Remanescente 4 - Entre a Santidade e a Verdade

  • 1,644 views
Uploaded on

 

More in: Spiritual
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,644
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
54
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Um remanescente dentro do remanescente UM REMANESCENTE DENTRO DO REMANESCENTE FINAL Se nós, adventistas, possuímos toda a luz típica de um povo remanescente , somos por isso mais santos do que aqueles que não a possuem? Toda esta “luz”, torna-nos melhor que os demais cristãos? O “Espírito de Profecia” tem-nos santificado em formas que nunca poderiam ocorrer entre aqueles que não o possuem?
  • 2. Um remanescente dentro do remanescente O facto de pertencer ao remanescente, torna-nos mais justos que qualquer outra pessoa? A maioria dos adventistas responderiam a todas estas perguntas, dizendo: “Claro que não!” Mas – pergunto – por que não? Tomando em linha de conta a revelação de Jesus Cristo que possuímos, nós, Adventistas do Sétimo Dia deveríamos ser o povo mais consagrado, santo e semelhante a Cristo que pisasse a superfície da Terra! Somo-lo?
  • 3. Um remanescente dentro do remanescente Alguém disse que, se se vendasse os olhos a um ébrio, ele conseguiria apanhar mais cristãos honestos, sinceros, amorosos e perdoadores em qualquer outra igreja do que conseguiria fazê-lo entre os adventistas da atualidade! “ Manassés fez errar a Judá e os moradores de Jerusalém, de maneira que fizeram pior do que as nações que o Senhor tinha destruído de diante dos filhos de Israel” (2 Cr 33:9). Dar-se-à o caso de estarmos a fazer “pior do que as nações”, ou seja, pior do que os “babilónicos espirituais” do nosso tempo?
  • 4. Um remanescente dentro do remanescente O texto de Apocalipse 3:15-17 descreve de forma precisa a nossa condição: “ Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente! Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca; pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu.” Várias vezes Ellen White aplicou estas palavras – a mensagem a Laodicéia – à Igreja Adventista do Sétimo Dia:
  • 5. Um remanescente dentro do remanescente “ Se alguma vez houve um povo representado pela mensagem a Laodicéia , é o povo que tem tido grande luz, a revelação das Escrituras que receberam os Adventistas do Sétimo Dia .” (Manuscript Releases [Manuscritos Publicados], vol. 18, pág. 193) “ Esta mensagem foi enviada à igreja dos dias atuais. Rogo aos membros da nossa igreja que leiam todo o terceiro capítulo de Apocalipse, e que o apliquem. A mensagem à igreja dos laodicenses aplica-se especialmente ao povo de Deus atual .” (SDA Bible Commentary [Comentário Bíblico Adventista], vol. 7, pág. 959)
  • 6. Um remanescente dentro do remanescente “ Deus está guiando a saída de um povo. Ele tem um povo, uma igreja na Terra, os quais Ele tornou os depositários da Sua lei. Confiou-lhes um sagrado depósito e uma verdade eterna para ser dada ao mundo. Ele os reprovaria e corrigiria. A mensagem aos laodicenses aplica-se aos adventistas do sétimo dia que têm tido grande esclarecimento e não têm andado na luz.” (Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 66) A Laodicéia não lhe falta verdade , mas sim santidade . Aliás, este tem sido o problema crónico do remanescente corporativo de Deus em todas as épocas!
  • 7. Um remanescente dentro do remanescente “ Estamos, como um povo, triunfando na clareza e força da verdade. Somos plenamente apoiados nos nossos pontos de fé por uma avassaladora quantidade de claros testemunhos escriturísticos. Carecemos muito, porém, da humildade, paciência, fé, amor e abnegação, vigilância e espírito de sacrifício bíblicos. Precisamos cultivar a santidade da Bíblia. O pecado domina entre o povo de Deus . A positiva mensagem de repreensão aos laodiceanos não é acatada.” (Testemunhos Para a Igreja, vol. 3, pág. 253)
  • 8. Um remanescente dentro do remanescente “ O povo de Deus precisa ver as suas faltas e despertar-se em arrependimento zeloso e abandonar aqueles pecados que os arrastaram a uma condição tão deplorável de pobreza, cegueira, miséria e engano terrível. Foi-me mostrado que o testemunho incisivo dado a Laodicéia deve ser vivido pela igreja. Esta é a única resposta aceitável à mensagem dada aos laodiceanos. Erros precisam ser reprovados, o pecado precisa ser chamado pecado, e a iniquidade deve ser enfrentada de modo pronto e decisivo, e afastada de nós como um povo.” (Idem, pág.260)
  • 9. Um remanescente dentro do remanescente Os conselhos da serva do Senhor confirmam o que a Bíblia tem demonstrado explicitamente durante milhares de anos: Espiritualmente falando, a entidade corporativa de Deus sempre tem sido um caso perdido! Quando o Senhor exclama: “Pelejarei Eu mesmo contra vós outros com braço estendido e mão poderosa, com ira, com indignação e grande furor” (Jr 21:5), a quem se dirige Ele? À Sua igreja!
