Sistemas de Gestão

1,598 views

Published on

Trabalho da disciplina NPA810 - Sistemas de Informação do curso de Engenharia de Produção da FEI. (Professor Mateus Cozer)

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,598
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
109
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sistemas de Gestão

  1. 1. SISTEMAS DE GESTÃO<br />Lucas Pistoresi Ribeiro 12.209.393-3<br />Renato André Dalbem Shayeb 12.210.385-6<br />Denis Pinto Monteiro Jr. 12.110.606-6<br />Vinícius Estrela Bueno 12.110.377-7<br />Tatiany Tangerino 12.211.555-5<br />
  2. 2. Agenda<br /><ul><li>ERP – Enterprise ResourcePlanning
  3. 3. SCM – SupplyChain Management
  4. 4. WMS – Warehouse Management System
  5. 5. Personalização em Massa
  6. 6. Base de Clientes
  7. 7. CRM – CustomerRelationship Management</li></li></ul><li>Enterprise Resource Planning<br />Introdução<br />Nas últimas décadas, devido à alta competitividade e procura por maiores mercados, as empresas se viram na necessidade de buscar métodos mais eficientes para atender certas exigências. O ERP (Enterprise Resource Planning, planejamento de recursos da corporação) surge como uma resposta a estes requisitos.<br />http://www.slideshare.net/mtscozer/erp-7317038<br />
  8. 8. Enterprise Resource Planning<br />Histórico<br />http://www.slideshare.net/mtscozer/erp-7317038<br />
  9. 9. Enterprise Resource Planning<br />Objetivo<br /><ul><li>Tem como objetivo armazenar, processar e organizar o fluxo de informações entre todas as atividades de uma empresa, além de automatizar e integrar todos os processos</li></ul>http://www.slideshare.net/mtscozer/erp-7317038<br />
  10. 10. Enterprise Resource Planning<br />- Compra<br />- Qualidade<br />- Materiais<br />- Vendas<br />- Logística<br />VENDA<br />QUALIDADE<br />- Manutenção<br />GESTÃO DE ENGENHARIA<br />GESTÃO DE OPERAÇÕES<br />CONTROLE DE LOTES<br />- Controle de Fabricação<br />RECURSOS HUMANOS<br />ESTOQUE<br />- Produção<br />PRODUÇÃO<br />CONTROLE DE FABRICAÇÃO<br />MANUTENÇÃO<br />- Estoque<br />LOGÍSTICA<br />MATERIAIS<br />COMPRA <br />- RecursosHumanos<br />- Controle de Lotes<br />- Gestão de Operações<br />- Gestão de Engenharia<br />http://www.slideshare.net/mtscozer/erp-7317038<br />
  11. 11. Enterprise Resource Planning<br />Davenport, Thomas. Putting the Enterprise into the Enterprise System. HBR Jul-Aug 1998. Pag 121; 131.<br />
  12. 12. Enterprise Resource Planning<br />Implementação<br /><ul><li>Pode ter um certo grau de customização e são modulares assim permitem às empresas instalarem apenas os módulos que são mais convenientes;
  13. 13. Para se obter sucesso é necessário estar preparado para as mudanças de cultura e organização que ocorrerão;
  14. 14. “Se você não tiver cuidado, o sonho da integração pode se transformar em um pesadelo” DAVENPORT,1988.</li></ul>http://www.slideshare.net/mtscozer/erp-7317038<br />
  15. 15. Enterprise Resource Planning<br />Implementação<br /><ul><li> Segundo Cliffe(1999:16), a melhor maneira para se abordar uma implantação de um sistema ERP seria como um novo negócio, uma vez que ambos compartilham características como tendência a mudar o formato conforme o andamento, altos custos e riscos e envolvimento de diversos times.</li></ul>Cliffe, Sarah. ERP Implementation. HBR Jan-Fab 1999. Pag 16; 17.<br />
  16. 16. Enterprise Resource Planning<br />Vantagens<br /><ul><li>Ferramenta essencial para melhorar a competitividade no mercado;
  17. 17. Melhora na qualidade da informação;
  18. 18. Planejamento;
  19. 19. Serviços prestados ao cliente;
  20. 20. Confiabilidade;
  21. 21. Redução de custos e estoque;</li></li></ul><li>Enterprise Resource Planning<br />Desvantagens<br /><ul><li>Alto custo inicial;
  22. 22. Necessidade de um acompanhamento durante utilização;
  23. 23. Adequação das necessidades;
  24. 24. Eventual mudança na organização;
  25. 25. Redução na flexibilidade (padronização);
  26. 26. Se mal implementado pode causar prejuízos;</li></li></ul><li>Enterprise Resource Planning<br />Principais Softwares<br /><ul><li>Líder Global
  27. 27. Atua em todos setores
  28. 28. Possui mais de 109 mil clientes
  29. 29. Sistema mais completo
  30. 30. Surgiu em 2005
  31. 31. Especializou-se RH e Financeiro
  32. 32. Servidor acessado via internet</li></ul>http://www.slideshare.net/mtscozer/erp-7317038<br />
  33. 33. Enterprise Resource Planning<br />Principais Softwares<br /><ul><li>Criou sistema de banco de dados
