Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Teoria do design aula 2 - Estudo das Cores

  • 828 views
Uploaded on

Estudo sobres as cores e a sua importância no design.

Estudo sobres as cores e a sua importância no design.

More in: Design
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
828
On Slideshare
828
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
34
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Teoria do Design Aula 02 – Estudo das Cores Prof.: Léo Diaz
  • 2. TEORIA DAS CORES A Teoria das Cores afirma que a cor é um fenômeno físico relacionado a existência da luz, ou seja, se a luz não existisse, não existiriam cores. O preto é percebido quando algo absorve praticamente toda a luz que o atinge. Já o branco é percebido em algo que reflete praticamente todas as faixas de luz. Pode-se dizer que o branco e o preto não são cores propriamente, e sim a presença ou ausência da luz. Isaac Newton foi o primeiro a associar que a luz do Sol tinha forte relação com a existência das cores, quando dissociou a luz solar nas cores do arco-íris através de um prisma. Surgia ali o primeiro esboço do que posteriormente viria a ser chamada de Teoria das Cores. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 2
  • 3. TEORIA DAS CORES Vários estudiosos do passado se dedicaram a entender o fenômeno das cores. Os primeiros sistemas de cores foram os de Newton e de Goethe. Estes sistemas se concentravam mais em saber como se formavam as cores. Estes são sistemas de cores que visam organizar e racionalizar o estudo das cores no intuito de se constituir uma teoria das cores, no entanto a harmonia entre as cores não é assim tão objetiva. Hoje sabe-se bem que a cor é um fenômeno subjetivo, pois ela é constituída de ondas eletromagnéticas de uma faixa de frequência tal que as colocam dentro do que denomina-se espectro visível, ou seja, a faixa de frequência daquelas ondas que são captadas pela sensibilidade dos olhos humanos. Animais veem tudo de forma diferente. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 3
  • 4. O que é cor? Cores são percepções visuais através das células cones, que transmitem ao nervo ótico as impressões que vão direto ao sistema nervoso. A cor tem a ver com os olhos, com a retina e com a informação presente no cérebro. Por isso, dizemos que os objetos não tem cor, pois a cor corresponde a uma sensação interna que é provocada por estímulos físicos da natureza. A cor tem muito a ver com a iluminação, e com o período do dia, quando estamos acostumados com uma determinada cor, o nosso cérebro vai corrigir esta cor automaticamente pela cor já existente. Portanto embora a radiação mude a mente humana reconhece os padrões que constam nos estímulos perceptivos. A ciência que estuda a medida das cores é a colorimetria, ela estuda a quantificação da cor, o tom, a saturação que mostra se a cor é natural ou pigmentada artificialmente, e a intensidade da cor que é caracterizada pela força da cor. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 4
  • 5. O que é cor? . As cores são divididas em primárias, secundarias, terciárias e neutras. As cores primárias são o vermelho, amarelo e azul, as cores secundárias são formadas pela mistura de duas cores primárias, o verde, o roxo e o laranja, as cores terciárias são formadas pela mistura de uma cor primaria com uma ou duas cores secundárias; as terciárias são todas as outras cores. As cores neutras tem pouco reflexo, elas são mais usadas como complemento de outra cor. A cor branca é luz isenta de cor e o preto é a ausência de cor. Se rodarmos o disco das cores com veemência veremos que as cores desaparecerão e ele aparecerá totalmente branco. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 5
  • 6. CÍRCULO CROMÁTICO Trata-se de uma representação das cores visíveis pelo olho humano através de um círculo ou disco (muito parecido com o círculo de saturações do sistema HSV). O Círculo Cromático é normalmente utilizado em artes para identificar combinações harmônicas. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 6
  • 7. CLASSIFICAÇÃO TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 7
  • 8. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 8
  • 9. Cores Complementares Cores complementares são aquelas que mais oferecem contraste entre si. De acordo com a definição de Michel Jackson, no século XIX, a cor complementar de uma matriz é aquela que mais absorve seu espectro. Na ciência das cores, duas cores são chamadas complementares se, quando misturadas, produzem o preto, o branco ou alguma graduação de cinza. Nos sistemas de cores mais perceptíveis, o branco está no centro do espectro e as cores complementares se situam uma ao lado oposto da outra. O exemplo mais claro é o sistema HSV, no qual as cores complementares estão em lados opostos no disco de cores. Na maioria das discussões a respeito de cores complementares, somente as cores com completo brilho e saturação são consideradas. Assim, uma cor primária sempre terá uma cor secundária como complementar e vice-versa. A cor secundária complementar de uma cor primária é aquela formada pelas outras duas cores primárias. Cores terciárias sempre têm outra cor terciária como complementar.  Vermelho e ciano  Verde e magenta  Azul e amarelo TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 9
