Como Usar O D3 (Carlos Cerqueira)

  • 519 views
Uploaded on

descobrir como uma organização pode tirar mais partido das tecnologias de informação, com o Manual D3 – soluções digitais de marketing e gestão para organizações sem fins lucrativos

descobrir como uma organização pode tirar mais partido das tecnologias de informação, com o Manual D3 – soluções digitais de marketing e gestão para organizações sem fins lucrativos

More in: Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
519
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
2
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide
  • 1ª etapa: Apresentação do Produto pelos autores que deve focalizar-se nos principais conteúdos do Produto, salientando o seu carácter distintivo, utilidade e valor acrescentado (mais valia) relativamente a outras soluções já existentes, fazendo referência às evidências do Produto no que respeita aos sete critérios de qualidade. A presença de bene_ciários que testemunhem na primeira pessoa os resultados da experimentação do produto enriquece e credibiliza o produto e a apresentação. Os participantes na sessão colocam dúvidas e os autores esclarecem-nas - ±45 min.

Transcript

  • 1. Carlos Cerqueira IPN d3@ipn.pt | d3.ipn.pt
  • 2.  
  • 3.  
  • 4.  
  • 5.  
  • 6.  
  • 7. Quantas vezes não se ouve uma organização dizer (com justiça) que a “a sociedade não reconhece o seu papel…”. É que não se pode reconhecer o que não se conhece!
  • 8. Ou seja, qual o problema a resolver? Este: como podem as organizações do 3º sector divulgar os seus produtos/actividades, “acertando” exactamente no seu grupo-alvo (utentes, voluntários, doadores, etc.) e sem gastar muito com o processo? A resposta poder ser … Marketing 2.0 A evolução do Marketing 1.0 = 1:n (Marca & Resposta à Procura) 1.5 = 1:1 (Segmentação & Personalização) 2.0 = n:n (Conversas & Comunidades)
  • 9. O Marketing deixa de ser feito exclusivamente pela empresa . Passa a ser feito pela comunidade, por voluntários que acreditam em determinada causa (ou produto)! 2.0 = n:n (Conversas & Comunidades)
  • 10.
    • Para as organizações sem fins lucrativos :
    • É preciso comunicar!
    • Comunicar duma forma “2.0”, com ferramentas TIC em que a comunidade de suporte seja o “megafone”!
  • 11.  
  • 12.  
  • 13. Mas como comunicar?
    • Com estas ferramentas TIC
    Mas como comunicar?
  • 14.  
  • 15.
    • Com um Sistema de Gestão de Conteúdos (CMS) que:
    • Permita a qualquer utilizador manter e actualizar um portal.
    • Torne a organização (semi)independente de especialistas.
    • Tenha actualizações em tempo real que reflictam a vida da organização.
    • Funcione como uma plataforma de trabalho colaborativo e repositório de documentos.
  • 16. O Joomla é um CMS de código livre criado para utilizadores “não-informáticos”, destinado a Portais para todo tipo de organizações. http://www.joomlapt.com/ http://www.joomla.org/
  • 17.  
  • 18.  
  • 19.  
  • 20.  
  • 21.  
  • 22.  
  • 23. De Novembro 2005 a Agosto de 2006, o portal D3 registou mais de 7.500 visitas. A partir de Agosto 2006, passamos a usar uma outra plataforma de gestão de conteúdos – Joomla!, que regista em Setembro 2007 mais de 4.500 visitas. Ou seja, ultrapassámos as 10.000 visitas!
  • 24.  
  • 25.  
  • 26. RSS Permite estar actualizado sobre todos os sites que nos interessam RSS + Newsfeed Permite que outros consultem e partilhem a informação que nós produzimos para mais informações, ver http ://pt.wikipedia.org/wiki/Rss
  • 27. Como conseguir, em dois anos de blogue D3, escrever (quase) 1 post por dia?
  • 28.  
  • 29.  
  • 30.  
  • 31.  
  • 32.  
  • 33. Este capítulo divide-se em duas parte. Na primeira serão introduzidos os conceitos iniciais sobre Gestão de Projectos, na segunda será descrito de uma forma sumária uma ferramenta de gestão de projectos. De modo a apoiar a gestão de projectos foi adoptado o software Project Fork . O Fork oferece as funcionalidades básicas de suporte à gestão de projectos, e uma das suas vantagens é ser disponibilizado gratuitamente.
  • 34.  
  • 35.
    • Um Sistema de Gestão Documental (SGD) deverá permitir a cada organização:
    • Aceder à informação crítica da actividade de uma forma mais rápida e eficaz, permitindo assim aumentar o desempenho e a qualidade de serviço;
    • Reduzir o espaço dedicado ao arquivo físico;
    • Poupar nos custos de cópia e impressão de documentos;
    • Tornar os funcionários mais produtivos, reduzindo as tarefas rotineiras.
  • 36.  
  • 37.  
  • 38. Como usar o D3? Auto - utilização Para organizações de Nível II: - uso sistemático e abrangente das TIC, com infra-estrutura informática (equipamentos, estruturas de rede, Internet, etc.) adequada, departamento/técnico informático (interno ou externo). - utilizam as TIC na gestão de quase todas as áreas de trabalho, possuem página web (ainda que nem sempre actualizada) e fazem uso quotidiano do e-mail.
  • 39.
    • Organizações de Nível I:
    • reduzido uso das TIC, em apenas algumas áreas da organização e/ou em tarefas pouco complexas (e.g. como máquina de escrever).
    • Serão organizações em fase de aquisição de equipamento e infra-estrutura, e vontade de evoluir no sentido de uma maior e melhor utilização (e.g. abrangência de uso, presença web actualizada, incrementar o email, etc.).
    Como usar o D3? Utilização mediada
  • 40. Disseminação do D3
    • Plano de comunicação / disseminação
    • Portal D3
    • Blogue D3
    • E-mail
    • Vodcasts
    • Acção 3 do D3 (EQUAL)
  • 41. Disseminação do D3
  • 42. Para além dos autores do manual, o projecto D3 contou com a colaboração de uma equipa operacional das instituições parceiras. Nas actividades desenvolvidas nas organizações beneficiárias que foram a base para a elaboração este manual, participaram Patricia Encarnação e Nuno Pimenta, do IPN, Carla Duarte e Tania Afonso, do IEBA, Maria da Saúde e Manuel Ribeiro, da AEP e Licinio Roque da FCTUC
  • 43. Organizações Beneficiárias: ABAADV - Associação Beira Aguieira ao Apoio do Deficiente Visual (Mortágua) CERCIMIRA - Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados (Mira) NRC – APPC - Núcleo Regional do Centro - Associação Portuguesas de Paralisia Cerebral (Coimbra) Vários – Cooperativa de Solidariedade Social, CRL (Tondela) Estas organizações beneficiárias foram uma peça essencial em todo o processo, e sem a sua participação e contribuições, o D3 não teria sido possível. Deste modo, a equipa D3 deixa aqui os mais sinceros agradecimentos pela sua participação, à ABAADV, CERCIMIRA, NRC-APPC e Vários.
  • 44. Contactos: Carlos Cerqueira | Instituto Pedro Nunes (IPN) | R. Pedro Nunes 3030 – 199 Coimbra (Portugal) Tel.: +351 239 700 962 | Fax: +351 239 700 965 | e-mail: d3@ipn.pt | http://d3.ipn.pt