• Like
  • Save
Vp baloes decorações
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Vp baloes decorações

  • 1,395 views
Published

 

Published in Art & Photos
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
  • O seu trabalho é maravilhoso,sou sua fã numero 1,parabens
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
1,395
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
1
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide
  • O Instituto de planejamento das reencarnações
    - Grande movimentação de espíritos, tanto os que vão reencarnar, quanto os que estão intercedendo por outros.
    - Planos adequados são estabelecidos de acordo com o serviço a ser desempenhado e o grau de adiantamento do reencarnante.
    - A hereditariedade fisiológica funciona em todos os seres, mas sofre a influência dos que alcançam qualidades superiores ao ambiente geral. Forças mais elevadas podem imprimir modificações ao material genético.
    - Todas as colônias de expressão elevadas mantém serviços semelhantes.
    - O auxílio aos espíritos reencarnantes se traduz de duas formas: através de intercessão superior - se o reencarnante possui a razão esclarecida - ou através dos espíritos encarregados do trabalho reencarnacionista na Crosta - no caso do reencarnante em esforço puramente evolutivo.
    - Dois modelos, a semelhança de estátuas, um masculino e outro feminino, revelavam detalhes da fisiologia do corpo físico e são observados com admiração, por André Luiz.
  • Nos pavilhões de desenho, onde numerosos cooperadores traçavam planos para reencarnações incomuns
  • André Luiz observando em especial o modelo cérebro, cerebelo, medula espinhal etc.
  • Espírito que irá reencarnar, após 15 anos de atividades de auxílio no plano espiritual, com objetivos de reparar erros passados. Estava um tanto hesitante, com receio de contrair novos débitos, devido ao esquecimento do passado. Acatou a sugestão de trazer um defeito físico na perna, a fim de se defender das tentações de natureza inferior, como antídoto à vaidade. Tem possibilidade de viver até 70 anos, pelo menos.
  • Anacleta vai reencarnar após 40 anos de trabalho em favor de espíritos familiares que estão em desequilíbrio. Pretende recebê-los como filhos, dois na condição de paralisia, outro com debilidade mental, e uma filha, também com problemas, mas que deverá auxiliá-la na velhice do corpo. Prepara-se para reparar o erro de outra encarnação, quando permitiu, como mãe, através da falta de disciplina e do excesso de mimo, que seus filhos não conseguissem enfrentar as lutas da vida.
  • André Luiz observando um modelo de um corpo físico projetado para a reencarnação de Silvério. Veja páginas 177-182.
  • André Luiz ainda analisa a situação de um espírito que deve reencarnar com a possibilidade de surgimento de uma úlcera logo que chegue a maioridade. Através deste processo, poderá resgatar um crime cometido há mais de cem anos antes, quando assassinou um homem a facadas. A vítima tornou-se seu obsessor e provocou gradativamente sua desencarnação. Após sofrer no plano espiritual, reergueu-se moralmente e obteve várias intercessões. No entanto, pela lei de ação e reação, o crime ainda permanece em aberto, e a reencarnação dolorosa servirá de pena e reparação.
  • Dê um clique no quadrado preto -

