Your SlideShare is downloading. ×
0
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Remanescente 3 - Identidade e Missão
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Remanescente 3 - Identidade e Missão

1,533

Published on

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,533
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
47
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  1. O Remanescente da descendência da mulher - II O remanescente bíblico seguinte que aparece na Bíblia em relação àquele que nós vimos a semana passada, aparece em Apocalipse 12 , num contexto de enganos, conflitos e perseguição. Nos primeiros seis versículos, uma mulher sofre de “dores de parto” (v. 2); um dragão lança por terra “a terça parte das estrelas do céu” (v. 4), e logo procura “lhe devorar o filho” (o filho da mulher – v. 4) assim que este nasça; O REMANESCENTE DA DESCENDÊNCIA DA MULHER (1ª Parte)
  2. O Remanescente da descendência da mulher - II E a mulher “fugiu para o deserto” (v. 6). Nos três versículos seguintes descreve-se “uma peleja no céu” (v. 7), de que resultou a expulsão do “diabo e satanás” e dos “seus anjos” que se dedicam a enganar “todo o mundo” (v. 9). Os versículos seguintes fazem referência ao “acusador de nossos irmãos” (v. 10), a seguir aos mártires que “mesmo em face da morte, não amaram a própria vida” (v. 11), e à “grande cólera” do diabo (v. 12).
  3. O Remanescente da descendência da mulher - II O dragão, então, “perseguiu a mulher” (v. 13) e “arrojou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, a fim de fazer com que ela fosse arrebatada pelo rio” (v. 15). No último versículo, é-nos dito que o dragão, irado contra a mulher, “foi pelejar com os restantes da sua descendência” (v. 17). Este capítulo, usando a técnica da narrativa retrospetiva (um elemento típico do livro do Apocalipse), apresenta de forma panorâmica a história do grande conflito entre Cristo e satanás.
  4. O Remanescente da descendência da mulher - II Em nenhum outro lugar da Sagrada Escritura se descreve de forma mais breve e gráfica o tema da grande controvérsia que nestes 17 versículos. Deste modo, o remanescente do povo de Deus que corresponde ao tempo do fim, aparece apresentado no contexto da grande controvérsia: “Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes [o remanescente] da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (v. 17).
  5. O Remanescente da descendência da mulher - II Apocalipse 12:17, quase no final da Bíblia, está intimamente ligado a um outro versículo bíblico que aparece quase no começo da Bíblia, a saber, Génesis 3:15. Depois da queda, o Senhor disse à serpente: “Porei inimizade entre ti [a serpente] e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente” Apocalipse 12:17 e Génesis 3:15 são textos paralelos. Ambos se referem a satanás, descrito não apenas como dragão, mas igualmente como uma serpente (ver Ap 12:9).
  6. O Remanescente da descendência da mulher - II Ambos fazem referência à “mulher” e à sua “semente” ou “descendência”; e assim como Génesis 3:15 fala de “inimizade” entre a mulher (a igreja de Deus) e satanás, por outro lado Apocalipse 12:17 diz que Satanás “irou-se” contra a mulher e “foi pelejar” (“foi fazer guerra”) contra a sua descendência.
  7. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>Vejamos o paralelismo entre os dois textos: </li></ul><ul><li>GÉNESIS 3:15 APOCALIPSE 12:17 </li></ul><ul><li>Satanás (serpente) (1) Satanás (dragão) </li></ul><ul><li>Mulher (2) Mulher </li></ul><ul><li>Semente da mulher (3) Descendência da mulher </li></ul><ul><li>Inimizade (4) Ira, guerra </li></ul>
  8. O Remanescente da descendência da mulher - II Na realidade, podemos dizer que Apocalipse 12:17 é Génesis 3:15 quase seis mil anos depois. Ambos estes textos são como que dois títulos que abarcam o assunto de quase toda a Bíblia, e que não é outra coisa que uma descrição do grande conflito entre Cristo e satanás.
  9. O Remanescente da descendência da mulher - II Pois bem, quem é que compõe este “resto da sua semente”, contra quem o dragão “foi fazer guerra” (Ap 12:17, Almeida Antiga)? Um fator crucial para determinar a identidade deste grupo é a época em que este remanescente surge . Em Apocalipse 12, o remanescente não surge apenas no fim da própria visão, mas igualmente no final de uma série de acontecimentos cronológicos descritos na dita visão.
  10. O Remanescente da descendência da mulher - II Em primeiro lugar apresenta-se uma “peleja” (“batalha”) “no céu” entre “Miguel e os seus anjos”, por um lado; e “o dragão e os seus anjos” por outro (v. 7-9); uma batalha na qual satanás e os seus anjos acabam por ser atirados (ou precipitados) para a Terra. Na continuação da visão , a mulher dá à luz “um filho varão” (v. 5), que é evidentemente Cristo , o qual nasceu neste mundo, onde o dragão – expulso do céu – estava pronto para “lhe devorar o filho quando nascesse” (v. 4; ver também Mateus 2).
