e um bloco ao lado da sua cama e, assim queacordar (pois os sonhos esquecem-se muito rapidamente), escrevatudo aquilo de que conseguir lembrar-se sobre um sonhoimportante (não é preciso anotar todos). Se não conseguirlembrar-se do sonho em si, tente recordar-se daquilo que sentiuou da disposição com que ficou. Depois, tente responder àsperguntas que se seguem, que são baseadas no trabalho doterapeuta do sonho, Strephon Kaplan-Williams. Não se preocupe senão conseguir responder, integralmente, a todas as perguntas;responda somente ao máximo que conseguir. O objectivo doexercício é permitir que você encare os seus sonhos do ponto devista de Bach:1. Que estou eu a fazer e por que o faço?2. O que preciso eu de enfrentar neste sonho?3. Será que eu reagiria desta forma na vida real, ou estarei areagirde uma forma muito diferente?4. O que é que neste sonho tem a ver com outros sonhos que eu játenha tido?5. O que é que neste sonho tem a ver com o que se está a passarcomigo ou com a minha vida presente?39
  • 39. 6. Porque é que eu tive este sonho? Que será que eu preciso deencarar ou decidir?Considere o seguinte sonho, recordado por Sarah, uma mulher nosseus quarenta anos de idade e prestes a engrenar numa novaprofissão de enfermeira psiquiátrica. Escolheu trabalhar com osRemédios Florais por razões de autoconhecimento. Curiosamente,Sarah tomava Larch devido à sua falta de confiança em siprópria. Uma noite pouco antes de adormecer, pediu ao seu eusuperior um sonho que lhe desse ideias sobre como resolver osseus problemas. O seu pedido foi-lhe plenamente concedido:“Eu tinha acabado de dar à luz um bebé indesejado. Pus a lindacriança,sorridente, dentro de um carrinho, que arrumei em cima doroupeiro para não atrapalhar. A parteira veio examinar-me, maseu sentia-me suja eenvergonhada, pois não me lavava desde a altura em que dei àluz. Mas o sentimento de culpa foi mais forte e fez-me reagir.Corri para o quarto primeiro que a parteira e tirei o carrinhode cima do roupeiro, mesmo atempo! Suspirei de alívio; o meu outro sentimento de culpa nãotinha sido exposto! “Qualquer psicanalista teria um dia em cheio com este sonho! Noentanto, na terapia de Bach, os aspectos mais importantes dossonhos são os sentimentos, acções e reacções das pessoas. OsRemédios Florais farão o resto, ou seja, eles accionarão oprocesso de cura, eliminando ossentimentos de culpa e de falta de higiene, que provêm dainfância rígida e sexualmente reprimida de Sarah. Osmedicamentos naturais escolhidos para este caso foram o CrabApple para a falta de amor próprio e para a necessidade delimpeza e Pine para a culpa.Para terminar este assunto, a minha experiência pessoal diz-meque os Remédios de Bach parecem envolver a pessoa numa espéciede bola de cristal, que a protegerá de sonhos potencialmenteaterradores. É comose os remédios viessem equipados com uma válvula de segurançapsíquica!Receitar para os outrosQuando tiver trabalhado com os Remédios durante algum tempo econseguir receitar para si próprio, deverá ser capaz de receitarpara a sua40
  • 40. família e amigos. No entanto, alguns utilizadores da Terapia deBach dizem que diagnosticar em nós próprios é por vezes maisdifícil do que diagnosticar em pessoas que conhecemos bem. Istoocorre porque, quando a pessoa está em crise, não é fácil serobjectiva consigo própria. Porém, diagnosticar numa pessoacompletamente estranha requer muito mais perícia, razão pelaqual vamos começar por esse nível.A consultaUm bom terapeuta é uma pessoa que conseguiu desenvolver duascaracterísticas essenciais: a capacidade de se identificar comoutra pessoa e a paciência de ouvir.Identificarmo-nos não é apenas pormo-nos no lugar da outrapessoa; é também a capacidade da pessoa se relacionar com aforça interior da outra e com a sua própria. Ao fazê-lo, estamosa ajudar a pessoa a sair da sua negatividade, sem nos deixarmosenvolver pelo seu sofrimento. É de importância vital distinguiro conceito de identificação e o de compaixão. A capacidade deidentificação está bastante ligada ao nosso ser intuitivo,enquanto a compaixão está mais ligada ao nosso ser em desespero,daí esgotar a nossa energia emocional. Por isso, antes daconsulta, deverá passar algum tempo a concentrar-se na ligaçãoao seu eu superior. (ver pág. 137).Ouvir, como terapeuta, é escutar a vários níveis. Escutamos como intelecto as palavras que eles usam e a maneira como a suahistória é relatada. Por exemplo: “Já tentei tudo, mas nada deuresultado” (Gorse); ou “Eu sei que foi tudo culpa minha; eudeveria ter sido mais compreensiva” (Pine). Será que eles falamnuma voz baixa e ansiosa (Mimulus)? Ou será que eles se inclinampara a frente, agarram o seu braço e o11 afogam” com a sua história, incluindo um relato gráfico detodas as suasdoenças (Heather)?Devemos também escutar com os olhos, observando a linguagemcorporal. Será que estão relaxados e confiantes, sentadosconfortavelmente na cadeira? Ou estarão meio sentados, batendoos dedos em cima da mesa?Acima de tudo deveremos escutar com a nossa intuição, com onosso eu superior. É pelo facto de estarmos ligados a esta fontede amor que41
  • 41. somos capazes de ler nas entrelinhas”. Talvez haja algo nos seusolhos que demonstre dor, raiva, frieza ou medo, embora nestafase não estejam conscientes de que albergam tais sentimentos.Se uma pessoa tem dificuldade em se expressar, conduza-aimperceptivelmente na direcção certa, perguntando-lhe sobre asua infância, vida doméstica e por aí fora. Tente estabelecer amaneira como essa pessoa reage aos acontecimentos da sua vida.Por exemplo, se esta mencionar algum tipo de perturbação, umdivórcio ou um caso amoroso acabado, tente descobrir como reagiunessa altura. Se recorreu ao álcool, à comida em excesso, ou ocontrário, à droga (incluindo calmantes receitados pelo médico eantidepressivos, ou ainda aos chamados “speeds”)? Quais assituações de que tem medo presentemente: uma operação iminente, onascimento de uma criança, uma mudança de emprego, uma ida paraoutro país, a reforma?Por vezes as repercussões do choque podem ser tão retardadas,que só anos mais tarde se farão sentir - talvez disfarçadas dedepressão, culpa ou medo. O trauma do aborto, um acidente deautomóvel ou a morte de uma pessoa querida, podem ser algumasdas razões para oestado emocional e físico, presente, de uma pessoa. Nestascircunstâncias receite sempre Star of Bethlehem para o choque eoutros remédios para a depressão, medo e culpa, ou para ossintomas que se fizerem sentir.Curiosamente, o Dr. Bach verificou que, quando a pessoa pareceprecisar de muitos Remédios ou não se dá com o tratamento, HollyouWild Oat poderão ser os catalisadores necessários. A vibração deambas as plantas “abrirá uma caixinha”, permitindo desta formaque uma série de emoções recalcadas venha ao de cima. Comoresultado, deverá então ser mais fácil receitar de acordo com asemoções que agora se conhecem. Receite Holly quando a pessoativer uma natureza activa ou intensa e Wild Oat quando se tratarde pessoas mais passivas.Em doenças crónicas como a artrite e os eczemas, a análise dossonhos pode revelar quais os sentimentos desagradáveis que seencontram na origem da doença. Os Remédios Florais, abarcando asemoções recalcadas, accionarão então o processo da verdadeiracura; mas é importante que a pessoa coopere a todos os níveis,buscando uma terapia adequada tal como a medicina com ervas ou aquiroprática e se infor-42
  • 42. mem o melhor possível sobre a dieta a seguir, no caso da suadoença em particular.Enquanto a pessoa está a falar, não deixe de ir anotando todos osRemédios que lhe vão vindo à cabeça. No entanto, não deixe que otirar de apontamentos se torne demasiado absorvente. Éimportante manter uma relação relaxante e igualitária, umaatmosfera de confiança durante a consulta. Pode sempre tirarapontamentos imediatamente a seguir, enquanto a história dapessoa ainda estiver fresca na sua memória.Quando conversar com a pessoa em questão sobre os RemédiosFlorais a utilizar, frise bem as qualidades ou virtudes queterão de ser alcançadas com eles. Por exemplo: em vez de dizerque o Gentian é para curar uma atitude de desconfiança, diga queeste Remédio ajudá-lo-á ater a certeza de que os seus problemas poderão ser ultrapassados.A minha prática inclui sempre “trabalhos para casa”, tais comoexercícios de respiração, uma cassete de relaxamento,visualização, oumovimentos lentos de elasticidade para libertar a tensão físicae emocional. Se houver muita falta de amor próprio, sugiro modosde fortificar o ego. Isto poderá incluir um banho aromáticodiário, com algumas gotas de Crab Apple adicionada aos óleos daaromaterapia; ou algo ainda mais simples, como comprar umpequeno presente para si próprio, de vez em quando: umas floresfrescas, um pequeno cristal, fruta exótica, um postal bonito ouqualquer coisa do género.Finalmente a coisa mais difícil de aceitar, para um terapeuta, éque a pessoa possa não estar pronta para se desligar da suadoença, embora isto se passe a nível do subconsciente, o que nãodeverá ser encarado como uma falha de qualquer dos lados. Aorigem do seu sofrimento pode ser kármica, o que significa que oseu espírito escolheu a doença comomeio essencial para o seu desenvolvimento. Nora Weeks, umacolega de longa data do Dr. Bach, diz daqueles que tomaram osRemédios antes de falecerem: “Bem, pelo menos morreram felizes”.Usos especiais dos Remédios FloraisGravidezAs belas vibrações dos Remédios Florais são totalmente seguras emuito benéficas, tanto para a mãe como para o seu futuro filho.O mé-43
  • 43. todo de diagnóstico e tratamento é igual ao de sempre. OsRemédios podem ajudar a minimizar a apreensão e o sofrimento dosperíodos pré e pós-parto. Muitos praticantes sugerem um compostobásico de Rescue Remedy e Walnut. Esta mistura pode ser tomadauns dias antes do dia previsto para o nascimento do bebé,durante o trabalho de parto e, pelo menos, durante um mês depoisdo parto para ajudarem a mãe e a criança a lidarem com asreacções e as mudanças. Tem havido casos em que as mães têm umparto rápido e fácil e uma boa recuperação devido ao facto deterem tomado o Rescue Remedy, pouco antes de dar à luz (1).Para além dos Remédios já mencionados, outros podem seradicionados ou introduzidos em substituição, consoante o caso.Por exemplo: o Mimulus para o medo de dar à luz (ou em casosextremos o Rock Rose); e Impatiens para ajudar aquelas mães quese tornam inquietas e impacientes à medida que a data se vaiaproximando, um estado de espírito muito comum, especialmentequando o bebé já vem atrasado. Durante o parto, outrosmedicamentos tal como o Oak, Hornbeam e Olive são os indicadosse a mulher já estiver exausta e achar que já não conseguecontinuar; durante o período pós-parto, o Mustard, Gorse,Gentian, Sweet Chestnut ou Willow podem vir a ter um papelpredominante no levantar da moral da mãe, sofrendo da depressãopós-parto.BebésPoderá ficar surpreendido com o facto de ser relativamente fácilelaborar diagnósticos para bebés recém-nascidos, embora estessejam incapazes de nos falar do seu estado de espírito, Porexemplo: o bebé Agrimony é normalmente feliz e palra, chega atéa dar poucas preocupações, a não ser que algo de muito grave seesteja a passar; o bebé Chicory é muito exigente, querendosempre atenção e detestando estar sozinho; o bebé Clematismostra muito pouco interesse pelo que quer que seja, dormindomuito e, por vezes, tendo de ser acordado para as refeições; obebé Mimulus é muito nervoso, assusta-se com os sons mais agudose com movimentos bruscos, enquanto o bebé Impatiens, por seuturno, tem um certo mau-génio!Bach acreditava que, observando-se o tipo ou problema dapersonalidade do bebé, as disposições passageiras ou os estadosde espírito44
  • 44. negativos seriam facilmente contornados, antes de começarem aenraizar-se. Quando um espírito tem oportunidade de receberajuda nesta altura, a sua passagem pela vida será muito maisfácil e feliz e menos conturbada a sua personalidade. Que belopensamento! A dosagem é amesma dos adultos, embora as mães recentes possam, também, tomaroRemédio (ver pág. 110)CriançasAs crianças (tal como os animais) são motivo de alegria para osterapeutas de Bach, pois reagem rápida e eficazmente aosRemédios Florais. Isto porque a criança tende a expressar osseus sentimentos abertamente, pelo menos até à fase deconsciência de si próprios, na adolescência. Os adultos, como éóbvio, não só são condicionados pela sociedade como também pelassuas reacções típicas aos altos e baixos da vida,particularmente a estes últimos. O sentimento de desesperotorna-se, então, mais enraizado e por conseguinte mais difícilde ultrapassar.Primeiro, tente estabelecer o Remédio-Tipo da criança (sepossível). Isto será feito em épocas intervaladas da infância eaté à maturidade, anão ser que a personalidade mude radicalmente (o que não é umfenómeno desconhecido). A seguir estabeleça quais os remédioscomplementares. Por exemplo: Walnut, o remédio para a mudança ea transição será muito útil durante o período da puberdade. OVíne ajudará a transformar a energia agressiva do “brutamontes”da escola em qualidades mais positivas, dignas de um líder.Centaury, por outro lado, ajudará a vítima desse tal“brutamontes”! Holly ajudará a criança que tem ciúmes do seuirmão mais novo, enquanto a Rock Rose ou o Rescue Remedydissiparão os seus pesadelos. Se os pesadelos da criança foremcausados por uma recordação amarga e persistente, então deveráreceitar Honeysuckle. Para o medo do escuro receite Mimulus;para medos vagos, de origem desconhecida, especialmente seacompanhados por suores frios e tremores, deverá receitar Aspen;para a criança que não tem sono ou é demasiado activa, receiteVervain; e para a criança mole ou apática, escolha Clematis.Finalmente, e não esquecendo a criança demasiado ansiosa esofredora, aconselhe o Red Chestnut, para conseguir umsentimento de calma e positividade.45
  • 45. AnimaisTal como foi verificado através de vários estudos veterinários(’), os animais tendem a corresponder aos Remédios Florais maisrápida e, por vezes, mais profundamente do que os humanos. Odiagnóstico é feito do modo habitual, embora a pessoa devatentar identificar-se com o animal de modo a compreender o seuestado de espírito. O animal nervoso, por exemplo, que tende asaltar com medo do mínimo som ou de qualquer movimento brusco,precisa de Mimulus. Ao cão superpossessivo que põe o dono“doido” por andar sempre atrás dele, não faria mal um pouco deChicory. O cão invejoso e desconfiado que ladra a toda a gente,precisará de Holly. O gato com nove vidas mas que foi jáatropelado por um carro mais do que uma vez, precisa de ChestnutBud para se conseguir que aprenda com erros passados... e por aíadiante.George MacLeod, uma das maiores autoridades do mundo naaplicação de medicamentos homeopáticos em animais, encorajatodos os seus colegas veterinários a utilizar o Rescue Remedypara tratarem os choques, acidentes, feridas, trabalho pré-cirúrgico e coisas do género. “O Dr. Bach foi um génio damedicina” diz ele.PlantasSim, até as plantas se dão bem com os Remédios Florais de Bach;por exemplo, quando sofrem dos malefícios da peste ou quando sãotransplantadas. O Rescue Remedy é indispensável neste aspecto,seguido de Walnut e de Crab Apple (ver Capítulo 5).46
  • 46. OS TRINTA E OITO REMÉDIOSO Dr. Bach agrupou os Remédios em sete categorias:1. Para aqueles que sentem medo: Rock Rose, Mimulus, Cherry Plum,Aspen, Red Chestnut.2. Para aqueles que sofrem de incerteza: Cerato, Scleranthus,Gentian,Gorse, Hornbeam, Wild Oat.3. Para a falta de interesse pela realidade presente: Clematis,Honeysuckle, Wild Rose, Olive, White Chestnut, Mustard, ChestnutBud.4. Para a solidão: Water Violet, Impatiens, Heather.5. Para aqueles demasiado sensíveis no que diz respeito ainfluênciase ideias: Agrimony, Centaury, Walnut, Holly.6. Para a desilusão e desespero: Larch, Pine, Elm, SweetChestnut,Star of Bethlehem, Willow, Oak, Crab Apple.7. Para a preocupação exagerada com os outros: Chicory, Vervain,Vine, Beech, Rock Water.Para uma mais fácil consulta, os Remédios florais aparecem,neste capítulo, por ordem alfabética, estando cada umapresentado da seguinte forma:47
  • 47. -Desenho e composição botânica;- Método de potenciação;- Estados de espírito negativos;- Uma descrição pormenorizada dos estados de espírito negativos;- Potencialidades positivas, após o tratamento;- Outras medidas de auto-ajuda;-A criança para a qual o medicamento é indicado.Os dois primeiros tópicos dispensam explicações, por issoconsideremos o estado de espírito negativo.Trata-se de um sumário para facilitar o diagnóstico. Um relatomais pormenorizado vem a seguir, para verificar se escolheu ounão o Remédio certo. No entanto, a pessoa não tem decorresponder exactamente à descrição do Remédio para que estelhe seja adequado. É importante ter-se uma boa noção das váriaspersonalidades do Remédio, juntamente com um pouco de intuição.Com a prática, rapidamente se tornará mais fácil apercebermo-nosdo estado de espírito da pessoa e receitar de acordo com ele.As potencialidades positivas a seguir ao tratamento são,obviamente, a transferência final dos aspectos positivos dointelecto, que são trazidos ao de cima, libertos das correntesdo medo, dúvida, raiva e incerteza.Seria irrealista, no entanto, sugerir que os Remédios Florais deBach, por si só, conseguem em todos os casos tal transformação,especialmente se o problema tem uma origem demasiado profunda.Daí ser importante, no tratamento do próprio e de outrem,reconhecer as limitações de cada um e procurar ajudaprofissional quando necessário, seja sob a forma deconsulta, psicoterapia, ou até mesmo terapia física, tal comomassagens, tratamentos com ervas ou tratamento ortodoxo.Tal como temos visto até aqui, os Remédios funcionam em harmoniacom outro tipo de tratamentos, apressando o processo de cura.Outras medidas de auto-ajuda como o yoga, pensamento positivo,jardinagem, etc., são de aconselhar, sempre que possível, poisencorajam uma participação activa das pessoas na sua própriacura, um princípio muito importante da terapia holística.Qualquer uma destas actividades pode ser praticada ao mesmotempo que (ou substituída pela) Análise dos Sonhos (ver Capítulo3), ou pelas técnicas básicas de relaxamento
  • 48. 48
  • 49. e visualização, referidas no capítulo 7.Por vezes acontece que, quando a pessoa está a tomar mais do queum Remédio de cada vez (o que é muito comum), não há necessidadede recorrer a todas as medidas de auto-ajuda aconselhadas paracada um dos Remédios, em particular. Pratique apenas aquelas queachar mais úteis.Por vezes poderá ser difícil escolher entre dois remédios deessências parecidas (os Remédios para o medo: Aspen e Mimulus,por exemplo). Logo, por isto acontecer muitas vezes, foi feitauma comparação para esclarecer melhor o assunto.No caso das crianças, embora estas possam não ser muitodiferentes de um adulto com a mesma disposição, é incluída umapequena descrição, no final de cada esquema, para ajudar aelucidar e a elaborar um padrão.Note, por favor que, embora as Personalidades-Tipo dos Remédiossejam descritas como “ele” ou “ela”, todos os tipos demedicamentos se aplicam a ambos os sexos.Por fim, o Rescue Remedy é abordado na página 106. Este é umremédio de primeiros socorros, que reúne as seguintes plantas:Rock Rose, Clematis, Impatiens, Cherry Plum e Star of BethlehemAgrimony Agrimonia eupatoria AgrimóniaEsta planta tem uma leve penugem e está coberta de tufos deflores amarelas com um leve aroma. Cresce até uma altura entreos 30 e os 60Nota: Os Remédios Florais de Bach são habitualmente conhecidospela suadesignação inglesa. Pareceu, no entanto, ao editor que seriaútil incluir a designação latina, bem como o nome da flor emportuguês (Nota do Editor).49
  • 50. em. Pode ser facilmente encontrada e é normalmente vista emzonas com muita relva.É uma planta que aparece entre Junho e Agosto.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: tortura mental envolta numa fachadade alegria.O tipo de pessoa Agrimony é fácil de reconhecer. É o centro dasatenções numa festa: o exuberante mas gentil brincalhão quenunca goza com ninguém, pois só ri de si próprio.E que mal tem isso? poder-se-á perguntar. Não teria mal nenhum sefosse verdadeiro; mas o tipo Agrimony é perito em utilizar amáscara da Comédia ou da Tragédia. A personalidade pública,alegre, é muito diferente da cara marcada pelo sofrimento, quesó aparece em casa.Será muito raro o verdadeiro tipo de pessoa Agrimony procurarajuda por sua própria iniciativa. Prefere continuar a actuar,para o resto do mundo e muitas vezes para si própria, fingindoque a vida lhe corre às mil maravilhas. Quando sozinho (situaçãoque tenta evitar a todo ocusto), tenta ignorar os pensamentos preocupantes quebombardeiam asua consciência, mas com muito pouco êxito. São muitas as vezesemque não consegue dormir e poderá até recorrer ao álcool e àdroga para escapar aos seus problemas.Apenas uma pessoa de quem goste e em quem confie terá alguma vezhipótese de conhecer a verdade -e será essa pessoa quem lhe daráoincentivo e onde, com alguma sorte, poderá encontrar o apoio deque tão desesperadamente necessita.Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade deencarar verdadeiramente a vida a rir, pois os problemas sãoagora vistos de um ponto de vista mais equilibrado, o de umoptimista por natureza, que possui um dom inato para gerar aharmonia onde “mora” o desacordo.Outras medidas de auto-ajuda: dedique-se a aulas de relaxamento,yoga, Tal Chi, ou então obtenha uma cassete de relaxamento.Se existirem problemas relacionados com a bebida ou com droga,não deixe de procurar ajuda profissional. Recorra aos AlcoólicosAnónimos ou a um grupo terapêutico que tenha como objectivoultrapassar
  • 51. 50
  • 52. a dependência da droga. Estes grupos não servem apenas para adependência de drogas chamadas “recreativas”; oferecem tambémapoio às pessoas que estão dependentes de drogas originalmentereceitadas pelo médico, tal como é o caso do Valium.Onde encontrar informações: procure nos anúncios dos jornaislocais, ou nos placards de informação da sala-de-espera de umconsultório, clínica ou até em bibliotecas públicas. A sua listatelefónica, local, pode ainda fornecer-lhe alguns contactos.A criança do Tipo Agrimony: esta criança pode parecer alegre porfora mas, tal como a sua mãe ou ama sabem tão bem, sofre pordentro. Confere-se uma grande importância à imagem que elareflecte nos amigos, família e professores.Aspen Populus tremula Faia PretaTrata-se de uma árvore pequena, com cerca de 15 metros dealtura, da família do grande choupo negro. Poderá ser encontradaem solos pobres e terra húmida. Floresce de Fevereiro a Abril.Método de potenciação: fervura.Estado de espírito negativo: medos inexplicáveis de origempsicológica, pesadelos, medo de um mal iminente.Comparação: compare com a Personalidade-Tipo Mimulus cujo medo éconhecido e de carácter circunstancial (medo de um caso queesteja pendente em tribunal, por exemplo).O tipo de pessoa Aspen é tal como a própria árvore que, sendodelicada, treme com a mínima brisa. Será uma pessoa muitosensível àsmás vibrações” de qualquer natureza, sejam elas a atmosfera“esquisita”51