Transcript

  • 1. Company LOGO Produção : ESDE 1 ASECAL LIVRE ARBÍTRIO
  • 2. PERGUNTA Nós espíritas estamos acostumados a algumas discussões, pouco comuns em outros meios, qual seja - existe verdadeiramente o livre-arbítrio e a livre vontade ou estamos sujeitos a alguma espécie de determinismo e ou fatalidade?
  • 3. LIVRE ARBÍTRIO Significado Livre arbítrio, Determinismo e Fatalidade Na evolução Fases no homem Resposta RESPOSTA / CONCLUSÃO EVOLUÇÃO LIVRE ARBÍTRIO E RESPONSABILDIADE ESCALAS HUMANAS LIVRE ARBÍTRIO – DETERMINISMO - FATALIDADE SIGNIFICADO
  • 4. LIVRE ARBÍTRIO É a faculdade que tem o indivíduo de determinar a sua própria conduta, ou, em outras palavras, a possibilidade que ele tem de, entre duas ou mais razões suficientes de querer ou de agir, escolher uma delas e fazer que prevaleça sobre as outras. “As Leis Morais” - Calligaris Rodolfo - FEB
  • 5. LIVRE ARBÍTRIO E RESPONSABILIDADE  A Liberdade e a responsabilidade são correlativas no ser e aumentam com sua evolução; é a responsabilidade do homem que faz sua dignidade e moralidade. Sem ela não seria ele mais do que um autômato, um joguete nas forças ambientes: a noção de moralidade é inseparável da de liberdade.  A responsabilidade é estabelecida pelo testemunho da consciência , que nos aprova ou censura segundo a natureza de nossos atos [...] Léon Diniz: “O problema do ser, do destino e da dor. Terceira part. Cap. 22
  • 6. LIVRE ARBÍTRIO D - Livre arbítrio C - Fatalidade B - Livre arbítrio A - Determinismo Espíritos desencarnado Espíritos encarnados Antes de encarnar escolhas Reino humano Reino mineral, vegetal e animal NA EVOLUÇÃO
  • 7. A- DETERMINISMO O Determinismo é um sistema filosófico que nega o direito ao homem de agir livremente de acordo com sua vontade. “Determinismo e livre-arbítrio coexistem na vida, entrosando-se na estrada dos destinos para a elevação e redenção dos Homens. – O [...]determinismo é absoluto nas mais baixas camadas evolutivas.” [...] Q 132 e 134 de O Consolador – Emmanuel – Chico Xavier
  • 8. B – SURGE O LIVRE ARBÍTRIO “[...] e o livre-arbítrio amplia-se com valores da educação e da experiência. [...] Q 132 e 134 de O Consolador – Emmanuel / Chico Xavier O ser espiritual adquire o livre arbítrio quando atinge o reino humano, seguindo a sua evolução.
  • 9. C - A FATALIDADE  A Fatalidade não existe senão pela escolha que fez o Espírito, em se encarnando, de suportar tal ou tal prova. Escolhendo, ele faz uma espécie de destino que é a consequência mesma da posição em que se encontra. Falo das provas físicas, porque para o que é prova moral e tentações , o Espírito conservando seu livre arbítrio sobre o bem e sobre o mal, é sempre senhor de ceder ou resistir. Q. 851- LE.
  • 10. LIVRE ARBÍTRIO - ESCOLHAS  O Espírito goza sempre de livre-arbítrio. Em virtude dessa liberdade é que escolhe, quando desencarnado, as provas da vida corporal e que, quando encarnado decide fazer ou não uma coisa e procede a escolha entre o bem e o mal. Negar ao homem o livre-arbítrio fora reduzi-lo à condição de máquina”. (Q 399 LE Allan kardec)
  • 11. LIVRE ARBÍTRIO Determinismo: DIFERENÇA É a filosofia segundo a qual tudo que acontece com a natureza e o homem já está determinado por uma causa. O Espiritismo não admite o determinismo absoluto, mas sim para evolução nos processos de nascer, morrer reencarnação. Fatalidade: É a escolha que o espírito fez antes de encarnar. Escolhendo-a constitui para si uma espécie de destino que é consequência mesma da posição em que se acha colocado em fase da escolha feita.
  • 12. Cidade Espiritual “Nosso Lar” Centro de Planejamento de ReencarnaçõesCentro de Planejamento de Reencarnações XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. RioMissionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro: FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodvalde Janeiro: FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena & Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)Matias: Estúdio Cena & Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)
  • 13. André Luiz O Instituito de Planejamento dasO Instituito de Planejamento das ReencarnaçõesReencarnações XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro:Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro: FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena &FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena & Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)Ação. Produção S. E. Mãos Unidas) Grande movimentação de espíritos, tanto os que vão reencarnar, quanto os que estão intercedendo por outros. Planos adequados são estabelecidos de acordo com o serviço a ser desempenhado e o grau de adiantamento do reencarnante.
  • 14. AlexandreAndré Luiz Josino XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro:Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro: FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena &FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena & Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)
  • 15. Pavilhão de DesenhosPavilhão de Desenhos XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro:Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro: FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena &FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena & Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)Ação. Produção S. E. Mãos Unidas) Nos pavilhões de desenho, onde numerosos cooperadores traçavam planos para reencarnações incomuns
