Your SlideShare is downloading. ×
Tratamento de assuntos reservados e seguranca da informacao na Industria Farmaceutica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Tratamento de assuntos reservados e seguranca da informacao na Industria Farmaceutica

856

Published on

Apresentação realizada na Sindusfarma sobre informação, comunicação e práticas para melhoria de eficiência interna nas organizações.

Apresentação realizada na Sindusfarma sobre informação, comunicação e práticas para melhoria de eficiência interna nas organizações.

Published in: Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
856
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • - 8 MONTHS AND 24 VISITS – LESSON LEARNED – ITS NECESSARY TO HAVE A DEDICATED EFFORT (FREQUENCY AND SEQUENCY) - MORE TIME OF CONVERSATION – BETTER THAT ALIVE - POTENTIAL USE OF DIFFERENT MATERIALS MORE THAN THE USUAL IF THE PHYSICIAN ACCEPT THE INTERACTION BUILD UP A NEW RELATIONSHIP GOALS DEFINED TO THE SF - ENGAGEMENT MATERIAL AVAILABLE
  • Transcript

    • 1. O Tratamento de Assuntos Reservados e Segurança da Informação nas Atividades Cotidianas e no Mundo Digital Sindusfarma 30 de agosto de 2011
    • 2. A proposta desse encontro
      • Discutir a comunicação e sua contribuição
      • para a produtividade da empresa
      • Administração do fluxo de informação
      • Utilidade da comunicação eficaz nas atividades
      • diárias
      • Gerenciamento de comunicação no conflito
      • Comunicação e suas tecnologias
    • 3. Contexto
      • Comunicação
        • . Trabalho em células exige maior sinergia de times
        • . Tempo reduzido para realização das tarefas
        • . Comunicação eletrônica se sobrepõe
        • à face a face
        • . Necessidade de construir memória,
        • diminuir risco, aumentar a produtividade, etc.
    • 4.
      • Aumentar o engajamento das pessoas
      • Diminuir risco
      • Construir memória
      • Facilitar o processo de mudança
      • Influenciar o clima organizacional
      • Ganhar produtividade
      Por que a empresa precisa de comunicação?
    • 5. Facilitam o fluxo de informações nas áreas Ajudam lideranças em seu papel de comunicadores Usam efetivamente os veículos de comunicação disponíveis na empresa Motivam o exercício dos valores Contribuem com o exercício da mudança Evitam conflitos Como a comunicação das áreas de suporte e administrativas agregam valor ?
    • 6. É informação É mais do que a transmissão de informação: é diálogo e relacionamento, é interação MITO REALIDADE Comunicação .... Comunicação na empresa: mitos e realidade
    • 7. Só acontece quando a empresa tem alguma novidade ou acontecimento importante para comunicar Acontece no dia a dia: as pessoas precisam de referências permanentes de tudo que acontece na empresa REALIDADE MITO Comunicação .... Comunicação na empresa: mitos e realidade
    • 8. É coisa de RH / Assessoria de Comunicação É responsabilidade da alta administração, é competência das lideranças e diz respeito à todas as pessoas da empresa MITO REALIDADE Comunicação .... Comunicação na empresa: mitos e realidade
    • 9. É feita através do jornal, da revista, da intranet, do anúncio, da notícia que sai da imprensa Os meios de comunicação dão conta de informar. Diálogo e relacionamentos são construídos através de interação permanente entre as pessoas MITO REALIDADE Comunicação .... Comunicação na empresa: mitos e realidade
    • 10. Isso é problema de comunicação Nem sempre. Muitas vezes, bloqueios e dificuldades na comunicação interna são decorrentes de problemas de liderança, gestão e políticas de pessoal MITO REALIDADE Comunicação na empresa: mitos e realidade
    • 11. Elementos Básicos da Comunicação Empresarial
