04 Unified process

333 views
234 views

Published on

Tópicos para guiar a discussão em sala de aula - Processo Unificado.

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
333
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

04 Unified process

  1. 1. Unified Process Processo unificado de desenvolvimento de software
  2. 2. Unified Process  Um framework de processo de desenvolvimento  Princípio iterativo incremental  Nasceu em 1999 com a publicação do livro The Unified Software Development Process  Ivar Jacobson  Grady Booch  James Rumbaugh  Rational – RUP  IBM – Open UP
  3. 3. Unified Process
  4. 4. Open Unified Process  O que é Open UP?  Processo que aplica a abordagem iterativa e incremental para o ciclo de vida de desenvolvimento de software.  Possui características de metodologia ÁGIL, tendo como foco a natureza colaborativa no desenvolvimento de software.
  5. 5. Visão geral
  6. 6. Premissas Open UP  Organização do projeto através do conceito de Micro- incrementos:  Representam as unidades de trabalho que serão produzidas pela iteração (normalmente medidas em horas ou poucos dias).  Intensa colaboração entre os membros da equipe, já que é um processo de desenvolvimento incremental e possui equipe auto-organizável.  Feedbacks extremamente rápidos, proporcionando agilidade na tomada de decisões  Divisão do projeto em iterações com entregas planejadas e com tempo pré-definidos.  O clico de vida de um projeto é composto por quatro fases:  Iniciação  Elaboração  Construção  Transição
  7. 7. Ciclo de Vida do Projeto  O ciclo de vida do projeto fornece visibilidade e sincronismo aos envolvidos no projeto.  Principais objetivos:  Iniciação: Definição dos objetivos e escopo do projeto;  Elaboração: Definir a arquitetura a ser utilizada para o projeto e avaliar se os riscos são aceitáveis;  Construção:Garantir que a aplicação construída está de acordo com a solicitação do cliente.  Transição:Garantir que a aplicação está pronta para implantação.
  8. 8. Fase de Concepção  Objetivos:  Levantar os riscos potenciais  Preparar o ambiente de suporte do projeto  Definir e preparar os processos e ferramentas a serem utilizados  Definir e, eventualmente, demonstrar com protótipos ao menos um candidato de arquitetura  Avaliar alternativas de projeto  Que componentes fazer, comprar ou reusar?
  9. 9. Fase de Concepção
  10. 10. Fase de Elaboração  Capturar a maioria dos requisitos  Construir a arquitetura do sistema  Na forma de um executável (arquitetura executável)  Que demonstre a capacidade de esta arquitetura acomodar o resto do sistema  Produzir protótipos evolucionários ou descartáveis que eliminam riscos de  Requisitos ou projeto  Reusabilidade de componentes  Viabilidade técnica
  11. 11. Fase de Elaboração
  12. 12. Fase de Construção  Produzir a versão para beta-testes  A ênfase é na produção de um software operacional  Envolve análise, projeto e implementação dos requisitos levantados na Elaboração  Pelo menos 80% dos casos de uso foram levantados(identificados) e entendidos durante a Elaboração  A Construção finaliza o sistema, atingindo100% das funcionalidades implementadas  Adicionar “músculos” ao “esqueleto” (arquitetura)
  13. 13. Fase de Construção
  14. 14. Fase de Transição  Validar o sistema em relação às expectativas dos usuários  Beta testes e operacionalização do software (geralmente, em paralelo com o sistema legado)  Conversão de dados  Treinamento de usuários  Correção de erros, pequenas melhorias, pequenos ajustes
  15. 15. Fase de Transição
  16. 16. Ciclo de Vida da Iteração  Reunião do Plano de Iteração – duração de algumas horas.  Definição das entregas da iteração (micro-incrementos), arquitetura e riscos – duração de poucos dias.  Entregas contínuas dos micro-incrementos e correção de erros – duração semanal.  Ao final de cada semana devem ser gerados builds estáveis.  Reunião de Retrospectiva: reunião de avaliação com toda a equipe – duração de algumas horas.  Abordar as falhas, não os culpados.  Destacar as lições aprendidas.
  17. 17. Ciclo de Vida da Iteração
  18. 18. Micro-Incremento  Resultado de algumas horas ou dias de trabalho de uma pessoa (eventualmente pode-se considerar uma pequeno grupo de trabalho) para alcançar uma entrega da iteração.  Ajuda o membro do grupo a dividir seu trabalho em pequenas unidades, desde que agreguem valor ao time.  Um micro-incremento deve ter sua evolução media diariamente, além de atender às necessidades dos Stakeholders. Portanto, é importante sua concordância na definição das entregas (Documento Visão).
  19. 19. Micro-Incremento  Definir, desenhar, implementar e testar um Caso de Uso ou até mesmo um cenário pode levar semanas. Como proceder?  Divida o trabalho em sub-fluxos menores de forma que cada um não dure mais que alguns dias.
  20. 20. Links interessantes  Jogo do RUP  Open UP na Eclipse Process Framework  Open UP na IBM  RUP em Português
  21. 21. O processo de software no RUP  Um conjunto de disciplinas dentro de um ciclo de vida iterativo e incremental
  22. 22. O elementos nos diagramas do RUP
  23. 23. O elementos nos diagramas do RUP  O processo  As disciplinas  O fluxo de trabalho e seus detalhamentos  Os papéis  As atividades executadas pelos papéis  As orientações de trabalho de cada atividade  Os artefatos - entradas e saídas de cada atividade  Pontos de verificação, diretrizes e templates dos artefatos
  24. 24. As FASES no RUP  Fases e milestones (marcos)  O que precisa ser feito em cada fase?  O que precisa ser verificado nas milestones?  Quanto tempo se gasta com cada fase?  Processo: quem, o quê e como?

×