Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Apresentação GeniE : Modelador Conceitual para o Sesam
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Apresentação GeniE : Modelador Conceitual para o Sesam

  • 797 views
Published

GeniE is a FEA conceptual modeller for Sesam

GeniE is a FEA conceptual modeller for Sesam

Published in Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
797
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
24
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Modelling and Analysis Sesam GeniEModelador Conceitual para o SesamJoão Henrique Volpini MattosEngenheiro Naval.Regional Sales Manager South America – Maritime & Offshore Software Solutions Outubro 2012
  • 2. A Família Sesam : Principais Módulos Interfaces gráficas: GeniE Projeto de estruturas compostas por vigas e chapas DeepC Análise de estruturas esbeltas flexíveis (risers, umbilicais, ancoragem) HydroD Análise hidrodinâmica de estruturas flutuantes© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 2
  • 3. GeniE : Engenharia para o Futuro  GeniE é uma ferramenta para projeto e análise de estruturas marítimas e offshore feitas de chapas e vigas;  Baseado na utilização de conceitos para representar a estrutura física e os equipamentos que ela suporta;  Ambiente de projeto integrado : modelagem, análise (Wajac, Wasim, Sestra e Splice em background), code- check de vigas e painéis reforçados, e processamento dos resultados são executados no mesmo ambiente gráfico.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 3
  • 4. Como o GeniE Auxilia o Projeto Modelagem conceitual e avaliação dos  Gráficos 3D resultados  Interface com outros sistemas Modelagem de equipamentos  Facilidade de modificações Análises integradas  Construído sobre soluções Relatórios orientados a projeto comprovadas Interface com usuário intuitiva  Suporte ao ciclo de vida do projeto Qualidade e velocidade© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 4
  • 5. Modelagem Conceitual© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 5
  • 6. Novos Desafios – Soluções Inovadoras Modelo de Malha Modelo Geométrico Modelo Conceitual 1970 1980 Hoje Sesam 69 Sesam 80 GeniE Modelo de elementos Modelo de elementos Modelagem conceitual finitos gerado finitos derivado da diretamente geometria Através da modelagem da natureza essencial da estrutura, os dados ficam independentes da análise específica© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 6
  • 7. GeniE Usado Como Modelador Independente  GeniE produz o modelo estrutural e o modelo de massas para uso em uma análise de superelementos - Vigas - Chapas planas - Chapas curvas - Condições de contorno - Apoios - Fundações e dados de solo - Modelo de painéis - Cargas - … Junto a outros programas da família Sesam, estruturas complexas podem ser projetadas e analisadas com facilidade© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 7
  • 8. Modelagem Conceitual  GeniE assume que a estrutura é mais do que sua representação geométrica.  A produtividade do engenheiro e a qualidade do projeto são melhorados pela utilização de técnicas de modelagem conceitual.  Feito para alterações no projeto, pois o modelo conceitual é independente do modelo de análise, podendo ser utilizado em todo o ciclo de vida da estrutura.  A partir do mesmo modelo conceitual, modelos de análise são criados para análises hidrostáticas, hidrodinâmicas e estruturais.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 8
  • 9. Modelos Combinados de Vigas e Chapas  Modelagem rápida  Reanálise e otimização rápida e fácil - Reforços selecionados de bibliotecas - Facil alteração dos perfis das vigas - Sem necessidade de cálculo e avaliação do - Espessura das chapas alteradas sem flange efetivo alterar as propriedades das vigas - Combinação de carregamentos - Facilidade na alteração de geometria, - Sem questionamentos : a estrutura do arranjo dos reforços e outras propriedades modelo como ela é na realidade - Facilidade na adição de novos reforços ou - Sempre uma topologia consistente outros detalhes (borboletas, aberturas, etc.)  Resultados mais precisos - Sem hipóteses simplificadoras do flange efetivo e carregamentos - Melhor verificação visual do modelo e resultados© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 10