    • 12. Comunicar requer planejamento 1 Ser humano tem necessidades complexas 2 A informação disputa as pessoas 3 O tempo é determinante Necessidade de auto-realização Necessidade de estima Necessidades sociais Necessidade de segurança Necessidade fisiológicas
    • 13. Ciclo Básico da Comunicação Mensagem Canal
      • 60% da comunicação é perdida
      • Diferenças culturais e experiência
      • Erro do canal
      • Erro semântico
      • Atenção seletiva
      • Tendência de pré-avaliar / julgar
      Emissor Receptor Ruído
    • 14. Fluxos de comunicação Comunicação Descendente Comunicação Ascendente Comunicação Lateral Fonte: John R. Schemerhorn Jr. Management, 5a edição Para influenciar Estratégias Objetivos Instruções Políticas Feedback Para informar Problemas Resultados Sugestões Questões Necessidades Para coordenar Problemas Necessidades Conselhos Feedback
    • 15. Comunicação em todos os níveis HC HH HO Alta Gerência Média Gerência Força de Trabalho Habilidades Conceituais Habilidades Humanas Habilidades Operacionais
    • 16. O emissor controla quase todo o processo Ao vivo e em cores A definição do canal é importante. F2F facilita muito o processo Vestir o sapato do outro Coloque-se no lugar do outro Tente ver as coisas do modo que ele as vê Entender crenças, expectativas e necessidades
    • 17. O emissor controla quase todo o processo O outro A comunicação termina quando você recebe o feedback, não quando você emite uma comunicação. Quando e onde Mensagem correta da forma errada ou no lugar errado = ruído
    • 18. Aprenda a ouvir Ouvir com empatia depende da capacidade e da disposição de cada um de nós em ouvir e aceitar pontos de vista diferentes Ignorar Fingir que ouve Ouvir seletiva- mente Ouvir com atenção Ouvir com empatia
    • 19. O processo de comunicação traz mais componentes que simplesmente o conteúdo (palavras): Palavras 7% conteúdo Forma 38% entonação, ritmo, timbre, velocidade, volume Fisiologia 55% expressão corporal Quando esquece da comunicação não verbal Risco no processo de comunicação
    • 20. Chart do Tadeu
    • 21. Abordagem Apreciativa A solução é encontrada onde está o problema Experiências positivas precisam ser compartilhadas Soluções tem padrões baseados na experiência Encontrar os erros é importante, mas multiplicar os acertos é fundamental
    • 22. Abordagem Apreciativa Pense numa experiência positiva que teve em comunicação Compartilhe em 2 ou 4 pessoas num grupo Identifiquem o que há de comum = Padrão Plenário para compartilhar experiências e padrões 40 min
    • 23. Comunicação como processo de eficiência diária
    • 24. Exemplos
      • Para que fazemos uma ata?
      • Ajudar a tomada de decisão
      • Acompanhar assuntos discutidos
      Atas de reunião O que Decisão Responsável Acompanhamento
    • 25. Exemplos
      • Utilize e-mails somente para as mensagens que precisem ser registradas ou para encaminhar assuntos pendentes para as pessoas responsáveis.
      • Seja claro sobre o envolvimento do destinatário na ação
      •  Faça um resumo dos pontos principais das mensagens no início de cada e-mail enviado
      • Regra de ouro: menos é mais: Quanto mais claro e objetivo você for, melhor será a sua mensagem
      Efetividade nos e-mails
    • 26. Exemplos
      • Responda às perguntas O que? Como? Quando? Onde? Por quê?
      • Redija respostas completas: Imprecisão gera sempre trabalho dobrado, pois resposta incompleta gera novo e-mail.
      • Evite títulos genéricos como "Proposta“ou "Pagamento“. Prefira "Proposta de novo conteúdo para boletim mensal“.
      • Depois de escrever seu e-mail, conte até 10 e então releia a mensagem.
      Efetividade nos e-mails
    • 27. Exemplos
      • Comece seu texto pelo que é mais importante e explique depois. Assim, você não perde nenhum 'leitor preguiçoso'. . .
