Your SlideShare is downloading. ×
Curso básico de PHP - PT2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Curso básico de PHP - PT2

105
views

Published on

Published in: Technology

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
105
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Conhecendo um novo mundo
  • 2. Instalação Vimos anteriormente que o PHP possui três grandes áreas de atuação. Neste curso abordaremos a utilização do php para criação de websites e aplicações web (script do lado do servidor) que é sua área de atuação mais popular Para isso você precisa de três coisas: o prório PHP, um servidor web e um cliente web (browser). Você também pode alugar um host em uma companhia qualquer. Dessa maneira, você não precisa configurar nada por conta própria, apenas escrever os seus scripts PHP, enviar (upload) para o servidor que você alugou, e ver os resultados no seu browser.
  • 3. Instalação :: Instaladores Completos Existem vários instaladores completos na Internet, que instalam o PHP, Apache e MySQL automaticamente. Mas nenhum deles é apoiado pelo PHP.net. Por se tratar de um curso básico para conhecimento da linguagem não abordaremos a instalação manual, mas recomenda-se utilizá-la, e editar cada opção de configuração do php para obter melhor desempenho e segurança. Para maiores detalhes sobre a instalação manual acesse o php.net.
  • 4. Instalação :: Instaladores Completos Para utilizar um instalador completo é muito simples, basta baixar qualquer um deles gratuitamente em algum site e instalá-lo seguindo as instruções padrão de instalação do software e processo de cada Sistema Operacional. Alguns exemplos de instaladores para download são: WAMP, XAMP, EasyPHP e LAMP. Para encontrá-los os sites em que se encontram disponíveis para download, basta ir em algum oráculo da web.
  • 5. Sintaxe Básica Exemplo #2 Abrindo e Fechando as Tags do PHP 1. <?php echo se você quer servir documentos XHTML ou XML, faça assim; ?> 2. <script language="php"> echo alguns editores (como o FrontPage) não gostam de instruções de processamento; </script> 3. <? echo esta é a mais simples, uma instrução de processamento SGML; ?> <?= expressão ?> Isto é um atalho para "<? echo expressão ?>" 4. <% echo Você pode opcionalmente usar tags no estilo ASP; %> <%= $variavel; # Isto é um atalho para "<% echo . . ." %> Nota: Enquanto as tags vistas nos exemplos um e dois estão ambas sempre disponíveis, o exemplo um é mais comumente usado, e recomendado, das duas.
  • 6. Sintaxe BásicaExemplo #2 Abrindo e Fechando as Tags do PHP Como no C ou Perl, o PHP requer que as instruções sejam terminadas com um ponto-e-vírgula ao final de cada comando. A tag de fechamento de um bloco de código PHP automaticamente implica em um ponto-e-vírgula; você não precisa ter um ponto-e- vírgula terminando a última linha de um bloco PHP. <?php echo Isto é um teste; ?> <?php echo Isto é um teste ?> <?php echo Nós omitimos a última tag de fechamento;
  • 7. Comentários O PHP suporta comentários no estilo C, C++ e shell do Unix shell (estilo Perl). Por exemplo: <?php echo Isto é um teste; // Estilo de comentário de uma linha em c++ /* Este é um comentário de múltiplas linhas ainda outra linha de comentário */ echo Isto é ainda outro teste; echo Um teste final; # Este é um comentário de uma linha no estilo shell ?>
  • 8. Variáveis e Constantes :: Introdução Variáveis e constantes, são espaços reservados na memória ram do computador para guardar informações que serão utilizadas durante o código do programa. Elas podem ter valores de diversos tamanhos e tipos, tais como números inteiros, números reais, caracteres, frases, valores booleanos entre outros que veremos mais a frente.
  • 9. Variáveis As variáveis no PHP são representadas por um cifrão ($) seguido pelo nome da variável. Os nomes de variável no PHP fazem distinção entre maiúsculas e minúsculas e devem ser iniciando por um caracter ou o caracter ‘_’.
  • 10. Exemplo #Variáveis<?php $var = Bob; $Var = Joe; echo "$var, $Var"; // exibe "Bob, Joe" $4site = ‘Maria; // inválido; começa com um número $_4site = ’31 anos; // válido; começa com um sublinhado $täyte = mansikka; // válido; ä é um caracter ASCII (ext endido) 228?>
  • 11. Tipos O PHP não requer a definição de tipo explícita na declaração de variáveis: o tipo de uma variável é determinado pelo contexto em que a variável é utilizada. Isto significa que, se você atribuir um valor string para a variável $var , $var se torna uma string. Se você então atribuir um valor inteiro para $var , ela se torna um inteiro.