  34. 34. Encontrada em quase todos os setores no mundo
  35. 35. Oferecem aplicativos e ferramentas para desenvolvimento de aplicativos e suporte a decisões
  36. 36. Controla: Microsiga, Datasul, RM Sistemas, Logocenter e Midbyte
  37. 37. Presente em de 23 países com mais 25,2 mil clientes ativos
  38. 38. Desenvolvem softwares que buscam a inovação, relacionamento e suporte a gestão</li></ul>http://www.slideshare.net/mtscozer/erp-7317038<br />
  39. 39. Supply Chain Management<br />Introdução<br />“A cadeia logística não é composta apenas de movimentação de produtos físicos entre empresas. Envolve, também, o fluxo de informação e capitais entre as mesmas companhias. A comunicação é um fator chave para a manutenção e gestão da cadeia logística. Os membros da cadeia logística têm de fazer tudo o que estiver ao seu alcance para melhorar as operações da cadeia, pois são essas medidas que permitem reduzir os custos e aumentar as receitas.” (Fredendall , 2001)<br />
  40. 40. Supply Chain Management<br />Como Surgiu?<br /><ul><li>Quando percebeu-se a necessidade de integrar todas as atividades logísticas (interna e externa) das empresas, desde o abastecimento pelos fornecedores até o consumidor final.</li></li></ul><li> Supply Chain Management<br />Objetivos<br /><ul><li>Visando otimizar o desempenho, as funções da Cadeia de Suprimentos devem operar de maneira coordenada e harmônica;
  41. 41. A dinâmica das empresas e do mercado dificulta uma gestão harmônica da cadeia, com fatores que influenciam como:
  42. 42. Mudanças de Políticas
  43. 43. Indisponibilidade de Material
  44. 44. Falhas na Linha de Produção
  45. 45. Mudanças ou Cancelamentos de Pedidos
  46. 46. O gerenciamento da Cadeia de Suprimentos é o principal fator que aumenta a competitividade entre as empresas;</li></ul>Fonte: http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART476.pdf<br />
  47. 47. Supply Chain Management<br />O Gerenciamento<br /><ul><li>Dois paradigmas são determinantes no bom desempenho do gerenciamento das cadeias produtivas:
  48. 48. Compartilhamento de Informações entre os participantes da cadeia</li></ul> “As informações são essenciais para permitir que os participantes da cadeia façam as coisas certas, mais rápida e eficientemente” (Bowersox, 1996)<br /><ul><li>Eliminação de Desperdícios e Excesso de Esforço</li></ul>Fonte: http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART476.pdf<br />
  49. 49. Supply Chain Management<br />A Importância da TI no SCM<br /><ul><li>O grande desenvolvimento e avanço da tecnologia vem sendo utilizado como ferramenta para que através de novos relacionamentos com fornecedores e clientes o resultado obtido seja uma vantagem competitiva significativa;
  50. 50. A TI pode ser utilizada para eliminar canais intermediários e ligar diretamente os clientes finais, assim:
  51. 51. Simplificando a complexidade dos produtos
  52. 52. Aumentando a participação no mercado
  53. 53. Expandindo oportunidades de criar relacionamento de parcerias entre compradores e vendedores</li></ul>Fonte: http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART476.pdf<br />
  54. 54. Supply Chain Management<br />F15 – Estudo de Caso (Cohen)<br />Fonte: MORRIS A. COHEN Customer Value Delivery in the Service Supply Chain: Optimization, Performance Incentive Contracting & Implementation<br />
  55. 55. Supply Chain Management<br />Comparativo – Business Model<br />Fonte: MORRIS A. COHEN Customer Value Delivery in the Service Supply Chain: Optimization, Performance Incentive Contracting & Implementation<br />
  56. 56. Supply Chain Management<br />F15 – Estudo de Caso (Cohen)<br />Supply Chain tem melhor performance no modelo PBL em relação a propriedade de ativos do fornecedor<br />Fonte: MORRIS A. COHEN Customer Value Delivery in the Service Supply Chain: Optimization, Performance Incentive Contracting & Implementation<br />
  57. 57. Supply Chain Management<br />F15 – Estudo de Caso (Cohen)<br />Fonte: MORRIS A. COHEN Customer Value Delivery in the Service Supply Chain: Optimization, Performance Incentive Contracting & Implementation<br />
  58. 58. Warehouse Management System<br />Definição<br /><ul><li>“O processo de armazenagem representa, em geral, a terceira força entre os direcionadores de custos logísticos, perdendo apenas para o transporte e igualando-se à manutenção de estoques” (RAGO, 2002).