  • 10. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 10 Cores Complementares
  • 11. Cores Análogas São as que aparecem lado-a-lado no gráfico. São análogas porque há nelas uma mesma cor básica. Pôr exemplo o amarelo-ouro e o laranja- avermelhado tem em comum a cor laranja. As cores análogas, ou da mesma "família" de tons, são usadas para dar a sensação de uniformidade. Uma composição em cores análogas em geral é elegante, porém deve-se tomar o cuidado de não a deixar monótona. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 11
  • 12. Cores Análogas TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 12
  • 13. Cores Primárias  Para as aplicações humanas, três cores primárias são normalmente usadas, já que a visão colorida humana é tricromática.  São as cores que não podem ser formadas por nenhuma mistura.  São elas azul, amarelo e vermelho. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 13
  • 14. Cores Secundárias São as cores que surgem da mistura de duas cores primárias. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 14
  • 15. Cores Terciárias São as cores que surgem da mistura uma cor primária com uma secundária TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 15
  • 16. Cor-luz Cor-luz é a estreita faixa de frequência do espectro luminoso visível dentro da qual o olho humano identifica determinada tonalidade de cor. Baseia-se na luz solar ou em fontes luminosas artificiais. E é observada essencialmente nos raios luminosos, como por exemplo, quando você vê uma lâmpada emitindo uma luz vermelha. A cor-luz branca solar representa a própria luz capaz de se decompor em todas as cores. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 16
  • 17. Cor-pigmento A cor-pigmento é a cor observada no reflexo da luz em algum objeto. Diferentes materiais refletem apenas determinadas faixas do espectro visível, decompondo a luz natural branca resultando na cor observada especificamente. A tinta é a substância na qual pigmentos são concentrados e usados para imitar o fenômeno da cor-luz. O pigmento surge extraído da natureza, em materiais de origem vegetal, animal ou mineral. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 17
  • 18. Sistemas de Cores RGB CMYK TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 18
  • 19. CMYK CMYK é um sistema de cores cuja sigla é formada pelas cores Cyan (Ciano), Magenta (Magenta), Yellow(Amarelo) e blacK (Preto). O CMYK (também chamado de cor-pigmento) é um sistema muito utilizado indústria gráfica. Além das cores primárias ciano, magenta e amarelo, também usa a cor preta, considerada como a "cor chave" por ser essencial para definir os detalhes de uma imagem (para alguns, o "K" que faz parte da sigla seria da palavra inglesa "Key", que significa "chave"). O sistema CMYK é utilizado para impressão em cores com tinta, com o objetivo de ocultar algumas cores, quando o fundo é branco, para diminuir a luminosidade e ressaltar a combinação das quatro cores. O CMYK pode reproduzir todas as principais gama de cores, mas não todas as cores existentes do mundo. O CMYK funciona através de impressoras e fotocopiadoras para reproduzir uma grande parte das cores do espectro visível. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 19
  • 20. RGB RGB é a sigla do sistema de cores aditivas formado pelas iniciais das cores em inglês Red, Green e Blue, que significa em português, respectivamente, Vermelho, Verde e Azul. O sistema de cores luminosas RGB (também designado por cor-luz) é usado nos objetos que emitem luz como, por exemplo, os monitores de computador e televisão, as câmeras digitais, o scanner, entre outros. Já nas impressoras é utilizado o padrão de cores subtrativas denominado CMYK, formado pelos pigmentos primários Cyan (Ciano), Magenta(Magenta) e Yellow (Amarelo) e ainda, o blacK (Preto). As cores são obtidas através das misturas das três cores primárias, em quantidades determinadas. Cada uma das cores obtidas estão enquadradas numa escala que varia de 0 a 255. Quando a mistura das três cores está no valor mínimo (0, 0, 0), o resultado é a cor preta. Quanto está no máximo (255, 255, 255), resulta na cor branca. A variação entre valores mínimos corresponde a tons escuros e entre os valores máximos, os tons são mais intensos, mais claros. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 20
