Voz ribatejanaedicao 11 maio 2011
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Voz ribatejanaedicao 11 maio 2011

on

  • 2,449 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,449
Views on SlideShare
2,380
Embed Views
69

Actions

Likes
0
Downloads
7
Comments
0

2 Embeds 69

http://vozribatejana.blogspot.com 44
http://www.vozribatejana.blogspot.com 25

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Voz ribatejanaedicao 11 maio 2011 Document Transcript

  • 1. Concelho de Vila Franca pags.: 2 e 4 MAIO 16 DE ABRE 41 mil não têm médicoEm frente aos correios de Alvercatel: 21 958 45 37 Web: www.audiovital.pt de família Novo centro de saúde abre no domingo NÓS RESOLVEMOS! “ FINANCIAMENTOS | POUPANÇAS | SEGUROS GESTÃO DE CONDOMÍNIOS | ADMINISTRAÇÃO, MANUTENÇÃO E LIMPEZA VAMOS ONDE PRECISAR! R. Dr Miguel Bombarda, Loja 26 Alhandra Tlf: 218 081 171 - alhandra@conta-vencedora.pt“ Voz Ribatejana:: número 12 :: ano 1 :: 11 de Maio de 2011 :: quinzenário regional :: director Jorge Talixa :: preço 0,50 cêntimos ::Vialonga – multibanco e estrutura envidraçada destruídos Assalto explosivo Pela segunda vez em Portugal, uma agência bancária foi assaltada com recurso a materiais explosivos. Aconteceu no dia 4 em Vialonga e os assaltantes podem ter levado muitas dezenas de milhares de euros. O caso está a ser investigado pela Unidade Contra-Terrorismo da Polícia Judiciária. pág. 5Ne Semana Feira e sta Re Rib Linhas Tauromáquica ed giã ate Semana + de alta içã o sem Clube Taurina tensão o Taurino em levam 30 mil ameaçam Vila Franca a Samora Alenquer ja na pag.: 9 pag.: 5 + Região pag.: 13 +Região R u a J o s é F e r r e i r a Ta r r é 1 0 B l o j a 2 6 1 5 - 11 2 A l v e r c a www.ourinvest.pt e-mail: alverca@ourinvest.pt Tel./Fax: +351 219 571 734 ( P e r p e n d i c u l a r à Av e n i d a C a p i t ã o M e l e ç a s )
  • 2. 02 “ABERTURA voz ribatejana #12Vila Franca de XiraNovo centro de saúde Vila Franca de Xira Menos 4 médicos e 41inaugurado no domingoAs novas instalações do Centro de Saúde de Vila Franca de mil utentes sem médico de famíliaXira (CSVFX) deverão ser inauguradas no próximo domingo.Um investimento de cerca de 2 milhões de euros desenvolvido Dos cerca de 140 mil habi-no âmbito de um acordo entre a Câmara vila-franquense e a tantes do Município deAdministração Regional de Saúde. Com o novo edifício, cons- Vila Franca de Xiratruído junto ao quartel dos bombeiros, vai ser possível con- inscritos nos centros decentrar todos os serviços do CSVFX, hoje dispersos por 7 saúde locais, 41 mil nãopisos adaptados em 4 edifícios de habitação. Em entrevista têm, neste momento, médi-por escrito ao Voz Ribatejana, Marília Alves, directora execu- co de família atribuído,tiva do Agrupamento de Centros de Saúde de Vila Franca, segundo revelou Maríliasublinha que o novo edifício foi construído com todos os re- Alves ao Voz Ribatejana.quisitos, incluindo meios de acessibilidade para cidadãos com De acordo com a directoradificuldade de mobilidade, que têm sido um dos grandes pro- executiva do Agrupamentoblemas das antigas instalações. Marília Alves admite, contu- de Centros de Saúde dedo, que o número de utentes do concelho sem médico de Vila Franca, desde o finalfamília tem aumentado e já vai em 41 mil. Ainda em Maio do ano passado saíram 4deverá começar a trabalhar na área do município um médico dos médicos colocadosde origem colombiana. nestas unidades de cuida- dos primários do concelho.Jorge Talixa cio foi construído com os requi- Como consequência sitos necessários, em termos de aumentou o número deVoz Ribatejana - A con- instalações e acessibilidade, utentes sem médico. Nostrução de novas instalações adequados a uma Unidade de quadro generalizado depara o Centro de Saúde de Saúde e irá permitir concentrar, carência de médicos, éVila Franca é uma aspiração num único espaço, os profis- difícil tomar medidas queantiga. O que é que o novo sionais e serviços da Unidade resolvam esta situação.edifício vai proporcionar em de Saúde de Vila Franca de Segundo Marília Alves, otermos de melhoria do Xira, actualmente dispersos por ACES tem autorizaçãoserviço prestado à população 7 pisos adaptados em 4 edifí- para contratar 137 horaslocal? cios de habitação, antigos e sem Novo Centro de Saúde semanais de serviços médi-Marília Alves - O novo edifí- elevador. custou 2 milhões de euros cos a empresas especia- lizadas de prestação deste Que recursos humanos vão da Administração Pública. passado dia 2 de Maio o tipo de serviços. Estas trabalhar nas novas insta- Despacho nº 6761/2011 de horas são distribuídas lações e até que ponto o novo O escasso estacionamento na autorização de celebração, pela pelas unidades de saúde edifício permite desactivar os zona envolvente parece ser Administração Regional de mais carenciadas, neste núcleos dispersos em que um problema. Há medidas Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, caso da Póvoa de Santa Acordos com: actualmente funciona o previstas para minimizar esse I.P., de contrato-programa com Iria, Alverca, Arcena e ADSE | ARS | ACS PT | ADM | Multicare | Zurich | Centro de Saúde de Vila problema? a Câmara Municipal de Vila Vila Franca de Xira. AXA | Fidelidade Mundial | Franca de Xira? O novo edifício tem uma zona Franca de Xira para cooperação Para tentar atenuar o Os recursos humanos são os de estacionamento dedicada relativamente à unidade de problema da falta de médi- Acidentes de Trabalho mesmos. Temos 9 médicos, aos utentes, ao nível do piso 1. saúde de Alhandra. cos de família, o (Acordo com várias companhias de seguros) mais 18 horas por semana de Esta situação constitui já uma Ministério da Saúde deci- prestação de serviços médicos, melhoria face à situação actual Relativamente ao atendimen- Agora com mais um novo diu contratar algumas 11 enfermeiros, 6 administra- dos vários edifícios. to complementar nas diver- dezenas de profissionais espaço de saúde e bem-estar tivos e 3 auxiliares. sas unidades de saúde do con- na América do Sul. Para Olhando para o panorama celho, que tem motivado Maio está prevista a geral do concelho, tem havido algumas críticas, especial- chegada de cerca de 40 Com o novo edifício haverá uma evolução muito grande mente na zona sul, prevê-se a médicos de origem colom- capacidade e autorização em termos de instalações. manutenção do actual sis- biana e, segundo Marília superior para tentar reforçar Falta o processo de Alhandra tema ou estão previstas algu- Alves, um deles deverá ser os recursos humanos? que poderá estar resolvido mas alterações? colocado no concelho de Esta autorização não depende em 2012? Pelo acima descrito não temos Vila Franca, ainda em da mudança de instalações, mas Quanto ao processo de condições para alargar este Maio, com um contrato de da conjuntura actual (nacional) Alhandra, é verdade. Foi publi- atendimento. A situação irá 3 anos.. de redução de despesas ao nível cado no Diário da República do manter-se. Caminhada Amor do Peito no dia 22 em Vila Franca A Caminhada Amor do A concentração está marcada Peito, organizada pela Liga para as 10h00, junto ao novo dos Amigos do Hospital de quartel dos Bombeiros Vila Franca de Xira e pelo Voluntários de Vila Franca, seu voluntariado, realiza-se, com partida às 10h30 em este ano, no próximo dia 22. direcção ao Parque Urbano Trata-se da quinta edição da do Cevadeiro. A exemplo dos Edifício Planície - Rua do Curado Lojas 101 e 115 Vila Franca de iniciativa, dedicada a todas anos anteriores, a caminhada Xira Tel: 263 270 272 - 912 247 171 as pessoas com cancro da contará com algumas cente- recuperaxira.be@gmail.com recuperaxira@gmail.com mama. nas de participantes.
  • 3. PRÓXI MA EDIÇÃ BATEJ O DO ANA CA! 03 V OZ RI NÃ O PER 11 de Maio de 2011 EM AIO A 25 D Meninos de 5 anos “ensinam” condutores Forte da CasaCerca de 30 crianças de 5 anos, utentes do envolvidas, para terem cuidado no trans- escolas com mais população estudantil,Instituto de Apoio à Comunidade (IAC), porte dos alunos, aos próprios alunos para para que consigamos atingir o maiorparticiparam numa acção de sensibilização e, naturalmente, aos condutores, que são opara as questões da segurança rodoviária, público-alvo principal”, explica Nelsonpromovida no Forte da Casa pela Divisão Amaral, chefe da secção de número possível de pessoas”, refere o responsável policial, salientando que, depois de Alverca, Vila Franca, Sobralinho Esquadra daPolicial de Vila Franca de Xira(DPVFX), com o apoio da Junta do operações e relações públicas da e Forte da Casa, seguir-se-ão mais duas acções, na Póvoa e em Alhandra, uma Póvoa abre dia 14Forte e do IAC. Foi a quarta ini-ciativa do género organizada Lar D P V F X , frisando ainda antes do final do presente ano lecti- vo e a outro no início do próximo anopela Divisão Policial, que se da ARIPSI que os escolar. Depois, quem sabe, esta pode até Depois de três anos de espera, a Póvoa de Santa Iria de- verá ter a sua esquadra da PSP inaugurada na tarde dodeverá repetir até final doano com crianças das inaugurado no conse- l h o s ser uma forma de cativar a atenção dos mais pequenos para uma futura carreira na próximo sábado. A reestruturação do dispositivo de segu- rança no concelho de Vila Franca de Xira, aplicada a par-freguesias da Póvoa e deAlhandra. sábado incidi- r a m polícia. António José Inácio, presidente da Junta tir de Fevereiro de 2008, já previa esta esquadra mas, sem instalações adequadas, a cobertura das freguesias daMais ou menos compene- sobre do Forte da Casa e do IAC, acha que esta O lar da Associação de Reformados e Póvoa e do Forte tem sido assegurada a partir da sede datrados do seu papel, mais ou questões acção com as crianças locais é “muito Idosos da Póvoa de Santa Iria vai ser DPVFX, em Alverca. Já em 2009 iniciou-se a obra demenos à vontade dentro das como o interessante” e que a PSP tem desenvolvi- inaugurado na manhã do próxi- construção das instalações de raiz para a esquadrapequenas fardas e do boné da uso do do um conjunto de iniciativas de infor- mo sábado, 14 de Maio. povoense, dadas como concluídas em Outubro passado.PSP, as crianças do Forte da cinto de mação e de sensibilização, não só junto das Desde então, a unidade ainda não abriu, segundo as enti-Casa mostravam-se particular- segurança crianças mas também dos mais dades responsáveis devido à necessidade de executar osmente animadas na manhã da passada e da velhos, que considera arranjos exteriores e de realizar algumas alterações de por-quinta-feira. Logo a partir das 10h00, cadeirinha muito importantes. menor no edifício. Uma estrutura sindical chegou a apon-numa das principais artérias da vila, partil- para crianças, do respeito PSP “Esta partilha e tar a alegada falta de efectivos como explicação para aharam com agentes da PSP a tarefa de ten- pelos peões e pelas pa- esta relação de demora na abertura da esquadra. Certo é que a unidadetar sensibilizar os condutores para um me- ssadeiras ou da circu- tem desen- proximidade policial vai agora abrir na Póvoa de Santa Iria, com umlhor comportamento na estrada. Sob o lação ainda mais com os efectivo próprio e funcionando também como sede dasolhar atento dos efectivos policiais e das cautelosa na volvido iniciativas fregueses esquadras de investigação criminal e de intervenção rápi-educadoras e funcionárias do IAC, os envolvência das desta vila é da. Durante a acção com os “pequenos polícias”, António“pequenos polícias” lá iam cumprindo a escolas. de informação extrema- José Inácio disse, ao Voz Ribatejana, que a PSP tem feitosua tarefa e distribuindo folhetos com “Esta mensagem mente inte- um trabalho de vigilância da freguesia “bastante satis-diversos conselhos. Por vezes a timidez acaba, aos poucos, junto de crianças ressante e fatório” e que tem havido muita colaboração entre a PSP esobressaía e tinham que ser os automo- por ficar na consciên- estaremos sem- a Junta de Freguesia. “Relativamente à nova esquadra, obilistas a puxar pela conversa, mas o ba- cia das pessoas. e idosos pre disponíveis que gostaríamos é que tivesse mais pessoal e mais equipa-lanço final foi francamente positivo. Tentamos distribuir estas para dar o nosso mentos, mas se não for o caso, penso que deve-se manter“Pretendemos sensibilizar o máximo de acções por todas as fregue- contributo”, con- muito idêntico àquilo que já acontece hoje”, rematou.pessoas possível, desde as instituições sias da nossa área e junto das cluiu.
  • 4. 04 “ TODOS COM VOZ voz ribatejana #12 INQUÉRITO CENTRO DE SAÚDEEditorialCortar “Temos que vir de madrugadana para termos consultas urgentes”saúde!? Ver para crer é o sentimento dos utentes do Centro de Saúde de Vila Franca de Xira relativamente às novas instalações, que deverão ser inauguradas no próximo dia 15. Os inquiridos pelo Voz Ribatejana não se queixam do atendimento e dosAs últimas semanas da actualidade profissionais, mas já as dificuldades para marcar uma consulta quandonacional têm sido marcadas pelo tra- surge um problema mais urgente e as condições de acesso (escadas) parabalho da chamada “troika” que estu- os cidadãos com problemas de mobilidade motivam críticas. Por isso, odou e negociou com o Governo por- novo edifício é visto com muita esperança, mas ainda há quem duvidetuguês um acordo de assistência finan- da inauguração já no domingo.ceira que vai permitir a entrada de 78 Luísa Pereira, 59 anos,mil milhões de euros, esperamos que Orlando Espadaneira,para resolver o problema e não para o funcionária pública doadiar por mais algum tempo. Mas o 66 anos, reformado e Ministério da Defesa, Vilaque nos salta mais à vista, para além veterano de guerra, Franca de Xirade toda a polémica e de todo o manan- Povoscial de medidas, é a forma como Este antigo edifício do Centro de Saúde realmentealguns parecem “aliviados” com o Até aqui está tudo bem, quando mudar não sei. não tem condições, sobretudo para as pessoas que têm problemas de ossos, como éplano agora divulgado, como se não Sou doente oncológico e frequento este Centro de Saúde desde os o meu caso. Quanto mais depressa abrir o novo melhor. Vamos lá ver como é queenvolvesse cortes significativos na 60, há seis anos. Quando cá venho sou mais ou menos bem atendi- vai correr. A nível de funcionamento, espero bem que corra melhor que o antigo.saúde, nos subsídios de desemprego do, não quer dizer que seja cinco estrelas. Para obter consultas tem O actual Centro de Saúde, a nível de médicos acho que não está mal, estou satisfei-ou nas indemnizações por despedi- que se vir para aqui às 5 da manhã. Já vim várias vezes. Ao princí- ta, tenho a minha médica de família e estou satisfeita com ela. Agora, a nível de nósmento ou como se não envolvesse pio da doença, vim pelo menos 5 vezes de madrugada. Quando o não termos consulta e de termos que vir para aqui de manhã, nas urgências, é muitoagravamentos da carga fiscal ou juros tempo está pior, com chuva e frio, encostamo-nos uns aos outros. difícil. Para conseguir uma consulta temos que vir para aqui ás 7h30 e, mesmode 5% a pagar nos próximos anos. Será verdade que o novo vai abrir? Não estou a ver jeitos das novas assim, às vezes não temos consulta. Aceitam marcações pelo telefone dentro dasMas situemo-nos na saúde, que é um instalações serem inauguradas tão depressa. Não sei se é por falta de datas que eles têm para marcar. Para aquele dia não temos.tema igualmente em foco nesta edição médicos. Uns dizem que é por falta da mobília, outros que é porque Só conheço o exterior do novo edifício. Bem localizado também não sei se está.do Voz Ribatejana e que abordamos o Sócrates não chega a horas. Mas, pelo menos que tenha melhores condições para andarmos lá dentro mais àem praticamente todas as nossas vontade, porque este não tem condições.edições. Dizem os peritos que 2/3 dadespesa total da saúde vão paramedicamentos, exames e outros quetais e que apenas 1/3 diz respeito àsremunerações dos profissionais. Se O MELHOR E O PIOR DA QUINZENAassim é, torna-se perfeitamente evi-dente onde é que vai ser preciso cortar,doa a quem doer. É que na disponibi-lidade dos profissionais de saúde é quenão se pode cortar mais. E falo dedisponibilidade, porque é preciso tam-bém falar de eficiência e organizaçãoque permitam rentabilizar o mais po-ssível os recursos existentes.Mas, quando um concelho como VilaFranca tem 41 mil(!?) pessoas semmédico de família, ou um municípiocomo Arruda dos Vinhos tem cerca de10 mil pessoas sem médico de família,algo vai mal nas garantias básicas queum Estado tem obrigação de assegurarà sua população. Esperamos sincera-mente que não seja aqui que algumas“ilustres” cabeças venham a pensarcortar ainda mais. E esperamos tam-bém que as medidas radicais quemuitas vezes surgem nestes momentos Os números gerais da criminalidade tendem anão impliquem cortes cegos no paga- baixar, na região e no país. Mas dá-se um fenó-mento dos transportes de doentes ou Quando tanto se fala em falta de oportunidades e meno paralelo que está a crescer de formanas autorizações para a realização de de perspectivas e no desemprego e emigração de perigosa em várias zonas do território português eexames complementares de diagnósti- jovens valores em Portugal, eis que cerca de 300 contra o qual as autoridades têm dificuldade emco. Nunca nos esqueçamos que mi- jovens apresentam projectos ao concurso reagir. É a criminalidade cada vez mais organiza-lhões de portugueses vivem com nacional de jovens criativos. Os 60 me-lhores da e sofisticada. Disso mesmo é exemplo a formamuito baixos recursos e não têm meios estiveram expostos no Sobralinho. Esperemos como dois indivíduos conseguiram assaltar, usan-para procurar alternativas se o Serviço que a Mostra Nacional constitua também um do materiais explosivos, o balcão de Vialonga doNacional de Saúde lhes falhar ainda abrir de portas para ou-tros voos e para que as Santander Totta. Se esta actividade não for rapida-mais. mais diversas empresas apostem nestes jovens mente controlada, pode atingir dimensões muito talentos. complicadas. Jorge TalixaFicha técnica: Voz Ribatejana Quinzenário regional Sede da Redacção e Administração – Centro Comercial da Mina, Loja 3 Apartado 10040, 2600-126 Vila Franca de Xira Telefone geral – 263 281329 Correio Electrónico – vozribatejana@gmail.com director.vozribatejana@gmail.com redaccao.vozribatejana@gmail.com comercial.vozribatejana@gmail.com Proprietário e editor – JorgeHumberto Perdigoto Talixa - Director – Jorge Talixa (carteira prof. 2126) Redacção – Miguel António Rodrigues (carteira prof. 3351), Carla Ferreira (carteira prof. 2127), Paula Gadelha (carteiraprof. 9865) e Vasco Antão (carteira de colaborador 895) Paginação - António Dias Concessionário de Publicidade – PFM – Radiodifusão Lda. Área Administrativa e Comercial – Júlio Pereira (9388 50 664) e Afonso Braz (936645773)Registo de Imprensa na ERC: 125978 Depósito Legal nº: 320246/10 Impressão CIC – Centro de Impressão Coraze Tiragem – 5000 exemplares