  11. O Remanescente da descendência da mulher - II Logo o dragão ataca a mulher : “Quando, pois, o dragão se viu atirado para a terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão” (v. 13). Como resultado deste ataque , a mulher, a igreja de Deus, foge para o deserto , facto esse mencionado duas vezes: “A mulher, porém, fugiu para o deserto, onde lhe havia Deus preparado lugar para que nele a sustentem durante mil duzentos e sessenta dias” (v. 6); “e foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse até ao deserto, ao seu lugar, aí onde é sustentada durante um tempo, tempos e metade de um tempo, fora da vista da serpente” (v. 14).
  12. O Remanescente da descendência da mulher - II Finalmente , ao terminar-se este período em que a mulher foge para o deserto, introduz-se o remanescente . Por conseguinte, a primeira característica do remanescente é que deve aparecer somente depois do período de tempo em que a mulher fica escondida no deserto , isto é, “um tempo, tempos, e metade de um tempo” (v. 14), ou “mil duzentos e sessenta dias” (v. 6).
  13. O Remanescente da descendência da mulher - II Uma vez que “um tempo” significa um ano, “tempos” dois anos e “metade de um tempo” meio ano (ver Daniel 11:13), a expressão “um tempo, tempos e metade de um tempo” equivale a três anos e meio, ou, segundo Apocalipse 12:6, a “mil duzentos e sessenta dias”. Uma vez que ambos os versículos descrevem o mesmo acontecimento – a mulher que foge da presença do dragão para o deserto – o período a que aludem ambos os versículos tem que ser o mesmo !
  14. O Remanescente da descendência da mulher - II A perseguição aos santos a que faz referência Daniel 7 revela que período abarca Apocalipse 12: 6, 14. Daniel sonhou com quatro animais. O primeiro que “era como leão” (Dn 7:4) era Babilónia ; o segundo animal, “semelhante a um urso” (Dn 7:5), era a Medo-Pérsia ; o terceiro, “semelhante a um leopardo” (v. 6), era a Grécia ; e o quarto “terrível, espantoso e sobremodo forte” (v. 7), era Roma pagã . Este quarto animal “tinha dez chifres” (Dn 7:7) (notem o paralelismo com o dragão de Apocalipse 12:3, que também tinha “dez chifres”), e representava Roma na sua fase pagã.
  15. O Remanescente da descendência da mulher - II Deste modo Daniel 7 e Apocalipse 12 aparecem intimamente ligados, pois segundo o evangelista Mateus, Roma pagã (por intermédio de Herodes) procurou “devorar” a Cristo, o filho da mulher, “quando nascesse”. Na visão de Daniel 7, um poderoso chifre pequeno com “olhos, como os de homem, e uma boca que falava com insolência” (v. 8) surgiu da Roma pagã. Este poder – o chifre pequeno – não está separado do quarto animal (Roma), mas faz parte integrante dele e “fazia guerra contra os santos, e prevalecia contra eles” (v. 21) “por um tempo, dois tempos e metade de um tempo” (v. 25).
  16. O Remanescente da descendência da mulher - II Este tempo corresponde exatamente ao mesmo período de tempo em que a mulher de Apocalipse 12 – a igreja de Deus – passa no deserto fugindo do dragão que se empenha em persegui-la (ou em fazer “guerra” contra ela). Torna-se assim óbvio que tanto Daniel como o Apocalipse se referem ao mesmo acontecimento !
  17. O Remanescente da descendência da mulher - II O pequeno chifre, então, deve ser igualmente Roma , se bem que agora na sua fase papal . E o “tempo, dois tempos, e metade de um tempo” de Daniel 7:25 e Apocalipse 12:4, representam em ambos os casos o período em que Roma papal perseguiu “os santos do Altíssimo” ou “a mulher”. O dragão usou a Roma , na sua fase pagã , para atentar contra Cristo (Ap 12:4, 13); mais tarde voltou a usar Roma , mas desta vez na sua fase papal , para atacar a igreja de Deus (v. 6, 14-16).
  18. O Remanescente da descendência da mulher - II A quando se refere o tempo específico desse ataque? Em Daniel 7 aparece uma série de animais simbólicos, realizando atividades simbólicas num tempo que não pode ser outra coisa senão um tempo simbólico! A expressão “um tempo, dois tempos e metade dum tempo” (v. 25) não é uma maneira comum de expressar um período cronológico, como também não é a expressão “mil duzentos e sessenta dias”! Se o profeta queria designar três anos e meio literais, por que é que não disse simplesmente “três anos e seis meses” (ver Lucas 4:25 e Tiago 5:17)?
