Ppt por carmen lúcia gattás   tr 40 - grupo 5
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Ppt por carmen lúcia gattás tr 40 - grupo 5

on

  • 1,099 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,099
Views on SlideShare
1,096
Embed Views
3

Actions

Likes
0
Downloads
5
Comments
0

2 Embeds 3

http://www.slideshare.net 2
http://moodle.stoa.usp.br 1

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • Gera conhecimentos e processos da interação com a mídia: traz à luz a necessidade de se refletir sobre como e quais processos podem contribuir à aprendizagem de modo útil e enriquecedor/ escola deve formar para este tipo de sociedade
  • Os meios modernos passam a abranger temas e questões que eventualmente eram trabalhados no espaço educacional, porem, sob diferente clivagem Abordagem dispersa (superficial) de todos os saberes socialmente disponíveis – processos midiáticos penetram no sistema escolar exigindo outros tratamentos Os processos escolares são penetrados por novas solicitações com outras expectativas dos estudantes elabora perspectivas que resistem, absorvem ou enfrentam a situação
  • O espaço mediático enquanto disponibilizador de conhecimentos e de atitudes e a escola têm aprendizados diferentes 1.Aprendizagem discernível para um observador externo como aquisição e saberes obtidos de materiais simbólicos disponibilizados. 2. Interação entre os comportamentos e atitudes do usuário e e os comportamentos e atitudes exibidos ou com os quais se dialoga (OPORTUNIDADE NA EDUCAÇÃO EM SAÚDE)
  • Aprender não significa apenas assimilar informação, conteúdos objetiváveis, nos espaços instituídos para isso, mas também fazer a experiência em ambientes que permitem a apropriação de diversas maneiras Exemplos: exposição do cérebro, do corpo humano. Cenários e ambientações em museus O espaço mediático enquanto disponibilizador de conhecimentos e de atitudes e a escola têm aprendizados diferentes

Ppt por carmen lúcia gattás   tr 40 - grupo 5 Ppt por carmen lúcia gattás tr 40 - grupo 5 Presentation Transcript

