Portfólio

1,447 views
1,358 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,447
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Portfólio

  1. 1. Autor: Viviane da Rocha Instituição : Faculdade Mário Schenberg – Grupo Lusófona Brasil - Cotia SP - 2011 Pós-Graduação em Supervisão Pedagógica e Formação de Formadores com acesso ao Mestrado Europeu em Ciências da Educação Docente Responsável - Profª Dra. Ana Paula Silva
  2. 2. Avaliação de Desempenho Docente: Teorias e Modelos
  3. 3. <ul><li>SUMÁRIO </li></ul><ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Avaliação do Desempenho Docente </li></ul><ul><li>Dispositivo de Avaliação da Profissionalidade Docente </li></ul><ul><li>Reflexão </li></ul><ul><li>Considerações Finais </li></ul>
  4. 4. INTRODUÇÃO A avaliação é uma constante em nosso dia-a-dia, estamos a todo tempo sendo avaliados, analisados em nossas ações, procedimento e atitudes. A avaliação é inerente a condição humana. Cresce cada vez mais a importância dada aos modelos de avaliação do desempenho docente, compreendendo a avaliação como um instrumento importante na melhoria e verificação da qualidade de ensino. Na maioria dos modelos de avaliação do desempenho docente, apresenta-se uma dificuldade em se definir a avaliação do professor somente por critérios e aspectos técnicos, assim a grande problemática da avaliação está nas representações sociais acerca do que é este “bom professor”.
  5. 5. Este torna-se um dos objetos centrais da reflexão sobre avaliação, que está longe de um modelo perfeito, mas precisa ser pensado como um processo de interação e participação de todos os envolvidos, com o fator mais importante de converter os resultados da avaliação em melhoria na qualidade de ensino.
  6. 6. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE A avaliação de professores ainda está longe de um modelo perfeito e para a compreensão de um sistema de avaliação é necessário se conhecer as questões teóricas que o fundamentam e as diferentes abordagens de uma avaliação. Desta forma, a avaliação do desempenho docente não pode ser reduzida a uma questão meramente técnica, pois é uma construção social, que precisa da compreensão das questões teóricas que a fundamentam.
  7. 7. DISPOSITIVO DE AVALIAÇÃO DA PROFISSIONALIDADE DOCENTE A avaliação deve ser um processo democrático, com a participação de todos os envolvidos, realizado com colaboração e transparecia na coleta das informações relativa ao ensino, as aprendizagens e todo o processo educativo. É um processo que pode contribuir para a compreensão e reflexão dos problemas que afetam o sistema educativo e, de algum modo, contribuir para a superação desses problemas. Um dispositivo de avaliação da profissionalidade docente , pode proporcionar uma avaliação com o objetivo de contribuir com as melhorias necessárias, reconhecimento e valorizando o trabalho e a profissão do professor.
  8. 8. REFLEXÃO FINAL As reflexões sobre as concepções de um sistema de avaliação do desempenho docente, proporcionaram a oportunidade de se pensar acerca da necessidade de se refletir sobre esse processo , visando uma valorização maior do trabalho do professor com a construção de um sistema de avaliação mais abrangente e com reais objetivos, além dos meramente burocráticos.
  9. 9. CONSIDERAÇÕES FINAIS A qualidade do ensino e da escola passam necessariamente pelas questões relacionadas a avaliação e nessas reflexões busca-se encontrar modelos que permitam uma melhor organização e aperfeiçoamento da prática docente e na melhoria necessária do ensino. .
  10. 10. Referências Bibliográficas CASASSUS, J. Uma nota crítica sobre a avaliação estandardizada: a perda de qualidade e a segmentação social. Lisboa: Sísifo, n. 8 , p. 71-78, jan./abr. 2009. FERNANDES, D. Avaliação do Desempenho Docente: Desafios, Problemas e Oportunidades. Lisboa: Texto Editores, 2008. DANIELSON, C. Novas tendências na avaliação do professor. Rio de Janeiro: Fundação Cesgranrio, 2010. DIAS, R. E; LOPES, A. C. Competências na Formação de Professores no Brasil: O que (não) há de novo. Campinas: Educ. Soc; v. 24, n. 85, p. 1155-1177, dez. 2003. ESTEVES, M. Construção e desenvolvimento das competências profissionais dos professores. Lisboa: Sísifo, n. 8, p. 37-48, jan./abr. 2009.

×