Atualidade 2013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,508
On Slideshare
1,508
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
131
Comments
0
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Comissão da Verdade No ano de 2012, tivemos um intenso debate sobre a formação da Comissão da Verdade, uma comissão formada por membros designados pelo governo federal para investigar os crimes cometidos pelo Estado durante o século XX. Contudo, quais seriam esses crimes que eles investigarão? Que verdade é essa a ser exposta? Enfim, de que modo essa comissão tem a possibilidade de aparecer nos vestibulares de 2012? A primeira questão óbvia é que a Comissão da Verdade terá como grande meta investigar os crimes de tortura, prisão arbitrária e assassinato acontecidos na Ditadura Militar (1964 - 1985). Desse modo, o vestibulando precisa ficar atento aos métodos de coerção e repressão que aconteceram durante o regime militar. Nesse aspecto, sugerimos aquela “revisada especial” no Ato Institucional nº 5 e nas propagandas oficiais que pretendiam acobertar.
  • 2. Redução da maioridade penal Após mortes ocasionadas por menores de idade do país, o debate da redução da maioridade foi amplamente retomado. Uma pesquisa da CNT (Confederação Nacional dos Transportes) afirma que a ação é defendida por mais de 90% dos brasileiros. Contudo, órgãos e entidades, como a OAB, acreditam que a redução não diminuirá a criminalidade. Mais de 90% dos brasileiros querem redução da maioridade penal, diz pesquisa CNT/MDA. A redução da maioridade penal voltou ao noticiário em abril, quando o universitário Victor Hugo Deppman, 19, foi assassinado em frente ao prédio onde morava, em São Paulo, supostamente por um adolescente de 17 anos --que completou 18 anos poucos dias depois.
  • 3. Médicos estrangeiros no país Em maio, os governos do Brasil e de Cuba, com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde, anunciaram a possível vinda de 6.000 médicos cubanos para trabalharem nas regiões brasileiras mais carentes. O anúncio gerou polêmica. Os governos do Brasil e de Cuba, com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde, estão acertando como será a vinda de 6.000 médicos cubanos para trabalharem nas regiões brasileiras mais carentes. Os detalhes estão em negociação. Os ministros das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e o cubano Bruno Eduardo Rodríguez Parrilla, anunciaram nesta segunda-feira (6.maio) a parceria.
  • 4. Crise na zona do euro "Ela está colocando em risco a própria ideia de Europa. Existe um grave problema aqui. A França acabou de se assumir como país em depressão", analisa Tania; A União Europeia entra na primavera encarando novas dificuldades. A crise ainda não está resolvida. E a solução encontrada – o congelamento de depósitos bancários – lançou desconfianças sobre os bancos de toda a zona euro. A Itália continua sem governo e as negociações entre os partidos emperraram. Pier Luigi Bersani, chefe do Partido Democrata (centro-esquerda), que obteve uma maioria relativa nas últimas eleições, desistiu de tentar formar um novo ministério. Agora, espera-se a demissão do presidente italiano, Giorgio Napolitano, que já está no final de seu mandato, para acelerar a convocação de novas eleições nacionais.
  • 5. Crise na zona do euro Enfim, há outra notícia ruim que, desta vez, atinge toda da zona euro. No mês de março, depois de três meses de alta, os indicadores econômicos da região desabaram. Um gráfico publicado por Paul Krugman mostra que o nível do PIB per capita europeu, depois de 5 anos de crise, está pior do que o nível registrado em igual período de tempo na crise de 1929. No meio disso tudo, a publicação da foto da chefe do governo alemão, Angela Merkel, numa piscina em Ischia, na Itália, pareceu premonitória. No meio do bloqueio geral europeu, com um governo francês enfraquecido e a Itália mergulhada na confusão política, a Alemanha nada de braçadas, afirmando sua hegemonia.