  • 12. Tipos BásicosInteiros Um inteiro é um número do conjunto Z = {..., -2, -1, 0, 1, 2, ...}. Inteiros podem ser especificados em notação decimal (base 10), hexadecimal (base 16) ou octal (base 8), opcionalmente precedido de sinal (- ou +).
  • 13. Exemplo #1 Variáveis inteiras <?php $a = 1234; // número decimal $a = -123; // um número negativo $a = 0123; // número octal (equivalente a 83 em decimal) $a = 0x1A;// número hexadecimal (equivalente a 26 em deci mal) ?>
  • 14. Números de ponto flutuante Números de ponto flutuante (também conhecidos como "floats", "doubles" ou "números reais") podem ser especificados utilizando qualquer uma das seguintes sintaxes:<?php $a = 1.234; $b = 1.2e3; $c = 7E-10;?>
  • 15. Booleanos Este é o tipo mais simples. Um booleano expressa um valor verdade. Ele pode ser TRUE ou FALSE. Para especificar um literal booleano, use as palavras- chave TRUE ou FALSE. Ambas são case-insensitive.EX: <?php $foo = True; // atribui o valor True para $foo ?>
  • 16. Strings Uma string é uma série de caracteres. Não é problema para uma string ser bastante longa. PHP não impõe limite de tamanho de uma string; o único limite é o de memória disponível do computador no qual o PHP está sendo executado. Existem duas formas mais utilizadas de se especificar uma string:  apóstrofo  aspas
  • 17. Apóstrofos A maneira mais simples para especificar uma string é delimitá-la entre apóstrofos (o caracter ). Para especificar um apóstrofo. você precisará "escapá-la" com uma contra barra (), como em muitas outras linguagens. Se uma contra barra precisa ocorrer antes de um apóstrofo ou no final da string, você precisa duplicá-la.
  • 18. <?php $string = isto é uma string comum; echo $string; # imprime: isto é uma string comum“ // Imprime: Arnold disse uma vez: "Ill be back" echo Arnold disse uma vez: "Ill be back"; // Imprime: Isto não será substituido: n uma nova linha echo Isto não será substituido: n uma nova linha; // Imprime: Variaveis $também não $expandem echo Variaveis $também não $expandem;?>
  • 19. Aspas Quando uma string é especificada dentro de aspas, variáveis são interpretadas dentro delas. Se um sinal de cifrão ($) é encontrado, o interpretador tentará obter tantos identificadores quanto possíveis para formar um nome de variável válido. Envolva o nome da variável com chaves se você deseja explicitamente especificar o fim do nome.
  • 20. <?php $cerveja = ‘SKOLL; echo "O sabor das $cervejas é otimo"; // funciona, "" é um carac ter inválido para nome de variáveis echo "Ele bebeu algumas $cervejas"; // não funciona, s é um car acter válido para nome de variáveis echo "Ele bebeu algumas ${cerveja}s"; // funciona echo "Ele bebeu algumas {$cerveja}s”; // funciona?>
  • 21. Seqüências de escapeSeqüência Significadon fim de linha (linefeed ou LF ou 0x0A (10) em ASCII)r retorno de carro (carriage return ou CR ou 0x0D (13) em ASCII)t TAB horizontal (HT ou 0x09 (9) em ASCII)v TAB vertical (VT ou 0x0B (11) em ASCII) (desde o PHP 5.2.5)f form feed (FF ou 0x0C (12) em ASCII) (desde o PHP 5.2.5) contra barra ou barra invertida$ sinal de cifrão" aspas
  • 22. Constantes Uma constante é um identificador (nome) para um único valor. Como o nome sugere, esse valor não pode mudar durante a execução do script. Por convenção, o nomes de constantes são sempre em maiúsculas. O nome de uma constante tem as mesmas regras de qualquer identificador no PHP. Como as superglobals, o escopo de uma constante é global. Você pode acessar constantes de qualquer lugar em seu script sem se preocupar com o escopo.
  • 23. Sintaxe Você pode definir uma constante utilizando-se da função define(). Quando uma constante é definida, ela não pode ser mais modificada ou anulada. Somente dados escalares (boolean, integer, float e string) pode ser colocados em constantes.
  • 24. Exemplo #1 Definindo Constantes<?php define("CONSTANT", "Hello world."); echo CONSTANT; // imprime "Hello world." echo Constant; // imprime "Constant" e gera um alerta notice.?>Nota: Utilize get_defined_constants() para obter a lista de todas as constantes definidas.