  59. 59. Para melhorar a eficiência na administração do armazém, surgem os Sistemas de Gestão de Armazém (Warehouse Management Systems – WMS)</li></ul>Fonte: VERÍSSIMO, NÁDIA A Tecnologia de InformaçãonaGestão de Armazenagem<br />
  60. 60. Warehouse Management System<br />Definição<br /> “O WMS é o sistema de informações que planeja, programa e controla as operações do armazém. Abrange todas as funções, desde a chegada do veículo ao pátio, o recebimento dos materiais, passando pela estocagem, separação de pedidos, reposição e controle de estoques, inventário, programação e controle de embarque e liberação de caminhões”. (RAGO, 2002)<br />Objetivos<br /><ul><li>Aumentar a precisão das informações
  61. 61. Aumentar a velocidade e qualidade das operações dentro do centro de distribuição
  62. 62. Aumentar a produtividade do pessoal e dos equipamentos do depósito </li></ul>Fonte: VERÍSSIMO, NÁDIA A Tecnologia de InformaçãonaGestão de Armazenagem<br />
  63. 63. Warehouse Management System<br />Benefícios<br />WMS<br />Qualidade e velocidade de informações<br />Redução <br />de erros <br />ao cliente<br />Redução<br />do tempo de<br />atendimento<br />Redução<br /> dos custos de<br />mão-de-obra<br />Racionalização<br />de espaço e<br />equipamentos<br />Desempenho<br />Sistema de<br />informação<br />Aumento<br />de <br />capacidade<br />Melhoria do<br />Nível de<br />Serviço<br />Redução<br />dos custos<br />operacionais<br />Melhoria dos<br />indicadores<br />de desempenho<br />QUALIDADE, PRODUTIVIDADE E COMPETITIVIDADE<br />Fonte: http://www.slideshare.net/foalencar/wms-warehouse-management-system<br />
  64. 64. Warehouse Management System<br />PrincipaisSoftwares<br />
  65. 65. Warehouse Management System<br />Módulos<br /><ul><li>Portaria
  66. 66. Recebimento
  67. 67. Movimentação
  68. 68. Apanha e separação
  69. 69. Expedição
  70. 70. Inventário
  71. 71. Armazenagem
  72. 72. Outros</li></ul>Fonte: VERÍSSIMO, NÁDIA A Tecnologia de InformaçãonaGestão de Armazenagem<br />
  73. 73. Warehouse Management System<br />Integração ERP/WMS<br />ERP<br />Informações <br />do Armazém<br />WMS<br />
  74. 74. Warehouse Management System<br />Integração ERP/WMS<br /><ul><li>WMS integra os sistemas ERPs e as informações de um depósito.
