Água  Matriz Ecopedagógica
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Água Matriz Ecopedagógica

on

  • 2,464 views

Apresentação de Vera Catalão para o Curso "Água, matriz ecopedagógica", da Universidade de Brasília.

Apresentação de Vera Catalão para o Curso "Água, matriz ecopedagógica", da Universidade de Brasília.

Statistics

Views

Total Views
2,464
Views on SlideShare
2,461
Embed Views
3

Actions

Likes
0
Downloads
94
Comments
0

2 Embeds 3

http://www.slideshare.net 2
http://www.linkedin.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Água  Matriz Ecopedagógica Água Matriz Ecopedagógica Presentation Transcript

    • Água fonte e matriz 1/6/2008 1 Vera M. Lessa Catalão
    • o universo a terra e a água 1/6/2008 2 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 3 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 4 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 5 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 6 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 7 Vera M. Lessa Catalão
    • Toda a vida se anuncia, toda vida principia pela forma sem forma da água 1/6/2008 8 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 9 Vera M. Lessa Catalão
    • A forma espiralada da vida encontra-se impressa na água e se repete nos estados 1/6/2008 embrionários Vera M. todos os seres vivos de Lessa Catalão 10
    • Para que as águas nos revelem o céu é preciso transparência e limpidez. Turvo o 1/6/2008 reflexo, confusa M. Lessa Catalão Vera a consciência 11
    • 1/6/2008 12 Vera M. Lessa Catalão
    • A água circula em redemoinhos como a ponta dos nossos dedos e o coração das estrelas. Para domar esse curso, os homens construiram diques, canais, barragens. Fora e dentro de nós agoniza hoje o tempo sinuoso do rio 1/6/2008 13 Vera M. Lessa Catalão
    • A água anula o peso do nascimento e nos devolve ao flutuar uterino. Elimina a gravidade da matéria e devolve-nos asas . 1/6/2008 14 Vera M. Lessa Catalão TT Catalão TT Catalão
    • Através de redemoinhos, a água abre seus olhos para o mundo e o seu corpo sinuoso para as impressões do Cosmos 1/6/2008 15 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 16 Vera M. Lessa Catalão
    • Não tendo forma, assume todas as formas, Não tendo forma, assume todas as formas, curva-se aos relevos, jorra do leito profundo curva-se aos relevos, jorra do leito profundo da terra e salta como cascata reluzente e da terra e salta como cascata reluzente e sonora nos braços do abismo sonora nos braços do abismo 1/6/2008 17 Vera M. Lessa Catalão
    • A água é a melodia de fundo da vida nas suas metamorfoses. Destrói formas existentes para colocá-las à disposição de uma nova criação. Ata e desata, carrega e transforma. Recria sem cessar o organismo do nosso planeta. Theodore Schwenk Theodore Schwenk 1/6/2008 18 Vera M. Lessa Catalão
    • Quando aprendemos a falar, uma nuvem de rios impetuosos enche a boca árida Tristan Tzara 1/6/2008 19 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 20 Vera M. Lessa Catalão
    • No batismo, antigamente realizado pela imersão nas águas de um rio ou de uma fonte, restabelecia-se os laços entre o Deus e os homens. As águas detinham o poder de mediar o céu e 1/6/2008 a terra. 21 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 22 Vera M. Lessa Catalão
    • As águas realizam ainda um outro jogo fascinante entre os opostos, onde cada um preserva sua natureza, mas juntos criam um outro evento. 1/6/2008 23 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 24 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 25 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 26 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 27 Vera M. Lessa Catalão
    • Nosso corpo é um rio, nossas artérias, grandes afluentes. Tal como a circulação sanguínea regenera continuamente o corpo humano, o fluxo das águas nutre o imenso corpo da Terra 1/6/2008 28 Vera M. Lessa Catalão
    • Águas risonhas, riachos irônicos, Águas risonhas, riachos irônicos, cascatas ruidosamente alegres cascatas ruidosamente alegres parecem ser a linguagem pueril da parecem ser a linguagem pueril da natureza. No riacho, quem fala é a natureza. No riacho, quem fala é a natureza criança. natureza criança. Gaston Bachelard Gaston Bachelard 1/6/2008 29 Vera M. Lessa Catalão
    • Agente de transporte, solvente universal, a Agente de transporte, solvente universal, a água precisa circular. Quando uma água precisa circular. Quando uma circulação viva é interrompida, uma circulação viva é interrompida, uma totalidade é quebrada. O movimento é a totalidade é quebrada. O movimento é a qualidade essencial dos líquidos. qualidade essencial dos líquidos. 1/6/2008 30 Vera M. Lessa Catalão
    • O fluxo das águas é inexorável. Correr faz parte da sua natureza. Ela aceita ser tocada mas nunca detida. Diante dos obstáculos ela os contorna e flui, se represada, jorra impetuosa. 1/6/2008 31 Vera M. Lessa Catalão
    • O ritmo das águas se revela de forma O ritmo das águas se revela de forma magistral no movimento das seivas nas magistral no movimento das seivas nas árvores. Uma tensão aspira a seiva do árvores. Uma tensão aspira a seiva do nível das raízes até os galhos mais altos e nível das raízes até os galhos mais altos e este movimento parece acompanhar o este movimento parece acompanhar o ritmo do ciclo lunar. ritmo do ciclo lunar. 1/6/2008 32 Vera M. Lessa Catalão
    • A alma do homem assemelha- se à água. Do céu ela vem, ao céu retorna e de novo para a terra volta, eternamente alternando. Goethe 1/6/2008 33 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 34 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 nós e a água 35 Vera M. Lessa Catalão
    • A teia da vida e a trama dos homens se entrelaçam na curva do rio 1/6/2008 36 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 37 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 38 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 39 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 40 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 41 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 42 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 43 Vera M. Lessa Catalão
    • água de beber, longe de pegar 1/6/2008 44 Vera M. Lessa Catalão
    • cada R$1,00 gasto em saneamento economiza-se R$5,00 em despesas com saúde 1/6/2008 45 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 46 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 47 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 48 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 49 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 50 Vera M. Lessa Catalão
    • Luxo é o bem que perdeu o fluxo tt catalão 1/6/2008 51 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 52 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 53 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 54 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 55 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 56 Vera M. Lessa Catalão
    • 1/6/2008 57 Vera M. Lessa Catalão
    • A memória primordial está impressa na água. Nela, o fio condutor matriz da vida: lembrança do cordão umbilical, rompido e sob permanente promessa de retorno 1/6/2008 TT Catalão 58 Vera M. Lessa Catalão
    • O mesmo cuidado que guarda a promessa da vida em cada criança ao nascer pode devolver a todo ser a graça de ter água boa de beber 1/6/2008 59 Vera M. Lessa Catalão
    • Lembrar o tempo das águas claras: imersos, mansos, fomos fluxo e reflexo, nítida consciência do Ser 1/6/2008 60 Vera M. Lessa Catalão