  • 25.  Estas são as diferenças entre constantes e variáveis:  Constantes não podem ter um sinal de cifrão ($) antes delas;  Constantes só podem ser definidas utilizando a função define(), e não por simples assimilação;  Constantes podem ser definidas e acessadas de qualquer lugar sem que a regras de escopo de variáveis seja aplicadas;  Constantes não podem ser redefinidas ou eliminadas depois que elas são criadas;  E Constantes só podem conter valores escalares.
  • 26. Expressões Expressões são as peças de construção mais importantes do PHP. No PHP, quase tudo o que você escreve são expressões. A maneira mais simples e ainda mais precisa de definir uma expressão é "tudo o que tem um valor". As formas mais básicas de expressões são constantes e variáveis. Quando você digita "$a = 5", você está atribuindo 5 para $a. 5, obviamente, tem o valor 5, ou, em outras palavras, 5 é uma expressão com o valor 5 (neste caso, 5 é uma constante inteira).
  • 27.  Depois desta atribuição, você pode esperar que o valor de $a seja 5 também, assim se você escrever $b = $a, você pode esperar que $b se comporte da mesma forma que se você escrevesse $b = 5. Em outras palavras, $a é uma expressão com valor 5 também. Se tudo funcionou bem, isto é exatamente o que acontecerá.
  • 28. Operadores Um operador é algo que você alimenta com um ou mais valores (ou expressões, no jargão de programação) e que devolve outro valor (e por isso os próprios construtores se tormam expressões). Há três grupos de operadores. Primeiramente, os operadores unários, que operam em apenas um valor. Por exemplo, ! (operador de negação) ou o ++ (operador de incremento). No segundo grupo estão os operadores binários, o o grupo que contém a maioria dos operadores que o PHP suporta.
  • 29. Há três categorias de operadores. Primeiramente, os operadores unários, que operam em apenas um valor. Por exemplo, ! (operador de negação) ou o ++ (operador de incremento). No segundo grupo estão os operadores binários, o o grupo que contém a maioria dos operadores que o PHP suporta.
  • 30.  O terceiro grupo é do operador ternário: ?:. Ele pode ser usado para selecionar entre dois valores dependendo de uma terceira, em vez de selecionar duas sentenças ou encadeamentos de execução. Englobar expressões ternárias com parênteses é uma boa idéia.
  • 31. Precedência de Operadores A precedência de um operador especifica quem tem mais prioridade quando há duas delas juntas. Por exemplo, na expressão, 1 + 5 * 3, a resposta é 16 e não 18 porque o operador de multiplicação ("*") tem prioridade de precedência que o operador de adição ("+"). Parênteses podem ser utilizados para forçar a precedência, se necessário. Assim, (1 + 5) * 3 é avaliado como 18. Se a precedência do operador é igual, a associatividade da esquerda para direita é usada.
  • 32. Tipos de OperadoresAritiméticos Só podem ser utilizados quando os operandos são números (integer ou float). Se forem de outro tipo, terão seus valores convertidos antes da realização da operação: + adição; - subtração; * multiplicação; / divisão; % módulo.
  • 33. De strings Só há um operador exclusivo para strings: . concatenação
  • 34. Atribuição (binário) Exisste um operador básico de atribuição e diversos derivados. Sempre retornam o valor atribuído. A atribuição é sempre por valor, e não por referência: = atribuição simples; += atribuição com adição; -= atribuição com subtração; *= atribuição com multiplicação; /= atribuição com divisão; %= atribuição com módulo; .= atribuição com concatenação.
  • 35. Comparação (binário) As comparações são feitas entre os valores contidos nas variáveis, e não as referências. Sempre retornam um valor booleano: == - igual a; != - diferente de; <> - diferente de; < - menor que; > - maior que; <= - menor ou igual a; >= - maior ou igual a. === - idêntico !== - não idêntico
  • 36.  Operadores Lógicos (binário)Utilizados para inteiros representando valores booleanos: && - e lógico; || - ou lógico. and - e lógico; or - ou lógico; xor - ou exclusivo; ! - não (inversão); Nota: Dos operadores lógicos o não é o único pertencente ao grupo de operadores unário.
  • 37.  Operadores de incremento e decremento: (unário) O PHP suporta operadores de pré e pós-incremento e decremento no estilo C. $a++ - pós-incremento ++$a - pré-incremento $a-- - pós-decremento --$a - pré-decremento
  • 38. Referências PHP.NET. Manual do PHP. Disponível em: <http://www.php.net/manual/pt_BR/index.php>. Acesso em: 23 maio 2010. RICK SIMMONS. Curso - 02 - Variáveis, o que são?: Disponível em: <http://forum.imasters.uol.com.br/index.php?/topic/1 32280-curso-02-variaveis-o-que-sao/ >. Acesso em: 25 jun. 2010.

×