  19. O Remanescente da descendência da mulher - II Por isso a profecia “pede” – como o reconheceram muitos comentadores através dos séculos – o uso do “princípio dia/ano”, o que significa então que aquelas expressões se referem a 1260 anos literais. Como ponto de partida da profecia , os comentadores adventistas definiram o ano de 538 da era cristã, data na qual o papado, com a ajuda das tropas imperiais, expulsou de Roma a última tribo bárbara que impedia o bispo de Roma de exercer os seus plenos poderes; como fim da profecia, estabeleceram o ano de 1798 , quando os franceses levaram cativo o papa.
  20. O Remanescente da descendência da mulher - II Mas não seria necessário fixar com tal exatidão estas duas datas para compreender a profecia. Roma papal estabeleceu-se no século sexto da nossa era. Se somarmos 1260 anos, chegaremos pelo menos ao final do século XVIII ou início do século XIX. Por isso, o “resto da sua semente” aparece depois desse período específico . Sendo assim, é depois do final do século XVIII ou início do século XIX – quando terminam os 1260 anos – que surge em cena o remanescente.
  21. O Remanescente da descendência da mulher - II Se bem que seja correto afirmar que, só por si, o marco de tempo profético não mostra quem faz parte desse remanescente, pode contudo indicar, de forma clara, quem não faz parte do remanescente . Uma vez que o remanescente só pode aparecer depois do período de 1260 anos , nalgum momento posterior ao fim do século XVIII ou começo do século XIX, todas as principais igrejas resultantes do período da Reforma Protestante ficam automaticamente eliminadas !
  22. O Remanescente da descendência da mulher - II Se bem que seja certo que membros desses corpos religiosos podem vir a fazer parte do remanescente e, com efeito, assim tem acontecido e continuará, por certo, acontecendo, o facto dessas denominações, no seu caráter corporativo , surgirem diretamente da Reforma, que teve lugar nos séculos XVI e XVII, exclui-os , porque surgem numa época que é cedo para poderem ser &quot;o resto da sua semente &quot;. Assim luteranos, metodistas, batistas, batistas do sétimo dia, episcopais e congregacionalistas são demasiado antigos para serem, no sentido corporativo , o remanescente que descreve Apocalipse 12:17.
  23. O Remanescente da descendência da mulher - II Mas a identificação do remanescente não pode terminar aqui. Muitos corpos eclesiásticos divergentes surgiram depois do período de 1260 anos. Necessitam-se, por isso, de detalhes adicionais para identificar o remanescente e, felizmente, esses detalhes foram previstos .
  24. O Remanescente da descendência da mulher - II A segunda característica do “resto [remanescente] da sua semente” (Ap 12:17, Almeida Antiga) é que “guardam os mandamentos de Deus”. E, por entre os mandamentos de Deus, acha-se incluído o quarto, que quase todo o mundo cristão tem descurado. Muitos dos que pretendem guardar um dia de repouso não o fazem, porque a maioria observa o primeiro dia da semana em vez do sétimo. Não importa quão sincera, séria e diligente seja uma pessoa na sua observância do domingo, a Bíblia diz que “ o sétimo dia” – não o primeiro – (Ex 20:10) “é o Sábado do Senhor teu Deus ”.
  25. O Remanescente da descendência da mulher - II Assim, com o fim de ajustar-se à segunda característica do remanescente , este deve guardar os mandamentos de Deus, incluindo o que se refere ao Sábado. “ Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos. Porquanto, Aquele que disse: Não adulterarás também ordenou: Não matarás. Ora, se não adulteras, porém matas, vens a ser transgressor da lei” (Tiago 2:10-11).
  26. O Remanescente da descendência da mulher - II Com a mesma facilidade Tiago poderia ter dito: “Porquanto aquele que disse: Não adulterarás também ordenou: Lembra-te do dia de Sábado. Ora se não adulteras, porém não te lembras do dia de Sábado, vens a ser transgressor da lei”. Esta segunda marca de identificação elimina, a vasta maioria das corporações religiosas que ainda não tinham sido eliminadas pela primeira característica do remanescente. Muitas denominações religiosas, como os pentecostais, os mórmones, as “testemunhas de Jeová”, e outras, surgiram depois do período de 1260 anos,
  27. O Remanescente da descendência da mulher - II mas quase todas rejeitam o quarto mandamento, seja pelo facto de não guardarem dia nenhum, seja pelo facto de guardarem o dia errado. Os mandamentos de Deus incluem necessariamente o sétimo dia, o Sábado; por isso o “resto da sua semente”, além de surgir depois do fim do século XVIII ou início do século XIX, tem de ser guardador do sétimo dia, ou seja, do Sábado. Deste modo, com esta segunda característica, as opções para o remanescente veem-se notavelmente reduzidas .
