• Like
G2 ana lucia tr 43 célestin freinet e janusz korczak, precursores do jornal escolar
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

G2 ana lucia tr 43 célestin freinet e janusz korczak, precursores do jornal escolar

  • 1,726 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,726
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
12
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. (monografia, 2003) Ana Lúcia Mendes Lopes [email_address] GRUPO 2 Luciana, Thaisa, Wania, Ana Lúcia Célestin Freinet e Janusz Korczak, precursores do jornal escolar TR 43 Marco Aurélio Sobreiro
  • 2. ” Nós não devemos nos acomodar por mais tempo a uma escola centrada no verbalismo, nos manuais, nos manuscritos, na caligrafia de seus modelos; estamos em um século marcado pela imprensa, pela imagem fixa e móvel, pelo disco, pelo rádio, pela máquina de escrever, pela fotografia, pela câmera, pelo telefone, pelo trem, pelo automóvel e pelo avião” Célestin Freinet, 1969. A dissertação de mestrado de Marco Aurélio Sobreiro sobre a experiência de jornal - escola na cidade de Suzano despertou seu interesse sobre as origens desta experiência, cada vez mais adotada por professores, jornalistas e estudantes, com o objetivo de utilizar o potencial dos meios de comunicação para a expressão de crianças, jovens e adultos.
  • 3. Precursores do jornal-escola no início do século XX
    • Célestin Freinet
    • (1896 -1966)
    • Janusz Korczak
    • (1878 – 1942)
    “ críticos do sistema tradicional de ensino, Freinet e Korczak percebiam que as crianças e os adolescentes tinham necessidade de expressar suas idéias, e quando o faziam apresentavam considerável melhora no rendimento escolar”
  • 4.
    • Viveu até os 13 anos em Gars, França, sua terra natal - dificuldades para se adaptar ao sistema educacional francês
    • Ingressou na Escola de Formação de Professores de Nice aos 16 anos.
    • Em 1914, foi convocado para o combate na 1a Guerra Mundial. É atingido por gases tóxicos, com seqüelas.
    • Em 1920, passa a lecionar numa classe rural no sul da França, procurando aproximar os alunos da natureza.
    • Já notava as dificuldades de enquadrar os alunos nos programas, horários e confinamento.
    Célestin Baptistin Freinet (1896 -1966)
  • 5. Célestin Baptistin Freinet (1896 -1966)
    • Implanta a chamada Escola do Trabalho na qual alunos e professor integram-se com os pais e artesãos locais, participando de uma cooperativa
    • Ao divulgar o modelo pedagógico Freinet criticava as escolas tradicionais do sistema capitalista:acúmulo de conhecimentos em detrimento do equilíbrio pessoal e da harmonia social.
    • A escola deveria estar intimamente ligada à sua realidade social e contexto histórico, colaborando nas atividades produtivas.
  • 6.
    • 1924- imprensa na escola - mudança de comportamento de professores e alunos
    • Rompe-se o círculo do individualismo do professor
    • Conhecimento gerado a partir da experiência
    • Enfrenta inúmeras barreiras e perseguições do governo francês até que é banido do serviço público em 1933, montando escola proletária particular em Vence, em 1935
    Célestin Baptistin Freinet (1896 -1966)
  • 7.
    • 1939 - início da 2a Guerra Mundial - preso e levado para o campo de concentração de Saint-Vichy-Maximim, até 1941, vivendo depois na clandestinidade e apoiando a Resistência.
    • Acabada a guerra e com dois livros escritos, Freinet afirma a “escola moderna”, consolidando seu modelo de pedagogia infantil, que divulga até sua morte, em 1966.
    • Adota o jornal como “principal aglutinador de seu método pedagógico
    • Deixa um manual sobre a imprensa escrita na vida dos estudantes, com descrições relativas ao método de produção: equipamento,a liberdade do texto livre, a qualidade e acabamento e diagramação.
