Roteiro de Leitura do 7.ºH

4,527 views
4,263 views

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,527
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
258
Actions
Shares
0
Downloads
58
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Roteiro de Leitura do 7.ºH

  1. 1. O Cavaleiro da DinamarcaSophia de Mello Breyner Andresen<br />Roteiro de leitura do 7.ºH<br />
  2. 2. Roteiro de leitura do 7.ºH<br />Antes de iniciarmos a leitura da obra…<br />
  3. 3. 1. Lemos e analisámos vários poemas.<br />Viagem<br />É o vento que me leva.<br />O vento lusitano.<br />É este sopro humano<br />Universal<br />Que enfuna a inquietação de Portugal.<br />É esta fúria de loucura mansa<br />Que tudo alcança<br />Sem alcançar.<br />Que vai de céu em céu,<br />De mar em mar,<br />Até nunca chegar.<br />E esta tentação de me encontrar<br />Mais rico de amargura<br />Nas pausas da ventura<br />De me procurar...<br />Miguel Torga, in 'Diário XII’<br />
  4. 4. Palácio da Ventura<br />Sonho que sou um cavaleiro andante.<br />Por desertos, por sóis, por noite escura,<br />Paladino do amor, busca anelante<br />O palácio encantado da Ventura!<br />Mas já desmaio, exausto e vacilante,<br />Quebrada a espada já, rota a armadura...<br />E eis que súbito o avisto, fulgurante<br />Na sua pompa e aérea formusura!<br />Com grandes golpes bato à porta e brado:<br />Eu sou o Vagabundo, o Deserdado...<br />Abri-vos, portas d'ouro, ante meus ais!<br />Abrem-se as portas d'ouro, com fragor...<br />Mas dentro encontro só, cheio de dor,<br />Silêncio e escuridão -- e nada mais!<br /> Antero de Quental, in ‘Sonetos’<br />
  5. 5. 2. Vimos e comentámos um PowerPoint sobre a vida da autora.<br />
  6. 6. 3. Vimos um pequeno vídeo de motivação para a leitura...<br />
  7. 7. 4. Lemos em voz alta o início da obra O Cavaleiro da Dinamarca e formulámos hipóteses a cerca do conteúdo da história.<br />Para onde é que o Cavaleiro vai partir?<br />Por que é que ele vai partir?<br />Será que vai regressar?<br />...<br />
  8. 8. 5. Assistimos à peça de teatro "A Viagem do Cavaleiro"...<br />
  9. 9. Roteiro de leitura do 7.ºH<br />Durante a leitura <br />da obra…<br />
  10. 10. 1. Lemos e analisámos a obra até ao momento em que o Cavaleiro da Dinamarca anuncia a sua partida em peregrinação…<br />O Cavaleiro da Dinamarca vivia com a sua família no meio de uma floresta, no extremo norte da Dinamarca.<br />Aí os Invernos eram longos, frios e rigorosos. Apenas a noite de Natal aquecia aqueles dias gelados.<br />A família do Cavaleiro era muito unida e crente, por isso essa noite era sempre muito alegre. Era um momento de grande agitação, de muita harmonia e paz e de partilha de histórias de amor e de aventura. <br />No entanto, naquele ano, o Cavaleiro anunciou a sua partida para Jerusalém em peregrinação. A família ficou muito triste, mas como tinha muita fé aceitou e compreendeu a sua decisão.<br />
  11. 11. Actividade 1<br /> <br />Lê o texto informativo sobre a história de amor de Tristão e Isolda. Faz a selecção e o tratamento da informação do texto e, em seguida, escreve um pequeno verbete sobre esta. <br />
  12. 12. Tristão e Isolda<br />Tristão era de origem nobre, mas ficou sem nada quando os seus pais morreram. Então, ele foi entregue ao sei tio, o Rei Marco, que fez dele um cavaleiro da Távola Redonda. <br />Um dia, ficou gravemente ferido e teve de pedir ajuda à rainha da Irlanda, grande inimiga do seu tio, pois só ela o podia curar com a sua magia. Durante a sua estadia na Irlanda, conheceu a princesa Isolda, “A Loura”, que aconselhou como esposa ao seu tio, para os dois reinos deixarem de ser inimigos. <br />O seu tio achou que era uma boa ideia e pediu-a em casamento. A rainha da Irlanda concordou e mandou fazer a poção do amor para lhes ir servir, de modo a que a sua união durasse muito tempo. <br />