  28. O Remanescente da descendência da mulher - II Permanece outra característica que permite, desta feita, uma identificação positiva. Apocalipse 12:17 diz que esse remanescente teria igualmente “o testemunho de Jesus”. CONTINUA NA PRÓXIMA SEMANA!…
  29. O Remanescente da descendência da mulher - II O REMANESCENTE DA DESCENDÊNCIA DA MULHER (2ª Parte) Pouco após ter começado o seu ministério nesta Terra, Jesus, diante duma multidão, referiu-se ao ministério de João Batista nos seguintes termos: “ E eu vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém é maior do que João” (Lucas 7:28). Estas palavras de Jesus revestem-se de uma grande importância se quisermos compreender plenamente o significado da expressão “o testemunho de Jesus” - a terceira e última característica do remanescente do tempo do fim!
  30. O Remanescente da descendência da mulher - II Porquê? Vejamos então: Se até ao tempo de Cristo não existiu nenhum profeta maior que João Batista , então o profeta Amós, por exemplo, só pode ter sido igual ou inferior a João, mas nunca superior! Jeremias, como profeta, era, ou menor que João Batista ou, na melhor das hipóteses, igual a ele, mas de forma alguma maior! Mesmo Isaías, Daniel, ou mesmo Moisés, por maiores e mais importantes que tenham sido, nenhum deles foi superior a João Batista! Porquê?
  31. O Remanescente da descendência da mulher - II Porque, como o próprio Senhor Jesus afirmou: “ ninguém (o que pressupõe igualmente qualquer profeta) é maior do que João ”! Se bem que Jesus não tivesse explicitado a razão dessa grandeza que Ele reconheceu a João, o mais provável é que isso se tenha devido ao facto de João ter sido o precursor do Messias, privilégio esse que nenhum outro profeta teve a não ser João Batista. O caráter especialmente sagrado do chamado divino a João, esteve provavelmente na origem da sua exaltada posição.
  32. O Remanescente da descendência da mulher - II Seja qual for a razão dessa sua exaltada posição, uma coisa é certa: entre João e os profetas canónicos existe uma diferença significativa , que coloca o ministério profético de João num plano separado do dos restantes profetas! Qual é essa diferença? Simplesmente que João Batista não deixou nada escrito na Bíblia ! As palavras de Cristo acerca de João Batista provam dois pontos muito importantes: 1º) Não é necessário ser-se canónico (ter escrito livros ou mensagens que formem parte da Bíblia) para se ser profeta;
  33. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>2º) Alguém pode ser um grande profeta sem ser necessariamente um profeta canónico! </li></ul><ul><li>A Bíblia dá testemunho de vários profetas de impecáveis credenciais que nunca escreveram nada que fosse nela incluído! Alguns exemplos: </li></ul><ul><li>Depois de ter engravidado a esposa de um oficial, e de ter planeado a morte desse mesmo oficial para poder ficar com a mulher dele, David viu-se confrontado por Natã (o qual é apelidado de “ profeta ”! em 2 Samuel 7:2). E Natã não escreveu nenhum livro que tenha passado a fazer parte da Bíblia! </li></ul>
  34. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>Elias , o profeta (ver 2 Cr 21:12), apresentou-se perante Acabe, rei de Israel, e disse-lhe: “Tão certo como vive o Senhor, Deus de Israel, perante cuja face estou, nem orvalho, nem chuva haverá nestes anos, segundo a minha palavra” (1 Reis 17:1). Aqui vemos também um profeta de não pouca autoridade, o qual também não produziu um único escrito canónico . </li></ul><ul><li>E que dizer do “ profeta Gade ” (1 S 22:5) que ajudou David a escapar de Saul? E do “ profeta Aías , o silonita” (1 R 11:29), que profetizou acerca da divisão da nação judaica em dois reinos? </li></ul>
  35. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>Que dizer ainda do profeta Semaías (ver 2 Cr 12:5); do “ profeta Ido ” (2 Cr 13:22); de Azarias (ver 2 Cr 15:1, 8) e do profeta Eliseu ? Se bem que alguns desses profetas até tenham escrito livros (caso do profeta Ido), nenhum desses livros passou a fazer parte da Sagrada Escritura ! </li></ul><ul><li>Nos dias dos juízes, a nação hebraica foi subjugada pelo rei cananeu Jabim, que “por vinte anos, oprimia duramente os filhos de Israel” (Juízes 4.3). Quando chegou o tempo de serem libertados, a quem se dirigiu o povo em busca de orientação, segurança e liderança? A “ Débora , profetisa ” (v. 4). </li></ul>
  36. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>Não somente não existe na Bíblia nenhum livro escrito por Débora, mas este personagem profético era uma mulher ! </li></ul><ul><li>Também nos dias de Josias havia “ a profetisa Hulda ” (2 Reis 22:14). </li></ul><ul><li>Mas este fenómeno – haver mulheres profetisas – não ocorreu somente no Antigo Testamento, mas também no Novo: </li></ul><ul><li>Depois do nascimento de Jesus, seus pais o levaram ao templo de Jerusalém para dedicá-lo. Entre os presentes estava “ uma profetisa, chamada Ana ” (Lucas 2:36). </li></ul>
  37. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>Ana profetizou naquele momento da dedicação de Jesus (ver Lc 2:38), mas também ela não possui escritos na Bíblia . </li></ul><ul><li>Lucas fala acerca de “Filipe, o evangelista” (Lc 21:8), que vivia em Cesaréia, e que tinha “ quatro filhas donzelas, que profetizavam ” (v. 9). Nenhuma das suas profecias chegou a fazer parte do Cânon. </li></ul>
  38. O Remanescente da descendência da mulher - II A Sagrada Escritura prova que o Senhor não somente usou profetas cujos escritos não se encontram na Bíblia, mas também prova que alguns desse profetas foram mulheres. Pode-se ver, portanto, de forma bem clara, que a profecia é não somente um fenómeno do Antigo Testamento, mas igualmente do Novo.