      •  Uma boa mensagem responde pelo menos três perguntas: o que, como e por que - nessa ordem.
      • Caso você queira enfatizar que estamos na rota certa de ação, evite colocações do tipo "muito já está sendo feito".
      • Seja o mais concreto possível: já fizemos xx, com 'essa' expectativa e 'esse' resultado.
      Revisão de conteúdo
    • 28. Exemplos
      •  Você não pode se dar ao luxo de decidir se a comunicação vai tratar ou não de assuntos delicados. Sua única escolha é estabelecer confiança. Trate as pessoas com maturidade e seja assertivo na comunicação.
      • As pessoas preenchem o vazio de informação de acordo com sua própria vontade.
      •  Não aproveite a mesma comunicação para vários assuntos diferentes. Se houver mais de dois, eles serão esquecidos.
      •  Busque o especialista se a empresa tiver um.
      •  Escreva primeiro, corrija depois.
      Revisão de conteúdo
    • 29. Exemplos Use seu kit sem moderação e seja muito bem-vindo a empresa Atenção com as pessoas Imã Para atrair bons fluidos e boas idéias Elástico Para ser flexível (as coisas nem sempre acontecem do jeito que queremos, mas no final dão certo). Borracha Para ter em mente que todos nós erramos e que podemos aprender com nossos erros. Clip Para juntar todos os aprendizados e as experiências positivos. Lápis Para anotar as demandas, os favores e os elogios que você receber Vela Para lembrar de manter a chama acesa, e jamais esquecer que não basta planejar, temos que realizar! Chocolate Para adoçar a sua vida e te lembrar que a sua atitude vai adoçar a vida dos colegas que te rodeiam. Saquinho de chá Para relaxar, afinal ninguém é de ferro :)
    • 30. Gestão de Conflito - Primeiro Passo
      • Prepare-se lembrando dos três diálogos
      • O que aconteceu?
        • De onde vem a sua história? E a do outro?
        • Qual o impacto que esta situação exerceu sobre você?
        • Como cada um dos envolvidos contribuiu para o problema?
      • Compreenda as emoções
        • Explore o que você sente com relação ao que aconteceu
      • Estabeleça sua identidade
        • O que lhe parece correr risco sobre você? O que você precisa aceitar para estar mais seguro?
    • 31.
      • Verifique seus propósitos e decida se deve levantar a questão
      • Propósitos:
        • O que você deseja concluir se tiver esta conversa ou intervir nesse conflito? Modifique a sua postura para apoiar o aprendizado, a partilha e a resolução do problema.
      • Decidindo:
        • Este é o melhor caminho para abordar a questão e alcançar seus propósitos? Você pode afastar o problema alterando suas contribuições? Se você não levantar a questão, o que pode fazer para ajudar a si mesmo a seguir em frente?
      Gestão de Conflito - Segundo Passo
    • 32.
      • Comece pela terceira história
      • Descreva o problema como a diferença entre as duas histórias. Inclua os dois pontos de vista como parte legítima da discussão. Assuma a mediação...
      • Compartilhe seus propósitos.
      • Convide-os a se juntarem a você como parceiros para esclarecerem a situação juntos.
      Gestão de Conflito - Terceiro Passo
    • 33.
      • Explore a história do outro e a sua
      • Escute para compreender
        • Faça perguntas. Reconheça os sentimentos por trás dos argumentos e das acusações. Parafraseie para ver se compreendeu. Tente esclarecer como vocês chegaram a esse ponto.
      • Compartilhe seus pontos de vista
      Gestão de Conflito - Quarto Passo
    • 34.
      • A resolução do problema
      • Crie opções que estejam de acordo com as preocupações e os interesses mais importantes de ambos.
      • Procure por padrões do que deveria acontecer. Tenha em mente os padrões de zelo recíproco; relacionamentos que vão apenas em um sentido raramente duram.
      • Fale sobre como manter a comunicação aberta à medida que segue em frente.