  • 53. de um prédio, ou o desagradável burburinho provocado pordiferentes grupos de pessoas a falar ao mesmo tempo. Este tipode pessoa será também perturbada pelas “sombras sinistras” queenvolvam certos indivíduos que ela suspeite terem qualquer tipode desequilíbrio mental; poderá ainda acordar durante a noitetremendo e suando, aterrorizada com a impressão de que algo deassustador se encontra atrás da porta.Embora se diga que os medos da Personalidade-Tipo Aspen provêmda mente, isto não quer obrigatoriamente dizer que estes sejamfantasias. Embora possa ser uma pessoa activa, em vez de sevirar para os acontecimentos felizes da vida, tende a virar-separa as catástrofes: a queda recente de um avião ou a explosãode uma bomba, por exemplo.Potencialidades positivas após o tratamento: perda do medoatravés da noção de que o Guardião de cada um é o poderuniversal do Amor.Outras medidas de auto-ajuda: tente um controlo da aura (verpág. 135). A prática regular desta técnica não diminuiráqualquer capacidade psíquica, mas servirá de protecção e defiltro contra pensamentos prejudiciais e influências de qualquernatureza. Mais importante ainda será o facto de permitir àpessoa ter muito mais controlo sobre aquilo que o destino lhereservar.Escolha actividades ligadas à “realidade”, tais como jardinagem,caminhadas a pé, desporto, cozinhar, dar ou receber massagens -ou até assistir a um filme ou peça de teatro cómicos.Evite tudo aquilo que possa perturbar a mente, tal como filmes oulivros de terror; evite também tudo o que for tóxico, sejaingerir álcool ou fumar erva. Será também de evitar qualquerforma consciente de desenvolvimento psíquico, tais como práticasocultas ou o yoga, a não serque seja sob o olhar atento de um professor com experiência.A criança do Tipo Aspen: sofre de pesadelos reincidentes e podeaté ser sonâmbula. Muitas das vezes exige uma luz acesa durantetoda a noite.52
  • 54. Beech Fagus sylvatica FaiaTrata-se de uma árvore majestosa, que pode crescer até umaaltura de cerca de 30 a 40 metros. As flores femininas emasculinas aparecem no mesmo ramo, formando uma borla em tons deroxo e castanho, assente num longo pé. Floresce entre Abril eMaio.Método de potenciação: fervura.Estado de espírito negativo: intolerância, espírito crítico earrogância.Comparações: compare com a Personalidade-Tipo Vine, cujanecessidade principal é dominar; e com o Tipo Vervain, ofanático que não desiste e cujo objectivo é converter.A Personalidade-Tipo Beech absorve pouco daquilo que é bom oubonito no mundo! Tem poucos amigos, pois a sua naturezahipercrítica e intolerante irrita os outros para além doslimites do razoável. Não vê qualquer virtude na diversidade danatureza humana, sendo o seu lema: “Por que razão não farão elescomo eu faço?”O Tipo Beech várias vezes se esquece do facto de nem toda agente nascer com os mesmos dons, nem pertencer à mesma classesocial e cultural. Até os pequenos hábitos, gestos e maneirasdos outros se tornam irritantes, não tendo o “grau” de desagradoqualquer relação com a causa do desagrado em si,Lamentavelmente, a sua vida pode ter sido composta de ódio,humilhação e desilusão mal “digeridos”. Esta agressividade, quese manifesta muitas vezes em problemas de digestão, é projectadano mundo circundante, pois o Tipo Beech tem ainda de53
  • 55. encontrar” os seus mais profundos sentimentos. Como resultadodesta situação, é incapaz de penetrar nos sentimentos dos outros.Potencialidades positivas após o tratamento: tolerância ecompreensão pelos sentimentos dos outros; a capacidade de ver o“bem” em tudo e em todos.Outras medidas de auto-ajuda: quando criticar os outros reparese são críticas generalizadas tais como “Ele é estúpido” ou “Elaé uma tonta”. Se assim for, transforme a crítica generalizadanuma descrição específica de comportamento para que a frase “Elaé uma tonta” se transforme em “Ela dá gargalhadas quando estánervosa” ou “Ela é muito espampanante”, por exemplo. Depois,comece a procurar as qualidades positivas das pessoas. Como éque elas se relacionam com os filhos, vizinhos, colegas detrabalho e por aí adiante? Anote as qualificações e ascapacidades dessas pessoas. O acto de, conscientemente, procurartraços positivos nos outros e de os reter pela escrita, vaicontrariar a sua tendência natural de ver tudo e todos de umponto de vista negativo.Comungue com a natureza, o mais que possa. Aprenda um desportoqualquer que acabe com a rigidez do corpo e da mente, tal como adança, o yoga, Tai Chi e actividades do género. Procure algumafrivolidade na vida!A criança do Tipo Beech: pode estar a reflectir as atitudes dospais (considere bem este aspecto), ou talvez se sintainferiorizada por umcompanheiro mais velho, dominador ou mais popular.Centaury Centaurium erythi-aea Centáurea54
  • 56. Tem uma altura variável entre os 5 e os 35 cm (dependendo dohabitat). É facilmente encontrada em locais pobres, secos e commuita erva, não esquecendo as dunas. As pequenas flores de umrosa-vivo e com o formato das estrelas abrem apenas quando o Solestá a brilhar.Floresce entre Junho e Agosto.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: falta de força de vontade pararecusaras ordens dos outros tornando-se, assim, facilmente manobrável.A pessoa cuja Personalidade-Tipo é o Centaury acredita que nasceupara servir. Sacrifica as suas próprias necessidadessimplesmente para manter a paz e ser bem vista pelos outros.Pessoas do Tipo Vine ouVervain darão conta dela num instante! O Tipo Centaury pode atédesistir de casar e de ter a sua própria família, para cuidar deum parente idoso. Sente-se muitas vezes cansado, esgotado pelassolicitações dos outros, embora raramente se queixe, pois estáresignado com a sua sorte.Lamentavelmente, um Centaury perde muitas das coisas boas davida, especialmente a alegria e a excitação que a independênciae aaventura por vezes nos fazem sentir.Caso chegue a casar, é provável que atraia um tirano. Mas porque razão terá escolhido uma existência de “gato-sapato”? Já foiposta ahipótese destas pessoas se ligarem a uma personalidade maisforte para evitar ter de passar pelo processo de crescimento queos levaria a ter detomar as suas próprias decisões. No entanto, e tal como umacriança, apessoa do Tipo Centaury submete-se, ainda que inconscientemente,aoutra de carácter forte e com tendência para o abuso, por não seconseguir relacionar com a sua própria força interior.Potencialidades positivas após o tratamento: saber quando dar equando se retrair: a habilidade de se misturar com os outros semperder, no entanto, a sua própria identidade; viver a vida deacordo com a suaprópria missão.Outras medidas de auto-ajuda: aprender uma arte marcial, comopor exemplo o judo, que ajudará a cultivar a sua força interior,postura e autoconfiança; frequentar uma aula de afirmação
  • 57. pessoal.Pratique a visualização para fortalecimento da aura (ver pág.135).55
  • 58. A criança do Tipo Centaury: é calma, sensível e reage aestímulos. Quase não dá trabalho, mas poderá vir a ser “presafácil de um brutamontes”.Cerato stigma Willmottiana Orelha de RatoSendo a única planta cultivada utilizada no sistema de Bach,Cerato é um arbusto com flores, proveniente dos Himalaias, comcerca de 60 cm de altura. As bonitas e radiantes flores azuis,abrem em Agosto e em Setembro.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: falta de confiança em si mesmo paratomar as suas próprias decisões.Comparações: O Tipo Scleranthus está dividido entre duaspossibilidades mas, ao contrário de Cerato, raramente aborreceos outros coma sua indecisão relativa às decisões triviais do dia a dia. OScleranthus pode eventualmente tentar encontrar a respostadentro de si.A pessoa do Tipo Cerato foi amaldiçoada com a incerteza. Muitoembora seja intuitiva e possua um grande bom-senso, raramenteouve asopiniões da sua voz interior, não actuando por conseguintesegundo a suaprópria vontade. Por isso põe a família e amigos “doidos” com osseusincessantes pedidos de opinião, ou de confirmação, acerca detudo aquilo que faz.O Tipo Cerato não só é facilmente influenciado pelas opiniõesalheias, como também poderá imitar a maneira de vestir, osgestos ou o “jeito” daqueles que admira, o que por vezes o levaa fazer “figura de parvo”. Tem, por vezes, momentos de clareza,durante os quais profere56
  • 59. o seu lamento favorito: “Eu sabia que devia ter feito aquilo.Agora é tarde demais!” Ou, então, depois de ter aborrecido todaa gente que o rodeia, acabará por decidir fazer as coisas à suamaneira!Potencialidades positivas após o tratamento: confiança na suaprópria capacidade de distinguir o bem do mal; facilidade emagir semse deixar influenciar por quaisquer opiniões contrárias à suaresolução.Outras medidas de auto-ajuda: tente a visualização. Utilizando atécnica básica descrita no capítulo 7, concentre-se na ideia de“contactar”com o seu eu superior. Depois, em pensamento, imagine-se a tomarumadecisão e a agir segundo ela. Saiba que o resultado foi positivoe sinta-se feliz por isso. Uma prática regular deste tipo devisualização, poderá eventualmente levar a que os seusobjectivos, neste campo, se realizem.Os sonhos também podem ajudar (ver Capítulo 3).A criança do Tipo Cerato: este estado de espírito, atrásreferido, é mais provável ocorrer durante o período daadolescência. A criança do Tipo Cerato procura constantemente aaprovação dos outros (principalmente dos colegas) e insiste emusar a roupa que estiver mais na moda, quer lhe fique bem ounão! Não será má ideia deixar este jovem sair desta fase por suaprópria iniciativa (pois é uma importante lição da vida). Noentanto, se estiver ligado a “más companhias”, será a combinaçãode Cerato com WaInut que o ajudará a quebrar esses laços.Cherry Plum Prunus cerasifera Ameixoeira (vermelha)Trata-se de uma árvore pequena e sem espinhos que poderá cresceraté uma altura de 6 a 8 metros. As flores são de umbranco-"leite”, pouco maiores que as do abrunheiro (P. spinosa)com a qual é por vezes57
  • 60. confundida. É muito comum no Sul de Inglaterra, sobretudo, ondeé utilizada como arbusto de sebe. Dá flores desde o final deFevereiro até princípios de Abril.Método de potenciação: fervura.Estados de espírito negativos: medo de perder a sanidade mental;explosões incontroladas de fúria.Cherry Plum vive num medo mórbido de estar a viver com tempocontado. Pensa que a qualquer momento pode perder a noção darealidade - o buraco, sem fundo, da loucura “abre-se” peranteela.Tem também o terrível impulso de fazer mal aos outros ou a sipróprio. Os pensamentos de suicídio entram e saem da sua cabeçacomo uma ameaçadora maré negra.Mas, como se atingiu tal estado de desespero? Poderá ter havidoumlongo período de ansiedade ou desgosto e agora a pessoa depara-se coma iminência de um esgotamento nervoso. Ou então poderá tergerido asdificuldades e atribulações da vida de uma forma aparentementecontrolada e “digna”. Porém, a turbulência de emoções recalcadasprovoca grande pressão e distorção; imagens e forças destrutivasacabam eventualmente por vir ao de cima. Cherry Plum deixa deser capaz de aguentar e é então que o vulcão entra em erupção!No entanto, com umapoio emocional adequado, não serão causados danos irreparáveis,pois o tal vulcão é a sua válvula psíquica de segurança.A Personalidade-Tipo Cherry Plum está incluída no Rescue Remedy,para ataques violentos e histeria (ver pág. 108).Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade delidar, espontaneamente e com muita calma, com grandes forçasinteriores, pois a angústia é curada pelas forças do espírito oudo seu eu superior já equilibradas.Outras medidas de auto-ajuda: se tiver pensamentos suicidas nãohesite em procurar ajuda profissional.Telefone para os Serviços de Ajuda, tipo SOS Voz Amiga e/outelefone para o seu médico. Informe-se sobre a psicoterapia,especialmente se Cherry Plum for o seu Remédio-Tipo.Em vez de virar a sua energia agressiva para dentro, aprenda ausá-la em seu proveito, recorrendo ao seu dinamismo para darmais força
  • 61. 58
  • 62. aos seus projectos ou actividades: chame a si essa poderosaenergia apenas quando estivera sentir-se agressivo. Ou seja,sinta o vigor, a vibração, o efeito que ela provoca no seucorpo. Aperceba-se, então, de que estes sentimentos estão à suadisposição e de como, embora possam magoar, estes também podemtransformar-se na força motivadora de qualquer das suasactividades. Poderá servir de “arranque” para a lida da casa,uma carta de protesto, há muito adiada, para a Câmara Municipal- ou porque não para começar então o tal romance?A criança do Tipo Cherry Plum: poderá haver repentinos eincontroláveis ataques de raiva, especialmente nos casos em quea criança seatira para o chão ou bate com a cabeça na parede: a birra típica.Chestnut Bud Aesculus hippocastanum Rebento de CastanheiroA árvore do Castanheiro foi trazida da Turquia para aInglaterra, noinício do século XVII. Apenas os rebentos pegajosos sãoutilizados para este medicamento, sendo as flores aproveitadaspara a essência de White Chesmut. Os rebentos são apanhados nosprincípios de Abril.Método de potenciação: fervura.Estado de espírito negativo: incapacidade de aprender através daexperiência; necessidade de repetir vivências.O Tipo Chestnut Bud experimenta o “dejá vu” mais do que qualqueroutra pessoa. Mas, em vez de considerar esse facto como umaexperiência agradável e misteriosa, tende a cair, mais uma vez,na velha exclamação: “ Oh não, outra vez não!” Comete os mesmoserros vezes e vezes sem conta, não aprendendo com os outros nemcom experiências59
  • 63. passadas. Na verdade, por colocar obssessivamente “uma pedrasobre opassado”, assemelha-se a uma casa sem alicerces, sujeita avergar com a passagem de um vento mais forte. Porque é que aPersonalidade-Tipo Chestnut Bud se depara sempre com os mesmosproblemas? A resposta poderá ser indiferença, demasiada pressaou pouca capacidade de observação. De certo modo, é um espíritojovem flutuando em sentido contrário à maré da vida. Na suaingenuidade, não consegue aprender a lição mais importante davida: que não podemos fugir ao passado saltando para o futuro,pois um é o reflexo do outro, muito embora o nosso verdadeirodesenvolvimento se dê no presente, no eterno AGORA.Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade defixar no presente a sua atenção, e de retirar ilações esabedoria de todas as experiências.Outras medidas de auto-ajuda: num estado de relaxamento profundo(ver Capítulo 7) ou mesmo antes de adormecer, pergunte a sipróprio: porque estou eu sempre a “tropeçar” nos mesmosobstáculos? O que deverei aprender com esta experiência? Depoispergunte: quais as mudanças que me são necessárias paraprogredir? Pratique isto diariamente até que obtenha respostassatisfatórias às suas perguntas.Estas poderão vir de diferentes maneiras e por diversas vias:talvez num momento de inspiração, durante ou imediatamente aseguir ao exercício; a mensagem poderá vir mais devagar e de ummodo mais subtil, para que, passado algum tempo, você repare quea sua maneira de ver a vida é agora muito mais clara, embora nãopossa indicar omomento exacto dessa “viragem”. A resposta poderá chegar-lhe,também, através de um sonho ou, mais curioso ainda, pelosincronismo; ouseja, através de um elemento pertencente ao meio-ambiente, quevocê considere significativo. Poderá ser uma frase lida poracaso num livro, um acontecimento que não faça parte da suarotina habitual, o título de um filme, as palavras de um amigo,etc. Na verdade, a resposta pode estar a “pairar no ar”. Cabe-lhe a si apanhá-la!A criança do Tipo Chestnut Bud: de aprendizagem lenta, estacriança tem dificuldade em se concentrar. Mesmo sendoconstantemente repreendida continuará a esquecer-se dos seuslivros, cadernos ou do estojo de lápis, por exemplo.60
  • 64. Chicory Chicorium intybus ChicóriaComum em pisos de terra batida a chicória é uma erva perpétuaque poderá crescer até um metro de altura, em terrenos baldios,na margem dos campos ou à beira da estrada. As belas floresazuis abrem de Julho a Setembro, mas duram apenas um dia,morrendo assim que são apanhadas.Método de potenciação: o Sol.Estados de espírito negativos: possessividade; autopiedade. APersonalidade-Tipo Chicory não consegue exprimir o amordesinteressado, pois para ela esta questão está implícita nacorrente externa do ser e encontra-se “virada” para dentro de siprópria. Chicory exige simpatia e apreço da parte dos outros,mas raramente mostra esses mesmos sentimentos para quem quer queseja; ou, se o fizer, há-de exigir sempre algo em troca: “Eugosto de ti se...”Caso não receba o amor e afecto que julga merecer, tornar-se-ámanipuladora e falsa, criando um sentimento de culpa naquelesque sabe serem susceptíveis à chantagem psicológica.Como pai ou mãe Chicory tende a ser possessiva e demasiadoprotectora, fazendo os seus filhos sentirem-se “abafados” comuma educação tão rígida. Tem tendência para controlar e ordenar,organizando, criticando e, em geral, compelindo a família amarchar pelas estradas da vida. E, como é óbvio, sofrerábastante quando, mais tarde, estes se revoltarem.A triste verdade é que Chicory pode ter tido uma infância compouco amor. Sente um profundo vazio e falta de realizaçãopessoal, logo anseia61
  • 65. por reconhecimento e afecto por parte dos outros. Mas essa suanecessidade é tão vasta como um POÇO sem fundo, que nunca poderáser cheio.Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade dedar, sem receber nada em troca; aquisição de segurança em sipróprio.Outras medidas de auto-ajuda: se o problema é de naturezaprofunda em vez de ser um estado de espírito temporário, seriabenéfico procurar ajuda profissional ou uma terapia natural, talcomo a aromaterapia (a qual inclui uma massagem muito suave).Comunique com a natureza sempre que puder. Até o parque ao pé desua casa poderá ser uma fonte de cura. Encontre a paz interiorpraticando exercícios de relaxamento, respiração e meditação(ver Capítulo 7).Comece a mudar a sua maneira negativa de pensar, afirmandorepetidamente a seguinte frase, antes de adormecer: “Estou aencontrar segurança dentro de mim. Permito que a alegriapercorra o meu corpo e mente e se estenda aos outros”.A criança do Tipo Chicory: esta criança requer muita atenção;não suporta o facto de estar sozinha e poderá até fingir estardoente para assim conseguir aquilo que pretende.Clematis Clematis vitalba ClematiteTrata-se de uma trepadeira encontrada em sebes e terrenosarborizados, especialmente em solos de terra batida e pedracalcária. Estes tufos têm um odor suave e flores verdes ebrancas que florescem entre Julho eSetembro. A planta é também conhecida por Barba de Velho pois, noOutono, os estiletes transformam-se em plumas cinzentas ebrancas, com uma textura tipo lã.62
  • 66. Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: sonhar acordado; sentirindiferença; prestar pouca atenção ao presente; uma menteconfusa; inconsciência.A Personalidade-Tipo Clematis não pertence a este mundo. O seuolhar distante e falta de vitalidade é indicador de que estaspessoas moram no mundo da fantasia e do sonho. Revelam pouco ounenhum interesse no presente, pois os seus pensamentos estãovirados para ofuturo, para os tempos mais felizes que por certo virão.Tem sido dito, acerca do Tipo Clematis, que ouve sem escutar eolha sem ver, esquecendo por isso a maioria das coisas que lhesão ditas. Também gosta de dormir, não só à hora de se deitar,mas num autocarro, numa palestra, em frente da televisão. Emsuma, em quase todo o ladoe a qualquer hora. Com as suas energias vitais assim enraizadasdentro de si próprio nunca se torna violento, nem fica zangado,extremamente deprimido ou alegre. As boas notícias são recebidascom a mesmaindiferença que as más.Quando doente, Clematis faz pouco ou nada para ficar melhor,podendo até agradar-lhe a ideia da morte na esperança deencontrar, nomundo espiritual, alguém que lhe era querido e que perdeu. Aenorme falta de vontade de recuperar de uma doença, levou a queBach chamasse ao estado de espírito Clematis “uma forma educadade suicídio”.Ocasionalmente, este estado pode ter uma natureza passageira,quando ocorrerem sinais de inconsciência, desmaios ou qualqueroutro sintoma provocado por um choque. Por esta razão, Clematisestá incluído no Rescue Remedy (ver pág. 106).Potencialidades positivas após o tratamento: se possuir uma certacriatividade, tal como a maioria dos Clematis, terá a capacidadede concretizar a sua própria inspiração criativa. Começará arevelar um forte interesse em tudo, pois o sentido da vida éagora grandemente apreciado.Outras medidas de auto-ajuda: escolha actividades como a práticada jardinagem, dar ou receber massagens, cozinhar ou assistir aum filme ou a uma peça de teatro cómicos.Procure uma forma de exprimir a sua criatividade, tal como apintura, a escrita, arranjos florais, etc.63
  • 67. Poderão existir capacidades psíquicas, mas os trabalhosesotéricos indisciplinados poderão provocar certos problemaspsicológicos, por isso procure os conselhos de um professor oude um profissional entendidos na matéria.A criança do Tipo Clematis: é pálida e sonolenta, dispersa edistraída. Tem pouca presença física e tende a ir sempre deencontro às coisas. Os seus olhos estão, normalmente, desfocadose tem uma expressão sonhadora estampada no rosto.Crab Apple Malus punila ou sylvestris Macieira BravaA verdadeira macieira brava é uma árvore pequena e caduca com otronco torto, fendido e fissurado. Encontrada em sebes, bosquese terrenos arborizados, poderá atingir uma altura máxima de 10metros. Os rebentos cor-de-rosa e brancos aparecem em Maio.Método de potenciação: fervura.Estados de espírito negativos: a sensação de não estar limpo;falta de amor próprio; a preocupação excessiva com pequenospormenores.A Personalidade-Tipo Crab Apple não tem amor próprio. Sente-se,por qualquer razão, suja tanto mental como fisicamente. Poderáter uma pequena irritação de pele, como por exemplo uma borbulhano queixo, que examinará atentamente com uma lupa imaginando quetoda a gente está a olhar para a sua grande pústula! Ou talveztenha um problema de pele mais grave, tal como um eczema oupsoríase, que a desespera e afaz ter nojo de si própria. Desta forma, poderá sentir-serevoltada por certas funções físicas tais como a amamentação, osexo e a doença. A sua tendência para se concentrar nospormenores, para aumentar ascoisas através das lentes do seu próprio ponto de vista, tambéminterfe-64
