Museus de ciencias parques e reservas florestais de cianorte
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Museus de ciencias parques e reservas florestais de cianorte

on

  • 2,277 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,277
Views on SlideShare
2,274
Embed Views
3

Actions

Likes
0
Downloads
8
Comments
0

2 Embeds 3

http://www.mudi.uem.br 2
http://www.slideshare.net 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Museus de ciencias parques e reservas florestais de cianorte Museus de ciencias parques e reservas florestais de cianorte Document Transcript

  • SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL UNIVERSIDADE ESDADUAL DE MARINGÁ SELMA ABREU AMORIM CADERNO TEMÁTICO MUSEUS DE CIÊNCIAS, PARQUES E RESERVAS FLORESTAIS DE CIANORTE EREGIÃO: POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO NA DINAMIZAÇÃO DO ENSINO FORMAL DE CIÊNCIAS POR MEIO DO ENSINO NÃO FORMAL MARINGÁ 2010
  • SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL UNIVERSIDADE ESDADUAL DE MARINGÁ SELMA ABREU AMORIM CADERNO TEMÁTICO MUSEUS DE CIÊNCIAS, PARQUES E RESERVAS FLORESTAIS DE CIANORTE EREGIÃO: POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO NA DINAMIZAÇÃO DO ENSINO FORMAL DE CIÊNCIAS POR MEIO DO ENSINO NÃO FORMAL Produção didático-pedagógica desenvolvida por meio do Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE na área de Ciências tendo como tema de estudo A Articulação do Ensino de Sistemático de Ciências com Centros e Museus de Ciências. Orientador: Prof.º Dr.º Marcílio Hubner de Miranda Neto Maringá 2010
  • SUMÁRIOINTRODUÇÃO ................................................................................................................................ 01Museu Interdisciplinar de Ciências da Universidade Paranaense – Umuarama ............................... 03Museu Interdisciplinar de Ciências da Universidade Paranaense – Cianorte ................................... 04Museu Dinâmico Interdisciplinar da Universidade Estadual de Maringá ........................................ 05Galeria de Fotos do Museu Dinâmico Interdisciplinar – UEM ...................................................... 07Parque municipal Cinturão Verde de Cianorte ................................................................................. 08Galeria de Fotos do Parque municipal Cinturão Verde de Cianorte ................................................ 10Parque Estadual Vila Rica do Espírito Santos – Fênix .................................................................... 12Galeria de Fotos do Parque Estadual Vila Rica do Espírito Santos ................................................. 13Parque Estadual Lago Azul – Campo Mourão .................................................................................. 14Galeria de Fotos do Parque Estadual Lago Azul ............................................................................... 16Estação Ecológica Cerrado – Campo Mourão .................................................................................. 17Galeria de Fotos da Estação Ecológica Cerrado ............................................................................... 18Parques Municipais de Umuarama: Bosques dos Xetás e do Uirapuru – Umuarama ...................... 19Galeria de Fotos dos Parques Municipais de Umuarama .................................................................. 20Reserva Florestal de Figueira do Oeste e Viveiro de Mudas do IAP ................................................ 21Galeria de Fotos da Reserva Florestal de Figueira do Oeste ............................................................. 22Reserva Particular do Patrimônio Natural - São Manoel do Paraná .............................................. 23Galeria de fotos da Reserva do Patrimônio Particular Natural ......................................................... 24Reservas e Floresta Urbanas e Parques Municipais de Maringá ....................................................... 25Galeria de fotos das Reservas e Floresta Urbanas e Parques Municipais de Maringá ...................... 26BIBLIOGRAFIA CONSULTADA .................................................................................................. 29
  • INTRODUÇÃO O presente Caderno Temático intitulado Museus de Ciências, Parques e Reservas Florestais deCianorte e Região: possibilidades de utilização na dinamização do ensino formal de ciências por meio doensino não forma é uma produção didático-pedagógica, atividade prevista no Plano Integrado deFormação Continuada propiciada pela Secretaria de Estado da Educação do Paraná – SEED, pormeio do Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE, em conjunto com a UniversidadeEstadual de Maringá – UEM e sob a orientação do Prof.º Dr.º Marcílio Hubner de Miranda Neto,professor titular do departamento de Ciências Morfológicas da Universidade Estadual de Maringá. Segundo a Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciências, ao longo da últimadécada, museus e centros de ciência vêm sendo criados em todo o país. Porém, de acordo com oedital do CNPq n.