Your SlideShare is downloading. ×
0
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Teoria do design aula 2 - Estudo das Cores

851

Published on

Estudo sobres as cores e a sua importância no design.

Estudo sobres as cores e a sua importância no design.

Published in: Design
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
851
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
65
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Teoria do Design Aula 02 – Estudo das Cores Prof.: Léo Diaz
  • 2. TEORIA DAS CORES A Teoria das Cores afirma que a cor é um fenômeno físico relacionado a existência da luz, ou seja, se a luz não existisse, não existiriam cores. O preto é percebido quando algo absorve praticamente toda a luz que o atinge. Já o branco é percebido em algo que reflete praticamente todas as faixas de luz. Pode-se dizer que o branco e o preto não são cores propriamente, e sim a presença ou ausência da luz. Isaac Newton foi o primeiro a associar que a luz do Sol tinha forte relação com a existência das cores, quando dissociou a luz solar nas cores do arco-íris através de um prisma. Surgia ali o primeiro esboço do que posteriormente viria a ser chamada de Teoria das Cores. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 2
  • 3. TEORIA DAS CORES Vários estudiosos do passado se dedicaram a entender o fenômeno das cores. Os primeiros sistemas de cores foram os de Newton e de Goethe. Estes sistemas se concentravam mais em saber como se formavam as cores. Estes são sistemas de cores que visam organizar e racionalizar o estudo das cores no intuito de se constituir uma teoria das cores, no entanto a harmonia entre as cores não é assim tão objetiva. Hoje sabe-se bem que a cor é um fenômeno subjetivo, pois ela é constituída de ondas eletromagnéticas de uma faixa de frequência tal que as colocam dentro do que denomina-se espectro visível, ou seja, a faixa de frequência daquelas ondas que são captadas pela sensibilidade dos olhos humanos. Animais veem tudo de forma diferente. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 3
  • 4. O que é cor? Cores são percepções visuais através das células cones, que transmitem ao nervo ótico as impressões que vão direto ao sistema nervoso. A cor tem a ver com os olhos, com a retina e com a informação presente no cérebro. Por isso, dizemos que os objetos não tem cor, pois a cor corresponde a uma sensação interna que é provocada por estímulos físicos da natureza. A cor tem muito a ver com a iluminação, e com o período do dia, quando estamos acostumados com uma determinada cor, o nosso cérebro vai corrigir esta cor automaticamente pela cor já existente. Portanto embora a radiação mude a mente humana reconhece os padrões que constam nos estímulos perceptivos. A ciência que estuda a medida das cores é a colorimetria, ela estuda a quantificação da cor, o tom, a saturação que mostra se a cor é natural ou pigmentada artificialmente, e a intensidade da cor que é caracterizada pela força da cor. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 4
  • 5. O que é cor? . As cores são divididas em primárias, secundarias, terciárias e neutras. As cores primárias são o vermelho, amarelo e azul, as cores secundárias são formadas pela mistura de duas cores primárias, o verde, o roxo e o laranja, as cores terciárias são formadas pela mistura de uma cor primaria com uma ou duas cores secundárias; as terciárias são todas as outras cores. As cores neutras tem pouco reflexo, elas são mais usadas como complemento de outra cor. A cor branca é luz isenta de cor e o preto é a ausência de cor. Se rodarmos o disco das cores com veemência veremos que as cores desaparecerão e ele aparecerá totalmente branco. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 5
  • 6. CÍRCULO CROMÁTICO Trata-se de uma representação das cores visíveis pelo olho humano através de um círculo ou disco (muito parecido com o círculo de saturações do sistema HSV). O Círculo Cromático é normalmente utilizado em artes para identificar combinações harmônicas. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 6
  • 7. CLASSIFICAÇÃO TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 7
  • 8. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 8
  • 9. Cores Complementares Cores complementares são aquelas que mais oferecem contraste entre si. De acordo com a definição de Michel Jackson, no século XIX, a cor complementar de uma matriz é aquela que mais absorve seu espectro. Na ciência das cores, duas cores são chamadas complementares se, quando misturadas, produzem o preto, o branco ou alguma graduação de cinza. Nos sistemas de cores mais perceptíveis, o branco está no centro do espectro e as cores complementares se situam uma ao lado oposto da outra. O exemplo mais claro é o sistema HSV, no qual as cores complementares estão em lados opostos no disco de cores. Na maioria das discussões a respeito de cores complementares, somente as cores com completo brilho e saturação são consideradas. Assim, uma cor primária sempre terá uma cor secundária como complementar e vice-versa. A cor secundária complementar de uma cor primária é aquela formada pelas outras duas cores primárias. Cores terciárias sempre têm outra cor terciária como complementar.  Vermelho e ciano  Verde e magenta  Azul e amarelo TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 9