  39. O Remanescente da descendência da mulher - II Paulo escreveu o seguinte: “E Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas , outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos , para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo ” (Efésios 4:11-13).
  40. O Remanescente da descendência da mulher - II É evidente que muito falta aos santos para estarem aperfeiçoados! É óbvio que a sua estatura espiritual ainda não corresponde à “plenitude de Cristo”! Mas sem dúvida que estes ideais são o objetivo dos dons! Por que se haveriam então de retirar estes dons da Igreja, antes que eles atingissem o seu propósito?
  41. O Remanescente da descendência da mulher - II E se hoje existem pastores, mestres, evangelistas e até apóstolos (os que levantam novas igrejas), por que não haveria de haver igualmente profetas? Paulo também escreveu que “em tudo, fostes enriquecidos nEle, em toda a palavra e em todo o conhecimento; assim como o testemunho de Cristo tem sido confirmado em vós, de maneira que não vos falte nenhum dom , aguardando vós a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo ” (1 Coríntios 1:5-7).
  42. O Remanescente da descendência da mulher - II Paulo não queria que na igreja que esperasse a vinda do Senhor faltasse NENHUM DOM, o que obviamente deve incluir o dom de profecia: “A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente, apóstolos; em segundo lugar profetas ; em terceiro lugar, mestres;” (1 Co 12:28). Ao responder a uma pergunta dos Seus discípulos acerca dos sinais da Sua segunda vinda, Jesus ensinou que nos últimos dias “levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos” (Mt 24:11). Ele não disse : “Acautelem-se de todos aqueles que se disserem profetas, porque não haverá mais profetas”!
  43. O Remanescente da descendência da mulher - II Pelo contrário, a Sua admoestação acerca dos falsos profetas implica a existência de profetas verdadeiros , mesmo perto do fim do mundo . Finalmente, a descrição que se faz do povo remanescente do tempo do fim, também ensina que o dom profético haveria de se manifestar nos últimos dias: “ Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus ” (Ap 12:17).
  44. O Remanescente da descendência da mulher - II O que é “o testemunho de Jesus”? Os estudiosos não estão de acordo sobre se “o testemunho de Jesus” significa o testemunho geral da igreja cristã acerca de Jesus, ou se se refere ao testemunho que o próprio Jesus dá ao mundo através do dom de profecia. Há todavia um texto bíblico paralelo que ajuda a comprovar que este último significado é o correto, ou seja, o “testemunho de Jesus” é o testemunho do próprio Senhor Jesus:
  45. O Remanescente da descendência da mulher - II “ Prostrei-me ante os seus pés para adorá-lo. Ele, porém, me disse: Vê, não faças isso; sou conservo teu e dos teus irmãos que mantêm o testemunho de Jesus; adora a Deus. Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia ” (Apocalipse 19:10). Torna-se então óbvio que “o testemunho de Jesus” se manifesta através do dom espiritual de profecia. Apocalipse 22:8-9, ajuda ainda mais a aclarar o significado deste importante ponto:
  46. O Remanescente da descendência da mulher - II Apocalipse 19:10 Apocalipse 22:8-9 Prostrei-me ante os seus Prostrei-me ante os pés para adorá-lo. pés do anjo... Ele, porém, me disse: Então ele me disse: Vê, não faças isso; Vê, não faças isso; sou conservo teu eu sou conservo teu, e dos teus irmãos dos teus irmãos, Que mantêm o teste- os profetas, ... munho de Jesus; adora a Deus Adora a Deus
  47. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>Em ambas as passagens João cai aos pés do anjo para adorá-lo, e em ambos os casos as respostas do anjo são quase idênticas! Quase idênticas, mas com uma diferença significativa: </li></ul><ul><li>Em Ap 19:10, identificam-se os irmãos com a frase “ mantêm o testemunho de Jesus ”; </li></ul><ul><li>Em Ap 22:9, aos irmãos simplesmente se se chamam “ profetas ”. </li></ul><ul><li>ESTA COMPARAÇÃO MOSTRA QUE O “TESTEMUNHO DE JESUS”, QUE É O “ESPÍRITO DE PROFECIA”, É O DOM PROFÉTICO QUE SE CONCEDE AOS PROFETAS. OS PROFETAS TÊM O ESPÍRITO DE PROFECIA. </li></ul>
  48. O Remanescente da descendência da mulher - II DESTE MODO “OS RESTANTES DA SUA DESCENDÊNCIA” (Ap 12:17), O REMANESCENTE BÍBLICO FINAL , NÃO SOMENTE: 1º) DEVE APARECER DEPOIS DE FINAIS DO SÉCULO XVIII OU INÍCIO DO SÉCULO XIX ; 2º) NÃO SOMENTE GUARDA TODOS OS MANDAMENTOS DE DEUS, INCLUINDO O QUARTO ; 3º) MAS TAMBÉM TEM O “ESPÍRITO DE PROFECIA”, OU SEJA, O DOM PROFÉTICO . A PROFECIA DEVE ESTAR MANIFESTADA NO SEU SEIO, PORQUE O “ESPÍRITO DE PROFECIA” É UMA DAS TRÊS GRANDES MARCAS QUE IDENTIFICAM O REMANESCENTE!
