Cronica esportiva bruna

  • 469 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
469
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. BRILHO ENTRE LETRAS E LINHAS Bruna Bringhentti Dalmagro Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça, é ela menina que vem que passa, num doce balanço a caminho da vitória. Fora o automobilismo e as lutas, tudo gira em torno da bola. De várias cores e tamanhos, ela é a dona da festa. De basquete à gude, bola é bola. Com os pés, mãos, dedos ou cabeça, não importa, se sozinho ou acompanhado, quando ela passa, o mundo sorrindo, se enche de graça. Lá vai ela. Direita, esquerda, passou, e... é ponto, é match point, é gol. Se ela demora a ansiedade toma conta, empurra-empurra, gritos, suor, raiva e alegria misturados para ver o seu show. Quando ela chega, vem com ela uma magia, e todos param para ver seu balançado. Quem está com ela vira estrela e a guia num sobe e descem acelerado. Como a caneta no papel, ela vai escrevendo seu poema. Tem quem de nome a ela, como uma companheira inseparável. Não importa se é de couro, de plástico, ou uma bola de meias. Ela é a força que move o esporte. Crianças, jovens, adultos ou idosos, ao vê-la não se contêm, parece que dá uma coceirinha incontrolável em pegá-la. É um sentimento mais forte. Não importa se o jogo é na rua, no campinho de terra, na quadra. Não importa se é entre amigos ou um grande clássico. Se é só por jogar ou a disputa de uma grande final. Sem ela não existe a festa. Sem bola, não há jogo, sem caneta não existe poesia. Assim como o poeta, a bola brilha entre letras e linhas.