• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Analise De Risco
 

Analise De Risco

on

  • 10,765 views

DCE UFF

DCE UFF

Statistics

Views

Total Views
10,765
Views on SlideShare
10,765
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
115
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Analise De Risco Analise De Risco Document Transcript

    • Análise de Risco Os relatos das ocorrências ou das observações aqui apresentadas têm como única finalidade de aumentar a segurança para evitar acidentes nas dependências do edifício. O Relatório é baseado pela Legislação da Norma Regulamentadora. Realizado por Carla Gracinda de Carvalho Baptista Técnica de Segurança do Trabalho DRT: 26.182/2008 E-mail: carlagracindatst@gmail.com Celular: 9834-1859 LOCAL: Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal Fluminense Endereço: Rua Visconde do Rio Branco, 625; Centro, Niterói, RJ
    • INTRODUÇÃO: A segurança é a condição de estar protegido de perigo ou perda. A segurança, como bem comum, é divulgada e assegurada através de um conjunto de convenções sociais, denominadas medidas de segurança. SITUAÇÃO DO DCE: 1- Entrada do Edifício
    • Diagnóstico da entrada do Edifício: - Má conservação do ambiente. - Obstrução na passagem ocasionada pelos moradores de ruas instalados na rampa da entrada do Edifício. - Vazamentos de esgoto: representam um sério problema de saúde pública, em face dos altos riscos de contaminação que oferecem. O esgoto não tratado contém numerosos agentes patogênicos, microorganismos, resíduos tóxicos e nutrientes que provocam o crescimento de outros tipos de bactérias, vírus ou fungos presentes em menor número. - Mau cheiro ocasionado pelo vazamento de esgoto. -Piso da rampa da entrada escorregadia ocasionado pelo vazamento de esgoto. -Fachada pichada. Solução para entrada do Edifício: - Manutenção das instalações (água, esgoto, elétrica...) dos imóveis é de inteira responsabilidade dos respectivos proprietários ou ocupantes. - Caminhamento dos moradores de rua para uma instituição do Município.
    • 2- Corredor do 1º andar
    • Diagnóstico do corredor no 1º andar do Edifício: Má conservação do ambiente - Infiltração provocada por vazamento ou entupimento. - Odor provocado pelo vazamento de esgoto. ATUALMENTE O CORREDOR, A - DIRETORIA E A OFICINA DE COSTURA ENCONTRAM-SE SEM LUZ POR CAUSA DO CURTO CIRCUITO PROVOCADO PELA INFILTRAÇÃO no teto e se agravando à medida que o tempo passa. - Poça d água provocada pela infiltração das paredes (A água parada passa a ser rapidamente colonizada pelos organismos menos especializados. A partir de alguns poucos nutrientes, surgem determinadas algas e bactérias. Em poucos dias, aparecem às larvas dos mosquitos, entre eles, o Aedes aegypti). - Piso com perigo de escorregamento por causa das poças d água. -Não existe sistema de combate a incêndio (extintores, mangueiras, chuveiros automáticos -quot;sprinklersquot;). - O quadro de luz ou caixa de força não possuí sinalização e está sendo utilizada como lixeira de garrafas de bebidas alcoólicas. - Escadas quebradas.
    • Solução para o corredor no 1º andar do Edifício: Manutenção das instalações - Toda a instalação elétrica tem que estar de acordo com a Norma Brasileira NBR 5410 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). -Proteção contra incêndio; saídas suficientes para a rápida retirada de pessoas em caso de incêndio; equipamentos suficientes para combater o fogo em seu início e pessoas adestradas no uso correto desses equipamentos. -Em todos os estabelecimentos ou locais de trabalho só devem ser utilizados extintores de incêndio que obedeçam às normas brasileiras ou regulamentos técnicos do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO, garantindo essa exigência pela aposição nos aparelhos de identificação de conformidade de órgãos de certificação credenciados pelo INMETRO. (123.037-9 / I2). - Todos os estabelecimentos, deverão ser providos de extintores portáteis, a fim de combater o fogo em seu início. Tais aparelhos devem ser apropriados à classe do fogo a extinguir. - Sinalização de Segurança. - Os vazamentos poderão ter origem nos encanamentos de água potável, nas tubulações de esgoto, nas calhas de águas pluviais, dando origem às manchas nas paredes e tetos, aparecendo bolor, descascamento da massa de aparelhagem das paredes, no caso do teto está provocando curto-circuito nos pontos de luz, e se agravando à medida que o tempo passa. As providências são para o caso de encanamentos e tubulações, rasgar a
