A Comunicação em Situações de Desastres

11,490 views
11,353 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
11,490
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8,281
Actions
Shares
0
Downloads
82
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A Comunicação em Situações de Desastres

  1. 1. COMUNICAÇÃO EM DESASTRES Ana Paula Zenatti [email_address] Soledad Urrutia de Sousa [email_address]
  2. 2. CONCEITO DE COMUNICAÇÃO <ul><ul><li>Processo que envolve troca de informações entre sujeito e objetos por meio de sistemas simbólicos (gesto, fala, escrita) </li></ul></ul><ul><ul><li>Componentes: emissor, receptor, mensagem, canal de propagação, meio de comunicação, feedback e ambiente onde o processo comunicativo se realiza </li></ul></ul><ul><ul><li>Informar é diferente de comunicar </li></ul></ul>
  3. 3. CONCEITO DE COMUNICAÇÃO “ (..) toda mensagem contém informação. Mas é comunicação somente quando, ao ser percebido, é corretamente compreendido, há retroalimentação. Assim, cada pessoa expressará essa compreensão em conduta, atitude, resposta e produtividade” Gloria Bratschi
  4. 4. COMUNICAÇÃO E IMPRENSA <ul><ul><li>Imprensa integra a comunicação social </li></ul></ul><ul><ul><li>Troca constante de informações recebidas por pessoas com diferentes culturas </li></ul></ul><ul><ul><li>Nada é mais globalizado que a mídia (Marc Von Boemcken) </li></ul></ul><ul><ul><li>Globalização da imprensa, por meio da internet, com diferentes percepções </li></ul></ul>
  5. 5. COMUNICAÇÃO E DESASTRES <ul><ul><li>Como a imprensa, desastre também está globalizado </li></ul></ul><ul><ul><li>Mídia orienta, fomenta opinião e promove desenvolvimento </li></ul></ul><ul><ul><li>Tal mobilização pode e deve ser utilizada na gestão de desastres, desde a prevenção até a reconstrução (Margarita Villalobos) </li></ul></ul>
  6. 6. COMUNICAÇÃO E DESASTRES <ul><ul><li>Informação -> opinião -> AÇÃO </li></ul></ul><ul><ul><li>Em cenário de desastres, a comunicação necessita de gestão </li></ul></ul><ul><ul><li>Deve estar ligada aos objetivos, metas e impactos previstos na gestão de riscos </li></ul></ul><ul><ul><li>Tarefa inter-disciplinar </li></ul></ul>
  7. 7. TRABALHO DA IMPRENSA <ul><ul><li>Dever social de informar </li></ul></ul><ul><ul><li>Interesse público ou interesse do público? </li></ul></ul><ul><ul><li>Dogwatch do governo </li></ul></ul><ul><ul><li>Em desastres, é o canal entre governo e sociedade </li></ul></ul>
  8. 8. ASSESSORIA DE IMPRENSA <ul><ul><li>Todo órgão, público ou privado, que preza pela gestão estratégica deve ter um núcleo de comunicação </li></ul></ul><ul><ul><li>Este núcleo estabelece contato com os meios de comunicação local para facilitar acesso da imprensa a figuras importantes da instituição, como fonte oficial </li></ul></ul><ul><ul><li>Formado por jornalistas ou relações públicas que entendam o funcionamento da imprensa </li></ul></ul><ul><ul><li>Para a entidade que atua na prevenção e administração de desastres, assessor de imprensa é essencial para repasse oficial de informações </li></ul></ul>
  9. 9. ASSESSORIA DE IMPRENSA “ As principais ações de comunicação voltadas ao gerenciamento de uma crise não são aquelas realizadas durante a crise, mas as que antecedem a ela” Wilson da Costa Buena
  10. 10. ASSESSORIA DE IMPRENSA <ul><ul><li>Fato menor pode se tornar problema maior – doações Desastre de 2008 </li></ul></ul><ul><ul><li>Consenso: comunicação preventiva é a mais eficaz </li></ul></ul><ul><ul><li>Gerenciamento de desastres: prevenção, preparação, resposta e reconstrução </li></ul></ul><ul><ul><li>A comunicação também pode se utilizar dessas linhas – plano de ação </li></ul></ul>
  11. 11. ANTES DO DESASTRE <ul><ul><li>Contato previamente estabelecido com a mídia para apresentar programas, capacitações e trabalhos de prevenção – construção de vínculos </li></ul></ul><ul><ul><li>Manutenção e fortalecimento dos vínculos com imprensa </li></ul></ul><ul><ul><li>Informações para diferentes mídias: jornal, rádio, televisão e internet </li></ul></ul><ul><ul><li>Promover debates, encontros com comunidade em área de risco para discutir ameaças, possíveis desastres e o que fazer </li></ul></ul>
  12. 12. ANTES DO DESASTRE <ul><ul><li>Ferramentas de divulgação: site oficial, mídias sociais, informativos, releases </li></ul></ul><ul><ul><li>Media training – preparação do porta-voz </li></ul></ul><ul><ul><li>Definição equipe de trabalho </li></ul></ul><ul><ul><li>Definição de espaços, parceiros e estratégias </li></ul></ul><ul><ul><li>Preparação do ALERTA </li></ul></ul>
  13. 13. DURANTE O DESASTRE <ul><ul><li>Acompanhamento e divulgação das ações de socorro e assistência </li></ul></ul><ul><ul><li>Divulgação de dados e boletins atualizados a cada nova informação </li></ul></ul><ul><ul><li>Atendimento de jornalistas, agendamento de entrevistas e coletivas </li></ul></ul><ul><ul><li>Gerenciamento de mídias sociais – comunidade pode ser multiplicador </li></ul></ul>
  14. 14. APÓS O DESASTRE <ul><ul><li>Atualização de dados, recursos, obras e ações de reconstrução </li></ul></ul><ul><ul><li>Acompanhamento do interesse da imprensa após o evento </li></ul></ul><ul><ul><li>Relembrar sociedade da importância da prevenção </li></ul></ul><ul><ul><li>Avaliação e correção de erros durante o desastre </li></ul></ul>
  15. 15. CONCLUSÃO <ul><ul><li>Desastre sempre trará ensinamentos </li></ul></ul><ul><ul><li>Para quem trabalha com comunicação, há sempre novos fatos </li></ul></ul><ul><ul><li>Tanto imprensa quanto assessoria não devem esquecer o trabalho de prevenção, primordial para minimização dos riscos </li></ul></ul><ul><ul><li>A participação e compreensão da comunidade é essencial para sucesso deste processo </li></ul></ul>
  16. 16. REFLEXÃO “ A comunicação, direcionada para a prevenção, sensibilização das comunidades e compreensão dos eventos, é o fundamento de redução da vulnerabilidade” Gloria Bratschi

×