  75. 75. Localização física do material estocado
  76. 76. Tempo que o material está estocado
  77. 77. Localização das empilhadeiras dos depósitos</li></li></ul><li>Warehouse Management System<br />
  78. 78. Personalização em Massa<br />Definição<br /><ul><li> Termo utilizado para caracterizar produtos ou serviços visando a individualização;
  79. 79. Conforme a necessidade do cliente , produtos padrões podem se customizados;
  80. 80. A massificação destes produtos ou serviços são viabilizadas pela tecnologia digital;</li></ul>Fonte: Cozer M.T.S. Interação com cliente na economia digital: um estudo de caso múltiplo.<br />
  81. 81. Personalização em Massa<br />Comparativo<br />Era Industrial<br />Era Eletrônica<br />Evolução da Internet, Marketing e Comércio<br />Fonte: HANSON, Ward A.; KALYANAM, Kirthi. Internet, marketing & e-commerce<br />
  82. 82. Personalização em Massa<br />Era Industrial<br /><ul><li>Segundo HANSON, Ward A.; KALYANAM, Kirthi (2007), o século XX , até 1994 foi um período onde a Internet era usada com fins não-comerciais:
  83. 83. Pesquisas
  84. 84. Comunicação militar</li></ul>Era Eletrônica<br /><ul><li>Evolução rápida da Internet;
  85. 85. Capacidade de divulgação;
  86. 86. Redução de custos de marketing.</li></ul>Fonte: HANSON, Ward A.; KALYANAM, Kirthi. Internet, marketing & e-commerce<br />
  87. 87. Personalização em Massa<br />Exemplos<br /><ul><li>Redes Sociais
  88. 88. E-Commerce
  89. 89. Serviços Eletrônicos</li></ul>Fonte: www.google.com.br<br />
  90. 90. Base de Clientes<br />Exemplos<br /><ul><li>Empresas que utilizam estes softwares para integração do processo produtivo:</li></li></ul><li>Base de Clientes<br />Cadeia de Valor<br />Base de Clientes<br />Fonte:www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2007_TR630469_9153.pdf<br />
  91. 91. Base de Clientes<br />Fonte: www.vw.com.br<br />
  92. 92. Base de Clientes<br />Fidelização de Clientes<br /><ul><li>Visa o aumento do tempo da relação cliente-empresa, buscando novos negócios com os mesmos clientes;
  93. 93. Promoções x Programas de Fidelização  Aspectos:
  94. 94. Objetivo;
  95. 95. Público;
  96. 96. Duração;
  97. 97. Benefícios para o cliente.
  98. 98. Cartões
  99. 99. Aviação
  100. 100. Postos</li></ul>Fonte: www. Internet, marketing, andE-comerce – edição internacional studenteditionAustralia: ThonsonSouth-Western, c2007<br />
  101. 101. Customer Relationship Management<br />O que é CRM?<br />“CRM é uma estratégia de negócios voltada ao entendimento e à antecipação das necessidades dos clientes atuais e potenciais de uma empresa. Do ponto de vista tecnológico, CRM envolve capturar os dados do cliente ao longo de toda a empresa, consolidar todos os dados capturados interna e externamente em um banco de dados central, analisar os dados consolidados, distribuir os dados desta análise aos vários pontos de contato com o cliente e usar essa informação para interagir com o cliente através de qualquer ponto de contato com a empresa.”<br />Fonte: Peppers & Rogers Group. CRM Series Marketing 1to1. 3ª Edição São Paulo, pg. 59, 2004<br />‘<br />
  102. 102. Customer Relationship Management<br />
  103. 103. Customer Relationship Management<br />CRM x Sistemas Tradicionais<br />Captura<br />Processamento<br />Distribuição<br />Processos e Produtos<br />Clientes<br />Análise<br />
  104. 104. Customer Relationship Management<br />Objetivos<br /><ul><li>Coletar dados dos clientes e consolidá-los em uma única base de dados;
  105. 105. Analisar os dados coletados;
  106. 106. Realizar a integração dos módulos de Vendas (Automatização de Vendas – SFA); Gerência de Vendas; Telemarketing e Televendas; Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC); Automação de Marketing; Ferramentas para Informações Gerenciais; Web e comércio eletrônico;
  107. 107. Disponibilizar as informações a todas as áreas ligadas ao cliente com intuito de ter melhor qualidade no serviço prestado e satisfação do clientes;