      Gestão de Conflito - Quinto Passo
    • 35. Comunicação e suas Tecnologias 200 milhões de blogs 13 milhões de residentes mais de 200 milhões de vídeos 3ª maior audiência da Internet 276 milhões usuários registrados US$ 59 bilhões em transações 4,3 milhões de artigos (10 línguas) 36 milhões perfis cadastrados 54% são brasileiros Números
    • 36. O que é Web 2.0 ?! www.wikipedia.org – Tag Cloud Web 2.0
      • Exemplos:
      • serviços hospedados
      • aplicações na web
      • wikipedia
      • twitter
      • youtube e videos
      • blogs
      • redes sociais e comunidades virtuais
      Palavras Chaves: colaboração Compartilhamento de informação interoperacionalidade Desenho centrado No usuário
    • 37. A preferência pelo mundo das mídias sociais © 2008 JumpEducation
    • 38. Mídias sociais – Uma definição
        • Mídia social é aquela utilizada pelas pessoas por meio de tecnologias e políticas na web com fins de compartilhamento de opiniões, idéias, experiências e perspectivas.
        • Mídias sociais são textos, imagens, áudio e vídeo em blogs, microblogs, comunidades, quadro de mensagens, fóruns de discussão on-line, podcasts, wikis, vlogs e afins que permitem a interação entre os usuários.
      Fonte: Carolina Terra – http://www.meadiciona.com/carolterra
    • 39. Mídias sociais e suas Características
        • Características:
          • Formato de conversação e não de monólogo
          • Deve facilitar a discussão bidirecional e evitar a moderação e a censura
          • Protagonistas = pessoas e não as empresas ou marcas, isto é, quem controla sua interação com as corporações são os próprios usuários
          • Principais valores: honestidade e transparência
          • Distribuição em vez da centralização (uma vez que têm diversos interlocutores que tornam a informação heterogênea e rica).
      Fonte: Carolina Terra – http://www.meadiciona.com/carolterra
    • 40. Vídeo Agência Click http://www.youtube.com/watch?v=DmRsQibIOWg
    • 41. Modelo Push – Pull Visita do Rep Rep Especializado Eventos e-CME Contact Center Detailing E-detailing Hot line Conteúdo Web Serviços em Sites Redes Sociais Communidades de Prática Investmento por médico Diferentes Canais de Comunicação Escolha do Médico Self detailing Emails Newsletter PUSH – Modelo Farma PULL- Necessidade Médico William Cerantola – EyeforPharma 2008
    • 42. Farma desenvolve esforços na web
      • Conteúdos científicos e médicos em websites
      • Serviços pelos websites
      • Websites institucionais e reforço de marca via site de produtos
      • CME – Continuous Medical Education
        • Conexões One-to-one ao vivo
        • Treinamento ao vivo on-demand
        • Webcasts ao vivo on-demand
      • Iniciativas de Redes Sociais
    • 43. Expectativas estão mudando Vision and reality 2001 – Cracking the Code – Unlocking New Value in Customer Relationship; Cap Gemini & Young & 2010 predictions by Pharma marketers in Europe Nível de Importância: 1= pouco importante; 6= muito importante tradicional novo
    • 44. Fonte: CW – Abril e Maio 2008 Conflito entre Gerações Veteranos ( antes de 1946) Boomers (1946-1964) Geração X (1965-1981) Geração Y (1982 – 2000) Estilo Formal Semi formal Não tão sério, irreverente Olhos nos olhos, divertido Informações Detalhadas, por escrito Me dê tudo o que eu preciso Direto ao ponto. O que eu preciso fazer? Se e quando eu precisar disso, eu busco on line Contexto Relevante para minha segurança. Perspectiva histórica. Relevante no ‘bottom line’ e para meus ganhos Relevante para o que me importa realmente Relevante neste momento para meu trabalho Atitude Respeita autoridade e hierarquia Aceita regras criadas pelos veteranos Aberto para questionar hierarquia Aceita autoridade ganha pelo respeito Táticas Escrita. E-mail convencional. Conversas face a face ou por telefone. Escrita. E-mail convencional. Face a face. Ferramentas e recursos on line. On line. Reuniões face a face (se realmente necessárias) On line. Conexão via web. Uso de tecnologias em geral Velocidade Alcançável com um tempo razoável Disponível. Acessível Imediato. Quando eu preciso disto 5 minutos atrás Freqüência Em quantidades que possam ser digeridas Quando necessário Sempre que necessário Constante
