Resultado de uma pesquisa sobre voluntariado feita pelo IBOPE

934 views
829 views

Published on

1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
934
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
13
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resultado de uma pesquisa sobre voluntariado feita pelo IBOPE

  1. 1. Projeto Segmentação Voluntariado Job 13/0915 Setembro de 2013
  2. 2. Detalhamento da Pesquisa Pesquisa realizada em 3 momentos: 2011: quantitativa para identificar percentual de voluntários no Brasil. 2012: quantitativa para conhecer o perfil do voluntariado e realizar uma segmentação com base em dados demográficos. 2013: qualitativa através de discussões em grupo (São Paulo, Curitiba e Salvador) para entender as características comportamentais dos segmentos: principais valores, suas motivações e práticas... 3
  3. 3. Resultados Em 2011 25% da população brasileira declara que faz ou fez Serviço Voluntário Em 2012 identificados três segmentos com esta distribuição: em 2001 18% Tradicional Participativo Conectado 4
  4. 4. Tradicional – 31% Quem são? • Voluntários com idade mais avançada, acima de 50 anos, casados e com filhos. • Pertencentes às classes C2/D e com menor grau de escolaridade: não chegam ao Ensino Médio • Maior proporção de pessoas que não trabalham ou estão aposentados. • Dentre todos os segmentos, é o que indica menor posse de equipamentos de informação e comunicação (computador). Palavra Chave: Dedicação Se identifica com a necessidade do próximo, atua no convívio direto e quase individual com o beneficiário, usa palavras tipo ajuda, compaixão Realização da DG: Salvador 5
  5. 5. Participativo– 49% Quem são? • Maior segmento, com perfil a partir de 30 anos. • Possuem alto nível de escolaridade: ensino médio ou superior. Classe A/B. • Trabalham fora, mas estudantes e pessoas que trabalham meio período também estão presentes neste segmento. Palavra Chave: Solidariedade A ação é menos individualizada, o voluntario encaixase em um grupo, em uma organização já maior, com foco mais especifico e é movido pela necessidade de alguém "mais necessitado do que ele" Realização da DG: São Paulo 6
  6. 6. Conectado – 20% Quem são? •Menor segmento. • Voluntários mais jovens, com trabalho em período integral •Possuem maior nível de escolaridade . Classe A/B. • Têm pleno acesso às tecnologias de comunicação e informação: usa redes sociais. Palavra Chave: Transformação Articulado, discute causas e consequências, atua pela mudança, percebe a importância de envolver outros atores. Base: 479 Realização da DG: Curitiba 7
  7. 7. O que pensa o “Tradicional” sobre o significado do trabalho voluntário? Palavra Chave: Dedicação 8
  8. 8. Associações livres com “voluntariado” Doação Ajuda Ajudar sem recompensa Bem estar Ajudar sem interesse Ajuda ao próximo O significado do trabalho voluntário associa-se fundamentalmente à ideia de ajuda. A ideia é doar a quem precisa, suprir as necessidades básicas: fome e a doença. 9
  9. 9. Quem é o “Tradicional”? Palavra Chave: Dedicação Motivação: integrar-se à sociedade, utilizar o próprio tempo de maneira útil e com um sentido enobrecedor Dispensam o requisito de especialização: basta querer e os meios para realizar Tradicional Não há formalização no acesso às instituições: processo seletivo, treinamentos, ou algum tipo de certificado Significado do trabalho voluntário: ênfase na ideia de “doação” Visam atenuar necessidades imediatas: fome e doença 10
  10. 10. Há uma grande valorização da pureza do ato de ajudar. O “prazer” nasce da gratuidade A ênfase na ideia de ajuda não é casual. Tem a ver com o tipo de trabalho voluntário que este segmento realiza: distribuição de comida, doação de cestas básicas, de roupas e acompanhamento de doentes em hospitais  A ajuda ao necessitado  A ajuda ao necessitado (sobretudo, a fome e a (sobretudo, a fome e a doença) coloca-se como doença) coloca-se como “dever” “dever”  Ato de “doar” parece bastar. A  Ato de “doar” parece bastar. A dádiva em si mesma é dádiva em si mesma é vivenciada com um sentido de vivenciada com um sentido de elevação moral elevação moral “ É maravilhoso, é uma entrega, é uma coisa linda Porque eu não faço por obrigação, eu estou ali porque eu quero É um sentimento de ajuda ao próximo Você dar um pouco de você para cada um, quando a gente tem alguma coisa que pode dar ao nosso próximo, é gratificante, você faz por prazer, é gratificante 11