º 064/2009, os espaços científico-culturais brasileiros, especialmente aqueles comcaracterísticas interativas, são relativamente poucos, apresentam distribuição muito desigual peloterritório nacional e exibe números muito baixos de visitação: cerca de 4% da população visitaalguma destas instituições uma vez por ano. O Coordenador do Museu Dinâmico Interdisciplinar da Universidade Estadual de Maringá(MUDI/UEM) Marcílio Hubner de Miranda Neto atribui esse baixo índice ao desconhecimentosobre a existência dessas instituições e de seu potencial para a divulgação e popularização do sabercientífico e de sua real contribuição para a educação. Além dos museus de ciências os parques e reservas florestais possuem um excelentepotencial pedagógico ainda pouco explorado pelas escolas. Cabe destacar que o ambiente urbano pode ser considerado um dos ambientes mais alteradospela ação antrópica, por isso, áreas verdes instaladas no interior das cidades se tornam importantespara o desenvolvimento de pesquisas científicas e de ações educativas, pois constituem espaçosonde as condições ecológicas são mais próximas das condições naturais do que no resto da cidadepropiciando a contemplação humana e a educação ambiental além de possuir extrema importânciasocial proporcionando lazer, saúde, melhoria na qualidade de vida no meio urbano, conhecimentocientífico à população local e também de outras áreas. Nosso objetivo ao conhecer e divulgar esses espaços é incentivar o uso dos mesmos paraproposição de atividades educativas de diferentes áreas do conhecimento para todas as faixas etárias,quer seja por meio de atividades de educação não formal programadas por professores paravivenciar e complementar o ensino/aprendizagem proporcionado pela escola, bem como por meioda educação informal onde qualquer membro da comunidade possa vivenciar e aprender em taisespaços. 1
  • Por considerar que os espaços de educação não formal apresentam-se como complementaresà educação formal e que muitos educadores desconhecem essas instituições, bem como seupotencial pedagógico para melhoria do ensino de ciências e para a efetivação da alfabetizaçãocientífica, elaboramos uma coletânea de endereços de locais que visitamos com o objetivo deproporcionar aos professores do ensino básico, em particular aos do Núcleo Regional de Educaçãode Cianorte, conhecimentos sobre as possibilidades educativas de museus de ciências, parques ereservas florestais, herbários, trilhas ecológicas com acervos e enfoque importantes para ensino econstrução da cultura científica. Esta produção contém informações sobre agendamento de visitas, meios de contato(telefone, e-mail, endereços), horários de atendimento, enfoque dos conteúdos, acervo, ações quepromovem tais como, oficinas destinadas a professores e comunidade em geral, exposiçõesitinerantes, pesquisas, divulgação, atividades culturais, entre outras e Esta produção resulta daexperiência vivenciada pelos autores em dois cursos de extensão ofertados pelo Museu DinâmicoInterdisciplinar da UEM (MUDI/UEM) em parceria com a Coordenadoria de Apoio ao EnsinoBásico (CAE/UEM) nos quais os cursistas tiveram fundamentação teórica e realizaram atividadespráticas por meio de processo de visitação e discussão de espaços do ensino não formal do Rio deJaneiro e da Patagônia Argentina. 2
  • MUSEU INTERDISCIPLINAR DE CIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE PARANAENSE Av. Brasil, 1123 - Centro Cianorte PR CEP 87200-000 Tel. (44) 3629-3000 www.unipar.br Visitação Segunda a sexta • Manhã e Noite O Museu Interdisciplinar de Ciências (MIC) está vinculado à Universidade Paranaense(UNIPAR), Unidade Campus de Cianorte e encontra-se em fase de estruturação. Com uma estruturafísica de 110,67m² este espaço recebe escolas da região, para a realização de atividades sobre ostemas das exposições e visitas ligadas à área de Ciências. Todo material de seu acervo foi confeccionado pelos acadêmicos do curso de CiênciasBiológicas tendo como destaque os esqueletos de animais e animais taxidermizados, a maioria delesé vítima de atropelamentos. Entre as peças podem ser observados mamíferos de pequeno e grandeporte, aves diversas, répteis, anfíbios e peixes. Os animais taxidermizados estão acomodados em réplica do Parque Cinturão verde, complantas artificiais representando o ambiente. Possui também quadro comparativo de mamíferos eaves, protótipo de esqueleto humano, maquetes de célula animal e vegetal, maquete sobrefecundação, maquete sobre gêmeos uni e bivitelínicos, maquetes de esporos de fungos, fungosfixados, crânio em corte sagital, protótipo desenvolvimento embrionário, fetos fixados, maquete dosistema solar em parede com os planetas suspensos, dispõe de 01 relógio de parede, 01 bancada emmadeira de 1,98 m x 1,10 m, 02 balcões em madeira para acomodação de material arqueológico,geológico e paleontológico e 01 balcão com vidro para acomodação de rochas. As visitas devem ter agendamento prévio e podem ser realizadas na coordenação de CiênciasBiológicas ou por telefone.Para saber mais acesse:http://www.unipar.br/home/principal.php?laboratorio=294&desc=Ambientes%20%20EspeciaisAcesso em 30 jul. 2010. 3
