Your SlideShare is downloading. ×
Água  Matriz Ecopedagógica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Água Matriz Ecopedagógica

1,273
views

Published on

Apresentação de Vera Catalão para o Curso "Água, matriz ecopedagógica", da Universidade de Brasília.

Apresentação de Vera Catalão para o Curso "Água, matriz ecopedagógica", da Universidade de Brasília.


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,273
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
94
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Água fonte e matriz 1/6/2008 1 Vera M. Lessa Catalão
  • 2. o universo a terra e a água 1/6/2008 2 Vera M. Lessa Catalão
  • 3. 1/6/2008 3 Vera M. Lessa Catalão
  • 4. 1/6/2008 4 Vera M. Lessa Catalão
  • 5. 1/6/2008 5 Vera M. Lessa Catalão
  • 6. 1/6/2008 6 Vera M. Lessa Catalão
  • 7. 1/6/2008 7 Vera M. Lessa Catalão
  • 8. Toda a vida se anuncia, toda vida principia pela forma sem forma da água 1/6/2008 8 Vera M. Lessa Catalão
  • 9. 1/6/2008 9 Vera M. Lessa Catalão
  • 10. A forma espiralada da vida encontra-se impressa na água e se repete nos estados 1/6/2008 embrionários Vera M. todos os seres vivos de Lessa Catalão 10
  • 11. Para que as águas nos revelem o céu é preciso transparência e limpidez. Turvo o 1/6/2008 reflexo, confusa M. Lessa Catalão Vera a consciência 11
  • 12. 1/6/2008 12 Vera M. Lessa Catalão
  • 13. A água circula em redemoinhos como a ponta dos nossos dedos e o coração das estrelas. Para domar esse curso, os homens construiram diques, canais, barragens. Fora e dentro de nós agoniza hoje o tempo sinuoso do rio 1/6/2008 13 Vera M. Lessa Catalão
  • 14. A água anula o peso do nascimento e nos devolve ao flutuar uterino. Elimina a gravidade da matéria e devolve-nos asas . 1/6/2008 14 Vera M. Lessa Catalão TT Catalão TT Catalão
  • 15. Através de redemoinhos, a água abre seus olhos para o mundo e o seu corpo sinuoso para as impressões do Cosmos 1/6/2008 15 Vera M. Lessa Catalão
  • 16. 1/6/2008 16 Vera M. Lessa Catalão
  • 17. Não tendo forma, assume todas as formas, Não tendo forma, assume todas as formas, curva-se aos relevos, jorra do leito profundo curva-se aos relevos, jorra do leito profundo da terra e salta como cascata reluzente e da terra e salta como cascata reluzente e sonora nos braços do abismo sonora nos braços do abismo 1/6/2008 17 Vera M. Lessa Catalão
  • 18. A água é a melodia de fundo da vida nas suas metamorfoses. Destrói formas existentes para colocá-las à disposição de uma nova criação. Ata e desata, carrega e transforma. Recria sem cessar o organismo do nosso planeta. Theodore Schwenk Theodore Schwenk 1/6/2008 18 Vera M. Lessa Catalão
  • 19. Quando aprendemos a falar, uma nuvem de rios impetuosos enche a boca árida Tristan Tzara 1/6/2008 19 Vera M. Lessa Catalão
  • 20. 1/6/2008 20 Vera M. Lessa Catalão
  • 21. No batismo, antigamente realizado pela imersão nas águas de um rio ou de uma fonte, restabelecia-se os laços entre o Deus e os homens. As águas detinham o poder de mediar o céu e 1/6/2008 a terra. 21 Vera M. Lessa Catalão
  • 22. 1/6/2008 22 Vera M. Lessa Catalão
  • 23. As águas realizam ainda um outro jogo fascinante entre os opostos, onde cada um preserva sua natureza, mas juntos criam um outro evento. 1/6/2008 23 Vera M. Lessa Catalão
  • 24. 1/6/2008 24 Vera M. Lessa Catalão
  • 25. 1/6/2008 25 Vera M. Lessa Catalão
  • 26. 1/6/2008 26 Vera M. Lessa Catalão
  • 27. 1/6/2008 27 Vera M. Lessa Catalão