  • 10. Um remanescente dentro do remanescente Quando admoesta: “Eis que vos reprovarei a descendência, atirarei excremento ao vosso rosto, excremento dos vossos sacrifícios, e para junto deste sereis levados” (Malaquias 2:3), não se refere aos amorreus, aos heteus, filisteus ou persas, mas ao Seu povo remanescente ! Ao dizer: “A iniquidade da casa de Israel e de Judá é excessivamente grande, a terra se encheu de sangue, e a cidade, de injustiça; e eles ainda dizem: O Senhor abandonou a terra, o Senhor não nos vê” (Ezequiel 9:9),
  • 11. Um remanescente dentro do remanescente Deus refere-se ao povo do Seu pacto, aos que haviam recebido uma revelação de luz e verdade maior que qualquer outra nação que os circundava! Todas estas descrições e admoestações aplicam-se à Sua igreja remanescente institucional ! Senão vejamos: “ Vi que o resto [remanescente] não estava preparado para o que irá acontecer sobre a terra. Um estupor, como de letargia parecia suspenso sobre o ânimo da maioria daqueles que professam crer que temos a última mensagem. O anjo que me acompanhava exclamou com intensa solenidade:
  • 12. Um remanescente dentro do remanescente Preparai-vos! Preparai-vos! Preparai-vos! porque a ardente ira do Senhor, sem mistura de misericórdia há-de manifestar-se em breve, e vós não estais prontos” (Primeiros Escritos, pág. 119) “ Que direi para despertar ao povo remanescente de Deus? Foi-me mostrado que nos esperam acontecimentos espantosos; satanás e os seus anjos opõem todas as suas potestades ao povo de Deus. Sabem que se os filhos de Deus dormirem um pouco mais, têm-nos seguros, porque a sua destruição será certa.” (Serviço Cristão, pág. 103)
  • 13. Um remanescente dentro do remanescente “ Há ocasiões em que uma visão distinta é apresentada a mim acerca da condição da igreja remanescente, uma condição de indiferença apavorante em relação às necessidades de um mundo a perecer por falta de conhecimento da verdade para este tempo. (…) Oh, como meu coração dói porque Cristo é envergonhado pela conduta do Seu povo tão contrária à d'Ele.” (Testimonies for the Church, vol. 8, pág. 24)
  • 14. Um remanescente dentro do remanescente “ Mostrou-se-me a baixa condição do povo de Deus; e que Deus não se tinha apartado deles, mas sim eles que se tinham apartado de Deus e se tinham, por isso, tornado mornos. Têm a teoria da verdade , mas falta-lhes o seu poder para salvar. À medida que nos aproximamos do fim do tempo, satanás fica cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta. O seu poder será exercitado especialmente sobre o remanescente .” (Spiritual Gifts, vol. 4B, pág. 45)
  • 15. Um remanescente dentro do remanescente “ A 20 de novembro de 1855, enquanto me encontrava em oração, o Espírito do Senhor veio sobre mim repentina e poderosamente, e fui arrebatada em visão. Vi que o Espírito de Deus estava desvanecendo-se da igreja .” (Idem, pág. 2) “ Como membros da igreja remanescente de Deus, devemos orar com fé firme pelo dom da graça do amor. O amor é o cumprimento da lei, e aqueles sobre os quais está brilhando tanta luz, manifestam-no muito escassamente.” (Bible Training School, 10.06.1903)
  • 16. Um remanescente dentro do remanescente Nestas citações que acabámos de ver, Ellen White não se refere aos batistas, aos metodistas ou aos anglicanos. As suas palavras dirigem-se aos adventistas do sétimo dia, a quem ela descreve como estando em “baixa condição”, uma igreja da qual o Espírito de Deus se estava desvanecendo por volta de 1855, um povo adormecido, que mostra uma “indiferença apavorante” ante as necessidades evidentes ao seu redor. Disse a mensageira do Senhor que se apartaram do Senhor e, se bem que possuam a verdade, não possuem amor; e sem amor “nada” somos (1 Coríntios 13:2).