    • parede por onde elas passam e fazer uma solda a frio ou a quente, em função do material ali utilizado, fazer um teste de pressão e fechar, tomando-se o cuidado de retirar também o material que já está comprometido pela infiltração, refazer a parede e pintá-la novamente. - Reparação das escadas quebradas e transformar degraus ou pisos lisos em anti-derrapantes. - Atualmente, a dengue é uma das mais importantes doenças transmitidas por mosquitos. Existem duas formas de dengue: a clássica e a hemorrágica. A dengue clássica apresenta-se como uma gripe forte, podendo afetar crianças e adultos, mas raramente mata. A dengue hemorrágica é a forma mais severa da doença, pois além dos sintomas de gripe ocorrem sangramentos e, ocasionalmente, choque, podendo levar à morte. O Aedes aegypti, mosquito vetor da dengue, pica as pessoas e, com isso, transmite-lhes o vírus causador da doença. Este inseto gosta de reproduzir-se em depósitos de água, principalmente água limpa, assim sendo o ciclo de transmissão ocorre do seguinte modo: a fêmea do mosquito deposita seus ovos em recipientes com água, dentro e perto das casas, escolas e demais áreas das cidades e povoados. Ao saírem dos ovos as larvas vivem na água por cerca de uma semana, após transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas. O grande problema para combater o mosquito Aedes é que sua reprodução ocorre em qualquer recipiente utilizado para armazenar água, tanto em áreas sombrias como ensolaradas. Por exemplo, poças d água, barris, tambores, vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, tanques, cisternas, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores e muitos outros. Para eliminação dos locais de reprodução do mosquito é preciso limpar os recipientes de água. Não basta apenas usar um produto para esterilizar a
    • água, como a água sanitária. É preciso raspar a lateral e as bordas do recipiente, pois nesses locais os ovos irão se transformar em larvas. 3- Sala da Diretoria o DCE (1º piso)
    • Diagnóstico da Sala da Diretória do DCE Má conservação do ambiente -Não existe sistema de combate a incêndio (extintores, mangueiras, chuveiros automáticos -quot;sprinklersquot;). - Na sala existe uma passagem que abriga o Transformador elétrico do prédio. Não existe sinalização para eletricidade. A sala com o transformador também é mantida como depósito de entulhos. -Manchas de queimado na parede da porta da entrada do transformador elétrico. Recentemente houve um incidente com curto-circuito. Uma das faxineiras do edifício colocou na tomada a enceradeira e a fiação sem reparos pegou fogo. No local não existe extintor de pó químico e os funcionários da manutenção não obtém conhecimento de combate a incêndio. Apavorados, jogaram água. Por um milagre nada mais grave aconteceu e o fogo apagou. Solução para a Sala da Diretoria do DCE: Manutenção das instalações - As áreas onde houver instalações ou equipamentos elétricos devem ser dotadas de proteção contra incêndio e explosão, conforme dispõe a NR 23 - Proteção Contra Incêndios. -Em todos os estabelecimentos ou locais de trabalho só devem ser utilizados extintores de incêndio que obedeçam às normas brasileiras ou regulamentos técnicos do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO, garantindo essa exigência pela aposição nos aparelhos de identificação de conformidade