  • 28. Nosso corpo é um rio, nossas artérias, grandes afluentes. Tal como a circulação sanguínea regenera continuamente o corpo humano, o fluxo das águas nutre o imenso corpo da Terra 1/6/2008 28 Vera M. Lessa Catalão
  • 29. Águas risonhas, riachos irônicos, Águas risonhas, riachos irônicos, cascatas ruidosamente alegres cascatas ruidosamente alegres parecem ser a linguagem pueril da parecem ser a linguagem pueril da natureza. No riacho, quem fala é a natureza. No riacho, quem fala é a natureza criança. natureza criança. Gaston Bachelard Gaston Bachelard 1/6/2008 29 Vera M. Lessa Catalão
  • 30. Agente de transporte, solvente universal, a Agente de transporte, solvente universal, a água precisa circular. Quando uma água precisa circular. Quando uma circulação viva é interrompida, uma circulação viva é interrompida, uma totalidade é quebrada. O movimento é a totalidade é quebrada. O movimento é a qualidade essencial dos líquidos. qualidade essencial dos líquidos. 1/6/2008 30 Vera M. Lessa Catalão
  • 31. O fluxo das águas é inexorável. Correr faz parte da sua natureza. Ela aceita ser tocada mas nunca detida. Diante dos obstáculos ela os contorna e flui, se represada, jorra impetuosa. 1/6/2008 31 Vera M. Lessa Catalão
  • 32. O ritmo das águas se revela de forma O ritmo das águas se revela de forma magistral no movimento das seivas nas magistral no movimento das seivas nas árvores. Uma tensão aspira a seiva do árvores. Uma tensão aspira a seiva do nível das raízes até os galhos mais altos e nível das raízes até os galhos mais altos e este movimento parece acompanhar o este movimento parece acompanhar o ritmo do ciclo lunar. ritmo do ciclo lunar. 1/6/2008 32 Vera M. Lessa Catalão
  • 33. A alma do homem assemelha- se à água. Do céu ela vem, ao céu retorna e de novo para a terra volta, eternamente alternando. Goethe 1/6/2008 33 Vera M. Lessa Catalão
  • 34. 1/6/2008 34 Vera M. Lessa Catalão
  • 35. 1/6/2008 nós e a água 35 Vera M. Lessa Catalão
  • 36. A teia da vida e a trama dos homens se entrelaçam na curva do rio 1/6/2008 36 Vera M. Lessa Catalão
  • 37. 1/6/2008 37 Vera M. Lessa Catalão
  • 38. 1/6/2008 38 Vera M. Lessa Catalão
  • 39. 1/6/2008 39 Vera M. Lessa Catalão
  • 40. 1/6/2008 40 Vera M. Lessa Catalão
  • 41. 1/6/2008 41 Vera M. Lessa Catalão
  • 42. 1/6/2008 42 Vera M. Lessa Catalão
  • 43. 1/6/2008 43 Vera M. Lessa Catalão
  • 44. água de beber, longe de pegar 1/6/2008 44 Vera M. Lessa Catalão
  • 45. cada R$1,00 gasto em saneamento economiza-se R$5,00 em despesas com saúde 1/6/2008 45 Vera M. Lessa Catalão
  • 46. 1/6/2008 46 Vera M. Lessa Catalão
  • 47. 1/6/2008 47 Vera M. Lessa Catalão
  • 48. 1/6/2008 48 Vera M. Lessa Catalão
  • 49. 1/6/2008 49 Vera M. Lessa Catalão
  • 50. 1/6/2008 50 Vera M. Lessa Catalão
  • 51. Luxo é o bem que perdeu o fluxo tt catalão 1/6/2008 51 Vera M. Lessa Catalão
  • 52. 1/6/2008 52 Vera M. Lessa Catalão
  • 53. 1/6/2008 53 Vera M. Lessa Catalão
  • 54. 1/6/2008 54 Vera M. Lessa Catalão
  • 55. 1/6/2008 55 Vera M. Lessa Catalão
  • 56. 1/6/2008 56 Vera M. Lessa Catalão
  • 57. 1/6/2008 57 Vera M. Lessa Catalão
  • 58. A memória primordial está impressa na água. Nela, o fio condutor matriz da vida: lembrança do cordão umbilical, rompido e sob permanente promessa de retorno 1/6/2008 TT Catalão 58 Vera M. Lessa Catalão
  • 59. O mesmo cuidado que guarda a promessa da vida em cada criança ao nascer pode devolver a todo ser a graça de ter água boa de beber 1/6/2008 59 Vera M. Lessa Catalão
  • 60. Lembrar o tempo das águas claras: imersos, mansos, fomos fluxo e reflexo, nítida consciência do Ser 1/6/2008 60 Vera M. Lessa Catalão

×