  • MUSEU INTERDISCIPLINAR DE CIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE PARANAENSE Praça Mascarenhas de Moraes, s/n, bl. A, térreo - Centro Umuarama PR CEP 87502-210 Tel. (44) 3621-2828 r.1470 • Fax (44) 3621-2849 www.unipar.br Visitação Segunda a sexta • 7:30h. às 11:30h. e 13:30h. às 17:00h. O Museu Interdisciplinar de Ciências (MIC) está vinculado à Universidade Paranaense(UNIPAR), Unidade Sede, Campus I de Umuarama. Foi fundado em março de 2003 e vemdesenvolvendo atividades de difusão científica desde então. Além de coletar, reunir, classificar, catalogar, confeccionar e expor peças, como esqueletos,animais empalhados, embalsamados, peças de anatomia humana preparadas com técnicas especiais,desenvolve visitas monitoradas voltadas ara escolas de ensino fundamental e médio. Para ospróximos anos, prevê implantar as atividades de cursos, seminários e organização de kits de materialdidático, de modo a vir apoiar além do ensino de Ciências a organização de Feiras de Ciências. Seu acervo conta com lupa estereomicroscópica, microscópio óptico binocular, freezer,coleções de esqueletos de animais domésticos e silvestres, uma coleção de crânios com coloração desua composição óssea, coleção de animais silvestres Taxidermizados (empalhados), uma coleção depeças anatômicas (humana) com patologias, além de peças ósseas anatômicas diafanizadas,desidratadas e mumificadas. A exposição e preparação do material é realizada por técnico do museu e por alunos doscursos de Ciências Biológicas e áreas afins e supervisionadas por professores da instituição. Para o agendamento as escolas e colégios entram em contato com o PROVE, que agenda odia da visita e comunica os setores envolvidos dentre eles o MIC. As visitas são acompanhadaspelos acadêmicos monitores do Museu ou pelo Responsável Técnico.Para saber mais acesse:http://www.unipar.br/home/principal.php?laboratorio=114&dec=Ambiente%20%20EspeciaisAcesso em 30 jul. 2010. 4
  • MUSEU DINÂMICO INTERDISCIPLINAR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ Av. Colombo, 790, bl. O-33, Campus da UEM Maringá PR CEP 87020-900 Tel. (44) 3011-4930 www.uem.br • www.mudi.uem.br Visitação Terça a sexta • 8:00h.às 11:30h. e 14:00h. às 17:00h. Quarta • 19:00h. às 22:00h. Domingo • 14:00h. às 18:00h. Surgiu do amadurecimento do projeto Centro Interdisciplinar de Ciências – CIC criado em1985 com o objetivo de constituir-se num centro de Educação continuada para a comunidade emgeral, de atualização para professores das Redes Estadual, Municipal e Privada e, também, centro deobservações sistemáticas para coleta de dados para pesquisas. Inicialmente funcionava em espaçospequenos e improvisados que dificultava o atendimento a demanda da comunidade leiga e escolar. A partir de 2005 com a inauguração da sede do MUDI, um prédio com 1650m2, foi possívelaumentar a oferta de cursos, em sua sede, relacionados à capacitação de professores, formação demonitores, inclusão digital e socialização de conhecimentos com a comunidade leiga. Foi tambémpossível implantar diversos ambientes interativos, que se prestam à educação informal, com asseguintes temáticas: anatomia e fisiologia comparada; berçário de orquídeas e bromélias; química davida; ludoteca experimentoteca de física e antropologia cultural. Além de laboratório de informáticacom oferta de cursos para a comunidade, sala multiuso para palestras educativas, espaço paraexposições artísticas e científicas da UEM e de outras instituições. No ano de 2010 ampliou seu espaço inaugurando uma nova ala de 640m², ultrapassando2000m². A ampliação chegou com outras melhorias: pintura, estacionamento e pátio de manobras,aquisição de novos equipamentos, instalação de elevador, montagem de três novas exposições: umade Matemática outra de Astronomia e Arte e a denominada Segundo Cérebro. Nesta última, osalunos do mestrado e do doutorado Biologia comparada, Biologia Celular e Farmacologia ajudam ovisitante a desvendar os segredos deste outro cérebro que poucas pessoas conhecem. Como projetofuturo prevê um jardim das estações, um jardim da evolução e instalação de uma rosa dos ventos. Em seu acervo há peças de história natural, animais empalhados, plantas nativas, esqueletosde mamíferos, répteis e peixes. Conta com mais de 40 experimentos interativos de física comdestaque ao giroscópio humano e ao caleidoscópio gigante. O MUDI desenvolve um grande trabalho de educação não formal e informal através devisitas monitoradas, palestras, cursos, programa de rádio, espetáculos teatrais, musicais e eventos, 5
  • realizados na Universidade Estadual de Maringá, ou em outros locais como parte das açõesitinerantes do museu. As visitas de grupos de alunos, grupos de idosos, devem ser agendadas previamente na sededo MUDI ou por telefone. As visitas individuais ou de grupos familiares são livres e não carecem deagendamento prévio. Aos domingos o enfoque das visitas é principalmente para grupos familiares.Para saber mais acesse:http://www.mudi.uem.br/ Acesso em 30 jul. 2010. 6
  • GALERIA DE FOTOS MUSEU DINÂMICO INTERDISCIPLINAR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁFigura nº01 Ecossistema (Acervo pessoal) Figura nº02 Orquídea (Acervo pessoal) Figura nº03 Tabela periódica (Acervo pessoal)Figura nº04 Jardim medicinal (Acervo pessoal) Figura nº05 Esqueleto/cavalo(Acervo pessoal) Figura nº06 Esqueleto humano (Acervo pessoal)Figura nº07 Anatomia comp. (Acervo pessoal) Figura nº08 Sinuca elíptica (Acervo pessoal) Figura nº 09 Estatuetas (Acervo pessoal) Figura nº 10 Giroscópetro (Acervo pessoal) Figura nº11 Elet./física (Acervo pessoal) Figura nº12 Espetáculo teatral (Acervo pessoal) 7