  • 10. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 10 Cores Complementares
  • 11. Cores Análogas São as que aparecem lado-a-lado no gráfico. São análogas porque há nelas uma mesma cor básica. Pôr exemplo o amarelo-ouro e o laranja- avermelhado tem em comum a cor laranja. As cores análogas, ou da mesma "família" de tons, são usadas para dar a sensação de uniformidade. Uma composição em cores análogas em geral é elegante, porém deve-se tomar o cuidado de não a deixar monótona. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 11
  • 12. Cores Análogas TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 12
  • 13. Cores Primárias  Para as aplicações humanas, três cores primárias são normalmente usadas, já que a visão colorida humana é tricromática.  São as cores que não podem ser formadas por nenhuma mistura.  São elas azul, amarelo e vermelho. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 13
  • 14. Cores Secundárias São as cores que surgem da mistura de duas cores primárias. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 14
  • 15. Cores Terciárias São as cores que surgem da mistura uma cor primária com uma secundária TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 15
  • 16. Cor-luz Cor-luz é a estreita faixa de frequência do espectro luminoso visível dentro da qual o olho humano identifica determinada tonalidade de cor. Baseia-se na luz solar ou em fontes luminosas artificiais. E é observada essencialmente nos raios luminosos, como por exemplo, quando você vê uma lâmpada emitindo uma luz vermelha. A cor-luz branca solar representa a própria luz capaz de se decompor em todas as cores. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 16
  • 17. Cor-pigmento A cor-pigmento é a cor observada no reflexo da luz em algum objeto. Diferentes materiais refletem apenas determinadas faixas do espectro visível, decompondo a luz natural branca resultando na cor observada especificamente. A tinta é a substância na qual pigmentos são concentrados e usados para imitar o fenômeno da cor-luz. O pigmento surge extraído da natureza, em materiais de origem vegetal, animal ou mineral. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 17
  • 18. Sistemas de Cores RGB CMYK TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 18
  • 19. CMYK CMYK é um sistema de cores cuja sigla é formada pelas cores Cyan (Ciano), Magenta (Magenta), Yellow(Amarelo) e blacK (Preto). O CMYK (também chamado de cor-pigmento) é um sistema muito utilizado indústria gráfica. Além das cores primárias ciano, magenta e amarelo, também usa a cor preta, considerada como a "cor chave" por ser essencial para definir os detalhes de uma imagem (para alguns, o "K" que faz parte da sigla seria da palavra inglesa "Key", que significa "chave"). O sistema CMYK é utilizado para impressão em cores com tinta, com o objetivo de ocultar algumas cores, quando o fundo é branco, para diminuir a luminosidade e ressaltar a combinação das quatro cores. O CMYK pode reproduzir todas as principais gama de cores, mas não todas as cores existentes do mundo. O CMYK funciona através de impressoras e fotocopiadoras para reproduzir uma grande parte das cores do espectro visível. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 19
  • 20. RGB RGB é a sigla do sistema de cores aditivas formado pelas iniciais das cores em inglês Red, Green e Blue, que significa em português, respectivamente, Vermelho, Verde e Azul. O sistema de cores luminosas RGB (também designado por cor-luz) é usado nos objetos que emitem luz como, por exemplo, os monitores de computador e televisão, as câmeras digitais, o scanner, entre outros. Já nas impressoras é utilizado o padrão de cores subtrativas denominado CMYK, formado pelos pigmentos primários Cyan (Ciano), Magenta(Magenta) e Yellow (Amarelo) e ainda, o blacK (Preto). As cores são obtidas através das misturas das três cores primárias, em quantidades determinadas. Cada uma das cores obtidas estão enquadradas numa escala que varia de 0 a 255. Quando a mistura das três cores está no valor mínimo (0, 0, 0), o resultado é a cor preta. Quanto está no máximo (255, 255, 255), resulta na cor branca. A variação entre valores mínimos corresponde a tons escuros e entre os valores máximos, os tons são mais intensos, mais claros. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 20