  11. 11. Especialização não é vista como requisito. Bastam “bons sentimentos” Consenso: Não é necessária a formação especializada para ser voluntário. Os requisitos tem a ver exclusivamente com sentimentos de benevolência e não com uma técnica específica Isso parece ter a ver com o gênero das ocupações de boa parte dos Isso parece ter a ver com o gênero das ocupações de boa parte dos participantes: participantes: profissões com menor grau de exigência em termos de especialização profissões com menor grau de exigência em termos de especialização (costureira, empregada doméstica, cozinheira) (costureira, empregada doméstica, cozinheira)  aposentados: mais distantes do mundo do profissionalismo  aposentados: mais distantes do mundo do profissionalismo “ Eu acho que o voluntario pode varrer um chão, lavar um banheiro, fazer um trabalho de administração. Mesmo se ele for um profissional qualificado, ele pode lavar banheiro se precisar ” 12
  12. 12. Motivações: Circunstâncias da vida e influência religiosa Busca por uma maneira de sentir-se útil e integrado à sociedade; “ocupar o tempo livre” “ Eu sempre fiquei em casa, tive dois filhos, não tinha marido. Eu tive que escolher entre criar os filhos e trabalhar fora, escolhi criar os filhos. Eu cuidava deles e quando iam para escola, eu tinha um tempo para fazer alguma atividade e como tinha esse trabalho voluntario na igreja, eu participava ” Há por vezes uma influência religiosa do ideal da caridade – entre católicos e evangélicos 13
  13. 13. Sentem-se bem acolhidos pelas instituições onde trabalham Consenso: as instituições os recebem bem; sentem-se tratados com respeito Não existe nenhuma formalização nos processos de admissão de voluntários. Somente um dos participantes realizou uma entrevista para ingressar. Não existem atividades de treinamento ou reuniões entre voluntários Não existem expectativas de procedimentos mais formais. Para o Tradicional, a ação voluntária independe de planejamento ou de capacitação mais específica 14
  14. 14. O que pensa o “Participativo” sobre o significado do trabalho voluntário? Palavra Chave: Solidariedade 15
  15. 15. Associações livres com “voluntariado” Romper preconceitos Dever Prazer Compartilhar Dividir Cidadania Amor ao próximo Ensinar e aprender Doar É forte o valor de “compartilhar” aquilo que se sabe, conhecimentos adquiridos na vida profissional. “Ensinar e aprender” aparece como valor associado, já que muitos deles realizam atividades relacionadas ao ensino (idiomas, artesanato, crianças) 16
  16. 16. Quem é o “Participativo”? Palavra Chave: Solidariedade Motivação: vem do exemplo familiar O trabalho voluntário é facilitado pela própria experiência profissional Participativo Não há formalização nas instituições, quanto à processo seletivo ou reuniões periódicas Significado do trabalho voluntário: “compartilhar”, “ensinar” Referência é no aqui e agora. Urgência em ajudar os que precisam 17
  17. 17. O significado do trabalho voluntário tem a ver com a ideia de reciprocidade: ensina-se pela satisfação em fazer algo de maneira gratuita e com significado  O trabalho voluntário tem  O trabalho voluntário tem um valor em si. Parece um valor em si. Parece dissociar-se da dissociar-se da necessidade de dar a ele necessidade de dar a ele um lastro religioso ou um lastro religioso ou cívico cívico  O trabalho voluntário  O trabalho voluntário justifica-se na experiência justifica-se na experiência de comunhão afetiva com de comunhão afetiva com o outro, no ato de ensinar o outro, no ato de ensinar e aprender e aprender ”   A gente aprende com cada situação, cada situação que aparece na vida da gente, cada pessoa, a gente aprende     É uma coisa minha, de ensinar, de ensinar o que eu sei para um mundo melhor, para o próximo. Acho que são essas questões, eu tenho um conhecimento e não vou deixar só pra mim, se eu puder, eu vou ensinar o próximo  “ 18
  18. 18. A formação especializada pode ser bem-vinda mas não é fundamental A valorização da ideia de “boa vontade”, como requisito principal Mas também, as aptidões específicas são empregadas (repertórios técnicos, em idiomas, artes) ” Eu acho que não precisa ter conhecimento técnico, mas ajuda. Por exemplo, se eu tenho capacidade de fazer alguma coisa e ensinar, eu vou usar aquilo, mas se eu não tenho e dentro de mim tem aquela vontade de ajudar e fazer, eu vou lá e faço também. “ 19
  19. 19. As motivações originaram-se em exemplos marcantes na família ”  Exemplos na família (mãe, pai, tios ou avós) com atuação marcante em ações voluntárias foram os mais mencionados  Não se configura um ideal cívico ou político, a atividade voluntária é pensada como uma “vocação” pessoal , que é despertada a partir do exemplo familiar Eu acho que a família incentiva bastante, alguma coisa que acontece dentro da família te incentiva   Comecei por causa do meu filho que nasceu especial. Daí eu conheci a AACD, que me incentivou a fazer o trabalho voluntário. Eu me inspirei muito nas voluntarias fazendo o que eu faço hoje   Para mim a inspiração veio de uma tia. Essa minha tia desde pequena, ela ia na igreja, tinha um grupo de tricô e crochê, ensinava, e vendo isso eu resolvi fazer o trabalho voluntário “ 20