  • 17. Um remanescente dentro do remanescente Em resumo, estas citações descrevem o Adventismo em termos laodicenses! Mas também descreve os adventistas do sétimo dia como a igreja remanescente! Pode Laodicéia ser o remanescente? Claro que sim! É isso justamente o que acabámos de ver! Na verdade, não importa quão patético seja o nosso estado – de “infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu” (Ap 3:17) – de qualquer modo a Igreja Adventista prossegue sendo a igreja remanescente, mais não seja pelo facto de ser só ela que possui a verdade remanescente.
  • 18. Um remanescente dentro do remanescente Não importa quantos adúlteros, libertinos, hipócritas, fanáticos e outros não convertidos e degradados possam consumir o poder e o espírito do corpo, mesmo assim continuamos sendo o remanescente organizado, porque somos os únicos que possuímos a verdade presente . E, em última instância, não é a santidade mas sim a verdade o que distingue hoje o povo remanescente corporativo de Deus, tal como sucedia nos dias do antigo Israel.
  • 19. Um remanescente dentro do remanescente Mas a analogia com o antigo Israel é aplicável até certo ponto! Desde a fabricação do bezerro de ouro, desde o relato dos doze espias, desde a divisão da nação em duas fações inimigas, desde a mundanidade e apostasia do primeiro Templo até ao duro e sombrio legalismo da primeira parte do segundo Templo, Israel permaneceu como a nação remanescente, o povo organizado de Deus, o único que possuía a “verdade presente” apesar da sua debilidade espiritual. Mesmo após o remanescente ter crucificado a Jesus, o Senhor cumpriu a Sua promessa que dizia:
  • 20. Um remanescente dentro do remanescente “ Ele fará firme aliança com muitos, por uma semana”, pois esta “semana” só terminou três anos e meio após a crucifixão de Jesus, dando-lhes assim tempo como corpo organizado para que se arrependessem da morte de Jesus e O aceitassem como Messias. Apesar de tudo, chegou o momento em que Jesus deveria olhar para Jerusalém e dizer: “Eis que a vossa casa vos ficará deserta” (Mt 23:38). Chegou igualmente o momento em que se cumpriram as palavras de Jesus, acerca dos dirigentes religiosos da nação :
  • 21. Um remanescente dentro do remanescente “ Portanto, vos digo que o reino de Deus vos será tirado e será entregue a um povo que lhe produza os respetivos frutos.” (Mt 21:43). Chegou o tempo em que Israel deixou de funcionar na qualidade de entidade política corporativa como igreja remanescente . O Senhor teve que chamar um novo povo, um novo movimento, uma nova igreja com uma nova mensagem. Poderá o mesmo vir a suceder connosco, povo remanescente de Deus do tempo do fim?
  • 22. Um remanescente dentro do remanescente Que diremos? Pode a Igreja Adventista perder a sua condição de remanescente? O que sucedeu ao Israel literal depois da morte de Cristo, não poderá suceder ao Israel espiritual de hoje? Chegará o momento em que Deus vomite da Sua boca a Laodicéia em conjunto , e estabeleça outro corpo, um que cumpra melhor os seus propósitos?
  • 23. Um remanescente dentro do remanescente Resposta: NÃO ! Porquê? PORQUE LAODICÉIA É A ÚLTIMA IGREJA! O capítulo 3 de Apocalipse, com a mensagem a Laodicéia, termina no versículo 22! Não existe um versículo 23 que descreva outra entidade corporativa. Após Laodicéia, não aparece nenhuma outra! Cegos, infelizes, miseráveis, pobres e nus, de qualquer modo – mesmo que custe crer nisto! – Laodicéia é o último corpo eclesiástico organizado!