  • PARQUE MUNICIPAL CINTURÃO VERDE Cianorte PR CEP 87200-000 Tel. (44) 3619-6200 www.cianorte.pr.gov.br Visitação Livre acesso à parte externa Situada na região Noroeste do Paraná entre as coordenadas geográficas 23º 40`de latitude Sule 52º 38` de longitude Oeste, com altitude de 490m, Cianorte oferece 50m2 de área verde porhabitante, mais de quatro vezes o valor mínimo recomendado pela ONU (Organização Mundial daSaúde). O município detém o Parque Cinturão Verde, formado por 313 hectares da mata nativa, quecircunda toda a cidade e conserva uma riquíssima biodiversidade. Trata-se da segunda maior reservaurbana do Brasil (atrás somente da Floresta da Tijuca, no Rio de Janeiro). O Parque representa um dos últimos remanescentes de Floresta Estacional SemidecidualSubmontana com influência do Cerrado, apresentando vegetação heterogênea e exuberante tendocomo destaque espécies como: peroba (aspidosperma polyphylla), canela (Ocotea sp), cedro(Cedrela fissilis), palmito (Euterpe edulis) e ipê (Tabebuia avellanedae), entre outras. Centenas de espécies de animais silvestres, muitas delas em extinção no Brasil, tem como ohabitat o Parque Cinturão Verde. São macacos, quatis, cobras, ouriços, lagartos, pássaros,tamanduás e jaguatiricas, além de uma grande diversidade de aves. Criado pela Lei Municipal N.º 2.067/2000, o Parque é uma Unidade de Conservação deProteção Integral, composto por diversos fragmentos florestais que cercam a cidade e que aindaconservam uma riquíssima biodiversidade, dividida em oito fragmentos florestais: Perobas, Imbituva,Corujinha, Cristalino, Uruçora, Fantasminha, Mandhuy e Vidigal. Os nomes dos módulos Ibituva, Corujinha, Cristalino, Uruçoca e Fantasminha devem-se aos córregosque nascem e percorrem o Cinturão verde; O nome Perobas remete a Reserva Biológica das Perobas comárea de 8176ha. entre Tuneiras do Oeste e Cianorte que detém 30% da extensão total da reserva; o móduloManduhí é mais conhecido como “Mãe Biela”, Mãe Biela era uma espécie de mãe de santo conhecida portodos do local, cuja casa foi engolida pela voçoroca que daí em diante passou a ser denominada “Erosão daMãe Biela”; Os nomes Cristalino, Ibituva e Vidigal remetem-se as denominações de comunidades rurais deCianorte onde estão localizados. Por tratar-se de reserva de proteção integral não permite visita a sua área que é monitorada porguardas-parque. Cientistas e pesquisadores devem obter autorização na sede da Apromac. para realização deestudos na área. Professores e comunidade podem realizar observações e atividades culturais ou de lazer emseu perímetro que é delimitado por alambrados. Dentre as atividades desenvolvidas pelos freqüentadores do parque, a caminhada, o cooper e a 8
  • ginástica se destacam, pois vários módulos possuem pista de caminhada, aparelhos para alongamento eacademia para a terceira idade. A garotada conta ainda com parque infantil e quadras de areia para recreação. A área externa é de livre acesso não sendo necessário agendamentos, porém não é permitido transitarcom animais domésticos, patins ou esquetes. Também não é permitido alimentar animais silvestres que porventura se aproximem dos freqüentadores.Para saber mais acesse:http://www.apromac.org.br/ Acesso em 30 jul. 2010.http://www.apromac.org.br/cv001.htm Acesso em 30 jul. 2010.http://www.cianorte.pr.gov.br/secretaria.php?codigo=13&nome=Meio+AmbienteAcesso em 30 jul. 2010. 9
  • GALERIA DE FOTOS PARQUE MUNICIPAL CINTURÃO VERDEFigura nº13 Parque Cinturão Verde Figura nº14 Trecho pista de caminhada Figura nº15 Aparelhos para ativ. FísicaMódulo Perobas (Acervo Pessoal) Módulo Perobas (Acervo Pessoal) Módulo Perobas (Acervo pessoal)Figura nº16 Trilha das Perobas Figura nº17 Trilha das Perobas Figura nº.18 Trilha do FantasminhaMódulo Perobas (Acervo Pessoal) Módulo Perobas (Acervo Pessoal) Módulo Fantasminha (Acervo Pessoal)Figura nº.19 Peroba (Aspidosperma polyphylla) Figura nº20 .Perobas-Praça Rui Barbosa Figura nº21 Aparelhos para alongamento(Acervo Pessoal) (Acervo Pessoal) (Acervo Pessoal)Figura nº22 .Pista de caminhada Figura nº.23 Pista de caminhada Figura nº.24 Pista de caminhadaMódulo Perobas (Acervo Pessoal) Módulo Corujinha (Acervo Pessoal) Rodovia para Vidigal (Acervo Pessoal) 10
  • Figura nº25 Trecho Pista de caminhada Figura nº.26 Área de Recuperação Ambiental Figura nº 27 Placa informativaMódulo Corujinha (Acervo pessoal) Módulo Corujinha (Acervo Pessoal) Rodovia para Vidigal (Acervo pessoal)Figura nº.28 Centro de Educação Ambiental Figura nº29 Área de lazer Figura nº30 Área de lazerMódulo Manduhí (Acervo Pessoal) Módulo Manduhí (Acervo Pessoal) Módulo Manduhí (Acervo pessoal)Figura nº.31 Parque Cinturão Verde Figura nº 32 Vegetação Parque Cinturão Verde Figura nº 33 Vegetação InternaMódulo Fantasminha (Acervo pessoal) Módulo Perobas (Acervo pessoal) Módulo VidigalFigura nº34 Córrego Parque Cinturão Verde Figura nº 35 Córrego Parque Cinturão Verde Figura nº36 Córrego Parque Cinturão Verde(Acervo pessoal) (Acervo pessoal) (Acervo pessoal) 11