  • 68. rirá noutros campos da sua vida. Poderá por exemplo acontecerque ocachorro tenha sujado o chão da cozinha acabado de lavar; mas ofacto, mais importante, de o animal ter ferido a pata, só setorna relevante depois de o chão ter sido lavado segunda vez.Nota: Crab Apple é também particularmente útil em tratamentosexternos (ver págs. 111- 112).Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade de verascoisas na sua perspectiva correcta; aquisição de respeito por sipróprio.Outras medidas de auto-ajuda: pratique a visualização para ofortalecimento da aura (ver Capítulo 7).Entregue-se a actividades que lhe dêem prazer, tal como um banhoaromático contendo 5-8 gotas do seu óleo de essências favorito,seja ele alfazema, bergamota, ylang-ylang, limão ou pau sândalo.(Os óleos de essências podem ser adquiridos em quase todas aslojas de artigos naturais). Adicione, também, 5 gotas de CrabApple à água do banho.Compre uma pequena lembrança para si todos os dias durante umasemana: umas flores, um postal bonito, uma peça de frutaexótica, etc.Para problemas mais profundos que se manifestem por umcompulsivo lavar das mãos, por exemplo, será melhor procurarajuda profissional ou psicoterapia.A criança do Tipo Crab Apple: esta criança é muito sensível;sente nojo de coisas, como insectos ou minhocas, de comer doprato dos outros, e receia sujar-se. (A criança pode estar aimitar o comportamento de um parente Crab Apple). O remédiopoderá ser útil durante a puberdade, para as raparigas que achema menstruação repugnante ou para o jovem que tenha vergonha dasua pele com manchas.EIm Ulmus procera Ulmeiro65
  • 69. Embora a praga do ulmeiro holandês tenha destruido a maioria dasárvores adultas de Inglaterra, muitas árvores “bebés”, começam anascer.Algumas espécies de árvores já adultas ainda podem serencontradas nalgumas áreas mais a Norte e em zonas de paisagemprotegida. As flores do ulmeiro são pequenas e têm uma corvermelho-acastanhada, aparecendo em cachos em Fevereiro e Março,antes de as folhas nascerem.Método de potenciação: fervura.Estado de espírito negativo: sentimentos temporários deimperfeição, mesmo quando se estiver a cumprir qualquer missãona vida.Comparações: compare com o Tipo Hornbeam cujo cansaço tem aver com o facto de não gostar do trabalho que está a fazer,enquanto oOlive está arrasado devido ao longo e contínuo stress em que seencontra. Contrariamente, o cansaço do Elm é apenas temporário.O Tipo de pessoa Beech pode até estar a obter sucesso ou aexercer a sua missão na vida, que ainda assim de vez em quandoentra emdesespero. Ele sente, de repente, que aceitou responsabilidadesa maise teme o facto de poder vir a falhar.Tem normalmente uma posição de relevo e é uma pessoa em quem osoutros se apoiam. Na verdade, todos têm por ele grandeadmiração, pois é trabalhador, capaz e de confiança. No entantoElm é por vezes tão altruísta que se esquece de si próprio e deque também ele tem limites físicos e emocionais. Uma repentinaexaustão e crise psicossomática é o pedido da mente e do corpopor um pouco de descanso e moderação, em tudo. Nessas alturas ecomo prática regular, precisa de encontrar um sítio calmo deonde possa analisar os problemas com frieza, para assimreconquistar a confiança em si próprio, temporariamente perdida.Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade deanalisar os problemas com frieza; uma convicção interior de quea ajuda virá sempre nas alturas certas.Outras medidas de auto-ajuda: passeie, regularmente, pelo campoou pelo parque; quando estiver a trabalhar, permita-se fazermuitos intervalos. Não se esqueça de gozar umas bem merecidasférias, periodicamente.Receba uma massagem aromática.A criança do Tipo Elm: Elm é um estado de espírito que não é
  • 70. 66
  • 71. normalmente associado a crianças pequenas, embora o Remédiopossa ser aplicado em crianças, que sofram de excesso de tensão,antes dos exames. No entanto, precisaríamos de analisar cadasituação em particular, para assim se descobrir a combinaçãocerta dos Remédios Florais para as necessidades individuais decada criança.Gentian Gentiana amarefia (Felwort) GencianaA genciana é uma planta bienal, com cerca de 15 a 20 cm dealtura, geralmente encontrada em solos secos, de terra batida oude pedra calcária, nas montanhas e dunas. As suas flores sãoroxas ou violeta, mas não azuis nem às pintas, como acontecenoutras variedades de genciana. Floresce apenas no Outono, defins de Agosto até princípios de Outubro.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: desencorajamento, cepticismo,dúvida acerca de tudo.Comparações: Gentian é a primeira fase de falta de esperança,antes do desespero se instalar - o sentimento de desânimo dequem vê “a vida a andar para trás”. A segunda fase é o Gorse,quando a pessoa pensa que nada a vai ajudar a ficar boa.Finalmente temos a fase Sweet Chesmut, em que a pessoa acreditaque nada mais do que esquecimento e desespero total a esperam.Tal como a personagem Eeyore, em Winnie the Pooh, o Gentian temuma visão da vida muito negativa. Diz-se desse tipo de pessoasque “se tivesse a Lua, quereria o Sol”. São pessimistas inatasque sentem umcerto prazer em dizer “eu bem te avisei”. Não conseguemaperceber-se de que a sua visão negativa das coisas acaba porlhes traçar os caminhos67
  • 72. da própria vida, atraindo-os para essas mesmas situações quetanto temem.Como estado de espírito temporário, Gentian é para aquelaspessoas que sofrem de uma recaída durante a convalescença, porexemplo, outêm dúvidas em relação à eficácia do tratamento que lhes está aseraplicado. A sua depressão tem uma origem conhecida, fruto deatrasos ou impedimentos: a negatividade que gera um sentimentode fracasso.Potencialidades positivas após o tratamento: adquiriráperserverança e a fé de um céptico positivo - uma pessoa que vêas dificuldades, masque não desespera por causa delas; adquirirá a convicção de quenão há fracasso quando a pessoa está a dar o seu melhor, sejaqual for oresultado aparente.Outras medidas de auto-ajuda: antes de adormecer, todas asnoites, profira as seguintes palavras: “Não há fracasso possívelquando eu estoua dar o meu melhor”.A criança do Tipo Gentian: desencorajada com os seus resultadosna escola, por exemplo, poderá não querer voltar para lá; oupoderá ainda tratar-se de uma criança despedaçada emocionalmenteem virtude de ser “arrastada”, de um lado para o outro, por paisdivorciados.Gorse Ulex europaeus GiestaA giesta é uma moita ou arbusto verde e espinhoso geralmenteencontrado em solos duros e com muita erva, especialmente emmatagais e vales espaçosos. As flores amarelo-claras e comcheiro a amêndoa aparecem de Fevereiro em diante, embora sejammais abundantes em Abril e Maio.Método de potenciação: o Sol.68
  • 73. Estado de espírito negativo: falta de esperança e desespero.Comparações: compare com a Personalidade-Tipo Wild Rose que éainda mais passiva e apática, sendo incapaz de reunir forçaspara tentar de novo. Já a personalidade Gorse poderá serconvencida a fazê-lo.O Gorse sofre da falta de esperança característica de uma pessoaa quem foi dito “nada mais se pode fazer para te ajudar”.Acredita que odestino só lhe guardou sofrimento, logo desenvolve pouco esforçomental para melhorar a sua situação. “De que serve” diz, “játentei tudo o que é humanamente possível”. No entanto, a vozinterior da sabedoria ainda consegue fazer-se ouvir, emboramuito longe, sobreposta ao desespero. Em certos e rarosmomentos, poderá até ver brilhar uma luz através da parede devidro que separa a sua personalidade da própria origem - o eusuperior. É nessas alturas, ao contrário de Wild Rose, que elepoderá ser convencido por aqueles que lhe querem bem a tentar denovo, embora o faça sem muita convicção.A lição da sua vida é a aceitação de que o eu superior é ocondutordo destino de cada um e de que deverá navegar ao sabor dacorrente da vida, em vez de provocar tempestades mentais,bloqueando o caminho entre a personalidade e a sua essência.Gorse é também o Remédio ideal para as pessoas que sofrem, ousofreram, uma doença prolongada. Instiga esperança e a esperançaé oprimeiro passo para a recuperação total.Potencialidades positivas após o tratamento: a noção de que maistarde ou mais cedo todas as dificuldades serão ultrapassadas.Outras medidas de auto-ajuda: leia um romance alegre ou aautobiografia de uma pessoa que tenha conseguido ultrapassarmomentos terríveis, mesmo contra todas as expectativas.Se o seu ambiente em casa é pouco animado, faça todos ospossíveis para que deixe de o ser. Ponha, por exemplo, jarrascom flores frescas em toda a casa. Se possível, mude a decoraçãode pelo menos um quarto e use cores alegres e positivas, como ostons de amarelo ou dourado, salmão, verde-claro e alguns tons decor-de-rosa.Crie um ambiente alegre, perfumando a sua casa com os seus óleosaromáticos favoritos (os óleos e vaporizadores podem seradquiridos emmuitas lojas de produtos naturais ou de artesanato).
  • 74. 69
  • 75. Contacte com a natureza o mais que puder.A criança do Tipo Gorse: este Remédio poderá ajudar a levantar amoral de uma criança que esteja doente há muito tempo.Heather Cafluna vulgaris UrzeA urze é um arbusto de folhagem perene que, no fim do Verão,cobre a vastidão da charneca com um manto púrpura. As floresnascem entreJulho e Setembro e são cor de malva, cor-de-rosa e, por vezes,brancas.Método de potenciação: o Sol.Estados de espírito negativos: egocentrismo, medo da solidão,dificuldade em ouvir os outros. “Oh, não! Vem aí a Heather.Rápido, escondam-se!” mesmo o carinhoso Centaury se sentiria tentado a evitar Heather tal é asua capacidade de esgotar as reservas emocionais de quem querque seja.As pessoas do Tipo Heather adoram estar sempre a falar.Monopolizam qualquer audiência e têm uma misteriosa capacidadepara desviar a conversa para a sua pessoa: a sua vida amorosa,as suas doenças, êxitos e fracassos, a sua psique, todo o seuego até à exaustão. Mais ninguém tem oportunidade de se fazerouvir! E, caso alguém se atreva a afastar-se, irão atrás,puxando o braço ao pobre interlocutor e continuando a sufocá-locom uma avalanche de calamidades.Porque serão as pessoas do Tipo Heather tão egocêntricas? Diz-se70
  • 76. que são crianças carentes e adultos solitários cuja necessidadede afecto e reconhecimento provém de uma infância infeliz. Éesta a razão da sua incapacidade de manterem um verdadeirointeresse pelas necessidades dos outros.O estado de espírito negativo, que apelidamos de Heather, poderáevidentemente ser temporário e resultante de uma doença, ou desituações de grande privação tais como a morte de alguém, umdivórcio ou outro tipo de perdas emocionais.Potencialidades positivas após o tratamento: o dom da empatiacomo resultado do sofrimento vivido, a capacidade de prestaratenção aos outros, maior autoconfiança.Outras medidas de auto-ajuda: envidar todos os esforços paraouvir os outros; fazer perguntas e esperar pelas respostas.Praticar o fortalecimento da aura através da visualização (verCapítulo 7). Fortificando o próprio campo energético, anecessidade de absorver as energias dos outros diminuiráconsideravelmente.A criança do Tipo Heather: terá tendência para falar de si comgrande exuberância e exagero. Na realidade o estado de espíritoHeather é uma fase própria da infância e nunca deverá serconsiderado um problema.Holly flex aquifolium AzevinhoO azevinho é um arbusto pequeno de folhagem perene com folhas deum verde-escuro, brilhantes e cheias de espinhos, em vivocontraste com as bagas vermelhas. Encontram-se espalhados pelosbosques e pelas matas e compõem sebes.Método de potenciação: fervura.71
  • 77. Estados de espírito negativos: inveja, ciúmes, acessos de fúria,desconfiança ou ódio.Comparações: compare com a Personalidade-Tipo Willow que éintrovertida, com tendência para a depressão e autopiedade. Já ocarácter de Holly apresenta uma maior actividade e capacidade deexprimir abertamente o que sente, pelo menos com aqueles queconhece bem.A componente negativa do estado de espírito Holly corresponde àsubpersonalidade jazente na psique de cada um de nós. É umaespécie de reino das trevas, composto de inveja, ciúme edespeito. Ao alimentar as raízes do ódio, este reino é a causade todo o sofrimento humano, já que este sentimento não é maisdo que a antítese da maior de todas as forças, a do amor.De tempos a tempos este estado de espírito pode emergir como umlatente fogo composto de raiva, desprezo e ressentimento. Porém,se as chamas da ira forem abafadas durante muito tempo, e nãohavendo outro escape, estas invadirão o sono, sob a forma desonhos de grande turbulência que levarão a pessoa a reagir,expelindo abertamente todo o seuveneno.Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade de darsem a preocupação de receber e de se regozijar com a felicidadedos outros, mesmo quando tenha as suas próprias preocupações.Outras medidas de auto-ajuda: se o estado de espírito Holly setornou crónico, ou se a negatividade emergir, há formas dedescarregar inofensivamente essa agressividade. Em vez deexpelir a sua ira sobre a família e os amigos, procure um localisolado, como o meio de um campo, o topo de uma colina, ou asmargens de um rio de forte corrente. Então, dê um profundosuspiro e grite com todas as suas forças, libertando o ciúme, araiva ou o ódio, ou seja o que for que esteja reprimido. Se oisolamento estiver fora de questão, o que normalmente acontece,abafe o som dos seus gritos no travesseiro e expulse todo esseinferno batendo mesmo numa almofada com os seus pulsos ou com umbastão de cricket.Infelizmente, as pessoas que mais precisam de se libertar destaforma, são demasiado reservadas para o fazer e racionalizam oseu medo apelidando o exercício de infantil, indignificante ousimplesmente de inútil.72
  • 78. Alguns poderão considerá-lo perigoso, talvez por perderemfacilmente o autocontrolo, ou por questões de insanidade mental.Se este for o caso, então talvez Cherry Plum seja o Remédio maisadequado. Procure umaconsulta especializada ou faça mesmo psicoterapia, se sentir queesta pode ajudar.A criança do Tipo Holly: Holly é um Remédio muito útil durante ainfância, sobretudo nos casos em que a criança mais velha temciúmes do bebé recém-nascido.Honeysuckle Lonicera caprifoflum Beija-FlorTrata-se de uma trepadeira silvestre de grande fragrância, quecrescenos bosques, na orla das florestas ou nos matagais. A variedadede flores usada para a preparação do Remédio apresenta um tomavermelhado no exterior (e não amarelo, como a variedade maiscomum) e a parte interior é branca, ficando amarela durante apolinização. As flores desabrocham entre Junho e Agosto.Método de potenciação: fervura.Estado de espírito negativo: nostalgia e saudosismo.Comparações: comparável com a Personalidade-Tipo Clematis, cujospensamentos se projectam para o tempo futuro, para os temposmelhores que virão. Já Walnut, tal como Honeysuckle, sentenecessidade da ruptura com o passado, mas acha difícil atransição.Honeysuckle senta-se à janela sonhando com os tempos passados,tempos de risos e de alegrias, lágrimas e sofrimento, deoportunidades perdidas e de arrependimento. Enquanto o corpoluta para sobreviver no73
  • 79. presente, o seu espírito vagueia pelas rotas da nostalgia. E, àmedida que se afunda mais no passado, as suas energias vitaiscomeçam a estagnar no lodaçal da reminiscência, e desta formaatinge um estado de grande falta de vitalidade. Há também operigo de vir a perder todo o interesse nos acontecimentos esolicitações do presente. Pela mesma razão, não atribuirá grandeimportância à vida que tem à sua frente.Honeysuckle é um Remédio que pode proporcionar um grandeconforto aos enlutados ou às pessoas mais velhas que vivamsozinhas. Outros há a quem este Remédio pode aliviar: os quetiverem mudado de casa ou de emprego e que agora lamentam tê-lofeito, repisando nas suas mentes as saudades da vida quedeixaram. Curiosamente, o Remédio também pode ajudar os que nãoconseguem suportar a ideia de envelhecerem e de perderem o seuaspecto físico. (Na realidade, este estado negativo de tristezae mágoa é propício ao envelhecimento da pele).Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade deretirar ensinamentos da experiência passada, sem se agarrar aessas memórias e sem comprometer o presente.Outras medidas de auto-ajuda: faça tudo o que puder para seocupar com o presente. Por exemplo, interesse-se pelos temas daactualidade, ouvindo programas de grande informação na rádio ouna televisão. Para além disso dedique-se a actividades que oobriguem a manteros pés bem assentes na terra”, tais como a jardinagem, a dança, acerâmica, a ginástica de manutenção, ou qualquer outra forma deexercício físico.Tente sempre planificar a sua vida, criando assim expectativasem relação a umas férias, um passeio, ou a uma visita ao Museude Ciência.Conviva com crianças. Fale com elas, mas sobretudo presteatenção ao que elas dizem.A criança do Tipo Honeysuckle: pode sentir saudades de casa,enquanto estiver com outras pessoas e poderá também terpesadelos decorrentes de alguma perturbação anterior.74
  • 80. Hornbeam Carpinus betulus Álamo BrancoO álamo branco assemelha-se à faia, embora seja mais pequeno,crescendo até aos 19 metros. É muito comum em bosques ou matas.As flores masculinas, pendentes, e as femininas mais direitas,são verde-acastanhadas e abrem em Abril ou Maio.Método de potenciação: fervura. Estado de espírito negativo: fadiga, tédio, “síndroma da 2.feira”.Comparações: compare com o Tipo Olive, cujo cansaço é maisintenso e tem origem em tensões emocionais e físicas,resultantes de uma longa doença, ou convalescença prolongada. Nocaso presente, Hornbeam, é sempre a perspectiva do que virá aseguir que causa o cansaço. “Oh, não, já é 2.a feira!”, lamenta-se Hombeam. “Não sei se consigo aguentar mais uma semana naloja. Ainda me sinto mais em baixo do que ontem à noite quandome fui deitar”. Porém, assim que começa a trabalhar e aenvolver-se na rotina habitual, a fadiga desaparece, para sóvoltar na semana seguinte!Durante uma eventual convalescença, o seu comportamento ésemelhante, duvidando que tenha suficiente energia mental paravoltar aotrabalho, ou mesmo para enfrentar a rotina de sempre.Potencialidades positivas após o tratamento: aquisição dacapacidade e energia necessárias para enfrentar sem pânico aperspectiva de dificuldades; o renascer de um interesse renovadopela vida.Outras medidas de auto-ajuda: esforce-se o mais possível porquebrar a sua rotina diária; faça um percurso diferente para otrabalho; visite um lugar que não conheça, pelo menos uma vezpor semana; leia75
  • 81. um livro, revista ou jornal diferentes dos habituais; procureuma novaactividade desportiva ou um hobby diferente e por aí adiante.A criança do Tipo Hornbeam: este Remédio será de grandeutilidade para as crianças mentalmente esgotadas depois daexcitação (ou tensão) que se segue ao regresso às aulas, após asférias, por exemplo,ou na sequência de uma doença prolongada.Impatiens Impatiens glandulifera (I. roflei) ImpacienteTrata-se de uma planta alta e imponente que chega a atingir os180 cm de altura. Encontra-se junto aos rios e correntes. Asflores variam entre o rosa-malva mais claro e o mais escuro,embora apenas asprimeiras sejam utilizadas para a obtenção do Remédio. Florescemde Julho a Setembro.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: impaciência e irritabilidade.“Por amor de Deus, deixa lá que eu faço isso!”, resmungaImpatiens. “Assim, vais levar o dia todo!” É uma pessoa rápidano pensar e no agir, podendo irritar-se num ápice se as coisasnão correm tão depressa comogostaria. Explode com facilidade, pressionando os outros aoponto destes se sentirem autênticos escravos das galeras. Porém,tal como as pessoas do Tipo Vine ou Vervain, estas do TipoImpatiens são líderes autocratas, preferindo trabalhar sozinhase à sua vontade.Nos momentos de menor tensão poderão mesmo prestar-se a ouvirconselhos dos outros, já que são essencialmente sensatos eabertos a novas ideias. No entanto, e regra geral, seguem sempreo impulso ditado76
  • 82. pela sua grande impaciência. Apreendem as situações numinstante, tomando decisões da maior importância antes de osoutros poderem sequer abrir a boca para falar. Ocasiões há,porém, em que se superam a si próprios, gastando assim as suasenergias e tornando-se irritáveis e mal-humorados. A lição que avida tem para lhes ensinar é, obviamente, a virtude da paciência.Impatiens é um dos componentes do Rescue Remedy pelo seu efeitocalmante em casos de grande agitação, decorrente de um dadotrauma.Potencialidades positivas após o tratamento: uma maiorcapacidade de empatia, mais paciência e tolerância,especialmente com as limitações dos outros.Outras medidas de auto-ajuda: pratique exercícios de relaxamentoe de respiração (ver o Capítulo 7) e comunique com a natureza omais possível (um tranquilizante excepcional). De vez em quando,aplique asi mesmo uma massagem de aromaterapia.Para resultados mais duradouros, dedique-se ao Yoga, ao Tai Chi,ou tente a terapia de Alexander: a reeducação da postura e dosmovimentos, de forma a que todo o potencial do corpo e da mentepossa ser utilizado da melhor maneira.A criança do Tipo Impatiens: é normalmente irritável econflituosa com as outras crianças ou propensa a birras. Noentanto, se a criança se molestar a si própria, deverá utilizar-se Cherry Plum.Larch Larix decidua Larício77
  • 83. O larício é uma árvore alta e graciosa, cujo comprimento podeatingir os 42 metros. É frequente encontrar-se na orla dasflorestas montanhosas. As flores masculinas e as femininascrescem no mesmo ramo, as primeiras num tom de amarelo-dourado eas segundas de vermelho-vivo. Os botões abrem em meados de Marçoa Maio.Método de potenciação: fervura.Estado de espírito negativo: falta de confiança. As pessoas daPersonalidade-Tipo Larch acreditam convictamente que sãoinferiores a toda a gente. Repetem a si mesmas, como se de umdisco riscado se tratasse, as palavras: “Não sou capaz, não soucapaz”. A certeza de que possuem algumas limitações foi-seenraizando no seu espírito, reforçada talvez por fracassos dopassado. E assim, sempre foram permanecendo na sombra,permitindo que outros, provavelmente menos talentosos, tomem oseu lugar nas luzes da ribalta.O Dr. Bach descrevia o Remédio Larch como a Flor que nos ajuda aganhar confiança e coragem para retirar da vida o que esta temde melhor e, assim fazendo, cumprirmos a nossa função na Terra,a saber, adquirir experiência e conhecimento.Potencialidades positivas após o tratamento: superação dosbloqueamentos relacionados com incapacidades próprias; aquisiçãode eficácia, determinação e perseverança, mesmo quando ascontrariedades persistem.Outras medidas de auto-ajuda: se necessário, procure ajudaespecializada e siga as instruções do Capítulo 3, respeitantes àanálise dos sonhos.Desenvolva novas competências, inscrevendo-se num curso paraadultos. Se puder dar-se ao luxo de trabalhar sem remuneração,dedique-se a qualquer espécie de trabalho voluntário. Aexperiência será enriquecedora, nem só pela sua projecção emeventuais futuros empregos, mas sobretudo por reforçar a suaauto-estima.A criança do Tipo Larch: tal como o adulto, esta criança sente-se incapaz de vencer por si só, tem pouca auto-estima e precisade muito encorajamento por parte dos pais e professores.78