  49. O Remanescente da descendência da mulher - II Com esta característica final, a identificação do remanescente torna-se inequívoca . Será mera coincidência o facto de que, entre o punhado de grupos que cumprem as duas primeiras características do remanescente do tempo do fim, só haja um em que a terceira característica, ou seja, o “espírito de profecia”, se encontre poderosamente presente? Com esta tríplice especificação, só encontramos um grupo que corrobora plenamente com a identificação bíblica do remanescente do tempo do fim: a Igreja Adventista do 7º Dia .
  50. O Remanescente da descendência da mulher - II Mas – perguntará alguém – como poderá a Igreja Adventista do Sétimo Dia ser esse remanescente? Como pode ser que um movimento tão marcado pela agitação, dissensões internas e recriminações possa ser o remanescente? Pode o remanescente ser uma igreja fria, morta ou adormecida? Pode o remanescente ser uma igreja cheia de legalismo, mundanidade, divórcios, adultério e pecados sexuais?
  51. O Remanescente da descendência da mulher - II Ou pode ainda o remanescente ser uma igreja que não vive em conformidade com as normas que o Senhor lhe mostrou? Ou uma igreja que fez dessas normas a sua religião exclusiva? Ou uma em que quase todas as suas doutrinas são motivo de controvérsia? Pode um corpo contaminado de corrupção, que descuida a condução profética que recebeu, e no seio do qual haja quem promova diversas heresias, mesmo assim, ser o remanescente?
  52. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>Pensemos novamente no antigo Israel: </li></ul><ul><li>Durante mais de mil anos permaneceu como o remanescente de Deus, apesar de ser culpado de quantos pecados que se possam cometer debaixo do sol! A Bíblia está cheia de lamentações pelos fracassos, pelas heresias e pelas apostasias do remanescente do Antigo Testamento. </li></ul>Resposta: claro que sim, que pode!
  53. O Remanescente da descendência da mulher - II A corrupção, as controvérsias, a deslealdade, o adultério, o legalismo, a hipocrisia, as heresias... tudo isto existia no remanescente de outras épocas, da mesma maneira que existe hoje! Contudo, nada disto anulava a sua condição de remanescente! Através de séculos de apostasia, corrupção, pecado, decadência e maldade, a nação de Israel permaneceu como o povo remanescente de Deus !
  54. O Remanescente da descendência da mulher - II Só depois do Senhor ter chamado outro grupo (a Igreja Cristã), que tinha aceite uma luz maior que a do Israel nacional , é que a nação hebraica perdeu a sua qualidade de remanescente! O remanescente, como entidade corporativa , nunca foi definido apenas pela santidade dos seus membros, mas sim pela maior luz que sobre eles brilhava . Desde os que entraram na arca com Noé, até à Reforma Protestante, o remanescente corporativo viu-se definido mais pela luz que possuía do que pela santidade dos que possuíam essa dita luz!
  55. O Remanescente da descendência da mulher - II Até à primeira Vinda de Cristo e formação da Igreja Cristã, por exemplo, Israel possuía uma revelação mais plena e abrangente do Senhor do que qualquer outra religião. Não importa quão corrupta chegou a tornar-se a nação, ou quanto houvera se desviado da vontade de Deus – quer fosse pela liberalidade acomodante com as culturas dos seus vizinhos pagãos no período do primeiro Templo, ou pelo legalismo cheio de justiça própria típico do período do segundo Templo – o facto é que Israel sempre teve muito mais luz que os seus vizinhos pagãos!