  • 5. 05 INQUÉRITO VOZ RIBATEJANA A maioria (62%) dos participantes no inquérito 62% sim 25% N/S promovido no blog do Voz Ribatejana acha que a entrega da construção e da gestão do futuro hospi- 13% não tal de Vila Franca a privados não trará benefícios. Cerca de 25% tem opinião contrária. Os restantes 11 de Maio de 2011 12% tem dúvidas se a medida será benéfica ou não.VialongaAssaltantes rebentam caixa multibancoVialonga foi palco, na madrugada de dia 4, de um assalto invulgar ao balcão do SantanderTotta. Dois indivíduos usaram materiais explosivos para rebentarem com uma caixa multiban-co e com a portaria da agência e terão levado largas dezenas de milhares de euros. Será osegundo assalto com este aparato efectuado a um banco em Portugal.Jorge Talixa indivíduos em fuga, antes de dos das vidraças da agência entrarem num carro preto de bancária. O certo é que, ao queDois indivíduos, encapuçados, alta cilindrada em que tudo indica com o auxílio deassaltaram, na madrugada de seguiram em direcção a uma bateria de automóvel tam-dia 4, o balcão de Vialonga do Loures. Segundo referiu, os bém encontrada no local, terãoBanco Santander Totta, reco- dois assaltantes tinham gorros conseguido provocar umarrendo a uma forte carga explo- na cabeça e carregavam três grande explosão, que esti-siva para rebentar com a zona malas (gavetas?) metálicas. lhaçou praticamente todas asde entrada da agência e com a Uma patrulha da GNR, tam- vidraças e rebentou com acaixa multibanco. Os bém alertada, chegou ao local caixa multibanco (ver foto).assaltantes conseguiram Por razões tambémlevar as gavetas onde é ainda não esclarecidas,colocado o dinheiro da o sistema de videovi-caixa ATM, que tinha gilância do balcão nãosido carregada na terá captado imagensvéspera com cerca de do assalto. Segundo as200 mil euros. O mon- autoridades, depois detante do roubo não uma tentativa de vio-chegou a ser divulgado, lação de uma caixamas os prejuízos são multibanco através demuito elevados, porque meios explosivos, veri-a portaria envidraçada ficada há cerca de 1do banco também ficou ano em Setúbal, estecompletamente esti- será o segundo assaltolhaçada. A GNR ainda tentou cerca de 1 minuto depois da do género registado emperseguir os assaltantes e caso fuga e ainda encetou uma ten- Portugal. No caso de Setúbal, aestá, agora, a ser investigado tativa de perseguição e local- operação acabou por correrpela Unidade Nacional Contra- ização dos assaltantes, mas mal aos meliantes, porque aTerrorismo da Polícia sem êxito. De acordo com as explosão queimou as notas queJudiciária. autoridades, os assaltantes ali se encontravam. O gásO roubo deu-se cerca das 3h30 poderão ter colocado gás acetileno é uma substânciae uma testemunha, alertada acetileno numa ranhura da volátil usada, por exemplo, A caixa de multibanco ficou completamente esventradapelo seu cão, ainda viu os dois caixa multibanco e nos rebor- para soldar.Antigo secretário de junta de Cachoeiras condenado por peculatoO Tribunal de Vila Franca de Xira condenou, no dia 3, um antigo investigação da Judiciária que se seguiu concluiu que o arguido corrija a sua conduta”, salientou a juíza.secretário do executivo da Junta de Freguesia de Cachoeiras a 4 terá depositado dois dos cheques numa sua conta pessoal e levan- O antigo secretário foi, por isso, condenado, em cúmulo jurídico,anos e 9 meses de prisão pela prática de dois crimes de peculato tado o terceiro. Em julgamento, o antigo secretário não quis a uma pena de 4 anos e 9 meses declarada suspensa, a uma multacom responsabilidade especial pelo facto de os ter praticado no prestar declarações. de 120 dias e ao pagamento de 22 120 euros à autarquia, acresci-exercício de cargos políticos. O colectivo de juízes, presidido por Embora não tenha antecedentes criminais, o colectivo de juízes dos de juros. O tribunal considerou, ainda, que não existem fun-Manuela Pereira, decidiu, contudo, suspender a execução da pena realçou a gravidade da sua actuação e apontou-lhe mesmo “bai- damentos legais para que tenha que pagar uma indemnização porpor igual período. O arguido fica, no entanto, obrigado a pagar à xeza de carácter” por nunca ter devolvido à Junta um telemóvel e danos patrimoniais à Junta cachoeirense. O advogado de defesaJunta de Cachoeiras, num prazo de 18 meses, os 22 120 euros de uma pen que lhe haviam sido entregues enquanto exerceu funções chegou a alegar que os crimes em causa deveriam ser considera-que se terá alegadamente apropriado. Se não o fizer poderá ser de secretário. dos prescritos.obrigado a cumprir a pena de prisão a que foi condenado. “O arguido, para além de ter feito suas quantias tituladas pelosOs factos remontam já ao início da década passada, quando três cheques, já depois de ter apresentado renúncia ao mandato, deci-cheques destinados a pagar obras de construção de uma capela diu fazer seus bens que lhe tinham sido entregues pela Junta, uma ANA RODRIGUESmortuária não foram entregues à empresa empreiteira, como devi-am ter sido, pelo secretário da Junta. Foi já em 2009 que o presi- pen USB e um telemóvel”, sublinha o acórdão lido por Manuela Pereira, frisando que não manifestou o “mínimo arrependimento” 961 863 946dente da autarquia cachoeirense soube, junto do empreiteiro, que e que poderia perfeitamente ter ressarcido a autarquia ao longoestes valores de 22 120 euros nunca lhe tinham sido entregues. A dos anos que se seguiram. “Espero que faça uma auto-reflexão e R. Bento Jesus Limpezas gerais e domésticas | Escritórios, Caraça condomínios | Limpezas Lt. 43 Dto anos, foi mesmo detido e os restantes dois nhado em flagrante delito quando tentaria industriais e comerciais | Vila F. de Xira Alhandra entregues pela força policial aos seus extorquir 8000 euros a um empresário, na Gestão de condomínios progenitores. Entretanto prosseguem as zona do Forte da Casa. brunovieira-bv@live.com.pt respectivas investigações. Menores detidos por suspeita de Forte da Casa Póvoa de Santa Iria FORMIGUINHA DO ASSEIO Lda. roubos EMPRESA DE LIMPEZAS Detido por Detido com haxixe - Manutenção e pinturas - Três jovens, com idades compreendidas - Lavandaria - entre os 14 e os 16 anos, foram identifica- extorquir Elementos da Esquadra de Intervenção e - Engomadoria - dos pela PSP de Alhandra, por suspeita de Fiscalização Policial da Divisão de Vila - (recolhas e entregas grátis ao domicílo) - estarem ligados à prática de crimes de empresário Franca detiveram, no dia 27, na Póvoa, Rua José Ferreira Tarré nº 7 Loja 1 roubo nas imediações de uma escola Um homem de 31 anos foi detido, pela um individuo de 27 anos que tinha na sua ALVERCA local. O mais velho, porque já tem 16 PSP, no passado dia 28, por ter sido apa- posse cerca de 14 gramas de haxixe. Tel: 219 577 809 - 916 438 041 formiguinhadoasseio@hotmail.com
  • 6. 06 “ SOCIEDADE voz ribatejana #12Vila Franca de XiraMP pede condenação de 3 ex-dirigentesAdvogados de defesa reclamam arquivamento de processo contra antigos dirigentes doVilafranquense, porque há um novo acordo de pagamento com as Finanças.Jorge Talixa que o clube vai ter que pagar da direcção ter saído e que, na foi, assim, reduzida para cerca sequência da inspecção dasO Ministério Público (MP) de 478 mil euros. Finanças, se começou a aplicarpediu, no dia 3, a condenação O procurador da república tem um princípio de “in dubio prode dois ex-presidentes e de um uma opinião diferente, entende IVA”, que não existe na justiçaantigo tesoureiro da União que este acordo não anula a portuguesa e que terá levado aDesportiva Vilafranquense existência da dívida e defendeu que todos os valores deposita-pela prática de crimes de abuso a condenação dos ex-presi- dos para os quais não foi apre-de confiança fiscal e defendeu dentes Eurico Cid e António sentada justificação em 2003a absolvição dos restantes dois Machado Lourenço e do ex- fossem sujeitos a IVA.arguidos e do clube. Já os tesoureiro Manuel Augusto. António Cabaço, advogado deadvogados de defesa reclamam “Na nossa perspectiva só se Eurico Cid, pronunciou-se noo arquivamento do processo, apuraram responsabilidades de mesmo sentido, frisando que otendo em conta que o clube âmbito criminal nestes casos”, seu cliente, quando é notifica-recebeu, no final de Maio, uma acrescentou, referindo que não do destas situações, em 2007,comunicação da Direcção- se justifica qualquer pena de “já não tem qualquer poder naGeral de Contribuições e prisão efectiva, mas uma pena UDV e não é ele que deve, é aImpostos que confirma a “adequada ao comportamento UDV. Como é que pode obri-aprovação de um novo plano de cada um”. Defendeu, tam- gar o clube a pagar?”, interro-de pagamento das dívidas fis- bém, a absolvição de José ga-se, sublinhando que emcais da UDV ao longo dos Casquinha e Ana Câncio. 1999 a contabilidade dizia apróximos 10 anos. “Só em 2003, volvidos 3 anos, Eurico Cid que não havia qual-Luís Santos, advogado do na sequência de uma acção quer IVA a pagar e que até dev- Tribunal de Vila Francaclube, começou por requerer inspectiva, é que se apurou eria haver reembolsos de IVA de Xiraisso mesmo, mas o colectivo de que, afinal, a UDV não era cre- para receber. “Nunca ninguémjuízes observou que essa é uma dora, mas sim devedora. Mas, lhe disse: há x de IVA para conhecimento que estavam em Os advogados de Ana Câncio e vas entregues em 2004 estãoquestão a abordar em fase pos- em 2003, quando essa cons- pagar”, sustentou. dívida impostos de trimestres José Casquinha subscreveram correctas e que o seu clienteterior do processo. Alegou o tatação é feita, o senhor Eurico Ana Miragaia, advogada que de 1999 e de 2001. Nunca essa a tese de que os seus constitu- nunca assinou nenhuma decla-causídico de Vila Franca que, Cid já não era dirigente do representa António Machado informação lhe foi dada”, afi- intes devem ser absolvidos, ração de IVA. “Vêem acusadosnestas condições, a UDV tem a clube, não podia praticar já Lourenço, salientou que o se ançou a causídica, vincando porque nunca tiveram conheci- de, em 2002/2003, teremsua situação regularizada pe- nenhum acto em representação cliente não tinha qualquer que essas dívidas só surgiram mento de qualquer dívida de cometido um crime, mas nessarante o fisco e o processo deve do clube”, sublinhou Luís intervenção nas questões con- já depois da saída de Machado IVA. No mesmo sentido alegou altura não havia crime, a UDVser arquivado. Adiantou que a Santos nas suas alegações, tabilísticas enquanto foi presi- Lourenço da direcção, quando o representante de Manuel era credora”, rematou. A leituraDGCI aceitou um pedido de frisando que a “obrigação” de dente. “É mentira que António foram entregues declarações de Augusto, frisando que nem se da sentença está marcada pararedução de juros e que a dívida pagar IVA surgiu 3 anos depois Machado Lourenço tivesse substituição. sabe se as declarações correcti- 6 de Junho. Castanheira do Ribatejo Bombeiros inauguram ampliação no dia 28 A Associação de Bombeiros Voluntários de Vila Franca de Xira inaugura, no próximo dia 28, Atraso da plataforma as obras de ampliação do quartel, que vão permitir gerir de uma forma mais desafogada as áreas de parqueamento de viaturas e de apoio ao corpo activo. No mesmo dia haverá sessão solene e a inauguração de uma nova viatura. logística preocupa Junta As comemorações do 129º aniversário da corporação vila-franquense arrancaram no dia 1 e incluem, já no próximo domingo, um convívio de futsal entre bombeiros e corpos sociais e um baile. No dia 21 realiza-se um jantar de solidariedade a favor da população mais carenciada da O atraso na construção da Plataforma Logística da Castanheira do Ribatejo, a alegada suspen- freguesia, com a colaboração da associação Companheiros da Noite. O programa comemora- são dos trabalhos e a demora na reparação das estradas afectadas, estão a gerar preocupação tivo prossegue, nos dias 22 e 29, com mais dois bailes e culmina a 4 de Junho com uma manhã na Junta de Freguesia local. António Ventura Reis, presidente da autarquia, colocou o assunto infantil que integra actividades de interacção entre bombeiros e crianças e gincana infantil. na última Assembleia Municipal, lembrando que o empreendimento foi anunciado como poten- cialmente criador de muitos postos de trabalho, mas, “infelizmente, até à data, não é isso que acontece”, vincou. O eleito da CDU afirmou que, naquele momento (26 de Abril) não existia nenhum estaleiro de obra e estavam a trabalhar apenas uma máquina e duas pessoas. “A plataforma não está a cumprir os seus objectivos. As estradas e caminhos municipais estão completamente degrada- dos. Sempre me transmitiram que era a empresa da plataforma que arranjaria as estradas. Foram-se embora e ficámos com os buracos”, criticou, solicitando à Câmara que exija respon- sabilidades aos promotores da plataforma logística. Maria da Luz Rosinha estranhou o cenário descrito por Ventura Reis, garantindo que a Câmara não tinha qualquer informação sobre alguma desactivação da obra. “A informação que temos e estamos a analisar, é uma proposta para a construção da primeira nave e do negócio para insta- lação de uma empresa de grandes dimensão no local”, salientou a presidente da edilidade que, minutos depois, leu aos eleitos da assembleia um SMS de resposta que recebeu do administrador da Abertis em Portugal. Na comunicação, Pedro Santana assegura que os trabalhos de con- strução da plataforma e dos acessos seguem um curso absolutamente normal. Alberto Mesquita, vice-presidente da Câmara com responsabilidades no urbanismo, acrescen- tou que tem a informação que as obras de infra-estruturação estão concluídas e vai avançar, agora, a construção da primeira nave. Sobre o estado das vias, o edil prometeu voltar a contac- tar o engenheiro da Abertis responsável pela matéria, para que a empresa cumpra as reparações estipuladas. “Acredito, no entanto, que as reparações de fundo não se devem fazer agora, porque poderia ser um trabalho que viesse a ser prejudicado pelo desenvolvimento das obras da plataforma. A reparação da rede viária é uma exigência que vamos tentar resolver o mais depressa possível”, prometeu. J.T.
  • 7. 08 A III Mostra de Teatro de Alhandra arranca, às 21h30 do próximo dia 21, com a peça “Os Outros”, de Jaime S. Sampaio, nas instalações da CURPIFA (Comissão Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos). Uma ence- nação do Cegada Grupo de Teatro, inserida nesta iniciati- va da Junta de Freguesia de Alhandra, com espectáculos agendados também para 28 de Maio e 18 de Junho. voz ribatejana #12Vila Franca de XiraRecuperaxira aposta no profissionalismoe na relação de confiança com o utente Ana Lúcia no espaço para crianças Com uma área de cerca de 700 metros quadrados no Edifício Planície, junto às conservatórias de Registo Civil e Predial, a Graça Castanhas mostra a Recuperaxira desenvolveu um projecto único em Vila Franca, com serviços de medicina física e de saúde e bem-estar. cápsula de tratamentos do Tem um acesso discreto que dades e estava à venda. ssionais”, sublinha, frisando mental para o sucesso da clíni- espaço de saúde e bem-estar quase passa despercebido, mas Decidiu empenhar-se a fundo que um dos segredos da casa é ca. em pleno centro de Vila Franca no projecto e, passados dois mesmo essa dedicação. Ana Lúcia acrescenta que se de Xira, no coração do anos, admite que há dificul- Graça Castanhas é disso exem- nota que as pessoas estão cada Edifício Planície, funciona dades, momentos melhores e plo. Trabalha na Recuperaxira vez mais atentas a este tipo deSaúde e bem-estar uma clínica de medicina física que tem condições únicas na piores, mas que o balanço é muito positivo e que com quase desde início e é hoje a responsável pelo seu funciona- problemas e que acabam, por vezes, por fazer tratamentoscom condições únicas região. Com 25 boxes de trata- mento, 22 profissionais e um “força de vontade” e muita dedicação dos funcionários mento geral. Salienta que uma das preocupações é organizar o que sabem que são importantes para prevenir e evitar situações ginásio com 62 metros quadra- tem valido muito a pena a serviço de modo a que as pe- mais graves.O espaço de saúde e bem-estar da Recuperaxira dispõe de dos, a Recuperaxira atende aposta que fez na empresa. ssoas tenham pouco tempo deuma cápsula para tratamentos com água que permite fazer diariamente cerca de 480 “A medicina física era algo espera e saibam a que horas Novas regras de transporteduches de vichy, hidromassagem, sauna, banhos turcos e utentes e resolveu, nos últimos completamente novo para terão o tratamento concluído. complicamoutro tipo de tratamentos corporais de relaxamento. Esta meses, dar mais um passo na mim, mas foi uma opção que As 25 boxes e os 22 profi-nova aposta da empresa numa área com características de sua actividade, com a criação fizemos, algo de que gostáva- ssionais permitem definir No início deste ano entraramspa surgiu principalmente porque os utentes já diziam fre- de um espaço de saúde e bem- mos realmente e talvez tam- horários com os utentes e rece- em vigor novas regras de apoioquentemente que fazia falta um espaço onde pudessem fazer estar. Nesta área com carac- bém pelo esforço que sen- bê-los rapidamente, quase sem do Ministério da Saúde aouma massagem, em que pudessem relaxar depois de um dia terísticas de spa é possível ter tíamos que se mantinha para tempos de espera. transporte de doentes, quede trabalho ou de tratamentos de recuperação. O investi- acesso aos mais variados trata- ter esta casa a funcionar”, Na área de medicina física, a exigem autorização dasmento foi muito significativo, mas Ana Lúcia Ferreira da mentos de estética e de bem- recorda a proprietária da clínica faz todo o tipo de trata- direcções dos centros de saúdeSilva sustenta que “com muita força de vontade as coisas estar e, inclusivamente, a trata- empresa, em declarações ao mentos de recuperação para para casos de transporte emsão sempre possíveis” e que esta vertente do projecto tam- mentos habitualmente Voz Ribatejana, lembrando pessoas que sofreram AVC ambulância. No início issobém “está a corresponder às expectativas”. disponíveis apenas em com- que na primeira reunião mais (acidentes vasculares cere- gerou alguma quebra, mas foiPrimeiro foram pessoas de uma camada etária um pouco plexos termais. alargada em que juntou todos brais), operações, paralisias possível sensibilizar osmais elevada, habituadas a frequentar termas, que descobri- A Recuperaxira nasceu há os funcionários lhes disse que faciais, fracturas ou outros responsáveis para as situaçõesram que já podiam fazer o mesmo tipo de tratamentos de cerca de 19 anos na Rua Noel “isto era um barco, que eu problemas de mobilidade. em que esse tipo de transportehidromassagem e de duche de vichy em Vila Franca, sem Perdigão. Cinco anos depois gostava de remar e que Dispõe, também, de uma área é mesmo necessário e em queprecisarem de sair da sua área de residência, nem de procu- transferiu a sua actividade para remássemos todos juntos para para crianças e de tratamentos as pessoas têm limitações físi-rarem alojamento em hotel. Depois tem crescido a afluência o Edifício Planície entretanto levar este barco adiante”. para a paralisia cerebral. cas que não lhes permitemde pessoas mais novas que procuram tratamentos a nível da construído naquela área da Uma das primeiras medidas foi “Abrange muita coisa, mas recorrer aos transportes públi-estética. “A água é outra vertente da estética que a camada cidade, onde ocupou um renovar as instalações dando- acaba por ser tudo para recu- cos. “Houve essa sensibilidademais jovem também procura, para ter um corpo mais apre- espaço muito amplo corres- lhes um ar mais moderno. peração total ou para e os médicos e os directoressentável, para se sentir bem. Há diversas junções de trata- pondente às lojas 101 e 115 da Depois, foi melhorar a organi- manutenção da situação que a dos centros de saúde percebe-mentos que se podem fazer, tanto de bem-estar como de Rua do Curado. Ana Lúcia zação para ir mais de encontro pessoa tem”, refere, frisando ram que é mesmo necessário”,estética. As pessoas muitas vezes não têm tempo de ir para Ferreira da Silva recorreu às necessidades dos utentes. que um dos grandes meios de referem.fora e, agora, já podem fazer esse tipo de tratamentos em algumas vezes aos serviços da “Acho que a grande virtude e divulgação é mesmo o passa- Ana Lúcia Ferreira da Silva eVila Franca”, sublinha Graça Castanhas, frisando que o Recuperaxira e, há pouco mais uma das coisas em que apostei palavra entre pessoas que fre- Graça Castanhas acreditam,espaço de saúde e bem-estar dispõe de um leque variado de de dois anos, deu-se uma coin- sempre na Recuperaxira, e que quentam a Recuperaxira, também, que a curto prazoserviços, funciona sobretudo em horário pós-laboral e está cidência feliz: pretendia inves- eles já tinham, é realmente o gostam e aconselham outras também será possível melho-também aberto aos sábados de manhã. A clínica de medici- tir num negócio nesta área e profissionalismo. O profi- pessoas. Desenvolve-se, rar as condições de estaciona-na física funciona de segunda a sexta das 8h00 às 20h00. soube que a Recuperaxira ssionalismo que já existia. assim, uma relação de confi- mento e de paragem das atravessava algumas dificul- Temos aqui grandes profi- ança que consideram funda- ambulâncias.