  13. 13. O problema é que, quando eles iam para beber, os copos foram trocados e quem bebeu a poção foi Tristão e Isolda, ficando perdidamente apaixonados. Mesmo assim o Rei Marco e a princesa Isolda casaram. <br />No entanto, apesar dos esforços, Tristão e Isolda não conseguiam controlar o seu amor e encontravam-se às escondidas. <br />Um dia, o Rei Marco surpreendeu-os e expulsou-os do seu palácio. Mas, passado algum tempo, soube que ambos estavam doentes e recolheu-os. Aceitou Isolda de volta e enviou Tristão para bem longe (para França). <br />Em França, Tristão conheceu uma jovem chamada Isolda, “ A Das Mãos Brancas”, com quem casou. Como não a amava, nunca consumou o seu casamento. <br />
  14. 14. Mais tarde, Tristão ficou de novo gravemente ferido. Sabendo que só podia ser curado pela poção mágica de Isolda “A Loura”, pediu-lhe ajuda. <br />Furiosa, Isolda “ A Das Mãos Brancas”, impediu esse encontro, mentindo-lhe e dizendo-lhe que Isolda “ A loura” tinha morrido durante a viagem. Desgostoso, Tristão morreu. Quando a sua amada o encontrou sem vida, morreu também.<br />Tristão e Isolda “A Loura” foram enterrados lado a lado e, por cima deles, nasceram duas árvores entrelaçadas, marcando assim o seu eterno amor.<br />(Texto produzido em grupo)<br />
  15. 15. Actividade 2<br /> <br />Escreve o diálogo que o Cavaleiro e a mulher tiveram quando este lhe diz que decidiu partir. No teu texto, a mulher deverá estar contra a decisão do marido, apresentando-lhe argumentos válidos.<br />
  16. 16. Diálogo<br />Quando o cavaleiro deu a notícia de que ia partir, a mulher ficou aflita e tentou convencê-lo a ficar:<br />- Porque é que queres partir, marido? - perguntou a mulher aflita.<br />- Porque quero rezar na gruta onde Cristo nasceu e onde rezaram os pastores, os Reis Magos e os Anjos. – respondeu o Cavaleiro à mulher. <br />- Sabes que muitas vezes quem parte para a Palestina não volta! Para além disso, provavelmente não poderás enviar notícias . – disse a mulher preocupada.<br />- Mas daqui a dois anos eu estarei de volta, para passarmos o Natal juntos. – diz o cavaleiro tentando acalmar a mulher.<br />
  17. 17. Neste caso deixar-te-ei ir, pois ninguém deve impedir um peregrino de partir. – diz a mulher com o coração nas mãos e com esperança o Cavaleiro mudasse de ideias.<br />Mas não mudou e partiu… <br />Daniela Semedo<br />
  18. 18. Diálogo<br />Mulher – Não partas, marido!<br />Cavaleiro – Tenho de partir! Tenho de orar na gruta onde Jesus Cristão nasceu.<br />Mulher – Marido, preciso de ti para cuidar dos nossos filhos!<br />Cavaleiro – Deus ajudar-te-á a cuidar dos nossos filhos.<br />Cavaleiro – Devias saber melhor do que ninguém, que não se deve impedir um peregrino de ir à Terra Santa!<br />Mulher – Eu sei, mas preocupo-me na mesma! <br />Cavaleiro – Essa é a minha vontade. Essa é a vontade de Deus!<br />João Malhão<br />
  19. 19. 2. Continuámos a leitura da obra até ao momento em que o Cavaleiro deixa a Palestina.<br />O Cavaleiro partiu em Março para a Palestina. Aí, ele visitou o Monte do Calvário, o Jardim das Oliveiras, o Rio Jordão e todos os outros lugares santos.<br />Na noite de Natal, ele orou na Gruta de Belém. <br />O Cavaleiro deixou Jerusalém no final do mês de Fevereiro. Ele foi para o Porto de Jafa, onde conheceu o Mercador de Veneza. Com ele embarcou para Itália, para Ravena, em meados de Março, de onde seguiu para Veneza.<br />
