Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Aterramento por gabriel torres publicado em 19 12-02
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Aterramento por gabriel torres publicado em 19 12-02

  • 82 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
82
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Aterramento Por Gabriel Torres em 19 de dezembro de 2002 Introdução Muitos leitores nos escrevem perguntando sobre o que é aterramento e se ele é realmente necessário. Eletricidade só existe quando há diferença de potencial. Por exemplo, se temos dois fios, um com potencial 12 e outro com potencial 0, então temos uma diferença de potencial de 12 V. Se temos dois fios com potencial 12, então não há diferença de potencial e a tensão elétrica obtida entre esses dois fios será zero. Assim, a rede elétrica é formada por dois fios, um chamado fase e outro chamado neutro. O fio neutro possui potencial zero e o fio fase é por onde a tensão elétrica é transmitida. Como haverá diferença de potencial entre a fase e o neutro, haverá tensão elétrica. Na rede elétrica a tensão é alternada, já que potencial elétrico do fio fase é uma forma de onda senoidal, isto é, varia ao longo do tempo. O terra é um sinal que contém zero volt absoluto. Ele é usado para igualar o potencial elétrico entre equipamentos elétricos. Normalmente o terra é ligado à carcaça metálica do equipamento. Em equipamentos onde o gabinete seja plástico, o terra é ligado à carcaça metálica existente no interior do equipamento. Você deve estar se perguntando qual é a diferença entre o terra e o neutro, já que ambos possuem potencial zero. Acontece que o fio neutro pode ficar "sujo" devido a fugas apresentadas pelos equipamentos elétricos presentes na sua casa ou trabalho. Por exemplo, ele vem da rua com potencial zero mas, devido aos equipamentos que existem em sua casa, houve uma fuga (que é normal) e o neutro passou a ter um potencial ligeiramente maior, digamos 6 V. Se comparado com o fio fase, então, a diferença de potencial baixou, nesse caso, 6 V. Mas, como os equipamentos elétricos normalmente possuem uma tolerância alta, essa queda na tensão não alterará funcionamento deles (a tensão baixou de 127 V para 121 V nesse exemplo, o que fará com que os equipamentos continuem funcionando
  • 2. normalmente). O terra apresenta, portanto, um potencial de zero volt absoluto. Isso é conseguido através da instalação de uma barra de ferro no solo (e daí o nome "terra"). Como a terra é uma fonte inesgotável de elétrons, o seu potencial é inalterável. Caso algum equipamento tente "sujar" o terra (como ocorre com o neutro), o excesso de tensão é encaminhado para a terra, mantendo o potencial elétrico sempre em zero. A questão é que o fio terra só faz sentido quando estamos operando com equipamentos elétricos que irão ser interligados entre si e onde não pode haver diferença de potencial entre eles. Para um ferro de passar roupas, para um liqüidificador e para uma lâmpada, o uso do fio terra não faz o menor sentido, já que eles não precisam de uma referência do zero volt absoluto, pois a tolerância desses equipamentos permite a eles operarem corretamente mesmo quando o fio neutro está "sujo". Por esse motivo é que nas instalações elétricas residenciais só há, na maioria das vezes, os fios fase e neutro, já que assume-se que você não terá em casa equipamentos elétricos que necessitem de aterramento. Terra Virtual Você já tomou choque ao abrir a porta de uma geladeira? Isso ocorre caso o potencial elétrico da carcaça da geladeira não é igual a zero. Como você está com os pés no chão (que possui potencial zero), haverá uma diferença de potencial entre você e a geladeira, que criará uma corrente elétrica tão logo você encoste na carcaça metálica da geladeira, fazendo com que você sinta o choque. Esse mesmo tipo de problema pode ocorrer com o gabinete do seu computador ou com qualquer equipamento elétrico ou eletrônico que possua carcaça metálica. A função do fio terra é prover zero volt absoluto. O terra é ligado diretamente à carcaça metálica do equipamento e, com isso, você nunca tomará esse tipo de choque em equipamentos corretamente aterrados. Agora imagine que você esteja ligando o micro a uma impressora. Essa ligação é feita através de um cabo, correto? O que acontecerá se o potencial elétrico da carcaça do computador for diferente do potencial elétrico da carcaça da impressora? Na pior das hipóteses, você queimará a porta paralela do seu micro ou da sua impressora. Outra situação muito comum é entre micros conectados em rede. Se os micros não estiverem aterrados, você poderá queimar a placa de rede deles, caso a carcaça deles possuam potenciais elétricos diferentes. O cabo da rede fará o papel de interligar a carcaça dos micros, fazendo com que haja um choque entre eles (assim como você tomou um choque na porta da geladeira ou no gabinete do micro). Esse choque é uma diferença de potencial e fará com que, no caso mais simples, a rede não funcione e, no caso mais grave, você queime as placas de rede dos micros que possuem diferença de potencial entre eles. Já viu o que pode ocorrer em redes contendo vários micros (é óbvio que esse problema só ocorre em redes usando cabos metálicos, que conduzem eletricidade; em redes usando