  • PARQUE ESTADUAL VILA RICA DO ESPÍRITO SANTOS Rodovia PR – 082 Helmet Sontag Trecho entre Engenheiro Beltrão e Fênix Fênix PR CEP 86950-000 Tel. (44) 3272-1352 Visitação Terça a sexta • 8:00h. às 17:00h. Sábados, domingos e feriados • 13:00h. às 17:00h. Entrada franca Localizado em Fênix, o Parque Estadual de Vila Rica do Espírito Santo na confluência dosrios Corumbataí e Ivaí, possui de grande valor histórico, arqueológico, pois nela, estão as ruínas deVila Rica do Espírito Santo II, uma das quatro comunidades espanholas fundadas entre 1554 e 1589nos séculos XVI e XVII. Com 353,8ha., é um dos únicos remanescentes da Floresta Estacional Semidecidualprotegidos na região centro-norte do Estado do Paraná e um reduto impar para a sua rica fauna, queinclui diversas espécies raras, como o urubu-rei (Sarcoramphus papa), a juruva (Baryphtengusruficapillus), o assobia-cachorro (Donacobius atricapillus), a tesoura-do-mato (Phibaluraflavirostris), a jaguatirica (Leopardus pardalis), a lontra (Lutra longicaudis), o cateto (Tayassutajacu) e a paca (Agouti paca), macaco-prego (Cebus apella), tucano-de-papo-amarelo (Ramphastosvitellinus), jacu (Penelope ochrogaster), gralha-azul (Cyanocorax caeruleus), macuco (Tinamussolitarius) e pica-pau (Celeus flavesceus). O Parque Estadual possui trilhas exclusivas para visitação, um lago, vários quiosques paradescanso e contemplação da natureza, sanitários públicos e serviço de recolhimento de lixo emanutenção das trilhas. Além disso, possui um centro de visitantes com museu e sala de exposições,oferece exibição de vídeo educativo, que apresenta o histórico da área e sua importância cultural eambiental, e algumas atividades de educação ambiental para grupos escolares. O museu reúne artefatos encontrados nas ruínas da redução jesuítica Villa Rica del EspirituSantu, resquícios que retratam o modo de vida dos antigo povo que habitava o local. Entre elespodemos citar, entre outros, machadinhas confeccionadas em pedra, armas, ponteiras, adornos, umaurna funerária indígena, fragmentos cerâmicos, telhas, amostras de minerais, esqueletos de animais.As escavações das ruínas são coordenadas pelo Museu Paranaense vinculado à Universidade Federalde Curitiba e que detém o maior número de artefatos encontrados na ruínas. As visitas de grupos devem ser agendadas por telefone ou na sede do Parque. 12
  • GALERIA DE FOTOS PARQUE ESTADUAL VILA RICA DO ESPÍRITO SANTOSFigura nº37 Entrada do Parque Figura nº38 Maquete do Parque Figura nº39 Urna funerária indígenaAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoalFigura nº40 Artefatos indígenas Figura nº41 Trilha para o lago Figura nº42 Lago do ParqueAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoalFigura nº43 Indicação sanitários/ alimentação Figura nº44 área para alimentação Figura nº45 Nascente do lagoAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoal 13
  • PARQUE ESTADUAL LAGO AZUL USINA MOURÃO BR 487 Km 10,5 Estrada Boiadeira Campo Mourão PR CEP 87301-010 Tel. (44) 3525-3621 • (44) 99780132 Visitação Terça a sexta • 8:00h. às 17:00h. Sábados, domingos e feriados • 14:00h. às 17:00h. Situado aproximadamente a dez quilômetros de distância do centro urbano da cidade deCampo Mourão, o Parque Estadual Lago Azul é uma extensa área verde com 1.749,00 hectares,classificado como área de Proteção Integral e tem por objetivo a preservação de ecossistemasnaturais de relevância ecológica. Sua vegetação apresenta características pouco comuns para asformações florestais brasileiras por tratar-se de área de transição entre a Floresta EstacionalSemidecidual e a Ombrófila Mista, além de conter fragmentos do Cerrado. Devido a estainterposição, encontramos uma vegetação complexa e heterogênea com presença de espéciescaracterísticas aos três biomas: pinheiro-do-Paraná (Araucária Angustifólia), ipê de flor roxa(Tabebuia heptaphylla), caroba (jacarandá sp.), jacatiá (Jacaratia spinosa), e Tauva ou carrapetaverdadeira (Guarea guidonea), os jequitibás (Cariniana spp), as perobas (Aspidosperma spp.), ocedro (Cedrela fissilis) e a canafístula (Peltophorum dubium), barbatimão (Stryphnodendronadstringens) e a palmeira-anã (Syagrus Microphylla). A sede administrativa do Parque possui um centro de educação ambiental onde são recebidosgrupos para participarem de atividades culturais como cursos e palestras ou trilha ecológica. A trilhaecológica possui duas modalidades: a “Perobas” e a “Aventura”, sendo que a primeira destinada avisitantes de todas as idades já a “Aventura” exige idade mínima de 14 anos e bom desempenhofísico, devido aos obstáculos encontrados no caminho. Grupos acima de 10 pessoas devem fazer agendamento prévio. Grupos familiares ouinferiores a 10 pessoas são encaixados cm os grupos agendados e podem escolher as modalidades detrilha que desejam realizar. A estrutura física do parque está passando por reformas e futuramente abrigará um museupara salva-guarda de objetos relacionados à Usina Hidrelétrica Mourão e exemplares da fauma eflora local. Vale lembrar que o Parque Estadual é constantemente confundido com o Parque MunicipalJoaquim Teodoro de Oliveira mais conhecido como “Parque do Lago”. Este encontra-se no 14
  • perímetro urbano, à Rua Santa Catarina – Jardim Gutierrez. Local de encontro da população paraatividades físicas e culturais. Possui pista de caminhada, equipamentos de ginástica, lanchonete,lago com pedalinhos, orquidário e jardim francês. O acesso ao Parque Estadual Lago Azul é feito através da BR 487, saída para Curitiba,sentido Luiziana. Agendamentos podem ser feitos por telefone.Para saber mais acesse:http://www.tribunadointerior.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=396:parques-ecologicos-como-opcao-de-lazer&Itemid=2 Acesso em 30 jul. 2010.http://www.skyscraperlife.com/brazil/3805-campo-mourao-page-ranking-fotos-ineditas-dados-historia-meio-ambiente-skyline-comentem.html Acesso em 30 jul.2010. 15