  • 84. Mimulus Mimulus guttatus MímuloTrata-se de uma atraente trepadeira com cerca de 30 cm dealtura, que cresce em solos húmidos, especialmente junto acorrentes de água de pouca profundidade. As flores, de umamarelo-vivo, abrem de Junho a Setembro.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: medo de situações como andar deavião, falar em público, ir ao dentista, por exemplo, e aindamedo de animais.Comparações: este estado de espírito é comparável ao de RockRose, cujo medo está profundamente enraizado, e pode resultar deum acidente grave, por exemplo. Já o medo de Mimulus é menosgrave e maiscomum. No entanto, se realmente passa por situações de pânico aoconfrontar o objecto que está na base do seu medo, seja ele umaaranha, um gato, ou qualquer outra coisa, nesse caso, tome RockRose ou Rescue Remedy. Doses regulares de Mimulus tambémajudarão a atenuar eeventualmente a transmutar o medo.O recatado e sensível Mimulus senta-se a um canto, com um copode “Sheri-y” entre as mãos premido de encontro ao peito.Preferia não ter de estar ali, mas o persuasivo Vervainconvenceu-o ajuntar-se àquela animada festa do escritório. Achaa exuberância ridente e gritante dos outros colegas de trabalhoperfeitamente assustadora. Olha insistentemente para as escadasde emergência, planeando a sua saída pelas escadas de ferroabaixo, passando por aquele intimidante gato da entrada,79
  • 85. até à segurança do seu acolhedor quartinho, na sossegada zonalimítrofe da cidade.Potencialidades positivas após o tratamento: a obtenção dacoragem e calma necessárias para enfrentar os desafios e asdificuldades; a capacidade de se tornar compreensivo ao ponto deapoiar os outros em situações semelhantes.Outras medidas de auto-ajuda: siga as instruções relacionadas coma Análise dos Sonhos no Capítulo 3 e pratique a técnica dofortalecimento da aura, presente no Capítulo 7.Se sofre de uma fobia específica, tal como o medo de gatos, deacidentes, de problemas de saúde, de espaços abertos, e coisasdo género, deverá também procurar a ajuda de um profissional.Paralelamente, aceite o facto de que a sensibilidade é um domprecioso, e que pode serusada de modo muito positivo aconselhando os outros oupraticando umtrabalho de cura de qualquer natureza.Repita a afirmação seguinte, todas as noites antes de adormecer:“Eu relaciono-me com o meu eu superior, que é feito de amor,Onde há amor, não há lugar para o medo.”A criança do Tipo Mimulus: pode recear o escuro, outras crianças,animais ou mesmo as águas de uma piscina.Mustard Sinapis arvensis MostardaA mostarda é uma planta anual, com 30 a 60 cm de altura, quecresce nos campos e à beira das estradas. As flores, de umamarelo-vivo, aparecem entre Maio e Julho.80
  • 86. Método de potenciação: fervura.Estado de espírito negativo: ciclos reincidentes de profundadepressão.Mustard tem tudo o que qualquer pessoa gostaria de ter na vida:uma mulher maravilhosa, duas lindas crianças, a ausência depreocupações económicas e uma casa magnífica com vista para omar. Mas já há muito tempo que é vítima de ciclos regulares demelancolia. Sem qualquer aviso ou razão aparente, cai sobre oseu espírito uma pesada nuvem negra que lhe retira toda aalegria de viver. Este estado pode prevalecer durante dias esemanas, até se evaporar tão rapidamente como surgiu, paravoltar apenas mais tarde, em toda a sua escuridão destruidora.Potencialidades positivas após o tratamento: serenidadeinterior; a capacidade para transformar a melancolia emsentimentos de paz e de alegria.Outras medidas de auto-ajuda: a princípio, este estado queapelidamos de Mustard pode assemelhar-se a masoquismo, mas se oaceitarmos tal como é, ou seja, uma oportunidade de aprendizageme de crescimento para o espírito, poderemos passar das trevaspara a luz do nosso eu superior. Ao combatermos a negatividade,que é exactamente como quando contraímos os músculos perante ador física, apenas conseguimos conferir-lhe mais energia. Então,em vez de combatê-la, seja permeável a ela, lendo um romancetriste, ouvindo música melancólica, mergulhando num estado denostalgia e os Remédios Florais farão o resto.Dedique-se ao Tai Chi, que também ensina a arte da submissão àforça, com o objectivo de a enfraquecer.Acompanhamento especializado ou a psicoterapia também poderãoajudá-lo, caso não consiga superar sozinho a depressão.A criança do Tipo Mustard: se uma criança revelar os sintomasanteriormente descritos, procure ajuda especializada,paralelamente aotratamento com o Remédio. Se o seu médico apenas lhe prescreverantidepressivos, considere a possibilidade de consultar umterapeuta holístico ou reputado curador espiritual.81
  • 87. Oak Quercus robur CarvalhoO majestoso carvalho pode atingir a altura de 30 metros e temuma vida bastante prolongada, provavelmente mais de 800 anos. Nopassado, grande parte da Grã-Bretanha estava coberta deflorestas de carvalhos. As flores masculina e femininadesenvolvem-se no mesmo ramo, abrindo em meados de Abril ou Maio.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: desânimo resultante de uma lutaobstinada e implacável contra todas as contrariedades.O trabalhador esforçado que é Oak tem reservas de energia e deforça de vontade realmente espantosas. Deixa na sombra outraspessoas igualmente cheias de recursos como são os Vervain ouVine. Quando o desânimo se instala, em resultado de um esforçoperseverante, recusa submeter-se à doença ou à adversidade.Raramente procura conselhos ou ajuda, escondendo dos outros oseu cansaço, antes que se descubra a sua “fraqueza”.Consequentemente, a sua vida é, como é óbvio, uma luta crescente.Infelizmente, uma tal atitude pode levar a um esgotamentonervoso. A lição que Oak tem a retirar da vida é a noção de queo trabalho e a realização pessoal têm o seu lugar, mas nãoconstituem o objectivo mais importante da existência. Tambémprecisamos de alguma frivolidade edesses preciosos momentos de sublime choro, como suave chuva deVerão refrescando e revitalizando os ressequidos prados.Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade deultrapassar todas as vicissitudes da vida com coragem e de setornar forte, paciente, e cheio de senso comum.82
  • 88. Outras medidas de auto-ajuda: procure alguma frivolidade!Paralelamente, pratique Yoga para estimular a flexibilidademental e física.A criança do Tipo Oak: tal como o adulto, trabalha muito,encarando os trabalhos de casa como um dever de importânciavital que deve fazer bem, a todo o custo. Ao contrário dacriança Elm, que pode momentaneamente perder a confiança em siprópria, a criança Oak não desiste, esforçando-se até aoslimites do suportável, mesmo quando isso não sirva para nada.Deverá averiguar-se se a criança não estará a ser pressionadapor pais demasiado ambiciosos.Olive Olea europoea OliveiraA oliveira é uma árvore perene, própria dos paísesmediterrânicos. Apenas as árvores silvestres poderão servir parao Remédio. Os esbranquiçados raminhos de flores aparecem emgrande número na Primavera, normalmente em Abril ou Maio, ouconforme o clima local.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: total exaustão física e mental.Comparações: comparável com o estado Hombeam, cujo cansaçotem uma origem mental e se prende com a tal síndrome da 2.feira. A exaustão de Olive é completa, tanto física como mental,e resulta por exemplo do excesso de trabalho após o nascimentode uma criança oude uma doença prolongada. “Fico cansada só de pensar em tudo oque tenho de fazer”, diz Olive. “Mesmo o simples passeio aoparque me parece uma autêntica maratona.83
  • 89. Às vezes sinto-me tão cansada que até parece que vou desmaiar”.E, naverdade, a sua lassidão é de tal ordem que, mesmo as coisas queem tempos lhe traziam alegria, já não lhe dizem agora nada.Potencialidades positivas após o tratamento: paz de espírito;vitalidade; um renovado interesse pela vida.Outras medidas de auto-ajuda: naturalmente que, se a exaustão setornou um modo de vida, e não é apenas o resultado de um períodode bastante trabalho, faça um check-up médico e/ou consulte umterapeuta holístico, quer um homeopata, quer um médiconaturista. Cuide de si: durma bastante, apanhe ar puro, sol, epratique exercícios físicos adequados - uma combinaçãorevitalizante. (veja Capítulo 7)A criança do Tipo Olive: este Remédio tem um valor inestimávelpara as crianças, actuando como fortalizante, quando doentes ouconvalescentes.Pine Pinus sylvestris Pinheiro-BravoTrata-se do único pinheiro originário da Grã-Bretanha que seencontra em estado selvagem na Escócia, (pinheiro-bravo) mas queé plantado um pouco por toda a parte. Cresce até uma altura de36 metros, e a sua casca tem um tom castanho-avernelhado na basee é escamosa, em castanho-alaranjado, na parte posterior. Asflores masculina e feminina crescem no mesmo ramo e são amarelase vermelhas, respectivamente. Estas surgem entre Maio e Junho.Método de potenciação: fervura.Estado de espírito negativo: autocensura; sentimento de culpa.Pine carrega em si o peso do pecado original, não se culpandoapenas84
  • 90. pelos erros dos outros, mas pedindo mesmo desculpa por existir,acreditando que a autopunição é a sua única possibilidade deredenção. “Ai! Peço desculpa”, diz quando alguém a pisa. “Aculpa é minha por ter posto o pé no seu caminho.” Ou: “Desculpe-me, mas o senhor enganou-se no troco. A culpa foi minha que odistraí!”Ao contrário de Larch, que não fará qualquer tentativa, com medode falhar, Pine lançar-se-á para a frente, apenas para ficardeprimido quando falha os seus elevados ideais que, por sinal,jamais imporia aosoutros. A lição que deve retirar da vida é a capacidade deassumir que o arrependimento é um sentimento muito bonito, masque também devemos aprender a perdoar a nós próprios e a retirarilações dos nossos próprios erros. Como o Dr. Bach escreveu: “Ospensamentos relativos aos erros passados não deverão deprimir-nos nunca; estão mortos eenterrados e a experiência que deles retirámos deverá apenasajudar-nos a não os repetirmos.”Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade desentir mais pena do que culpa e de saber autoperdoar-seassumindo responsabilidades com uma atitude justa e equilibrada.Outras medidas de auto-ajuda: num estado de meditação, ouenquanto estiver profundamente relaxado, (ver o Capítulo 7),procure pensar num animal para criar e acarinhar. Tanto pode serum coelho, um gatinho, um cão, uma águia, ou mesmo um golfinho.Seja qual for o animalque lhe venha à ideia, aceite-o corno representando o seu eusuperior. Alimente o animal, acaricie o seu pêlo macio, ousuaves penas, sinta o seu corpinho quente e irradie para oanimal todo o seu calor humano ea sua capacidade de amar. Veja como o bichinho respondealegremente ao seu contacto. Como poderá fazer mal a um ser tãobonito? Assuma então que não serve de nada continuar a castigar-se, pois os seus errospassados já estão perdoados.Pratique este tipo de visualização pelo menos duas vezes porsemana, durante o tempo que considerar necessário.Ocasionalmente, e seja onde for que os pensamentos de culpa lheocorram, pense no seu bichinho.A criança do Tipo Pine: tende a ser o “bode expiatório” daturma, ficando com as culpas dos outros e aceitando os castigossem se queixar.85
  • 91. Red Chestnut Aesculus carnea Castanheiro VermelhoMenos robusta que o castanheiro vulgar, esta espécie atingeentre 18 a 25 metros. As flores cor-de-rosa são de forte texturae crescem aglomeradas em forma de pirâmide, nos fins de Maio ouno início de Junho.Método de potenciação: fervura.Estados de espírito negativos: receios e excessiva preocupaçãorelativamente à saúde e bem-estar dos outros.É perfeitamente natural que fiquemos apreensivos pelos nossosentesqueridos, quando estes se metem em alguma aventura nova earriscada, ou quando estão doentes, mas o tipo de receios de RedChestnut ultrapassa todas as medidas: “Oh, meu Deus, ela aindanão voltou! Já devia ter chegado há 15 minutos! O comboio deveter tido algum problema!”E, na verdade, habitualmente, Red Chestnut preocupa-se com osseusfamiliares, atormentando-os a ponto de os exasperar e abafar comosseus receios, Se o Joãozinho apanhar uma constipação, há logo omedo de esta se transformar em pneumonia. Se a Susana nãotelefona após a última badalada das 6, começa a andar para cá epara lá como um animal encurralado.Red Chestnut é também o Remédio ideal para aqueles quehabitualmente se sentem angustiados ao lerem ou ouvirem notíciasrelativas a catástrofes que tenham ocorrido no outro lado domundo. Este tipo de pessoas identifica-se fortemente com osofrimento alheio (de animais como de pessoas), confrontando-se,assim, com uma impotência perfei86
  • 92. tamente destruidora. Como Bach disse, os nossos pensamentosnegativos tanto nos prejudicam a nós, como àqueles sobre osquais se projectam.Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade deemitir pensamentos positivos de segurança, saúde e encorajamentopara quem deles precisa; de manter a cabeça fria em situações deemergência; de permanecer física e mentalmente calmo.Outras medidas de auto-ajuda: pratique a visualização parafortalecimento da aura (ver Capítulo 7). Treine para conseguirimaginar apessoa por quem se sente preocupado, em segurança, fechada na suaprópria esfera de luz. Evite imaginar logo o pior, a queda doavião, um acidente de carro, seja o que for. Em vez disso,visualize a pessoa que está no centro das suas preocupações achegar a casa segura e sorridente.A criança do Tipo Red Chestnut: poderá ter assumido precocementeresponsabilidades em excesso, talvez cuidando de um irmão maisnovo; o seu comportamento, similar ao do adulto Red Chesmut,poderá reflectir a atitude de um familiar ou educador.Rock Rose Helianthemum nummularium Variedade de EstevaTrata-se de um arbusto baixo, bastante frondoso que cresce emsoloscalcários e musgosos. As flores, de um amarelo-vivo, abremnormalmente em pares, entre Junho e Setembro.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: medo, terror e pânico, que tenhamatingido proporções de grande gravidade.Comparações: compare com Aspen, cujo medo é do foro mental, omedo de algo de terrível que está prestes a acontecer, mas cujanatureza87
  • 93. se desconhece. O medo de Mimulus reporta-se a causas específicasebem identificadas: o medo da solidão ou de determinados animais,por exemplo. No caso de Rock Rose, porém, o medo é o terrorpuro, tão profundamente sentido que causa uma intensa sensaçãode medo emtodos os que estão à sua volta.O estado negativo que apelidamos de Rock Rose, apenas ocorretemporariamente durante uma dada crise: por exemplo, o terrorque se sente no local de um acidente de terríveis consequências.É esta a razão pela qual Rock Rose faz parte da composição doRescue Remedy. Na verdade, este último é mais utilizado nassituações de emergência, havendo mesmo quem costume andar sempremunido de um frasco deste Remédio.Rock Rose é ainda muito útil para a cura de crises de pânicogeradas pelo stress.Potencialidades positivas após o tratamento: a aquisição de umagrande coragem, e de predisposição para arriscar a sua própriavida pelos outros.Outras medidas de auto-ajuda: qualquer das prescrições queseguem não são obviamente praticáveis em situações deemergência. Assim, se tem acessos de pânico, faça exercícios derespiração, relaxamento, meditação e harmonização (veja oCapítulo 7) e pratique a análise de sonhos (Capítulo 3). Umaconselhamento especializado ou mesmo psicoterapia tambémpoderão ajudar.A criança do Tipo Rock Rose: este Remédio ajudará eficazmente acriança que acorde a gritar, com pesadelos.Rock Water Água de uma Nascente em Sotweli88
  • 94. Esta não é uma planta, mas sim água da nascente em SotwelI,perto de Motint Vemon. O Dr. Bach descobriu que a água continhapropriedades benéficas para os olhos, embora tenha outrasvirtudes, quando preparada para o Remédio. A água da nascente épotenciada em Junho e Julho, época em que o Sol está mais forte.Mesmo assim, qualquer nascente que não for potenciada econtinuar no seu estado normal (não os poços nem as nascentessobre os quais as capelas e os santuários são construídos)poderá ser utilizada para o Remédio.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: uma autodisciplina demasiadorígida; repressão e auto-renúncia.É hora de jantar no retiro de meditação, a única refeiçãodecente do dia. O Rock Water está sentado, muito direito, àmesa, com o seu cabelo curto e escuro esculpido na perfeição.Enquanto os outros “atacam” a refeição vegetariana com prazer,ele olha à sua volta em silenciosa desaprovação. Num perfeitocontraste, o fastidioso Rock Water come frugalmente, evitando oiogurte e o requeijão com medo que as proteínas animais “façammal” às suas vibrações. Embora Rock Water nunca critique osoutros abertamente, tenta sempre dar o exemplo e tem muitoorgulho no seu rígido modo de vida. Mas, verdade seja dita,anseia pela liberdade de ser espontâneo, de rir e de chorar,pelo simples prazer de viver a vida o melhor possível.É claro que o tipo de personalidade Rock Water é tambémreconhecido pelo fanatismo relativo à manutenção da linha ou,então, pela mania de andar sempre em dietas muito rigorosas. Noentanto, muitos de nós precisamos do Remédio, de tempos atempos, quando as nossas próprias necessidades começam a ser,consciente ou inconscientemente, descuradas.Potencialidades positivas após o tratamento: um idealismo maispermissivo; convicção suficiente para não ser influenciada poroutros; a capacidade de irradiar alegria e paz, constituindo,assim, um exemplo para os outros.Outras medidas de auto-ajuda: procure alguma frivolidade na suavida! Permita, a si mesmo, algumas extravagâncias: um bolo dechoco~ late, dormir até mais tarde num Domingo de manhã, umasférias de preguiça, uma peça de roupa colorida e por aí adiante.Se por acaso for89
  • 95. muito rígido nos seus hábitos alimentares, verá que até ébenéfico “descuidar-se” ocasionalmente! De acordo com anutricionista inglesa Celia Wright, uma vez por semana você podee deve quebrar um pouco a sua dieta. Coma e beba tudo o que lheapetecer - sim, tudo, seja chocolate, fritos, bebidas com gás oucafés com natas. Isto activará o fígado, pois este terá muitopouco que fazer, quando você estiver a fazer uma dietamuito rigorosa.A criança do Tipo Rock Water: este não é um estado normalmenteassociado às crianças, embora o Remédio possa ajudar a criançaque tenha falta de apetite.Scleranthus Scleranthus annuus EsclerântioTrata-se de uma planta anual, pequena, que passa facilmentedespercebida, embora seja vigorosa e bastante farfalhuda. Poderácrescer até uma altura de 50 a 70 cm. Cresce em searas e emterrenos arenosos e com gravilha.As flores pálidas ou verde-escuras e sem pétalas aparecem entreJulho e Setembro.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: indecisão, incerteza; mudançasrepentinas de disposição.O errático Scleranthus tem uma mentalidade inconstante, nuncasabendo às quantas anda e estando sempre dividido entre duaspossibilidades: “Visto a camisa azul ou a verde?” pergunta a sipróprio (pois ao contrário de Cerato, raramente pede conselhos).Ou “O que é que eu lhe vou responder? Sim ou não?”90
  • 96. Mesmo quando se resolve, não é certo que não mude de opinião.Não é, então, de espantar que as outras pessoas o achem poucofiável e umaperda de tempo.Quando doente e, de acordo com o que seria de esperar,Scleranthus não consegue determinar em que parte do corpo sentea dor, sendo normal que os sintomas se desloquem de um lado parao outro, primeiro aqui depois ali, irritando assim o seu médico.Será também interessante notar que o Remédio poderá constituirumaboa ajuda quando em movimento e em viagem.Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade detomar uma decisão rápida e de actuar de acordo com ela, comeficácia; manter uma posição tomada e o equilíbrio, sejam quaisforem as circunstâncias.Outras medidas de auto-ajuda: as mesmas de Cerato.A criança do Tipo Scleranthus: tal como o adulto, será dada amudanças extremas de disposição, chorando agora e rindo daqui aumbocado. Quando doente, os sintomas são também contraditórios:prisão de ventre, diarreia, calor e frio, uma fome imensa edepois falta de apetite e assim por diante.Star of Bethlehem Ornithogalum umbellatum Leite-de-GalinhaÉ uma planta com folhas delicadas, da família da cebola e doalho. Poderá crescer até uma altura de 15 a 30 cm e poderá serencontrada nos bosques e nas florestas. As flores são às riscasverdes, na parte de fora e de um branco-brilhante, por dentro,abrindo apenas à luz do Sol.Método de potenciação: fervura.91
  • 97. Estado de espírito negativo: choque físico e mental. Star ofBethlehem, o remédio para os estados de choque, é visto pormuitos praticantes da terapia com flores, como o componente maisimportante do Rescue Remedy, estando em perfeita harmonia com asoutras quatro plantas, não deixando, no entanto, de accionar aacção do próprio Remédio.Embora não seja um Remédio-Tipo, o Star of Bethlehem poderáservir de ajuda para aquelas pessoas que sofram de desgastefísico eemocional, devido a um trauma do passado. Poderá tratar-se de umaprivação, um divórcio, notícias desagradáveis ou o presenciar deumacontecimento chocante. E um facto que a maioria das pessoas jápassou, algures durante a sua vida, por um episódiotraumatizante.Phillip Chancellor cita alguns exemplos dramáticos do efeito dochoque psicológico no corpo. Uma mulher anteriormente saudável,por exemplo, estava sentada nos degraus da cave durante umbombardeamento em Londres. Depois do ataque, quando se tentoulevantar, descobriu que mal o conseguia fazer. As suas ancasestavam paralisadas, literalmente congeladas devido ao medo. Oseu médico descobriu então que ela sofria de artrite. Uma outramulher criou nevralgias tremendas quando lhe foi dada a notíciade que a sua filha fora morta num ataque aéreo. Sofreu de doresde cabeça durante muitos anos até que foi finalmente curadapelos Remédios Florais de Bach (’). O efeito do choque pode porvezes ser tão retardado que só depois de muitos anos passados éque o verdadeiro impacto se faz sentir sob a forma desentimentos de culpa, depressão, ansiedade, fúria, ou até talvezsob a forma de algum sintoma físico.Embora seja preferível tratar o choque o mais depressa possível,Star of Bethlehem poderá muitas vezes funcionar comocatalisador, no caso do choque ter sido reprimido e poder seridentificado como a causa daquele problema.Potencialidades positivas após o tratamento: uma neutralizaçãodos efeitos do choque, quer estes sejam imediatos ou retardados.Outras medidas de auto-ajuda: embora não sejam muito viáveis emcasos de emergência, as seguintes medidas poderão ser úteis emcasos de efeitos retardados: massagem aromaterapêutica (essênciade92