  • 8. Quercus e Junta +Região de Alverca também - número 2 - ano 1 - 11 de Maio de contestam Ribatejana 2011 - publicação trimestral - direc- tor Jorge Talixa - subdirector Paulo Ferreira de Melo - distribuição gratuita pedreira e aterro pág. 12 Investimento de 3 milhões em Vila FrancaNão pode ser vendido separadamente do Voz Ribatejana nº12 de 11 de Maio de 2011 Hotel Rural da Boiça abre no Verão pág. 2
  • 9. 02+ CERTAMES +Região Ribatejana #2Vila Franca de Xira Comentário TurismoTerra Lazer tenta mostrar de Vila Francao melhor do Ribatejo adormecidoO Terra Lazer – Ribatejo, organizado pelo Plaza Ribeiro Telles, juntou, durante dois dias,alguns dos principais agentes turísticos da região. O Município de Vila Franca de Xira, a exemplo dos de Município de Coruche apos- Benavente e de Coruche, tam- tou, por isso, no lançamento ou renovação de um leque Primeiro hotel rural do bém se fez representar neste Terra Lazer, com um painel e alargado de iniciativas que incluem jornadas anuais de concelho de Vila Franca a disponibilização de alguma informação sobre os seus gastronomia, o evento Sabores do Toiro Bravo (15 mil visi- abre no Verão eventos. Mas comparando com a forma como aqueles tantes), a Feira Internacional dois municípios da margem da Cortiça, as Festas da O Hotel Rural da Boiça, empreendimento da Boiçatur, está esquerda do Tejo procuram Senhora do Castelo, os Sons em fase final de construção e deverá ser inaugurado já no promover as suas potenciali- do Parque, uma prova próximo Verão. Trata-se do primeiro hotel rural do conce- dades, Vila Franca tem uma nacional de BTT, provas inter- lho de Vila Franca de Xira, num investimento de cerca de 3 prestação bastante apagada. nacionais de pesca desportiva milhões de euros do empresário Armando Gama. João Quando ouvíamos a excelente e a Semana da Juventude. Branco, responsável técnico pelo hotel, descreveu o proje- apresentação da autarquia de As propostas do turismo cto na sessão de abertura deste Terra Lazer. Coruche, alguns dos pre- coruchense passam, ainda, Segundo referiu, o empreendimento procura responder a sentes comentavam: e então pelo balonismo, pelo sky uma necessidade das empresas e da região e aposta numa Vila Franca, por que é que aquático, pelo artesanato, boa localização, nos arredores da cidade de Vila Franca, que não faz isto ou algo seme- pelos materiais ligados à cor- alia a tranquilidade a uma belíssima vista sobre a Lezíria e lhante? De facto o município tiça, pelas corridas de toiros. E o Tejo. Trata-se de uma unidade de charme com 4 estrelas, vila-franquense tem dimen- a promoção destas possibili- que integra 21 quartos duplos, 6 quartos triplos (suites), são, tem boa localização dades tem sido feita em restaurante vocacionado para a cozinha tradicional por- geográfica e tem inúmeras Madalena Ribeiro Telles tuguesa, esplanada panorâmica, bar, spa, ginásio, solário inúmeros certames do ter- potencialidades para tentar na abertura do encontro natural e zonas ajardinadas. O projecto desenvolveu, tam- ritório nacional, Espanha e explorar um pouco mais a França. Ao mesmo tempo foi bém, parcerias com o Centro Hípico das Cachoeiras, com a vertente turística. Mas seJorge Talixa mais profunda. É isso que pre- Acqua Lisboa Gestão de Spa’s e com a Escola Superior de lançado, recentemente, portal olharmos para o calendário tendemos”, frisou Madalena Hotelaria e Turismo do Estoril. Também por isso, o quadro na Internet vocacionado para de eventos de 2011 ali dis-Pelo segundo ano consecuti- Ribeiro Telles, salientando de pessoal do Hotel Rural da Boiça já está definido e 75% promover a oferta turística do tribuído ele quase se resumevo, Madalena Ribeiro Telles e que alguém lhe disse que o dos funcionários têm licenciatura em turismo e hotelaria. concelho. “É uma ideia ino- ao Colete Encarnado, à Feirao seu centro de eventos Plaza balanço do sucesso de um vadora. Aquilo que fazemos de Outubro e a algumas boasRibeiro Telles tentaram con- evento só deve ser feito ao fim também existe noutros conce- A gravação da telenovela da afluem a Coruche autocarros iniciativas desportivas. Aotribuir para divulgar o melhor de quatro edições e prome- lhos da região. O que quere- TVI “Espírito Indomável” no de visitantes que querem co- longo dos anos têm desapare-que se faz no Ribatejo em tendo repetir o Terra Lazer mos dizer é que fazemos de concelho de Coruche foi uma nhecer os cenários da teleno- cido eventos, que nalgunstodos os sentidos. A adesão ao pelo menos por quatro vezes. forma diferente e que nos das últimas apostas. Segundo vela e acabam, também, por casos até poderiam estar2º. Encontro Terra Lazer – “Sintam-se em casa, sintam-se empenhamos”, salientou a Célia Ramalho, devido à nov- descobrir as múltiplas facetas esgotados, mas que nãoRibatejo ficou um pouco bem”, acrescentou, agradecen- edil. ela, todos os fins-de-semana do concelho. foram bem substituídos, comaquém das expectativas, mas o do todas as presenças, desde prejuízo para o concelho,certame não deixa de con- os expositores aos produtores para a cidade sede e para asseguir concretizar um dos seus de produtos apresentados suas actividades económicas.objectivos principais, que é durante o certame. Curiosamente, logo nojuntar agentes turísticos ri- Seguiu-se uma fase de apre- domingo, a exposição de ca-batejanos no mesmo espaço e sentação de agentes económi- rros clássicos organizada compô-los a dialogar sobre a me- cos da região, que começou altruísmo por Hipólitolhor forma de colaborarem com o projecto “pelana- Cabaço e Jorge Alexandre,entre si. Madalena Ribeiro tureza.pt”, uma iniciativa de trouxe a Vila Franca algumasTelles não deixou, contudo, de jovens da Chamusca lançada centenas de pessoas. Aslamentar que a Turismo de em 2008 que pretende divul- autarquias locais, por razõesLisboa e Vale do Tejo tenha gar bons exemplos de relação de contenção, reduziram aodecidido reunir agentes turísti- com o ambiente. O projecto mínimo o seu apoio. Ainda nocos da região, na segunda- evoluiu, mais recentemente, domingo, a corrida de toirosfeira, em Santarém, quando para uma loja on-line e já organizada pela Taurolevepoderia perfeitamente ter pro- alcançou uma média de 43 mil levou milhares de pessoas àmovido esse encontro durante visitas no site por mês. Palha Blanco, mas a activi-o Terra Lazer. dade da praça e os seus 110A sessão de abertura ficou Coruche Inspira anos, celebrados emmarcada pelas apresentações Setembro próximo, nemdos projectos “Coruche Célia Ramalho, vereadora da sequer são referidos no mate-Inspira” e do Hotel Rural da Câmara de Coruche, apresen- rial promocional do TurismoBoiça, o primeiro empreendi- tou, de forma circunstanciada, Vila-franquense.mento deste género no conce- o projecto de dinamização Dir-me-ão que o importantelho de Vila Franca de Xira, turística “Coruche Inspira”, projecto de remodelação doque deverá entrar em fun- lançado há 3 anos com o Pavilhão do Cevadeirocionamento já no próximo objectivo de levar muitos mais obrigou a alguma redução deVerão (ver caixa). visitantes à vila e ao concelho. actividades este ano e que“Não foi fácil continuar este Com 1114 quilómetros tudo vai mudar com o novoano. O nosso trabalho foi quadrados, este que é o déci- pavilhão. Esperemos todosárduo, contactámos muitíssi- mo maior município do País que sim!ma gente. Para mim este even- oferece uma multiplicidade deto faz sentido, dar a conhecer ofertas de paisagens, tradições O município de Benavente apresentou os certames e alguns empreendimentos locais como o La Varzea Jorge Talixao Ribatejo de uma maneira e oportunidades de lazer. O
  • 10. “Os contributos das organizações de cidade no combate à pobreza e à exclusão social” é o tema do encontro internacional que a Junta de Freguesia e a Câmara de Vila Franca de Xira organizam, hoje (11) à noite, no auditório da 03 junta. Participam vários investigadores univer- sitários internacionais e responsáveis da rede11 de Maio de 2011 social e das instituições de Vila Franca de Xira. CAP não vêSantarém capta vantagens na privatização dafeiras a Lisboa Companhia dasAs condições e a localização do Centro Nacional deExposições e Mercados Agrícola de Santarém estão a levarvários promotores a equacionarem a mudança para a capi- Lezíriastal ribatejana de certames tradicionalmente realizados emLisboa. LocalizaçãoJorge Talixa várias outras realizações que beneficia CNEMA A Confederação Agricultores de Portugal dos Situada paredes-meias com o espaço previsto para o futuro se podem fazer aqui. (CAP) não vê qualquer van- aeroporto internacional deO Centro Nacional de Praticamos preços bastante tagem na privatização da Lisboa, a CL pode tornar-seExposições e Mercados mais baratos do que Lisboa e Companhia das Lezírias, a ainda mais apetecível para aAgrícolas (CNEMA) de outros sítios e Santarém tem a grande empresa agrícola do promoção de áreas habita-Santarém está a ser cada vezmais procurado por promo- grande vantagem de ser o centro do País em termos de Floresta em foco Estado, com perto de 20 mil hectares de terras que se esten- cionais ou de logística. Os últi- mos governos do PS afir-tores de certames tradicional- comunicações”, vincou Luís dem pelos municípios de maram-se sempre contra qual-mente baseados na GrandeLisboa, segundo garantiu o Mira, referindo que a princi- pal desvantagem de Santarém em feira com Benavente, Vila Franca de Xira e Salvaterra de Magos. Mas, no quer privatização Companhia das Lezírias. daadministrador Luís Mira,frisando que há várias situ- e a da falta de camas. “Um maior número de camas contenção entender da CAP, uma eventu- al concessão da exploração da Anteriores executivos sociais- democratas chegaram a pro-ações em negociação que permitiria outro tipo de ini- Companhia das Lezírias (CL) mover alguns estudos parapoderão levar à realização na ciativas de grandes empresas, poderá ser vantajosa, permitin- avaliar as vantagens e desvan- A floresta e a sua importância económica e socialcapital ribatejana de iniciati- por exemplo. O que existe do dar mais dinâmica e eficiên- tagens dessa possibilidade. vão estar em foco na 48ª. Feira Nacional davas até aqui fixadas em nesta área é curto. Tendo o cia à empresa, desde que Certo é que grande parte dos Agricultura (FNA), que se realiza de 4 a 12 deLisboa e nas instalações da nosso auditório capacidade fiquem claramente definidas terrenos da CL estão já na Junho, no CNEMA. O certame cresceu nos últimosFIL. O responsável do para 1200 pessoas, não há algumas “balizas” que Zona de Protecção Especial do três anos e atingiu uma média de 160 mil visitantes.CNEMA disse, durante a aqui 1200 camas, nem impeçam um uso demasiado Estuário do Tejo e classifica- Este ano, a administração do CNEMA regista umaapresentação da edição 2011 metade. Disponíveis em intensivo de algumas das dos como áreas de vocação procura de expositores muito semelhante à dos anosda Feira Nacional da Santarém e nos concelhos valências da CL. agrícola nos planos directores anteriores, mas, prevendo uma redução da afluên-Agricultura, que este ano tem envolventes serão à volta de Nos últimos 20 anos fala-se municipais. cia de pessoas, optou por reduzir os custos em 15 acorrido bastante bem para o 300. É uma limitação que ciclicamente na privatização Luís Mira acha que a 18%.Cnema e que só a falta de alo- temos vindo a sentir”, reco- da CL e algumas avaliações do Companhia das Lezírias “O tema central da feira será a floresta, inserido nojamento hoteleiro na região nhece o responsável do património global da empresa poderá ter é outra linha de ori- Ano Internacional da Floresta. Vamos ter algumasribatejana tem dificultado a CNEMA, empresa que tem agrícola sedeada em Samora entação e que o lançamento de alterações, desde logo ao nível do programa de se-captação de alguns eventos. como principais accionistas a Correia atingiram números na um concurso para a concessão minários. Vamos ter mais seminários do que no ano“Temos várias situações em CAP (maioritária) e a Câmara ordem dos 100 a 150 milhões da sua exploração poderá ser anterior, sobre temas como a Política Agrícolacima da mesa de eventos e de de Santarém (cerca de 20%). de euros. É que, para além das uma boa medida. “O Estado Comum, os novos agricultores, a floresta, o monta- do de sobro e a cortiça e o futuro da PAC”, explicou enormes extensões de terra, a não perderia a sua capacidade e Luís Mira, frisando que está prevista a presença de Companhia das Lezírias po- o seu peso naquele património. deputados europeus no debate sobre a reforma da ssui, ainda, importantes áreas Nos momentos que o País PAC. edificadas e edificáveis, nos atravessa há muita coisa que Depois, referiu, a FNA pretende manter toda a sua centros das cidades de Vila tem que ser reflectida”, susten- vertente agrícola e nunca descurar a sua génese, Franca de Xira e de Samora ta. mas abrir-se também a outros públicos e, para isso, Correia. Mas, na opinião do secretário- vai apresentar pela primeira vez concursos de quei- Luís Mira, secretário-geral da geral da CAP, uma eventual jos e enchidos, para além dos salões nacionais da CAP, disse, ao Voz Ribatejana, concessão teria que ter regras alimentação e do azeite, do Festival Nacional do que eventuais objectivos do muito claras, “porque estas Vinho e do “º. Concurso Nacional do Mel. Novidade FMI no domínio das privatiza- concessões também podem será, também, o Salão “Prazer de Provar”, uma ções visarão reduzir custos do levar a uma exploração mais forma dos produtores darem a conhecer os seus pro- Estado e serão dirigidos a intensiva e teria que se definir dutos a visitantes e consumidores. Haverá, ainda, empresas deficitárias, o que bem como era”. apresentações de cozinha e provas de vinhos. não é o caso da CL, que apre- Reconhecendo que qualquer A exemplo do que já sucedeu em 2010, a Feira senta lucros há mais de 10 anos faixa, por muito pequena que Empresarial da Região de Santarém realiza-se em consecutivos. “Qualquer situ- seja, que se tire ao actual paralelo com a Feira Nacional da Agricultura. ação de privatização teria que património da CL e se transfira Segundo Luís Mira, a maquinaria terá, este ano, ser numas condições muito para outro tipo de actividade uma presença ainda mais forte. Ao nível da ani- especiais e é difícil ver a priva- gerará logo uma grande mais- mação haverá espectáculos com Rui Veloso (4 de tização da Companhia das valia financeira, Luís Mira Junho), Camané (8), Deolinda (9), Pedro Lezírias sem que o comprador acha que não é isso que intere- Abrunhosa (10) e Xutos e Pontapés (11). No que diz não tenha outras tentações ssa a Portugal. Defende, assim, respeito aos bilhetes, mantiveram-se os preços, mas como a questão imobiliária e que a concessão seria uma o CNEMA promete algumas promoções. outras”, sublinha o dirigente da hipótese com pernas para “A Feira nos últimos 3 anos tem vindo a crescer de CAP. “Acho que o Estado deve andar, sem alterar a vocação uma forma consistente”, prossegue, frisando que o manter a CL, não vejo nenhu- agrícola dos espaços da empre- crescente interesse dos expositores é também um ma necessidade de privatizar. sa. “Se a entregarem aos sinal de que fazem negócio. Também por isso, a Talvez pudesse ter era uma uti- agricultores ficará bem FNA terá este ano a nave A muito vocacionada para lização diferente, mais na linha entregue. Há claramente em a venda directa de produtos. “È uma vertente que se do que interessa ao sector e às Portugal grupos com capaci- tem vindo a consolidar e que queremos aprofun- organizações de agricultores, dade para assumir essa dar”, concluiu. porque hoje é uma exploração gestão”, conclui. como outra qualquer”, prossegue. Jorge Talixa
  • 11. 04 +Região Ribatejana #2AzambujaFeira de Maio aposta em concursode cavalos em ano de contençãoMesmo com uma redução de 40% no orçamento, a Feira de Maiode Azambuja promete cinco dias de muita animação. Sem ahabitual corrida de toiros devido às obras de requalificação daPraça de Toiros, a aposta num concurso de cavalos de PuroSangue Lusitano, onde será atribuído um troféu com o nome dofalecido ganadero Ortigão Costa, poderá atenuar a ausência deum espectáculo que desde sempre marcou a Feira de Maio.Miguel António Rodrigues rodarão entre si, pelo largo do município e pelas restantes ruasA vila de Azambuja está a da vila. Em paralelo a toda estapreparar-se para mais uma animação, o fado vadio invadeedição da centenária Feira de as tertúlias e o Largo da Fonte deMaio. O certame, que este ano Santo António, onde todos,acontece sob influência da crise, desde que tenham fôlego e gar-abre as portas a 26 de Maio e ganta, poderão participar.decorre até ao dia 30. As No sábado, o dia dedicado aorestrições orçamentais poderão Cavalo decorre desde o início dacondicionar os eventos, mas a manhã com o habitual raid hípi-aficcion azambujense está co e, de tarde, mais uma largadapreparada para mais cinco dias de toiros nas ruas da vila. Mais àde festa. A prova é o ambiente noite, no Pátio do Valverde,que já se respira nesta vila ri- decorrerá o habitual espectáculobatejana. As tronqueiras já equestre, este ano intituladocomeçaram a ser montadas e as “Lusitânia”. O domingo é mar-cerca de duas dezenas de cado pelo dia dedicado aotertúlias começam a abrir as por- Campino. Este ano, o campinotas para a limpeza geral. Aliás, homenageado é Luís Manuel daos “tertulianos aficcionados” Silva Guerreiro, que receberá ofazem tudo para ter a casa limpa pampilho de honra com o nomee arranjada para as inúmeras ini- de Amadeu Valada da Silva,ciativas que ali irão decorrer. mais conhecido por “Casca A Feira de Maio deste anoFado vadio, patuscadas e muita d’Alho”. não tem corridas de tourosanimação, espera-se de tudo nas A homenagem decorrerá pelatertúlias azambujenses, que manhã na praça do município,estão a postos também para rece- seguindo-se mais uma largadaber os forasteiros, com de toiros que decorrerá até perto Azambu jasardinhas, pão e vinho, o que já das 13 horas. em fest ad 26 a 30 eé uma imagem de marca da Feira De tarde o destaque vai para ode Maio. Troféu Ortigão Costa. UmaO certame abre a 26 de Maio homenagem ao ganadero e decom a habitual espera de toirosnas ruas da vila. Algo que vai empresário azambujense que faleceu este ano. O troféu será Maioacontecer durante todos os dias atribuído ao concurso de modelode festa. Enquanto isso, no e andamentos destinado aocampo da feira, dá-se a abertura Cavalo Puro Lusitano. Este ano,dos pavilhões das actividades também não haverá o habitualeconómicas e do artesanato, queestiveram em risco este ano de- torneio de Horseball. Em causa, mais uma vez, os custos da ini- Maio é Mês da Sardinha assada, pão evido às restrições orçamentais.Na sexta-feira, dá-se a abertura ciativa. A segunda-feira, último dia da vinho não vão faltar Culturaoficial do certame, na praça do festa, será dedicada às crianças, Tauromáquicamunicípio, seguindo-se umpériplo pelas ruas da vila emdirecção ao campo da feira paraa inauguração dos pavilhões. Às com espectáculos equestres des- tinados aos mais pequenos, pela manhã. De tarde a autarquia entregará os prémios aos conco- Espectáculos Em paralelo à Feira de Maio decorre durante todo o mêsdez da noite, a vila vive mais um rrentes do habitual concurso das mais uma edição do Mês da Cultura Tauromáquica. Paramomento de pura aficcion com montras, fachadas, janelas, lar- Já se sabe que a autarquia teve de poupar em alguns espe- além da dança e artes plásticas com duas mostras para apre-mais uma largada de toiros, a gos e ruas ornamentadas com ctáculos musicais. A câmara deixou cair o espectáculo no ciar nos locais habituais da vila, o Jardim Urbano e aabertura das tasquinhas praça motivos alusivos à festa brava. largo da câmara na madrugada de sexta-feira, mas a ani- Galeria Municipal. O Jardim Urbano da vila contará comdas freguesias e os bailes e ani- Segue-se pelas 6 da tarde a últi- mação não vai faltar, até porque as bandinhas de animação trabalhos de arte pública intitulados “Eh Toiro Lindo!”.mação musical após a largada de ma largada de toiros do ano e um de rua contratadas para animar Azambuja irão rodar entre E nas paredes da Galeria da Biblioteca Municipal poderãotoiros. Em paralelo, são assadas fogo-de-artifício pela meia- si para animarem, à vez, a Praça do Município. ser vistos trabalhos de uma exposição colectiva de pinturasardinhas, que são distribuídas à noite, a assinalar o fim das fes- Todavia, a câmara promete emoções musicais fortes. Este “Cumplicidades”. Já no Museu Municipal Sebastião Mateuspopulação de forma gratuita, tividades anuais de Azambuja. ano apostará no fadista Marco Rodrigues, que vai actuar na Arenque, a organização volta a apostar emacompanhadas de pão e vinho da Será certamente um certame quinta-feira e no sábado seguinte, 28 de Maio, actuarão os “Musealogando”, uma iniciativa que promete muita conver-região. com algumas restrições, até “Deolinda” no palco do campo da feira. sa e convívio. No dia 12 debate-se “Onde pára o fadoEste ano, devido às restrições porque este ano a Feira de Maio A juntar à música estarão também as tasquinhas presentes vadio?” e no dia 19 o tema será “Azambuja engalanada”.financeiras, a autarquia não pro- terá menos 250 mil euros para na Praça das Freguesias, que apresenta pratos para todos os Para além de várias outras iniciativas relativas à tauro-moverá o habitual concerto gastar. São cerca de 40 por cento gostos. Para além da comida, as freguesias representadas na maquia, inclusive com a participação da Escola de Toureiomusical no largo da câmara. Em a menos no orçamento geral do Praça das Freguesias terão ainda a seu cargo a animação de Azambuja, há que destacar igualmente, no dia 25, asua subsituação, estarão as band- certame que obriga assim a artística típica de cada uma das nove freguesias. exibição, no Páteo Valverde, de “As nossas raízes”, queinhas de animação de rua, que alguns cortes. acontecerá pelas 21h30.
  • 12. A CERCI–Flor da Vida de Azambuja organiza amanhã, dia 12, o “IV Cross do Pirilampo Mágico”. A prova realiza-se entre as 10h00 e as 16h00, no “Campo da Feira” (junto ao Pavilhão Municipal), em Azambuja. Conta com a partici- 05 pação de cerca de 300 crianças das escolas do 1º Ciclo da freguesia de Azambuja e de um grupo de 11 de Maio de 2011 idosos integrado nas respostas sociais.Feira e Semana Maio: mês de gastronomia em Arruda dos VinhosTaurina levam O mês de Maio volta a ser especialmente dedica- do à gastronomia no Município de Arruda dos Vinhos. Associado ao 9.º Concurso de lho. Os restaurantes participantes contribuirão, com certeza, de uma forma muito activa e posi- tiva para o cumprimento destes objectivos”, su-30 mil a Samora Gastronomia do Concelho, o “Maio-Mês da blinha a edil. Gastronomia” envolve 8 restaurantes que, para além das receitas tradicionais da região, apresen- tam novas propostas gastronómicas que vêm Restaurantes também “reforçar a cultura e a tradição do con-Largadas de toiros, tasquinhas, sevilhanas eflamenco marcaram a VI Semana Taurina de de pegas por forcados de Samora Correia. Ainda no domingo, o Centro Cultural de celho”. participantes Os 8 restaurantes participantes, distribuídos porSamora Correia, que terminou no passado Samora acolheu um espectáculo de flamenco três freguesias, apresentam a concurso um pratodomingo. Pela cidade ribatejana passaram com os bailarinos espanhóis do "Ballet de peixe (bacalhau), um prato de carne (à esco- Vila de Arrudadezenas de milhares de visitantes atraídos Flamenco Jesus Ortega”. lha) e uma sobremesa. A iniciativa conta, tam- A Tasca do Beco Torto (263 976 500)pelas famosas largadas (6) realizadas no A Semana Taurina dá sequência à tradicional bém, com o apoio da Adega Cooperativa de Ao Forno Restaurante (919 706 419)Largo do Calvário e pelo ambiente tipica- Feira de Samora, que se realizou de 28 de Arruda, da Casa Agrícola Ribeiro Corrêa e da Club dos Bifes (263 098 420)mente ribatejano. Abril a 2 de Maio. Ao longo de 11 dias as Quinta de S. Sebastião. O Fuso (263 975 121)Organizada pela Junta de Freguesia de largadas de toiros originaram 13 feridos, dois “O turismo deve ser encarado cada vez mais porSamora Correia, que destaca o slogan “Puro dos quais em estado grave, resultantes de col- todos os agentes económicos, como um dos Academia de Dressage – Quinta da PatacaRibatejo”, a iniciativa rematou, no domingo idas, quedas e alguns confrontos entre jovens grandes vectores para a dinamização económi- Kottada de Galopin (263 854 300)com uma vacada que incluiu demonstrações ocorridos na madrugada de domingo. ca”, defende Gertrudes Cunha, vereadora da Rondulha – Cardosas Câmara de Arruda, frisando que o turismo pode O Barril (916 619 613) englobar áreas tão diversificadas como o património natural e edificado, as lendas, as Louriceira de Baixo tradições ou a gastronomia. “Este concurso gas- O Valverde (261 941 631) tronómico pretende, para além de preservar o Hotel Rural Quinta de Santa Maria - acervo gastronómico do concelho, promover Galinhatos novas receitas que possam, de uma forma ino- Sabores da Quinta (263 975 528) vadora, reforçar a cultura e a tradição do conce- As largadas de touros são um dos atractivos da Feira de Samora Paisagem vinhateira do Tejo em foco no Cartaxo “O Tejo e a Paisagem Vinhateira” é o tema das jornadas que se rea- lizam, na tarde do próximo sábado, no auditório da Quinta das Pratas – Museu Iniciativa Rural e do Vinho do Concelho dos Amigos do Cartaxo. A iniciativa pro- movida pela Associação Amigos do Tejo do Tejo (AAT) abre com uma intervenção de Paulo Caldas, presidente da Câmara do Cartaxo, da Associação de Municípios Portugueses do Vinho e da assembleia geral da AAT. Seguem-se abordagens à paisagem vi- nhateira histórica do Tejo (António Maia Nabais), à paisagem vinhateira na lite- ratura (Jorge Maximino) e à paisagem vi- nhateira no Campo e no Bairro (João Morgado). “A Vinha e o Jornalismo”, “A Vinha e a Fotografia na Paisagem Vinhateira do Tejo” e “A Paisagem Vinhateira e o Turismo”, são outros dos temas em foco.