  • 6. Margaret Thatcher A morte da primeira e, até agora, única mulher a chefiar o governo do Reino Unido pode ser cobrada no Enem para que o candidato faça um balanço sobre a política externa que ela aplicou no país e sua relação com movimentos trabalhistas. Thatcher foi a primeira e até agora única mulher a ser premiê no Reino Unido. Ela liderou os conservadores a três vitórias eleitorais, governando de 1979 a 1990, o maior período contínuo no governo para um primeiro-ministro britânico desde o início do século 19. "A verdade sobre Margaret Thatcher é que ela não apenas liderou o nosso país. Ela salvou o nosso país", disse Cameron. "Ela morre como a maior primeiraministra do Reino Unido em tempos de paz."
  • 7. Hugo Chávez Após 14 anos no poder, a morte do venezuelano abre uma nova era para o país sul-americano. O assunto poderia embasar discussões sobre o populismo e questões relacionadas às instituições democráticas. Ferrenho crítico do neoliberalismo e do governo dos Estados Unidos, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, morreu aos 58 anos nesta terça-feira (5.março), vítima de um câncer na região pélvica, com o qual convivia há um ano e meio. Desde que sua enfermidade foi diagnosticada, em junho de 2011, Chávez passava longos períodos em Cuba, onde tratava a doença.
  • 8. Atentado em Boston Os dois suspeitos apontados pelo FBI como responsáveis pelas explosões foram identificados como sendo os irmãos Dzhokhar, preso pela polícia, e Tamerlan, morto após tiroteio. Os dois são russos e residentes legais nos Estados Unidos há no mínimo um ano. O assunto pode ser relacionado com questões de extremismo religioso Dzhokhar Tsarnaev, 19, um dos suspeitos de detonar bombas durante a Maratona de Boston no dia 15 de abril, disse à sua mãe, Zubeidat Tsarnaev, que não precisa do dinheiro da família porque recebeu um depósito de US$ 1 mil (cerca de R$ 2 mil) de um doador não identificado.
  • 9. Renúncia de Bento XVI O anúncio da renúncia do papa Bento XVI, realizado em 11 de fevereiro de 2013, causou certa surpresa no mundo católico. Não é uma situação usual um papa renunciar ao mandato, já que geralmente a sucessão ocorre após a morte de cada um deles. O último caso aconteceu com o papa Gregório XII (1406-1414). No caso de Joseph Ratzinger, de 85 anos, os motivos alegados foram a debilidade física pela qual ele passa, o que o impossibilitaria de continuar a executar as funções exigidas pelo cargo. Nesse sentido é interessante que estude os posicionamentos defendidos por Bento XVI, os problemas políticos enfrentados pelo Estado do Vaticano e as denúncias que vêm assolando a Igreja católica há alguns anos, além, é claro, da própria história da igreja.
  • 10. Yoani Sánchez X liberdade de expressão A visita de Yoani Sánchez ao Brasil no início de 2013 é um possível tema para se debater a liberdade de expressão no vestibular. A visita da blogueira cubana Yoani Sánchez ao Brasil, em fevereiro de 2013, para a divulgação de um documentário com sua participação causou uma série de manifestações e debates nos locais pelos quais ela passou. Criadora do blog Generación Y, Yoani causa polêmica com seus posicionamentos críticos à falta de liberdade de expressão e em defesa dos direitos humanos em Cuba.
  • 11. Manifestações populares no Brasil No primeiro semestre de 2013, uma série de manifestações populares ocorreu nas ruas de centenas de cidades brasileiras. Tendo inicialmente como foco de reivindicação a redução das tarifas do transporte coletivo, as manifestações ampliaram-se, ganhando um número imensamente maior de pessoas e também novas reivindicações. A violência policial aos atos também contribuiu para que mais pessoas fossem às ruas para garantir os direitos de livre manifestação. Em virtude da grande repercussão que essas manifestações alcançaram nas ruas e nos meios de comunicação de massa, é possível que elas sejam utilizadas como ponto de partida para avaliar o vestibulando, possivelmente testando seus conhecimentos em relação a outras grandes manifestações que ocorreram na história do Brasil.