    Célestin Baptistin Freinet (1896 -1966) Educomunicador pioneiro
  • 8. Janusz Korczak (1878 – 1942)
    • Nascido em Varsóvia, cresceu em uma família rica. Seu nome verdadeiro era Henryk Goldszmit ( Janusz Korczak foi retirado de um romance polonês lido durante a juventude).
    • Avesso à disciplina escolar, resistia às normas da escola russa onde estudou.
    • Sonhava ser escritor. Tornou-se médico (pediatra) por insistência do pai.
    • Estudou em Berlim, Paris, Londres e Suíça.
    • Seu pai teve uma doença mental e morreu em 1898, o que consumiu as finanças da família, levando Janusz a dar aulas particulares, aproximando-o das dificuldades sociais.
    • Participou de muitos concursos literários.
    • Interessava-se pela educação, história do pensamento pedagógico, preocupava-se com as injustiças sociais, o abandono de crianças e métodos autoritários de ensino vigentes e o modelo dos orfanatos europeus.
  • 9. Janusz Korczak (1878 – 1942)
    • Em 1910 auxilia na montagem de um orfanato em Varsóvia, financiado pela comunidade judaica.
    • Durante a 1a Guerra Mundial chefia hospital de campo na Ucrânia.
    • Retorna ao orfanato após a Guerra, colocando em prática suas idéias no orfanato, visando a disseminação de conhecimento.
    • A organização do orfanato (Lar das Crianças) recriava as instâncias de uma república com instrumentos democráticos sob os princípios da justiça, fraternidade, igualdade de direitos e obrigações, com um método de ensino que agradasse aos alunos, tendo o jornal como maior instrumento para atingir esta finalidade.
  • 10. Janusz Korczak (1878 – 1942)
    • Criticava o ensino por meio de aulas expositivas, o divórcio entre os currículos escolares e a vida, bem como o excesso de relacionamentos formais entre professores e alunos.
    • Reclamava a organização de escolas de que as crianças realmente gostassem, que oferecessem matérias interessantes e úteis e que promovessem relações educacionais harmoniosas.
    • Destacou a necessidade de se criar um sistema de educação holístico, que promovesse a cooperação entre a escola, a família e as várias instituições sociais.
  • 11. Janusz Korczak (1878 – 1942) Educomunicador pioneiro Para Korczak, a comunicação sempre foi compreendida Como parte integrante do processo educacional, na medida em que estabelece uma relação direta entre a escola e sua realidade exterior. “ um periódico produzido pelos próprios estudantes e lido em público semanalmente proporciona um registro histórico da própria instituição. É um veículo de expressão de problemas internos e de novidades que estreita a solidariedade entre as crianças, os funcionários e os empregados” ( Como Amar uma Criança)
  • 12. Janusz Korczak (1878 – 1942) Educomunicador pioneiro
    • Sobre sua submissão às determinações da república existente no orfanato comentou: “Fizeram de mim um educador ‘constitucional’, que não deixa de fazer mal às crianças porque lhes tenha afeição ou amor, mas sim porque existe uma instituição que as defende contra a ilegalidade, o arbítrio e o despotismo do educador.”
  • 13. Janusz Korczak (1878 – 1942) Educomunicador pioneiro
    • Com o início da 2a Guerra Mundial, em 1942, a Gestapo ordenou a transferência do orfanato para uma casa pequena e suja, no gueto de Varsóvia.
    • Por seu prestígio, Korczak teve propostas de escapar do gueto — todas recusadas.
    • No dia 10 de agosto de 1942 caminhou com seus 200 órfãos até a composição, que conduziu o grupo para as câmaras de gás de Treblinka, onde todos morreram.
  • 14. Conclusão
    • A presença do jornal no cotidiano das salas de aula não é experiência nova e tem tradição prática e teórica
    • Ambos proporcionaram aos estudantes a liberdade de apropriação livre dos meios de comunicação
    • O ambiente proporcionado pela prática, envolve alunos, pais e jornalistas construindo um “ecossistema comunicativo”