fibras ópticas esse tipo de problema não ocorre, já que ele transmite luz e não eletricidade). Dessa forma, pode haver diferença de potencial entre equipamentos que possam ser interligados. A solução para não haver essa diferença de potencial é o aterramento. Só que, como vimos, a maioria dos prédios não possui fio terra e muitas vezes sai caro (e complicado) criar o terra (pois, como vimos na página anterior, é necessário enterrar uma barra de ferro na terra se você mora em uma casa, isso é moleza, mas digamos que você more no 10º andar de um prédio). Então, qual é a solução para não haver diferença de potencial entre os equipamentos? A não ser que você esteja trabalhando em uma empresa onde há vários computadores ligados em rede (e aí realmente torna-se necessário criar um terra verdadeiro), pode-se usar a técnica do "terra virtual". Em seu micro, você não terá esse problema de diferença de potencial entre os seus equipamentos se você igualar o potencial deles. Para isso, basta interligar os fios terra deles. O seu estabilizador de tensão pode fazer isso por você. Basta você não cortar o pino terra dos seus equipamentos e ligá-los ao mesmo estabilizador para que o potencial deles seja igualado, já que o estabilizador interliga os
  • 3. pinos terra dos equipamentos. O único problema será se houver diferença de potencial entre você e a carcaça do gabinete (porque você tomará um "choquinho" toda vez em que encostar no gabinete) ou se você for ligar vários micros em rede. Aí o terra será necessário. Para criar um terra verdadeiro, aconselhamos procurar um eletricista especializado em instalações prediais. Terra Verdadeiro A técnica do "terra virtual", funciona para igualar o potencial elétrico dos seus equipamentos e fazer com que eles não se queimem caso exista diferença de potencial entre eles. Para isso, basta interligar os terras dos equipamentos, o que é feito simplesmente conectando os equipamentos ao estabilizador de tensão. O pino terra dos cabos de força não poderão estar cortados, caso contrário essa técnica não funcionará. É claro que se você não tiver uma ligação de terra real, você terá de cortar ou então deixar desconectado o pino terra do estabilizador de tensão. Ou seja, o estabilizador será responsável por conectar os terras dos equipamentos nele conectados, porém seu próprio terra não estará ligado a lugar algum. Vários leitores pediram para nós ensinarmos como é que eles podem fazer um terra verdadeiro sem a contratação de um profissional da área. A solução quebra-galho mais eficiente é você procurar um ponto metálico que faça a ligação do seu equipamento com o subsolo onde o seu prédio foi construído. Em apartamentos e salas comerciais, você tipicamente conseguirá isso através da tubulação de água, caso ela seja metálica, ou então através do vergalhão de ferro presente nas vigas de sustentação do prédio (atenção: janelas de alumínio não servem para fazer o terra). Assim, basta você comprar um fio com o comprimento necessário para ligar o pino terra da tomada do estabilizador ao cano ou viga escolhida e pronto, mãos à obra! No caso de você decidir usar a tubulação de água para fazer o seu terra, não se esqueça de verificar se os canos que passam dentro da parede são de metal, pois caso eles sejam de PVC, você não poderá utilizar a tubulação. Note que muitas vezes, especialmente nos prédios mais novos, as torneiras são metálicas, mas o encanamento é de PVC. Por isso, olho vivo! Outro cuidado a ser tomado é o de não ligar o pino terra da tomada do estabilizador ao neutro da rede elétrica. Infelizmente há muitas pessoas que fazem isso. O problema é que algum dia alguém pode equivocadamente inverter o fase e o neutro na caixa de distribuição e o seu micro literalmente explodir (nós já vimos isso acontecer). Um outro detalhe técnico que esquecemos de deixar claro na primeira parte desta série é que nossas explicações estavam baseadas nas redes elétricas de 110 V. Em redes elétricas de 220 V, há duas formas de se conseguir essa tensão. Em uma das configurações usadas, um dos fios da tomada possui uma fase de 220 V e o outro é o neutro. Ou então outra possibilidade é de os dois fios serem fases independentes de 110 V, fazendo com que a tensão seja "dobrada" e, daí, atingindo os 220 V. Em redes 220 V formadas desta maneira, a presença do terra é ainda mais importante, já que a tomada não possui um fio neutro (que, como vimos anteriormente, possui potencial elétrico de zero volt). O leitor Otto Fuchshuber Filho nos mandou a seguinte dica sobre esse assunto: "Usei um conector fabricado especialmente para utilização das ferragens. É só instalar o conector em um vergalhão de uma coluna, levar o fio que vem preso ao conector até o quadro de distribuiçao e daí até as tomadas. Custa R$ 19,00 + despesas de postagem e pode ser adquirido em http://www.pararaios.com.br/produtos.htm". Originalmente em http://www.clubedohardware.com.br/artigos/457 © 1996-2006, Clube do Hardware. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site e dos textos disponíveis, seja através de mídia eletrônica, impressa, ou qualquer outra forma de distribuição. Os infratores serão indiciados e punidos com base na lei nº 9.610 de 19/02/1998. Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas no Clube do Hardware.