  • 10. Conceitos Estruturais Esta é uma única chapa conceitual, embora seja interceptada por vigas Esta é uma única viga conceitual, mesmo sendo interceptada por outras vigas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 11
  • 11. Modelos e Cálculos Típicos Super-elemento ULS/Fadiga Dano por fadiga ULS (Flambagem+Escoamento) Comportamento dinâmico/ Forças de ancoragem/ Ondas de projeto/ Carregamento de ondas, etc.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 12
  • 12. Aplicações© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 13
  • 13. Aplicações  Exemplos típicos : petroleiros, graneleiros, porta-containers, FPSOs, jaquetas, jackups, topsides, pontes, helidecks, flares, riser balcony, instalações submarinas, guindastes e pedestais, etc.  Para estruturas fixas ao leito marítimo (jaquetas e jackups) as propriedades hidrodinâmicas e do solo fazem parte integral do modelo de análise.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 14
  • 14. Aplicações Modelagem da estrutura e carregamento do casco© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 15
  • 15. Aplicações  Jack-ups© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 16
  • 16. Aplicações  Modelos locais Juntas estruturais Pontões de semisub Detalhes de tanque© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 17
  • 17. Aplicações  Modelos globais (viga) e locais (casca) combinados Conexão rígida para acoplamento de nó de viga com todos os nós de chapa/casca na seção, usando dependência linear© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 18
  • 18. Análise de Transporte : Procedimento 1  Do modelo base – exporte o modelo do convés para análise no GeniE  Importe a barcaça existente (ou crie uma nova)  Posicione o convés para a interseção com o sistema de fixação  Exporte o modelo para análise hidrostática e hidrodinâmica  Importe os resultados da hidrodinâmica e execute a análise estrutural linear, seguindo-se a avaliação dos resultados© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 19
  • 19. Análise de Transporte : Procedimento 2  O mesmo modelo é utilizado para : - Modelo de painéis - Modelo de massas - Compartimentação – enchimento e balanceamento de lastro podem ser feitas durante a análise de equilíbrio hidrostático© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 20
  • 20. Análise de Transporte : Procedimento 3  Análise hidrostática (estabilidade)  Avaliação da estabilidade - O modelo é importado no HydroD Condição intacta Condição avariada Verificação de critérios de estabilidade© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 21
  • 21. Análise de Transporte : Procedimento 4  Análise hidrodinâmica – condição intacta Variáveis de Resposta (RAO) Forças e tensões Avaliação de esforços Code checking Fadiga Distribuição de pressões© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 22
  • 22. Análise de Transporte : Procedimento 5  Análise hidrodinâmica – condição avariada Variáveis de Resposta (RAO) Forças e tensões Avaliação de esforços Code checking Fadiga Distribuição de pressões© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 23
  • 23. Análise de Transporte : Procedimento 6  Os resultados da análise hidrodinâmica formam a base para - Avaliação de tensões - Verificação das deflexões - Code checking - Fatiga – o dano por fadiga pode ser utilizado como dado de entrada para a análise de fadiga em operação Distribuição de tensões Vida útil por fadiga© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 24
  • 24. Comunicação com Outros Sistemas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 25
  • 25. Importação & Exportação de Outros Sistemas  Importe modelos de outros sistemas - FEM - SACS - StruCad3D - StaadPro - Ansys - GTStrudl  Importe/exporte de CAD - DXF - Nurbs - SAT - PDMS (sdnf) - PDS (sdnf) - SmartPlant 3D (xml)  Importe biblioteca de seções© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 26
  • 26. Importação de NURBS  Modelagem mais rápida e precisa através da criação de modelos com um mínimo número de superfícies, levando a um melhor controle da malha.  Capacidade de importação completa de linhas no formato DXF com NURBS (non-rational uniform basis spline).© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 27