  20. 20. Actividade 3<br /> <br />Lê o texto informativo sobre o Monte do Calvário, o Jardim das Oliveiras e Babilónia. Faz a selecção e o tratamento da informação dos textos e, em seguida, escreve um pequeno verbete sobre estes três espaços. <br />
  21. 21. Monte do Calvário<br />Colina situada perto de Jerusalém, onde Cristo foi crucificado.<br />Jardim das Oliveiras<br />Jardim sagrado, situado perto de Jerusalém, onde Jesus Cristo pregou a palavra de Deus. <br />
  22. 22. Babilónia<br />O Império da Babilónia foi fundado em 1950 a.C. <br />O povo babilónico era muito evoluído e ainda hoje influencia a cultura moderna. Foi este povo quem dividiu o dia em vinte e quatro horas, a hora em sessenta minutos e o minuto em sessenta segundos.<br />(Textos produzidos em grupo)<br />
  23. 23. Actividade 4<br /> <br />Escreve a oração que o Cavaleiro rezou na Gruta de Belém, tendo em conta as informações que o texto te dá em relação a esta reza. <br />
  24. 24. Oração<br />Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos Homens de boa vontade!<br />Rezo para pedir a Deus o fim das misérias e das guerras. Rezo também pela paz e pela alegria no Mundo.<br />Oh! Meu Deus faça-me um homem de boa vontade. De vontade clara e direita. Capaz de amar os outros. <br />Peço também aos Anjos que me protejam e que me guiem na minha viagem de regresso, para que, daqui a um ano, eu possa celebrar o Natal em casa, com a minha família. <br />Pai Nosso que estais no Céu, santificado seja o vosso nome, seja feita a vossa vontade, assim na Terra como no Céu… Ámen. <br />João Raimundo<br />
  25. 25. Oração<br />Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos Homens de boa vontade.<br />Meu Deus,<br />Por favor, acabe com as misérias e com a guerra no Mundo. Que este novo ano que se avizinha, nos traga bastante alegria. Este mundo precisa da sua intervenção divina!<br />Meu Deus, faça-me um bom homem. Um homem amável, amado e de boa vontade. Meu Deus, peça aos seus Anjos que me protejam e me guiem na minha viagem de regresso, para eu poder celebrar o nascimento do seu santo filho novamente em família, daqui a um ano.<br />Eu tenho uma promessa que quero cumprir. Quero visitar a maioria dos locais sagrados de Jerusalém e seguir os passos de Jesus Cristo. <br />
  26. 26. Obrigado senhor por me ouvir<br />Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Ámen. <br />(Após ter feito esta oração realizou o sinal da cruz e saiu da gruta de Belém.)<br />Rui Gomes<br />
  27. 27. 3. Lemos e analisámos a obra até ao momento em que o Cavaleiro deixa Veneza e parte para Florença.<br /> Em Veneza, o Cavaleiro ficou alojado em casa do Mercador. Nesta cidade, ele ficou encantado, deslumbrado e maravilhado com a beleza de tudo o que o rodeava. Tudo o fascinava: os canais, as igrejas, os palácios, as ruas, as estátuas e as pinturas. Tudo tinha uma grandiosidade assustadora. <br />Em Veneza, escutou uma belíssima história de amor: a história de Vanina e Guidobaldo.<br />No final do mês de Abril, seguiu, finalmente, para Florença, apesar de o Mercador o ter convidado para com ele ficar e integrar os seus proveitosos negócios. <br />
  28. 28. Actividade 5<br /> <br />Lê o texto informativo sobre Veneza. Faz a selecção e o tratamento da informação do texto e, em seguida, escreve um pequeno verbete sobre a cidade. <br />