  20. 20. Sentem-se bem recebidos nas instituições onde trabalham Pessoas deste segmento valorizam o profissionalismo no funcionamento das organizações: funções definidas, planejamento das ações, cronogramas e horários estruturam a atuação do voluntário. Mesmo quando atuam em organizações estruturadas, a percepção é que os processos burocráticos são raros, assim como as reuniões periódicas. Somente confraternizações de fim de ano foram mencionadas. 21
  21. 21. O que pensa o “Conectado” sobre o  significado do trabalho  voluntário? Palavra Chave: Transformação 22
  22. 22. Associações livres com “voluntariado” Juntos somos mais Se doar Doar o que se sabe fazer Não ter preconceitos Caridade Fazer algo sem pedir algo  em troca A ideia de “doar o que se sabe fazer” está referida a um sentido mais  especializado da atividade voluntária. A maioria dos participantes realiza ações  vinculadas às aptidões adquiridas em suas vidas profissionais 23
  23. 23. Quem é o “Conectado”? Palavra Chave: Transformação Motivação: dever cívico. Visão crítica da sociedade O trabalho voluntário é facilitado pela própria experiência profissional Conectado O funcionamento das instituições em que trabalham é mais estruturado. Alguns fizeram processo seletivo, cursos preparatórios Significado do trabalho voluntário: noção de participação Visão de longo prazo: construção de uma sociedade melhor 24
  24. 24. A ideia de doação é central, mas associada a um saber especializado A formação superior parece fazer bastante diferença na maneira como representam a atividade voluntária. É como se essa atividade “devolvesse” o que foi conquistado em cursos e faculdades, em termos de conhecimentos Pensam o trabalho voluntário como parte de um projeto de sociedade Existe um sentido político na maneira como elaboram seu discurso, algo que tem a ver justamente com essa perspectiva de projeto Esse é um aspecto definidor do perfil A noção de solidariedade é o que embasa esse ideal Fala-se muito na ideia de construir um mundo melhor Visão de longo prazo 25
  25. 25. A noção de cidadania surge como contraponto ao individualismo Encontram no discurso da cidadania e do bem comum o manancial para o sentido de ser do voluntariado Por isso, a noção de projeto de uma nova sociedade é central para se compreender o que pensa tal segmento 26
  26. 26. As motivações são mescladas: satisfação subjetiva de doar, mas também a consciência do dever cívico Em parte as motivações advém de uma elaboração sobre os “problemas da sociedade” e o dever de se mobilizar, em função dos ideais da cidadania. Emblemático o caso de um jovem que se engajou a partir de um programa de voluntariado promovido pela universidade Ideia de responsabilidade diante da desigualdade social Mencionaram também a ideia da “troca”, ajuda-se o outro, porque é possível que seja, no futuro, necessário ser ajudado ” O meu caso foi assim, minha mãe e meu pai estavam numa situação muito boa de vida, só que não queriam esquecer de onde eles vieram, não queriam deixar eu e minha irmã crescendo achando que a vida é aquilo ali. Então, você ter noção da realidade, que nem todo mundo vai estudar em colégio particular, fazer faculdade, que existe uma realidade diferente e que você faz parte disso. Você tem responsabilidade sim nesse ciclo “ 27
  27. 27. Existe uma expectativa por certo profissionalismo nas instituições onde trabalham O profissionalismo nas organizações é algo visto como importante para o crescimento do voluntariado Existe uma valorização das ideias de “competência” e “eficiência”, que são elementos inerentes ao mundo do trabalho remunerado. Para eles, “boa vontade” é condição necessária, mas não é suficiente: é preciso assegurar a estrutura nas as organizações, em termos de procedimentos, certificação e treinamento Neste segmento os voluntários se interessam pelos aspectos mais macro do Voluntariado: políticas públicas, tendências, planejamento e gestão. 28
  28. 28. Comparação entre os segmentos 29
  29. 29. O que é comum e o que é específico a cada segmento? Tradicional Conectado  Centralidade da ideia de doação  Ênfase nas necessidades básicas dos assistidos  A atividade voluntária tem um fundo emocional forte: prazer em se doar  Ato gratuito e desinteressado como valor maior  Sentem falta de mais recursos financeiros  Há uma dimensão mais especializada da atividade  Construção de um projeto de sociedade baseado no ideal da solidariedade  Compartilhar saberes e experiências com aquele que é assistido Participativo 30 Perfis próximos: concepção mais profissionalizada  Ênfase na ideia de cidadania.
  30. 30. Muito obrigado!

×