  • 27. Partes Internas do Casco Podem ser Importadas  Detalhes do casco Modelo no Rhino3D Linhas no GeniE Malha no GeniE Superfícies no GeniE© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 28
  • 28. Importação do StaadPro  Suporta vigas, chapas, cargas e condições de contorno. - Um módulo separado cria o arquivo JS para importação no GeniE© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 29
  • 29. Importação do SACS  Arquivo do SACS  Modelo importado no GeniE© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 30
  • 30. Exportação para SmartPlant, PDS, PDMS  Exporte usando o formato SDNF© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 31
  • 31. Armazenamento em Formato Neutro XML  O propósito do modelo conceitual XML é o de suportar a importação e exportação de : - Estruturas de casca/chapas - Análises simples (ex.análise linear estática sem cargas de ondas) - Carregamentos de todos os tipos - Equipamentos - Ambiente - Compartimentos - Guias geométricos - Grupos - Migração de modelos entre versões do GeniE - Análises repetidas, quando a edição do arquivo de entrada não é necessária© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 32
  • 32. Integração com Outros Produtos DNV  Reutilize dados do Nauticus Detalhes dos reforços são automaticamente transferidos© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 33
  • 33. Integração dos Sistemas Assegurada Modelo CAD – ACIS SAT Section Scantlings – DXF 2D – Tabela de cotas – Casca no GeniE Modelo conceitual GeniE Modelo conceitual - DeepC Modelo conceitual – HydroD Modelo de análise – GeniE/Sestra© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 34
  • 34. Personalização do Sistema© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 35
  • 35. Linguagem de Programação JSCRIPT  Dialeto da Microsoft para o padrão da linguagem ECMAScript.  Similar ao JavaScript  Permite acesso às proprie- dades, métodos e objetos do GeniE.  Usualmente, as scripts (arquivos JS) são geradas por alguma outra linguagem de alto nível (VB, C# ou C++ por exemplo) que suporte maiores recursos (acesso a banco de dados, geração de gráficos, etc.)© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 36
  • 36. Aplicações Desenvolvidas pelo Usuário 1  Modelos paramétricos para diversas finalidades© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 37
  • 37. Aplicações Desenvolvidas pelo Usuário 2  Criação de juntas Ângulo 40º Ângulo ângulo 45º© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 38
  • 38. Aplicações Desenvolvidas pelo Usuário 3 Geração de cascos B=50 m B=60 m© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 39
  • 39. Aplicações Desenvolvidas pelo Usuário 4  Criação de jaquetas completas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 40
  • 40. Interface© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 41
  • 41. Interface (GUI) Menus e barras de ferramentas DefaultsDicas ebarra de status Navegador Área de Trabalho Área de comandos© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 42
  • 42. Configurações da Área de Trabalho  Escolha entre as configurações pré-definidas - Default display - Mesh - All - Mesh -Transparent - Modelling - All - Modelling - Structure - Modelling -Transparent - Results - All - Results - with Mesh  Crie a sua própria configuração© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 43
  • 43. Unidades  Edit > Rules > Units - Defina as unidades do banco de dados na criação do modelo Altere as unidades de entrada e apresentação de resultados, independentemente das unidades do banco de dados© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 45
  • 44. Undo  Simples:  Múltiplo: - Edit > Undo … (or Ctrl+Z) - Edit > Diálogo Undo/Redo - Edit > Redo … (or Ctrl+Y)  Undo mark - Edit > Set UndoMark permite a marcação de pontos de Undo Última ação© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 46
  • 45. Modelagem de Vigas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 47
  • 46. Importação ou Criação de Biblioteca de Perfis  Navege na biblioteca  Filtre as seções da biblioteca  Importe todas ou selecionadas  Seções importadas são registradas no arquivo JS  Acesse as seções importadas na pasta Sections© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 48