  • 13. 07 Rota das Lezírias em Passeio Pedestre O Sector de Fomento Desportivo da Câmara de Benavente organiza, na manhã de dia 15, o passeio pedestre “Rota das Lezírias”. São 10 a 12 quilómetros, com concentração às 8h30 junto ao Centro Cultural de Samora Correia. 11 de Maio de 2011Póvoa de Santa IriaCâmara admitereabilitar mais casasde pescadoresO projecto de requalificação da frente ribeirinha da Póvoa de Santa Iria vai implicar ademolição de grande parte das construções de madeira feitas por pescadores avieiros. Algumasserão, no entanto, recuperadas para fins turísticos.Jorge Talixa financiado pela EFTA, o pro- novas arrecadações para apoio jecto de “Requalificação da à pesca. As restantes deverãoA Câmara de Vila Franca de Frente Ribeirinha da Zona Sul ser demolidas já em Maio. NaXira planeia iniciar já em Maio do Concelho”, já aprovado zona da antiga fábrica dosuma acção de demolição de pelo Polis XXI, contempla a “Moinhos de Santa Iria”dezenas de antigas construções criação, na Póvoa, de um ficarão mais algumas cons-abarracadas construídas clan- Núcleo Museológico dos truções, porque ainda não estádestinamente e usadas como Avieiros e a reconstrução de definida a data de arranque daarrecadação por famílias arrecadações de apoio à pesca obra de reabilitação do imóvel.avieiras da Póvoa de Santa Iria. para os que se dedicam efecti- O edital camarário acrescentaA autarquia já realojou os vamente, ainda, a esta activi- que os praticantes de pescapescadores num novo bairro de dade. desportiva que não sejamalvenaria e chegou a equa- Em meados de Abril, a Câmara pescadores profissionaiscionar a demolição quase total vila-franquense con- devem libertar asdo antigo bairro. O projectodelineado para a requalificação cedeu um prazo de 20 dias para que Autarquia a n t i g a s arrecadações Apoio pode preservar aldeia avieiradesta frente ribeirinha previa os pescadores clandestinasinicialmente apenas a preser- em actividade quer demolir p a r a O concelho de Vila Franca de Xira tinha três das mais importantes antigas aldeias devação de uma casa, mas nas apresentem algumas demolição e pescadores avieiros, caracterizadas pelas suas tradicionais casas de madeira palafíticas. Emúltimas semanas a edilidade cópias das que os Alhandra, Póvoa de Santa Iria e Vila Franca foram, ao longo dos últimos 15 anos, construí-percebeu que poderá obter licenças de construções moradores do dos três novos bairros de alvenaria, onde grande parte das famílias foram realojadas, comapoios da EFTA (Associação embarcação e clandestinas em novo bairro prioridade para os que ainda se dedicam à pesca. O último processo de realojamento desen-Europeia de Livre Comércio) de pesca profis- Maio avieiro que volveu-se há 4 anos na Póvoa e permanece ainda de pé boa parte da antiga aldeia de casaspara recuperar mais antigas sional, de modo a não trabalhem e anexos de madeira. O núcleo coordenador da Candidatura da Cultura Avieira ahabitações de pescadores e está que tenha em conta como pescadores Património Nacional foi insistindo com a Câmara de Vila Franca para que preservasse oa desenvolver trabalho nesse essa situação no seu profissionais podem maior número possível de casas tradicionais de pescadores. A autarquia hesitou, mas ulti-sentido com a Associação de plano de demolições. O obje- concorrer a uma nova mamente parece convencida a manter um núcleo importante, que poderá ter também finsArquitectos Sem Fronteiras. ctivo da autarquia é demolir as arrecadação se suportarem turísticos.Esta memória da antiga vivên- construções feitas sem licença 35% do seu custo. A Câmara No início de Abril, depois de uma reunião com os Arquitectos Sem Fronteiras e com ocia das famílias de pescadores na margem do Tejo nos locais salienta que não há viabilidade Instituto Politécnico de Santarém, a presidente da Câmara de Vila Franca observou que odo Tejo, a pouco mais de 10 abrangidos pelos projectos de de legalização destas antigas projecto alargado da Cultura Avieira é financiado no âmbito do Programa Operacional doquilómetros de Lisboa, poderá requalificação apoiados pelo construções abarracadas clan- Alentejo, onde se integra a Lezíria do Tejo. Estando Vila Franca na Área Metropolitana defuncionar como porta de entra- Polis XXI. Mas, nos casos em destinas e que suportará a sua Lisboa “nunca teria condições para obter apoios” junto da Comissão de Coordenação eda para a futura rota turística que os detentores das cons- demolição, mas poderá apreen- Desenvolvimento Regional do Alentejo. Mas, ultimamente, surgiu uma alternativa aborda-prevista no projecto da Cultura truções demonstrem que der materiais que se encontrem da nesta reunião. “A EFTA tem também meios disponíveis que podem abranger VilaAvieira, apoiado por fundos exercem a actividade profi- então no seu interior, que Franca”, explicou Maria da Luz Rosinha, frisando que, nessas condições, pode pensar-secomunitários. Para além do ssional da pesca, a Câmara diz serão, depois, restituídos a “num maior número de reabilitações de habitações palafíticas” que representem “umanúcleo de antigas habitações que só fará as demolições quem provar a sua pro- memória da comunidade avieira no concelho de Vila Franca de Xira”.palafíticas que poderá ser quando tiver concluídas as priedade. Debate sobre o património natural de Vila Franca de Xira Cultura Avieira a Património Nacional O projecto de Candidatura da João Serrano explicou que há o económicos, sociais e educacionais diferentes, sustentou. Cultura Avieira a Património objectivo de criar um novo destino deste projecto. Já Luísa Miranda, membro da Nacional esteve em foco na última com a criação da “Rota Turística O debate de dia 28 estava subordi- direcção da Câmara Nacional dos Avieiros em sessão do Observatório de Inovação dos Avieiros”. Para tal, já foi cele- nado ao tema “património natural” e Naturologistas e Especialistas das e Desenvolvimento Local (OIDL), brado um contrato de consórcio de o biólogo José Carlos Morais falou Terapêuticas não Convencionais exposição realizada no dia 28, no Auditório da qual fazem parte dezenas de empre- do património natural e em especial (CNNET), congratulou-se com a Junta de Freguesia de Vila Franca sas privadas, seis câmaras munici- das plantas. ”Quero dar-vos a co- importância crescente que os recur- Minutos antes do debate foi de Xira. O processo iniciado em pais, universidades e institutos. nhecer a minha última paixão. Há sos naturais têm vindo a ganhar inaugurada, na galeria da 2006 foi apresentado pelo seu coor- “Têm surgido muitas dificuldades e uns anos vim morar para as também no campo médico e deixou Junta de Freguesia de Vila denador, João Serrano, em represen- temos sido muito ignorados, o que Cachoeiras e comecei a ver que em o convite para que, nos dias 21 e 22 Franca, uma exposição de pin- tação do Instituto Politécnico de não se compreende, dado que este toda esta zona há milhares e mil- de Maio, todos os interessados pos- tura do mestre José Manuel Santarém, entidade líder da candi- projecto vai criar centenas de postos hares de orquídeas. As pessoas pas- sam participar no Congresso Soares sobre o tema dos datura, que envolve também um de trabalho directos e indirectos e sam por estas plantas e nem se Europeu de Medicina Natural, que Avieiros. Uma mostra que projecto de dinamização turística do vai permitir reabilitar os aldeamen- apercebem que são orquídeas, mas vai acontecer no Ateneu Artístico ficará patente até 23 de Maio. Tejo apoiado por fundos comu- tos avieiros”, sublinhou, apontando existem imensas. Só na região de Vilafranquense pelo terceiro ano nitários. também os benefícios culturais, Vila Franca há cerca de 30 espécies consecutivo.
  • 14. 08+ NEGÓCIOS +Região Ribatejana #2Empresa de Vila Franca quer dar Diversão nocturnao exemplo na diversão nocturna também gera segurançaHá 17 anos que um grupo de quatro vila-franquenses apostana dinamização da vida nocturna da cidade, procurando “Quanto mais vida noctur-remar contra os hábitos cada vez mais caseiros e contra algum na houver em Vila Francaenvelhecimento da própria população. A sociedade que cri- menos insegurança vaiaram gere quatro estabelecimentos e tem projectos para con- haver. Com mais movi-tinuar a crescer, em Vila Franca ou noutras cidades da região. mento, mais vida noctur-Assumindo que o trabalho sério e a inovação são duas das na, mais pessoas nas ruas,suas grandes preocupações, gostariam de ter mais alguma mais segurança há”, su-sensibilidade das entidades locais para as especificidades blinha Pedro Pato, con-deste negócio. siderando que a cidade só terá a ganhar com aJorge Talixa de 20 pessoas distribuídas por expansão desta actividade. quatro estabelecimentos e man- “Quanto mais pessoasQuatro jovens amigos resolve- tém uma forte cumplicidade houver, mais apetecível seram juntar-se há 17 anos e formar entre os seus quatro sócios. torna vir à noite a Vilauma empresa para explorar um Vila Franca continua a ser a Franca. Mais oferta impli-café-bar da zona antiga de Vila “terra-mãe”, mas este grupo de ca mais procura, implicaFranca de Xira. Tudo começou empresários sente que o enve- mais pessoas. E isso seráquase por “brincadeira”, mas lhecimento e a falta de perspe- bom para os restaurantes,transformou-se em pouco tempo ctivas da cidade obriga a procurar será bom para quem temno projecto de vida destes quatro outros locais para novos investi- negócios no concelho e sevila-franquenses. Dezassete anos mentos. A forma como algumas os negócios correrem bem,passados, a Comiself é hoje a entidades locais encaram o negó- Os quatro sócios da Comiself: Pedro Pato, António melhor para o Município,principal empresa de diversão cio da animação nocturna tam- Ribeiro, Mário Cerejo e Rui Lourenço que mais impostosno-cturna da cidade, ocupa mais bém tem gerado alguma recebe”, prossegue. Já desilusão, porque, garantem, a Ribeiro. “Crescemos, constituí- Turismo de Lisboa. empresa ainda tem alguns passos António Ribeiro recorda seriedade e o cumprimento rig- mos famílias e desenvolvemos Acabaram por recentrar a sua para dar, na nossa opinião que os estabelecimentos da oroso das regras tem sido, desde responsabilidades diferentes. actividade em Vila Franca, surgiu muitos, provavelmente fora da empresa têm servido tam- sempre, uma das maiores preocu- Tivemos que fazer as nossas em 2008 a oportunidade de cidade de Vila Franca, porque bém para algumas iniciati- pações da empresa. Mas, apesar opções e a opção foi continuar assumirem a exploração da cafe- achamos que estamos a ficar um vas do Município como o disso, ao entrarem na casa dos 40 juntos estes anos todos. taria do Museu do Neo- bocado limitados em Vila Franca, lançamento do Portal da anos, acreditam que muito é Acreditámos e tínhamos o poten- Realismo, numa vertente diurna, apesar de tudo o que nos liga a Juventude. “Não quere- ainda possível fazer neste ramo, cial necessário, não sei se sufi- e resolveram abalançar-se, já em Vila Franca e de sabermos que o mos qualquer tipo de bene- seja em Vila Franca, seja noutras ciente, mas necessário para con- no final de 2009, à criação do que temos é devido a Vila fício ou que sejam con- cidades da região onde a pre- seguir erguer uma sociedade”, Soho, uma casa mais ampla, Franca”, assume Mário Cerejo, descendentes connosco em sença da população estudantil é prossegue Pedro Pato, admitindo vocacionada para a música, para salientando que “a cidade enve- termos de requisitos que mais forte. A zona ribeirinha vila- que ao longo dos anos foram a dança e para a gastronomia, que lheceu” e que “a realidade era estamos obrigados a franquense será atractiva para surgindo muitas dificuldades que funciona no espaço do antigo outra” quando a Comiself cumprir, mas também novos investimentos mais voca- Obras estão cionados para a gastronomia. A os quatro foram conseguindo Pátio da Vila, na Rua dos começou com o Rua Direita, queremos sentir que não superar, mantendo sempre esta Combatentes. numa altura em que havia menos há qualquer tipo de má Comiself pode estar interessada, demoradas mas vai esperar pela concretiza- forte ligação. “Tivemos “Sempre procurámos escolas em Alenquer, em Arruda, vontade para com a vida sempre vontade de andar um passo à na Castanheira e Vila Franca nocturna em Vila ção das obras de requalificação na zona que têm sido anunciadas. seguir o nosso “O frente naquilo que atraía muito mais juventude. Franca”, conclui caminho e a gráfico da se fazia. Em tudo “Infelizmente, outras cidades António, Mário, Pedro e Rui ribeirinha começaram por desenvolver uma vontade é cidade nestes últi- e na seriedade próximas como Santarém e muito impor- que pomos no Caldas da Rainha, que na altura forte ligação como amigos de infância e colegas de escola. tante”, sub- mos anos nunca foi nosso trabalho. invejavam um pouco, colegas Há perto de 15 anos, a linha. para cima, foi sem- Toda a gente nossos diziam isso mesmo, que Comiself tentou investir na Nasceram em Vila Franca, dois “O risco, acha que servir Vila Franca era muito melhor. zona ribeirinha de Vila deles começaram por trabalhar pre a descer” quando somos um copo ou pôr Hoje em dia somos nós que Franca no espaço do anti- num café-bar da zona antiga da quatro sócios, é um prato na mesa somos obrigados a invejá-los a go Insónias. As obras de cidade, também muito frequenta- necessário em cer- todos sabem fazer. eles, que têm politécnicos, têm requalificação do cais não do pelos restantes dois. Por volta tos períodos da vida, Mas nós julgamos que isso parques industriais diferentes. avançaram como previsto de 1993 desenhou-se uma opor- porque, como é fácil de perceber, não é bem assim e que isto obe- Em Vila Franca temos basica- e acabou por ser um inves- tunidade de assumirem a explo- o Rua Direita nunca teria capaci- dece a meia-dúzia de regras. Ao mente serviços. Nós não nos casas são caras. Deve ser das timento de certa forma ração do Rua Direita Café, jun- dade para nós os quatro vivermos longo dos anos, todos fomos queixamos da realidade, o que zonas do concelho mais envelhe- perdido, porque o bar taram os “trocos” e envolveram- só do Rua Direita. Daí a nossa fazendo pequenas acções de for- temos foi conseguido em Vila cidas”, acrescenta, enquanto esteve fechado durante 2 se os quatro de corpo inteiro necessidade de começarmos a mação e de reciclagem. Há for- Franca. Mas Vila Franca também António Ribeiro sublinha que as anos e acabou por ser neste projecto. alargar a nossa actividade”, mação específica nas áreas de não nos tem ajudado muito, alternativas de emprego também negociado com outra “Começámos quase de brin- recorda Mário Cerejo, lembrando cozinha, de mesa e de bar e porque se houvesse um politécni- estão muito limitadas à Câmara, empresa. Agora, os quatro cadeira, mas as coisas que pouco mais de dois anos mesmo alguma formação superi- co, com 2000 ou 3000 alunos à Junta e pouco mais. sócios continuam a achar começaram a ficar cada vez mais depois, a Comiself ficou com or, fomos sempre procurando para o nosso negócio, para o Neste quadro, então por que é que a zona ribeirinha é sólidas entre nós. E, na nossa uma outra casa da zona antiga da reciclar-nos”, observa António negócio do arrendamento, para a que a Comiself continuou a in- muito atractiva, mas pre- visão do que era o negócio da cidade, que funcionara como Ribeiro, frisando que isso reforça roupa, para os sa-patos, era vestir, por exemplo, no Soho. ferem esperar para ver. exploração de um bar, começá- “Pasodoble”, mas à qual as preocupações dos quatro bom”, sustenta Mário Cerejo, António Ribeiro reagiu à questão “Temos muito interesse, mos a querer mais e a dar mais resolveram dar o nome de “Café sócios da Comiself com a considerando que o “gráfico” da do Voz Ribatejana frisando que não queremos estar de coisas às pessoas”, recorda Rui Puro”. Seguiram-se alguns anos seriedade, o rigor e a inovação do cidade nestes últimos anos este “é o único caminho para costas voltadas para o rio Lourenço, frisando que o Rua em que a empresa teve alguma trabalho que desenvolvem. “nunca foi para cima, foi sempre conseguirmos fazer face ao nosso se, eventualmente, esses Direita foi um dos primeiros “volatibilidade” nos seus proje- “Somos muito ambiciosos naqui- a descer” projecto de vida. São muitas projectos avançaram. Da espaços a trabalhar principal- ctos e empenhou-se na gestão lo que pretendemos fazer no Pedro Pato acha que é cada vez famílias que dependem do suces- nossa parte haverá todo o mente para a malta mais jovem, também do Clube do Campo nosso dia-a-dia”, prossegue, mais difícil tirar as pessoas de so ou do insucesso da nossa interesse em ter ali um mas não só. (Arruda dos Vinhos) e do Sem admitindo que a evolução da casa, com a Internet, com a tele- empresa. Se não diversificarmos, ponto de venda, se calhar Progressivamente, “aquilo que Horas (Sobral de Monte Agraço). cidade não tem ajudado. visão. “As pessoas para saírem se não estivermos numa busca num registo mais de acor- inicialmente era uma brincadeira Ao mesmo tempo participou em têm que ir a algum lado e em Vila constante de outras formas de do com a nossa última for- de 4 amigos muito jovens vários eventos locais como o Vila Franca envelheceu Franca não há um cinema, não há vender e a procurar outro tipo de mação na área da cozinha (estavam na casa dos 22/23 anos) Salão do Cavalo, o Xira Jovem e uma sala de espectáculos. Vila mercados, o nosso negócio era e da restauração”, defende transformou-se num projecto de até na representação de Vila “Temos alguns alicerces que nos Franca envelheceu muito, as pes- abafado com todas estas dificul- António Ribeiro. vida”, acrescenta António Franca de Xira na Bolsa de fazem acreditar que a nossa soas não têm onde morar, as dades”.