  • 24. Um remanescente dentro do remanescente Quando o Senhor chamou a igreja cristã a sair do Israel nacional, deu-lhe uma mensagem distintiva : Jesus de Nazaré era o Salvador do mundo. Não apenas esta mensagem era nova luz, mas também verdade presente; nova luz e verdade presente que a nação judaica havia passado por alto! Foi por isso que o Senhor teve que formar uma nova igreja. Se a nação, como corpo, tivesse aceite a verdade, Deus não teria necessidade de formar um novo corpo! Mas, em contrapartida, Deus teve que chamar a judeus e gentios que estivessem dispostos a aceitar e proclamar a mensagem que a nação hebraica, como organização, não aceitou!
  • 25. Um remanescente dentro do remanescente Como já vimos, em cada época, a característica distintiva do remanescente organizado de Deus tem sido a verdade – verdade presente – e não a santidade. Deste modo, por mais débil e defeituoso que seja, o Adventismo possui a mensagem da verdade presente para o nosso tempo, o convite de Deus a homens e mulheres de todo o lugar para se prepararem para a segunda vinda de Cristo, o último acontecimento a ter lugar antes do milénio celestial. Não há necessidade de chamar uma nova igreja, um remanescente com uma nova luz ou outra mensagem que contenha a verdade presente.
  • 26. Um remanescente dentro do remanescente Uma nova igreja teria que possuir uma nova mensagem , mas que verdade pode haver que seja mais presente que a segunda vinda de Cristo? Não há dúvidas de que há apostasia dentro do adventismo, como sempre aconteceu no seio da igreja organizada de Deus! Mas é muito diferente falar duma igreja com apostasia e falar duma igreja em apostasia! E o Adventismo não se encontra em apostasia, mesmo que no seu seio haja apostasia!
  • 27. Um remanescente dentro do remanescente Uma igreja apóstata não teria publicado o livro “Os Adventistas do Sétimo Dia Crêem... Uma Exposição Bíblica de 27 Doutrinas Fundamentais”! Tão-pouco teria publicado os sete volumes da série produzida pelo Comité sobre Daniel e Apocalipse, todos eles escritos para defender doutrinas adventistas básicas! Uma igreja que espalha por todo o mundo a verdade acerca de Jesus, sobre a salvação, sobre o Sábado, o estado dos mortos, a segunda vinda e o santuário, não está em apostasia !
  • 28. Um remanescente dentro do remanescente Uma igreja em apostasia não estaria publicando a nível mundial o trimensário da Escola Sabatina onde são defendidas e ensinadas verdades bíblicas fundamentais para o povo remanescente destes últimos dias! Uma igreja apóstata não estaria apresentando todos os dias estas grandes verdades a milhares de pessoas em quase todos os países do mundo!
  • 29. Um remanescente dentro do remanescente E uma igreja apóstata não imprimiria nem venderia cada ano milhares de livros como O Grande Conflito, O Desejado de Todas as Nações, Aos Pés de Cristo, Educação, A Ciência do Bom Viver, Patriarcas e Profetas, ...etc! A Igreja Adventista tem os seus Judas, Acabes e Jezabéis. Provavelmente temos mais do que muitos membros se dão conta!
  • 30. Um remanescente dentro do remanescente Provavelmente até somos capazes de ser piores do que aquilo que pensamos ser! Aliás, não é esse o grande problema de Laodicéia: pensar ser uma coisa e ser outra? Mas, não importa quão má seja a condição da igreja - de Laodicéia – o Senhor está usando-a – e a ela apenas! – para levar esta mensagem especial ao mundo.
  • 31. Um remanescente dentro do remanescente Ellen White escreveu: “Se bem que possam existir males na igreja, e os haverá até ao fim do mundo, a igreja há de ser, nestes últimos dias, luz para um mundo que está contaminado e corrompido pelo pecado. A igreja, débil e defeituosa, precisando ser repreendida, advertida e aconselhada, é o único objecto na terra ao qual Cristo confere a Sua suprema consideração .” (Testemunhos para Ministros, pág. 49)
  • 32. Um remanescente dentro do remanescente Muitos adventistas descontentes, contudo, creem que a Igreja se encontra em apostasia, e que o Senhor chamará um remanescente fiel a sair dela, como o fez com a Igreja Cristã primitiva. Os que se vincularam aos movimentos mais radicais creem que eles são os fiéis, o verdadeiro remanescente, e que o Senhor os está a chamar atualmente para saírem da Igreja Adventista do Sétimo Dia organizada. Certas fações ordenam os seus próprios ministros e têm as suas próprias igrejas.