  56. O Remanescente da descendência da mulher - II ISRAEL TINHA A VERDADE PRESENTE, E ESSA VERDADE , MAIS DO QUE QUALQUER OUTRA COISA, DEFINIU A SUA POSIÇÃO COMO POVO REMANESCENTE . O MESMO SUCEDE COM O ADVENTISMO! Não importa quanta hipocrisia, deslealdade, pecado e apostasia possam existir neste movimento, o facto é que ele foi abençoado com uma revelação muito mais plena e abrangente de Cristo e da verdade presente que qualquer outro corpo religioso.
  57. O Remanescente da descendência da mulher - II Não importa que muitos membros não estejam seguindo essa luz (tão-pouco a seguiam em Israel) , ou que essas verdades não estejam santificando a muitos (tão-pouco o faziam em Israel) , ou que não sejam apreciadas (tão-pouco o eram em Israel) , ou que membros malignos e não convertidos deem à mensagem um mau nome (também o mesmo sucedia em Israel) . O ponto crucial a tomar em linha de conta, é: a Igreja Adventista, como o antigo Israel, recebeu muito mais luz que qualquer outra igreja, e é unicamente essa luz que lhe concede a sua qualidade de povo remanescente .
  58. O Remanescente da descendência da mulher - II Reflitamos agora sobre algo muito interessante: Se um judeu residente em Israel em qualquer período anterior ao cristianismo, se houvesse desanimado devido ao pecado, às controvérsias e à frieza da fé hebraica, para onde é que ele poderia ter ido? Se houvesse experimentado repugnância pela degradação, mundanidade e pelas concessões e acomodações que se tinham infiltrado na nação hebraica no período do primeiro Templo; ou se se deixasse oprimir ou desanimar pelo dogmatismo radical e pela hipocrisia no período do segundo Templo, para onde é que ele poderia ter ido?
  59. O Remanescente da descendência da mulher - II Não importa em qual triste estado pudesse estar a sua igreja, de qualquer modo ele não encontraria, seguramente, em nenhuma outra parte, mais verdade doutrinal! O MESMO SUCEDE HOJE COM O ADVENTISMO! Iria ele adorar o sol com os romanos? Ou as rãs, com os egípcios? Iria ele participar dos grandes cultos esotéricos que existiam já naquela época? Unir-se-ia ele com os adoradores de Diana? Ou com os cananeus que prestavam culto a Baal?
  60. O Remanescente da descendência da mulher - II Para onde é que poderá ir, hoje em dia, um adventista descontente com a condição da sua igreja, sem sacrificar as suas crenças mais fundamentais? Para uma igreja que guarda o domingo em vez do Sábado bíblico? Ou para uma que crê que os mortos estão ardendo no inferno? Uma vez eliminadas só estas duas doutrinas, as alternativas já se tornam penosamente escassas!
  61. O Remanescente da descendência da mulher - II Na realidade, um adventista que quisesse hoje deixar o Adventismo enfrentaria problemas mui similares aos que havia experimentado um judeu dos tempos bíblicos que quisesse deixar o Judaísmo! Se bem que as distinções doutrinárias que separam os cristãos adventistas de outros cristãos possam não ser tão grandes como as que separavam as doutrinas do antigo Israel das nações circundantes, mesmo assim, as diferenças são suficientemente claras para que qualquer adventista razoavelmente bem informado se dê conta de que não existe alternativa doutrinária viável!
  62. O Remanescente da descendência da mulher - II Com razão teve o Senhor que suscitar uma igreja com a verdade presente para os nossos dias! Com doutrinas que abarcam desde a ideia do “uma vez salvo, salvo para sempre” até à ideia de que Adão era um deus, e desde a ideia do arrebatamento secreto à do tormento eterno ou inferno, Jesus necessitava ter um corpo religioso que pregasse verdades puras. De outro modo, como poderia alguém preparar-se para a Sua segunda vinda?
  63. O Remanescente da descendência da mulher - II Tal como aconteceu no caso do antigo Israel, no tempo do fim o povo remanescente de Deus não se distingue tanto pelos erros que evita, mas sim pelas verdades que possui. O remanescente de Deus, em qualquer época, sempre teve a verdade , mas essa verdade sempre foi ensinada no contexto da “verdade presente”. À medida que o tempo passava, Deus ia revelando luz adicional ao seu remanescente. Por exemplo, a igreja cristã primitiva possuía um conjunto de verdades maior do que aquele que possuía Abraão. Mas essas verdades nunca deixaram igualmente de estar apoiadas num fundamento arraigado na antiguidade.