  29. 29. Veneza<br />É uma cidade e um porto com cerca de 165.500 habitantes, situada no nordeste de Itália. <br />Veneza é formada por cento e vinte ilhas e é servida por cento e setenta canais.<br />A cidade tem cerca de quatrocentas pontes e a sua principal via de comunicação é o Grande Canal, com aproximadamente 3 Km.<br />Veneza é conhecida como uma das cidades mais belas do mundo. O turismo representa a base da sua economia, outrora dominada pelo comércio. Os seus palácios, igrejas, museus e canais são o símbolo das arte veneziana. <br />(Texto produzido em grupo)<br />
  30. 30. Actividade 6<br /> <br />Faz o reconto da história de amor de Vanina e Guidobaldo, contada pelo Mercador de Veneza ao Cavaleiro da Dinamarca.<br />
  31. 31. História de Vanina e Guidobaldo<br />Em Veneza viveu em tempos uma rapariga chamada Vanina que era órfã de pai e mãe. Ela tinha um tutor chamado Jacob Orso, que a prometeu em casamento a um amigo, Arrigo.<br />Vanina era a rapariga mais bela de Veneza e, quando fez 18 anos, não quis casar com o Arrigo.<br />Então, Jacob Orso trancou-a em casa e não a deixava sair a não ser aos domingos para ir à missa na sua companhia. <br />Vanina vivia muito triste e, à noite, quando toda a gente dormia, ia pentear os seus longos e loiros cabelos cor de oiro para a janela do seu quarto. <br />
  32. 32. Os seus cabelos eram tão perfumados, que todos os rapazes de Veneza passavam de gôndola por baixo da sua janela para apreciar a sua beleza. Nenhum ousava aproximar-se, nem dirigir-lhe a palavra, pois Jacob Orso tinha avisado que aquele que se atrevesse a namorá-la seria, imediatamente, morto.<br />Certo dia, chegou à cidade um capitão belo e bronzeado chamado Guidobaldo. Ao ver Vanina a pentear-se na sua janela, ele deu-lhe um pente de oiro. Rapidamente se apaixonaram um pelo outro…<br />Quando Jacob Orso descobriu, ameaçou Guidobaldo de morte, mas como ele não temia Jacob Orso, na noite seguinte foi buscar Vanina e com ela fugiu para bem longe, após se terem casado numa capela perto do porto. <br />Eles nunca mais foram encontrados.<br />Olga Volkova<br />
  33. 33. Actividade 7<br /> <br />O que terá acontecido a Vanina, Jacob Orso e Arrigo? Escreve a continuação desta história.<br />
  34. 34. História de Vanina e Guidobaldo - continuação<br />Após terem fugido de Veneza, o belo casal navegou pelas águas salgadas do mar. Foram dias e noites em busca de paz, de um novo lar e de uma nova vida…<br />Depois de muitas peripécias e já cansados, adormeceram profundamente, deixando-se levar pela força das águas e do vento. Foi assim que o navio chegou a Marrocos. Marrocos é um país situado no norte de África. É um país bonito, rico em cultura e com muitos mercados.<br />Quando acordaram, depararam-se com a linda costa marroquina. Desembarcaram e foram à procura de um novo lar. Encontraram uma casinha muito branquinha e confortável. Instalaram-se e aí passaram a viver. <br />Pouco tempo depois, Vanina anunciou que estava grávida. Guidobaldo foi invadido por uma felicidade imensa. Cantou, pulou, gritou… <br />
  35. 35. O jovem casal estava muito contente e entusiasmado com a chegada do fruto do seu amor. <br />Quando Alycia nasceu, fizeram uma enorme festa. <br />Vanina quis partilhar a sua felicidade com Jacob Orso, pois, apesar de todo o mal que este lhe fez, ela não se esqueceu que ele a acolheu quando ficou órfã. <br />Jacob Orso recebeu a notícia com estupefacção, mas acabou por aceitar e perdoar a fuga de Vanina. <br />Vanina e Guidobaldo puderam então viver o seu lindo romance e regressar, de vez em quando, a Veneza para visitar Jacob Orso. <br />Meuri Miguel<br /> <br />