  • 15. Torne-se fã do Voz Ribatejana www.facebook.com/vozribatejana 0911 de Maio de 2011Parque das Conta Vencedora eNações,Santarém e Grupo Classic abremCaldas da dia 16 em AlhandraRainha Regras cada vez mais A Conta Vencedora vai inaugurar um novo espaço, já naA Comiself tem projectos exigentes são cumpridas próxima segunda-feira (16), na Rua Miguel Bombarda, nº 26, em Alhandra. Em paralelo funcionarão serviços dopara expandir a sua activi- Grupo Classic, num modelo também já presente nas cidadesdade na região. O Parque de Portalegre e de Lisboa.das Nações, pela sua cen- António Ribeiro reconhece que as regras que regem o sector A Conta Vencedora está vocacionada para os financiamentostralidade, e as cidades de da diversão nocturna mudaram bastante ao longo destes 17 (gestão de créditos), poupanças e seguros. ProcurandoSantarém e de Caldas da anos e garante que a empresa tem feito sempre “um esforço alargar o leque de serviços disponíveis, o Grupo ClassicRainha, pela sua grande muito grande para acompanhar todos esses requisitos legais aposta forte na gestão de condomínios e presta tambémmassa estudantil, estão nos necessários, desde o ruído à segurança e controle de acessos”. serviços de construção civil, remodelação de habitações,horizontes da empresa, Os horários, a proibição de venda de álcool a menores, o con- mudanças e transportes, informática, limpezas gerais e orga-que, ainda, assim, pretende sumo do tabaco, o ruído ou controle de acessos em segurança, nização de eventos.manter os espaços que tem são alguns exemplos. Por vezes há situações que, por descon- “Não colocamos barreiras aos seus sonhos” é o lema doem Vila Franca. Segundo Vila Franca hecimento, até não são bem entendidas, como a necessidade legal de controlar o acesso a um espaço com capacidade para grupo, que investe também agora em Alhandra, apostandoMário Cerejo, a Comiself na excelente localização da vila. A Conta Vencedora e ofoi, recentemente, convida- não está na mais de 100 pessoas como é o Soho com detectores de metais. Rui Lourenço explica que a Comiself contratou empresas Grupo Classic podem ser contactados através do telefoneda para gerir um espaço do 218081171 ou do e-mail alhandra@conta-vencedora.pt.Pavilhão do moda especializadas que lhes dão todas as indicações sobre os requi- sitos que estes estabelecimentos têm que cumprir.Conhecimento, na zona da Vila Franca de Xira tem “É óbvio que, quando temos um bar numa zona antiga estrita-Expo. Acabou por rejeitar perdido algum do seu mente habitacional, com uma população essencialmente idosa,porque sentiu que tinha papel de centralidade e há uma preocupação muito grande da nossa parte em cumpriruma obrigação moral para isso também se reflecte nas os horários, com prejuízo das vendas. Às vezes mandamos 30com a Câmara de Vila mais diversas actividades ou 40 pessoas saírem para cumprimos com rigor os horários”,Franca de assegurar o fun- comerciais. Para a garante António Ribeiro, afiançando que também todas ascionamento da cafetaria do Comiself não se percebe regras de insonorização são cumpridas. Pedro Pato acrescentaMuseu. “Achamos que muito bem por que é que a que em tudo isto também tem que haver bom senso e que atambém temos um com- cidade tem perdido tantos empresa não consegue impedir que um grupo de 10 pessoaspromisso que não podemos certames e eventos que faça algum barulho ao sair. “Concordamos com os horárioster uma atitude de aban- traziam sempre muitos vis- que temos – o Rua Direita e o Café Puro até às 2h00 e o Soho,donar a nossa terra. Então itantes. “Somos dos que funciona ao sábado e por vezes à sexta, até às 4h00 -, maso que é que isto seria, se já primeiros a não compreen- achamos que poderíamos tirar mais proveito se fossem atétemos tantos prédios devo- der. Não sei se são políti- mais tarde”, admite Rui Lourenço.lutos, tanta coisa abando- cas, mas são situações que “Há um esforço muito grande da Comiself para cumprir todasnada, tanto trespassa-se, nos transcendem. Nós as regras, desde a desparasitação à higiene e segurança no tra-tanto vende-se. Se fazemos o nosso trabalho. balho, regras de segurança, videovigilância, etc., sendo quedecidíssemos agarrar na Mas hoje em dia, cultural- temos a noção que é uma tarefa que nunca está acabada. Notrouxa e irmo-nos embora,penso que, principalmente mente, Vila Franca é um bocado complicada. É o caso do Soho, o sistema de segurança e de controle de acessos custa-nos alguns milhares de euros”, sustenta António Ribeiro. Xtrilhos abre novaso mercado da noite quase desânimo total. Não hámorria. Não quero quepasse a ideia: mas o que é cinema, não há teatro e as pessoas ficam em casa”, Os sócios da Comiself acham que toda a fiscalização é sempre bem vinda, também para tranquilidade própria e dos utentes perspectivas naque estes quatro julgam destes espaços, mas estranham a forma como foi feita umaque são. Mas a realidade éessa”, sublinha Mário lamenta Pedro Pato. “Devido a estes factores recente rusga policial, considerando que poderá ter tido um aparato excessivo. Calhandriz todos, de Vila Franca “Entraram com shot-guns, encostaram pessoas à parede, man-Cerejo. “Gostaríamos de deixar de ter uma série de daram desligar a música e aumentar as luzes. Eu, se fosse Para os amantes do mundo das bicicletas e dos percursos nanão ter que largar nada do coisas que tinha antiga- cliente desta casa, nunca mais cá voltava. Até parecia que natureza, abriu, no passado sábado, na Calhandriz, a poucosque temos, porque é a mente, isso restringe-nos e estavam aqui elementos da ETA ou que havia algum problema quilómetros de Alverca, a “Xtrilhos”, um projecto dinamiza-nossa cidade e onde ganhá- faz com o que nosso tra- de terrorismo”, lamenta Mário Cerejo, considerando que as do por dois jovens primos e amigos que aposta também namos sempre o dinheiro que balho seja ainda mais difí- coisas talvez pudessem ser feitas de outra forma. “Disseram- dinamização desta freguesia rural´. A ideia surgiu há cercaalimenta os nossos filhos. cil”, acrescenta Rui nos que era uma operação de rotina, mas penso que há pouco de 2 anos e a Xtrilhos está, agora, instalada junto ao ClubeNunca o vamos esquecer, Lourenço. conhecimento do que são os nossos espaços. Agradecemos que da Calhandriz A loja, com uma área total de 50 metrosmas, se calhar, Vila Franca, O mesmo sentimento tem venha aqui a polícia, até que esteja um polícia à porta, mas quadrados, apresenta algumas das melhores marcas de bici-começa a não ter mercado António Ribeiro. também queremos que nos respeitem, no aspecto de um histo- cletas comercia-lizadas no País e dispõe, também, de umapara nós e temos que ir “Fazemos um esforço rial que temos de quase 18 anos sem grandes problemas. Não oficina especializada de reparação. Integra ainda umaatrás das pessoas, se calhar muito grande para que vou dizer que nunca tivemos problemas, porque as casas no- pequena esplanada e área de estacionamento. Os dois pro-temos que fazer uma apos- consigamos estar na moda. cturnas às vezes têm um desacato, um empurrão, um que se motores da Xtrilhos prometem avançar em breve para ata noutra zona”, refere. A Procuramos ter aqui algu- mete com a namorada de outro. Vendemos álcool, não organização de vários eventos relacionados com as “bikes” ecafetaria do Museu é um mas coisas que só se vêm vendemos copos de leite. Agora, tudo dentro da normalidade com um serviço de aluguer de bicicletas. A Xtrilhos funcionaprojecto diferente, em em Lisboa. Temos noites dos espaços nocturnos”, salienta. de segunda a sexta das 17h00 às 20h00 e ao sábado das 9h00horário diurno, mas com diferentes, com uma série às 19h00.algumas limitações, de actividades que são algoporque só pode funcionar de inovador e procuramquando o Museu está efe-ctivamente aberto. tirar as pessoas de casa”, refere. Todos sublinham, Disponíveis para todo contudo, que o muito que ainda se faz em Vila o tipo de artistas Franca devia ser melhor divulgado e que o Actuações de jovens va-lores da música e da dança, Município deveria apostar exposições de pintura e de escultura, espectáculos de arte mais na divulgação do circense são apenas algumas das actividades promovidas bom que existe na cidade, nestes estabele-cimentos. “Estamos completamente aproveitando os eventos disponíveis para todo o tipo de artistas e para as mais diver- turísticos em que se apre- sas artes”, sustenta António Ribeiro, afiançando que há tam- senta e as mais variadas bém a preocupação de apresentar actividades diferentes que plataformas de infor- normalmente não acontecem em Vila Franca. mação.
  • 16. 10 +Região Ribatejana #2Imaraxira divulga virtudes das TACDar a conhecer as novas te- por vezes, pode ser franca- que nos perguntam o valor da dantes e estagiários do sector e novos, há técnicas novas,cnologias utilizadas na realiza- mente negativo para os taxa moderadora, o que não profissionais das unidades de todos os dias temos que estar ação de tomografias computo- doentes. “Ultimamente tem-se acontecia até há algum tempo. saúde da região. “Estamos estudar para estarmos actua-rizadas (TAC) e realçar a assistido a uma quebra de E temos utentes que não fazem também a apostar na formação lizados. A tecnologia nãoimportância da sua efectivação pedidos de exames. Não quer a TAC e ficam a aguardar o dos jovens. Achamos que o pára”, vincou.atempada para o despiste e dizer que os doentes não fim do mês ou uma conhecimento e o A Imaraxira funciona na Ruadetecção de doenças foram necessitem, mas por con- altura em que tenham saber devem ser Projectada à Alves Redol, no Reuniãoalguns dos principais obje- tingências orçamentais do dinheiro para a taxa, para todos”, centro de Vila Franca, próximo técnico-cien-ctivos da 1ª. reunião técnico- Ministério da Saúde corta-se que aumentou no iní- referiu, acrescen- do Café Plaza. Tem cerca de tífica em Vilacientífica organizada, no dia 7, muito nos exames comple- cio deste ano. Isso tando que esta área 20 profissionais ao seu serviço Francapela Imaraxira. Com o mentares, nomeadamente nas muitas vezes é com- da saúde cada vez e, para além das TAC, realizaauditório da Junta de Freguesiade Vila Franca de Xira cheioestiveram em foco temas comoa tomografia no século XXI(Carlos Cyrne) e a tomografiana prática médica hospitalar(Ana Alcazar) e nas práticasclínicas do ambulatório e dapediatria (Ion Iatco) Osavanços técnicos em tomo-grafia (Frederico Duarte) e aprotecção radiológica emtomografia, foram outros dostemas em foco.Frederico Duarte, director té-cnico da Imaraxira explicou,ao Voz Ribatejana, que estainiciativa surge na sequênciada necessidade de dar a co-nhecer ao público desta região,aos técnicos e aos profissio-nais clínicos as nova tecnolo-gias de que a Imaraxira dispõe,que permitem fazer estes O auditório da Junta de Freguesiaexames de uma forma muito de Vila Franca de Xira estve cheio Mariana Diógenes e Fredeirco Duartemais rápida e eficiente.“Tínhamos um equipamentoespiral, que fazia um corte decada vez e, agora, temos uma tomografias computorizadas. Isso é um erro. Pode acontecer, plicado, porque há situações que se podem agravar pelo Qualidade em Vila Franca é igual a LisboaTC multicorte que faz quatro e acontece, irem protelando o facto de não fazerem atem-cortes em cada rotação e isso pedido de exames e, depois, padamente os exames”, salien- É frequente ouvirem-se referências à necessidade de realizar determinados exames em Lisboa.permite diminuir o tempo de chega-se a um estádio em que ta Mariana Diógenes, lembran- Mariana Diógenes sublinha que essa ideia é errada. “Em Vila Franca já se faz quase tudo.exame”, observou o respon- o doente já tem a sua doença do que há casos em que o Tanto nós como os nossos vizinhos da Ecorad fazemos exames da melhor qualidade, mas con-sável técnico da Imaraxira, de tal modo avançada que se doente, depois de uma tinua a haver, até por parte de alguns médicos, ainda a ideia de mandar o doente para fora,frisando que as tomografias torna irreversível”, sublinha primeira TAC, tem que fazer quando na própria localidade existem meios para fazer os exames”, sustenta. “Em Vila Franca(TAC) são utilizadas em todo o Frederico Duarte. ainda uma TAC pélvica ou fazem-se exames com a mesma qualidade que se faz em Lisboa, com a vantagem de não havertipo de situações, desde a parte Mariana Diógenes, coorde- uma TAC abdominal e os 19, deslocações. São políticas que alguns clínicos seguem, de mandar as pessoas para outroscerebral à abdominal, passan- nadora-geral da Imaraxira, tem 20 euros multiplicados por 3 já sítios, não sei bem porquê. O que garanto é que a qualidade do que se faz na Imaraxira é exa-do pelas questões cardíacas e o mesmo sentimento. A taxas pesam muito no orçamento das ctamente igual e compatível com aquela que se faz em qualquer consultório em Lisboa”, con-vasculares. moderadoras aplicadas à rea- pessoas. clui Frederico Duarte.A crise financeira que se aba- lização de TAC aumentaram, A adesão a esta primeirateu sobre o País e as medidas no início deste ano, para 19, 20 reunião técnico-científica foi atrai mais jovens. “É muito exames de radiodiagnóstico,de contenção do Ministério da euros, o que condiciona muitas muito boa. Frederico Duarte interessante, este mundo da análises clínicas, ecografias,Saúde têm, todavia, condi- vezes a forma e momento em adiantou que participaram imagiologia é um mundo fasci- mamografias e ecodoplers.cionado bastante a realização que algumas pessoas realizam essencialmente técnicos de nante, evolui todos os dias,deste tipo de exames, o que, estes exames. “Temos utentes radiologia, muitos jovens estu- todos os dias há equipamentos J.T. Jovens empresárias do Recolhas de sangue Carregado mimam na Póvoa de Sta Iria novas mães A Associação de Dadores Benévolos de Sangue da Póvoa de Santa Iria (ADBSPSI) organiza, amanhã e no próximo domin- go, duas acções de recolha de sangue. A primeira, já na quin- Três jovens empresárias do Carregado resolveram contribuir para ta-feira, realiza-se, das 9h00 às 13h30, no Colégio que as parturientes presentes no Hospital Reynaldo dos Santos de Bartolomeu Dias, em Santa Iria de Azóia. Uma co-organiza- Vila Franca de Xira tivessem um dia um pouco diferente, no passa- ção da ADBSPSI e da turma do 12ª C, disciplina de Biologia, do Dia da Mãe. Vanda Lopes, Susana Santos e Eva Correia estive- do Colégio. ram na manhã de dia 1 nos serviços de neonatologia do hospital vila- Já no domingo, dia 15, haverá nova acção de recolha de dádi- franquense e entregaram às mães de bebés recém-nascidos diversas vas de sangue (8h30 às 12h30), desta vez na sede da ADBSP- prendas que incluíram semanas gratuitas no ginásio da Vivafit do SI, na Avenida Antero de Quental (Bairro da Chepsi), na Carregado, fruta, fraldas, flores, roupa para bebé da loja Duplo S e Vanda Lopes, Susana Póvoa de Santa Iria. bolachas e outras ofertas da nova loja gourmet do Carregado. Santos e Eva Correia
  • 17. Benavente tem Conversas com Memória Diálogos imprevistos sobre tradições, quo- tidiano, trabalho e outras expressões tradicionais é a proposta do Museu Municipal de Benavente para os fins 11 de tarde (18h30) de 13 e 20 de Maio. A iniciativa integra-se nas comemorações 11 de Maio de 2011 do Dia Internacional dos Museus. Póvoa de Santa IriaSolvay sensibiliza para a cidadania empresarial“Cidadania Empresarial” foi o experiente neste domínio, atema da sessão organizada, no empresa decidiu convidar apassado dia 4, pela Solvay presidente da GRACE,Portugal, nas suas instalações Conceição Zagalo, e o directorda Póvoa de Santa Iria, no de relações institucionais e deâmbito das comemorações do comunicação da SCC, NunoAno Internacional da Pinto de Magalhães, paraQuímica. Os bons exemplos relatarem as experiências quede trabalho de responsabili- têm acumulado ao nível dasdade social da GRACE políticas de responsabilidade(Grupo de Reflexão e Apoio à social.Cidadania Empresarial) e da Conceição Zagalo, ribatejanaSociedade Central de Cervejas de Riachos, adiantou que ae Bebidas (SCC) estiveram em GRACE começou com “10foco na iniciativa, uma das empresas carolas” e tem já,várias jornadas de reflexão e neste momento, 80 associa-de abertura à comunidade dos. Segundo explicou, esteenvolvente que a Solvay está a grupo dinamiza uma diversi-promover. dade de projectos centrados naMário Branco, director de mobilização de gestores e fun-comunicação da Solvay cionários de empresas paraPortugal, explicou que o Ano tarefas de apoio social. EntreInternacional da Química será os projectos em curso desta- Conceição Zagalo e Nuno Pinto detambém um pretexto para dis- cou o de recuperação de áreas Magalhães na iniciativa da Solvaycutir a vida das empresas e das degradadas, que já movimen-comunidades que as rodeiam. tou cerca de 2000 pessoas. cou que desde 2005 que a SCC que trazer valor acrescentado, “Face à crise e à zona onde outro dos grandes compromi-“Estamos em crer que o apoio “Fazemos também voluntaria- pertence ao grupo holandês não é caridade”, sublinhou o estamos inseridos, propuse- ssos da Sociedade Central deà comunidade, hoje e no do em famílias, encontros Heineken, que tem uma responsável da empresa de mos à Câmara de Vila Franca, Cervejas e Bebidas é manter ofuturo, passará por uma nova temáticos sobre empregabili- grande preocupação com as Vialonga, explicando que um há 3 anos, que o nosso apoio actual nível de empregabili-atitude, por uma partilha vol- dade em tempo de crise, pro- questões da sustentabilidade. dos primeiros passos foi per- (130 mil euros anuais) fosse dade e os postos de trabalhountária de conhecimentos, de jectos de partilha de conheci- Em 2006, a SCC lançou um guntar a clientes, autarcas, cana-lizado para famílias em Vialonga.experiências, de boas práticas mentos e de competências Programa de colaboradores internos, comu- carenciadas do concelho, sus- O director da SCC tambéme pelo estabelecimento de também destinados a recon- Responsabilidade Social nicação social que expectati- pendendo os apoios a iniciati- aludiu a novas formas deparcerias”, defendeu o respon- verter pessoas e dotá-las com Corporativa com o objectivo vas tinham relativamente à vas desportivas e culturais. No apoio à comunidade, citando osável da empresa sedeada na mais capacidades para regres- de sistematizar e organizar um política de responsabilidade ano passado, 600 famílias da exemplo recente da ajuda quePóvoa, considerando que este sarem ao mercado de trabalho. conjunto de acções que desen- social da SCC. Desde então, a zona foram ajudadas com o a empresa vai dar à estrutu-novo modelo deverá ser “bas- volvia de forma dispersa. empresa desenvolveu planos nosso apoio e esta situação vai ração da comunicação internatante mais eficaz”. 600 famílias apoiadas “Para nós a sustentabilidade é de Responsabilidade Social e manter-se enquanto houver do Agrupamento de EscolasTendo em conta que a Solvay um negócio, tem que estar li- presta anualmente contas das crise”, salientou Nuno Pinto Reynaldo dos Santos de Vilaentende que ainda é pouco Nuno Pinto de Magalhães vin- gada ao nosso negócio, tem actividades desenvolvidas. de Magalhães, referindo que Franca de Xira. Alenquer No Marquês da SerraAnacom denuncia Ruy de Carvalho na Almoço junta 102abusos da Zon Mensagem amigos da MagueA Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) anunciou que Aberta O 5º almoço Mague realizou-se, no dia 30, novai actuar juridicamente contra a ZON – TV CABO. Em causa Aos 84 anos, Ruy de Carvalho é uma restaurante Marquês da Serra, próximo daestá o facto da operadora ter tentado alegadamente vender, na zona das grandes figuras do teatro português. Calhandriz. Reuniram-se 102 amigos unidos pelade Alenquer, serviços para supostamente garantir o acesso à No passado dia 21 esteve na livraria-bar ligação à antiga indústria metalomecânicaTelevisão Digital Terrestre. Mensagem Aberta, novo espaço inaugu- Mague. Vieram antigos colegas da Figueira daÀ agencia Lusa, fonte da Anacom revelou que esta não é uma rado em 2010 na Rua Miguel Bombarda, Foz e Viseu, mas também um grupo de 8 convivassituação isolada e considera o comportamento da operadora em pleno centro histórico da cidade de Vila da zona da Glória do Ribatejo (tiveram conheci-“absolutamente inaceitável, porque não é um comportamento oca- Franca de Xira. Ruy de Carvalho falou do seu per- mento da iniciativa através do Voz Ribatejana) esional”. curso e da forma como a cultura é vista em Portugal. Contou “estórias” até um que trabalha actualmente nas minas deFonte da instituição de comunicações refere que esta é uma “actu- simples salpicadas com muitos momentos de humor. Aljustrel. Nesta iniciativa dinamizada poração lesiva dos interesses das pessoas” e esclarece que “a televisão Com o seu filho João de Carvalho como vereador da cultura na Câmara Fernando Moreira e Carlos Rodrigues foramdigital terrestre é gratuita”. Em comunicado, a Anacom relembra vila-franquense e residência em Alverca, Ruy de Carvalho sente uma homenageadas com um ramo de flores cada asque as populações podem continuar a ver televisão desde que ten- forte ligação a esta região. Foi amigo de Alves Redol, escritor nascido colegas Carmen e Isabel Mota, por serem o rostoham um televisor compatível com a norma MPG4 e que quem não há exactamente 100 anos e que desapareceu precocemente em 1969. feminino da organização.tiver uma televisão destas deverá comprar um descodificador Ruy Alberto Rebelo Pires de Carvalho nasceu em Lisboa a 1 de Marçocompatível com a norma e ligá-lo ao televisor antigo. de 1927. Iniciou-se no teatro, como amador, em 1942, no Grupo daEm declarações à Agência Lusa, um porta-voz da ZON diz que a Mocidade Portuguesa, com a peça O Jogo para o Natal de Cristo, comempresa tem actividade comercial a nível nacional e, por isso, “é encenação de Ribeirinho. De 1945 a 1950, frequentou o Conservatórionatural que tenham actividade nas zonas em que os consumidores Nacional, cujo Curso de Teatro/Formação de Actores terminou emvão ter de optar por uma nova forma de ver televisão“. 1959, com 18 valores.Ainda assim, a operadora garante que vai ter em atenção o comu- Estreou-se profissionalmente, em 1947, no Teatro Nacionalnicado da Anacom e vai “averiguar se algum agente está a ter um (Companhia Rey Colaço/Robles Monteiro). Desde então desenvolveucomportamento menos correcto”. O sinal analógico da televisão uma das carreiras mais conseguidas do teatro português que se estendeudesliga-se já esta quinta-feira em Alenquer, medida que afecta ape- também à rádio, ao cinema e à televisão. Recebeu vários prémios paranas os televisores com antenas apontadas para o emissor de o teatro e cinema e foi agraciado com os graus de comendador daAlenquer. Ordem do Infante D. Henrique e da Ordem Militar de Santiago da Espada. M.A.R. Membros da organização com a primeira mulher a trabalhar na Mague, Maria Amélia Casquilho