  • 33. Um remanescente dentro do remanescente Alguns chegaram mesmo a crer que a Igreja Adventista organizada eventualmente se unirá com o Estado para perseguir os fiéis. Muitos que noutro tempo retrocederam perante o simples pensamento de que alguma vez deixariam a denominação para unir-se a outro grupo, já fizeram precisamente isso. E outros os seguiram, e isto apesar da advertência que fez Ellen White, segundo a qual:
  • 34. Um remanescente dentro do remanescente “ A igreja talvez pareça como prestes a cair, mas não cairá. Ela permanece de pé, ao passo que os pecadores de Sião serão lançados fora no joeiramento - a palha separada do trigo precioso. Será uma prova terrível, não obstante importa que tenha lugar.” (Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 380) Os separatistas procuram desvirtuar esta referência estabelecendo a sua própria definição do que é a “Igreja” que, segundo eles, se compõe unicamente de pessoas fiéis.
  • 35. Um remanescente dentro do remanescente Mas, a citação de Ellen White que atrás vimos prova que a Igreja não pode ser constituída apenas de “almas fiéis”; senão, como poderiam “os pecadores de Sião” ser joeirados? A própria citação, pelo contrário, estabelece o facto de que a igreja contém pecadores – não apenas almas fiéis – e que são estes pecadores de Sião, e não os santos, os que são joeirados e que devem sair .
  • 36. Um remanescente dentro do remanescente Nunca Ellen White deixou sequer entrever a possibilidade de que, devido à apostasia, o Senhor chamaria um novo povo! Ela advertiu, isso sim, que a apostasia nos faria ficar mais tempo neste mundo do que o necessário, mas nunca aprovou a ideia de nos unirmos a organizações novas . Pelo contrário, ela admoestou-nos para o seguinte:
  • 37. Um remanescente dentro do remanescente “ Toda a verdade que Ele [Deus] deu para estes últimos dias deve ser proclamada ao mundo. Toda a coluna por Ele estabelecida deve ser vigorada. Não podemos desviar-nos agora do fundamento estabelecido por Deus. Não podemos agora entrar em nenhuma nova organização; pois isto significaria apostasia da verdade .” (Manuscrito 129, 1905 , contido em Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág.390)
  • 38. Um remanescente dentro do remanescente “ Nenhum conselho ou sanção é dado na Palavra de Deus para que os que creem na mensagem do terceiro anjo sejam levados a supor que podem separar-se. Podeis assentar isso para sempre em vossa mente. São as maquinações de espíritos não santificados que tendem a promover um estado de desunião .” (Mensagens Escolhidas, vol. 3, pág.21) Tarde ou cedo o Senhor terá que completar a formação do Seu corpo corporativo. Assim o fará! O livro do Apocalipse, no capítulo 3, mostra com quem o fará! Com... Laodicéia !
  • 39. O ABANDONO
    • Desde o início do Seu ministério terrestre, Jesus caracterizou-se por um propósito que sobressaía sobre os outros todos : viver para ser uma bênção para os outros.
    • Desde os seus primeiros dias na Galileia e até expirar na cruz, a vida de abnegação e sacrifício próprio que viveu Jesus decorreu inteiramente para o bem da humanidade.
    O Abandono
  • 40.
    • A Sua compaixão não admitiu barreiras; o Seu ministério não conheceu limites.
    • Se havia enfermos, curava-os; se alguém estava deprimido, alegrava-o; aos desesperados, levava-lhes esperança.
    • Nenhuma dor era demasiado pequena, nenhum indivíduo demasiado insignificante, nenhum clamor era demasiado débil para Jesus.
    • De cidade em cidade, de aldeia em aldeia, de lugar em lugar, Jesus andou, incansável, pregando o Evangelho e curando os enfermos.
    O Abandono
  • 41.
    • Graças a Ele, os cegos de nascença viram os seus olhos encherem-se de luz; os coxos e paralíticos puderam saltar como cabritos; os prisioneiros da morte despertaram com o vigor da juventude.
    • E tudo isto por causa de Jesus. Cada palavra que pronunciava, cada obra Sua, tudo tinha o propósito de elevar a humanidade.
    • Que mais poderia o céu ter dado, do que aquilo que deu em Jesus?