  • 47. Alternativas de Modelagem  Por métodos gráficos - Usando guias geométricas - Planos - Pontos, linhas, splines, nurbs, etc. - Usando geometria existente Snap perpendicular  Através de caixas de diálogos  Através do navegador  Pela linha de comandos A tecla Tab mostra alternativas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 49
  • 48. Específicos para Topsides 1  Normalmente caracterizados por sistemas de alinhamento regulares - Usando o GuidePlane para acelerar significativamente a modelagem© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 50
  • 49. Específicos para Topsides 2  Quando a geometria for mais complexa - Utilize o GuideCurve para acelerar a modelagem© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 51
  • 50. Membros de Tensão/Compressão Elementos de compressão não contribuindo com a rigidez. Sem tensão axial Elementos de tensão contribuindo Elementos de tensão/compressão com a rigidez contribuindo com a rigidez SIGXX positivo© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 52
  • 51. Excentricidades – Painéis Reforçados Vigas e chapas são modelados nos seus eixos neutros - Utilise as excentricidades para alinhar as vigas - A chapa não pode ter excentricidades Chapa Modelagem default© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 53
  • 52. Opções Adicionais na Seleção de Vetores  Vetores podem ser obtidos de outros objetos - Sistema de vigas local - Normal a uma chapa - Normal a um plano definido por 3 pontos, etc.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 54
  • 53. Modelagem de Chapas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 55
  • 54. Facil Modelagem de Superfícies Planas  Crie superfícies fechadas com um único clique usando o recurso de regiões planas - Intuitivo e simples. - Limitado por chapas existentes, vigas e linhas-guia - Sem necessidade de quebrar as linhas Insert  Plate  Flat Region Chapas, vigas e curvas no plano de corte Clique na área visível© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 56
  • 55. Funcionalidades na Modelagem de Superfícies  4 opções principais – todas baseadas em curvas Curve net interpolation Skin/loft Cover Extrude© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 57
  • 56. Arestas Internas  Curvas compostas podem criar arestas internas indesejáveis - Mesmo problema em skin/loft - Utilize os critérios de malha globais para remover as arestas internas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 58
  • 57. Modelagem Completa da Embarcação Modelos como este podem ser criados, com ganhos de eficiência significativos tanto no modelo global como em detalhes locais© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 59
  • 58. Conversão Viga - Chapa© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 60
  • 59. Análise da Junta Selecionada 1  A junta pode ser automaticamente convertida para um modelo de casca, como parte do modelo global … … mas também pode ser analisada em separado como um submodelo© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 61
  • 60. Análise da Junta Selecionada 2  Total consistência entre os elementos de barra e os de casca© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 62
  • 61. Massas e Carregamentos© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 63
  • 62. Modelagem Eficiente de Massas e Carregamentos  Equipamentos - Massa e CG exatos - Padrão de transferência de carga (skidbeams, pontos de apoio)  (Re)cálculos automáticos - Assegurando o equilíbrio das forças - Regras de transferência de carregamento – quais vigas recebem cargas  Biblioteca de equipamentos - Reutilização em condições de carrega- mento diferentes  Carregamentos explícitos - Pontual, pressão, temperatura, deslocamentos pré-definidos - Carga sobre chapeamento ou vigas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 64
  • 63. Listas de Pesos Reutilize listas de pesos - Transferência automática de pesos de arquivos XML ou CSV para o modelo Criação automatizada de equipamentos Cálculo automático de carregamentos e massas Leitura de novos ítens em listas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 65
  • 64. Modelagem de Equipamentos  Equipamentos podem estar acima, abaixo ou ao longo de vigas Cargas induzidas pela gravidade automaticamente calculadas g = - 9.81 m/s2© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 66