  • 18. O Centro de Bem-Estar Infantil (CBEI) de Vila Franca de Xira organiza a sua VIII Gala Jovem, no sábado à noite, a partir das 21h30. A iniciativa realiza-se no 13 auditório do Ateneu Artístico 11 de Maio de 2011 Vilafranquense.Carregado-Rio MaiorAmbientalistas rejeitam nova linha dealta tensão do Carregado a Rio MaiorO traçado das novas linhas de alta tensão que a REN quer construir na região é muito critica-do pelos ambientalistas de Alenquer.Jorge Talixa mentais no abastecimento do de alta tensão. O novo traçado distrito de Lisboa. Segundo o agora estudado estende-se porA Associação para o Estudo e documento, os actuais níveis 57 quilómetros e prevê a insta-Defesa do Ambiente do de consumo nesta região lação de 162 postes, dis-Concelho de Alenquer chegam a atingir picos da tribuindo-se por 29 freguesias(Alambi) não concorda com o ordem dos 2000 MW e dos municípios de Alenquer,projecto da REN (Rede “poderão subir até 3000 MW Arruda, Azambuja, Cadaval,Eléctrica Nacional) de con- nos próximos 10/12 anos”. Caldas da Rainha, Rio Maior estruir uma nova linha dupla de Por isso, a construção desta Vila Franca de Xira. Segundoalta tensão entre o Carregado e linha dupla visa “preparar a o EIA, este corredor atravessaRio Maior e considera mesmo rede para as solicitações”, predominantemente áreas“estranho” que o projecto que optando por “empreender a rurais, ficando 70 dos postesesteve em consulta pública até substituição da actual linha”, em zonas florestais, 32 em vi-final de Abril siga um traçado também com a finalidade de nhas e 51 noutras áreas agríco-em semi-circunferência muito “garantir condições de segu- las. Os principais impactesmais extenso e prejudicial rança e reforçar a Rede identificados dizem respeito àpara o território concelhio Nacional de Transporte de construção e desmatação dos(atrave-ssa 9 freguesias) do Energia”. locais de montagem dosque a antiga linha que pre- Só que a Alambi acha que, no postes (toda a obra deverátende substituir. Por isso, a actual cenário de crise, estas demorar 15 meses) e à abertu-Alambi defende que “sejam previsões de aumento do con- ra de uma faixa de 45 metrosestudadas soluções alternati- sumo são “altamente contro- para pa-ssagem e colocação devas de aproximação da rede” versas”, porque “não encon- cabos. Por outro, o EIA sub-às subestações da Carvoeira tram qualquer fundamento nas linha que na área de Paisagem(Torres Vedras) e Almargem expectativas de crescimento Protegida de Montejuntodo Bispo (Sintra), que o pro- da economia” e tem-se verifi- foram suprimidos os postes ejecto pretende alimentar de cado “um enorme aumento na salienta o impacto muito posi-forma mais capaz para respon- eficiência energética nas tec- tivo do incremento da rede deder às previsões de aumento nologias de consumo”. transporte de energia.de consumo na Grande O EIA, por seu turno, diz que Já a Alambi diz que o projectoLisboa. o processo de delimitação do apresentado também atravessaO estudo de impacte ambien- traçado da linha foi muito atu- “zonas urbanas e zonas ruraistal (EIA) explica que esta rado e “permitiu reduzir signi- com grande povoamento”, Salienta, ainda, que o novoLinha Aérea DuplaCarregado-Rio Maior 4 pre- ficativamente os potenciais impactes negativos”. Mas a causando “efeitos negativos significativos para a socio- traçado ignora projectos de cariz turístico previstos para a ASSINE O VOZ RIBATEJANAtende substituir a Linha Alambi afirma que não se economia” e degradando o proximidade da serra deCarregado-Rio Maior 1, que percebe por que é que se pre- enquadramento visual. Montejunto e considera que CONDIÇÕES DE ENVIO - PORTUGALserá “desmontada e desa-cti- tende substituir o actual traça- Sublinha, também, que, em apresenta uma excessivavada”. E acrescenta que a do rectilíneo da Linha contrapartida, o actual espaço aproximação a esta área de 1º Os seus dados:estrutura agora planeada terá Carregado-Rio Maior 1 por canal da linha Carregado-Rio paisagem protegida, “chegan- Nome:linha dupla, para 400 e 220 kv, outro muito mais extenso. De Maior 1 “é menos extenso, do mesmo, numa extensão decriando condições para facto, o actual traçado ronda atravessa sobretudo zonas 1500 metros, a ter metade doreforçar a alimentação daque- os 41 quilómetros e envolve remotas de baixa altitude, sem corredor inserido dentro dalas duas subestações funda- 114 postes de apoio da linha proximidade a áreas urbanas”. Paisagem Protegida”. Morada: Azambuja Eco-Park ganha prémio nacional Código Postal: Telefone: O Eco-Industrial Park Azambuja (Fase 1) construído pelo grupo alverquense Turiprojecto ga-nhou o prémio nacional para o mel- hor empreendimento imobiliário para a indústria e logística atribuído pela Revista Imobiliária. O galardão pretende premiar a “qual- 2º a sua escolha: idade e a inovação da promoção imobiliária”. 6 meses 12 edições (7 euros) As obras desenvolvidas pela Construsan (empresa construtora do grupo Turiprojecto) iniciaram-se em 2008, com uma primeira 12 meses 25 edições (12 euros) fase destinada à Sonae MC, que instalou neste Eco-Industrial Park o seu novo centro de distribuição. O complexo desenvolve- 3º: O seu pagamento: se no antigo espaço da fábrica da Opel e envolve, no seu conjun- to, um investimento superior a 80 milhões de euros. Contempla Total a pagar: ainda a construção de uma área de serviços e comércio e equipa- mentos sociais. cheque dinheiro A concepção do Eco-Industrial Park Azambuja procurou apro- vale postal fundar o conceito de eco-eficiência, nas suas vertentes ecológi- ca, social e económica, assentando em sistemas eco-eficientes, Recorte e envie para: ao nível das energias renováveis, tratamento de efluentes, arqui- Jornal Voz Ribatejana tectura bioclimática, gestão de resíduos e sistemas de controlo de Centro Comercial da Mina Loja 3, Apartado 10040 iluminação. Um dos projectos imobiliários do 2600-126 Vila Franca de Xira Eco-Industrial Park Azambuja Tel: 263 281 329 vozribatejana@gmail.com
  • 19. 14+ CULTURA +Região Ribatejana #2 Agenda Cultural Família da colectividadeVila Franca de XiraExposição Colectiva de Artes Visuais “OPassado e o Presente/Outro olhar sobre a Baixo. Org: Associação Recreativa de Casais de Baixo. Abertura Oficial das Comemorações do festeja 120 anos do AteneuColecção do MNR” até 22 de Maio, no 110º Aniversário do Centro CulturalMuseu do Neo-Realismo. Azambujense, com concerto da Banda da Os 120 anos do Ateneu Artístico Vilafranquense estão a ser comemorados ao longo de todo oComemorações do Centenário de Alves Força Aérea, dia 20 de Maio, às 21h30, no mês de Maio.Redol: Páteo Valverde. Jantar Comemorativo dia 21Mês de Maio: Feira da Leitura, todos os sába- de Maio, às 20h00. Jorge Talixa Ateneu”, referiu, vincando que são sobretudo a vida que sedos, durante o dia, na Rua Almirante Cândido Benavente acredita que, até 19 de Maio de vive nelas e que têm um papeldos Reis; dia 15, “Percursos de Redol”, Exposição “Terra de Tapadas”, até 15 de O Ateneu Artístico 2012, será possível encontrar fundamental no desenvolvi-viagem à Nazaré e ao Mosteiro de Alcobaça, Maio, na Galeria 2 - Palácio do Infantado - Vilafranquense (AAV) cele- um construtor interessado em mento da cultura, da economiabaseado na obra um Fenda na Muralha; dia Samora Correia; brou, no dia 1, os seus 120 anos edificar 14 fogos naquele local, da qualificação e da auto-20, Viagem à Glória do Ribatejo, Alpiarça e Exposição de Fotografia “O 1º de Maio de de existência, com uma sessão espaço e pagar ao Ateneu uma estima.Casa dos Patudos, baseado na obra Glória, 1974”, até 21 de Maio, no Museu Municipal solene em que os discursos e verba mais do que suficiente “Nada supera a força de von-uma Aldeia do Ribatejo; Dia 27, às 21h30, Benavente. homenagens a praticantes e para regularizar as dívidas exis- tade das pessoas. O Ateneu temadaptação teatral de “Constantino, guardador Exposição de Pintura “Nas Minhas Mãos” associados foram intercalados tentes, que somam cerca de 400 feito uma série de iniciativasde vacas e de sonhos”, pelo Grupo de Teatro de Hermínia Mesquita, até 11 de Junho, no com várias peças interpretadas mil euros. “Não fora este pro- brilhantes e não se percebe pordo Zero, do Ateneu Vilafranquense, no Palácio do Infantado, em Samora. pela banda de música da cole- blema e o Ateneu estava a viver que é que as pessoas não vêmauditório desta colectividade. Dia Internacional dos Museus “Museus e ctividade. Até final de Maio um dos momentos mais tran- mais demonstrar essa vontade”,Lançamento do nº 5 da Revista “Nova Memória”, dia 18 de Maio, Atelier de sucedem-se as iniciativas quilos dos seus últimos 18 a 20 defendeu, por seu turno, o pre-Síntese”, dia 15 de Maio de 2011, pelas Pintura de Azulejos (público escolar) e dia integradas nas comemorações, anos. Se não conseguirmos sidente da Junta de Vila Franca,16h00, no Auditório do Museu Neo- 20, às 18h30, “Conversas com Memória”, no com realce para o Encontro de resolver isto, vai ser cada vez José Fidalgo.Realismo. Museu Municipal de Benavente. Bandas do Concelho de Vila mais difícil arranjar pessoas Já Alberto Mesquita, vice-pre-Ciclo de Conversas: Dar Vida aos Anos Espectáculo de angariação de fundos em Franca, que se realiza no dia 29 para estarem à frente desta sidente da Câmara vila-fran-“Como Melhorar a Memória”, dia 23 de favor de André Castanheira, dia 21 de e para a apresentação de instituição”, admitiu. quense, lembrou que aquele 1Maio, das 16h00 às 17h30, uma Iniciativa da Maio, às 21h30, no Cine Teatro de “Constantino, guardador de A cerimónia de dia 1 de Maio era, simultaneamente,Universidade Sénior de Vila Franca, no Benavente. vacas e de sonhos”, pelo grupo prosseguiu com a entrega de dia do Trabalhador, dia da MãePalácio da Quinta da Piedade. 90º Aniversário da Sociedade Filarmónica de teatro “O Zero”, no dia 27. medalhas a praticantes com 10 e dia dos 120 anos do Ateneu.5ª Caminhada “Amor do Peito” a favor das União Samorense (até 10 de Junho) “O Ateneu pode orgulhar-se da anos de actividade (Diogo “Ao longo destes anos tem sidopessoas com cancro da mama, dia 22 de Dia 21 de Maio, às 09h00, Treino aberto – sua história e do trabalho que Simões, Miriam Chaparro, feito um trabalho muito impor-Maio, às 10h00, em Vila Franca. Kenpo, na Zona Ribeirinha; às 15h00 Peddy tem vindo a desenvolver com Valter Anselmo, Carolina tante no Ateneu. Se não fossemConcentração junto aos Bombeiros. paper, vários locais; dia 28 de Maio, às as dificuldades que todos sabe- Pinto, Catarina Barros, Sara pessoas como o Mário Calado eSessão Comemorativa do Dia Municipal do 14h00, Festival de natação, nas Piscinas mos que existem”, frisou Mário Gilbert, Isabel Cruz e Filipa a sua equipa, era muito difícilBombeiro, dia 22 de Maio, às 16h00, em Municipais; às 21h00, Festival de folclore no Calado, presidente da colectivi- Simões Silva. Depois, Mário ao Ateneu continuar o seu tra-Vialonga. (Rua 28 de Setembro). Salão Nobre. dade, na abertura da sessão Calado destacou as ligações balho em prol da cultura e daAlenquer Encontro de Bandas Filarmónicas, dia 22 comemorativa. “Com muito familiares que se estabelecem formação dos jovens”, realçou.Exposição alusiva ao “14º Aniversário da de Maio, às 15h30, no coreto do Parque 25 de trabalho, muitas dificuldades e no seio da banda e nas múlti- Sobre o problema da dívida,Biblioteca Municipal”, até 31 de Maio. Abril, em Benavente. Integrado nas alguma imaginação e empenho plas actividades do Ateneu. Alberto Mesquita salientou queDia 17 de Maio, às 15h00, actividades desti- Comemorações dos 140 Anos da S.F.B. de todos os meus colegas da Pelo meio a banda, dirigida “imbuídos de espírito denadas a crianças e idosos e bolo de aniver- Infant’Artes – Mostra de Artes para a direcção, estamos a conseguir pelo maestro Délio Gonçalves, entreajuda iremos conseguir” esário. Infância, de 22 a 27 de Maio, no Centro viver alguma tranquilidade”, interpretou várias peças. que a autarquia dará todo o seuExposição "O campo do meu coração", de Cultural de Samora observou. Dinis Fonseca, presidente da apoio ao AAV para ultrapassarJorge Alexandre, até 7 de Junho, no Portal da Serões nas Bibliotecas “Os Poetas Nossos”, O presidente do AAV lembrou, assembleia-geral do AAV e rep- o problema. “Da nossa parteRota da Vinha e do Vinho, de Alenquer. dia 25 de Maio, às 21h00, na Biblioteca todavia, o grande problema que resentante da Confederação tem toda a disponibilidade paraComemoração do Dia Mundial da Dança Municipal de Samora. afecta a colectividade, que é a Portuguesa de Colectividades encontrar essas soluções. É pre-(29 de Abril), dia 15 de Maio, às 15h00, na necessidade de encontrar, ao de Cultura e Recreio (CPCCR), ciso que esta casa tenhaSede do Rancho Folclórico do Carregado. Salvaterra de Magos longo do próximo ano, salientou que a resolução do condições para ter esses meios.Festas do Império do Divino Espírito Feira do Livro 2011 - Uma iniciativa soluções para pagar a dívida de problema da dívida carece do Creio que nós todos con-Santo, até 12 de Junho, em vários locais de literária que irá percorrer todas as freguesias 283 mil euros ao BES. “Ou empenho e da luta de todos. seguiremos ultrapassar essasAlenquer. Mês de Maio, às 17h00: Dia 15, no do concelho, até ao dia 11 de Junho: Glória resolvemos ou então corremos “Quem luta pode perder, mas dificuldades para benefício daSalão da Junta de Freguesia de Ventosa (na do Ribatejo, 18 a 21 de Maio, na Casa do riscos de ficarmos sem o anexo quem não luta já perdeu”, nossa comunidade. O trabalhoCortegana); Dia 22, na Colectividade de Ota Povo da Glória do Ribatejo. onde funciona hoje a Escola de frisou. Já na qualidade de re- do Ateneu é um trabalho que– Ota; Sobral de Monte Agraço Música, é uma instalação indis- presentante da CPCCR, lem- não se pode perder de modoWorkshop de iniciação à prova de vinhos - Música para Pais e Bebés – Foco Musical, pensável à actividade do brou que estas colectividades nenhum”, concluiu.1.º nível, dias 18 e 19 de Maio, das 18h00 às dia 15 de Maio, às 15h00 e 16hh00, no Cine-21h00, no Portal da Rota da Vinha e do Teatro.Vinho. Teatro “Relativamente de Alan Ayckbourn”,Arruda dos Vinhos dia 21 de Maio, às 21h30, no Cine-Teatro.Festejos Anuais em Honra de S. Miguel, de15 a 22 de Maio, em Louriceira de Cima. SantarémSessão de Poesia, dia 28 de Maio, às 17h00, Festival Sementes “O Príncipe dapelos Trovadores do Vento “Esta Terra- Floresta” Teatro Infância, pelo Harém TeatroPersonagem”, no Auditório Municipal. – Teresina – Brasil, dia 15 de Maio, às 16h00,VI Festa da Comunidade, dia 28 de Maio, no Teatro Sá da Bandeira.das 09h30 às 20h30, na Terra da Cova da XX Encontro de Coros do Ribatejo, dia 15Irmandade de Nossa Senhora da Ajuda. Org: de Maio, às 15h00, no Convento de S.Irmandade de Nossa Senhora da Ajuda. Francisco em Santarém.Matiné “Com Raul e Eu” e Feira de Conferência “Voluntariado deVelharias, dia 29 de Maio, às 15h00. Local e Proximidade”, dia 20 de Maio, às 21h00, noOrg: Clube Arrudense. Teatro Sá da Bandeira.Mês de Maio - Filmes no Auditório, às IV SCALABIS - Festival de Tunas Femininas16h00: dia 15, “As Aventuras de Sammy – A da Cidade de Santarém, dia 21 de Maio, àsPassagem Secreta”; dia 22, “Entrelaçados”; 21h00, no Teatro Sá da Bandeira.dia 29, “As Crónicas de Nárnia: A Viagem do Ciclo de Conferências “Ribatejo no camin-Caminheiro da Alvorada”. ho de uma Identidade - Lugares, Territórios e Culturas”, dia 21 de Maio, àsAzambuja 14h30, no Centro Cultural Regional deXIII Mês da Cultura Tauromáquica - O Santarém (Fórum Actor Mário Viegas).Ribatejo no seu melhor, até 29 Maio, naAzambuja.Passeio BTT, dia 15 de Maio, em Casais de Coordenação: António Preto A intervenção de Mário Calado
  • 20. 15 Azambuja recebe, a 14 de Maio as V Jornadas Ibéricas “Por Um Tejo Vivo – em defesa do Tejo e dos seus afluentes”. Esta iniciativa, que se realiza pela primeira vez em Portugal, acolhe represen- tantes de inúmeras organizações de cidadãos e ecologistas de Espanha e Portugal, reunidas na “Rede de Cidadania por Uma Nova Cultura da 11 de Maio de 2011 Água no Tejo/Tajo”.Alhandra e Sobralinho recebemmostra nacional de jovens criadoresAté 5 de Junho decorre, no Palácio da Quinta Municipal do Sobralinho, a 14ª. Mostra Nacional de Jovens Criadores. Estão expostos 60 tra-balhos em facetas tão diversas como artes digitais, artes plásticas, design de equipamento, design gráfico, fotografia, ilustração, vídeo,música e joalharia.Jorge Talixa Português da Juventude, o Palácio do Sobralinho seja salientou que esta 14ª. Mostra “um espaço vivido e onde seO concelho de Vila Franca de Nacional de Jovens Criadores passam diversas activi-Xira recebe, este ano, a 14ª. “é uma manifestação cultural dades de índole difer- Jovens músicos, alunos da EscolaMostra de Jovens Criadores, importante, pela sua dimensão enciada”. Por isso, Reynaldo dosuma iniciativa do Clube e conteúdo” e constitui tam- o autarca do PS SantosPortuguês de Artes e Ideias bém uma “lição” ao demons- acrescentou(CPAI), apoiada pelo Instituto trar que “do nada é possível que a edili-Português da Juventude e pela fazer nascer novas formas e dade teve aCâmara vila-franquense. No que é sempre possível fazer preocu-Palácio do Sobralinho estão melhor e fazer diferente”. No pação deexpostos, até 5 de Junho, os 60 seu entender, esta iniciativa é fazer coin- domelhores trabalhos apresenta- também uma homenagem à cidir esta e mdos por jovens criadores com perseverança e ganha um ainda mostra muitosmenos de 30 anos. Na sexta- maior significado por celebrar com um outros pon-feira e no sábado, o palácio e o o Ano Internacional da conjunto Português tos do País.salão da Sociedade Euterpe Juventude. alargado de de Artes e Ideias “Estamos num espaço deAlhandrense acolheram um “Em Vila Franca gostamos de outras activi- para podermos preservação da memória e aconjunto diversificado de ma- aceitar desafios e gostamos de dades que estudar uma forma mostrar o futuro e outras visõesnifestações culturais, com criatividade”, disse, por seu incluem, no dia de colaboração mais do futuro. Apesar de todas asmúsica, dança, mostra de turno, Fernando Paulo Ferreira, 25 de Maio, um permanente”, concluiu. dificuldades, há projectos quevídeo, desfile de moda e lança- vereador da Câmara de Vila seminário sob bio- Já António Galamba, go- tentam dar outras visões e abrirmento do catálogo “Jovens Franca de Xira com o pelouro diversidade e, ainda vernador civil de Lisboa, horizontes. É sempre positivoCriadores’10” e da colectânea da juventude, salientando a este mês, uma reunião realçou a forma como a realiza- dar oportunidade aos jovens“Jovens Escritores 10”. importância desta mostra dos vereadores da educação ção desta mostra no Palácio do para que possam mostrar o seuNa abertura, Helena Alves, nacional e a forma como o dos 18 municípios da Área “Deixamos Sobralinho, representa um trabalho e afirmarem-se cadapresidente do Instituto Município tem procurado que Metropolitana de Lisboa. ainda um desafio ao Clube exemplo que deveria ser segui- vez mais”, rematou. EDITAL Nº 192/2011 MARIA DA LUZ GAMEIRO BEJA FERREIRA ROSINHA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRAN- CA DE XIRA Faz saber que, com a publi- cação da revisão do PDM, estão reunidas as condições para a permuta de terrenos com a CIMPOR e consequente alteração do limite da Reserva de Margas e Calcários: 1. Neste sentido, ficam notifi- cados a comparecer na Divisão de Qualificação Urbana do Departamento de Planeamento, Gestão e Qualificação Urbana, sita na Rua Manuel Afonso de Carvalho, nº 27, em Vila Franca de Xira, no horário compreendido entre as 9h00 e 12h30 e das 14h00 às 17h30, todos os interessados/propri- etários dos lotes de terreno, delimitados na planta que se anexa, sitos no Casal da Colher, Zona Alta de Arcena, em Alverca do Ribatejo. Nos termos dos artigos 100º e 101º do Código do Procedimento Administrativo, Decreto-Lei nº 442/91, de 15 de Novembro, com a redacção dada pelo Decreto-Lei nº 6/96, de 31 de Janeiro, dispõem os interessados de 20 dias para alegarem o que se lhe oferecer sobre o assunto. 2. Procede-se à notificação por Edital, nos termos da alínea d), do nº 1, do artigo 70º do CPA – Código do Procedimento Administrativo, depois de se terem frustrado várias tentativas para efectuar a notificação postal e pessoal aos interessados. Para constar se publica o presente edital, e outros de igual teor vão ser afixados nos locais do costume, no local a que o mesmo alude e na sede da Junta de Freguesia de Alverca do Ribatejo. E eu, Maria Paula Cordeiro Ascensão, Directora do Departamento de Administração Geral, o subscrevi. Paços do Município de Vila Franca de Xira, 27 de Abril de 2011 A Presidente da Câmara Municipal, - Maria da Luz Rosinha -
  • 21. 16+ TAUROMAQUIA +Região Ribatejana #2Vila Franca de XiraMário Coelho esperava maisda Escola José FalcãoConsiderado nos anos 50 “O Melhor Matador de Toiros do Mundo”, o vila-franquense Mário Coelho diz não ter dúvidas que a cidade de Vila Franca de Xiraterá um Museu da Tauromaquia. O matador diz que tem esperança que a presidente da Câmara Maria da Luz Rosinha vá cumprir a promessa feita no primeiromandato e lamenta a falta de jovens toureiros saídos da Escola José Falcão.Miguel António Rodrigues ter o mesmo número (de mata- devem-se entregar totalmente à dores de toiros) que a escola de Escola José Falcão e que osEm entrevista à Rádio Badajoz, por exemplo”. É que, responsáveis da escola “têm oRibatejo, o matador de toiros segundo Mário Coelho, saíram dever moral de os acarinharemvila-franquense Mário Coelho daquela escola espanhola “fi- e de darem tudo o que sabemafirma que não tem havido guríssimas máximas do da sua sapiência”. Com muitasmuitos novos valores saídos da toureio. Então e de Vila Franca, raízes e tradições taurinas, aEscola Toureio José Falcão. que é igual a Badajoz em ter- cidade de Vila Franca de XiraQuando compara os tempos em mos de grandeza, não saem já merecia um museu da tauro-que lançou Rui Bento Vasquez dali matadores de toiros?”. maquia. Esta é, aliás, umaou o Pedrito de Portugal, Mário Perante as dúvidas, Mário promessa da actual presidenteCoelho lembra-se de outras Coelho refere que, nestes ter- da câmara, Maria da Luzépocas, nomeadamente do mos, não é possível fazer Rosinha, promessa essa quetempo em que os interesses “matadores de toiros em Vila data do seu primeiro mandato,comerciais não vingavam tanto Franca”. E dá como exemplo mas que ainda não saiu donas lides dos toureiros “o Tó Jó, que é um belíssimo papel.nacionais. toureiro, andou aqui na escola Ainda assim, Mário Coelho diz“Nenhum dos meus alunos me no princípio mas onde se fez que tem esperança de verpagou um centavo”, sublinha, foi em França”. implantado em Vila Franca dereferindo que a Escola de Salienta, também, que o caso Xira um Museu daToureiro José Falcão tem gasto de José Luis Gomez é idêntico. Tauromaquia. Diz que a “pre-pequenas fortunas. “É disso “Ele não treina ali. Anda em sidente cumpre sempre com aque me admiro. Porque é que Lisboa a treinar”, refere, acres- sua palavra, tenho fé nela e elase gasta tanto dinheiro, mi- centando que “tem o nome de tem feito muito pela tauro-lhares de contos, num ano e treinar na escola de Vila Franca maquia”.não saem matadores de para conquistar as novilhadas O matador de toiros reconhecetoiros?”, interroga-se. espanholas que dão à escola de que a autarca é “uma grandeMário Coelho acha que, “com Vila Franca. Portanto penso aficionada” e, embora muitaso dinheiro que a câmara gentil- que está errado” vezes não esteja de acordo commente tem ajudado a Escola O matador de toiros vila-fran- ela, sabe que “ela também nãoJosé Falcão, essa escola devia quense diz que os jovens está de acordo com outras Mário Coelho no dia da coisas minhas. Agora, eu entrevista ao Voz Ribatejana admiro-a e respeito-a”, susten- ta, porque “foi uma presidente um último mandato, Mário mesmo alguém que já chamou e colocam na televisão. Vêem que cuidou muito e fez muito Coelho diz ter a certeza que a Vila Franca de Xira “A uma corrida de toiros e depois pela festa”. Maria da Luz Rosinha vai Sevilha Portuguesa”. Uma vêm para a rua tomar um café e Mário Coelho diz que é impor- cumprir com a sua palavra e frase que já não assenta tão fumar um cigarro e já sabem tante a existência de um Museu espera que se consiga “um bem, até porque os tempos mais que o critico que ouvi- da Tauromaquia em Vila local interessante e bonito” na mudaram radicalmente. Ainda ram”. Mário Coelho diz que Franca de Xira. Um espaço terra “para porem o rico assim, Mário Coelho destaca sente essa situação com fre- que, segundo o matador de espólio que devem ter os meus que “é uma coisa que já se quência e lamenta o facto de toiros, deve ter todos os colegas e eu próprio”, salienta, ouve há muito tempo”. Para o alguns dos aficionados de hoje toureiros do pais e do destacando ainda ter em casa matador de toiros, Vila Franca, não gostarem de aprender. estrangeiro e que “faça com muitos objectos que não estão nos anos 50, “era muito tauri- Com as festas da Feira de Maio que as pessoas adultas e as cri- em exposição na sua casa- na, tinha aqui o campo, tinha o em Azambuja e do Colete anças conheçam coisas que já museu e que não coloca de rio, tinha ganadarias, uma Encarnado em Vila Franca de estão no esquecimento”. parte a hipótese de ceder a um praça de toiros e três matadores Xira à porta, o matador de Mesmo com o país a passar por projecto que envolva o Museu de toiros (José Falcão, José toiros diz não ter dúvidas que um momento difícil e com a da Tauromaquia. Júlio e Mário Coelho) e muitos “Azambuja já está a respirar presidente de câmara a cumprir Com tantas tradições houve bandarilheiros e novilheiros”. mais tauromaquia do que Vila Mas este cenário reporta-se aos Franca de Xira” e enaltece o anos 50, 60, e 70 e “era boni- trabalho das tertúlias de to”, vinca o matador de toiros, Azambuja que “estão mais em frisando que o cenário é agora silêncio e querem aprender diferente, é impossível qual- mais, e há pessoas que têm quer comparação entre Sevilha muita sensibilidade. Já noutros e Vila Franca. Todavia naquela sítios citamos uma coisa e eles época “era a terra mais taurina esquecem”. Mário Coelho do país, sem dúvida nenhuma”. salienta ainda que falta respeito Antes, até os aficionados eram e humildade no meio. Em diferentes. “Gostavam de Espanha o sentimento é dife- saber, de ter notícias e rente “cá em Portugal, falta gostavam de aprender”. Hoje respeito e a ética desapareceu. os tempos mudaram e Mário É quase o tratamento tu cá, tu Coelho lamenta que nos dias lá”, diz, garantindo que segue de hoje haja “um grupo de com muita atenção os poucos pseudo aficionados que não novos valores que vão apare- sabem nada, compram cassetes cendo no país.