    O Abandono
  • 42.
    • “ Que mais se podia fazer ainda à minha vinha, que Eu não lhe tenha feito?” (Isaías 5:4)
    • E que aconteceu?
    • “Depois destas coisas atravessou Jesus o mar da Galiléia, que é o de Tiberíades. Seguia-O numerosa multidão, porque tinham visto os sinais que Ele fazia na cura dos enfermos. Então subiu Jesus ao monte e assentou-se ali com os seus discípulos.” (João 6:1-3)
    O Abandono
  • 43.
    • De tanto ministrar, Jesus ficou exausto e agora necessitava de descanso. Por isso foi para um lugar solitário com os Seus doze discípulos.
    • Mas as pessoas não o deixaram! Foram atrás dele, levando consigo as suas enfermidades, dores e sofrimentos, para que o Mestre as sarasse, confortasse e aliviasse com um gesto, uma palavra, um toque.
    O Abandono
  • 44.
    • “Então Jesus, erguendo os olhos e vendo que grande multidão vinha ter com Ele” (v. 5) tendo compaixão de todos eles, quis alimentar o Seu rebanho.
    • “Está aí um rapaz – disse André – que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas isto que é para tanta gente?” (v. 9).
    • Cinco pães e dois peixes para “cinco mil” (v. 10)? Talvez a cada um coubesse umas migalhas e uma espinha!
    O Abandono
  • 45.
    • Mas Jesus fê-los sentar a todos em grupos, e multiplicou os peixes e o pão até que todos, homens, mulheres e crianças, “já estavam fartos” (v. 12). E contudo ainda sobraram “doze cestos” (v. 13)!
    • Qual foi a reação da multidão? Ellen White escreveu:
    O Abandono
  • 46.
    • “E disseram uns aos outros: ‘Este é verdadeiramente o profeta que devia vir ao mundo’. (…) Aquele ato [a alimentação dos cinco mil], é a afirmação de que o longamente esperado Libertador se acha entre eles. As esperanças do povo iam aumentando cada vez mais. É este Aquele que há de tornar a Judeia um paraíso terrestre, uma terra que mana leite e mel. Pode satisfazer a todo o desejo.
    O Abandono
  • 47.
    • Pode derribar o poder dos odiados romanos. Pode libertar a Judá e Jerusalém. Pode curar os soldados feridos na batalha. Abastecer exércitos inteiros de alimento. Conquistar as nações, e dar a Israel o domínio longamente ambicionado.” (O Desejado de Todas as Nações, pág. 358)
    • Pois bem, que quis fazer a multidão?
    O Abandono
  • 48.
    • “Sabendo, pois, Jesus que estavam para vir com o intuito de arrebatá-Lo para o proclamarem rei …” (João 6:15; sublinhado acrescentado)
    • Tão impressionada estava a multidão por aquele milagre, tão assombrados perante o potencial que viam n’Ele, que quiseram coroá-Lo rei.
    • Ali estava Aquele por quem a nação alcançaria o pináculo da majestade que consideravam merecer.
    O Abandono
  • 49.
    • Colocaram as suas esperanças mundanas sobre Jesus. Ele haveria de cumprir com os seus sonhos de poder e glória!
    • Mas, como termina o mesmo versículo?
    • “Sabendo, pois, Jesus que estavam para vir com o intuito de arrebatá-Lo para o proclamarem rei, retirou-Se novamente, sozinho, para o monte ” (João 6:15; sublinhado acrescentado)
    O Abandono
  • 50.
    • O quê? Jesus transtornou os planos da multidão? Não lhes permitiu que O coroassem rei? Não quis corresponder às suas expectativas?
    • Quem não gostou mesmo nada da atitude de Jesus foi a própria multidão! Haviam depositado n’Ele toda a sua confiança, e eis que Ele agora os dececiona tão profundamente!
    O Abandono
  • 51.
    • “Quando Cristo proibiu o povo de O proclamar rei, reconheceu haver chegado a um ponto decisivo na Sua história. Multidões que hoje O desejavam exaltar ao trono, d’Ele se desviariam amanhã. A deceção das suas ambições egoístas, transformar-lhes-ia o amor em ódio, e os louvores em maldições.” (O Desejado de Todas as Nações, pág. 365)
    • No dia seguinte, numa sinagoga de Cafarnaum, Jesus declarou:
    O Abandono
  • 52.