  • Interface PPT por Carmen Lúcia Melges Elias Gattás TR 40 – A tutoria em EAD, na perspectiva da educomunicação”, in “Educação distância como prática educomunicativa”, Revista da USP, n.55, nov.2002, p.56-69. SOARES, Ismar Grupo 5 Educom.TV PPT por Carmen Lúcia Melges Elias Gattás TR 40 – A tutoria em EAD, na perspectiva da educomunicação”, in “Educação a distância como prática educomunicativa”, Revista da USP, n.55, nov.2002, p.56-69. SOARES, Ismar Grupo 5
            • A tutoria em EAD, na perspectiva da educomunicação
  •  
  • A questão da tutoria, esquecida pelas instituições tanto Públicas como privadas, em muitos casos é relacionada ao sucesso dos programas e em outros, é causa do alto índice de abandono por parte dos inscritos. Os sistemas de EaD acabam ignorando o tema tutoria, dfe crta forma, como se fosse o “primo pobre do processo”, na expressão de Geneviéve Jacquinot.
  • O NCE-ECA/USP deu início ao Educom.TV como forma de expandir o conceito de educomunicação e para mostrar à sociedade os resultados de suas pesquisas no campo da educomunicação. O conceito de educomunicação usado pelo NCE, aponta para o conjuntos de ações voltadas para a criação de ecossistemas comunicativos abertos e criativos, favorecendo relações dialógicas entre pessoas e grupos humanos. Este novo campo apresenta-se como inter-discursivo, inter-disciplinar e mediado pelas tecnologias da informação.
  • A educomunicação não é prática de ensino , e também não está vinculada à área de educação formal. Sua prática tem início na sociedade civil, junto às organizações não governamentais, vinculadas essencialmente à defesa da cidadania e dos direitos humanos. Segundo o NCE-ECA/USP, a educomunicação se materializa através de áreas específicas de atuação: 1. Área da educação para a comunicação ; 2. Área da expressão comunicativa através das artes; 3. Área da mediação tecnológicas nos espaços educativos; 4. Área da pedagogia da comunicação (ou Mídia-Educação)
  • A educação a distância podemos incluir na área das “mediações tecnológicas”, embora a educomunicação faça a distinção entre os conceito de “mediações tecnológicas” e “tecnologia educativa”, por entender que “tecnologia educativa” está comprometido com uma perspectiva funcionalista e mecanicista de educação. Desta forma, o Educom.TV esteve atento às relações que o processo estabelecia entre os promotores do curso, os tutores e os cursistas, procurando saídas para os impasses nele gerados.
    • A definição de educação a distância adotada pelo NCE inicialmente, é a empregada pelo California Distance Learning Projet (de 1999), cujo processo é:
    • Total separação entre o professor e o aluno durante o processo de ensino/aprendizagem;
    • Uso de recursos tecnológicos (educacional media);
    • Existência de comunicação de duas mãos (professores e alunos);
    • Transferência do controle do processo de aprendizagem basicamente para os próprios alunos.
    • De um lado (os prós):
    • A educação a distância vence a “monotonia” da educação presencial;
    • A EaD é menos custosa e de mais fácil controle, quando comparada à educação presencial;
    • De outro lado (os contra):
    • A educação a distância tem apresentado problemas diante das dificuldade de manejo com as tecnologias, tanto por professores, como pelos alunos;
    • Se não houver uma articulação entre a empresas, aquelas que já atuam neste mercado, acabam inviabilizando o lançamento de propostas concorrentes;
    • De um lado (os prós):
    • Professores e alunos sentem-se mais confortáveis sem ter que conviver com os confrontos decorrentes do convívio cotidiano;
    • Conceitos educomunicativos tem força no processo de aprendizagem a distância
    • (são eles: colaboração, comunhão de meta e trabalho em grupo).
    • De outro lado (os contra):
    • A frieza frente à ausencia do espaço físico de convivência, propicia uma reação psicológica, podendo gerar um alto índice de desistência;
    • O professor perde a sensação de controle sobre o grupo e os alunos podem se sentir desprotegidos e inseguros. Surgem o módulos, assemelhando-se a uma linha de montagem, no velho estilo fordista.
    • Diferenças entre :
    • Aprendizagem - modo como os seres adquirem novos conhecimentos, desenvolvem competências e mudam o comportamento.
    • Educação - engloba os processos de ensinar e aprender . É um fenômeno observado em qualquer sociedade e nos grupos constitutivos destas.
    • Informação - é o resultado do processamento, manipulação e organização de dados , de tal forma que represente uma modificação (quantitativa ou qualitativa) no conhecimento do sistema (pessoa, animal ou máquina) que a recebe.
  • Onde entra a educomunicação na educação a distância? Ela ocorrerá via “gestão de processos comunicacionais nos espaços educativos”, por onde o educomunicador tem campo de ação ao empreender um projeto de educação a distância. A educomunicação, construindo um sistema comunicativo, facilita o processo de construção do conhecimento, diferenciando-se de um projeto de marketing educativo, que tem como propósito o lucro fácil e rápido
    • No caso do Educom.TV , se tomarmos a proposta de PALLOFF & PRAT para analisarmos a educação a distância, podemos destacar como positivos alguns pontos do processo da gestão deste programa:
    • A introdução do conceito “educomunicação” num projeto do Governo Federal;
    • A educomunicação no planejamento e na administração do curso (relação entre os membros da equipe, dirigentes e a empresa produtora do site);
    • O ambiente virtual e o papel dos tutores, que receberam os cursistas de forma despretensiosa e generosa, atendendo-os em todas sua dificuldades;
    • Os encontros presenciais.
  • Desta forma, podemos concluir que, o diálogo do Educom.TV aconteceu, de forma aberta, com verdades provisórias, aceitando idéias concebidas por todo e admitindo que os resultados permanecessem igualmente aberto. Esta experiência pode comprovar a hipótese de que o conceito de educomunicação é um caminho viável de ser percorrido pelos que desejam rever suas práticas educativas, tanto no espaço presencial como no virtual.