  • 21. HSV HSV é a abreviatura para o sistema de cores formadas pelas componentes hue (matiz), saturation (saturação) e value (valor). O HSV também é conhecido como HSB (hue, saturation e brightness — matiz, saturação e brilho, respectivamente). Esse sistema de cores define o espaço de cor conforme descrito abaixo, utilizando seus três parâmetros: • Matiz (tonalidade): Verifica o tipo de cor, abrangendo todas as cores do espectro, desde o vermelho até o violeta, mais o magenta. Atinge valores de 0 a 360, mas para algumas aplicações, esse valor é normalizado de 0 a 100%. • Saturação: Também chamado de "pureza". Quanto menor esse valor, mais com tom de cinza aparecerá a imagem. Quanto maior o valor, mais "pura" é a imagem. Atinge valores de 0 a 100%. • Valor (brilho): Define o brilho da cor. Atinge valores de 0 a 100%. Esse sistema foi inventado no ano de 1974, por Alvy Ray Smith.1 É caracterizada por ser uma transformação não-linear do sistema de cores RGB. Outros sistemas de cores relacionados incluem o HSL (L de luminosity ou luminosidade) e o HSI (I de intensity ou intensidade). TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 21
  • 22. Cor É VIDA As cores exercem diferentes efeitos fisiológicos sobre o organismo humano e tendem, assim, a produzir vários juízos e sentimentos. Aparentemente, damos um peso às cores. Na realidade, olhando para cada uma cor damos um valor-peso, mas é somente um peso psicológico. A cor, elemento fundamental em qualquer processo de comunicação, merece uma atenção especial. É um componente com grande influência no dia a dia de uma pessoa, interferindo nos sentidos, emoções e intelecto; pode portanto, ser usada deliberadamente para se atingir objetivos específicos. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 22
  • 23. Psicologia das cores A cor é assimilada pelo ser humano através do sentido da visão. A visão é dos cinco sentidos o que mais rapidamente conduz a informação até ao cérebro. Dessa forma os olhos são os sensores e o cérebro é o processador. Quando escolhemos uma cor para elaborarmos nossos trabalhos devemos ter em mente que estamos lidando com um elemento de estímulo imediato, e que essa cor escolhida provocará diversas reações em seus observadores, positivas ou negativas. A subjetividade do artista, com sua sensibilidade e memória cromática condiciona totalmente a harmonia obtida entre as cores de seu trabalho. Da mesma forma como condicionam a interpretação do espectador da obra observada. As cores influenciam o estado psicológico dos seres humanos de várias maneiras, e são mais ligadas à emoção. As pessoas se lembrarão mais facilmente das cores do que de formas. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 23
  • 24. Psicologia das cores  No ocidente, as cores surtem diferentes efeitos psicológicos sobre as pessoas, como sugere a lista:  Branco - purificador, perfeição, pureza, neutralidade, humildade, limpeza, claridade, frieza e esterilidade, pureza, inocência, reverência, paz, simplicidade, esterilidade, rendição, união;  Preto - luto, elegância, solidez, poder, modernidade, sofisticação, formalidade, morte, medo, anonimato, raiva, mistério, azar;  Cinza - elegância, humildade, respeito, reverência, sutileza;  Amarelo - concentração, disciplina, comunicação, ativa o intelecto, positividade, boa sorte;  Vermelho - paixão, entusiasmo, impacto, agressividade, força, energia, amor, liderança, masculinidade, perigo, fogo, raiva, revolução, "pare";  Rosa - Amor, carinho, suavidade, acolhimento, romantismo;  Azul - harmonia, confidência, conservadorismo, austeridade, monotonia, dependência, tecnologia, liberdade, saúde, purificação, amabilidade, paciência, serenidade; TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 24
  • 25. Psicologia das cores  Ciano - tranquilidade, paz, sossego, limpeza, frescor;  Verde - esperança, cura, natureza, paz, natureza, primavera, fertilidade, juventude, desenvolvimento, riqueza, dinheiro, boa sorte, ciúmes, ganância, esperança;  Lilás - influencia emoções e humores, intuição e espiritualidade;  Roxo - velocidade, concentração, otimismo, alegria, felicidade, idealismo, riqueza (ouro), fraqueza, dinheiro;  Magenta - luxúria, sofisticação, sensualidade, feminilidade, desejo;  Violeta - espiritualidade, criatividade, realeza, sabedoria, resplandecência, dor;  Laranja - equilíbrio, generosidade, entusiasmo, alegria, aconchegante, energia, criatividade, equilíbrio, entusiasmo, ludismo;  Castanho - sólido, seguro, calmo, natureza, rústico, estabilidade, estagnação, peso, aspereza TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 25
  • 26. Referências  Tratado da Pintura e da Paisagem - Sombra e Luz (Leonardo Da Vinci)  O Essencial da Cor no Design (Adam Banks, Tom Fraser), ed. Senac  A cor no processo criativo (Lilian Ried Miller Barros)  A cor como informação (Luciano Guimarães)  O Guia Completo da Cor (Adam Banks)  Psicodinâmica das Cores em Comunicação (Modesto Farina, Clotilde Perez, Dorinho Bastos) TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 26