  • 65. Balanço de Massas  Escale a massa para o valor desejado 90000 / 84235.24084© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 67
  • 66. Gerenciamento de Carregamento e Massas1.Modelo de análise estrutural: - Peso próprio (estrutura e massas pontuais) - Carregamento de equipamentos - Cargas pontuais, em linha, subre superfícies2.Modelo para análise hidrodinâmica e estrutural dinâmica - Massa da estrutura e massas pontuais - Massa dos equipamentos3.Modelo de massa para análise hidrodinâmica - Massa da estrutura e massas pontuais - Massa dos equipamentos utilizando elementos excêntricos de massa4.Footprint mass - Mesma de 3 sem excentricidades© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 68
  • 67. Aplicação das Cargas em Compartimentos  Facilidade na definição das cargas em compartimentos - Conteúdo e nível de enchimento são suficientes Compartimentos Distribuição de pressões Modelo estrutural Lastro Óleo© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 70
  • 68. Cargas de Acelerações  Cargas devido às acelerações : múltiplas escolhas - Acelerações constantes e variáveis, de translação ou rotação, em várias partes da estrutura Cargas no nível inferior : Massa x Cargas no nível superior : Massa x Aceleração rotacional harmõnica Aceleração (direções X & Z) Aceleração (direção Z) induzida pelo movimento das ondas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 71
  • 69. Módulos de Topsides em Jaquetas ou Flutuantes  Em jaquetas  Em flutuantes - Tudo é feito dentro do GeniE - Op. 1 – Integrada : Resultados do HydroD (análise hidrodinâmica no domínio da frequência ou do tempo) importados para o GeniE - Op. 2 – Sem transferência de carga : Acelerações e deflexões são calculadas no HydroD e utilizadas como base das condições de carregamento no GeniE.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 73
  • 70. Flutuantes : Domínio da Frequência  As ondas acarretam deformações e tensões nos módulos de topside - Devem ser convertidos para resultados determinísticos antes de importar para o GeniE (utilitário Prepost)© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 74
  • 71. Flutuantes : Sem Transferência do HydroD  Deformações e acelerações usadas para definir as condições de carregamento - Acelerações constantes or centrípetas (do HydroD ou outro) - Deformações da análise estrutural do casco usadas como deslocamentos prescritos no GeniE  Sp1: 2mm  Sp2: 3mm Aceleração  Sp3: 5mm centrípeta  Sp4: 2mm© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 75
  • 72. Verificação do Modelo© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 76
  • 73. Verificação do Modelo 1 Faça a verificação antes de executar a análise© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 77
  • 74. Verificação do Modelo 2 Encontre problemas no modelo A. Partes desconectadas B. Barras interceptando chapas em um único ponto C. Sobreposição de chapas D. Arestas menores que um valor pré- definido A. B. C. D.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 78
  • 75. Malha Automática© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 79
  • 76. Criação Automática da Malha Criação automática da malha Controle do usuário - feature edge - densidade da malha - sequência de geração da malha - não regenerada se cargas ou espessura forem alteradas -...... - matriz Jacobiana© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 80
  • 77. Aperfeiçoamentos da Malha  A manipulação separada da malha e carregamento utiliza menos memória.  Regeneração condicional da malha - Para grandes modelos, um aumento de performance significativo na alteração dos modelos para análise. - Não regenera a malha se somente as propriedades ou cargas são alteradas. - Alterações na topologia e regra de definição das malhas força uma uma regeneração da malha.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 81
  • 78. Condições de Contorno© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 82
  • 79. Apoios Pontuais  Graus de liberdade, constante de mola ou deslocamento prescrito em translação ou rotação definidos pelo usuário.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 83
  • 80. Apoios Distribuídos  Podem ser posicionados ao longo de arestas retas ou curvas.  Todos os nós relevantes da malha recebem a condição de contorno.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 84
