Your SlideShare is downloading. ×
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Português - A estética romântica: idealização e arrebatamento.

4,562

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,562
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
34
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. A estética romântica: idealização e arrebatamento. Romantismo em Portugal Alunos: Darlei K., Douglas M., Giovane A., Isabel S., Viviane D. E.
  • 2. Surgimento do romantismo O Revolução francesa - idade contemporânea; O Por isso é considerado um movimento artístico, político e filosófico;
  • 3. O Romantismo: a força dos sentimentos O Mudanças necessárias pós conquista dos burgueses ;
  • 4. O projeto literário do Romantismo O Jean Jacques Rousseau; O Arte da burguesia; O Romantismo na sociedade capitalista;
  • 5. Os agentes do discurso O Modificação no contexto de produção; O Os escritores românicos precisaram escrever para sobreviver; O Novo contexto de circulação;
  • 6. O Romantismo e o público O O público tem um perfil diferente do que o público de séculos anteriores; O Preferem uma linguagem direta, passional; O Estabelece-se um novo tipo de relação entre o escritos e o leitor;
  • 7. A exaltação da imaginação e dos sentimentos. O O romântico considera a imaginação superior à razão e à beleza; O A originalidade substitui a imitação;
  • 8. Poema Amo-Te (Elizabeth Barrett Browning) O AMO-TE O O O O Amo-te quanto em largo, alto e profundo Minha alma alcança quando, transportada, sente, alongando os olhos deste mundo, os fins do ser, a graça entressonhada. O O O O Amo-te a cada dia, hora e segundo A luz do sol, na noite sossegada e é tão pura a paixão de que me inundo Quanto o pudor dos que não pedem nada. O O O Amo-te com a dor, das velhas penas com sorrisos, com lágrimas de prece, e a fé de minha infância, ingênua e forte. O O O Amo-te até nas coisas mais pequenas, por toda vida, e assim DEUS o quiser Ainda mais te amarei depois da morte.
  • 9. A fuga do presente e da realidade O O autor romântico escreve para uma sociedade formulada sob a influência dos filósofos iluministas; O A morte passa a ser vista como possibilidade de fuga do real; O Recuperar o passado histórico significava reconstruir os passos de um povo;
  • 10. Os filhos de uma mesma nação O Nacionalismo é uma das mais importantes características do Romantismo; O Nacionalismo; O Transformação Política; O O indivíduo torna-se o cidadão de uma pátria;
  • 11. Linguagem: a liberdade formal O Linguagem de liberdade formal; O Adjetivação abundante; O A pontuação é usada para transmitir os sentimentos; O Traduzir a subjetividade;
  • 12. Portugal: um país sem rei entra em crise O Crise político-econômica; O Única saída: o mar; O Força do comercio entre Brasil e Inglaterra; O Investimento na terra dos burgueses;
  • 13. Revolução liberal O Em 1820 na cidade de porto O Volta de D. João VI a Portugal O Nova ordem social
  • 14. Os Românticos resgatam o passado português O A chegada romântica a Portugal; O O poema “Camões”; O O retorno dos Jovens; O Objetivo imediato recuperar figuras do caráter do povo;
  • 15. Os primeiros românticos • Na primeira geração romântica portuguesa manteve alguns traços clássicos. Principalmente na poesia de Antônio Feliciano de Castilho.
  • 16. ALMEIDA GARRET Almeida Garrett: um dos mais importantes representantes do Romantismo português.  Nasceu na cidade do Porto (Portugal) em 1799 e morreu em 1854, na cidade de Lisboa. Seus romances possuíam um forte caráter dramático. Participou também da política, escrevendo sobre este tema. Produziu textos históricos, críticos e diplomáticos.
  • 17. SEUS OLHOS Seus olhos – se eu sei pintar O que os meus olhos cegou – Não tinham luz de brilhar, Era chama de queimar; E o fogo que a ateou Vivaz, eterno, divino, Como facho do Destino. Divino, eterno! – e suave Ao mesmo tempo: mas grave E de tão fatal poder, Que, um só momento que a vi, Queimar toda alma senti... Nem ficou mais de meu ser, Senão a cinza em que ardi. Almeida Garret
  • 18. ALEXANDRE HERCULANO  Herculano foi o responsável pela introdução e pelo desenvolvimento da narrativa histórica em Portugal.  Alexandre Herculano - Nasceu na cidade de Lisboa em 1810 e morreu em 1877, na cidade de Val-de-lobos.. Homem de lúcida visão crítica e participante ativo das lutas políticas de seu tempo , destaca-se principalmente como historiador , tendo escrito História de Portugal e da origem e estabelecimento da Inquisição em Portugal .
  • 19. O Ultrarromantismo português O Crises políticas afetaram autores da 1ª geração durante quase 30 anos; O A segunda geração (romântica) de autores, possuía uma característica de exagero sentimental;
  • 20. Camilo Castelo Branco: um romântico profissional O Autor de vários romances divididos em categorias;  Romance folhetim: focaliza as aventuras de uma personagem misteriosa.  Romance de amor trágico: histórias amorosas com obstáculos sócias ou familiares.
  • 21.  Romance sátira: caricaturas de determinado tipo social;  Romance de costumes provincianos: narrativa da vida cotidiana do campo;  Romance histórico: narrativas principalmente do séc. XVIII;
  • 22. Uma mudança de olhar: o romance aproxima-se da realidade O A partir da década de 1860, os romances com os exageros da segunda geração, perderam espaço para romances mais realistas;
  • 23. Júlio Dinis e o romance de tema contemporâneo Seu principal enfoque é na vida doméstica, em casas de pequenos proprietários rurais;

×