Your SlideShare is downloading. ×
SISTEMAS DE PRODUÇÀOARROZ DE SEQUEIRO                    ARROZ IRRIGADO                    74% DA PRODUÇÃO DE ARROZ  26% D...
PRODUÇÃO DE ARROZ IRRIGADO        NO BRASIL               < 40% DA ÁREA               + 70% DA PRODUÇÃO                   ...
PRODUTIVIDADE: Média geral Safra           2008/2009 e Safra 2009/2010               /                 /       SAFRA 2008/...
Evolução da produtividade de arrozirrigado no RS, período 1994 a 2003.IRGA 2010.                         8                ...
Produtividade de arroz no                                                          RS         no ano 2000estratificada   p...
PORQUE OS RENDIMENTOS EM NÍVEL DE CAMPOESTÃO   MUITO   ABAIXO    DO  POTENCIALPRODUTIVO DAS VARIEDADES?  PRÁTICAS AGRONÔMI...
FotossínteseProcesso biológico de oxidação e redução              g            ç         ç                        Luz     ...
Fotossíntese  hv           Fase H2O    fotoquímica           q                 O2       (membranas do          tilacóide) ...
Fase Fotoquímica : transporte de elétronsEstroma                                      Prof. Carla Delatorre
Fase Bioquímica Reações de carbono                                    Carboxilação                      Regeneração       ...
(ar)                                        Célula do                                         mesófilo                    ...
Evolução do ‘aparato fotossintético’        para a captura da luz                      d l
Towards C4 riceC3 +   Anatomy        Change   +     Biochem                        Change   +      Fine                   ...
C4  RICE   A C4 rice should increase rice yield, water and         nitrogen use efficiency by 30‐50%. No other evolutionar...
QUAL O PRINCIPAL INSUMO PARA A      PRODUÇÃO DE ARROZ?             Ã          ?
LUZ É O PRINCIPAL INSUMOLUZ É O PRINCIPAL INSUMO
Radiação solar incidente               Uruguaiana (27 anos)      Cachoeirinha (27 anos)               Itajaí (11 anos)    ...
Quando o arroz mais precisa dele?
DEMANDA DE ENERGIA SOLAR PARA A CULTURA DO ARROZ, EM FUNÇÃO   DOS    ESTÁDIOS  DE    DESENVOLVIMENTO.     ESTAÇÃO EXPERIME...
Radiação solar incidente               Uruguaiana (27 anos)      Cachoeirinha (27 anos)               Itajaí (11 anos)    ...
Radiação afeta o uso de N                            Fotossíntese                              Nível de                   ...
Estabelecer uma comunidade de plantas capaz de captar a maior   l t          d     t       iquantidade de lu e transformáq...
VAMRCAILNEIEDMJAODE
•   Época de semeadura     • Manejo de plantas•   Adequação do solo        daninhas•   Sistemas de cultivo    • Manejo de ...
• Época de semeadura    • Manejo de plantas• Adequação do solo       daninhas• Sistemas de cultivo   • Manejo de p g      ...
IRGA 410: 8,5 t/ha   IRGA 410: 9,3 t/ha     IRGA 410: 5,6 t/ha 15/09/04              01/11/04              15/12/04IRGA 41...
Rendimento de grãos em função da época desemeadura para as cultivares de ciclo precoce,Uruguaiana período de 2003 a 2009 I...
Rendimento de grãos em função da época desemeadura   para  cultivares   de  ciclo   médio,Uruguaiana, período 2003 a 2009,...
EVOLUÇÃO DA SEMEADURA: MÉDIA DO PERÍODO DE 1993 A 2002,MÉDIAS DOS ANOS 2008 E 209 E DA SAFRA 2009/10. IRGA/DATER,PORTO ALE...
PERCENT                           TUAL - %            0                25                           50                    ...
Preparo antecipado do soloPreparo antecipado do solo
NUTRIÇÃO     Ç
RECOMENDAÇÕES DE ADUBAÇÃO 2010    ADUBAÇÃO PARA DIFERENTES    EXPECTATIVAS DE RESPOSTA
Incrementos de produtividade em função dosníveis de adubação. IRGA , 2006/07                                        Rendim...
Rendimento de grãos de arroz irrigado emfunção dos níveis de uréia e da forma de   çaplicação da mesma. IRGA, 2003.       ...