  • GALERIA DE FOTOS PARQUE ESTADUAL LAGO AZULFigura nº46 Placa de identificação Figura nº47 Entrada do Parque Figura nº48 Via de acesso internaAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoalFigura nº49 Centro de Ed. Ambiental Figura nº50 Caminho de paralelepípedos Figura nº51 Início da trilha perobasAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoal Figura nº52 Trecho trilha perobas Figura nº53 Jacaranda sp . Figura nº54 Araucária Angustifólia Acervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoal 16
  • ESTAÇÃO ECOLÓGICA CERRADO R. Dr. Ari G. Assunção, 317 Jd. Nossa Senhora Aparecida Campo Mourão PR CEP 87209-395 Tel./Fax (44) 3518-1144 Visitação restrita a pesquisadores e estudantes Localizada no Jardim Nossa Senhora Aparecida, em plena área urbana, encontra-se a EstaçãoEcológica Cerrado, uma área de preservação com 1,3 hectares – o equivalente a uma quadra. Devido ás condições climáticas da região sua ocorrência é considerada inusitada justificada,por estudiosos da área, por tratar-se de um remanescente do Quaternário Antigo, sendo o Cerradomais Meridional do Planeta. Apesar de estar parcialmente descaracterizada pela ocupação urbana esta área funciona comoum verdadeiro museu vivo mostrando espécimes extintos regionalmente e abrigando espécies típicascomo o bartimão (Stryphnodendron adstringens), a palmeira-anã (Syagrus microphylla), o pequi(Caryocar brasilienses), lobeira (Solanum lycocarpum), angico-cascudo (Anadenantheramacrocarpo). Sua importância genética e ecológica vem sendo resgatada, despertando o interesse dapopulação leiga e científica e até mesmo da imprensa. (Confira abaixo, através do link umareportagem divulgada por uma conceituada emissora nacional). Junto à estação funciona o Herbário que já catalogou mais de 45 espécies, várias destasmedicinais. O local é restrito a pesquisadores científicos e ambientais, devendo os mesmo solicitarautorização para desenvolvimento de suas pesquisas.Para saber mais acesse:http://www.chaua.org.br/noticia10 Acesso em 30 jul. 2010.http://g1.globo.com/globoreporter/0,,MUL1378831-16619,00.html Acesso em 30 jul.2010. 17
  • GALERIA DE FOTOS ESTAÇÃO ECOLÓGICA CERRADOFigura nº55 Placa de identificação Figura nº 56 Estação Ecol. E Herbário Figura nº57 Stryphnodendron adstringensAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoalFigura nº58 Planta medicinal Figura nº 59 Vegetação Estação Ecol. Figura nº60 Vegetação típicaAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoalFigura nº61 Vegetação típica Figura nº62 Vegetação florescendo Figura nº63 Mata retorcidaAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoal 18
  • PARQUES MUNICIPAIS DE UMUARAMA BOSQUE DOS XETÁS/BOSQUE UIRAPURU Av. Castelo Branco/Av. Apucarana Centro Umuarama PR CEP 87503-200 www.umuarama.com.br Visitação Diariamente • 6:30h. às 20:00h. Umuarama está localizada em uma posição estratégica, próxima da divisa dos Estados doParaná e do Mato Grosso do Sul e perto da fronteira com o Paraguai. Acontece na região umatransição geográfica importante, com mudanças de solo, de vegetação e de relevo bastante visíveis. O município detém duas áreas florestais que recebem a denominação de Parque Municipaldo Uirapuru, localizado na Avenida Apucarana e Parque Municipal dos Xetá, localizado na AvenidaCastelo Branco. As referidas áreas foram criadas na década de 1940, com o objetivo de seconstituírem em reserva para futura expansão da porção urbana, quando se intensificou o processode colonização com o loteamento implementado pela Companhia Melhoramentos do Norte doParaná, em toda região norte do Estado. O Parque dos Xetás, também conhecido como Bosque do Índio, pela famosa estátua assinadapelo artista plástico e renomado escultor Utrabo, foi construído em homenagem aos primeiroshabitantes de Umuarama, o povo Xetá. O local, que fica bem no centro de Umuarama, possui umaextensa área de caminhada e um museu (Sala Aré) que guarda a memória dos nativos em fotos,objetos e utensílios. Atualmente a Sala Aré encontra-se em reformas estando interditada para visitações, porém,segundo informações da Secretaria Municipal do Meio Ambiente suas atividades devem serretomadas no segundo semestre de 2010. O Bosque do Uirapuru possui infra-estrutura para realização de atividades de lazer, contandocom pista de caminhada, cancha de bocha, quadra para vôlei e futebol de areia, parque infantil,aparelhos de ginástica, academia da terceira idade e iluminação.Para saber mais acesse:http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/264-4.pdf Acesso em 30 jul. 2010.http://www.umuarama.org/turismo.php Acesso em 30 jul. 2010. 19
  • GALERIA DE FOTOS BOSQUE DOS XETÁS/BOSQUE UIRAPURUFigura nº64 Placa de identificação Figura nº65 Estatua do Índio Figura nº66 Pista de caminhadaAcervo Pessoal Acervo pessoal Acervo pessoalFigura nº67 Sala Até Figura nº68 Placa identif. Sala Aré Figura nº69 Vista parcial do ParqueAcervo Pessoal Acervo pessoal Acervo pessoalFigura nº70 Placa de identificação Figura nº71 Entrada do Parque Uirapuru Figura nº72 Área de descansoAcervo Pessoal Acervo pessoal Acervo pessoalFigura nº73 Cancha de bocha visão noturna Figura nº74 Trecho Pista de caminhada Figura nº75 Placa parque infantilAcervo Pessoal Acervo pessoal Acervo pessoal 20
