• Like
Elementos fundamentais da linguagem visual
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Elementos fundamentais da linguagem visual

  • 2,410 views
Published

Elementos e suas descrições + texto complementar.

Elementos e suas descrições + texto complementar.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,410
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
39
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Elementos Fundamentais da Linguagem Visual
  • 2. É só Olhar e Apreciar a Arte.A arte figurativa e a arte não figurativa ou abstrata.
  • 3. Arte Figurativa pode ser:Naturalista Estilizada
  • 4. Leitura Complementar
  • 5. A arte se comunica, basicamente sob duas maneirasparadigmáticas e distinta: figuração e não-figuração. Aprimeira carrega a imagem do mundo, em que o produto éo reconhecimento. A segunda dispensa a imagem domundo e, quando totalmente não-figurativa, é chamadatambém arte abstrata.Elas tem valores diferentes, são submetidas a leiturasdiferentes e alteram vínculos emocionais antagônicos.A Arte Figurativa comunica a recuperação da realidadeexterior (também chamada realidade fenomênica, matéricaou física), que está no espaço, em tridimensionalidade,para o plano (bidimensionalidade) com a técnica daperspectiva ou escorço. Os artistas da Renascença(clássicos do século XVI) tiveram domínio pleno e absolutodessa técnica que proporciona à tela uma ilusão derealidade, também chamada de tromp l’oeil.
  • 6. A Figuração absoluta de uma arte é chamada de mimética (mímesisdo grego, imitação). É a representação do “de fora” (vida, realidade)“para dentro” (a obra, tela, suporte).O receptor da arte figurativa “entende” o que vê na tela porque aobra inspira sempre uma leitura clara e objetiva do mundo“conhecido”.Essa forma de comunicar contempla as evidências, enquanto a artenão-figurativa ou abstrata comunica a matéria simbiotizada nelamesma, sobre o suporte, sem evidências do mundo reconhecível.A Arte Não-figurativa ou Abstrata não expressa o mundo, expressa acor, o metal, o material utilizado, estabelecendo uma comunicaçãoespecial.Entre a Arte Figurativa Absoluta (perto da fotografia) e a Arte Não-figurativa Absoluta (Abstrata), existem as chamadas ArtesDegeneradas.
  • 7. As Artes Degeneradas comunicam a leitura do mundo por objetosreconhecíveis, mas de forma desconcertada, alteradaformalmente, ou seja, no Impressionismo é “vaporizada”, noExpressionismo é tortuosa, exagerada e dolosa; no Cubismo égeometrizadaAs Artes Degeneradas intermediam a Figuração e a Não-figuração absolutas.A Arte Não-figurativa apresenta uma grande dependência damatéria, mas também emblematiza a forma mais absoluta dedemocratização na arte, pois, fomenta o artista a necessidade depermanecer no estado de constante experimentação e, ao mesmotempo, produção de conhecimento..As Artes Figurativas e Não-figurativas estão extremamenteligadas aos meios de comunicação, aos meios de publicidade,aos processos dinâmicos de informação.
  • 8. Plurais, intensas, ricas em simbolismos e conceitualismos, ambas asformas de arte fazem-se Ler, principalmente as abstratas, muito maispelo que há por trás delas do que pela expressão visível em simesma. O artista da Arte Figurativa materializa a representação e o da Arte Abstrata materializa a presentação. Há espaços, dimensões, movimentos, temporalidades, volumes, fusões óptico-sensoriais entre o real e o ilusório no cerne dessas artes.A Arte Não-figurativa é uma forma de comunicação visual peculiar:comunica através dos sentidos, de um mental diferente, de umamaneira de ver a própria arte tendo os reconhecimentos da realidadecomo inexistentes e inessenciais. É um meio de expressão ecomunicação que se pode considerar exótico. Através dela,penetramos no sentido das coisas, numa comunicação plural. Pois,os recursos icônicos da Arte Não-figurativa absoluta ou Abstratatendem a ser subversivos, com a extirpação da realidade fenomênicae reconhecível. Por sua própria natureza, procura caminhos deinconformidade e ruptura.
  • 9. As Artes Figurativas e Não-figurativas existiram desde os homens daIdade da Pedra. Nas paredes de Altamira e Lascaux, na França,tem-se Figuração e Abstração, ainda que de forma precária, prosaicae arcaica. Foram os século XIX e XX que legitimaram a ArteAbstrata. A Pintura Abstrata é o sintoma de um momento histórico surpreendente para o homem moderno, pois foi num momento de mudança histórica, pós-revolução industrial e suas conseqüências que surgiu a Arte Abstrata.O que comunica e educa na Arte Abstrata é uma ordem lógica.Precisamos ter um repertório para compreendermos einterpretarmos essa ordem lógica.Na Arte Abstrata nada é fortuito, nada é aleatório, nada é arbitrário,embora pareça. As linhas, as formas, as cores e outros elementosvisuais tem lugar determinado na composição. A alteração desseselementos implica também numa alteração de valor.