Nutrição equilibradaNutrição equilibrada
PLANTAS DANINHAS
CONTROLE DE PLANTAS DANINHASCONTROLE DE PLANTAS DANINHAS       ‐ CONTROLAR ATÉ   3‐4                      É             FO...
RENDIMENTO DE GRÃOS DE ARROZ DAS VARIEDADES BR-IRGA 410 E IRGA417, EM FUNÇÃO DE ÉPOCA DE CONTROLE DE CAPIM ARROZ, NA MÉDIA...
TECNOLOGIA CLEARFIELD E A EVOLUÇÃO DA   PRODUTIVIDADE LAVOURA DE ARROZ RSANTES TECNOLOGIA CLEARFIELD   APÓS TECNOLOGIA CLE...
10 DAE   20 DAE   30 DAE
Rendimento de grãos de arroz irrigado em função doatraso da irrigação. EEA/IRGA – Sta. Vitória do Palmar,2003             ...
ESTADIOS DE DESARROLLO DE LA PLANTA DE ARROZ                                  (Counce et al., 2000)
ADEQUAÇÃO     ÉPOCA DEVARIEDADES                SEMEADURA              DO SOLODOENÇAS        MANEJO     PLANTAS           ...
TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA
FLUXO TRADICIONAL DE INFORMAÇÃO         1                           2                      4      5         3             ...
NOVA SUGESTÃO DE FLUXO              DE INFORMAÇÃO                         AGRICULTORESINVESTIGADORES                 1    ...
ESTAÇÕES  EXPERIMENTAIS
P. 10 – DIA DE CAMPO
ROTEIRO SOBRE PREPARO ANTECIPADO DO SOLO      37 PARTICIPANTES
GERENCIAMIENTO DE RECUROS HUMANOS
CURSOS DE CAPACITAÇÃO  DE   TÉCNICOS DO IRGA E INICIATIVA         PRIVADA , 2008‐10CURSO               Partic.Gestão Públi...
Cursos Manejo da Lavoura para  Colaboradores e Produtores     l b d           d           Safra 07/08 Safra 08/09 Safra 09...
AÇÕES DA DIFUSÃO 2008 ‐2010
Evolução da produtividade de arroz   irrigado no RS, 1994 a 2009.                         8                         7     ...
Rendimento de grãos de arroz irrigado no ano2000 e 2008 por faixas de produtividade, em 000    008 po a as         p odut ...
PRODUTIVIDADE: Média geral e por Regional     Safra 2008/2009 e Safra 2009/2010               /                 /Produtivi...
MAIORES PRODUTIVIDADES DO P10 (kg/ha),                  Por Regional - Safra 08/09 e Safra 09/10                          ...
• Competitividade                            • Custo Médio de Produção                                                    ...
CONSUMIDOR MAIOR BENEFICIADO
Maior eficiência no uso de          insumos       4 m3 – 1 kg        de arroz 16                       2 m3 – 1 kg 14     ...
LAVOURA IRGA 424           IRGA 424 LAVOURA  IRGA 424 LAVOURA
Abertura da Colheita - Vitrine                       Tecnológica, EEA/IRGA,2009.                                    EEA/IR...
REVOLUCIÓN PRODUCTIVA EN EL    RIO GRANDE DEL SUR PROYECTO 10 ESTÁS CONTRIBUIDOPARA INCREMENTAR LA PRODUCCIÓN           DE...