  • 12. Conflito entre as Coreias A declaração dada pela Coreia do Norte, em 29 de março de 2013, de reforço do estado de guerra com a Coreia do Sul, deixou o mundo em alerta sobre uma possível escalada militar na península coreana. Isto devido às ameaças de ataque nucleares a territórios dos EUA feitas pelo presidente norte-coreano Kim Jong-un, além de ataques ao vizinho do Sul. O conflito na Coreia remete à dominação imperialista da península pelo Japão entre 1910/1945. Com a derrota do Japão na região durante a II Guerra Mundial, em decorrência da interferência das forças armadas dos EUA e URSS, cada um dos países passou a controlar uma parte da península. O acordo de divisão entre as duas superpotências resultou na formação da República da Coreia do Sul, sob domínio dos EUA, e a República Popular Democrática da Coreia do Norte, apoiada pela URSS e China.
  • 13. O plebiscito sobre Reforma Política No dia 24 junho de 2013, a presidente da república, Dilma Rousseff, anunciou, em uma reunião ampliada envolvendo 27 governadores e 26 prefeitos das capitais brasileiras, a realização de cinco pactos em prol de melhorias para diversos setores do país. Dentre eles, o ponto mais polêmico sem dúvida foi o que se referia à criação de um plebiscito para a elaboração de uma constituinte exclusiva para a Reforma Política no Brasil. Logo depois, no entanto, o Governo desistiu da Constituinte Exclusiva e deliberou pela realização do plebiscito para aprovar diretamente os pontos da reforma política. Tal ação foi uma resposta à proliferação de protestos que faziam reivindicações pela revogação do aumento das tarifas no transporte público em diversas capitais do país. Após conseguir derrubar esse aumento, as manifestações ampliaram suas pautas, que passaram a envolver temas como corrupção, melhorias na saúde e na educação, mobilidade urbana e, em meio a muitos outros pontos, a Reforma Política.
  • 14. 25 anos da Constituição Brasileira A Ordem dos Advogados do Brasil fez nesta terça-feira (1.out) uma solenidade em homenagem aos 25 anos da Constituição Brasileira. A cerimônia na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) foi um reencontro para alguns dos parlamentares que escreveram a Constituição. Políticos aposentados e políticos que continuam na ativa. O texto foi promulgado pelo então presidente da Câmara, Ulysses Guimarães, em 5 de fevereiro de 1988.
  • 15. 25 anos da Constituição Brasileira Entre os avanços da carta de 88 também estão: o fim da censura, o salário-mínimo para idosos e deficientes, o voto facultativo aos 16 anos, a igualdade entre irmãos, dentro e fora do casamento e o reconhecimento da união estável entre os casais A constituição foi tão avançada na garantia dos direitos individuais, que até hoje é considerada um das mais modernas do mundo. Justamente por isso, ganhou o titulo de constituição-cidadã. Ela também criou o SUS, o Sistema Único de Saúde. “O que ocorria no passado e ocorreu após o SUS foi um avanço significativo, principalmente para a população de menor renda do país”, explica José Matias-Pereira, especialista em Administração Pública. A constituição também fixou regras claras para os concursos públicos, na tentativa de acabar com os chamados “trens da alegria”.
  • 16. França celebra primeiro casamento gay do país Sob o olhar atento de 500 convidados, Vincent Autin, 40, e Bruno Boileau, 30, se casaram nesta quarta-feira (29.maio), na cidade francesa de Montpellier. Eles se tornaram o primeiro casal homossexual a se casar no país. A cerimônia foi celebrada pela prefeita da cidade, a socialista Hélène Mandrou. Em 2011, a prefeita casou, simbolicamente, dois homossexuais. "É um grande prazer para mim declará-los casados perante a lei". A prefeita ainda Destacou o “momento histórico” que significa o casamento entre pessoas do mesmo sexo e citou os precedentes de Portugal e da Espanha na autorização desse tipo de união. O casamento foi transmitido ao vivo por diversos canais de televisão franceses e acompanhado por centenas de pessoas na praça principal de Montpellier.