Lxde

301 views
253 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
301
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Lxde

  1. 1. Lxde<br />O LXDE (Lightweight X11 Desktop Enviroment) é um projeto que tem como objetivo criar um ambiente de trabalho leve e usável, não visa ser um ambiente de produção poderoso, somente leve e rápido. O LXDE na verdade, nem mesmo possui um gerenciador de janelas, o projeto é um apanhado de aplicativos que visam facilitar o uso da interface gráfica e dar uma boa aparência. <br />Para tal, o projeto usa como padrão o GJ Openbox, mas você pode usar outros, como o XFWM4, Metacity, Kwin, Fluxbox, Blackbox e afins, e o GTK+ para usar temas, já que ele importa automaticamente para a lista dele os temas GTK+ que você tem em seu sistema. E faz uso padrão de um gerenciador de arquivos, que no caso dele é o PCManFM, um gerenciador muito bom e bem rápido, leve mesmo. Tem também um excelente editor de textos que é o Leafpad, muito bom, simples e leve, também usa um programa para visualização de imagens, que é o GPicView. O LXDE em si, é formado pelos seguintes aplicativos: <br />LXPanel - Uma barra de trabalho com bastantes funções; <br />LXSession - Gerenciador de sessão com suporte a desliga/reiniciar/suspender via HAL e o gdm; <br />LXAppareance - Seletor de temas GTK+ com suporte a escolha de temas, ícones e fontes para configuração do ambiente LXDE; <br />LXNetdaemon - Daemon de configuração de rede do ambiente LXDE; <br />LXNM - Interface gráfica para gerenciamento do LXNetdaemon; <br />GPicView - Visualizador de imagens simples e leve do ambiente LXDE.<br />Uma coisa que vale ser lembrada é que todos esses aplicativos não são dependentes de uma biblioteca LXDE, ou seja, são independentes, podendo então ser rodados em qualquer outro ambiente. Outra é que o ambiente quando configurado, além de usável, é agradável e bem bonito, pois usa temas GTK+2. É também bem leve, o LXDE quando iniciado ocupa mais ou menos 45MB de memória em máquinas i386. Segundo os desenvolvedores, ele pode ser usado tranquilamente em máquinas Pentium II 192MB de RAM.(VIVA O LINUX , 2010)<br />Introdução<br />Assim como outros ambientes, o LXDE é composto por uma série de componentes. O principal deles é o OpenBox, que é o gerenciador de janelas utilizado por padrão. Ele é complementado por applets, ferramentas de configuração e um pequeno conjunto de aplicativos, que se somam para criar um ambiente de trabalho funcional.<br />O Lenny inclui uma versão pouco personalizada do LXDE, que é utilizável mas tem um visual bem longe do ideal. O primeiro passo é ajustar os tamanhos das fontes e outras opções básicas usando o Lxappearance e o Obconf, que estão disponíveis no "Iniciar Configurações":<br />O LXDE possui um applet próprio de configuração da rede, o LXNM (que pode ser instalado usando o apt-get e em seguida adicionado usando o gerenciador de plugins), mas a versão incluída no Debian Lenny (e em diversas outras distribuições) é ainda bastante limitada e problemática.<br />Embora possa não parecer à primeira vista, o LXDE é baseado na biblioteca GTK2, o que faz com que os melhores aplicativos para usar sobre ele (dentro da ideia de desktop leve) são os aplicativos baseados na biblioteca que não utilizam componentes do GNOME, combinados com aplicativos leves baseados em outras bibliotecas. Os aplicativos do KDE, por sua vez, ficam sempre bastante pesados, já que além dos componentes do KDE, eles precisam da biblioteca QT. Se você pretende usar predominantemente aplicativos do KDE, vai ter melhores resultados usando o KDE 3.5, em vez do LXDE.<br />Vamos então às dicas:<br />Para navegação, a melhor opção seria o Opera, que oferece umconsumo de memória bem inferior ao do Firefox e roda melhor em máquinas com processadores lentos. Outra vantagem é o turbo mode (o mesmo que utilizamos para navegar em conexões lentas), que causa uma redução adicional no processamento necessário para montar as páginas, já que o navegador passa a receber a página já mastigada, pré-processada pelo servidor proxy.<br />Para quem prefere o Firefox, a melhor opção seria continuar com o Iceweasel do Debian, que é um pouco mais leve que o Firefox propriamente dito e se integra melhor ao sistema. O segredo nesse caso é usar o NoScript e o Flashblock para desativar o carregamento automático de scripts e de animações em flash, que correspondem à maior parte dos recursos consumidos pelas páginas.