  • 98. óleo de flor de laranjeira é frequentemente recomendada), ecuras espirituais.A criança do Tipo Star of Bethlehem: este medicamento pode serdado a bebés recém-nascidos (talvez na água do banho) paraajudar a dissipar o choque do primeiro contacto com o mundo.Sweet Chestnut Castanea sativa Castanheiro MansoEsta árvore poderá atingir os 30 metros de altura em florestas eparques. À medida que vai envelhecendo, a casca grossa,castanho-acinzentada e muito enrugada, começa a moldar-se, emforma de espiral, à volta do tronco. As flores pouco aromáticas,de um amarelo pálido, aparecem depois das folhas, de Junho aAgosto.Método de potenciação: fervura.Estado de espírito negativo: extrema angústia mental;proximidade dos limites máximos de resistência; incapacidade atéde rezar.Comparação: compare com a Personalidade-Tipo Mustard cujadepressão vai e vem como uma nuvem negra, sendo a sua causadesconhecida. A depressão da Personalidade Sweet Chesmut éaccionada por um episódio bastante trágico da vida da pessoa emquestão mas, ao contrário do Tipo Cheri-y Plum, não leva apensamentos suicidas. Tal como o Agrimony, Sweet Chesmut tentaesconder dos outros o seu desespero.A Sweet Chesmut está agachada contra a parede, desesperada ecompletamente sozinha, com a vida desfeita em mil pedaços. Paraela93
  • 99. não há o ontem nem o amanhã, existe apenas um negro e poucopromissor presente. Nem a própria morte lhe oferece umaverdadeira libertação, pois a dor que sente, atinge-lhe a alma...É esta a dimensão do estado de espírito da Personalidade-TipoSweet Chesmut. O Remédio ajuda a descongelar o tempo permitindoque o Sol volte a brilhar e, aos poucos, uma nova imagem deesperança e de umavida melhor comece a delinear-se no horizonte: a Fénix emergedas cinzas.Potencialidades positivas após o tratamento: a esperança volta aaparecer; o final do tormento começa a tornar-se cada vez maisvisível. Começa a ter experiências que lhe demonstram overdadeiro sentido da vida e/ou de Deus.Outras medidas de auto-ajuda: não são normalmente possíveis numestado já avançado, especialmente se a pessoa em questão estiverpresa num campo de guerra, por exemplo, ou a viver umacatástrofe qualquer. No entanto, e durante o período deconvalescença, esta deverá relacionar-se o mais possível com anatureza e considerar a hipótese de uma cura espiritual.A criança do Tipo Sweet Chestnut: o Remédio poderá ser receitadopara crianças que sofram de angústia mental, resultante dodivórcio dos pais ou qualquer outro tipo de privação.Vervain Verbena offcinalis VerbenaA verbena é uma planta rija e perpétua com 30 a 60 cm de altura.É facilmente encontrada em solo seco e com muita erva,especialmente94
  • 100. em terra batida e solos rochosos. Os rebentos das florespequenas elilazes abrem de Junho a Setembro.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: cansaço e tensão, como resultado deentusiasmo excessivo; demasiada ansiedade.Comparação: comparável com o Tipo Vine que é teimoso edominador para assim atingir os seus objectivos egoístas. OVervain, noentanto, é movido pela sua preocupação pelos outros e por umdesejo de animar e converter.O Tipo de Personalidade correspondente a Vervain é dado aexcessos de entusiasmo. Vive num nervosismo constante e éincapaz de relaxar. Como consequência, sofre de rigidez e dedores musculares, tendo também dores de cabeça, em redor dosolhos. O seu impulso direccionador é a vontade tenaz deconverter os outros à sua maneira de pensar, com um zelo demissionário. Embora se possa dizer que o faz com boas intenções,na ideia de que está a fazer bem, bombardeia os outros com osseus argumentos, acabando assim por os afastar. É raro queconsiga ouvir outros pontos de vista. Revoltado pela injustiça,fica sempre do lado do mais fraco, formando grupos de pressão,participando em reuniões e, como não podia deixar de ser,escrevendo diariamente para o Primeiro-Ministro!A lição que terá de aprender é que demasiada pressão irá geraruma situação de contra-pressão e eventualmente esgotar asenergias de cada um. Tal como Bach disse, muitas vezes é maispelo que se é, do que pelo que se faz, que grandes objectivossão alcançados.Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade de seafastar dos problemas e de relaxar, quando necessário. Acapacidade de aceitar que as outras pessoas têm o direito de teras suas próprias opiniões.O adquirir da sabedoria suficiente para levar os outros amudarem de opinião mediante a apresentação de bons argumentos,durante uma discussão.Outras medidas de auto-ajuda: embora o respirar fundo e osexercícios de relaxamento sejam úteis, poderá ser mais fácilcomeçar por uma actividade física que combata a rigidez do corpoe da mente, tal 95
  • 101. como o Tai Chi, Yoga ou uma qualquer arte marcial. Tente aindarelacionar-se o mais possível com a natureza.Receba uma massagem terapêutica, pratique a aromaterapia ouaprenda a técnica de Alexander.A criança do Tipo Vervain: esta criança é tensa e frustrada,também talvez hiperactiva; tem dificuldade em dormir ounecessita de menoshoras de sono do que o normal.vine videira bravaA videira é uma trepadeira de vida bastante prolongada, podendoatingir 15 metros de comprimento. É natural de países maisquentes tal como Portugal, a Grécia e o Sul de França. As floressão pequenas, verdes e cheirosas, aparecendo na Primavera(dependendo do clima local, mas normalmente em Maio). Apenas avideira brava é utilizada para o Remédio.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: uma personalidade dominadora einflexível, sempre sedenta de poder e implacavelmente ambiciosa.Comparação: compare com o Tipo Vervain que tenta convencer osoutros através de explicações e do debate. Vine não debaterá oassunto. Expõe o seu ponto de vista e fica à espera que osoutros lhe obedeçam.A pessoa cuja Personalidade-Tipo é o Vine governa a sua família96
  • 102. como uma rainha guerreira; as crianças, e até o cão, põem-seliteralmente em sentido sempre que ela lhes grita as suas ordens.“Arruma o quarto já, ou ficarás quinze dias de castigo!” Edepois para o marido “E tu (Pine) devias ter vergonha! Que raiode homem és tu aodeixares o idiota fugir depois de te ter batido no carro? Vai jáfalar comele, seu banana! “No emprego não é diferente, aterrorizando todos aqueles que seatreverem a atravessar-se no seu caminho. “Exactamente, aquiestá o bilhete do parque de estacionamento. Você deveria cá terchegado há exactamente um minuto e trinta segundos atrás. Nãosei se poderei deixar passar isto!”Curiosamente, e tal como Mechthild Scheffer, praticante daterapia de Bach menciona, por vezes o estado de espíritonegativo do Vine aparece ligado a características mais fracastais como as do Mimulus, Pine ou Larch, sendo as fraquezas dapersonalidade compensadas pelo excesso de força de vontade edureza.Potencialidades positivas após o tratamento: a capacidade de setornar um chefe sábio e compreensivo, líder ou professor capazde servir de inspiração para os outros; a possibilidade deutilizar as suas extraordinárias capacidades de líder para guiare não para dominar.Outras medidas de auto-ajuda: o facto de uma pessoa do Tipo Vinese aperceber de que precisa de ajuda já é um grande passo emfrente.Poderá só se aperceber desse facto quando o Remédio já lheestiver aser administrado sub-repticiamente (no chá, por exemplo), peloseu desesperado marido.Dedique-se ao Yoga ou ao Tai Chi; siga as sugestões do Capítulo3, no que diz respeito aos sonhos e, se necessário, considere ahipótese de consultas ou psicoterapia, principalmente se forinserida num grupo, oque lhe instigará um sentimento de união.A criança do Tipo Vine: esta criança será sempre o líder do grupoou o capitão da equipa; terá tendência para ser agressiva e, numcasoextremo, poderá tornar-se o “terror” da escola.97
  • 103. Walnut Juglans regia NogueiraA nogueira é uma árvore que poderá crescer até 30 metros dealtura. Dá-se bem em jardins e outros locais protegidos. Asflores masculinase as femininas, pequenas e verdes, aparecem na mesma árvore.Floresce em Abril e Maio, antes ou imediatamente a seguir aoaparecimento dos rebentos das folhas.Método de potenciação: fervura.Estado de espírito negativo: dificuldade em adaptar-se amudanças de qualquer ordem. Hipersensibilidade no que respeita aideias e influências.Comparação: ao contrário do Tipo Honeysuckle, o Walnut desejaseguir em frente, mas acha difícil a ruptura com o passado, ouaté com certos indivíduos.O estado negativo do Walnut, é geralmente passageiro. Este é oRemédio ideal para aqueles que sentem dificuldade em se adaptara umasituação nova, seja ela uma mudança de emprego, uma casa nova,um país estrangeiro, uma nova crença, casamento, divórcio,paternidade oumaternidade, etc. O Remédio ajuda a quebrar a ligação com opassado para que se possa começar de novo, sem a influência develhas ligações e memórias. Walnut mostra-se ainda útil noatenuar de mudanças físicas, tal como o nascimento ou mudançados dentes, a puberdade, a gravidez, ou a menopausa. Muitasmulheres acham este remédio útil, também para a fase pré-menstrual. É normalmente combinado com o Scleranthus (devido àspossíveis mudanças de disposição) e com outras plantas,consoante os casos.98
  • 104. Walnut é também utilizado pelos praticantes da Terapia de Bach eoutros terapeutas, como um meio de “protecção física” (ver pág.134).Poderá acontecer, embora seja raro, que a pessoa seja de um tipoWalnut positivo. O próprio Dr. Bach já assim foi considerado.Este tipo de pessoas são os pioneiros, inventores e exploradoresdo mundo. São normalmente muito sensíveis e idealistas.Potencialidades positivas após o tratamento: aquisição dadeterminação necessária para avançar com os ideais e ambiçõesque lhe são próprios, ignorando circunstâncias adversas e nãoligando a comentários e pormenores ridículos.Outras medidas de auto-ajuda: leia Cutting the Ties that Bind dePhyIlis Krystal. Repita a seguinte afirmação antes de se deitar,todas as noites: “Eu sigo as orientações do meu eu superior”.A criança do Tipo WaInut: para além de ajudar a criança aatravessar os vários marcos importantes da sua vida (o nascerdos dentes, o começar das aulas e a puberdade, por exemplo),Walnut poderá apoiar a adaptação a outras mudanças, como ficarlonge de casa pela primeira vez (talvez com os avós), ou quandoa criança sofre com o divórcio dos pais e com outras grandesmudanças.Water Wolet Hottonia palustris Violeta AquáticaA violeta aquática é uma planta graciosa, flutuante e quase sempenugem, geralmente encontrada em valas e pequenos lagos,permanecendo as frágeis folhas debaixo de água. Os rebentos dasflores lilazes e brancas aparecem em Maio e Junho.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: orgulho e distanciamento.99
  • 105. A pessoa do Tipo Water Violet é solitária, serena e possui umgrande autocontrolo. Ela é a professora sábia, a terapeuta, aconstrutora da paz, aquela que é procurada para dar conselhos.No entanto o seu papel é ode ouvinte e não o de conselheira, pois nunca procura interferirneminfluenciar, não compartilhando também os seus própriosproblemas, nem mesmo os de saúde, com os outros. Logo, quandonão está bem, prefere que a deixem em paz. Todos conhecem a suacapacidade de aguentar a mais intensa dor, com silenciosadignidade.Um carácter admirável, diriam muitos. Sem dúvida, mas WaterViolet corre o risco de se tornar demasiado contraída edistante; esse mesmo véu de separação superior correndo o riscode endurecer até se transformar numa armadura impenetrável,isolando-a, assim, do resto da humanidade. Os outros tendementão a vê-la como fria, convencida ou arrogante. Comoconsequência, acaba por conhecer o verdadeiro significado dasolidão, dentro da sua torre de marfim e de orgulho, por elaconstruída.Potencialidades positivas após o tratamento: embora permaneçaconfortável com a sua própria companhia, a pessoa adquirirá asensateze a empatia necessárias para pôr as suas próprias capacidades aoserviço dos outros.Outras medidas de auto-ajuda: pratique actividades ou hobbiesque tenham a ver com a terra, como por exemplo jardinagem,desporto, olaria, cozinha, dança, passeios, dar e/ou recebermassagens.A criança do Tipo Water Violet: tal como o adulto, ela ébastante orgulhosa e independente. Uma criança fora do comum.Passa muitas horas sozinha, a brincar alegremente.White Chestnut Aesculus hippocastanum Castanheiro Branco100
  • 106. Um castanheiro branco normal poderá atingir os 30 metros dealtura. As flores são brancas com uma parte amarelo-avermelhada,na base das pétalas. Em forma de “candelabro”, florescem desde ofinal de Maio até ao princípio de Junho.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: pensamentos preocupantes,persistentes e debates internos.Comparação: ao contrário do Tipo Clematis, o sonhador que ficacontente por poder escapar-se ao mundo real, White Chesmut dariatudo para escapar aos seus pensamentos e penetrar no mundo real.O White Chesmut sofre de uma “mente em carrocel”, debatendosempre os mesmos velhos argumentos à volta na sua cabeça, nuncachegando a nenhuma conclusão satisfatória, gerando insónias ecausando a si próprio muita tensão. Sente-se exausto e é incapazde se concentrar.Como consequência, poderá ser um pouco atreito a acidentes,tornando-se distraído a ponto de não ouvir, quando lhe édirigida a palavra.Potencialidades positivas após o tratamento: paz de espírito e avisualização de uma solução à vista, para os problemas que oapoquentam.Outras medidas de auto-ajuda: em alguns casos, uma mentedemasiado activa que provoque insónias, poderá indiciar umadeficiência de zinco em conjunto com um excesso de cobre e/ououtras deficiências nutritivas (leia the Wright Diet de CeliaWright).Comunique com a natureza o mais frequentemente possível ecombine isto com uma actividade física (se conseguir), tal comoa marcha, passeios pela montanha ou pelo vale, natação,ciclismo, etc. Considere também a prática de Yoga.A criança do Tipo White Chestnut: o Remédio tem-se demonstradoútil em casos de crianças mais velhas que têm insónias devido aoexcesso de trabalho em períodos de exames.101
  • 107. Wild Oat Bromus ramosus Aveia SilvestreTrata-se de uma erva facilmente encontrada em terrenos aráveis,embosques húmidos, em matas e na beira das estradas. As floresaparecem em Julho e Agosto.Método de potenciação: o Sol.Estado de espírito negativo: insatisfação pelo facto de não terainda encontrado a sua verdadeira vocação. Tédio e frustração.Comparação: compare com o Scleranthus que vacila entre duaspossibilidades, até entre as mais triviais. Wild Oat não tem acerteza da sua missão na vida, mas nos outros assuntos édecidido e tem uma visão clara.Wild Oat é como uma folha ao sabor do vento, é algo como umaalma perdida que ainda tem de encontrar o seu caminho na vida.Já viajou muito, já viveu um estilo de vida e depois outro, játeve uma grande variedade de empregos, mas no entanto continua àprocura daquele estado ilusório que é a realização total.A lição que terá de aprender prende-se com a assumpção de queterá melhores resultados se encaminhar os seus talentos para umasó via, pois dispersar as suas energias em todas as direcçõesapenas servirá para semear o próprio descontentamento.102
  • 108. Potencialidades positivas após o tratamento: a descoberta daverdadeira vocação da pessoa.Outras medidas de auto-ajuda: pratique a meditação para ajudar afocar a sua atenção numa só direcção (ver Capítulo 7).Repita a seguinte afirmação antes de se deitar, todas as noites:“Eu guio-me pelo meu eu superior”.A criança do Tipo Wild Oat: esta criança é normalmente muitocapaz mas, tal como o adulto, tende a espalhar as suas energias,raramente se identificando com um grupo de colegas, emparticular.Wild Rose Rosa canina Roseira-BravaA roseira brava é geralmente encontrada em sebes sobre as quaisincida o Sol e nas matas. As fragrantes flores são brancas, cor-de-rosa claro ou cor-de-rosa vivo, abrindo sozinhas ou em gruposde três, entre Junho e Agosto.Método de potenciação: fervuraEstados de espírito negativos: resignação e apatia. Há muitosanos que o Wild Rose acorda às 6:30 da manhã, com o irritantetocar do despertador. Levanta-se da cama como um zombie, nemcontente nem triste, nem bem disposto nem deprimido. Depois deuma insípida chávena de chá e de uma torrada seca, arrasta-separa fora de casa até à fábrica, que fica ao fundo da rua.Depois, segue a mesma velha rotina dia após dia encaixotandochapéus para festas, bandeirolas, foguetes de Natal e bonecos deplástico. Às 4 da tarde volta para casa para beber mais umachávena de chá, ver televisão, ir novamente dormir e... depois éo começo de outro dia.103
  • 109. Esta é a extensão do estado de espírito negativo daPersonalidade-Tipo Wild Rose. A pessoa vive sem alegria ouprazer, fazendo pouco esforço para melhorar ou até para procurarum emprego mais enriquecedor. Sem contestar, aceita a doença, apouca sorte, a monotonia, como se de um castigo predestinado setratasse, sem dúvida provocado pelos “pecados dos pais”.Potencialidades positivas depois do tratamento: Um interesserenovado pela vida e, com o retorno da vitalidade, o gosto peloenriquecimento das amizades e fortalecimento da saúde.Outras medidas de auto-ajuda: para além de tomar os RemédiosFlorais (um grande passo, não haja dúvida), poderá tambémnecessitar de uma outra terapia que liberte a corrente deenergias vitais, especialmente se o modo de vida característicodo Wild Rose já datar de há muito tempo atrás.As terapias sugeridas são: a acupunctura, a cura espiritual, acromoterapia e a psicoterapia.A criança do Tipo Wíld Rose: peça ajuda profissional ao seunutricionista, caso o estado de espírito se tenha tornadocrónico. É comum aparecer, durante a adolescência, um certoestado de espírito tipo Wild Rose, embora seja normalmente umafase passageira.willow Salix viminalis SalgueiroTrata-se de uma árvore pequena que poderá crescer até 10 m dealturae que pode ser encontrada em terrenos húmidos e baixos. Os ramosflexíveis poderão ser utilizados para fazer cestos. No Inverno,os galhos tomam um tom amarelo-alaranjado. Os amentilhosmasculinos e femininos nascem em árvores diferentes, abrindo emAbril e Maio.104
  • 110. Método de potenciação: fervuraEstados de espírito negativos: severidade e ressentimentos;depressão.Comparação: compare com o Holly que não é depressivo pornatureza e que consegue, mais facilmente, exprimir fúria einveja. O Willow é muito mais reservado e deprimido,considerando-se sempre uma vítima e adoptando uma atitude deautopiedade.A Personalidade-Tipo Willow, propensa a amuos e resmungos, culpao resto da humanidade ou mesmo Deus pela sua vida “miserável ecruel”. “É tão injusto” lamenta-se ela. “Eu não mereço isto”.Porém, nem por um instante admite que talvez seja a sua atitudeque esteja errada. Não manifesta interesse por quem quer queseja a não ser para falar com aspereza e desagrado da boa sortedos outros. É assim que se considera no direito de aceitar todoo tipo de ajudas sem proferir qualquer forma de agradecimento.Não é surpreendente que já tenha conseguido afastar amigos ouparentes que inicialmente lhe tenham oferecido uma mão amiga,compreensão e amizade. Como é lógico, acabará por guardar rancora esses “desertores”, para todo o sempre. E é desta maneira quea sua angústia se vira para dentro de si, destruindo-seinteriormente. Muitos de nós precisamos de uma dose de Willow dequando em quando, especialmente naqueles dias em que nada correbem e começamos amaldizer a sorte dos outros.Potencialidades positivas depois do tratamento: optimismo esentido de humor; a capacidade de aceitar a responsabilidade daprópria vida e de ver as coisas na sua perspectiva correcta.Outras medidas de auto-ajuda: comece a assumir uma maiorresponsabilidade pela sua própria vida e saúde, procurandoinformar-se omais possível sobre a filosofia e a prática do holismo.Se puder trabalhar sem ser remunerada, envolva-se em qualquertipo de trabalho voluntário ou ofereça-se para ajudar os seusamigos, parentes ou vizinhos, pois só dando é que a pessoapoderá realmente receber. Pratique as fórmulas habituais deagradecimento, dizendo “obrigado”, por exemplo, e depoisprogrida para “amo-te”.Comunique o mais possível com a natureza; consulte ainda oexercício de auto-ajuda recomendado para o Holly.105
  • 111. A criança do Tipo Willow: amua e faz birras, mas a razão paratal comportamento nem sempre está à vista. Quando é levementerepreendida por qualquer razão, acha que não merece um castigotão grande.Rescue Remedy Remédio de EmergênciaEste Remédio é uma combinação de cinco das trinta e oito flores.Tal como o nome sugere, trata-se do Remédio para todas asemergências: casos de pânico, histeria, apatia, ou até perda desentidos. Embora o Remédio não possa substituir a assistênciamédica, poderá aliviar o sofrimento da pessoa enquanto se esperapela chegada da ambulância, permitindo ainda que o processo decura “corpo-mente”, comece sem demoras.O Rescue Remedy também se tem mostrado útil noutras situaçõestraumatizantes, tais como ir ao dentista, receber más notícias,responder a um julgamento, depois de uma discussão ou emsituações em que uma criança se encontre sugestionada por umfilme de terror ou uma cena de violência.Bach aconselha, que as pessoas tenham sempre um frasco de RescueRemedy consigo. Será também uma boa ideia ter sempre um frascodeste Remédio no armário da casa de banho ou na caixa deprimeiros socorros.As cinco plantas que compõem o Rescue Remedy são: Star ofBethlehem: para o choque e apatia; Rock Rose: para o terror e opânico; Impatients: para o excesso de agitação, irritação etensão; Cherry Plum: para os ataques violentos e crises dehisteria; Clematis: para as sensações de confusão e dedistanciamento, que muitas vezes se seguem a um desmaio, e paraa perda dos sentidos.106
  • 112. O Dr. Bach começou por usar o Rescue Remedy na sua formaoriginal, a qual consistia em Rock Rose, Clematis e Impadens, em1930 - antes de ter descoberto os outros dois remédios.Administrou-oa um jovem que acabara de sobreviver a um naufrágio. Este estavainconsciente e com a cara azul. Enquanto estava a ser levado dapraia para um hotel ali perto, Bach molhou-lhe os lábios, aparte de trás das orelhas e os pulsos, com o Remédio. O jovemrecuperou os sentidosantes de chegar ao hotel e, quando o pousaram à chegada,levantou-se e pediu um cigarro!107
