Your SlideShare is downloading. ×
Maneirismo, barroco e rococo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Maneirismo, barroco e rococo

23,137
views

Published on

Um resumo da apostila de artes da III Unidade do 1º ano que estuda no CETEP.

Um resumo da apostila de artes da III Unidade do 1º ano que estuda no CETEP.

Published in: Education

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
23,137
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
429
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Maneirismo
    Barroco
    &
    Rococó
    Arte que gera arte
    Aluno:
    Victor LUiz
  • 2. Maneirismo
  • 3. Foi um estilo e um movimento artístico que se desenvolveu na Europa aproximadamente entre 1515 e 1600 como uma revisão dos valores clássicos e naturalistas prestigiados pelo Renascimento. O Maneirismo é mais estudado em suas manifestações na pintura, escultura e arquitetura da Itália, onde se originou, mas teve impacto também sobre as outras artes e influenciou a cultura de praticamente todas as nações européias, deixando traços até nas suas colônias da América e no Oriente. Tem um perfil de difícil definição, mas em linhas gerais caracterizou-se pela deliberada sofisticação intelectualista, pela valorização da originalidade e das interpretações individuais, pelo dinamismo e complexidade de suas formas É marcado pela contradição e o conflito e assumiu na vasta área em que se manifestou variadas feições.
  • 4. Arquitetura:
    Com prioridade á construção de igrejas de plano longitudinal, com espaços mais longos do que largos, com a cúpula principal sobre o transepto, deixando de lado as de plano centralizado, típicas do renascimento clássico. Mas podemos dizer que as verdadeiras mudanças não estão somente na construção, mas na iluminação e decoração.
    Principais características:
    Nas igrejas: Naves escuras, coros com escadas em espiral, guirlandas de frutas e flores, balaustradas povoadas de figuras, caracóis, conchas e volutas cobrem muros e altares, lembrando uma exuberante selva de pedra.
    Nos ricos palácios e casas: Formas convexas que permitem o contraste entre luz e sombras, a decoração de interiores ricamente adornada e os afrescos das abóbadas coroam esse caprichoso e refinado estilo.
  • 5.
  • 6.
  • 7. Pintura:
    É na pintura que o Maneirismo se manifesta. São os pintores da 2ª década do século XV que, afastados dos renascentistas criam esse novo estilo, procurando deformar uma realidade e principalmente inovar.
    Principais características:
    Uma multidão de figuras se comprime em espaços arquitetônicos reduzidos. Resultando em planos paralelos, completamente irreais. No corpo, as formas alongadas substituem os membros bem-torneados do renascimento. Os músculos agora contorções impróprias para o ser humano. Rostos melancólicos e misteriosos surgem entre as vestes e cores brilhantes.
  • 8. Escultura:
    Repetem-se as características da arquitetura e da pintura. Não faltam as formas caprichosas as proporções estranhas e principalmente o exagero nos detalhes.
    Principais características:
    Um grupo de figuras dispostas umas sobre as outras, num equilíbrio aparentemente frágil e exagerado alongamento de músculos. Atribui às figuras uma infinidade de posturas impossíveis possibilitando reduzir à base e dar uma maior graciosidade a peça.
    Principais artistas: BartolomeoAmmanati; Giorgio Vasari; Palladio.
  • 9.
  • 10. Barroco
  • 11. Foi o nome dado ao estilo artístico que floresceu na Europa, América e em alguns pontos do Oriente entre o início do século XVII e meados do século XVIII. De certa forma o Barroco foi uma continuação natural do Renascimento, porque ambos os movimentos compartilharam de um profundo interesse pela arte da Antiguidade clássica. Enquanto que no Renascimento interpretava as qualidades de moderação, economia formal, austeridade, equilíbrio e harmonia eram as mais buscadas, o tratamento barroco de temas idênticos mostrava maior dinamismo, contrastes mais fortes, maior dramaticidade, exuberância e realismo e uma tendência ao decorativo, além de manifestar uma tensão entre o gosto pela materialidade opulenta e as demandas de uma vida espiritual. Mas nem sempre estas características são evidentes ou se apresentam todas ao mesmo tempo, houve uma grande variedade de abordagens estilísticas que foram englobadas sob a denominação genérica de "arte barroca", com certas escolas mais próximas do classicismo renascentista e outras mais afastadas dele. As mudanças introduzidas pelo espírito barroco se originaram, pois, de um profundo respeito pelas conquistas das gerações anteriores, e de um desejo de superá-las com a criação de obras originais, dentro de um contexto social e cultural que já se havia modificado profundamente em relação ao período anterior.
  • 12. Escultura:
    Aura barroca teve um importante papel na arquitetura, reforçando a emotividade e grandiosidade das igrejas. As obras que mais se destaca são as de Bernini.
    Principais características: Predomínio das linhas curvas e do uso do dourado; os gestos e os rostos revelam emoções violentas.