  • 81. Análise© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 85
  • 82. Execução da Análise  GeniE vem com um conjunto pré-definido de fluxos de processos  Tools > Analysis > Activity Monitor (Alt+D) - Análise linear estática ou autovalores - Atividades do carregamento de ondas - Análise de fundações/solo© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 86
  • 83. Análise Linear Estática  Inicie as atividades - Pare e reinicie a qualquer instante© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 87
  • 84. Análise de Autovalores  Crie a análise de autovalores  Escolha o método de solução  Decida o número de modos© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 88
  • 85. Verificação da Listagem do Sestra  O arquivo de impressão do Sestra contém informações importantes : :PRINTOUT OF DATA GIVEN AS DIRECT INPUT TO SESTRA COMM Default SESTRA commmand file ITOP 1. 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0.00E+00 0.00E+00 0.00E+00 INAM 20040510_122532_ RETR 3. 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0.00E+00 0.00E+00 0.00E+00 RNAM 20040510_122532_ NORSAM Dados de entrada (criados no GeniE) SOLM 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0.00E+00 0.00E+00 0.00E+00 CMAS 0. 1. 1. 0. 0. 0. 0. 0. 0. 0.00E+00 0.00E+00 0.00E+00 RSEL 1. 0. 0. 0. 0. 0. 1. 0. 0. 0.00E+00 0.00E+00 0.00E+00 Z : :SUM OF REACTION FORCES AND MOMENTS**********************************GIVEN IN THE GLOBAL COORDINATE SYSTEM OF THE TOP LEVEL SUPERELEMENTLOADCASE (INDEX) X Y Z RX RY RZ Soma das forças de reação 1 -4.5993E-12 -6.5921E-12 2.9386E+03 -2.7023E+07 -2.7833E+07 -9.2972E-08 : : Diferença entre a soma dasDIFFERENCES BETWEEN SUMMED LOADS AND REACTION FORCES cargas e forças de reação****************************************************LARGER THAN 0.00E+00 FOR TRANSLATIONAL COMPONENTS AND LARGER THAN 0.00E+00 FOR ROTATIONAL COMPONENTSLOADCASE (INDEX) X Y Z RX RY RZ 1 -4.5978E-12 -6.5921E-12 9.5497E-12 1.3784E-07 6.7055E-08 -9.2955E-08© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 89
  • 86. Apresentação dos Resultados© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 90
  • 87. Apresentação dos Resultados no GeniE  Deslocamentos  Tensões nas placas e cascas  Forças e tensões nas barras  Opções mais avançadas disponíveis no Xtract© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 91
  • 88. Deslocamentos Plotagem de contorno Wireframe view Outline view© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 92
  • 89. Deflexões nas Vigas : Vista em 3D  Vista 3D padrão da deformação  Opcionalmente podemos aumentar o número de pontos de cálculo da deflexão sem aumentar o núnero de elementos finitos© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 93
  • 90. Deflexões nas Vigas : Deformação Cúbica em 3D  O efeito da deformação cúbica Com deformação cúbica Deformação linear© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 94
  • 91. Deflexões nas Vigas : Vista em 2D  Dy, Dz e Deflexão = sqrt(Dy^2 + Dz^2)  Por condição de carregamento  Envelopes  Pior condição  Deflexões relativas© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 95
  • 92. Deflexões nas Vigas : Relatório Tabular  3 resultados são reportados - Comprimento da viga (comprimento flexível) - Deflexão (deflexões e rotações) - relativas - DELTA = Comprimento flexível da viga/Deflexão - 5-11 pontos podem ser reportados por viga - Todas as posições ou apenas as piores - Por condição de carregamento ou envelope© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 96
  • 93. Resultados Conceituais : Tensões© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 97
  • 94. Tensões nas Chapas e Cascas  Plotagem de contorno© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 98
  • 95. Forças nas Barras  Diagrama 3D© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 99
  • 96. Tensões e Esforços nas Barras  Apresentação 2D nas tensões/forças/momentos nas barras© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 100
  • 97. Tensões e Esforços nas Barras  Selecione a barra e ative a apresentação em Tools > Analysis > Beam Force/Stress Diagram© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 101
  • 98. Tensões e Esforços nas Barras  Modifique a apresentação padrão© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 102