MUCHAS GRACIAS
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil

586

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
586
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Revolución Agronómica en Rio Grande do Sul, Brasil"

  1. 1. SISTEMAS DE PRODUÇÀOARROZ DE SEQUEIRO ARROZ IRRIGADO 74% DA PRODUÇÃO DE ARROZ 26% DA PRODUÇÃO NO BRASIL
  2. 2. PRODUÇÃO DE ARROZ IRRIGADO NO BRASIL < 40% DA ÁREA + 70% DA PRODUÇÃO Ã RS e SC
  3. 3. PRODUTIVIDADE: Média geral Safra 2008/2009 e Safra 2009/2010 / / SAFRA 2008/09ÁREA : 1.107.000 haÁREA 1 107 000 hPRODUÇÃO: 8.025.750 tPRODUTIVIDADE: 7,28 t/ha 1 2 4 5 SAFRA  2009/10 3ÁREA: 1.053.00 há 6 REGIÕES 1- Fronteira OestePRODUÇÃO: 6.800.000 2- Campanha 3- Depressão Central 4 4- Planície Costeira InternaPRODUTIVIDADE: 6.46 /hPRODUTIVIDADE 6 46 t/ha 5- Planície Costeira Externa 6- Sul
  4. 4. Evolução da produtividade de arrozirrigado no RS, período 1994 a 2003.IRGA 2010. 8 7 Produtivida Mg ha-1 1 6 ade 5 4 0 1994 95 96 97 98 99 00 01 02 03 Ano agrícola
  5. 5. Produtividade de arroz no RS no ano 2000estratificada por área e número deprodutividades IRGA 2000produtividades. 2000. 35 30,2 30 2 30,2 30 2 Área 30 Produtores 27,8 27 ntagem - % 25 22,8 , 20 19 16 15 Porcen 13,3 10 1,9 19 4,7 5 1,9 0,9 0 0 0 <5 5,1-6 6,1-7 7,1-8 8,1-9 9,1-10 >10 Faixa de produtividade - t/ha
  6. 6. PORQUE OS RENDIMENTOS EM NÍVEL DE CAMPOESTÃO MUITO ABAIXO DO POTENCIALPRODUTIVO DAS VARIEDADES? PRÁTICAS AGRONÔMICAS DEFICIENTES; PRECISÃO DAS P. AGRONÔMICAS; NÃO ADOÇÃO DE MANEJO INTEGRADO; TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA;
  7. 7. FotossínteseProcesso biológico de oxidação e redução g ç ç Luz CO2 + H2O + H O     (CH2O) + O2 O) + O 2840kJ/mol hexose formada 2840kJ/mol hexose formada Membranas do  tilacóide Órgãos verdes  Órgãos verdes FONTES Estroma Prof. Carla Delatorre
  8. 8. Fotossíntese hv Fase H2O fotoquímica q O2 (membranas do  tilacóide) ATP NADPH Fase CO2 Bioquímica i í i CH2O (estroma) Prof. Carla Delatorre
  9. 9. Fase Fotoquímica : transporte de elétronsEstroma Prof. Carla Delatorre
  10. 10. Fase Bioquímica Reações de carbono Carboxilação Regeneração Fosfoglicerato quinase Redução Gliceraldeído‐3‐P desidrogenase Carbono assimilado carboidrato Prof. Carla Delatorre
  11. 11. (ar) Célula do  mesófilo • Fi ã Fixação produz ácido de 4C d á id d 4C Fosfoenolpiruvato • PEPcase atua sobre HCO3 invés de PEPcase atua sobre HCO invés de Carboxilação CO2  ‐ não há competição com O2 Regeneração Ácido C4 Ácido C3 • L li ã Localização específica das Enzimas  ífi d E i do ciclo de Calvin Ácido C4 Descarboxilação • ácido de 3C retorna as células do  Ciclo de Calvin mesófilo para regenerar PEP • Consumo extra de 2 ATP (regeneração Ácido C3 de PEP) Célula da bainha do  feixe vascular 13 Prof. Carla Delatorre
  12. 12. Evolução do ‘aparato fotossintético’  para a captura da luz d l
  13. 13. Towards C4 riceC3 + Anatomy Change + Biochem Change + Fine Tuning = C4 REVERSION Screening of sorghum mutants for  revertants Screening of sorghum mutants for ‘revertants’  in anatomy and physiology Dry Season 2009 DOBERMAN, A.
  14. 14. C4  RICE  A C4 rice should increase rice yield, water and  nitrogen use efficiency by 30‐50%. No other evolutionary mechanism exists that could be added to a C3 rice so as to deliver that superior  combination of benefits. DOBERMAN, A.
  15. 15. QUAL O PRINCIPAL INSUMO PARA A  PRODUÇÃO DE ARROZ? Ã ?
  16. 16. LUZ É O PRINCIPAL INSUMOLUZ É O PRINCIPAL INSUMO
  17. 17. Radiação solar incidente Uruguaiana (27 anos) Cachoeirinha (27 anos) Itajaí (11 anos) 600 500 400 300 200 100 0 jul ago set out nov dez jan fev mar abr mai jun MesesDados fornecidos pela EPAGRI e FEPAGRO
  18. 18. Quando o arroz mais precisa dele?