  • RESERVA FLORESTAL DE FIGUEIRA VIVEIRO DE MUDAS DO IAP Rodovia PR 082 Terra Boa e Eng.Beltrão Engenheiro Beltrão PR CEP Tel. (44) 3537-2805 • (44) 3523-1915 - IAP Visitação Segunda a sexta • 8:00h. às 17:00h. Situada em Figueira D’Oeste, distrito de Engenheiro Beltrão, encontra-se a Reserva Florestalde Figueira, criada pelo decreto nº. 6351 de 23/02/1979, com 100ha. E que abriga o viveiro demudas do Instituto Ambiental do Paraná (IAP). O viveiro tem produção anual superior a um milhãode mudas nativas e integra o programa estadual “Mata Ciliar”. A reserva em consonância com as atribuições das demais unidades de conservação,desenvolve ações que visam a conservação e proteção da biodiversidade, desenvolvendo pesquisascientíficas, propiciando o uso público com as atividades, educação ambiental, lazer e recreação esocializando o acesso às áreas protegidas. Atividades de educação ambiental podem ser realizadas na observação da floresta em váriosestágios de desenvolvimento, através de visita ao viveiro de mudas e ao laboratório de sementes. Aárea conta com estrutura básica com sanitários, mesas, churrasqueira, parque infantil, campo defutebol, estacionamento. Na sede da reserva encontra-se o Centro de Sementes Florestais que seleciona as sementes aserem utilizadas no viveiro. Há também estufas para o desenvolvimento das sementes e de mudasem diversos estágios. As visitas de grupos devem ser agendadas no escritório do IAP de Campo Mourão, situadona Avenida João Bento, 1899. Visitas individuais não carecem de agendamento.Para saber mais acesse:http://www.tribunadointerior.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=396:parques-ecologicos-como-opcao-de-lazer&Itemid=2 Acesso em 30 jul. 2010.http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/278-4.pdf?PHPSESSID=2009050409462695 Acesso em 30 jul. 2010. 21
  • GALERIA DE FOTOS RESERVA FLORESTAL DE FIGUEIRA VIVEIRO DE MUDAS DO IAPFigura nº76 Entrada da Reserva Figura nº77 Parque infantil Figura nº78 ChurrasqueiraAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoalFigura nº79 Estufa Figura nº80 Centro de sementes Figura nº81 Caminho até o viveiroAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoalFigura nº82 Entrada ao viveiro Figura nº83 Germinação de Pinheiros Figura nº84 Germinação/detalhe Acervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoal 22
  • RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL RESERVA FLORESTAL DO CARAGUATATIBA São Manoel do Paraná PR Tel./fax. (44) 3644-1114 • (44) 3644-1185 www.saomanoeldoparana.pr.gov.br Visitação Terça a sexta: 8:00h. às 17:00h. Localizada à margem esquerda do Rio Ivaí e próximo ao Rio dos Índios na latitude -23º 24’12” S longitude 52º 38’ 38” W, a uma altitude de 399 metros, São Manoel do Paraná tem em seuterritório a Reserva do Caraguatatiba. Com clima tropical úmido mesotérmico, verões quentes com tendências de concentração daschuvas, invernos com temperaturas médias inferior a 18° C, sem estação seca definida, a Reserva doCaraguatatiba exibe vegetação não muito espessa, com predominância de árvores de madeira brancae bromélias terrestres, denominadas pelos índios que habitavam a região por “caraguatá”. Daí osignificado do nome que é uma corruptela de "Caraguatá" e "Tiba", que significa grande quantidade.Com 22,30ha. abriga macacos, cutias, pacas, quatis, cachorros-do-mato, capivaras, tatus, gatos-do-mato, ouriços, jacutingas, gavião, guachos, gralhas, pica-paus e urubus-de-cabeça-vermelha, alémde cobras como a cascavel. A reserva fica cerca de 7 km distante da cidade e possui ótima infra-estrutura para realizaratividades voltadas à defesa e conservação do ambiente: Centro Comunitário de EducaçãoAmbiental Vera Cruz, banheiros, mesas e estacionamento e instrutores que acompanham ascaminhadas nas trilhas no interior da reserva. As caminhadas pela trilha são acompanhadas por agentes ambientais com paradasestratégicas para contemplação do verde e das espécies nativas. As visitas devem ser agendadas com antecedência por telefone.Para saber mais acesse:www.saoamanoeldoparana.com.br Acesso em 30 jul. 2010.www.turismoregional.com.br/?action=corredor-do-ivai/sao-manoel-do-parana Acesso em 30 jul.2010. 23
  • GALERIA DE FOTOS RESERVA PARTICULAR DO PATRIMÔNIO NATURAL RESERVA FLORESTAL DO CARAGUATATIBAFigura nº85 Centro Com. De Ed. Ambiental Figura nº86 Lago interior da reserva Figura nº87 Parada na trilhaAcervo pessoal Acervo pessoal Acervo pessoal Figura nº88 Trecho da trilha Acervo pessoal 24
  • RESERVAS FLORESTAIS URBANAS E PARQUES MUNICIPAIS DE MARINGÁ Maringá PR CEP 87013-230 Tel./Fax (44) 3221-1200 www.maringa.pr.gov.br Visitação Acesso livre as áreas externas Situada na região Noroeste do Paraná entre as coordenadas geográficas 23º 25`de latitude Sule 51º 57` de longitude Oeste, com altitude de 596m (n/m), em uma área de domínio de florestaestacional semidecidual, Maringá possui muitos parques distribuídos pela malha urbana. Dentre os parques, três são considerados reservas florestais urbanas de Maringá: Parque doIngá, Bosque II pertencente à Prefeitura Municipal de Maringá e o Horto Florestal sendo deresponsabilidade da Companhia Melhoramentos Norte do Paraná. Essa área verde constituída predominantemente de espécies nativas, porém nas proximidadesdos bosques e das trilhas foram introduzidas algumas espécies exóticas, apresenta árvores de grandeporte, típicas do estágio de clímax, que se alteram com