  • 113. DOSAGENS E OUTRAS APLICAÇõESA elegância simples das pequenas e negras garrafas conta-gotasdo Concentrado, reflectem bem a suavidade, beleza e asimplicidade do método de cura do Dr. Bach. Poderá obter oConcentrado na maioria dos ervanários, ou através de algunslaboratórios químicos.Os Remédios Florais são acessíveis em termos de preço eeconómicos quanto à dosagem: pouca quantidade faz grande efeito.Por exemplo, uma garrafa de Concentrado de 7,5 mI, secorrectamente diluída, dará aproximadamente para quarenta ecinco tratamentos. Ainda mais, o Concentrado poderá durar parasempre. No entanto, uma vez diluído em água para o tratamento eguardado num local fresco, não durará mais de três ou quatrosemanas. A água poderá eventualmente deteriorar-se,especialmente se for água da torneira. Por esta razão,recomenda-se a utilização de água das fontes ou de água mineral,por serem mais duradouras, embora, na sua falta, possaobviamente usar-se a água da torneira. Será no entanto boa ideiafervê-la, deixando-a arrefecer antes da adição dos Remédios. Umacolher de chá de brandy ou de vinagre acrescentada ao conteúdoda garrafa (veja a seguir) servirá de conservante, prolongando aduração dos Remédios por mais uns dias.109
  • 114. Preparação do tratamentoA diluição normal faz-se com 2 gotas de cada Concentrado(vertidos num frasco conta-gotas de 30 mI, normalmente obtido namaioria das farmácias) que terá três quartos de água mineral epor cima brandy ouvinagre. Se for difícil obter um frasco tipo conta-gotas de 30mI, poderá utilizar um frasco de dimensões aproximadas.Importante: com o Rescue Remedy (um composto de cinco plantas) adosagem será aumentada para 4 gotas. Convém sublinhar que, mesmocombinado com outras plantas, continua a ser considerado umRemédio (ver também pág. 113).DosagemUtilização genéricaTome 4 gotas do Remédio diluído, pondo-o na língua, 3 a 4 vezespor dia. Em alternativa, poderá pôr o mesmo número de gotas numcopo de sumo feito com água mineral, ou qualquer outra bebida.No entanto, para situações mais graves (ver a seguir), não énecessário preparar umagarrafa de tratamento; basta adicionar duas gotas do Concentrado(4 de Rescue Remedy) directamente num copo ou chávena de águamineral ebeber espaçadamente.Será bastante vantajoso reter o Remédio na sua boca durante umbocado, antes de o engolir, procurando visualizar a vibração dasplantas a invadir todo o seu ser.Bebés e mães a amamentarO número de gotas utilizadas na dosagem para bebés (e paracrianças mais velhas) é a mesma dos adultos. São adicionadas 4gotas do Remédio no biberon do bebé ou então numa colher de cháde água mineral ou sumo de fruta. As senhoras que estiverem aamamentar também podem tomar este Remédio, diluído em águamineral. As vibrações das plantas serão então transmitidas aobebé através do leite da mãe.110
  • 115. AnimaisEmbora não seja um remédio universal, o Rescue Remedy é oprincipal medicamento utilizado para o tratamento dos animais.Muitos houve que, já sem esperança de vida, recuperaram quandolhes foi administrado o Rescue Remedy. A dose normal para todosos animais domésticos são4 gotas do Rescue Remedy (2 gotas de outra planta qualquer), emágua ou leite, ou em salpicos por cima da comida. Para animaismaiores, tal como os cavalos, utiliza-se 10 gotas do RescueRemedy (5 gotas de outra planta qualquer) para um balde de águaou, se for mais fácil de administrar, 4 gotas de Rescue Remedypor diluir (2 gotas de outra planta qualquer) num torrão deaçúcar.PlantasO Centro de Bach sugere 10 gotas de cada Remédio escolhido, paraum regador, dos grandes. Uma planta que tenha sido desenterradapor acidente, precisa do Rescue Remedy para o choque e,provavelmente, também necessitará de Walnut se tiver de sernovamente plantada. Como tónico normal de jardim, especialmentese as plantas estiverem enfraquecidas devido a pestes, érecomendada uma combinação de Rescue Remedy e de Crab Apple.Para evitar regar demais a planta, o Remédio poderá seradministrado diariamente numa colher de sobremesa com água e coma dose normal de 4 gotas de Rescue Remedy e de um outro Remédio.Uma técnica já experimentada e testada para a conservação dasflores cortadas, é uma combinação de Walnut, Wild Rose e RescueRemedy. Adicione 4 gotas de Rescue Remedy e 2 gotas de outrosRemédios para um vaso de tamanho normal.Aplicações externasCompressasBach aconselha a aplicação de compressas, para além das dosesinternas dos Remédios, quando houver lesões externas, tais comoirritação da pele ou inflamações. 6 gotas de Concentrado sãoadicionadas a meio111
  • 116. litro de água fria. Ponha uma toalha pequena, um bocado de linhoou qualquer tecido macio sobre o recipiente da água. Torça otecido até retirar o excesso de água e aplique-o sobre o local aser tratado. Deixe a toalha em cima da ferida até esta estar àmesma temperatura do corpo, substituindo-a sempre que necessário.BanhosMuitos utilizadores dos Florais de Bach põem os Remédios na águado banho para aumentar o poder das doses orais dessas flores.Por exemplo: Olive ou Hornbeam para o cansaço, Crab Apple para afalta de amor próprio e para problemas de pele. Os banhos comRemédios Florais também são benéficos para os bebés e para ascrianças, e até para o cão! Adicione à água do banho 5 gotas doConcentrado que escolheu.Tratamento do rostoCrab Apple é muitas vezes utilizado como cura externa (combinadocom outros tratamentos) no caso dos problemas de pele, tais comoequizemas ou borbulhas próprias da adolescência. Encha umagarrafa de50 ml com água destilada ou uma mistura a 50% de hamamélide eágua destilada e junte 2 gotas de Crab Apple. Agite bem antes deutilizar e aplique 2 ou 3 vezes por dia.Duração do tratamentoNão existem regras fixas, no que respeita ao tempo durante oqual cada pessoa deverá tomar os Remédios. O tratamento deve sersempre adequado às necessidades individuais de cada paciente.Para situações delicadas tal como a recepção de más notícias(Rescue Remedy ou Star of Bethlehem), aquele sentimento típicode Segunda-Feira de manhã (Hornbeam) ou a ansiedade antes de umaentrevista (Rescue Remedy ouMimulus) por exemplo. Para estas situações tome as gotas quantasvezes precisar. Poderá tomá-las de quinze em quinze minutos atése sentir melhor. A maioria das pessoas sentem, quase deimediato, um grande alívio.112
  • 117. Perante um sentimento derrotista já muito enraizado, umapersonalidade dominadora e inflexível, por exemplo, ou umatendência para ser possessivo ou ter pena de si próprio, oprocesso de mudança e o retorno ao estado saudável poderádemorar muitos meses. À medida que as camadas do cérebro começama descascar-se tal como as várias camadas de uma cebola,diferentes emoções começarão a surgir, sentimentos que poderemoster escondidos desde há muitos anos. Tome nota de qualquermudança negativa (é óbvio que os sentimentos positivos tambémvirão ao de cima) e adicione o remédio apropriado ao frasco detratamento. Não há necessidade de preparar um frasco novo decada vez que se tem de tomar o Remédio, pois um frasco de 30 mldura cerca de três semanas mas, passado um tempo, seráaconselhável rever a condição em que seencontra e receitar um Remédio adequado a essa nova situação.Uma indicação de melhoras será, como é óbvio, o facto de noscomeçarmos a sentir bem, tanto física como mentalmente, e ofacto de os nossos familiares e amigos darem pela diferença.Porém, ainda mais significativo será o facto de nos esquecermosde tomar os Remédios! Isto demonstra que nos estamos a tornarmenos egoístas e mais interessados nos outros e no mundo que nosrodeia.Utilização do Rescue RemedyTal como já vimos, o Rescue Remedy é normalmente utilizado emsituações de emergência, embora também possa ser utilizado emtratamentos mais demorados, em vez do Star of Bethlehem, porexemplo. Para condições extremas, tal como choque e histeria,ponha 4 gotas de Concentrado num copo de água ou de qualqueroutra bebida. Peça à pessoa que beba o líquido intervaladamente,até que a sensação de angústia desapareça. Se não tiver à mãoqualquer líquido adequado, o Remédio poderá ser administradopuro, directamente do frasco de Concentrado. Ponha 4 gotas nalíngua, as vezes que for preciso. Se o paciente estiverinconsciente poderá proceder-se a uma administração externa dasgotas, quer diluídas, quer directamente de frasco doConcentrado. Molhe os lábios, as gengivas, as têmporas, a nuca,a parte de trás das orelhas ou os pulsos.113
  • 118. Como medida de primeiros socorros, por exemplo no caso deentorses, mordidelas de insectos, inchaços e nódoas negras,aplique o Remédio puro ou diluído num pouco de água. Emalternativa, poderá aplicar o Rescue Remedy em creme, que poderáser obtido através dos fornecedores habituais dos RemédiosFlorais.Importante: queimaduras e escaldões deverão ser semprearrefecidos debaixo de água fria a correr, antes da aplicação doRescue Remedy líquido. Não utilize o creme nestes casos. Deacordo com as normas dos primeiros socorros, não é aconselhávela aplicação de substâncias gordurosas, tais como óleos, nasqueimaduras recentes, especialmente seelas não foram ainda esfriadas debaixo de água a correr, pois oóleo tem tendência a fritar a pele e, eventualmente, poderá vira causar mais dores e tornar a pele mais receptiva a infecções.Ao ser administrado internamente, o Rescue Remedy irá, como éóbvio, atenuar o choque. Como não poderia deixar de ser, asqueimaduras mais sérias precisam de cuidado médico imediato.114
  • 119. 6EXPERIÊNCIAS COM A TERAPIA DE BACHNão seria mentira nenhuma se disséssemos que Bach tinha comoobjectivo que as suas curas com flores superassem os propósitosda homeopatia ou que substituíssem mesmo algumas outras formasde tratamento. A homeopatia adopta como princípio o tratamentocom uma substância semelhante, ou seja, a aplicação emquantidades mínimas de substâncias que, se administradas emquantidades maiores, poderão causarsintomas semelhantes ao da doença que se propõem tratar. Deacordo com Bach, a Lei das Semelhanças da homeopatia nasce de umconhecimento incompleto da natureza do todo, pois a própriadoença é, em si, uma forma de cura. A razão de ser da doença éprevenir-nos e impedir que a nossa negatividade vá longe demais:É uma lição que nos irá ensinar a corrigir os nossoscomportamentos e a harmonizar a nossa vida de acordo com osveredictos da nossa alma... Quando a lição da dor, sofrimento eangústia estiver aprendida, não haverá mais razão para elaexistir e desaparecerá automaticamente (’).Logo, a verdadeira cura ocorre não com o repelir da doençaatravés de substâncias duvidosas de vibração igualmente baixa,mas com o invadir do nosso ser por vibrações superiores, napresença das quais a115
  • 120. doença, tal como a necessidade espiritual para a sua existência,são eliminadas.Sejam quais forem os argumentos a favor ou contra este ponto devista, os Remédios Florais nas mãos de Bach provaram serextremamente eficazes e até miraculosos, em certas ocasiões. Noentanto, deveremos analisar aquilo que realmente se deve àextraordinária habilidade de cura de Bach e o que deve seratribuído aos próprios Remédios Florais. Na minha própriaexperiência, que se reflecte em todos os outros terapeutas dediferentes escolas que foram entrevistados, os Remédios nãopodem negar por completo a homeopatia nem qualquer outro tipo detratamento, especialmente no caso de doenças crónicas ou graves.No entanto, os Remédios são muito úteis e, em certas ocasiões,bastam-se a si próprios, tal como evidenciam os casos estudadose que abaixo se relatam.Alguns casos estudadosMichael: Michael está na casa dos trinta anos e, na altura dasua consulta, sofria de dores agudas ao fundo das costas, comoresultado de esforço físico exagerado. Recusou-se a admitir assuas próprias limitações e referiu também que já tiveraproblemas semelhantes várias vezes, em circunstâncias parecidas.Embora ele achasse que o seu problema era apenas físico, chegou-se à conclusão que já se sentira tenso e ansioso durante algunsdias antes do acidente. No entanto, já fora “avisado” das suaslimitações em relação a esforços físicos (o terceiro incidenteidêntico em dois anos).O tratamento começou com massagens aromaterapêuticas. Michaelestava muito tenso; os músculos do fundo das costas estavam emespasmo e o pescoço e ombros estavam também tensos. Exprimiu odesejo de melhorar depressa, pois não gostava de ficar de baixa,apesar de ter à sua frente apenas mais dois meses de permanêncianaquele emprego. Eu senti que ele não estava a corresponder aomeu toque, pelo que interrompi as massagens (normalmente não éaconselhável, pois quebra o ritmo de cura) para lhe dar um copode água contendo Impatiens para a sua irritabilidade, tensão eansiedade por voltar a trabalhar; Chestnut Bud, pois não haviaaprendido com as suas experiências passadas o116
  • 121. inconveniente do esforço em demasia e Star of Bethlehem para ochoque de ir perder o seu emprego.Quase de imediato detectei uma alteração. Começou a relaxar coma massagem, em vez de a combater, a sua respiração tornou-semais profunda e começou a ficar sonolento. No final dotratamento já a dor havia diminuído consideravelmente. Depois deduas semanas a tomar os já mencionados Remédios Florais três ouquatro vezes por dia e a receber o tratamento aromaterapeuticoduas vezes por semana, começou a sentir-se mais optimista. Nãosó a dor nas costas havia diminuído, como as suas hemorróidas(das quais ele sofria há já muitos anos) deixaram de oincomodar! No que diz respeito ao campo profissional, decidiucomeçar a trabalhar por conta própria: organizar cursos e aulaspráticas sobre os diversos aspectos da conservação. Sempre que adúvida se começa a instalar ele toma uma dose de Gentian para semanter sempre na linha.Judy: Quando conheci a Judy, ela estava a tentar tudo por tudopara conseguir manter o seu emprego como técnica de laboratório.Aos trinta e dois anos já tomava Valium e outros antidepressivoshá seis anos, desde a altura em que havia sofrido um esgotamentoe, consequentemente, dado entrada no hospital. A sua históriarevelava uma infância infeliz, numerosas relações amorosas, nasquais ela era normalmente a parte rejeitada, e um período decontacto com numerosos produtos intoxicantes. Deixavatransparecer uma grande necessidade de ter controlo sobre a suavida, pois sentia-se como um pedaço de madeira à deriva no altomar.O caminho de Judy até à paz de espírito foi longo, doloroso echeio de vicissitudes, mas ao fim de nove meses começou a ver aluz ao fundo do túnel. Recebia massagens aromaterapeuticas umaou duas vezes por mês, consultas, terapia de relaxamento e osRemédios Florais de Bach. Com o consentimento do seu médico ecom o apoio do seu grupo de auto-ajuda “Narcóticos Anónimos”,conseguiu deixar o Valium e reduzir bastante as doses de drogasantidepressivas, embora tenha sofrido umdifícil período de “ressaca”, devido à suspensão daquelecalmante.Durante as várias etapas foram-lhe dados vários Remédios.Começou por Star of Bethlehem, para o choque e traumas dopassado, Larch, para a falta de confiança em si própria,Mimulus, para os seus medos, Cherry117
  • 122. Plum e Gentian quando sofria algum contratempo e temia umarecaída. Demos-lhe ainda Scleranthus para evitar as mudançassúbitas de disposição e a falta de segurança no andar,consequência de ter deixado o Valium; e, finalmente, Agrimonyprovou ser útil sempre que ela tentava mostrar-se mais contentedo que realmente estava, para esconder dos outros a sua confusãointerior, o que lhe exigia um esforço quase sobre-humano. Noentanto o Remédio mais interessante e o maior catalisador damudança foi revelado pela análise dos sonhos.Judy tivera vários sonhos centrados no tema de pedir conselhos.Num sonho muito significativo deu consigo a consultar um homemcom um ar muito autoritário e de fato e gravata. Ele estavasentado num tronoe ela perguntou-lhe se deveria vender o seu carro para podercomprar um cavalo. Depois deu consigo a imitar os seus gestos,expressões faciais e até o seu tom de voz, mas quando acordounão se conseguiu lembrar da resposta à sua pergunta.O Remédio que nos ocorreu de imediato foi o Cerato, o Remédiopara os que procuram sofregamente conselhos, ignorando asabedoria da sua voz interior, e que tendem a imitar aqueles aquem admiram.Uns meses mais tarde Judy redescobriu o seu jeito para asplantas e desistiu do seu emprego para se estabelecer comoflorista por conta própria. Por essa altura também lhe foioferecida psicoterapia no Serviço Nacional de Saúde (umaoportunidade rara), que ela aceitou de bom grado.Sylvester: Sylvester, um gato castrado, apareceu durante origoroso Inverno de 1990. Nos finais da Primavera do anoseguinte, o veterinário diagnosticou-lhe SIDA felina, emboraeste diagnóstico não fosse confirmado por exames ao sangue. Dequalquer forma, estava muito doente e ninguém esperava que elesobrevivesse mais do que uma semana. No entanto, eu não estavapreparada para dizer adeus ao meu novo amigo e achei que tambémele não estava pronto para se separar de nós. Por isso dediquei-me a tratá-lo em casa. A cura foi dirigida no sentido dealimentar” o seu aspecto físico e espiritual. Os RemédiosFlorais tiveram um papel predominante, especialmente o Olive e oRescue Remedy, não esquecendo as doses homeopáticas de Sulphur eArsenicum album em diferentes fases da doença.118
  • 123. Tenho no entanto de confessar que este foi um golpe de sorte;tanto podia conseguir como falhar, pois eu não sou homeopata.Uma essência de óleo de Tea-Tree (um óleo antivirulentoutilizado para o tratamento holístico da SIDA em humanos), eraesfregado na sua barriga, dia sim dia não. Também lhe foi feitauma cura espiritual.Passada uma semana, começou a mostrar sinais de recuperação.Hoje, seis meses mais tarde, Sylvester voltou a ser o mesmo gatobrincalhão e terrorista que sempre havia sido até ficar doente,embora, devido à suafisionomia marcada pela doença, nunca venha a ser famoso pelasua beleza!Jack: o caso seguinte foi-nos relatado por Susan Morgan, deMerthyr Tydfil, no Sul da Escócia.O marido, Jack, tem cinquenta e três anos de idade e é motoristade autocarro. Havia já muitos anos que ele sofria de um eczemanas mãos e nos pés que lhe dava muita comichão e até dores. Omédico receitou vários óleos de hormonas que de início pareciamajudar, mas que depois faziam a alergia ainda pior. Jack começoua ficar tão deprimido com acomichão e as feridas profundas na sua pele, que decidiuprocurar um praticante de medicinas alternativas. Foi testadopara alergias e comida (através da cinesiologia) e também paraos Remédios Florais de Bach.O terapeuta receitou-lhe uma dieta em que não entrava o leitenem o queijo e prescreveu os seguintes Remédios: Rescue Remedy,Holly, Crab Apple e Chestnut Bud. Seis meses mais tarde Jackficou espantado com as melhoras, não só na sua pele, mas tambémnele próprio, como pessoa. Tinha um olhar mais meigo e um andarmais ligeiro, como se lhe tivessem tirado um grande peso de cimados ombros.Lenny Sykes: Lenny é uma homeopata praticante em Stratford-upon-Avon, em Inglaterra, que também utiliza os Remédios Florais deBach no seu trabalho de cura. Embora considere os Remédios comobons apoios, especialmente em doenças crónicas, não deixa dereconhecer a importância do seu papel como agentes únicos decura para certos indivíduos, e especialmente na cura de animais.Os Remédios mostraram-se muito benéficos no caso do seu própriocão que tinha tendência para ser agressivo para com os outrosanimais, era muito irritadiço por natureza e tinha terror daágua. Depois de três119
  • 124. semanas de tratamento com os Remédios Florais de Bach, já nãoresmungava com todos os cães da vizinhança e, mais surpreendenteainda, foi tomar um banho ao lago!Para além do Rescue Remede, foram-lhe também administradosRemédios como o Mimulus para o medo da água; Holly para o seucomportamento de inveja para com os outros cães; Crab Apple parao seu modo irritadiço; e Chestnut Bud para a sua incapacidade deaprender com anteriores encontros com cães ferozes!Lenny também descobriu que os Remédios eram benéficos para a suaprópria doença. Durante muitos meses sofreu de encefalomelitemiálgica, uma doença debilitadora devida a uma disfunção dosistema imunitário e para a qual não existe nenhum remédiotradicional. Alguns sintomas são depressão, perdas de memória decurto prazo, dores em todo o corpo e um cansaço devastador.Embora estivesse a tomar medicamentos homeopáticos, os RemédiosFlorais provaram ser um óptimo complemento, ajudando a levantaro seu estado de espírito durante os períodos em que,inevitavelmente, se sentia mais em baixo. Deste ponto de vista,considerou o Gorse indispensável. Ainda mais, Lenny, tal comomuitos outros homeopatas, acredita que os Remédios Floraisreduzem os desconfortáveis, embora temporários, efeitossecundários dos remédios homeopáticos de grande potência, quesão normalmente receitados para doenças crónicas.Embora Lenny ainda não estivesse completamente curada na alturadesta entrevista, estava no caminho certo para a recuperaçãototal. Expressou o desejo de se especializar na cura de animaise é uma admiradora assumida do muito conhecido veterináriohomeopático, George Macleod.Violet: Este caso trata de crescimento pessoal e não dotratamento de uma doença. Devido à falta de espaço, esta é umaversão resumida da história original que nos foi fornecida porJudite Kidd, qUe trabalha perto de Abergaveriny, no Sul daEscócia. Judite utiliza o,,, Remédio,, Horai.,’ como complementoda Terapia de Zonas Reflexas dos pé,, (Rcllcxolo,-@i@.t) e daTerapia com Cores de Aura Soma, um método que CnVO]Ve @Iinfusão de óleos coloridos com extractos de ervas e essência.,,de ôlew, potenciados por cristais.120
  • 125. Violet era uma mulher de meia idade, mas fora do vulgar, namedida em que expressava a maioria dos seus problemas a Judite,através do simples relato dos seus sonhos, o que não teriaacontecido se ela não tivesse sido inspirada pelos frascoscoloridos de Aura Soma que seencontravam expostos na sala de tratamento. As cores fizeram-nacompreender que Judite não a acharia louca se ela lhe contasseos seus sonhos estranhamente poderosos e, muitas vezes,proféticos.O primeiro sonho que ela contou foi bastante interessante. Oguia espiritual de Violet levou-a de volta à época em que aTerra era ainda nova, onde lhe mostraram lindas flores e coresque não lhe eram familiares. Ela deparou depois com duas tribosde pessoas distintas: umas de pele escura e estatura baixa eoutras de estatura mais alta, alouradas e com feições maisbonitas. Descobriu ainda que conseguia entender a língua em quese exprimiam. Ela não queria abandonar aquele mundo fascinante,mas o seu guia insistiu que era tempo de partirem. Entrou,então, para dentro de um barco que a levou de volta a casa.Pela conversa que se seguiu chegou-se à conclusão que Violetestava infeliz com a sua vida rotineira. Como esposa e mãe,sempre dedicara todo o seu tempo à família, raramente prestandoatenção às suas próprias necessidades. Quando Judite lheperguntou o que poderia eventualmente alegrar a sua vida, Violetrespondeu que gostaria de pintar.Continuou depois a conversa, descrevendo as circunstâncias doseu primeiro e infeliz casamento e o desgosto que isso tinhatrazido aos seus três filhos. Sentia-se, ainda, culpada pelofacto de a sua filha sofrer de anorexia. (Judite acha que um paidemasiado dominador poderá dar asoa casos de anorexia nos filhos).Antes de conhecer o seu segundo marido, Violet tinha um sonhomuito real. Encontrava-se no quarto de uma mulher muito doente,deitada numa cama de casal, num quarto do andar de baixo.Comovida pelo sofrimento da mulher, Violet sentou-se na beira dacama e confortou-a, abraçando-a até ela acabar por adormecer.Depois, os filhos da mulher que estava doente passavam ao ladoda cama, recusando-se a dar conta da presença das duasmulheres...O significado deste sonho brevemente se materializou: o segundomarido de Violet tomou conta da sua mulher doente, até à hora dasua121