  • 99. Verificação de Vigas pelas Normas (Code-Checks)  Padrões utilizados (vigas e juntas tubulares) - API RP2A WSD 2002 e 2005 - API RP2A LRFD 2003 - AISC LRFD 2005 e 2010 - AISC ASD 2005 e 2010 - Danish Std. DS412 e DS449 de 1983 - Norsok N-004 de 2004 - Eurocode 2005 com anexos Norueguês e Dinamarquês. - ISO 19902 de 2007© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 103
  • 100. Verificação da Deflexão contra os Níveis AISC  AISC: Razão de deflexão permissível 180, 240, 360 varrendo todas as condições de carregamento© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 104
  • 101. Criação da Capacidade dos Membros  Os membros podem ser definidos usando a estrutura completa ou subconjuntos - Os comprimentos globais de flambagem são decididos pelo engenheiro Comprimento de Comprimento de flambagem ? flambagem ? Comprimento de flambagem ?© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 105
  • 102. Criação e Alteração das Capacidades das Juntas  Usado em puncionamento© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 106
  • 103. Documentando o Modelo - Relatórios  Relatórios dos dados importantes do modelo© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 107
  • 104. Relatórios com o MS Word  Criação automática de relatórios incluindo figuras no formato XML - Scripts para fácil recriação dos relatórios quando o modelo for alterado© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 108
  • 105. Relatório de Resultados do Code Check  Exemplo de Layout© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 109
  • 106. Exportação de Dados para o Excel© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 110
  • 107. Documentando o Modelo - Gráfico  GIF: pequenos arquivos, normalmente adequado  TIFF: grandes arquivos, capturam melhor transições suaves de cores© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 111
  • 108. Características Adicionais© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 112
  • 109. Salvamento dos Dados  Salvamento automático pelo GeniE - Todos os comandos são registrados no arquivo JS - No caso de falha ou término anormal do programa, todos os comandos exceto o último são armazenados no arquivo JS - O nome do arquivo contém as informações de data/hora, ex. “ons_topside_20060904_080655.js” - O arquivo é encontrado na pasta do espaço de trabalho (workspace) - Para recriar o modelo, crie um novo espaço de trabalho e leia o arquivo JS© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 113
  • 110. Auxílio on-line e Documentação© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 114
  • 111. GeniE SnackPack  GeniE SnackPack é oferecido gratuitamente como uma extensão do GeniE, trazendo várias funcionalidades e funções especiais que antes só eram disponíveis internamente https://projects.dnv.com/sesam/Genie_utils/index.html à DNV Software. - Hull Forms - Reporting - Importing Lines - Guide Planes - Load and Mass - Utilities© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 115
  • 112. Versões Especiais do GeniE  GeniE.Lite - Voltado à análise de topsides. - Máximo 10000 elementos de malha ou 500 elementos de barra. - Sem análise hidrodinâmica ou interface com solo. - Inclui o solver linear Sestra e o code-check de vigas.  GeniE.Panel - Voltado à modelagem dos painéis para análise hidrodinâmica, definição de compartimentos e massas. - Sem condições de contorno e cargas, mas inclui equipamentos, vigas e chapas.© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 116
  • 113. Recomendações de Software e Hardware  Sistema Operacional - Windows XP 32 ou 64 bits, SP3 - Windows 7 32 ou 64 bits - Windows Vista não tem suporte (mas funciona)  Outros Softwares - Microsoft Office 2003 ou acima - PDF Reader  Hardware - Placa gráfica compatível com OpenGL ou DirectX 9 - Memória 2 GB - Processador 1.75 GHz - Espaço em disco 100 GB - Vídeo 1280 x 1024 pixels© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 117
  • 114. Dúvidaswww.dnv.com.brwww.dnvsoftware.comSalvaguardando a vida, a propriedade e o meio ambiente João Henrique Volpini Mattos Engenheiro Naval DNV Software - Maritime & Offshore Solutions Regional Sales Manager – South America  joao.volpini@dnv.com  +55 21 3722 7337  +55 21 8132 8927© Det Norske Veritas Ltda. Todos os direitos reservados. Slide 118