  19. 19. DEMANDA DE ENERGIA SOLAR PARA A CULTURA DO ARROZ, EM FUNÇÃO DOS ESTÁDIOS DE DESENVOLVIMENTO. ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DE AGRICULTURA DO TEXAS – TEXAS-EUA, 1975. TEXAS EUA, 100 querida cumulativa (percentu do poss sível) PERÍODO 75 CRÍTICO DE DEMANDA DE LUZ PARA ual Lu solar req RENDIMENTO DE GRÃOS 50 uz FASE VEGETATIVA FASE REPRODUTIVA 0 EMERGÊNCIA Ê 1 DPP FLORESCI‐ FLORESCI ENCHIMENTO MATURAÇÃO Ã AFILHO MENTO GRÃOS Estádios de desenvolvimentoFONTE: STANSEL, 1975
  20. 20. Radiação solar incidente Uruguaiana (27 anos) Cachoeirinha (27 anos) Itajaí (11 anos) 600 500 400 300 200 100 0 jul ago set out nov dez jan fev mar abr mai jun MesesDados fornecidos pela EPAGRI e FEPAGRO
  21. 21. Radiação afeta o uso de N Fotossíntese Nível de açúcar Transportador de Nitrato
  22. 22. Estabelecer uma comunidade de plantas capaz de captar a maior  l t d t iquantidade de lu e transformáquantidade de luz e transformá‐ la na maior quantidade grãos  por unidade de área id d d á
  23. 23. VAMRCAILNEIEDMJAODE
  24. 24. • Época de semeadura • Manejo de plantas• Adequação do solo daninhas• Sistemas de cultivo • Manejo de p g j pragas• Nutrição de plantas • Manejo de doenças• Irrigação e drenagem • Aplicação adequada• Cultivares dos pesticidas d i id• Aplicação dos insumos ( i (precisão) i ã )
  25. 25. • Época de semeadura • Manejo de plantas• Adequação do solo daninhas• Sistemas de cultivo • Manejo de p g j pragas• Nutrição de plantas • Manejo de doenças• Irrigação e • Aplicação adequada drenagem dos pesticidas d i id• Cultivares• A li Aplicação d ã dos insumos (precisão)
  26. 26. IRGA 410: 8,5 t/ha IRGA 410: 9,3 t/ha IRGA 410: 5,6 t/ha 15/09/04 01/11/04 15/12/04IRGA 410: 10,2 t/ha IRGA 410: 7,9 t/ha IRGA 410: 2,3 t/ha 01/10/04 01/10/04 15/11/04 30/12/04IRGA 410: 11 1 t/ha 11,1 IRGA 410: 6,2 t/ha , / 17 DE JANEIRO15/10/04 01/12/04
  27. 27. Rendimento de grãos em função da época desemeadura para as cultivares de ciclo precoce,Uruguaiana período de 2003 a 2009 Irga 2010Uruguaiana, 2009, 100 90 80 rãos - % 70 Rendimento relativo de gr 60 50 o 40 30 20 10 SET SET OUT OUT NOV NOV DEZ DEZ 1a Q 2a Q 1a Q 2a Q 1a Q 2a Q 1a Q 2a Q 0 0 15 30 45 60 75 90 105 120 Época de semeadura - dias após 1-set y = 76,2 + 0,62x - 0,008x² R² = 0,41 IC = 95%
  28. 28. Rendimento de grãos em função da época desemeadura para cultivares de ciclo médio,Uruguaiana, período 2003 a 2009, Irga 2010 100 90 80 Rendimento relativo de grão - % os 70 60 50 r 40 30 20 10 SET SET OUT OUT NOV NOV DEZ DEZ 1a Q 2a Q 1a Q 2a Q 1a Q 2a Q 1a Q 2a Q 0 0 15 30 45 60 75 90 105 120 Época de semeadura - dias após 1-set y = 91,4 + 0,19x - 0,005x² R² = 0,64 IC = 95%