  • 126. morte, na cama de casal que ele mais tarde mudou para o andar debaixo. Tal como o sonho havia mostrado tão claramente, os seusfilhos eram extremamente egoístas, não mostrando ter qualquertipo de consideração quer pela mãe, quer por Violet.Judite receitou-lhe Walnut para permitir a Violet sentir que asua vida havia mudado e para a ajudar a ser mais compreensiva.Receitou ainda Pine, para sentimentos de culpa e de autocrítica,e para ajudar ainda atolerar a situação. Foi-lhe também prescrito Indian Paint Brush(não é um Remédio Floral de Bach, mas sim uma essência floralcaliforniana) o qual a ajudaria a expressar-se a nível artístico.Alguns meses passados, Violet começou a sentir-se mais relaxadae com pensamentos mais positivos. Do quarto de hóspedes fez umestúdio para si. Trabalhando naquilo de que mais gostava,encontrou uma nova identidade e estava agora apta a ver os seusproblemas de um ponto de vista novo e menos doloroso.A utente dos Remédios Florais de Bach, Heather Weaver, deShropshire, Inglaterra, contribuiu gentilmente com as seguintessituações, bem curiosas:Leonard: Encontramos Leonard, o gato do nosso vizinho, aarrastar-se uma destas tardes, pelo nosso jardim. Tinha o fundodas costas paralisado e as suas patas traseiras estavaminutilizadas. Suspeitámos que tivesse sido atropelado por umcarro. O gato estava tonto, mal sabia onde estava e fazia-noslembrar aqueles cães horrorosos que se costumam ver nas janelasde trás dos carros. Deixámos cair gotas de Rescue Remedy em cimado nariz e das patas do gato, que ele lambeu instintivamente.Demos-lhe ainda Rescue Remedy diluído no seu prato da água, paraele beber antes de o dono o levar para o veterinário. Foi aí queo veterinário disse que a única coisa que não fazia sentido erao facto de o gato não estar em estado de choque, situação queseria normal devido ao acidente que havia sofrido, facto que elenão conseguia compreender... Chega de efeito de placebo!Heather: Comecei a sentir que me estavam a “pisar” demais no meulocal de trabalho, por isso comecei a tomar Centaury para meajudar a perder a minha tendência para servir de tapete a toda agente. Dois dias122
  • 127. mais tarde experimentei um efeito secundário bastante agradável:sem suspeitar, o meu companheiro, apareceu ao pé de mim comquestões do foro doméstico e eu dei por mim a dizer “ ... aliásPaul eu não vou continuar a cozinhar o jantar duas vezesenquanto tu apenas cozinhas uma, por isso é bom que arranjesoutro prato para cozinhar até ao fim da semana”. Para não terque suportar, dia sim, dia não os seus pratos feitos à base deovos (o seu único meio de sobrevivência) ofereci-me paracozinhar duas vezes enquanto ele cozinhava só uma, até que elearranjasse outra receita. Fiquei espantada quando me apercebi deque aquilo já durava havia seis meses. O Centaury ajudou-me amelhorar numa área da minha vida onde eu não me tinha apercebidoque estavaa ser explorada.Vamos concluir este capítulo com uma história fora do comum eque nos foi relatada por Sophie Richards, uma música londrina.Sophie: para além dos resultados específicos e incontestáveisdos Remédios (pois muitas vezes eu não sabia quais os Remédiosque me tinham sido receitados até me dirigir ao meu terapeuta elhe relatar os efeitos que eles tinham em mim), comecei aaperceber-me de outro aspecto. Inesperadamente, comecei a terumas sensações muito reais, que só poderiam ser atribuídas à“aura”.Há uns anos atrás já tinha tentado ver e perceber as auras, massentia que nunca o havia conseguido. Agora, por acaso, quasecomo que um efeito secundário dos Remédios, comecei a aperceber-me da existência muito real da minha aura. Apenas a consigodescrever como uma suave, quase líquida e etérea substância queirradiava da minha pele e que parecia tornar o meu corpo maisleve e renová-lo.Cheguei à conclusão que não só a minha aura reforçava o efeitodos Remédios, como também as pessoas com quem eu às vezescontactava sentiam o seu poder específico e directo - específicoporque o Remédio tomado estava de acordo com o efeito sentido.Houve até uma vez em que o Remédio que eu estava a tomar fezprimeiro efeito numa colega minha do que em mim! (ver ainda pág.135).123
  • 128. PARA UMA SAúDE TOTALDe acordo com os princípios da cura natural (naturopatia) e todaa homeopatia em geral, a comida que ingerimos, a água quebebemos, o ar que respiramos, as estações do ano e até as fasesda Lua podem afectar a maneira como nos sentimos. Assim, aoinfluenciarem a nossa disposição, irão influenciar também onosso estado físico.Na verdade e tal como Bach disse, “Nada nos consegue atingirquando estamos felizes e em harmonia”. No entanto, o verdadeiroequilíbrio entre corpo, mente e espírito, não é fácil deconseguir - pelo menos não como estado permanente. Notáveispraticantes de yoga e grandes professores espirituaisconseguiram atingir tal ideal, mas a maior parte de nós não vaiconseguir lá chegar devido à falta de incentivo, ou porfraqueza, hereditariedade, Kariria (sorte ou destino), ou seja oque for. E existe ainda a possibilidade de ocorrer algo deimportante na vida de uma pessoa, algo absolutamenteimprevisível, mas que poderá ser o suficiente para desequilibraros pratos da balança.No entanto, tal como a maioria dos médicos e terapeutashomeopatas concordariam, um corpo bem alimentado e tratado irá,muito mais facilmente, resistir e aderir a qualquer tipo detratamento do que um corpo que esteja “entupido” com tabaco,“comida sintética” e todos os outros hábitos de um modo de vidapouco saudável. Isto não serve para minimizar125
  • 129. a superioridade da mente/espírito - algumas pessoas nãorespondem bem ao tratamento, mesmo seguindo-o “à risca”. Servesim para mostrar que o aspecto físico, sendo uma parte do todo,necessita de ser alimentado tanto por meios materiais como pormeios espirituais. É claro que aonível da vibração ou nível quântico (ver capítulo 2) não existeuma verdadeira alienação do corpo, mente e espírito, mas nósconsideramos ainda assim uma separação pois o Todo (tal comoqualquer tentativa de estabelecer a infinitude do Cosmos) estápara além da nossa experiência sensível. Como ponto deinteresse, não só é possível o nosso estado físico influenciar onosso intelecto, como poderá, em casos extremos, afectar a nossasanidade mental. Certas formas de esquizofrenia, por exemplo,poderão ser activadas por alergias a substâncias como o café,glúten de trigo e álcool(’’).Depois, temos a questão da tensão pré-menstrual ou UM, tal comoé denominada actualmente. Alguns terapeutas esotéricos, emboranão seja o caso do Dr. Bach, sugeriram que essa condição é a“rejeição dos processos femininos”. Isto faz-me pensar na teoriade Freud da “inveja do pénis do outro”. Será esta outra ilusão?Embora possa ser verdade em alguns casos, de certo não poderáser verdade para os milhares, ou até milhões, de mulheres quesofrem de TPM!Eu acredito que um certo grau de UM, não incluindo tendênciassuicidas e criminosas, é perfeitamente normal, na medida em queé uma resposta de um sistema reprodutor saudável ao estado“anormal” da não-gravidez. É óbvio que eu não estou a dizer queas mulheres devam ceder à biologia (esqueçam essa ideia), massim que a TPM tem uma origem, em parte, física (a não ser queuma pessoa considere a contracepção ou o celibato como umarejeição dos processos femininos). O verdadeiro culpado, tantoquanto nós no mundo terreno nos conseguimos aperceber, é aretenção de fluídos, que é causada pelas modificações naturaisdo corpo. A TPM é também acentuada pelo stress e por uma máalimentação e é por isto que poderá, na maioria das vezes, serremediada, tal como muitas mulheres já descobriram.Em poucas palavras, todas as terapias verdadeiramente holísticasprocuram fortalecer a habilidade inata de autocura, tanto docorpo como da mente. Embora umas pessoas nasçam mais saudáveisdo que outras,126
  • 130. a maioria poderá tornar-se mais saudável e evitar as chamadasdoenças da civilização, tal como o cancro do intestino, diabetese problemas de coração. A chave para se ser saudável e nossentirmos bem está no facto de nos apercebermos de que nãoprecisamos de ser simples vítimas do stress e da angústia, quesão responsáveis por muitas doenças. Enquanto a nossaalimentação e estilo de vida têm um papel importante, precisamostambém de alimentar a nossa parte espiritual, pois somos muitomais do que apenas um corpo e uma mente.O nosso aspecto espiritual é difícil de definir, mas tem a vercom o tipo de relação que temos connosco próprios, com osoutros, com o nosso próprio sentido de utilidade e razão de sere, ainda, com a “saúde” do nosso planeta. Sem razão para viversentimo-nos deprimidos ou apáticos; nessa altura a vida parece-nos negra e sem sentido. Mesmo quando não seguimos umdeterminado caminho espiritual em termos de fé cristã, poderemoseventualmente descobrir a nossa razão de ser de qualquer outraforma. Poderá ser através da música ou qualquer outro tipo dearte, não interessa se for humilde, ou simplesmente através dafamília, do trabalho, relações de amizade ou até mesmo atravésdo amor pelos animais e pela natureza - ou, mais activamente,empenhando-nos numa causa humanitária ou ambiental.A visão do verdadeiro terapeuta holístico (incluindo,obrigatoriamente, Bach) e de todos os seguidores do MovimentoAmbiental, é que a expressão de qualidades como a compaixão,intuição e estímulo aumentarão a consciência da Humanidade comoum Todo. Ao fazê-lo começaremos de novo a honrar a Terra, talcomo o fizeram os curadores de antigamente, apercebendo-se deque os homens e a terra se movimentam na mesma direcção. Noentanto, devolver a intuição à medicina não significa quetenhamos de exagerar no que respeita à Magia Terrestre,sacrificando assim a lógica. É necessário que se juntem doisprincípios aparentemente opostos: os arquétipos “feminino” e“masculino”. Por outras palavras, precisamos de “misturar”ciência com misticismo e o melhor da medicina ortodoxa com omelhor das medicinas alternativas. Tal como o dia não podeexistir sem a noite, nem o Sol sem a Lua, a lógica torna-sedesumanizada sem o equilíbrio da intuição e do sentimento.127
  • 131. Pôr em práticaO resto deste capítulo é dedicado a traçar sugestões para acriação de condições favoráveis a todos os níveis do nosso Ser,para assim podermos aumentar a acção dos Remédios Florais. Vocêé, obviamente, livre de aceitar, negar, modificar ou melhorarqualquer destes exercícios ou actividades do corpo e da mente,de acordo com as suas próprias necessidades ou nível depercepção.A origem do stressAo contrário das ovelhas, nós, humanos, necessitamos de umagrande quantidade de estímulo para nos motivar e nos fazerprogredir. É um facto que, sem uma razão para viver, noscomeçamos a sentir desesperados ou apáticos. Lembra-se do WildRose? No entanto, quando as obrigações da vida excedem a nossacapacidade de resolução, começamos a sentir os efeitos dachamada sobrecarga. Em ambas as situações sentimos desespero, oque poderá conduzir à doença.O stress não provém tanto das pressões exteriores e problemasque se nos impõem, mas sim do modo como reagimos às pessoas ecoisas que nos rodeiam. Todos conhecemos pessoas que se mantêmcalmas, relaxadas e compostas quando confrontadas com as maisdesesperantes situações, mas também conhecemos pessoas que“perdem a cabeça” ao deparar com dificuldades mínimas. O segredoé encontrar e manter o nível ideal de stress que torne a nossavida interessante e cheia, equilíbrio esse que é diferente paracada indivíduo.Se a sua vida for monótona, faça os possíveis por quebrar arotina. Isto poderá parecer óbvio, mas é fácil de ignorar quandoa pessoa está habituada a uma mesma situação. Visite sítiosnovos o mais frequentemente possível; seja espontâneo; arranjeum hobby novo; faça exercício físico através de longascaminhadas, ciclismo, natação, etc.Em ambos os tipos de stress, o exercício regular mas moderadoajuda a circulação, o que por sua vez facilita a chegada deoxigénio ao sangue. Isto tem um efeito muito positivo no seuestado de espírito. Qualquer pessoa que pratique desporto hápouco tempo, especialmente se for algo de que realmente goste,dir-lhe-á que isso lhe trouxe mais energia mental128
  • 132. e poder de concentração, capacidade de dormir mais profundamentee uma incrível sensação de bem-estar. Nadar, andar ousimplesmente dançar são as formas mais naturais, logo maisbenéficas, de movimento.No entanto, se já for mais velho, deficiente físico ou demasiadodoente para poder fazer muito exercício, massagens regulares (seforem feitas com suavidade) poderão ser muito benéficas para ocorpo, mente e espírito. A massagem é uma óptima terapia paratodos nós, quer soframos de stress, ou não.Harmonia com a naturezaA natureza, nas suas formas múltiplas, é talvez a mais potentefórmula anti-stress - um simples facto tantas vezes ignoradopelos profissionais do campo de “gestão do stress”. Ela oferecetranquilidade aos excitados e levanta a moral aos desesperados.Tudo o que pede em troca é um pouco do nosso tempo e atenção.Embora possamos gostar da vida da cidade, poderemos, sem nosapercebermos disso, sentir-nos desorientados quando afastadosdas correntes naturais da Terra.Se apenas pode deixar a cidade, ocasionalmente, para visitar ocampo, o mar ou as montanhas, não desespere: até o parque pertode sua casa pode ser uma fonte de cura. Tente arranjar tempotodos os dias (pelo menos meia hora) para apreciar o cheiro dasflores, árvores e relva; para escutar os pássaros; para sentir otronco enrugado de um velho carvalho; para caminhar na terramacia e para apreciar tudo o que o rodeia. Não tenha medo dovento e da chuva, neve ou geada. Agasalhe-se bem para que nãotenha de se encolher para escapar ao frio, criando assim maistensão. Deixe-se ir e divirta-se!Como já deve saber, quando os índios americanos ficavam doentes,uma das primeiras coisas que faziam era entrar numa floresta esentar-se de costas viradas para uma árvore já “crescida”.Procuravam, desta forma, ligar-se”, “sentar-se ao colo da Mãe”,como eles diziam, para assim receberem cura. Tal como eles,também nós podemos beneficiar deste ritual tão simples.Se estiver a tomar qualquer um destes três Remédios (Oak,Hornbeam, ou Red Chestnut) tente encontrar a árvore adequada,aquela que tenha129
  • 133. a ver consigo. Respire fundo e deixe-se inundar pelas vibraçõesde qualquer outra planta tal como o Gorse, o Mimulus, oImpatiens ou oHoneysuckle. Muito do prazer deste exercício está em procurar eencontrar as plantas. Mesmo quando não estão floridas, umacontemplação silenciosa da planta ou da árvore poderá tornar-seuma experiência de cura.A contemplação silenciosa de água em movimento poderá ser tambémbenéfica. Feche os olhos e escute o suave murmurar de um riacho,de um rio, cascata ou das ondas do mar. Se morar longe dequalquer tipo de nascentes naturais de água, uma fonte bonitanum parque ou jardim terá o mesmo efeito.Para aqueles cuja compleição física lho permite, que maneiramelhor para comunicar com a natureza do que passar algum tempona natureza em estado selvagem? Existe algo de especial nosimples escalar de uma montanha, especialmente se for a primeiravez, em acampar numa floresta à beira de um lago ou, ainda, empassear pelos vales no Verão, o vento fazendo esvoaçar o nossocabelo, sentindo o aroma das flores silvestres, a relva quepisamos polvilhada de água e no ar o som de gaivotas e dorebentar das ondas... Há de facto algo de especial, algo místicomas muito real, quando nos aproximamos da mãe Natureza.Procura interiorPara além de comunicar com a natureza, poderá ainda praticar umaforma mais consciente de cura do corpo e da mente, respirandofundo, relaxando, criando visualizações e meditando. Aprendendoa relacionar-se com os seus poderes interiores você encontraráuma fonte de autocura que funcionará em perfeita harmonia com osRemédios Florais de Bach. Passado algum tempo, vai começar aaperceber-se de que já não reage de uma forma tãoautodestruidora às pressões da vida, tornando-se até maisautosuficiente quando em confronto com diversas adversidades. Éfacto que o corpo e a alma podem prender ou libertar o ladoespiritual de cada um. As condições de prisão ou liberdade doespírito dependem de muitos factores que estão inter-relacionados, mas especialmente da forma como respiramos epensamos. Embora nem sempre130
  • 134. possamos alterar a nossa situação no mundo exterior, podemossempre mudar a nossa atitude perante ela, que por seu turnomodificará muita coisa:Dois homens observam o mundo através das grades da sua cela, Umvê lama, o outro estrelas...Respiração: O poder da respiração sempre foi associado à energiafísica e metafísica. De acordo com os praticantes de Yoga, e semdúvida de acordo com a opinião de adeptos de outras escolas demisticismo, a respiração é a chave para a transformaçãoespiritual. Até na Bíblia, a palavra traduzida como “espírito”pode também ser traduzida como “ar”. É a força invisível davida. Para os Chineses, que tentam manipulá-la através daacupunctura, é o Chi; para os Aborígenes é o Kuranita; para osPolinésios é o manas; para os praticantes de Yoga é o prana.Visto a respiração ser o único “movimento” físico que pode serexecutado voluntária ou involuntariamente (pelo menos até umcerto ponto), poderá criar uma ponte entre o consciente e oinconsciente. Influenciando a nossa respiração, podemos alteraros nossos níveis de energia e a nossa disposição. Para provareste ponto, comece a respirar pouco profundamente; inspire eexpire rapidamente durante cerca de meio minuto. No final destetempo irá sentir-se, necessariamente, ansioso. O seu coraçãoestará a bater muito depressa e poderá até sentir medo. Comoantídoto, respire fundo umas três ou quatro vezes partindo doabdómen, e expire devagar. Verá que o seu corpo e mente seencontrarão num estado de calma absoluta.Muitos de nós respiramos demasiado depressa; utilizamos apenas aparte de cima dos nossos pulmões, o que quer dizer que osresíduos tóxicos não são totalmente expelidos. Como resultado, osangue não recebe todo o oxigénio de que necessita paraalimentar os tecidos do corpo; assim, poderemos sentir-nosapáticos e com a cabeça vazia. Ao mesmo tempo, o défice deoxigénio dificulta a assimilação dos nutrientes da comida queingerimos.Uma das maneiras mais fáceis de aprender a respirarcorrectamente é praticar “a forma completa de respirar” , doYoga. Este exercício é131
  • 135. também muito benéfico para as pessoas que sofram de problemasrespiratórios, tal como a asma, alergias ou bronquite.1. Deite-se num tapete, no chão (até talvez no chão do jardim),ounuma cama rija, com os braços ao longo do corpo, algunscentímetros afastados, devendo as palmas das mãos estar viradaspara baixo.2. Feche os olhos e comece a inspirar, muito devagar, pelo nariz.Relaxe ligeiramente o seu abdómen e puxe o ar para as costelas edepois para o peito. O seu abdómen ficará de imediato contraído,enquanto as costelas saem para fora e o peito incha. Deixe-seficar assim durante alguns segundos.3. Agora comece a expirar devagar, pela boca, de uma formacontínua e suave até o abdómen voltar ao seu lugar inicial e ascostelas e o peito ficarem relaxados. Mantenha-se assim duranteuns segundos, antes de repetir o exercício duas ou três vezes.4. Respire fundo, mas devagar, tal como fez no ponto 1,levantando os braços ao ritmo da respiração até que as costasdas suas mãos toquem no chão, atrás de si.5. Deixe de respirar durante dez segundos enquanto se estica omais possível, da ponta dos dedos até às pontas dos pés.6. Expire novamente, à medida que vai baixando as mãos atéficarem de novo ao longo do seu corpo. Repita estes movimentosduas ou três vezes.Este exercício também pode ser praticado de pé. Para facilitar aoperação de se esticar (etapa 5), ponha-se em bicos de pésfazendo os calcanhares assentar de novo no chão, à medida quevai expelindo o ar cá para fora.Relaxar profundamente: o relaxamento total é um pré-requisito daarte de visualização e meditação. Afastando-se um pouco doconsciente, a descontracção total vai aumentar a nossacapacidade de concentração e de utilização de imagens mentaispara efeitos de autocura e mesmo132
  • 136. para a cura de outras pessoas. É ainda a chave que abre a portapara o conhecimento do eu superior.Antes de começar, procure um sítio bem arejado, calmo e com umadecoração relaxante. Vista uma roupa larga e confortável edescalce os sapatos. Se morar numa zona barulhenta talvez sejaaconselhável pôr um disco ou uma cassette de música calma, masnão muito alta, pois os seus sentidos estarão especialmentesensíveis. Muito importante, também, será o facto de não deverser interrompido durante pelo menos um quarto de hora.No que respeita à decoração e de acordo com terapeutas de cores,as vibrações dissonantes dos padrões aos ziguezagues ou de coresvivas tal como o cor-de-rosa forte combinado com o cor-de-laranja vivo, ou o vermelho combinado com o amarelo, podemafectar-nos mesmo estando nós com os olhos fechados. As coresneutras ou pastel provocar-nos-ão muito mais facilmente adescontracção e a meditação.1. Deite-se no chão ou numa cama firme com almofadas, caso odesejar - uma debaixo da cabeça e outra debaixo dos joelhos, queirá apoiar as coxas.2. Feche os olhos, respire fundo uma ou duas vezes pelo nariz,depois expire pela boca, sob a forma de suspiro...3. Agora concentre-se nos seus pés. Inspire pelo nariz, contraiaos pés, esticando e flectindo os dedos, puxando-os para si.Deixe-se ficar nesta tensão durante cerca de cinco segundos,deixando depois os seus pés relaxarem, à medida que vaiexpirando pela boca, com um suspiro.4. Enquanto inspira, contraia a barriga das pernas contando atécinco. Agora relaxe-se à medida que vai expirando, acompanhandoeste movimento com um prolongado suspiro.5. Prossiga para os joelhos, para as coxas, nádegas, abdómen,peito, ombros, mãos, braços, pescoço, cabeça e cara. Contraiacada uma destas partes enquanto inspira e deixe-as descontrair àmedida que vai expirando, com um suspiro, e experimentando umaenorme sensação de liberdade.133