  • 21. HSV HSV é a abreviatura para o sistema de cores formadas pelas componentes hue (matiz), saturation (saturação) e value (valor). O HSV também é conhecido como HSB (hue, saturation e brightness — matiz, saturação e brilho, respectivamente). Esse sistema de cores define o espaço de cor conforme descrito abaixo, utilizando seus três parâmetros: • Matiz (tonalidade): Verifica o tipo de cor, abrangendo todas as cores do espectro, desde o vermelho até o violeta, mais o magenta. Atinge valores de 0 a 360, mas para algumas aplicações, esse valor é normalizado de 0 a 100%. • Saturação: Também chamado de "pureza". Quanto menor esse valor, mais com tom de cinza aparecerá a imagem. Quanto maior o valor, mais "pura" é a imagem. Atinge valores de 0 a 100%. • Valor (brilho): Define o brilho da cor. Atinge valores de 0 a 100%. Esse sistema foi inventado no ano de 1974, por Alvy Ray Smith.1 É caracterizada por ser uma transformação não-linear do sistema de cores RGB. Outros sistemas de cores relacionados incluem o HSL (L de luminosity ou luminosidade) e o HSI (I de intensity ou intensidade). TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 21
  • 22. Cor É VIDA As cores exercem diferentes efeitos fisiológicos sobre o organismo humano e tendem, assim, a produzir vários juízos e sentimentos. Aparentemente, damos um peso às cores. Na realidade, olhando para cada uma cor damos um valor-peso, mas é somente um peso psicológico. A cor, elemento fundamental em qualquer processo de comunicação, merece uma atenção especial. É um componente com grande influência no dia a dia de uma pessoa, interferindo nos sentidos, emoções e intelecto; pode portanto, ser usada deliberadamente para se atingir objetivos específicos. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 22
  • 23. Psicologia das cores A cor é assimilada pelo ser humano através do sentido da visão. A visão é dos cinco sentidos o que mais rapidamente conduz a informação até ao cérebro. Dessa forma os olhos são os sensores e o cérebro é o processador. Quando escolhemos uma cor para elaborarmos nossos trabalhos devemos ter em mente que estamos lidando com um elemento de estímulo imediato, e que essa cor escolhida provocará diversas reações em seus observadores, positivas ou negativas. A subjetividade do artista, com sua sensibilidade e memória cromática condiciona totalmente a harmonia obtida entre as cores de seu trabalho. Da mesma forma como condicionam a interpretação do espectador da obra observada. As cores influenciam o estado psicológico dos seres humanos de várias maneiras, e são mais ligadas à emoção. As pessoas se lembrarão mais facilmente das cores do que de formas. TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 23
  • 24. Psicologia das cores  No ocidente, as cores surtem diferentes efeitos psicológicos sobre as pessoas, como sugere a lista:  Branco - purificador, perfeição, pureza, neutralidade, humildade, limpeza, claridade, frieza e esterilidade, pureza, inocência, reverência, paz, simplicidade, esterilidade, rendição, união;  Preto - luto, elegância, solidez, poder, modernidade, sofisticação, formalidade, morte, medo, anonimato, raiva, mistério, azar;  Cinza - elegância, humildade, respeito, reverência, sutileza;  Amarelo - concentração, disciplina, comunicação, ativa o intelecto, positividade, boa sorte;  Vermelho - paixão, entusiasmo, impacto, agressividade, força, energia, amor, liderança, masculinidade, perigo, fogo, raiva, revolução, "pare";  Rosa - Amor, carinho, suavidade, acolhimento, romantismo;  Azul - harmonia, confidência, conservadorismo, austeridade, monotonia, dependência, tecnologia, liberdade, saúde, purificação, amabilidade, paciência, serenidade; TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 24
  • 25. Psicologia das cores  Ciano - tranquilidade, paz, sossego, limpeza, frescor;  Verde - esperança, cura, natureza, paz, natureza, primavera, fertilidade, juventude, desenvolvimento, riqueza, dinheiro, boa sorte, ciúmes, ganância, esperança;  Lilás - influencia emoções e humores, intuição e espiritualidade;  Roxo - velocidade, concentração, otimismo, alegria, felicidade, idealismo, riqueza (ouro), fraqueza, dinheiro;  Magenta - luxúria, sofisticação, sensualidade, feminilidade, desejo;  Violeta - espiritualidade, criatividade, realeza, sabedoria, resplandecência, dor;  Laranja - equilíbrio, generosidade, entusiasmo, alegria, aconchegante, energia, criatividade, equilíbrio, entusiasmo, ludismo;  Castanho - sólido, seguro, calmo, natureza, rústico, estabilidade, estagnação, peso, aspereza TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 25
  • 26. Referências  Tratado da Pintura e da Paisagem - Sombra e Luz (Leonardo Da Vinci)  O Essencial da Cor no Design (Adam Banks, Tom Fraser), ed. Senac  A cor no processo criativo (Lilian Ried Miller Barros)  A cor como informação (Luciano Guimarães)  O Guia Completo da Cor (Adam Banks)  Psicodinâmica das Cores em Comunicação (Modesto Farina, Clotilde Perez, Dorinho Bastos) TEORIA DO DESIGN - [ AULA 1] por Léo Diaz 26

×