    • “Eu sou o pão da vida. Vossos pais comeram o maná no deserto, e morreram. (…) Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o pão que Eu darei pela vida do mundo, é a minha carne.” (João 6:48-51)
    • A essência do Seu sermão era que as pessoas necessitavam participar da Sua natureza e conformar-se ao Seu caráter!
    O Abandono
  • 53.
    • Como resultado das Suas palavras, e por não terem podido coroá-Lo como rei no dia anterior, “muitos dos Seus discípulos o abandonaram e já não andavam com Ele” (v. 66).
    • As multidões, que se tinham mostrado tão entusiasmadas com Jesus, que haviam beneficiado tanto do Seu poder divino, e que tão agradecidas se sentiam por tudo o que Ele tinha feito que O queriam coroar rei, agora o abandonaram!
    O Abandono
  • 54.
    • E como se isso não fosse uma maldade suficiente, muitos voltaram-se contra Ele.
    • “Ao desviarem-se de Cristo aqueles discípulos descontentes, espírito diverso deles se apoderou. Não podiam ver nada de atraente n’Aquele que antes tanto lhes interessava. (…) Interpretaram mal as Suas palavras, falsificaram-Lhe as declarações e impugnaram-Lhe os motivos. Apoiavam… tudo o que pudesse ser voltado contra Ele; e tal indignação foi suscitada por essas falsas informações, que a Sua vida ficou em perigo.” (O Desejado de Todas as Nações, pág. 375)
    O Abandono
  • 55.
    • Contudo esta crise da Galileia não foi a última que Jesus teve de enfrentar.
    • Durante os últimos dias do seu ministério, quando entrou em Jerusalém, alguns daqueles que clamaram: “Hosana ao Filho de David! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas maiores alturas!” (Mt 21:9), gritaram, apenas uns dias mais tarde: “Crucifica-O” (Mc 15:13).
    • E que aconteceu com os Seus discípulos?
    O Abandono
  • 56.
    • Judas, não apenas abandonou a Jesus, mas traiu-O!
    • E os outros onze?
    • Mateus, descrevendo a prisão de Jesus no Getsémani, escreveu: “Então, os discípulos todos , deixando-O, fugiram” (Mt 26:56).
    • Marcos, ao narrar o mesmo acontecimento, disse o mesmo: “Então, deixando-O, todos fugiram” (Mc 14:50).
    • Mesmo o impulsivo Pedro não apenas abandonou a Jesus, mas negou três vezes ter tido algo a ver com Jesus.
    O Abandono
  • 57.
    • CONCLUINDO:
    • Por razões diferentes e em circunstâncias também diferentes, todos os que haviam estado associados com Jesus o abandonaram e fugiram.
    • Alguns, é verdade, voltaram quase logo, mas na hora da Sua maior prova, JESUS ESTEVE COMPLETAMENTE SOZINHO!
    • Judas traiu-O. Os discípulos abandonaram-n’O. Pedro negou-O. Jesus viu-se obrigado a enfrentar a última prova SOZINHO!
    O Abandono
  • 58.
    • Pois bem, o que é que o abandono de Jesus tem a ver connosco, a Igreja Remanescente organizada?
    • Durante anos, os adventistas têm antecipado a chegada da sacudidura, quando “uma classe numerosa” sob a ameaça da perseguição, “abandona a sua posição, passando para as fileiras do adversário” (O Grande Conflito, pág. 488) .
    • Como Igreja, seremos atacados desde ângulos que talvez nunca esperámos e em formas que nunca nos passaram pela mente.
    O Abandono
  • 59.
    • Tudo o que possa, na verdade, ser sacudido, sê-lo-á!
    • Apesar disso há um remédio que pode ajudar-nos a estar preparados! Qual é?
    • Necessitamos separar – totalmente, cem por cento, sem exceções – a nossa fé, o nosso amor a Jesus, o nosso amor à Verdade, de tudo o mais, incluindo, quem sabe, de forma especial, a Igreja Adventista do 7º Dia .
    O Abandono
  • 60.
    • Não quero com isto dizer que devamos deixar a denominação. Por favor, não me acusem disto!
    • Não é pouca a hipocrisia daqueles que se separam do corpo da Igreja porque esta não está seguindo os conselhos inspirados, quando alguns dos mais claros desses conselhos nos dizem que não nos devemos separar! Por exemplo estes:
    O Abandono
  • 61.