  • 137. 6. Respire fundo três vezes, inspirando a partir do abdómen, massem o forçar. Retenha cada respiração durante alguns segundos eexpire devagar, pela boca.7. Agora, concentre-se no seu corpo e “veja” se tem alguma parteainda tensa, repetindo o contrair e o descontrair dos músculosaté se sentir completamente relaxado e calmo.8. Quando se sentir preparado (depois de pelo menos cincominutos sossegadamente deitado e a respirar normalmente),estique-se bem, das extremidades das mãos até à ponta dos pés,antes de começar a levantar-se, lentamente.Este exercício será mais benéfico se praticado uma ou duas vezespor dia, de estômago vazio, ou pelo menos meia hora depois decomer uma refeição leve ou um lanche.Protecção físicaAinda que tenhamos escolhido não atribuir importância à questão,é facto que nós, humanos, somos bastante sensíveis ao campo deenergia dos outros na nossa própria esfera, em maior ou menorgrau, consoante as pessoas. Quantas vezes você já se sentiu, porexemplo, pouco à vontade na presença de outrem, sem saber bemporquê? Por outro lado, já alguma vez sentiu uma alegriainexplicável quando se encontra napresença de determinada companhia e já se sentiu mais bemdisposto quando se relaciona com alguém especialmente exuberante?Algumas pessoas mais sensíveis prezam-se por apenas conseguiremdar-se com pessoas com um “desenvolvimento” semelhante ao delas,dado que os “menos dotados” as fazem sentir pouco à vontade. Aspessoas deste tipo queixam-se muitas vezes de cansaço depois deterem andado de autocarro ou de Metro. Na verdade, uma pessoacom uma aura equilibrada pode ir para onde quiser e dar-se comtodo o tipo de pessoas sem, por isso, se sentir mal ou de algumaforma desconfortável. É facto que o medo e a ansiedadeenfraquecem o campo de energia, produzindo uma forma maligna eincontrolada de vulnerabilidade áurea. No entanto, e aocontrário do que muita gente pensa, uma aura forte não134
  • 138. é sinónimo de “armadura”. Por outras palavras, não é umabarreira impenetrável que nos afasta dos outros e do mundoexterior; pelo contrário, funciona como um filtro, permitindoapenas a entrada a coisas que não nos possam magoar. Aprendendoa fortalecer as nossas próprias vibrações, ajudaremos a levantara moral daqueles que procuram a nossaajuda. Continuaremos a ser sensíveis a atmosferas e àsnecessidades dos outros (talvez ainda mais), mas nãoabsorveremos a negatividade como uma esponja humana, esgotandoas nossas próprias energias pelo caminho.Fortalecer a auraA aura não é mais do que uma emanação do pensamento e, como tal,facilmente pode ser controlada por ele. É muitas vezes benéficoaprender a controlar e fortalecer a aura imediatamente a seguirà sequência anteriormente esquematizada, da respiração e/ou dorelaxamento.Quando estiver de pé ou deitado de costas, feche os olhos erespire fundo, devagar e profundamente, durante alguns segundos.Depois, imagine que está no centro de uma esfera de luz branca,que também atravessa o seu corpo. Sinta que está protegido poresta esfera de luz, tal como a gema está protegida pela casca doovo, e imagine que aenergia que o rodeia é contínua, especialmente por cima da suacabeça. Algumas pessoas pensam numa luz azul ou dourada; outras,podem até nem pensar em nenhuma cor em especial e sentir apenasque estão rodeados por uma esfera. Com a prática, estavisualização, ou reconhecimento do seu espaço áureo, tornar-se-ásecundário. Poderá ser posto em prática sempre que precisar, semprimeiro ter que recorrer aos exercícios de respiração ou derelaxamento. Pense na sua aura quando estiver perto de umapessoa com uma constipação ou engripada; quando você ou qualqueroutra pessoa estiverem a deixar-se levar pela negatividade; emambientes barulhentos; logo de manhã e à noite, antes de sedeitar; depois de meditar ou de dar consultas de Terapia de Bach.Outra forma de acabar com sentimentos negativos impostos pelosoutros será tomar uma dose de Rescue Remedy e Walnut diluídosnum copo de água. Na verdade, a própria água ajuda a purificar aaura, logo,135
  • 139. um banho ou um duche poderão também ser úteis. Como alternativa,poderá ainda dedicar-se à jardinagem ou dar um passeio pelocampo; a Terra absorverá qualquer desconforto pendente.Criar um canal de curaSe lhe parecer apropriado ao seu caso, a visualização que sesegue será bastante benéfica minutos antes de uma consulta.1. De pé, ou deitado numa superfície confortável, respire fundovárias vezes (ver pág. 132).2. Feche os olhos e pense na sua aura tal como fez no exercícioanterior. Imagine, depois, que está posicionado sobre uma linharecta, a qual passa pela sua cabeça até aos pés (sendo istoconhecido por “centralização”). Sinta-se totalmente equilibradoe calmo.3. O passo a seguir será tornar-se um canal de energia compoderes de cura - não a origem pois isso apenas iria esgotar asua própria vitalidade. Para se tornar um canal, imagine (ousinta) uma fonte de energia por cima da sua cabeça, seja umabola de luz branca ou o Sol. Nessa altura poderá dirigir-se aoseu eu superior, ou rezar, pedindo que lhe seja enviada energiacósmica (ou que lhe seja dada capacidade) que o ajude,satisfazendo da melhor forma as suas necessidades específicas.4. Agora respire fundo várias vezes. À medida que inspirar,imagine que está a receber energia da fonte de luz, energia essaque 1. entra” pela sua cabeça e “sai” pelas suas mãos e pés,quando expira.Durante a consulta poderá ainda imaginar que estão amboscentrados numa esfera de luz branca (alguns terapeutas preferemimaginar um triângulo) acima da qual está um símbolo deprotecção. Os símbolos normalmente mais utilizados são uma cruzequidistante dentro de um círculo, uma rosa branca ou um ankh(uma cruz de pau com uma presilha em cima, que simboliza a vidaeterna). A visualização poderá ser feita num instante, sem que aoutra pessoa se aperceba (nem toda a136
  • 140. gente será adepta deste método). No entanto, se a pessoa forreceptiva à cura por intuição, tanto melhor. Também ela poderápensar na sua própria aura, unindo ambos as suas energias numagrande esfera ou triângulo de luz.No final da consulta, envie um pensamento para a outra pessoa;certifique-se de que ela está separada de si, bem envolta na suaesfera espiritual.Então separe-se e desça à terra, isto é, pense na sua própriaaura, imagine-se centrado numa linha recta tal como já o haviafeito anteriormente e concentre-se no facto de os seus pésestarem em contacto com o chão. Se necessário, peça licença eafaste-se para outro lugar qualquer, para assim poderconcretizar esta visualização.O poder do pensamento é tudo. Se for capaz de fazer isto comêxito e se conseguir identificar-se com a outra pessoa e vice-versa, não só as suas capacidades intuitivas e de conselheiromelhorarão, como a experiência poderá ser benéfica para ambas aspartes.Meditação projectadaEsta é uma forma activa de meditação ensinada pela FundaçãoPegasus (pelos meus próprios professores) que tem a sede emMalvem, Inglaterra. A maioria das abordagens orientais sãopassivas, pois têm como objectivo esvaziar as nossas mentes outornar-nos meros observadores dos nossos próprios pensamentos,uma tarefa difícil para os principiantes. A meditaçãoprojectada, por outro lado, implica que pensemos numdado assunto, tema, pensamento ou palavra.A meditação que se segue pode ser gravada numa cassette, mas nãose esqueça de fazer as pausas necessárias para efectuar asnecessárias visualizações, desta forma indicadas: ... Poderátambém convencer um amigo com uma voz suave (muito importante) aajudá-lo. A meditação deveria ser praticada todos os dias,durante quinze ou vinte minutos, de preferência logo de manhã.No entanto, duas ou três sessões semanais poderão ajudar areduzir o stress, a melhorar a concentração e a incentivar acriatividade e a inspiração.O carvalho: Antes de começar, sente-se confortavelmente numquarto sem barulho, ou num jardim, se preferir. Poderá sentar-sede pernas137
  • 141. cruzadas se a isso estiver habituado caso contrário sente-senuma cadeira com as costas direitas, com os pés firmementeassentes no chão e as mãos ao colo.1. Feche os olhos. Esvazie os pulmões e comece a respirarfundo, pelo nariz. Não esforce a respiração, apenas se apercebadela e sinta-a a entrar e a sair... (dois minutos).2. Concentre-se nos seus pés; descontraia-os pensando norelaxamento de cada um... agora repita este passo para cada umadas diferentes partes do seu corpo, cada uma de sua vez,relaxando a barriga das suas pernas... joelhos... coxas...ancas... abdómen... depois o seu peito... mãos e braços...ombros... pescoço... em seguida a cara... os seus olhos... atesta... o seu couro cabeludo... e até a língua.3. Agora imagine que está centrado numa esfera de luz branca: asua aura...4. Imagine um carvalho de figura majestosa e tronco rugoso,plantado no meio de um prado verdejante; alto, forte e frondoso.Repare na largura do seu tronco; no buraco escuro perto da raizda árvore - o esconderijo de muitas crianças pequenas. Olhe paradentro deste abrigo escuro. Pense na forma como esta grandeárvore evoluiu a partir de uma mera semente, durante tantosanos; na forma como os seus antepassados forneceram fruta aosjavalis e lenha e abrigo aos seres humanos. Há ainda uma outradádiva do carvalho: uma oferta muito preciosa e que emana dassuas flores amarelo-pálido - o poder de o curar e confortarquando asresponsabilidades da vida se tornam um fardo demasiado pesadopara carregar sozinho. O carvalho dá-lhe força para enfrentaradversidades, ajudando-o a ultrapassar todas as incertezas davida, com coragem e firmeza...5. Sinta agora o tronco rugoso do carvalho... Nessa mesmarugosidade existe um sorriso simpático, um sorriso afável quefaz lembrar o138
  • 142. sorriso de um pai já “gasto” pelo tempo e que tem trabalhadomuito para o proteger, a si, seu filho...6. Aproxime-se cada vez mais do tronco da árvore até finalmentese sentir absorvido por ele... Agora já não está a observar ocarvalho, pois você é agora o próprio carvalho. Você é agoraalto e forte. Sente o movimento dos seus ramos. Concentre-seagora no som dos pássaros, insectos e dos esquilos enquantoestes brincam, estando você em segurança, envolto naquelepaternal abraço... Respire fundo, purifique o ar através dassuas folhas... Irradie luz verde para que todos os seres vivosda Terra possam ser curados... Concentre-se nas suas raízes;aperceba-se de como elas se vão infiltrando no solo escuro ehúmido, esticando-se para longe, tal como os seus ramos,ancorando-o à Terra. Experimente o sossego... Apenas as suasfolhas são movidas pela suave dança da brisa quente e da frescachuva de Verão...7. Agora é altura de, devagar, começar a separar a suaexistência da da árvore. Dê um passo para o lado. Certifique-sede que o carvalho está ao seu lado. Sinta o seu poder deprotecção, mais uma vez, antes de permitir que essa imagemdesapareça... Voltou a servocê mesmo.8. Dirija a sua consciência, de novo, para o seu corpo. Imagine-se centrado numa linha recta, que vai do topo da sua cabeça atéà ponta dos seus pés... Sinta-se seguro dentro da sua esfera deluz.9. Abra os olhos. Abane os braços e as pernas, esticando-sedepois o mais possível.Poderá ainda querer meditar sobre qualquer dos outros RemédiosFlorais, ou Árvores. Siga os mesmos passos da Meditaçãoprojectada para o carvalho. Siga os passos de 1 a 3 e dirija asua atenção para o objecto (árvore ou planta) que escolheu.Primeiro, temos a visualização intelectual: imagine claramente aárvore ou planta; observe-a e considere os seus poderes de cura.Depois passamos à visualização emocional: disponha-se a tocar notronco da árvore ou nas frescas e sedosas pétalas139
  • 143. das flores, sinta o cheiro do Pine ou do Honeysuckle. A seguirvem a visualização espiritual: é nesta fase que vai conseguiridentificar-se com a árvore ou a planta; já não pensa nelaporque é sua parte integrante. Dá-se, finalmente, adesintegração: vá-se autonomizando do objecto comque se identificou inicialmente; veja-o novamente como estandoseparado de si e dirija a sua consciência de novo para o seucorpo, respeitando os passos.E finalmente ...Todos nós temos poderes de cura e, com o amor e a simpatiapróprios da nossa natureza, poderemos ainda ajudar todos aquelesque desejem ser saudáveis. Procure o principal conflito mentaldo paciente, receite-lhe omedicamento natural que o ajudará a ultrapassar essa dissonânciaparticular e dê-lhe toda a força e esperança que puder; depois ésó esperar que acapacidade de cura, latente nele próprio, faça o resto (”).Dr. Edward Bach140
  • 144. NOTAS1. Howard, J. e Ramsell, J. The Original Writings ojEd",ai-dBach.2. Howard, J. e RarnselI, J. The Original Writings qf Edwai-dBach.3. Chopra, Dr. D. Cura Quântica.4. Capra, F. O Tão da Física.5. Bach, Dr. E. Heal Thyself.6. VIamis, G. Flowers to the Rescue.7. VIamis, G. Flowers to the Rescue. S. Chancellor, P. Handbookof the Bach Flou,ei- Remedies.9. Howard, J. e RamselI, J. The Original Writings ql» EdwardBach.10. Wildwood, C. Aromaterapia.11. Brick1in, M. The Practical Encyclopaedia qfNatural Healing.12. Howard, J. e RamselI, J. The Original Wiltings of Ed",ai-dBach.
  • 145. OUTRAS LEITURASBach, E. Heal Thyself, C. W. Daniel, 1931. Bernard, J. eBarnard, M. The Healing Herbs of Edward Bach, The FlowerRernedy Programme, 1988. Brick1in, Mark Practical Encyclopaediaof Natural Healing, Rodale Press, 1976. Capra, Dr. F. The Tao ofPhysi(-s, Flamingo, 1985. [0 Tao da Física, na ed. port.public. pela Presença.] Chancellor, P.M. Handbook of the BachFlower Remedies, C. W. Daniel, 1971. Chopra, Dr. D. QuantumHealing, Bantam Books, 1989. [Cura Quântica. - NovosCaminhos para a Saúde e Bem-Estar, na ed. port- publ. pelaDifusão Cultural.] Howard, J. The Bach Flower Remedies Step byStep, C. W. Daniel, 1990. Howard, J. e RarnselI, J. The OriginalWritings of Edward Bach, C. W. Daniel, 1990.Kenton, L. The Biogenic Diet, Century Arrow, 1986. Krystal, P.Cutting The Ties That Bind, Element Books, 1987. Scheffer, M.Bach Flower Therapy, Thorsons, 1986. Vlarnis, G. Flowers to theRescue, Thorsons, 1986. Weeks, N. The Medical Discoveries ofEdward Bach, PhYsician, C. W. Daniel,1989.Wright, C. The Wright Diet, Piatkus, 1986.143
  • 146. MAPA DE CONSULTA RÁPIDASe ainda houver dúvidas, o seguinte resumo servirá para ajudar aesclarecê-las. Tenha em conta que foi elaborado como guia paraconsulta e deverá sempre ser utilizado em conjunto com asdescrições mais detalhadas do capítulo 4.REMÉDIOAgrimony:Aspen:Beech:Centaury:Cerato:ESTADO DE ESPÍRITO/ PERSONALIDADEuma fachada alegre que esconde um tormento interior; tem medo deestar sozinho; é ansioso; raramente se queixa; revela por vezespouca forç a de vontade; deseja actividade; tem medo dasdoenças; inquieto; é alvo de troça; revela tendências suicidas.medo de um mal desconhecido; ilusões; pesadelos; tendênciassuicidas; desadaptação; perturbações esporádicas.crítico relativamente aos outros; arrogante; tem elevadosideais; é irritadiço; rígido mental e fisicamente; incapaz de seidentificar com os outros; bastante teimoso.bajulador; escravo por opção própria; não se auto-estima;convencional; “pisado” pelos outros; hipersensível; por vezescom capacidades mediú nicas.sempre à procura de conselhos; sequioso de inforrnações;instável; irrequieto; ultrapassa outros; imitador;145
  • 147. Cherry Plum:Chestnut Bud:Chicory:Clematis:Crab Apple:revela falta de concentração; convencional; facilmentemanobrável; tonto.teme a insanidade mental; é atreito a desilusões; sente-sedesesperado: tem tendências suicidas; teme magoar-se a sipróprio ou aos outros; tendência para esgotamentos nervosos;temperamento violento accionado pelo medo.não aprende com os erros do passado; falta-lhe poder deobservação; lentidão na aprendizagem; sonha acordado; projecta-se para o futuro.possessivo (em relação a coisas e pessoas); não gosta de estarsozinho; gosta de discutir; dominador; exigente; mentalmenteconfuso; teme perder amigos; é mal-humorado; finge-se doentepara captar atenção; poderá utilizar chantagem psicológica; éansioso; egocêntrico; chora comfacilidade; muito teimoso; consome os outros; tem muito orgulhonaquilo que é seu.distraído; sonha acordado; não tem ambições; é apático; não temea morte; não é realista; não é muito activo; pouco prático;precisa de dormir muito; imaginativo; projecta-se para o futuro;refugia-se na “doença” para não ter de encarar a realidade; éutilizado pelos outros; não se queixa; muitas vezes tem veiaartística; revela por vezes, capacidades de médium.não se aceita a si próprio; dá demasiada atenção aos pormenores;sente-se sujo; é exigente; tem orgulho naquilo que lhe pertence;é ansioso; poderá ter problemas de pele.Elm:deprimido por se sentir deslocado; sente-se desencorajado,embora nonnalmente reaja bem a esse sentimento.Gentian:deprimido devido a eventuais obstáculos que enfrentou nopassado; duvida de tudo.
  • 148. 146
  • 149. Gorse:Heather:Holly:Honeysuckle:Hombeam:Impatiens:Larch:Mimulus:sente-se deprimido devido à falta de esperança; consegue serpersuadido a tentar de novo, embora não com o mesmo empenho;poderá ser um doente crónico.egocêntrico; falador; aproveita-se dos outros; finge estardoente para ser o centro das atenções; não gosta de estarsozinho; é muitas vezes um solitário; mentalmente confuso;demasiado ansioso relativamente ao seu Ego; chora facilmente.ciumento; cheio de ódio; despeitado; zangado; amargurado; apenasvê defeitos nas outras pessoas; temperamento violento;desconfiado; aproveita-se dos outros.nostálgico; vive no passado; distraído; sonhador; inerte;caseiro; não tem poder de observação; muitas vezes, falador;triste; consome os outros.falta de confiança em si próprio por falta de energia; cansado;aborrecido; preguiçoso (a sensação de ‘Segunda-Feira de manhã”).impaciente; irritadiço; prefere trabalhar sozinho, comcalma e em paz; trabalha demasiado; tem grandes ideais; é auto-suficiente; encontra defeitos em toda a gente; tem uma mente eum corpo rápidos; sofre de tensão nervosa; por vezes sujeito afúrias ou violência.tem falta de confiança em si próprio; está sempre à espera defalhar; indeciso; finge-se doente para fugir àsresponsabilidades; pouca força de vontade; poderá também sofrerde impotência.nervoso por natureza; tem medo de coisas que lhe são familiarestal como a solidão, a pobreza, uma ida ao
  • 150. dentista, animais, festas, falar em público, etc.; éenvergonhado; tem pouca confiança em si mesmo; hiper-sensível aobarulho, discórdias e controvérsias; tendências suicidas; porvezes falador; os outros tiram proveito de si; é facilmentedominado.147
  • 151. Mustard:Oak:Olive:Pine:vê a depressão como uma nuvem negra; a causa é desconhecida etem uma natureza cíclica;carrega uma cruz durante toda a sua vida; luta contra oimpossível; tristonho por problemas de saúde; pouca autoestima;raramente se queixa; poderá ter um esgotamentoou um colapso nervoso; temperamento violento devido àinstabilidade.falta de força de vontade devido ao cansaço físico e psíquico;medo de perder os amigos; não sente prazer na vida.sente culpa, desespero e autocritica-se; culpa-se pelos errosalheios.Red Chestruit:Rock Rose (ou Rescue Remedy):Rock Water:Scleranthus:Star of Bethlehem (também Rescue Remedy):preocupa-se demasiado com os outros; não teme pela sua própriasegurança; espera sempre o pior; incomoda- ~se com reportagenssobre a guerra, a fome ou outros desastres; mentalmente confuso;tenso.sente um grande medo, terror ou pânico, o suficiente paraamedrontar aqueles que o rodeiam; sofre de pesadelos; vivesituações de vida ou de morte.muito exigente consigo próprio; autocritica-se; gosta de ser umbom exemplo para os outros; tem ideias e opiniões fixas; é umperfeccionista; intolerante, mas é raro criticar os outros,abertamente; automartiriza-se; ansioso; tenso; teimoso.disposição variável; indeciso; não se pode contar com
  • 152. ele; pouca capacidade de concentração; falta de confiança em sipróprio; pouco convicto das coisas; hesitante; instável;possibilidade de esgotamentos ou colapsos nervosos; falta deequilíbrio; inquieto; pode ter um temperamento violento.existência de choques emocionais e físicos; problemas bastantesgraves devido a traumas do passado; dor; dorinência emocional;recusa piedade; tenso.148
  • 153. Sweet Chestnut:Vervain:Vine:WaInut:Water Violet:Wihte Chestnut:Wild Oat:Wild Rose:Willow:angústia tão profunda que parece quase intolerável; profundodesespero; incapaz até de rezar.demasiado entusiasta; zelo de missionário; gosta de debater ediscutir; teimoso; mete-se na vida dos outros; esforça-sedemais; rígido no que diz respeito à mente eao corpo; impulsivo; intolerante; um mártir pela causaque defende; poderá ter um esgotamento ou colapso nervoso;natureza irritável; rápido em termos intelectuais e físicos;falador.ditatorial; imensamente ambicioso; teimoso; exigente;intolerante; não se identifica com os outros; temperamentoviolento; nasceu para liderar.dificuldade em se desligar de objectos velhos; tem umaambição muito própria; vê dificuldade na mudança; muitas vezes éretraído ou mal direccionado pelos outros; sente-se frustrado.orgulhoso e distante; sofre em silêncio; rigidez física; contaapenas consigo mesmo; deseja estar sozinho; tenta evitardiscussões; equilibrado; triste; irradia superioridade.vive atormentado por discussões mentais; é indeciso; poderásofrer de insônias; falta de capacidade de observação;preocupado.sente-se insatisfeito devido a ambições não concretizadas;incerteza em relação ao futuro; pretende fazer muitas coisas aomesmo tempo, acabando depois por não terminar nenhuma; incapaz
  • 154. de assentar.apático (muitas vezes sem razão aparente); cansado; triste; nãose queixa; não gosta da mudança; tem uma atitude conforrnistapara com as coisas.constantemente a lamentar-se; amargo e desdenhoso; egoísta;adora discutir; culpa sempre os outros; mal disposto;impertinente; poderá simular urna doença para obter piedade;irritadiço; birrento.149
  • 155. EMIMIMA “ LHEMNUTeVMSVolumes publicados:1 - A CURA PELA COR / Ted Andrews2 - ACUPUNCTURA / Peter Mole3 - MANUAL COMPLETO DE MEDICINA NATURAL / Marcia Starck4 - IRIDOLOGIA / James e Sheelagh Colton5 - HOMEOPATIA / Anne Clover6 - REFLEXOLOGIA / Inge Dougans e Suzanne Ellis7 - O DIAGNóSTICO PELA RADIESTESIA / Arthur Bailey8 - AROMATERAPIA / Christine Wildwood9 - A CURA ESPIRITUAL 1 Jack Angelo10 -REMÉDIOS FLORAIS 1 Christine Wildwood11 -A TÉCNICA ALEXANDER / Richard Brennan12 - NUTRIÇÃO E SAúDE 1 Hasnain Walji13 - SHIATSU / Elaine Liechti14 - CUIDADOS COM O CORPO E A PELE 1 Sidra Shaukat15 - A MASSAGEM TERAPÊUTICA / Stewart Mitchell16 - CHI KUNG / James MacRitchie17 - CROMOTERAPIA / Pauline WilIs18 - AYURVEDA / Scott Gerson19 - OS CRISTAIS E A SAúDE 1 PhyIlis Galde20 - VISUALIZAR PARA CURAR 1 Pierluigi Lattuada21 - GUIA DE MASSAGEM MÁGICA 1 Angela Donetti e Valerio Lupano22 - COMO CURAR COM A ENERGIA DAS MÃOS / Valerio Sanfo23 - SAúDE E ENERGIA EM 16 ETAPAS 1 Pauline WilIs e Theo Gimbel25 - HIPNOTERAPIA Hellmut W. A. Karle26 - QUIROPRÁTICA Michael B. Howitt Wilson27 - CINESIOLOGIA Maggie La Tourelle e Anthea Courtenay28 - MANUAL PRÁTICO DE HOMEOPATIA 1 Ruggero Dujany29 - A MEDICINA CHINESA / Tom Williams30 - FITOTERAPIA / Vicki Pitman31 - MANUAL DE MEDICINA ORTOMOLECULAR / Ana Paula IvoA publicar:24 - OSTEOPATIA / Edward Triance

×