  • 16. André Luiz XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro:Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro: FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena &FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena & Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)Ação. Produção S. E. Mãos Unidas) André Luiz observando em especial o modelo cérebro, cerebelo, medula espinhal etc.
  • 17. André Luiz Manassés Silvério Projeto de reencarnação de SilvérioProjeto de reencarnação de Silvério XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro:Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro: FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena &FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena & Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)Ação. Produção S. E. Mãos Unidas) Acatou a sugestão de trazer um defeito físico na perna, a fim de se defender das tentações de natureza inferior, como antídoto à vaidade. Tem possibilidade de viver até 70 anos, pelo menos. Espírito que irá reencarnar, após 15 anos de atividades de auxílio no plano espiritual, com objetivos de reparar erros passados. Estava um tanto hesitante, com receio de contrair novos débitos, devido ao esquecimento do passado.
  • 18. Anacleta André LuizManassés Projeto de reencarnação de AnacletaProjeto de reencarnação de Anacleta XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro:Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro: FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena &FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena & Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)Ação. Produção S. E. Mãos Unidas) Anacleta vai reencarnar após 40 anos de trabalho em favor de espíritos familiares que estão em desequilíbrio. Pretende recebê-los como filhos, dois na condição de paralisia, outro com debilidade mental, e uma filha, também com problemas, mas que deverá auxiliá-la na velhice do corpo. Prepara-se para reparar o erro de outra encarnação, quando permitiu, como mãe, através da falta de disciplina e do excesso de mimo, que seus filhos não conseguissem enfrentar as lutas da vida.
  • 19. André Luiz Manassés Outro projeto deOutro projeto de reencarnaçãoreencarnação XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro:Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro: FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena &FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena & Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)Ação. Produção S. E. Mãos Unidas) André Luiz ainda analisa a situação de um espírito que deve reencarnar com a possibilidade de surgimento de uma úlcera logo que chegue a maioridade. Através deste processo, poderá resgatar um crime cometido há mais de cem anos antes, quando assassinou um homem a facadas.
  • 20. Úlcera planejadaÚlcera planejada XAVIER, Francisco Cândido.XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro:Missionários da luz. Pelo Espírito André Luiz. ed. esp. Rio de Janeiro: FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena &FEB, 2003. Primeira Parte: Cap. 12. p. 167-193 (Desenhos de Rodval Matias: Estúdio Cena & Ação. Produção S. E. Mãos Unidas)Ação. Produção S. E. Mãos Unidas) A vítima tornou-se seu obsessor e provocou gradativamente sua desencarnação. Após sofrer no plano espiritual, reergueu-se moralmente e obteve várias intercessões. No entanto, pela lei de ação e reação, o crime ainda permanece em aberto, e a reencarnação dolorosa servirá de pena e reparação.
  • 21. LIVRE ARBÍTRIO Dependente do adulto (Espíritos Superiores ) Princípio Inteligente Determinismo AA CriançaCriança Lliberdade total de escolha. Lliberdade total de escolha. Espírito Evoluído LIVRE ARBÍTRIO OO AdultoAdulto Ser humano +Livre arbítrio Pode escolher são relativamente responáveis por suas escolhas OO JovemJovem ESCALAS HUMANAS -Determinismo
  • 22. FASES E EVOLUÇÃO Determinismo total Livre arbítrio total O Ser humano vai evoluindo -Determinismo + livre arbítrio O Ser humano vai evoluindo -Determinismo + livre arbítrio
  • 23. RESPONDENDO  Nós, espíritos imortais, somos criados simples e ignorantes;  Passamos todos pela “fieira da ignorância”;  Podemos, em nossos exercícios no longo aprendizado da vida, inclinarmos para o bem ou para o mal;  Quando praticamos o mal, o fazemos “por vontade própria”;
  • 24. RESPONDENDO  A vontade própria ou o livre-arbítrio desenvolve-se conforme a tomada consciência de nós mesmos;  Podemos ceder às influências que estão fora de nós, por conta de nossas livres escolhas;  Os espíritos imperfeitos, na condição de agentes de influência do mal, podem nos fazer sucumbir. Q120 a 127 LE
  • 25. CONCLUSÃO  Somente a doutrina da reencarnação esclarece ao homem a causa dos seus sofrimentos e das suas alegrias. Revela que o homem sofre por que, no passado, usou mal o seu livre-arbítrio.  Sem a idéia reencarnacionista, o homem julga-se preso a um determinismo que pode ser explicado por certas religiões (Deus criou seres para o bem ou para o mal) ou pela ciência (o homem faz parte do universo mecânico), mas não convence, porque o homem não é robô.
  • 26. CONCLUSÃO  Indubitavelmente, conforme acentua a Doutrina Espírita, o homem é a síntese das suas próprias experiências, autor do seu destino, que ele elabora mediantes os impositivos do determinismo e do livre-arbítrio.  Esse determinismo (inevitável apenas em alguns aspectos: nascimento, morte e reencarnação) estabelece as linhas matrizes da existência corporal, propelindo o ser na direção da sua fatalidade última: a perfeição relativa. Livro Plenitude cap.3 Origens do Sofrimento – Joana de Ângelis / Divaldo Franco
  • 27. Company LOGO
  • 28. Company LOGO 2014 Vanderlipantolfi.blogspot.com.br vanderlipantolfipsicanalista.blogspot.com.br