    • “Toda a verdade que Ele [Deus] deu para estes últimos dias deve ser proclamada ao mundo. Toda a coluna por Ele estabelecida deve ser vigorada. Não podemos desviar-nos agora do fundamento estabelecido por Deus. Não podemos agora entrar em nenhuma nova organização; pois isto significaria apostasia da verdade .” ( Manuscrito 129, 1905 , contido em Mensagens Escolhidas , vol. 2, pág. 390)
    O Abandono
  • 62.
    • “ Nenhum conselho ou sanção é dado na Palavra de Deus para que os que creem na mensagem do terceiro anjo sejam levados a supor que podem separar-se . Podeis assentar isso para sempre em vossa mente. São as maquinações de espíritos não santificados que tendem a promover um estado de desunião .” ( Mensagens Escolhidas, vol. 3, pág. 21)
    O Abandono
  • 63.
    • O que quero então dizer, com a declaração de separar a nossa fé completamente da Igreja?
    • Suponhamos que depois de ter assistido a estas reuniões se vinha a saber que o autor destas mensagens tinha deixado o Adventismo porque se descobriu que ele andava num negócio ilícito de drogas?
    • Como é que se sentiria? Espero que mal!
    • Mas ter-se-ia anulado a morte de Cristo só porque o Paulo Cordeiro revelou-se um grande criminoso?
    O Abandono
  • 64.
    • Se o pastor veio a revelar-se um grande hipócrita, mudaria isso a santidade do Sábado para o domingo? Deixaria de ser válido o ministério sumo sacerdotal de Cristo no Santuário celestial porque, ao mesmo tempo que este pastor pregava, também andava a vender drogas ou fazendo qualquer outra coisa ilícita?
    • Claro que não!
    O Abandono
  • 65.
    • Suponhamos que a pessoa que trabalhou tanto para nos ganhar para Jesus, que estudou connosco a Palavra de Deus, que chorou e orou connosco e foi responsável pelo nosso conhecimento de Jesus … suponhamos que se vem a descobrir que durante todo esse tempo essa pessoa andava abusando sexualmente de uma criança!
    • Anula-se a justificação pela fé, só porque aquele que nos ensinou era um pervertido?
    O Abandono
  • 66.
    • Anula-se o dom profético de Ellen White só por ter sido um pedófilo aquele que, pela primeira vez, nos pôs em contacto com os seus escritos?
    • Claro que não!
    • Suponhamos ainda que algum dirigente mundial, alguém que respeitávamos, que alimentava a nossa alma, cujas palavras, conduta e exemplo incendiavam no nosso interior uma luz espiritual … suponhamos que sempre houvera sido um homossexual ativo!
    O Abandono
  • 67.
    • Muda por isso a Verdade presente? Já não teríamos de obedecer aos Dez Mandamentos? Deixaria, por isso, o Adventismo de ser o remanescente organizado? Passariam os mortos a ir, de imediato, para o céu ou para o inferno?
    • É lógico que não!
    • Não importa quem faça o quê dentro da Igreja, não importa quanta apostasia, escândalo ou pecado existam na Igreja, a verdade seguirá sempre sendo a Verdade!
    O Abandono
  • 68.
    • Nenhum membro de Igreja pode fazer algo para anular, ou mesmo alterar, algum aspeto da mensagem dos três anjos, assim como ninguém poderá alguma vez alterar a órbita do sol, da lua ou demais planetas e estrelas!
    • A pergunta crucial, é, pois: Estamos tão bem fundados em Jesus, tão confiantes nesta mensagem, que mesmo que as pessoas que mais amamos e admiramos se venham a tornar nos piores Judas, mesmo assim continuamos firmes?
    O Abandono
  • 69.
    • Necessitamos de uma experiência que nos mantenha estreitamente unidos a Jesus, não importa o que possam fazer os demais membros da Igreja!
    • Por conseguinte, a nossa única defesa na crise final deve consistir em desenvolver um profundo fundamento na Verdade, tanto intelectualmente como na nossa experiência. Devemos ter uma fé que transcenda a Igreja e todo o que esteja dentro dela, uma fé que se apoie somente em Deus, uma fé como a que manifestou Jesus.
    O Abandono