  • 10. Dizer que os valores são sempre iguais em toda e qualquer ArteAbstrata é um grande engodo.Muitas vezes a comunicação na Arte Abstrata degenera-se porincompetência do próprio receptor que a vê com preconceito epressupostos adquiridos, emitindo manifestações como: “isto équalquer coisa”, “não entendo”, “até meu filho de três anos faz”, “éum borrão só”, “não é arte” e outros despautérios afins.Isso prova uma carência no instrumental do receptor para a corretaleitura da Arte Abstrata.A Arte Abstrata goza de uma comunicação específica porque suanova codificação não é factível com os parâmetros cognitivos,lingüisticos e racionais do senso comum.Cria-se com a Abstração, uma nova ideologia, uma outra razãoestética, uma filosofia nas artes que tem nos acompanhado atéhoje e acaba se transformando na mais difundida das artes visuais.
  • 11. A Pintura Abstrata advém de um padrão mental inerente ao homemde todos os tempos, ao qual se atribui o nome de Abstração. Comocapacidade inata, a Abstração é uma atividade mental de seleção esíntese. Homens de muitas tribos primitivas antiquíssimas, emmuitos de seus desenhos não faziam referência à realidade exterior,mas, sim, à própria composição em si.A Arte Abstrata, sendo uma forma de comunicar e um princípiodiferente de educar, não procura reproduzir as formas e as coresnaturais, pois, ambiciona-se por criar formas puras e soltas,construídas com os elementos mesmos da pintura. Os arranjoslivres ou controlados em estados de tensão, ou seja, a composiçãoé que constrói a coluna vertebral da pintura abstrata.Na Arte Não-figurativa não há recuperação da realidade exteriorporque na Abstração não é mais essa realidade que temimportância e sim a matéria que o artista usa, cria e recria nelamesma. O Artista abstrato não copia nada da realidade exterior,somente trabalha com o material: cores que se fundem (pintura) ouferros que se misturam (escultura).
  • 12. Na abstração a arte perde a ilusão da vida, mesmo porque não hávida a recuperar; não há mímesis, porque não há imitação; não hárepresentação e sim presentação: o material está presente nelemesmo.Em termos comunicacionais e educacionais, a Arte Abstrata convidao observador/ fruidor a participar mais ativa e convenientemente como criador na feitura da obra.O autor da Arte Abstrata permite múltiplas interpretações para a suacriação, tendo no apreciador um co-participante, um reelaborador, umreexecutor e um “realimentador” de ilusões”. Ilusões que estão noreceptor não na obra.A Arte Abstrata, contestando os valores clássicos do acabado,definido, perfeito e inequívoco, propõe uma obra indefinida eplurívoca, aberta, que se vem configurando como um feixe depossibilidades móveis e intercambiáveis mais adaptadas àscondições nas quais o homem moderno desenvolve suas ações.
  • 13. A Arte Abstrata encharca os olhos de seu receptor com umamultplicidades de imagens sujeitas a decodificações.O receptor da Arte Abstrata não está decodificando imagens“conhecidas”, mas pontos, linhas, contornos, direções, tons, cores,texturas, escalas, dimensões, movimentos e ritmos.Entender a Arte Abstrata é entender o tralho que o artista desenvolvecom esses elementos, em tensões diversificadas e múltiplas, atravésda composição ou arranjo na superfície plana da tela ou outrosuporte.A Arte Não-figurativa ou Abstrata transmite conteúdos peculiares quenão são os da Arte Figurativa, mas que visam ensinar novas formasde visão das coisas, das cores, da própria arte e da vida.Saber Ler a Arte Abstrata é saber Ler mais longe. A Arte Abstratainforma, forma e educa o olhar.
  • 14. A Arte Abstrata reeduca o sujeito para uma decodificaçãoinovadora. A Arte Abstrata comunica, no sentido de levar o a seureceptor a educar-se para construir julgamentos ou juízos de valorsobre ela..Na Figuração ainda há um conceito hegemônico a ser seguido,indicado pela própria figura. Na Arte Não-figurativa ou Abstrata, oconceito é diverso, diretrizado pela pulsão e fusão das cores, eainda, pela coexistência de diferentes códigos, propondo umacomunicação peculiar, paradigmática e diferente da clássicaconcepção Renascentista de mímesis e representação.
  • 15. FIM