  64. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>O remanescente de hoje, por exemplo, repousa no sétimo dia, Sábado . Mas agora, para além de reconhecer que o Sábado é um símbolo do Senhor como Criador, Redentor e Santificador, os adventistas sabem que na prova final de lealdade a Deus anterior à Sua segunda vinda, o Sábado constituirá o selo de Deus em contraposição ao sinal da besta. </li></ul><ul><li>Assim sendo, o Sábado continua sendo tudo aquilo que significou para o remanescente em épocas anteriores, mas agora é-o ainda em maior grau! </li></ul>
  65. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>Ao ligar-se ao Sábado, a igreja remanescente – longe de ter inventado algo novo – está, como Israel, aderindo à luz que se originou no Éden. </li></ul><ul><li>Em contraste com os mitos dos seus vizinhos pagãos, os judeus do antigo Israel possuíam a verdade acerca da Criação . Neste ponto, o Adventismo também goza de luz adicional. Ao passo que milhões de cristãos aceitam a evolução, de uma ou de outra forma, os adventistas creem que o Senhor fez em seis dias os céus, a terra e todos os seres viventes que os povoam, e repousou no sétimo dia da primeira semana. </li></ul>
  66. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>Tal como no antigo Israel, o Adventismo também possui uma mensagem relativa ao santuário . </li></ul><ul><li>Outro ensino exclusivo do remanescente atual, como no tempo de Israel, é a mensagem de saúde . Neste aspeto também gozamos de maior luz do que aquela que possuía Israel. Na nossa época, na qual a ciência é tão estimada, a mensagem de saúde é o único aspeto do Adventismo que a ciência pode provar. Não podemos provar por meios científicos o estado dos mortos, a mensagem do santuário ou a segunda vinda de Cristo. </li></ul>
  67. O Remanescente da descendência da mulher - II Mas, em contrapartida, a ciência verifica continuamente a veracidade da mensagem adventista relativa ao álcool, ao tabaco, ao vegetarianismo e à vida sã em geral. Tal como sucedeu com os hebreus, os Adventistas acham-se mais adiantados relativamente aos seus vizinhos neste campo, não porque tenham desenvolvido verdades novas e inovadoras, mas porque resgataram antigas verdades do passado que foram esquecidas.
  68. O Remanescente da descendência da mulher - II <ul><li>O Adventismo compreende igualmente a questão do grande conflito entre Cristo e satanás . Os demais cristãos, na sua maioria, sabem pouco ou nada deste conflito. Muitos nem sequer creem em satanás, e os que creem, não têm, nem por sombra, os mesmos conhecimentos que estão disponíveis aos adventistas através do Espírito de Profecia. </li></ul><ul><li>Como ponto final e de maior importância, diremos que, tal como no antigo Israel, o Adventismo goza de maior luz no que se refere à vinda de Jesus . </li></ul>
  69. O Remanescente da descendência da mulher - II Israel devia preparar o caminho para a primeira vinda de Cristo; o Adventismo, para a segunda. O nome que a Igreja escolheu para si, Adventista do Sétimo Dia revela quão importante é a segunda vinda de Cristo como razão da sua existência. Sem dúvida que há outras igrejas que possuem algumas destas doutrinas, mas nenhuma delas possui a compreensão adicional delas como possui o Adventismo.
  70. O Remanescente da descendência da mulher - II E são estas verdades , além de outras – distintas, claras, bíblicas e cronologicamente calculadas para a época presente – que concedem ao Adventismo a sua condição de remanescente , tal como fizeram pelo antigo Israel estas mesmas verdades, juntamente com outras, no seu contexto antigo.
  71. O Remanescente da descendência da mulher - II Não há dúvidas de que o Senhor tem verdadeiros seguidores seus em toda e qualquer religião. Mas este não é o ponto essencial. O importante é recordar que nenhuma outra religião constituída possui, nem de perto, a verdade presente que possui o Adventismo. Os batistas não a possuem. As “testemunhas de Jeová” não a possuem. Os protestantes tão-pouco. Não a possuem os católicos, nem os metodistas, nem os de Moon, nem os mórmones.
  72. O Remanescente da descendência da mulher - II Se um pesquisador da verdade puder encontrar uma igreja que cumpra melhor que o Adventismo as profecias relativas ao remanescente , uma igreja que não somente guarde os mandamentos de Deus mas que tenha igualmente o “testemunho de Jesus” e que pregue a mensagem – que é a verdade presente – dos três anjos de Apocalipse 14, apresentando-a como a última mensagem de advertência ao mundo antes da segunda vinda de Cristo, então essa pessoa deve unir-se a tal igreja! Desejo-lhe boa sorte nessa pesquisa ... porque realmente precisará dela!
  73. O Remanescente da descendência da mulher - II Se um pesquisador da verdade puder encontrar uma igreja que cumpra melhor que o Adventismo as profecias relativas ao remanescente , uma igreja que não somente guarde os mandamentos de Deus mas que tenha igualmente o “testemunho de Jesus” e que pregue a mensagem – que é a verdade presente – dos três anjos de Apocalipse 14, apresentando-a como a última mensagem de advertência ao mundo antes da segunda vinda de Cristo, então essa pessoa deve unir-se a tal igreja! Desejo-lhe boa sorte nessa pesquisa ... porque realmente precisará dela!

×