    • 45. Web é a referência para pessoas quando estão procurando por temas de saúde
      • 32% das pessoas usam a web como fonte de informação em saúde (mesma frequência que livros, revistas, jornais e amigos)
      • 60% estão usando frequentemente a web como fonte geral (EUA e Brasil)
      • Diferentes idades estão usando web para temas de saúde (EUA)
      • 85% estão usando mecanismos de busca para encontrar informação (EUA e Brasil)
      • Maioria das Farmas aumentarão os investimentos em websites e mecanismos de busca no futuro (60% planejam fazer nos EUA)
      Idades 18 - 33 34 - 54 55+ Websites sobre saúde 37% 52% 51% Social Networking 50% 33% 15% Websites de Farmas 7% 10% 14%
    • 46. Médicos escolhem Web como meio para sua atualização científica
      • 80% a 90% usam como fonte de informação em saúde (EUA e Brasil)
      • 85% usam mecanismos de busca (EUA e Brasil)
      • 63% pesquisam por sintomas e diagnóstico (Brasil)
      • 59% pesquisam por novas drogas e melhores práticas (Brasil)
      • 50% usam para verificar dosagem de produtos (Brasil)
      • Links patrocinados e videos são o segundo e terceira mídias mais importantes para conhecimento e influência após a visita do representante de vendas (respectivamente 34% e 33%)
    • 47. Twitter – Mais recente iniciativa
      • Método instantâneo de engajamento social
      • Comunicar com 140 caracteres
      • Pode fazer retweet dentro da comunidade
      • Alto número de seguidores = pessoas estão interessadas nos posts
      • Alto número dos que segue = engajado em muitas comunidades
      • Alto número de atualizações = algo a dizer
    • 48.
      • 20 a 50 top Farmas estão usando twitter e seu total de seguidores é inferior a 14.000 (maioria das Farmas não está engajada)
      • 6 Farmas com alto número de seguidores (Boehringer, Novartis, J&J, Genentech, AstraZeneca, Roche): a maioria de negócios, mídia, marketing e pequeno número de médicos
      • 12% dos pacientes compartilham updates ou veem updates de outros = comentários de posts, perguntas, informações sobre saúde e assuntos médicos
      Twitter – Farma apenas iniciando…
    • 49. Twitter – Caso Novartis Novartis Twitter (3.516 seguidores e segue 10) Cia de comunicação única para complementar press releases
    • 50. Twitter – Caso Boehringer Boehringer Twitter (3.071 seguidores e segue 2.264) Mais engajado no twitter divulgando notícias entre os pares do grupo e jornalistas
    • 51. Twitter – Caso Novo Nordisk Novo NordiskTwitter (839 seguidores e segue 22) Piloto de corrida Charles Kimball que argumenta que é possível ter alta performance sendo portador de diabetes – percepção que não é uma conversa genuína
    • 52. YouTube – Oportunidades para as Farmas
      • Cada minuto são recebidas 20 horas de vídeos
      • A mídia menos utilizada = 11 das top 50 Farmas
      • Sites com mais conteúdo e views (224.000 views)
      • Métricas: inscrições e seguidores ; views dos canais; número de vídeos; nível de investimento feito no site
    • 53. YouTube – Caso Sanofi-Aventis Goinsulin – Insulin, Glucose and You (79.303 views) Não menciona marca e prove informações sobre o uso da insulina para diabetes e alguns estudos de caso
    • 54. YouTube – Caso Jonhson & Jonhson J&J Health Channel (476 views) 162 filmes curtos que cobrem a ampla gama de tópicos (recrutamento de enfermeiras, obesidade juvenil, deficit de atenção e disfunção de hiperatividade e outros)
    • 55. YouTube – Caso AstraZeneca Canal para a marcar Symbicort (249 views) testemunhos de pacientes com destaques sobre segurança da droga
    • 56. Grupos de Discussão
      • Anonimato dá conforto e encoraja as pessoas a partilharem suas histórias de tratamento, experiências com médicos e resultados com medicamentos
      • Muitas comunidades e foruns estão bem desenvolvidos com o objetivo de partilhar o interesse numa dada enfermidade
      • Mais conexões tem sido experimentadas entre pacientes que já tratam e novos pacientes diagnosticados
    • 57. Grupo de Discussão Promovido por Marca Diabetes handprint.com foi desenhada com limites estritos: convidar as pessoas que tem diabetes para compartilharem o que a diabetes significa para elas.