  36. 36. 4. Continuámos a leitura da obra até ao momento em que o Cavaleiro deixa Florença.<br />O Cavaleiro da Dinamarca chegou a Florença no início do mês de Maio. Aí ficou hospedado em casa do Banqueiro Averardo, um grande amigo do Mercador de Veneza. <br />À semelhança do que tinha acontecido em Veneza, o Cavaleiro ficou deslumbrado com a beleza da cidade. Florença era um porto muito rico, mas também um ponto de referência nas áreas das Ciências, das Artes, da Filosofia e da Literatura. <br />Em Florença conviveu com os amigos do Banqueiro e conheceu Filippo. Este contou-lhe histórias que o fascinaram. Descobriu quem foi Cimabué, Giotto e Dante. <br />O Cavaleiro deixou Florença passado um mês, rumo a Génova, onde queria apanhar um navio que o levasse até à Flandres. <br />
  37. 37. Actividade 8<br /> <br />Lê o texto informativo sobre Florença, Giotto e Dante. Faz a selecção e o tratamento da informação dos textos e, em seguida, escreve um pequeno verbete sobre cada um deles. <br />
  38. 38. Florença<br />Cidade italiana com cerca de 384.000 habitantes.<br />Florença foi, entre os séculos XIV e XVI, uma grande potência comercial, financeira e artística. Ela é a cidade de Leonardo da Vinci, Miguel Ângelo, Dante Maquiavel, Galileu, Cimabué e muitos outros nomes importantes da história das Ciências e das Artes<br />Florença é uma das cidades mais belas do mundo e, em 1982, o seu centro histórico, foi considerado Património Cultural pela UNESCO.<br />(Texto produzido em grupo)<br />
  39. 39. Giotto<br />Grande pintor Italiano que nasceu perto de Florença, em 1267. <br />Ele foi discípulo de Cimabué. <br />Giotto é considerado um mestre na arte Renascentista humanista. O pintor faleceu em 1337.<br />(Texto produzido em grupo)<br />
  40. 40. Dante<br />Dante nasceu em 1265,em Florença, Itália. Ele pertencia a uma família nobre e foi um grande poeta, escritor, teórico literário, filósofo moralista e pensador político. <br />Dante foi um político e pertencia ao partido dos Guelfos Brancos. Em 1302, teve de fugir de Florença, pois o partido oposto assumiu o poder e condenou-o à morte. <br />Dante apaixonou-se muito cedo, com nove anos, por Beatriz que faleceu ainda nova. Ele continuou a amá-la mesmo após a sua morte e até ao final da sua vida, apesar de ter casado. <br />)<br />
  41. 41. Toda a sua obra fala do amor de ambos. Durante o exílio, ele escreveu a sua obra mais conhecida, “A Divina Comédia”. Esta descreve a sua suposta viagem pelo inferno, Purgatório e Paraíso, onde terá falado com a sua amada, Beatriz. <br />Dante morreu pouco depois de concluir esta obra. <br />(Texto produzido em grupo)<br />
  42. 42. Actividade 9<br /> <br />Escreve a página do diário do Cavaleiro relativamente à sua primeira noite em Florença.<br />
  43. 43. 6 De Maio de 1683<br />Querido diário,<br />Hoje cheguei a Florença. É uma cidade muito bela.<br />Tem imensos palácios, inúmeras igrejas e estátuas por todo lado. É sem dúvida uma cidade muito rica, mas não chega à altura de Veneza.<br />Fiquei hospedado em casa do Banqueiro Averardo. Esta é grande e requintada, mas não é comparável aos palácios venezianos. O que mais me deslumbrou foi a sua biblioteca. Ela está repleta de livros antiquíssimos.<br />Para o jantar, o Banqueiro Averardo convidou alguns dos seus amigos. Eles falaram de arte, ciências, literatura, filosofia e política. Fiquei fascinado com a conversa e com as histórias que contaram.<br /> <br />