  • 22. A Câmara de Alenquer promove, a 18 e 19 de Maio, um workshop de ini- ciação à prova de vinhos. A iniciati- va, que decorrerá no Portal da Rota 09 da Vinha e do Vinho de Alenquer, é coordenada pelo engenheiro 11 de Maio de 2011 Mário Botelho e tem um custo de 30 euros.Alternativa de Marcelo Mendes Foto de Ana Serra Semana sem Clube Taurinoenche Palha Blanco O Clube Taurino Vilafranquense (CTV) decidiu não partic- ipar, este ano, na organização da Semana da Cultura Tauromáquica, devido “à falta do compromisso da CâmaraAntónio Dinis Lúcio para se ter a mente limpa e maior Municipal na cedência do edifício da Patriarcal”, refere a capacidade de raciocínio para, direcção da colectividade em comunicado, onde sustentaO passado domingo fica marcado rapidamente, resolver os proble- que aquele local estava “prometido para que nele real-pela moldura humana que quase mas que os toiros trazem. izássemos todos os actos do referido certame”. A Câmara delotou a centenária praça de toiros A emoção do momento do brinde Vila Franca de Xira não comenta a posição do CTV, masde Vila Franca de Xira. Era a de Marcelo Mendes a Álvaro garante que a Semana da Cultura Tauromáquica se fará, àtarde sonhada pelo cavaleiro Silva, seu grande mentor e dono mesma, no final de Junho, “com os parceiros que seMarcelo Mendes, a tarde da sua da quadra de luso-árabes que o mostraram disponíveis para tal, a saber: Câmara Municipal,alternativa e sem dúvida fica na cavaleiro utiliza, demorou a pas- Escola de Toureio José Falcão, Casa-Museu Mário Coelhohistória. Um feito notável de sar seguramente e isso sentiu-se e Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca”, assegura apúblico participativo só visto em na lide que deu ao seu primeiro edilidade em resposta ao Voz Ribatejana. No seu comuni-casos especiais como a home- toiro. Marcelo Mendes procurou cado, a direcção do CTV afirma que a sua posição “não põenagem a Mestre Baptista, a corri- impor-se a um toiro que foi de em causa as nossas melhores relações para com a autarquia,da dos Miuras e o festival a Pitó.. mais a menos e depois de dois não inviabilizando futuras parcerias que possamos vir aNas bilheteiras da praça ficaram compridos razoáveis, a série de acordar, sempre na defesa e promoção do bom nome de Vilaapenas cerca de cem bilhetes a curtos foi razoável. Mas o toiro Franca e das nossas tradições”. Mas lamenta que “amostrar que quando o cartel tem descaíu para tábuas e aí de fechou memória, infelizmente, seja muito curta, em relação a umainteresse a festa é viva e e o jovem cavaleiro tentou por 3 colectividade que nos últimos três anos tenha tido comorecomenda-se. Há muito que não vezes o ferro de palmo, que não objectivo principal elevar o nome do Município de Vilavíamos um cavaleiro tão foi capaz de deixar no toiro. Franca a níveis que se calhar não estava habituada”. Nestes“taquillero” arrastando uma Por força da exigência popular últimos anos, o CTV empenhou-se bastante na organizaçãopequena multidão atrás de si. deu volta com o forcado João do evento e pretendia, este ano homenagear o matador VítorUma alternativa histórica sem Brito, dos Amadores de Mendes, mas não aceita o problema ligado à Patriarcal. “Adúvida, mostrando a força da Santarém, que efectuou rija pega volta à arena pelo forcado de Vila duros e difíceis, estes toiros, que edição deste ano, apesar de um corte orçamental em 25%,festa brava. de caras ao primeiro intento. No Franca Ricardo Patusco, que se pastavam nos campos da tinha todo o nosso empenho para que tivesse a mesma dig-No conjunto global, a corrida que encerrou praça, de muita pre- fechou com muita técnica e Castanheira do Ribatejo, trouxer- nidade a que nos habituámos. Para além das numerosasteve raça, trapio mas foi muito sença e bastante manso, voltou a decisão à primeira. am emoção às bancadas. actividades propostas, a edição deste ano seria dedicada aosdura e difícil de digerir por parte sentir dificuldades na escolha dos Vítor Ribeiro andou em plano de Boa direcção de corrida a cargo 30 anos de alternativa do Maestro Victor Mendes”, concluide cavaleiros e forcados. Os terrenos e na abordagem ao toiro. total entrega, como é seu hábito, e do Delegado Técnico Sr. Ricardo o CTV.Canas Vigouroux já tinham Cumpriu nos compridos e deixou esbarrou também com dois Canas Pereira, assessorado pelo veter-mostrado essa dureza no campo, os dois primeiros curtos em sortes Vigoroux que não deram facili- inário dr. Jorge Moreira da Silva. J.T.no dia anterior, aquando do à tira e ainda outros três, desta- dades, sofrendo alguns toques.enjaulamento e na praça cando-se no de violino que encer- Mas a garra de Ribeiro veio aomostraram esse domínio, pedindo rou a sua lide. Deu volta acom- de cima e teve uma boa actu-meças, causando emoção e muito panhado do forcado Márcio ação no primeiro do seu lote,sururu nas bancadas. Francisco, de Vila Franca, que com dois bons curtos em quar-Para a história fica, assim, a executou rija pega de caras à teios bem desenhados. Difícillotação e também a história do segunda tentativa. Em ambos os foi a tarefa dos forcados deprimeiro toiro de cavaleiro profis- toiros sofreu toques fortes. Santarém que só à quarta tenta-sional de Marcelo Mendes. Eram Luís Rouxinol deu a volta ao seu tiva o “agarraram” por intermé-17h12 minutos quando Luís primeiro com a habitual maestria dio de Diogo Sepúlveda, queRouxinol cedeu o ferro comprido mas, tal como os seus compan- saíu bastante maltratado. Noa Marcelo Mendes na cerimónia heiros de cartel, não se livrou de quinto de novo teve de porfiarde alternativa, cedendo-lhe tam- alguns toques mais fortes nas para sacar o manso das tábuas,bém a lide do primeiro da tarde, montadas. Esteve bem a cravar os cumprindo a papeleta commarcado com o n.º 205 e 530 kg. compridos e com os curtos esteve entrega e deu volta à arenaMarcelo brindou a Álvaro Silva, em plano aceitável, rematando acompanhado de Antónioda Sicasal, a sua primeira lide com um bom par de bandarilhas. Imaginário, dos Amadores de HÁ 21 ANOS AO LADO DE CADAcomo cavaleiro de alternativa. Deu volta com o forcado Pedro Santarém, que só à quarta con-Momento sempre singular, mas Castelo, de Vila Franca, que fez seguiu consumar uma dura pega FAMÍLIA, COM TUDO O QUE O UTENTEao mesmo tempo de exigência de uma boa cara à segunda. No quar- de caras. NECESSITA: MÉDICO - ENFERMAGEM -transcendência para quem chega to da tarde, manso e a fechar-se Curro bem apresentado daa esse importante patamar e, por em tábuas, teve de porfiar para ganadaria Canas Vigoroux, FISIOTERAPIA- ACTIVIDADESisso, também, momento de algum deixar com mérito a ferragem da alguns deles de bastante trapio, SOCIAIS - ETC.nervosismo que urge ultrapassar ordem. Foi acompanhado na mas por aí se ficaram. Mansos, | ÓPTIMAS INSTALAÇÕES té | QUARTOS DUPLOS, TRIPLOS tos a Aber horas! às 23 E INDIVIDUAIS | AQUECIMENTO CENTRAL OS MELHORES MÉDICOS E SERVIÇOS A PREÇOS MAIS BAIXOS | ELEVADOR - CONSULTAS DE CLÍNICA GERAL E DOMICÍLIOS | AMPLOS ESPAÇOS VERDES GRATUITOS - CONSULTAS DA ESPECIALIDADE A BAIXO CUSTO VENHA CONHECER ESTE ESPAÇO - MEDICINA DENTÁRIA A PREÇOS ACESSÍVEIS ACOLHEDOR PARA O SEU IDOSO - ANÁLISES CLÍNICAS - EXAMES COMPLEMENTARES - ENFERMAGEM E AULAS DE PREPARAÇÃO PARA O PARTO VISITE-NOS! - RECEITUÁRIO - E MUITO MAIS! Rua da Esperança nº 1 Casal das Eiras Alenquer a 2km de ArrudaVENHA CONHECER-NOS EM ALVERCA: dos Vinhos tel: 263 759 481 - 936 175 188 ALVARÁ Nº03/2011Rua Projectada ao Choupal Edifício A Loja A
  • 23. 10 “ DESPORTO voz ribatejana #12Taça do Centenário daAFL ficou em AlvercaCom um percurso irrepreen-sível de 7 vitórias, em queeliminou, inclusivamente,quatro equipas da Divisão deHonra, o Futebol Clube deAlverca conquistou, no dia22, a Taça da Associação deFutebol de Lisboa (AFL),troféu que, de modo muitosimbólico, assinala também,este ano, o centenário daAFL. O Voz Ribatejana,depois da notícia já publicadana edição anterior, destacaeste feito dos homens deAlverca, agora já ilustradocom algumas das imagensmais marcantes da vitóriaobtida na final, perante o VilaFranca do Rosário. No finaldos 90 minutos as equipasestavam empatadas a 3 golos.O Alverca marcou primeiropor intermédio de Mané e O onze de Alverca alinhou da seguinteforam, depois, Nelinho e TóJó a carimbarem os empates forma:2-2 e 3-3. Nas grandes pena-lidades, o FCA superiorizou- Rui (capitão), Ruben, Alhinho, Nobre, Djaló, Junior, Claudio, Frota, Nelinho,se claramente e triunfou por Tó Jó, Mané. Entraram também Fábio, aos 60 minutos, para o lugar de Mané;5-3, com disparos certeiros Gonçalo e Ferra, aos 91 minutos, substituiram Ruben e Nelinho. Já no pro-de Djalo, Pipoca, Junior, longamento Pipoca entrou para o lugar de Cláudio.Ferra e Gonçalo. Xirabasket junta 250 jovens atletas A edição 2011 do Xirabasket revelou-se um sucesso, reunindo 250 praticantes de 23 equipas. A União Desportiva Vilafranquense, para além de envolver 30 pessoas na organização, alcançou uma boa prestação desportiva, com duas equipas a atingirem as finais dos respectivos escalões: sub 14 e sub-16. Para a história, publicamos nesta edição uma das fotos de família do Xirabasket 2011.
  • 24. 12 “ DESTAQUE voz ribatejana #12 Sede Praça D. Afonso V nº 5B 2615-357 ALVERCA DO RIBATEJO Telef: 21 9580770 - 96 4008659 - 96 5249749 Filial: R. Padre Américo nº85 c/v Esqª 2625-394 FORTE DA CASA Telef: 21 9560189 - 96 5240138 - Fax: 21 9531857Em frente aos correios de Alverca mail: agencia_machadovictor@hotmail.comtel: 21 958 45 37 Web: www.audiovital.pt Site: www.agenciamachadovictor.com ALUGA-SE Nos piores momentos Castanheira do Ribatejo (Centro) oferecemos-lhe as melhores condições Quarto com todas as serventias (Com crédito Telemóvel: até 30 meses) 963 777 333 Funerais Trasladações Artigos ALUGA-SE SERVIÇO PERMANENTE Religiososagência.vilafranquense@hotmail.com Florista Casa de 4 Rua Henrique Ferreira Ruivo nº 23 Alverva (junto ao antigo mercado)Rua José Dias Silva 47 - Vila Franca de Xira assoalhadas Telef.:219 573 454 Fax: 219 585 251 - Telem: 962 148 518 / 19 / 20 / 21 em www.funerariaalverquense.ptRua República 147-B - Póvoa Santa Iria Castanheira do RibatejoTravessa Figueira 1-A - Santa Iria Azóia Telemóvel: 919 030 177 TARÓLOGA TARÓLOGA ARRENDA TUDO PARA Ajudo a ter sucesso INFORMÁTICA em todas as áreas da sua vida. Vila F Xira Qta da Grinjaeliminação de vírus, spyware e malware | recuperação AMOR, INVEJAS, FAMÍLIA,de dados | reparação de PC’s | configuração de redes | PROFISSÃO E Apartamento T2 c/s NEGÓCIOS mobiliário soluções empresariais | computadores à medida Valor renda: 385 Tl: 935 086 123 Com marcação euros (negociável) máximo sigilo SANTARÉM Tl: 969 073 435 Castanheira do AGRADECIMENTO Vila F Xira Ribatejo- Alhandra Alverca do -Foros de Ribatejo Hospital de Vila Franca de Xira Salvaterra Serviço de sangue, pois foi aqui que tudo começou, Dra. Dina Pereira. Laboratório de Análises, Drs Lucia, Manuela e Adelaide. Hospital Dia, Dra Ana Alcazar, Dra Vera, Dra Alice Manuel Silva Etelvina Frazão, Dra Alda Marujo, Enf. Adália, Enf. Fernanda, José Barras Drs Ana Granha, Palmira, Berta e Mira. (Guedes) dos Anjos Romana Farmácia, Dra Joana, Dra Marta, Dr. Fábio. JOSÉ JOAQUIM Fernandes AGRADECIMENTO AGRADECIMENTO Voluntários, Drs Rosinha, Virgínia, Felismina, Alice, FERREIRA AGRADECIMENTO Lurdes e Luís.Seus filhos, netas, bisne- PENTEADO Sua esposa, filhos, irmãos, noras, netos e restante Seu marido, filha, genro, Dra Maria João, Assistente Social, que me abraçoutos e restante família na família, na impossibilidade deimpossibilidade de o faz- Nasc. 11/03/1949 netos e restante família, vêm, na última batida, do coração do meu marido. Falec. 02/05/2011 o fazer directamente e pes-erem directamente e pes- por este meio, agradecer, a soalmente, vêm, por estesoalmente, vêm, por este meio, agradecer, muito recon- A todos os que não nomeei, por não saber o nome,meio, agradecer, a todas AGRADECIMENTO todas as pessoas que acom- hecidamente, a todas as pes- mas que também estiveram ao nosso lado.as pessoas que acompan- panharam a sua ente querida soas que acompa-nharam o Sua Esposa, Filhas, Genros,haram o seu ente querido à sua última morada, bem seu ente querido à sua última Não sei exprimir o meu obrigada, pois nada chega. Netos, Irmãs, Cunhados,à sua última morada, bem morada, assim como a todos Sobrinhos e Restante Familia, como assim a todos aqueles Obrigada por terem tratado o meu marido com tantocomo assim a todos aque- os que, de algum modo, lhesles que lhes manifestaram Na impossibilidade de o faz- que lhes manifestaram o seu carinho, cuidado e tudo terem feito por ele. Foi feliz manifestaram o seu pesar.o seu pesar. erem directamente, vêm por até à hora de fechar os olhos, porque o compreen- este meio, agradecer a todas pesar. deram e a mim. Um abraço meu e dele. as pessoas que se dignaram, acompanhar, o seu ente queri- Tratou:Tratou: Agência Funerária Tratou: Funerária Alverquense Lda. Bem Hajam do à sua última morada. AssimVilafranquense Agência F. Machado Lda. Tel: 219 573 454 como a todos o que de algumTel e fax: 263 272 083 V F. Xira Tel: 263 272 302 Telm: 962 148 518/19/20/21 Vitória e Alfredo Lourenço modo, lhes manifestaram oVila Franca de Xira Alhandra Tel: 219 501 408 Alverca seu pesar.