<br />O Iceweasel/Firefox roda bem sobre o LXDE (já que é também baseado no GTK2), mas você notará que o desempenho ao abrir muitas abas ou navegar em páginas com flash não é dos melhores em máquinas antigas, devido ao alto consumo de memória.<br />Outra opção de navegador leve é o Midori, que é baseado na engine Webkit. Ele ainda está em estágio inicial de desenvolvimento, mas já é bastante funcional. Ele ainda não é incluído nos repositórios do Lenny, mas (se estiver disposto a migrar para o Testing/Unstable) é possível instalá-lo a partir dos repositórios do Sid.<br />Para exibição de PDFs, você pode usar o Epdfview que além de ser muito leve, oferece uma boa qualidade de renderização e uma interface limpa. Outra opção é o XPDF que, apesar do visual ultrapassado, é leve e também faz o trabalho.<br />Para edição de documentos você pode lançar mão da dupla Abiword e Gnumeric, que têm melhorado bastante nas últimas versões, mantendo a leveza. Caso não possa abrir mão do OpenOffice, a melhor saída é personalizá-lo, desativando o Java e reduzindo os caches para que ele consuma menos memória.<br />Não seria uma boa ideia usar o K3B para gravação de CDs, devido ao uso das bibliotecas do KDE, nem o Brasero (que sofre do mesmo problema em relação às do GNOME), mas você pode usar o bom e velho X-CD-Roast (o pacote se chama apenas "xcdroast"), que serve como opção leve, mas com bons recursos.<br />Em termos de processamento, mesmo um Pentium II é capaz de exibir vídeos com 400p e DVDs, desde que conte com a ajuda de uma placa com um bom suporte a aceleração de vídeo (basicamente qualquer placa minimamente atual, que não seja da SiS ou da VIA), restando apenas a questão das bibliotecas e componentes usados pelo player. Nesse quesito, o Mplayer e o VLC se destacam, já que não possuem dependências externas. Se você faz questão de uma interface mais elaborada, pode usar também o SMPlayer, que apesar de ser baseado na biblioteca QT, não utiliza componentes do KDE e é também relativamente leve.<br />O Debian Lenny não inclui mais o XMMS, que seria a opção tradicional de player de áudio leve. O sucessor direto é o Audacious, que ainda é relativamente leve, mas já possui um pequeno conjunto de dependências externas. Outra opção é o Alsaplayer, que é bastante espartano, mas consome pouca memória e oferece as funções básicas.<br />Se você precisa de um cliente de e-mails local, uma boa opção é o Sylpheed, que é um dos clientes de e-mail mais leves. Outra boa opção é o Claws Mail (pacote "claws-mail"), que não chega a ser tão leve, mas em compensação oferece mais recursos.<br />Não é viável utilizar o Thunderbird, muito menos o Evolution em máquinas com 256 MB de memória ou menos, pois mesmo que no começo a velocidade seja aceitável, eles vão ficando cada vez mais lentos conforme as pastas de e-mail crescem.<br />Para baixar arquivos bittorrent, as duas melhores opções são o Transmission (que, apesar de ser usado por default em muitas distribuições com o GNOME, não depende de bibliotecas do ambiente) ou o próprio btdownloadcurses, em modo texto.<br />Para visualização e edição de imagens, você pode usar o trio GQview, Gimp e Inkscape que, respectivamente, oferecem as funções de visualizador, editor de bitmaps e editor vetorial. Os três são baseados no GTK2 e rodam muito bem sobre o LXDE, incluindo o Gimp, que apesar de demorar um pouco para carregar, oferece um consumo aceitável de memória depois de aberto.<br />Outra opção é o GPicView, um visualizador de imagens leve, que oferece um consumo de memória mais baixo que o do GQview.<br />O LXDE inclui também um conjunto de aplicativos próprios, que são bastante leves. O "kit" inclui o PCManFM (gerenciador de arquivos), Leafpad (editor de texto), Xarchiver (descompactador de arquivos) e o LXTerminal. Eles são os melhores em termos de custo-benefício dentro do LXDE, já que oferecem um consumo de memória muito baixo e oferecem boas funções.(GUIA DO HARDWARE, 1999 – 2010)<br />Tela do Lxde:<br />REFERÊNCIAS:<br />GUIA DO HARDWARE. Introdução. Disponível em: <http://www.guiadohardware.net/artigos/lxde/> Acessado em: 26.Out 2010.<br />VIVA O LINUX. Definição de:Lxde . Disponível em: <http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Conhecendo-o-LXDE/ VIVA O LINUX>Acessado em: 26.Out 2010.<br />Turma : <br />CTI 2010 NS2<br />Alunos:<br />Evani Heissler<br />Jéssica Rossarola<br />Lucinéia Loch<br />Maicon Schiwnn<br />

×