  29. 29. EVOLUÇÃO DA SEMEADURA: MÉDIA DO PERÍODO DE 1993 A 2002,MÉDIAS DOS ANOS 2008 E 209 E DA SAFRA 2009/10. IRGA/DATER,PORTO ALEGRE 2010 ALEGRE, 2010. 98,6 100 100 MÉDIA DE 1993 a 2002 MÉDIA DE 2008 e 2009 SAFRA 2009/10 75 NTUAL - % 62,8 55,3 50 PERCEN 30,4 25 0 V V V V T T T T EZ EZ EZ EZ 15 N N T T T T U U U U SE SE SE SE O O O O JA JA D D D D O O O O N N N N 07 15 22 30 07 07 15 23 30 07 15 23 30 07 15 24 30
  30. 30. PERCENT TUAL - % 0 25 50 75 10007 SE15 T SE22 T SE30 T SE07 T O JAGUARÃO U15 T Jaguarão, O U23 T O RS - SAFRA 2009/10 U30 T O 62,8 U07 T N 98,6 O15 V N O24 V N O30 V N O07 V D E15 Z D E23 Z 100 D E30 Z D E07 Z JA15 N Jaguarão safra 2009/10 JA Evolução da semeadura em N
  31. 31. Preparo antecipado do soloPreparo antecipado do solo
  32. 32. NUTRIÇÃO Ç
  33. 33. RECOMENDAÇÕES DE ADUBAÇÃO 2010  ADUBAÇÃO PARA DIFERENTES EXPECTATIVAS DE RESPOSTA
  34. 34. Incrementos de produtividade em função dosníveis de adubação. IRGA , 2006/07 Rendimento Médio de 11 experimentos 10 3,74 3,93 2,86 8 1,92 /ha Rendimento de grãos, t/ 6 4 R 2 0 0 2 3 4 6 Incremento em produtividade. t/ha
  35. 35. Rendimento de grãos de arroz irrigado emfunção dos níveis de uréia e da forma de çaplicação da mesma. IRGA, 2003. 16 Uréia na água 14 imento de grãos - kg ha-1 Uréia no seco 12 k 10 8 e 6 4 Rendi 2 0 0 80 160 240 320 -1 Níveis de nitrogênio - kg ha
  36. 36. Nutrição equilibradaNutrição equilibrada
  37. 37. PLANTAS DANINHAS
  38. 38. CONTROLE DE PLANTAS DANINHASCONTROLE DE PLANTAS DANINHAS ‐ CONTROLAR ATÉ   3‐4  É FOLHAS ‐ ÁGUA CEDO 
  39. 39. RENDIMENTO DE GRÃOS DE ARROZ DAS VARIEDADES BR-IRGA 410 E IRGA417, EM FUNÇÃO DE ÉPOCA DE CONTROLE DE CAPIM ARROZ, NA MÉDIA DETRÊS ANOS, EEA/IRGA, CACHOEIRINHA, RS, 1999. 8 Eq. logistica cv BR-IRGA 410 rend=7,66/(1+exp(0,03*(x-69,03)))^3,45+2,84 rend=7 66/(1+exp(0 03*(x 69 03)))^3 45+2 84 -1 7 Rendimento de grão - t ha 6 os 5 o 4 3 Eq. logistica cv IRGA 417 2 rend=4,94/(1+exp(0,04*(x-83,19)))^5,75+2,69 0 0 102030 45 60 85 s/ controle / t l Dias após a emergência Épocas de controle de capim arroz
  40. 40. TECNOLOGIA CLEARFIELD E A EVOLUÇÃO DA PRODUTIVIDADE LAVOURA DE ARROZ RSANTES TECNOLOGIA CLEARFIELD APÓS TECNOLOGIA CLEARFIELD PRODUTIVIDADE PRODUTIVIDADE g 4.000 kg/ha g 8.000 kg/ha
  41. 41. 10 DAE 20 DAE 30 DAE
  42. 42. Rendimento de grãos de arroz irrigado em função doatraso da irrigação. EEA/IRGA – Sta. Vitória do Palmar,2003 12 11,2 11 2 10 RÃOS- Mg ha-1 10 9,2 g 8 REN DE GR 6 4 ND. 2 0 10 DAE 20 DAE 30 DAE ÉPOCA DE IRRIGAÇÃO
  43. 43. ESTADIOS DE DESARROLLO DE LA PLANTA DE ARROZ (Counce et al., 2000)
  44. 44. ADEQUAÇÃO ÉPOCA DEVARIEDADES SEMEADURA DO SOLODOENÇAS MANEJO PLANTAS INTEGRADO DANINHAS NUTRIÇÃO MANEJO INSETOS DE PLANTAS DE AGUA
  45. 45. TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA
  46. 46. FLUXO TRADICIONAL DE INFORMAÇÃO 1 2 4 5 3 6INVESTIGADORES EXTENSIONISTAS AGRICULTORES
  47. 47. NOVA SUGESTÃO DE FLUXO DE INFORMAÇÃO AGRICULTORESINVESTIGADORES 1 2B EXTENSIONISTAS 2A 3 4 5
  48. 48. ESTAÇÕES  EXPERIMENTAIS