  108. 108. Auxiliar o crescimento da receita da empresa, com qualidade;</li></ul>Fonte: Peppers & Rogers Group. CRM Series Marketing 1to1. 3ª Edição São Paulo, pg. 59, 2004<br />‘<br />
  109. 109. Customer Relationship Management<br />Porque usar CRM?<br />Empresas organizadas por tipo de cliente<br />Empresas que acompanham a LUCRATIVIDADE dos cliente<br />37%<br />(em 2003)<br />(em 2003)<br />51%<br />(em 2006)<br />(em 2006)<br />37%<br />53%<br />Fonte: Peppers & Rogers Group. CRM Series Marketing 1to1. 3ª Edição São Paulo, pg. 59, 2004<br />‘<br />
  110. 110. Customer Relationship Management<br />Obstáculos à implementação do CRM<br /><ul><li>Projeto de abrangência corporativa, envolve todas as áreas;
  111. 111. Falta de compromisso da alta direção;
  112. 112. Mudança cultural, além da implementação do sistema;
  113. 113. Falta de alinhamento com a estratégia da empresa;
  114. 114. Utilização do sistema CRM contra o usuário;
  115. 115. Falta de treinamentos;</li></ul>Fonte: Peppers & Rogers Group. CRM Series Marketing 1to1. 3ª Edição São Paulo, pg. 59, 2004<br />‘<br />
  116. 116. Customer Relationship Management<br />CRM Analítico, Operacional e Colaborativo<br />Fonte: Peppers & Rogers Group. CRM Series Marketing 1to1. 3ª Edição São Paulo, pg. 59, 2004<br />‘<br />
  117. 117. Customer Relationship Management<br />Automatização da Força de Vendas (SFA)<br /><ul><li>Automatiza etapas do processo de vendas;
  118. 118. Reduz a duração dos ciclos dos processos relacionados ao cliente e o desperdício de tempo;
  119. 119. A organização passa a ter uma melhor visão de seu cliente;
  120. 120. Sistema não deve ser usado contra seu vendedor;
  121. 121. Integração com outros sistemas da empresa;
  122. 122. Principais funcionalidades;</li></ul>Fonte: Peppers & Rogers Group. CRM Series Marketing 1to1. 3ª Edição São Paulo, pg. 59, 2004<br />‘<br />
  123. 123. Customer Relationship Management<br />Automatização dos Sistemas de Marketing<br /><ul><li>Aumenta a produtividade da geração de demandas;
  124. 124. Aumenta a receita e reduz custos;
  125. 125. Permite medir o ROI das campanhas;
  126. 126. Principais funcionalidades operacionais:
  127. 127. Gerência de campanha;
  128. 128. Perfilização
  129. 129. Acompanhamento de permissões dos clientes;
  130. 130. Principais funcionalidades analíticas:
  131. 131. Acompanhamento das campanhas, ofertas e respostas;
  132. 132. Geração de relatórios e gráficos padronizados;</li></ul>Fonte: Peppers & Rogers Group. CRM Series Marketing 1to1. 3ª Edição São Paulo, pg. 59, 2004<br />‘<br />
  133. 133. Customer Relationship Management<br />Integração do sistema CRM com o ERP<br /><ul><li>Desafio da integração de dados;
  134. 134. Extração e armazenamento de dados para análise histórica;
  135. 135. CRM é, para alguns, o “ERP II”;
  136. 136. Grandes fornecedores investindo em sistemas CRM.</li></ul>Fonte: Peppers & Rogers Group. CRM Series Marketing 1to1. 3ª Edição São Paulo, pg. 59, 2004<br />‘<br />
  137. 137. Bibliografia<br />http://www.slideshare.net/mtscozer/erp-7317038<br />http://www.slideshare.net/foalencar/wms-warehouse-management-system<br />http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2007_TR630469_9153.pdf<br />http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1998_ART476.pdf<br />http://www.vw.com.br<br />Cozer M.T.S. Interação com cliente na economia digital: um estudo de caso múltiplo<br />VERÍSSIMO, NÁDIA A Tecnologia de InformaçãonaGestão de Armazenagem<br />HANSON, Ward A.; KALYANAM, Kirthi. Internet, marketing & e-commerce<br />Internet, marketing, andE-comerce – edição internacional studenteditionAustralia: ThonsonSouth-Western, c2007<br />Cliffe, Sarah. ERP Implementation. HBR Jan-Fab 1999. Pag 16; 17<br />MORRIS A. COHEN Customer Value Delivery in the Service Supply Chain: Optimization, Performance Incentive Contracting & Implementation<br />Peppers & Rogers Group. CRM Series Marketing 1to1. 3ª Edição São Paulo, pg. 59, 2004<br />Davenport, Thomas. Putting the Enterprise into the Enterprise System. HBR Jul-Aug 1998. Pag 121; 131<br />.<br />.<br />

×