Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda

on

  • 819 views

 

Statistics

Views

Total Views
819
Views on SlideShare
634
Embed Views
185

Actions

Likes
1
Downloads
14
Comments
0

1 Embed 185

http://www.expotur.eu 185

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda Internacionalização do turismo no meio rural - Francisco Peneda Presentation Transcript

  • Internacionalização doTurismo no Meio Rural Santarém, 5 de Junho 2012
  • Índice: Reflexões Caracterização da Procura Caracterização Oferta Modelo de Desenvolvimento e de Negócio Conclusões2
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural Reflexões  Importância da atribuição da condição de produto específico/estratégico para o Turismo.  Importância de dar a conhecer aos potenciais turistas provenientes de outros países, os atrativos/fatores de competitividade turísticos nacionais.  Importância de fazer sobressair como fator de competitividade os produtos agrícolas, locais e regionais de qualidade e dos fatores paisagísticos e ambientais das zonas de excelência.  Importância de melhorar e aumentar a oferta de alojamento TER e de outros atrativos turísticos – oferta integrada, organizada e qualificada.  Importância da criação de serviços no alojamento TER e nas áreas de influência envolventes.  Importância de articular com os investimentos estruturais dos municípios e das regiões onde se inserem.3
  • Índice: Reflexões Caracterização da Procura Caracterização Oferta Modelo de Desenvolvimento e de Negócio Conclusões4
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Caracterização da Procura • Turismo rural internacional representa 5,4% das viagens de lazer na Europa (13,4M de viagens Europa). • Turista rural tipo - 35 e 55 anos, classe média-alta, cerca de 2, 3 dias de permanência média e com 2 horas de duração de viagem do ponto de chegada/partida. • Motivação: cultural, contato de natureza, atividade de animação ou desporto, relaxamento e paz interior. • Tendência para uma evolução cada vez maior da procura internacional e por férias mais participativas.5
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Caracterização da Procura • Alemanha e Espanha são os principais mercados emissores para Portugal. • Turismo rural posiciona-se como uma opção a ser considerada nas férias de curta duração, com um maior nível de conforto do alojamento e um elevado standard de qualidade nos serviços. Reino Unido6
  • Índice: Reflexões Caracterização da Procura Caracterização Oferta Modelo de Desenvolvimento e de Negócio Conclusões7
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Caracterização da Oferta Oferta de alojamento rural em Portugal representa apenas 1% do disponível em toda a Europa: • 1.393 estabelecimentos, com um crescimento, em média 5,4% ao ano, na última década • 16.502 camas, com um crescimento, em média 7,6% ao ano, na última década Oferta concentrada (82% das camas disponíveis), da seguinte forma: • Norte 40% • Centro 22% • Alentejo 20% O total de dormidas em alojamentos rurais chegou a 524 mil em 2008, das quais 44% foram estrageiros e cresceu cerca de 7 vezes mais do que os restantes segmentos turísticos. O peso da procura doméstica, apresenta valores inferiores aos da média europeia.8
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Caracterização da Oferta • O número de explorações que se dedicam ao TR e a atividades diretamente relacionadas, aumentaram cerca de 37% no período 1999-2009 • A importância económica da animação turística tem vindo a aumentar significativamente. Entre 2007 e 2009, a organização de atividades de animação turística apresenta os seguintes aumentos: • +164% Nº de empresas • +109% Pessoal ao serviço • +48% Volume de negócios • Os produtos com nome protegido (DOP/IGP) apresentaram uma evolução positiva no período de 2004 a 2007. Nesse período, os acréscimos registados foram: • +108% Volume da Produção • +13% Valor da Produção9
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Recursos e atrativos turísticos • Recursos e atrativos PRIMÁRIOS: - Pequenos núcleos urbanos históricos próximos à área rural (acessível em média a 30 minutos em carro) - Parques nacionais e/ou áreas naturais de elevada atratividade - Gastronómicos e enológicos - Cultura e patrimônio locais - Disponibilidade de animação turística • Recursos e atrativos SECUNDÁRIOS: - Artesanato - Eventos - Tradições religiosas - Museus e centros de interpretação - Outros10
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Recursos com potencial, mas com baixo aproveitamento turístico11
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Fatores críticos de sucesso • Falta de formação dos recursos humanos e capacitação das empresas. • Escassez de empresas que ofereçam atividades de animação. • Ineficazes estratégias de comunicação e facilidade de reserva. • Fraco posicionamento no mercado. • Ausência de um sistema nacional de qualificação dos empreendimentos. • Difícil diferenciação pelo consumidor sobre os diferentes tipos de oferta de alojamento em meio rural. • Falta de clarificação do produto.12
  • Índice: Reflexões Caracterização da Procura Caracterização Oferta Modelo de Desenvolvimento e de Negócio Conclusões13
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Cadeia de valor da produção em Turismo Pré-viagem Durante Pós -viagem Consumo de serviços de Consumo de Consumo de Compartilhar Planear alojamento e recursos atividades e experiências outros atrativos experiências serviços14
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Estratégias a seguir: • Como dispor de uma oferta atrativa de atividades e experiências para o turista? - Desenvolvimento da oferta turística - Políticas de estímulo - Captação de talento empresarial • Como contar com uma oferta de alojamento e serviços qualificados que transmita segurança ao mercado? - Classificação da oferta de alojamento - Políticas de estímulo à oferta de alojamento • Como posicionar os destinos nos mercados de origem prioritários? - Marcas/labels - Comercialização em origem / destino15
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Estratégias a seguir: • Como fazer da inspiração e planeamento da viagem uma experiência gratificante? - Espaço web de turismo rural de Portugal - Plano de comercialização em origem / destino • Como desenvolver de forma coordenada as políticas e o marketing entre sectores? - Sinergias entre produtos transversais - Mecanismos de coordenação público-privados • Como gerir eficazmente o desenvolvimento e o marketing do turismo rural em Portugal? - Organização para a gestão do turismo rural - Incorporação de atores-chave16
  • Índice: Reflexões Caracterização da Procura Caracterização Oferta Modelo de Desenvolvimento e de Negócio Conclusões17
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Principais conclusões: • Promover a qualificação do setor; • Melhorar a imagem de qualidade dos serviços de turismo rural; • Posicionar Portugal entre os destinos de qualidade do setor de turismo rural europeu; • Integrar a oferta de recursos locais numa plataforma atrativa de informação, planeamento e venda de turismo rural em Portugal; • Estimular o consumo de turismo rural pela procura indireta presente no país; • Implementar o modelo de desenvolvimento coordenado para turismo rural no país.18
  • Internacionalização do Turismo no Meio Rural  Próximos passos: • Apresentação à tutela no final de Junho; • Apresentação aos stakeholders no final de Setembro; • Base de trabalho no âmbito da discussão do Quadro Estratégico Comum 2014/20 e do Contrato de Parceria, a estabelecer, para potenciar sinergias entre os Fundos de Financiamento (FEADER, FEDER, FSE e outros); • Base de trabalho no âmbito do próximo programa de desenvolvimento rural 2014/20, nomeadamente, do 6º objetivo estratégico, desenvolvimento económico das zonas rurais.19