outras espécies típicas de fases de sucessãosecundária, principalmente devido à abertura de clareiras, ocasionada pela queda de grandes árvores. Dentre as principais espécies destacam-se: alecrim (Holocalyx balansae), ingá (Ingamarginata), ingá (ingá sp), peroba (aspidosperma polyphylla), canela (Ocotea sp), jaracatiá(Jacaratia spinosa), cedro (Cedrela fissilis), feijão cru (Lonchocarpus guilleminianus), Gorucaia(Parapiptadenia rígida), algodoeiro (Bastardiopsis grandiflora) entre outras. Quanto às espécies exóticas destacamos as palmeiras-imperial e real (Roystonea spp),palmeira-leque (Livistonia chinensis) presentes no Parque das Palmeiras e a grevíleas (Grevilearobusta), espécie originária da Austrália presente no Bosque das Grevíleas. Quanto à fauna, destacamos as seguintes espécies: gambá de orelha branca, ouriço, preá,cutia, tatu, macaco-prego, lagartos e sagüi espécie que foi introduzida na área, além de váriasespécies de aves.Para saber mais acesse:http://www.maringa.com/turismo Acesso em 30 jul. 2010.www.geo.ufv.br/simposio/simposio/trabalhos/trabalhos_completos/eixo8/042.pdf Acesso em 30 jul.2010. 25
  • GALERIA DE FOTOS RESERVAS FLORESTAIS URBANAS E PARQUES MUNICIPAIS DE MARINGÁFigura nº89 Acervo pessoal Figura nº90 Acervo pessoal Figura nº91 Acervo pessoal O Parque do Ingá (figuras nº. 89,90 e 91) compreende uma área de 473.300 m2. Localiza-sena região central de Maringá entre as Avenidas São Paulo e Avenida Laguna.Figura nº92 Acervo pessoal Figura nº93 Acervo pessoal Figura nº94 Acervo pessoal O Parque Florestal dos Pioneiros (figuras nº. 92,93 e 94), também conhecido como Bosque IIlocaliza-se na região central de Maringá entre as Avenidas Itororó e Avenida Nóbrega, possui umaárea de 59 hectares, sendo reconhecido pela lei municipal n º 1.649/83.Figura nº95 Acervo pessoal Figura nº96 Acervo pessoal Figura nº97 Acervo pessoal O Horto Florestal (figuras nº. 95,96 e 97) é propriedade da Companhia Melhoramentos Nortedo Paraná, sendo o seu criador o engenheiro Luiz Teixeira Mendes. O horto foi criado parapreservar uma parte da mata nativa junto à cidade e também servir como área de estudos científicose produção de mudas para a arborização urbana de Maringá. 26
  • Figura nº98 Acervo pessoal Figura nº99 Acervo pessoal Figura nº100 Acervo pessoal O Parque Municipal Alfredo Werner Nyfleler (figura nº. 98, 99,100) encontra-se localizadona Rua Bogotá, possui área de 104.967,82 m2. É reconhecido pela Lei Municipal 0162/88.Figura nº101 Acervo pessoal Figura nº102 Acervo pessoal Figura nº103 Acervo pessoalO Parque Florestal Municipal das Palmeiras (figuras nº. 101,102 e 103) encontra-se localizado naAvenida São Judas Tadeu com a Rua Flamboyant, com uma área de 61.434,48 m2. É reconhecidopela Lei Municipal nº. 3513/93.Figura nº104 Acervo pessoal Figura nº105 Acervo pessoal Figura nº106 Acervo pessoal O Parque Borba Gato ou Recanto Borba Gato (figura nº. 104,105 e 106) encontra-selocalizado na Rua Primavera com Anel Viário, possui área de 76.540,37 m2 e encontra-sereconhecido pela Lei Municipal n.º 3513/93. 27
  • Figura nº107 Acervo pessoal Figura nº108 Acervo pessoal Figura nº109 Acervo pessoal Figura nº110 Acervo pessoal Figura nº111 Acervo pessoal O Bosque das Grevíleas (figuras nº. 107, 108, 109,110 e 111) localiza-se na Avenida Brasilcom a Avenida Pio XII, possui 44. 600 m2 de área. 28
  • BIBLIOGRAFIA CONSULTADABARROS, H.L. A integração dos professores com os centros e Museus de Ciência. In:CRESTANA, S. CASTRO, M.G.; PEREIRA, G.R.M. (Org). Centros e Museus de Ciências: visõese experiências: subsídios para um programa nacional de popularização da ciência. São Paulo:Saraiva 1998.CIANORTE. Lei n.º2.067/2000, de 29 de abril de 2000. Dispõem sobre a criação do CinturãoVerde. Tribuna de Cianorte [Órgão Oficial do Município], ed.nº 2775 de 29 abr. 2000. Cianorte, PRDisponível em: http://www.camaracianorte.pr.gov.br/leis.php?tipo=municipais&envia=trueAcesso em: 4 mar.2010.CNPq/SECIS/MCT /Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa nº 064/2009 Disponível em:http://www.cnpq.br/editais/ct/2009/064.htm acesso em: 14 maio 2010.FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. ManualTécnico da Vegetação Brasileira. IBGE, Série Manuais Técnicos em Geociências nº 1, Rio deJaneiro. 92 p, 1992._________. Mapa de Vegetação do Brasil. Segunda Impressão. Rio de Janeiro, 1995.Disponível em:http://www.uc.pr.gov.br/arquivos/File/Plano_de_Manejo/Parque_Estadual_Monge/17_cap_ix_bibliografia.pdf Acesso em: 25 de jun. 2010.SANT’ANA, D.M.G., et al. Centro e Museus Interdisciplinares de ciências e a Contribuição para aPopularização da Ciências. Arq. Apadec, 7(1): 5-11, 2003.SOUZA. A ciência mora aqui: Reflexões acerca dos museus e centros de ciência interativos doBrasil. 2008. Dissertação (Mestrado em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia) -Universidade Federal do Rio de Janeiro. Orientador: Ildeu de Castro Moreira.VALENTE, M.E. Educação em museu: o público de hoje no museu de ontem. 1995. Dissertação(Mestrado em Educação). Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro.VIEIRA, V.; BIANCONI, M. L. A importância do Museu Nacional da Universidade Federal do Riode Janeiro para o ensino não-formal em ciências. Ciências & Cognição 2007, v. 11, p. 21-36, jul.2007. Disponível em: <http://www.cienciasecognicao.org>. Acesso em: setembro, 2009. 29