    • de órgãos de certificação credenciados pelo INMETRO. (123.037-9 / I2). - Todos os estabelecimentos, deverão ser providos de extintores portáteis, a fim de combater o fogo em seu início. Tais aparelhos devem ser apropriados à classe do fogo a extinguir. - As instalações elétricas de áreas classificadas ou sujeitas a risco acentuado de incêndio ou explosões, devem ser adotados dispositivos de proteção, como alarme e seccionamento automático para prevenir sobtensões, sobrecorrentes, falhas de isolamento, aquecimentos ou outras condições anormais de operação. - Sinalização de Segurança. Nas instalações e serviços em eletricidade deve ser adotada sinalização adequada de segurança, destinada à advertência e à identificação, obedecendo ao disposto na NR-26 - Sinalização de Segurança, de forma a atender, dentre outras, as situações a seguir: a)identificação de circuitos elétricos; b)travamentos e bloqueios de dispositivos e sistemas de manobra e comandos; c)restrições e impedimentos de acesso; d)delimitações de áreas; e)sinalização de áreas de circulação, de vias públicas, de veículos e de movimentação de cargas; f)sinalização de impedimento de energização; e g)identificação de equipamento ou circuito impedido. - Retirada dos entulhos da sala do Transformador elétrico.
    • 4- 2º piso
    • Diagnóstico para o 2º andar: Má conservação do ambiente -Escadas quebradas. -Infiltração provocada por vazamento ou entupimento. -Não existe sistema de combate a incêndio (extintores, mangueiras, chuveiros automáticos -quot;sprinklersquot;). -O quadro de luz ou caixa de força não possuí sinalização e está sendo utilizada como depósito de resíduos. Solução para o 2º andar: Manutenção das instalações - Reparação das escadas quebradas e transformar degraus ou pisos lisos em anti-derrapantes. - Os vazamentos poderão ter origem nos encanamentos de água potável, nas tubulações de esgoto, nas calhas de águas pluviais, dando origem às manchas nas paredes e tetos, aparecendo bolor, descascamento da massa de aparelhagem das paredes. As providências são para o caso de encanamentos e tubulações, rasgar a parede por onde elas passam e fazer uma solda a frio ou a quente, em função do material ali utilizado, fazer um teste de pressão e fechar, tomando-se o cuidado de retirar também o material que já está comprometido pela infiltração, refazer a parede e pintá-la novamente. - Toda a instalação elétrica tem que estar de acordo com a Norma Brasileira NBR 5410 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).
    • -Proteção contra incêndio; saídas suficientes para a rápida retirada de pessoas em caso de incêndio; equipamentos suficientes para combater o fogo em seu início e pessoas adestradas no uso correto desses equipamentos. -Em todos os estabelecimentos ou locais de trabalho só devem ser utilizados extintores de incêndio que obedeçam às normas brasileiras ou regulamentos técnicos do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - INMETRO, garantindo essa exigência pela aposição nos aparelhos de identificação de conformidade de órgãos de certificação credenciados pelo INMETRO. (123.037-9 / I2). - Todos os estabelecimentos, deverão ser providos de extintores portáteis, a fim de combater o fogo em seu início. Tais aparelhos devem ser apropriados à classe do fogo a extinguir. - Sinalização de Segurança. - Retirada dos resíduos do quadro de luz.
    • 5- Banheiros do 2º andar
    • Diagnóstico dos Banheiros do 2 º andar: Má conservação do ambiente - Infiltração provocada por vazamento ou entupimento (Os vazamentos estão dando origem às manchas nas paredes e tetos, aparecendo bolor, descascamento da massa de aparelhagem das paredes). - Curto-circuito nos pontos de luz, e se agravando à medida que o tempo passa. - Paredes e janelas quebradas. - Vasos sanitários danificados. Solução para os Banheiros do 2º andar: Manutenção das instalações -Os vazamentos poderão ter origem nos encanamentos de água potável, nas tubulações de esgoto, nas calhas de águas pluviais, dando origem às manchas nas paredes e tetos, aparecendo bolor, descascamento da massa de aparelhagem das paredes. As providências são para o caso de encanamentos e tubulações, rasgar a parede por onde elas passam e fazer uma solda a frio ou a quente, em função do material ali utilizado, fazer um teste de pressão e fechar, tomando-se o cuidado de retirar também o material que já está comprometido pela infiltração, refazer a parede e pintá-la novamente. - Não serão permitidos aparelhos sanitários que apresentem defeitos ou soluções de continuidade que possam acarretar infiltrações ou acidentes. - Os locais onde se encontrarem instalações sanitárias deverão ser submetidos a processo permanente de