  • 25. A Secção de Karaté do Futebol Clube de Alverca (FCA) pro- move, no próximo domingo (15), a vigésima-quarta edição do seu torneio anual. A prova realiza-se no pavilhão do FCA a partir das 9h. O objectivo da iniciativa é “incentivar a prática 11 desta actividade em particular nas camadas mais jovens”. 11 de Maio de 2011 Divisão Distrital AF Lisboa Regata liga Vila Franca a Lisboa J V E D Golos P A 24ª. Regata Entre Pontes realiza-se, nos próximos dias 21 e 22, numa organização da Resultados da 27ª. Jornada Secção Náutica da União Desportiva Vilafranquense. A prova destinada a veleiros de cruzeiro deverá reunir, este ano, cerca de três dezenas de embarcações, que Vialonga 1-2 U. Tires vão ligar as pontes de Lisboa e Vila Franca. A partida será dada, ao A. Charneca 2-0 V.Franquense princípio da tarde de sábado, dia 21, na zona de Belém, prevendo os Lourel 1-2 F. Benfica Prova organizadores que a primeira etapa termine entre as 16 e as 17h00 Linda Velha 2-2 Pêro Pinhei. junto a Vila Franca. À noite haverá jantar e convívio entre os par- decorra nos dias 21 Alta Lisboa 3-2 Ericeirense ticipantes. O regresso a Lisboa é na manhã de domingo. Os interes- Lourinhanense 3-1 Ponterrol sados poderão obter mais informações e fazer ainda sua inscrição na e 22 Algés 3-0 Encarnacense Secção Náutica da União Vilafranquense ou na Associação de Montelavar 1-2 Cacém Veleiros de Cruzeiro, em Lisboa Derrota na Alenquer e Benfica recebeu e Charneca venceu americanos trama Vilafranquense Vasco Antão O Vilafranquense não conseguiu evitar a derrota, no domingo, no terreno do Charneca e perdeu ter- reno para os dois primeiros colocados da Divisão de Honra, estando já a 5 pontos do Futebol Benfica, No passado dia 16 de Abril realizou-se, no Campo das Paredes, em Alenquer, um jogo classificado na segunda posição. Os homens de Vila Franca subiram ao terceiro lugar na jornada de carácter amigável, entre os juvenis do Sport Alenquer e Benfica e a equipa norte- anterior, depois da vitória sobre o Algés, mas a luta pela subida aos nacionais fica, agora, mais difí- americana do Connecticut Football Club. A equipa dos Estados Unidos esteve em cil. Já o Vialonga manteve a sua prestação irregular e perdeu, em casa, perante o antepenúltimo Portugal a realizar um estágio, entre os dias 13 e 19 de Abril, tendo ficado hospedada na União de Tires. O onze de Vialonga segue a meio da tabela com menos 5 pontos que o Nazaré. A formação do Alenquer e Benfica recebeu o convite para este encontro, que foi Vilafranquense. Faltam quatro jornadas para o fim e, no próximo domingo, o destaque vai para a visi- desde logo aceite de bom agrado. O Connecticut é presidido pelo português Vítor ta do Vialonga ao campo do Futebol Benfica. Já o Vilafranquense recebe o Montelavarenses e é Santos, radicado nos EUA há cerca de 50 anos e natural de Alcobaça. Já agendou, entre- claramente favorito. Na luta pela subida, o Pêro Pinheiro recebe o Alta de Lisboa e o Ponterrolensses tanto, uma nova visita a Portugal para o próximo ano, mas apenas com atletas com a folga. idade de 15 anos. No jogo realizado nas Paredes, a equipa de Alenquer venceu por 1-0, golo de Pedro Coelho (lateral esquerdo) ao minuto 15 da 1ª. parte, num remate forte e colocado, 1ª. Divisão Distrital de Lisboa – Série 1 descaído do lado esquerdo como atacava a equipa da casa. O jogo pautou-se pelo equi- líbrio entre as duas formações, ambas criaram várias situações de golo e empolgaram J V E D Golos P as mais de 300 pessoas que assistiram ao desafio. Resultados 27ª. Jornada Este jogo levou os jovens de Alenquer a terem uma motivação extra, pois foi o seu primeiro jogo internacional, apesar de amigável, em que não existem pontos em dispu- Santa Iria 2-3 Alverca ta, mas sim honra e dignidade e convívio entre duas nações e dois clubes, com duas cul- Casalinhense 1-2 Buc. turas sociais e desportivas onde as diferenças sempre existem. Jeromelo 1-2 Povoense Murteirense 3-3 Bocal J. Cast. 2-1 UD Recreio O plantel do Alenquer: Coutada 1-3 VF Rosário Arneiros 2-4 Venda Pinheiro Equipa Técnica : Ricardo Carvalho e Tiago Hilário. Mt. Agraço 2-2 São Pedro Delegado: António Franco. Massagista/fisioterapeuta: Martins e Fernando. Guarda-Redes: Diogo Leal e Tiago Alverca à Defesas: João Ricardo, João Costa, Diogo Costa, Pedro Coelho, Bruno, Diogo Francisco, Fábio Mata e João Francisco. beira da Médios: André Ribeiro, Gustavo, Rogelson, Miguel Romão, Rui Heleno, David Vilar e Lau. Avançados: Pedro Franco (C), João Paulo, Kewin e Daniel. subida Uma vitória suada por 3-2, no terreno do Santa Iria, deixou o Futebol Clube de Alverca às portas da subida, com dois pontos de vantagem sobre o vizinho Bucelenses a apenas uma jornada do fim. No domingo, o Alverca recebe o Murteirense e poderá festejar a subida. O Bucelenses recebe o Juventude da Castanheira, que está tranquilo a meio da tabela e bateu, no domingo, o União e Recreio de Vila Nova da Rainha. Em franca recuperação está o Povoense, que foi, agora, ganhar ao campo do Jeromelo, depois de na jornada anterior ter empatado no terreno do São Pedro. Mais difícil vai ser a deslocação, no próxi- mo domingo, ao campo do líder Vila Franca do Rosário. O União e Recreio recebe o Arneiros. Carregado ganha nos Açores e garante 5º. lugarVialonguíadas movimentam O Carregado fechou uma excelente participação na zona Atémilhares 26 de sul da II Divisão Nacional com uma vitória por 3-1 no terreno do lanterna vermelha Praiense dos Açores. itória Junho Com 47 pontos, fruto de 14 vitórias e 11 derrotas, os homens do Carregado conseguiram fazer umDurante quase dois meses, a edição 2011 das Vialonguíadas movimentamilhares de praticantes das mais diversas modalidades. Relançados no ano campeonato tranquilo. Depois de alguma trem- V 1 or 3-passado, os jogos desportivos da freguesia de Vialonga, organizados pela Junta de ideira inicial, embalaram para uma excelenteFreguesia, já decorrem desde o passado dia 7 e prolongam-se até 26 de Junho.No sábado houve torneio de ténis no court do Quintanilho e, no domingo, foi a Sociedade segunda volta e para um bom quinto lugar na tabela à frente de rivais como o Oriental, o pRecreativa da Granja a organizar um passeio de BTT. Louletano, o Farense e o Casa Pia.
  • 26. 13 “ portuguesas (2)Marcas AUTOMÓVEIS & HISTÓRIALusito (1954)Características Técnicas: 6cv, 1 cilindro, 360 ccAntónio Gonçalves Baptista,tal e qual como aconteceu poressa Europa fora, a seguir à IIGuerra Mundial, concebeu umpequeno automóvel, o Lusito,reflexo lógico das grandes difi-culdades económicas exis-tentes na altura. Estes normal-mente eram movidos atravésde motores de explosão a doistempos e com dimensões epeso bastante reduzidos. Aexemplo dos pequenos produ-tores alemães, como a Loyd,Champion, a Fuldamobil, aMesserchmit ou a Glas, querepresentavam 7% do volumede produção alemã, percebe-sebem a importância dospequenos construtores.O AGB Lusito conseguiu umprimeiro triunfo importante: ou embraiagens, tendo o cons- acabou por constituir opassar incólume na inspecção trutor recebido um prazo limite primeiro testemunho de umaefectuada pela Direcção-Geral para iniciar a produção em aventura frustrada, mas, apesarde Viação, que lhe concedeu a pequena série. No plano técni- de tudo, muito interessante sobrespectiva homologação para co e tendo em conta as expe- o ponto de vista técnico. A suaconstrução, corroborada mais riências similares efectuadas existência transformar-se-ia,tarde em Diário da República. noutros países, o projecto AGB após um encontro fortuito emO segundo passo a dar seria Lusito tinha condições para se Porto de Mós, no novo IPA.arranjar um financiador, aí a desenvolver e ganhar algumaúnica porta que se abriu para importância no contexto do IPA (1958)este projecto foi o senhor mercado nacional. Mas o AGB Características Técnicas: 15António dos Santos Torres, de Lusito mais não fez do que jun- cv, 2 cilindros, 300 cc, 3Tondela, na altura já dono de tar-se ao rol de tentativas velocidadesum pequeno império industrial. empreendidas por portuguesesA autorização de produção foi, no domínio da produção em Como descrevi, o Lusito deuefectivamente, concedida, com série, como a ATA e a Edfor. origem ao IPA. O engenheiro tinha entre mãos apenas umaa condição de não fabricarmotores, caixas de velocidades Assim, o AGB Lusito, com o número de matrícula IG-20-93, João Monteiro Conceição percebeu rapidamente que ideia e uma homologação, mas que seria, sem dúvida, uma ASSINE O VOZ RIBATEJANA oportunidade única aproveitar a evolução do con- de CONDIÇÕES PARA O RESTO DA EUROPA ceito do Lusito. Com as exper- Clássicos iências entretanto efectuadas, 1º Os seus dados: rapidamente se concluiu que o de aviação motor deveria ser mais potente e, sobretudo, mais elástico e Nome: que as linhas da carroçaria de- veriam ser mais fluidas e mo- dernas. No dia 8 de Maio fomos A partir da inspiração do con- Morada: visitar o Museu do Ar na ceito do Lusito nasceu o IPA concentração que orga- 300, em duas versões de ca- nizei em Vila Franca de rroçaria: a primeira numa ver- Xira. Por isso deixo-vos são 2+2 e a segunda num ele- Código Postal: imagens relacionadas gante Coupé. A base mecânica com a aviação e os clá- era a do veículo inglês Astra, País: Telefone: ssicos referentes à déca- um pequeno veículo comercial da de 20. Estava-se equipado com um motor numa época de veloci- 2º a sua escolha: British Anzani de 2 cilindros, 2 dade. A mudança de sil- tempos, com aproximadamente 6 meses 12 edições (20 euros) hueta da mulher era 15 cv. encarada com apreensão 12 meses 25 edições (40 euros) Foi apresentado na Feira das nalgumas revistas. No Indústrias Portuguesas de 3º: O seu pagamento: entanto, na Vogue, era 1958, com a presença do presi- encarada como benéfica. dente da República Craveiro Total a pagar: “Chega-se ao ponto, Lopes e de Marcelo Caetano. O demasiado ousado para a automóvel era bastante ele- cheque dinheiro vale postal época, de se questionar gante e harmonioso, atraindo se as mulheres não pas- as atenções de governantes e sarão a usar um dia Recorte e envie para: do público em geral, mas mais calças em vez de saias, Jornal Voz Ribatejana uma vez não conseguiu passar questionava-se nalguns pela burocracia nacional, Centro Comercial da Mina Loja 3, Apartado 10040 espaços”. nunca saindo do estado de pro- 2600-126 Vila Franca de Xira tótipo. Tel: 263 281 329 vozribatejana@gmail.com
  • 27. 14 “ Arruda Rocks no dia 14 O pavilhão multiusos de Arruda dos Vinhos recebe, na noite do próximo sába- do (14), mais uma edição do Arruda Rocks. Uma iniciativa da Associação deCULTURA Jovens de Arruda (AJAV) em que partici- pam os grupos Peste e Sida, Kussundolola, Biscoito Interrompido e SJS1. voz ribatejana #12Jovem autora vila-franquenselança primeiro livro“Mundano” é o título do primeiro livro de Natércia Barros, jovem autora natural de VilaFranca de Xira que, de uma forma muito própria, expõe as suas reflexões sobre as pessoas esobre a sociedade que nos rodeia. O livro recém lançado está à venda em diversas livrarias epapelarias dos concelhos de Vila Franca de Xira, Alenquer, Benavente e Salvaterra de Magos.“Não é fácil transmitir aquilo que, muitas vezes, gostaríamos de guardar só para nós”, obser-va João de Carvalho, vereador da Cultura na Câmara vila-franquense, no texto publicado nacontracapa de “Mundano”, frisando que Natércia Barros “teve a coragem de se pôr a nu, comeste acto libertário de publicar este maravilhoso livro” e que o leitor vai encontrar nas reflexõesda autora respostas que nos tocam fundo.Jorge Talixa caísse no esquecimento. edição de autor. Devemos continuar na linha daVoz Ribatejana - Quando e frente. Os textos que seleccionou parapor que é que a Natércia esta obra demonstram umacomeçou a desenvolver o gosto O que é que procurava trans- grande atenção pelo mundopela escrita? mitir nos seus primeiros que a rodeia e parecem ter umNatércia Barros - Comecei a escritos e como é que esses certo cunho sociológico,escrever aos quinze anos, mas a objectivos e essa reflexão pe- procurando de certa formaescrita só se revelou uma paixão ssoal foi evoluindo? expor e criticar algumas dasem 2007, após uma fase compli- O meu maior objectivo é tentar características da sociedadecada. Acredito que todos os viver diariamente em conformi- em que vivemos. Esse é tam-processos criativos ajudam a dade com o ser. Limito-me a bém um dos seus objectivos?manter o equilíbrio. Quando expressar anseios profundos, É o meu segundo objectivo deescrevo vou ao meu encontro, alicerçados numa visão idealista vida, sem dúvida. A pro-sem receios ou pressões exter- do Mundo. Através das minhas blemática do ser humano é umnas. É um acto libertário, um reflexões, pretendo accionar tema controverso e fascinante. Natércia Barrosespaço onde tento dar respostas todos os mecanismos de Vivemos absortos numaa vários dilemas de foro existen- mudança, de modo a que todas sociedade que vive de aparên- renitentes ao adquirir o livro última ocorreu no Palácio docial. as banalidades caiam por terra. cias e futilidades, enquanto os mas, no inverso da moeda, Infantado, em Samora Correia, Acha que há sensibilidade das Falo de puritanismos e conven- verdadeiros desaires continuam quem ousa ler o “Mundano” fica com o apoio da Câmara autarquias locais para oO ambiente de Vila Franca em cionalismos patentes na sem resolução. rendido à leitura. No final dizem Municipal de Benavente. necessário apoio aos novosque vivia influenciou esse seu sociedade, que continuam a Oiço falar con- sempre que soube a Aguardo feedback da autarquia valores da escrita?interesse ou a cidade tem per- ditar o infortúnio da espécie stantemente em pouco! É bas- de Santarém, entretanto, tenho Vontade há, falta a sensibili-dido alguma da importância humana. A minha reflexão pe- mercados inter- tante compen- enviado exemplares para pro- dade, as verbas para mandarque já teve no domínio da cul- ssoal evolui à medida que vou nacionais, mas satório saber que gramas culturais e jornais, na fazer convites físicos, cartazes etura e da lite-ratura? sofrendo várias lapidações exis- ninguém fala em a minha escrita esperança de uma maior flyers. Este tipo de apoio é fun-Nasci em Vila Franca de Xira há tenciais. erradicar a mis- obriga o leitor a difusão. As autarquias facilitam damental. Salvo rarastrinta anos. A cidade que me viu éria patente no refle-ctir, também imenso a vida do autor, ao ced- excepções, temos o caso dosnascer e crescer assu-miu um O "Mundano" é o seu Mundo. O pro- ele indo ao encon- erem o espaço para os lança- prémios literários, é uma utopiapapel fundamental na formação primeiro livro? Como é que blema está tro de quem é. O mentos e as apresentações. pensar que as autarquias irãodo meu carácter, no que con- surge esta oportunidade de enraizado na escritor, professor e Desde o início conto com o suportar os custos da impressãocerne a aspectos positivos e neg- publicação? raça humana, crítico literário, apoio incondicional da D. gráfica.ativos. A forma como escrevo O “ Mundano” é o primeiro torna-se Domingos Lobo, Francisca, proprietária daestá intrinsecamente ligada à livro que publico, contudo não é urgente realçou o cunho da livraria “Mensagem Aberta”, Quais são os seus próximosminha vivência. Neste momen- o primeiro que escrevo. A opor- descodificar prosa. Faço um ba- onde também já fiz uma apre- projectos?to, julgo que Vila Franca reúne tunidade brotou de um sonho os sinais que o Universo lanço positivo. sentação do livro. Os propri- Devia ter concorrido ao prémioos ingredientes necessários para que demorou dois longos anos a emite. Todos os problemas de etários dos estabelecimentos literário Alves Redol, infeliz-sobressair a nível cultural, concretizar-se. Neste frenesim cariz sociológico requerem uma Como é que tem procurado onde deixo o livro são mente não consegui redigir anomeadamente no âmbito dirigi-me ao departamento da preocupação sensitiva que há divulgar esta sua obra e que acessíveis, como é o caso da tempo o meu primeiro romance,literário. Fazendo uma retro- cultura, que acolheu o meu pro- muito caiu em desuso. apoios tem sentido da parte papelaria “ Samir”, a poucos baseado em factos reais. No iní-spectiva, noto presentemente jecto disponibilizando o espaço das autarquias, das livrarias metros de casa. O mesmo não cio do Verão espero ter a tarefaum maior interesse artístico, para o lançamento, no Núcleo - Como é que os leitores têm e de outras entidades de Vila posso dizer das grandes livrarias concluída, de seguida enviá-lo-tendo em conta a diversificação Sede do Museu Municipal. Na reagido? Franca e da região? lisboetas.- Enviei meia dúzia de ei para diversas editoras. À partedas inúmeras iniciativas pro- contracapa do livro, conto com Atenção, as pessoas podem Após ter editado o "Mundano", mails, para ver a viabilidade de tenho mais apresentações e ummovidas pelo departamento da uma crítica do vereador João de achar que a capa é sinónimo de deixei-o à consignação em algu- deixar exemplares à projecto que irá permanecercultura. Negligenciar a trajec- Carvalho. Os gastos ine-rentes à puro egocentrismo, todavia é mas papelarias e livrarias, nos consignação, mas pa-ssados em sigilo. Seja o que Deus quis-tória de um povo, seria permitir publicação foram suportados apenas uma estratégia de mar- concelhos mais próximos. vários meses continuo sem er, estou receptiva a novosque o legado de Alves Redol por mim, trata-se de uma keting. Algumas podem ficar Tenho feito apresentações, a resposta. desafios. Foto de Filipe Martins Alverca Igreja dos Pastorinhos celebra 6º. aniversário No dia 1 de Maio de 2011 celebraram-se a missa do sexto aniversário da Igreja dos Pastorinhos de Alverca e as cerimónias da beatificação do Santo Padre Papa João Paulo II, que foi proclamado beato às 10h38, enquanto os presentes na Praça de São Pedro, no Vaticano, rompiam em aplausos que duraram vários minutos. João Paulo II, sempre esteve ligado ao Santuário de Fátima e o Pároco de Alverca, Luís Miguel, congratulou-se por mais um milagre do Santo Papa, pois a igreja alverquense encheu-se de fiéis com mais de um milhar de pessoas, assim como o recinto exterior. Alverca, prestou-lhe a derradeira homenagem uma vez que nesta Igreja se encontram réplicas de Nossa Senhora de Fátima e os pas- torinhos Jacinta e Marta. A Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Alverca celebrou o seu 19º Adriano Pires aniversário no final de Abril
  • 28. “Ninguém pára oPovo de Arcena OLHO VIVOMuitos moradores da zona alta deArcena têm-se multiplicado em ini-ciativas de contestação ao processode instalação de uma pedreira nasproximidades da povoação e defutura ampliação do AterroSanitário do Mato da Cruz. Acapacidade de mobilização é tal quenão faltam a nenhuma das reuniões dos órgãosautárquicos da freguesia de Alverca e do Município de VilaFranca, sempre para botar palavra e procurar sensibilizar os autarcas para a defesados interesses da população. Mas a dinâmica não se fica por aqui, já resultou numa recolha de 3600assina-turas, já fez nascer um movimento de opinião e um blog e, nos últimos dias, até já através det-shirts a população de Arcena consegue fazer passar a sua mensagem.Vila Nova daRainhasem abrigoO estado em que ficou este abrigo de pa-ssageiros na localidade de Vila Nova da Rainhaé um verdadeiro mistério. Será que foi abalroa-do por algum automobilista mais distraído? Foio peso dos inúmeros cartazes tauromáquicos queo derrubou? Ou alguma trovoada mais violentaque se abateu sobre a vila? Olho Vivo lança odesafio aos leitores para apurar efectivamente oque se passou por terras de Vila Nova da Rainha.
  • 29. “ ALVERCA Voz Ribatejana “ Vila Franca de Xira80 clássicos invadiramCerca de 80 carros clássicos, o mais antigo dos quais datado já de 1921, abril- Mais antigo veio dehantaram a exposição e desfile organizada, no dia 8, por Hipólito Cabaço, comapoio de Jorge Alexandre, da empresa conce-ssionária da Praça de Toiros Palha Com um AlenquerBlanco, das autarquias locais e do V Ribatejana. A iniciativa associou, pela ozprimeira vez, uma mostra de clássicos e uma corrida de toiros e culminou coma exposição no interior da praça de algumas das viaturas mais representativas, BMC há Eduardo Refugidos Pereira, de (Alenquer), apresentou o carro maisque desfilaram ao lado da banda doAteneuArtístico Vilafranquense.Antes, logopela manhã, juntaram-se várias centenas de pessoas naAvenida Pedro Vítor paraver algumas destas raridades. Os participantes desfilaram, depois, até Alverca, 45 anos antigo, um Delanger Clayette de 1921 que estápara uma visita ao Museu do Ar, e regressaram a Vila Franca, onde o almoço em óptimo estado e quedecorreu no Lezíria Parque do Hotel. Seguiu-se a exposição na zona da praça e O BMC do vila-franquense motivou a atenção deos cerca de 80 proprietários inscritos puderam, depois, assistir à corrida que abriu Alfredo Santos já data de muitos dos presentes.a temporada na Palha Blanco. Praça cheia na corrida de alternativa de Marcelo 1932 e foi um dos mais Vestido a rigor e com umMendes (ver página 9). Hipólito Cabaço mostra-se muito satisfeito com a adesão antigos participantes na inseparável companheiroà iniciativa e com a forma como tudo decorreu. “Na minha opinião foi um suces- mostra de domingo. Foi manequim igualmente tra-so, foi muito bom, tanto em quantidade como em qualidade. Estiveram peças comprado há 45 anos por jado ao melhor estilo ri-que são mesmo obras de arte. Não é usual conseguir juntar este conjunto de car- uma sociedade de quatro batejano, Eduardo Pereiraros”, sublinha, realçando a moldura humana extraordinária que encheu a Palha jovens que o utilizava explicou que aprecia muitoBlanco e frisando que o público também apreciou muito o momento em que a sobretudo para ir para os as coisas antigas e que tembanda do Ateneu tocou no meio dos carros antigos. Hipólito Cabaço refere que bailes. Com o passar dos mais alguns carros e motas.as autarquias locais deram todo o apoio e sente-se motivado para repetir a inicia- anos acabou por ser Já andava há algum tempotiva em 2012. Alfredo Santos a ficar com este carro, mas só o responsável por esta “pre- adquiriu há cerca de 1 ano. ciosidade” que já leva 73 “Tem sido a nível de trocas anos de vida. “Gosto com amigos e decidi muito de estar entretido adquirir uma coisa mais com isto, tenho impressão antiga que me leva para que é a primeira vez que todo o lado”, observou, à saio com ele para este tipo conversa com o Voz de iniciativas. De vez em Ribatejana. “Devíamos quando andam outros com preservar tudo o que é anti- ele, eu é a primeira vez go. Eu gostava muito do que venho a uma meu pai e ele morreu com exposição”, salientou, 92 anos. Acho que temos frisando que o seu BMC tantas coisas que se estão a ainda pega com facilidade perder que devem ser e até “come pouco”. preservadas”, reafirmou. Segundo referiu, o carro Na noite que antecedeu a estava parado há quatro exposição de Vila Franca, ou cinco meses e “pegou à Eduardo Pereira esteve até primeira”. à 1h30 a preparar devida- Alfredo Santos tem, tam- mente o carro, que apare- bém, um Porsche de 1962 ceu impecável e pegou logo e acha que este tipo de à primeira. “Este carro tem mostras é muito engraça- pormenores muito interes- do, revelando aos mais santes, só tem travões atrás novos e aos menos con- e são travões de mão”, hecedores peças antigas explicou, considerando que que costumam estar escon- iniciativas deste género didas. “Este carro”, devem repetir-se mais na prossegue, referindo-se ao região, para darem a co- BMC, “tinha um livrete nhecer estas raridades aos muito giro, com páginas mais novos. encarnadas, que mais parecia uma cédula pe- Foto de Ana Serra ssoal. Quando o comprá- Av. Capitão João Almeida Meleças mos já devia ter tido uns 5 nº 54 A r/c Dto Loja 1 2615-096 ou 6 donos. Comprámos Alverca do Ribatejo isto para ir para os Tel.: 914 992 243 | 219 574 247 bailes”, rematou. alverca@natureblue.pt Aconselhamento nutricional Linhas de emagrecimento Cosmética natural Produtos naturais para tratamento e prevenção de várias doenças Av. Capitão João Almeida Meleças nº 54 A r/c Dto Loja 1 2615-096 Alverca do Ribatejo Tel.: 914 992 243 | 219 574 247 Alguns dos clássicos que estiver- alverca@natureblue.pt am expostos no interior da praça