  49. 49. P. 10 – DIA DE CAMPO
  50. 50. ROTEIRO SOBRE PREPARO ANTECIPADO DO SOLO 37 PARTICIPANTES
  51. 51. GERENCIAMIENTO DE RECUROS HUMANOS
  52. 52. CURSOS DE CAPACITAÇÃO  DE  TÉCNICOS DO IRGA E INICIATIVA  PRIVADA , 2008‐10CURSO Partic.Gestão Pública  35ModernaGestão 50Participativa de ProjetosAdequação 275AmbientalMICA 277Fertilidade do  70solo e nutriçãoFundamentos  96ManejoFundamentos  26para secagem de  dgrãosTOTAL 829
  53. 53. Cursos Manejo da Lavoura para  Colaboradores e Produtores  l b d d Safra 07/08 Safra 08/09 Safra 09/10 Safra 08/09 Safra 09/10 63/2134 131/3977 35/1378
  54. 54. AÇÕES DA DIFUSÃO 2008 ‐2010
  55. 55. Evolução da produtividade de arroz irrigado no RS, 1994 a 2009. 8 7 idade Mg ha-1 6 PROJETO 10 OJ O 0 Produtivi 5 4 0 1994 95 96 97 98 99 00 01 02 03 04 05 06 07 08 09 Ano agrícola
  56. 56. Rendimento de grãos de arroz irrigado no ano2000 e 2008 por faixas de produtividade, em 000 008 po a as p odut dade, efunção da área cultivada, IRGA 2009. 35 33,3 , Área cultivada com arroz - % 30,2 2000 30 27,7 27 2008 25 a 22,8 22,3 20 15 13,3 10 7,8 , 6,4 4,7 5 1,7 1,9 0,8 0 0 <5 5,1-6 6,1-7 7,1-8 8,1-9 9,1-10 >10 Faixas de produtividade
  57. 57. PRODUTIVIDADE: Média geral e por Regional Safra 2008/2009 e Safra 2009/2010 / /Produtividade:Safra 2008/2009Média RS 7.832  7.281 7 281 kg/ha 6.971 Produtividade: 1 7.108  2 6.751 Safra 2009/2010 5.620 4 7.429  7 429 6.107 6 107Média RS 6.842  5 6.293  6.186 3 6.456 kg/ha 6 REGIÕES 1- Fronteira Oeste 2- Campanha 7.007  3- Depressão Central 4- Planície Costeira Interna 6.844  5- Planície Costeira Externa 6- Sul
  58. 58. MAIORES PRODUTIVIDADES DO P10 (kg/ha), Por Regional - Safra 08/09 e Safra 09/10 1Safra 2008/2009 13.900 11.850 2 12.808 12.100Safra 2009/2010 4 11.580 10.900 10.800 10.900 10 900 11.360 3 5 10.031 6 REGIÕES 11.650 1- Fronteira Oeste 2- Campanha 11.100 3- Depressão C t l 3 D ã Central 4- Planície Costeira Interna 5- Planície Costeira Externa 6- Zona Sul
  59. 59. • Competitividade • Custo Médio de Produção Custo unitário (R$/saco 50kg) 33.48  33.00 35.00 35 00 30.91  - 21,8%30.00  26.64  26.19 24.12 25.00 20.00 15.00  2002/03 2003/04 2004/05 2005/06 2006/07 2007/08 Instituto Rio Grandense do Arroz
  60. 60. CONSUMIDOR MAIOR BENEFICIADO
  61. 61. Maior eficiência no uso de  insumos 4 m3 – 1 kg de arroz 16 2 m3 – 1 kg 14 de arroz 12 ≤ 1 m3 – 1 kg de arroz 10 8 kg/ha 6 m3/ha 4 2 0 1970-80 1970 80 2005-06 2005 06 meta t
  62. 62. LAVOURA IRGA 424 IRGA 424 LAVOURA  IRGA 424 LAVOURA
  63. 63. Abertura da Colheita - Vitrine Tecnológica, EEA/IRGA,2009. EEA/IRGA,2009. 15,8 16 13,8 13,8 13,6 idade t/ha 13,4 12,9 12 8Produtivi 4 0 Híbrido 9 Apsa CL Avaxi CL Sator CL 424 média 424 pa ce a parcela
  64. 64. REVOLUCIÓN PRODUCTIVA EN EL RIO GRANDE DEL SUR PROYECTO 10 ESTÁS CONTRIBUIDOPARA INCREMENTAR LA PRODUCCIÓN DEL ARROZ
  65. 65. MUCHAS GRACIAS

×