    Bernini: arquiteto, urbanista, decorador e escultor, algumas de suas obras serviram de decoração de igrejas como o baldaquino e a cadeira de São Pedro. Ambos na Basílica de São Pedro, no Vaticano.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16. Arquitetura:
    A expressão típica são as igrejas, construídas em quantidade maciça durante o movimento de Contra-Reforma. Rejeitando a simetria do Renascimento, destacam o dinamismo, reforçado pela emotividade conseguida através de elementos contorcidos e espirais, produzindo diferentes efeitos visuais. O teto elevado e elaborado com elementos de escultura dá dimensão de infinito, as janelas permitem penetração de luz e as colunas uma sensação de poder e movimento.
    Já a arquitetura de palácios era construída em três pavimentos. Em vez deles se concentrarem em um só bloco cúbico, com os renascentistas, parece estender-se sem limites sobre a paisagem.
  • 17. Pintura:
    Tornaram-se instrumentos da igreja, como meio de propaganda e ação. Não só pintura de santos e anjos, mas de elementos que definem a grandeza de Deus e suas criações.
    Principais características:
    Composição assimétrica em diagonal; Acentuado contraste de claro e escuro; Realista; Escolhas de cenas no seu momento de maior intensidade dramática.
  • 18. Barroco
    No
    Brasil
  • 19. O barroco, no Brasil, foi introduzido no início do século XVII pelos missionários católicos, especialmente jesuítas, que trouxeram o novo estilo como instrumento de doutrinação cristã. Nas artes plásticas seus maiores expoentes foram Aleijadinho, na escultura, e Mestre Ataíde, na pintura. No campo da arquitetura esta escola floresceu notavelmente no Nordeste, mas com grandes exemplos também no centro do país, em Minas Gerais, Goiás e Rio de Janeiro. Na música, ao contrário das outras artes, sobrevivem poucos, mas belos documentos do barroco tardio. Com o desenvolvimento do neoclassicismo a partir das primeiras décadas do século XIX a tradição barroca, que teve uma trajetória de enorme vigor no Brasil e foi considerado o estilo nacional por excelência, caiu progressivamente em desuso, mas traços dela seriam encontrados em diversas modalidades de arte até os primeiros anos do século XX.
  • 20. Manoel da Costa Ataíde:
    Mestre Ataíde pintou várias igrejas em Minas Gerais com seu estilo e bem brasileiro. Usava cores vivas e gostava do azul.
    Os pintores da época nem sempre podiam importar tintas, fazendo então suas cores com pigmentos naturais importados da terra. Usavam terra queimada, leite e óleo de baleia, clara de ovo, etc. É claro que suas próprias receitas eram mantidas em segredo.
  • 21.
  • 22. Aleijadinho:
    Antônio Francisco Lisboa: mais conhecido como Aleijadinho, foi um importante escultor, entalhador e arquiteto do Barroco brasileiro.
    As principais características de suas obras são:
    • Olhos espaçados;
    • 23. Nariz reto e alongado;
    • 24. Lábios entreabertos;
    • 25. Queixo pontiagudo;
    • 26. Pescoço alongado em forma de V.
  • 27. Rococó
  • 28. É um movimento artístico europeu, que aparece primeiramente na França, entre o barroco e o Arcadismo. Visto por muitos como a variação "profana" do barroco, surge a partir do momento em que o Barroco se liberta da temática religiosa e começa a incidir-se na arquitetura de palácios civis, por exemplo. Literalmente, o rococó é o barroco levado ao exagero. O Rococó é também conhecido como o "estilo da luz" devido aos seus edifícios com amplas aberturas e sua relação com o século XVIII.
    O rococó tem como principais características:
    • Cores claras;
    • 29. Tons pastéis e douramento;
    • 30. Representação da vida profana da aristocracia;
    • 31. Representação de Alegorias;
    • 32. Estilo decorativo.
    • 33. Possui leveza na estrutura das construções.
    • 34. Unificação do espaço interno, com maior graça e intimidade.
    • 35. Texturas suaves.
  • Arquitetura:
    É marcada pela sensibilidade. Essa manifestação adquiriu importância principalmente no sul da Alemanha e França. Tem uma exagerada tendência para a decoração carregada, as cúpulas das igrejas, menores que as barrocas, multiplicam-se, as paredes ficam com tons claros, etc.
  • 36. Escultura:
    Devido ao grande crescimento decorativo a escultura ganha importância. São abandonadas as linhas do Barroco, o tamanho diminui, preferem utilizar a madeira e o gesso do que o mármore, pois aceitam cores suaves. Deve-se lembrar também que foi nessa época que surgiu com vigor inusitada a indústria da escultura de porcelana na Europa.
  • 37.
  • 38. Pintura:
    Os quadros têm pequenas dimensões, passando a ser colocado nas entre portas ou ao lado de janelas. O homem do Rococó é amante da boa vida e amante da natureza. As cores preferidas são claras. Desaparecem os intensos vermelhos e turquesa do barroco, e a tela se enche de azuis. As pinceladas são rápidas e suaves. A elegância se sobrepõe ao realismo.
  • 39. Este trabalho foi realizado por:
    Victor Luiz, qualquer cópia ou
    Modificação não é de sua
    Responsabilidade.
    Grato, a Equipe.