    • 58. Chilldren with Diabetes pela J&J como um forum popular para jovens que tem diabetes. Permanece independente e estabelece uma política de separação entre o editorial e os conteúdos patrocinados. Grupo de Discussão Promovido por Marca
    • 59. Facebook - Grupo de Discussão
      • Usários podem criar seu próprio perfil e ligar-se com amigos
      • Farma criou grupos de interesses onde as pessoas podem juntar-se para participar das discussões
      • Farma tem limitado sua habilidade em participar e interagir em sites de produtos tendo em vista as questões legais e de compliance
    • 60. Facebook - Cancer Cervical Gardasil Facebook de MSD foi o primeiro de marca que abriu espaço para participação no facebook (100.000 pessoas)
    • 61. Facebook - Strong Heart Comunidade Strong Heart da Bayer tem todas as submissões revisadas antes de postá-las no site.
    • 62. Facebook - Acuminder Jonhson & Jonhson criou Acuminder para enviar lembretes quando o tempo para renovação do equipamento/ fitas e outra visita ao médico (414 fans)
    • 63. Wikipedia – livre cópia, distribuição e modificação www.wikipedia.org 2 bilhões de palavras 10.000 tópicos 250 línguas Quinto mais popular site 100.000 voluntários Wiki=4 erros por artigo versus Britannica=3 erros por artigo
    • 64. Nível 4 Influência Atitude Comprometimento Comportamento/AÇÃO Nível 3 Relevância Sentido Utilidade Nível 2 Atenção Atração Compreensão Credibilidade Nível 1 Logística Acesso Oportunidade Uso Pirâmide de qualidade de comunicação
    • 65.
        • Acesso - A comunicação chega a quem precisa recebê-la?
        • Oportunidade - Chega no tempo certo?
        • Uso - A comunicação é vista, lida ou ouvida de fato?
        • Atratividade - A comunicação atrai e prende a atenção do leitor?
        • Compreensão – Houve compreensão da informação chave?
        • Credibilidade – Ela é crível?
      Questões pertinentes em Comunicação...
    • 66.
        • Sentido - A comunicação se refere ao que está acontecendo no contexto da empresa e na vida dos empregados?
        • Utilidade - A comunicação ajuda a melhorar o desempenho ou a solucionar um problema?
        • Atitude - A comunicação influencia a atitude ou opinião?
        • Comprometimento - A comunicação ajuda a gerar um comportamento/ação efetivos
      Questões pertinentes em Comunicação...
    • 67. Exemplos Quanto maior a velocidade, mais cedo você vai embora . E para terminar...
    • 68. Exemplos BIC Ajudando os alunos a colarem desde 1945 E para terminar...
    • 69.
      • Obrigado!!!
      • Plexus Consultoria
      William A.Cerantola (11) 8432-5948 [email_address] [email_address] Twitter cerantow Blog www.comunicacaocomfuncionario. blogspot.com

    ×