    • higienização, sejam mantidos limpos e desprovidos de quaisquer odores. - Pisos e paredes revestidos de material resistente, liso, impermeável e lavável. - Os pisos deverão ser impermeáveis, laváveis, de acabamento liso, inclinado para os ralos de escoamento providos de sifões hidráulicos. Deverão também impedir a entrada de umidade e emanações no banheiro, e não apresentem ressaltos e saliências. - Os locais destinados às instalações sanitárias serão providos de uma rede de iluminação, cuja fiação deverá ser protegida por eletrodutos. -Os vasos sanitários deverão ser sifonados e possuir caixa de descarga automática externa de ferro fundido, material plástico ou fibrocimento. - As instalações sanitárias deverão dispor de água canalizada e esgotos ligados à rede geral ou à fossa séptica, com interposição de sifões hidráulicos. - Os gabinetes sanitários deverão: a) ser instalados em compartimentos individuais, separados; b) ser ventilados para o exterior; c) ter paredes divisórias com altura mínima de 2,10m (dois metros e dez centímetros) e seu bordo inferior não poderá situar-se a mais de 0,15m (quinze centímetros) acima do pavimento; d) ser dotados de portas independentes, providas de fecho que impeçam o devassamento; e) ser mantidos em estado de asseio e higiene; f) possuir recipientes com tampa, para guarda de papéis servidos, quando não ligados diretamente à rede ou quando sejam destinados às mulheres. - Tratamento de lixo, de acordo com as normas locais do Serviço de Saúde Pública. -Os chuveiros poderão ser de metal ou de plástico e deverão ser comandados por registros de metal a meia altura na parede.
    • - O lavatório deverá ser provido de material para a limpeza, enxugo ou secagem das mãos, proibindo-se o uso de toalhas coletivas. - Deverá haver canalização com tomada d’água, exclusivamente para uso contra incêndio. - As janelas das instalações sanitárias deverão ter caixilhos fixos, inclinados de 45º (quarenta e cinco graus), com vidros inclinados de 45º (quarenta e cinco graus), incolores e translúcidos, totalizando uma área correspondente a 1/8 (um oitavo) da área do piso. - A parte inferior do caixilho deverá se situar, no mínimo, à altura de 1,50m (um metro e cinqüenta centímetros) a partir do piso.
    • 6- 3º Andar do Edifício( Passagem para o Campus Valonguinho e Prisma de Ventilação do Edifício)
    • Diagnóstico da Prisma de Ventilação Má conservação do ambiente -Impermeabilização inadequada dos suportes dos aparelhos de ar condicionado. - Infiltração provocada pelo tubo onde escorre a água dos ares-condicionados da Biblioteca que se localiza acima do prédio. - A água de chuva e do ares-condicionados infiltra-se pelas fissuras, da parede ou pela factura do revestimento da parede exterior. - Poças d água por quanta da chuva e dos vazamentos dos ares-condicionados. -Paredes com umidade e mofo. Solução para Prisma de Ventilação: - A água parada passa a ser rapidamente colonizada pelos organismos menos especializados. A partir de alguns poucos nutrientes, surgem determinadas algas e bactérias. Em poucos dias, aparecem às larvas dos mosquitos, entre eles, o Aedes aegypti. Atualmente, a dengue é uma das mais importantes doenças transmitidas por mosquitos. Existem duas formas de dengue: a clássica e a hemorrágica. A dengue clássica apresenta-se como uma gripe forte, podendo afetar crianças e adultos, mas raramente mata. A dengue hemorrágica é a forma mais severa da doença, pois além dos sintomas de gripe ocorrem sangramentos e, ocasionalmente, choque, podendo levar à morte. O Aedes aegypti, mosquito vetor da dengue, pica as pessoas e, com isso, transmite-lhes o vírus causador da doença. Este inseto gosta de reproduzir-se em depósitos de água, principalmente água limpa, assim sendo o ciclo de
    • transmissão ocorre do seguinte modo: a fêmea do mosquito deposita seus ovos em recipientes com água, dentro e perto das casas, escolas e demais áreas das cidades e povoados. Ao saírem dos ovos as larvas vivem na água por cerca de uma semana, após o que transformam-se em mosquitos adultos, prontos para picar as pessoas. O grande problema para combater o mosquito Aedes é que sua reprodução ocorre em qualquer recipiente utilizado para armazenar água, tanto em áreas sombrias como ensolaradas. Por exemplo, poças d água, barris, tambores, vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, tanques, cisternas, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores e muitos outros. Para eliminação dos locais de reprodução do mosquito é preciso limpar os recipientes de água. Não basta apenas usar um produto para esterilizar a água, como a água sanitária. É preciso raspar a lateral e as bordas do recipiente, pois nesses locais os ovos irão se transformar em larvas. - Obras de reparação podem ser feitas no interior ou no exterior da Edificação, dependendo das fontes de infiltração e do ambiente permitido. As obras podem ser de reparação do revestimento exterior da parede ou por injeção. - Após exame, se na parede exterior não houver fissuras, não existirem estragos nos materiais de revestimento e nas juntas de dilatação, é uma infiltração simples, sugere-se pôr uma camada de líquido de impermeabilização que incluía a função antienvelhecimento, com proteção contra raios ultravioletas e membrana à prova de água, de longa duração.
    • Conclusão: Verificamos que o DCE é um edifício que se destina as lutas dos estudantes perante a reitoria e a sociedade. Só que neste local existem locatários e funcionários trabalhando diariamente. Todos estão em condição insegura (irregularidades técnicas que constituem riscos para a integridade física das pessoas , para saúde e para os bens materiais da edificação. As condições inseguras são deficiências como: defeito de instalações, falta de proteção contra incêndio, má iluminação, excesso de calor ou frio, umidade, gases e poeiras nocivos e muitas outras condições insatisfatórias do próprio ambiente de trabalho). Não houve medidas de prevenção de riscos no local. Não houve reparos nas instalações elétricas, nas instalações hidráulicas e pior de tudo que não existem medidas de combate a incêndio. Recentemente houve um incidente com curto-circuito. Uma das faxineiras do edifício colocou na tomada a enceradeira e a fiação sem reparos pegou fogo. No local não existe extintor de pó químico e os funcionários da manutenção não obtém conhecimento de combate a incêndio. Apavorados, jogaram água. Por um milagre nada mais grave aconteceu e o fogo apagou. Recentemente tivemos um acidente de trabalho. Uma das faxineiras ao limpar as poças d águas formadas no 1º piso , caiu no chão e ficou com o corpo todo dolorido. Infelizmente o que está acontecendo nesse edifício é a negligência. Ninguém se responsabiliza. A reitoria da Universidade diz que no prédio existe manutenção e uma diretoria. A diretoria responsabiliza a reitoria.
    • Por conta desse jogo de empurra os seres dependentes dessa edificação é quem sofrem as conseqüências. Funcionários e locatórios estão convivendo diariamente com maus cheiros, risco de vida... Por causa do acúmulo de água o prédio está infestado de mosquitos. Professores de Biologia que transitam pelo edifício alertaram sobre a dengue. Quando falamos de saúde, estamos nos referindo a saúde física e psíquica do homem, isto está diretamente ligado à “qualidade de vida” que hoje muito ouvimos. Qualidade de vida refere-se a um conjunto de medidas que devemos aplicar em nosso proveito e da sociedade em que vivemos, quer no âmbito residencial, quer no âmbito do nosso trabalho, quer no âmbito do nosso lazer. Um dos principais fatores que proporcionam melhor qualidade de vida é aqueles relacionados à Engenharia Civil. Além de adotarmos tais medidas, devemos também, exigir de quem de direito tem o dever de nos proporcionar essa qualidade.