  44. 44. Um dos seus amigos, o Filippo, falou de Cimabué, de Giotto e de Dante.<br />Queres conhecê-los? Vou contar-te as suas histórias...<br />Giotto foi discípulo do primeiro pintor italiano, Cimabué. Ele é considerado dos maiores artistas de todos os tempos e foi o percurso da arte renascentista. <br />Quanto a Dante, ele foi um grande escritor. É o autor da “Divina Comédia”, um texto onde descreve a sua viagem pelo mundo dos mortos: Inferno, Purgatório e Paraíso !!!<br />Foi fabuloso, maravilho…simplesmente indescritível!!!<br />Amanhã conto-te mais coisas !!!<br />Ciao<br />(Texto produzido em grupo)<br />
  45. 45. Actividade 10<br /> <br />Lê atentamente o texto Orfeu e Eurídicee a história de Dante, contada por Averardo. Escreve um pequeno texto, onde compares as duas histórias (semelhanças e diferenças) e refiras o que mais gostaste. <br />
  46. 46. Comparação das Histórias de Amor de Dante e de Orfeu<br /> <br />Estas duas histórias têm semelhanças e diferenças.<br />Tanto Orfeu como Dante viveram um grande amor, apesar de as suas amadas terem morrido muito cedo. Ambos viajaram pelo reino dos mortos e regressaram ao mundo dos vivos sem as suas grandes paixões. Desde essa experiência, tanto um como o outro, viveram em grande desgosto, tendo vagueado pelo mundo, tristes e solitários.<br />Apesar de Dante e Orfeu terem descido ao reino dos mortos, o primeiro apenas queria rever Beatriz, enquanto que o segundo queria trazer a sua amada de volta, para o mundo dos vivos.<br />
  47. 47. Dante era escritor e retratou a sua viagem num livro intitulado “Divina Comédia”. Orfeu era músico e não a documentou.<br />Por fim, ambos foram condenados a morte. Dante foi obrigado a exilar-se para não morrer e Orfeu foi condenado à morte pelas mulheres.<br />As histórias são fascinantes. Deslumbram-nos com os seus acontecimentos trágicos. No entanto, preferimos o romance de Dante e Beatriz, porque este relata um amor que não tem tempo, nem espaço. É um amor infinito. <br />(Texto produzido em grupo)<br />
  48. 48. 5. Lemos e analisámos a obra até ao momento em que o Cavaleiro deixa a Flandres. <br /> <br />Perto de Génova, o Cavaleiro da Dinamarca adoeceu. Desesperado, pediu auxílio aos frades de um convento. Estes acolheram-no e trataram-no, durante cerca de dois meses e meio.<br />Chegou ao porto de Génova no fim do mês de Setembro e já não pôde embarcar para a Flandres. Obstinado, decidiu fazer a viagem por terra. Atravessou os Alpes e as montanhas de França, chegando a Antuérpia já no Inverno. <br />Ficou hospedado em casa do Negociante Flamengo, um amigo do Banqueiro Averardo. Aí conheceu o capitão flamengo que lhe contou histórias de Terras desconhecidas e lhe falou de Pêro Dias e dos Descobrimentos Portugueses.<br />Em Novembro retomou, por terra, a sua viagem, rumo à Dinamarca. <br />
  49. 49. Actividade 11<br /> <br />Lê o texto informativo sobre o texto informativo sobre Génova, Antuérpia e Pêro Dias. Faz a selecção e o tratamento da informação de cada um dos textos e, em seguida, escreve um pequeno verbete sobre estas duas cidades e este grande navegador. <br />
  50. 50. Génova<br />Cidade situado no nordeste de Itália, Génova é um grande porto do mar Mediterrâneo.<br />A cidade foi eleita Capital Europeia da Cultura em 2004. <br />(Texto produzido em grupo)<br />
  51. 51. Antuérpia<br />Cidade portuária situada no norte da Bélgica. <br />Antuérpia enriqueceu com os judeus expulsos de Portugal, que eram grandes artesãos de diamante.<br />(Texto produzido em grupo)<br />
  52. 52. Pêro Dias<br />Pêro Dias nasceu no século catorze e foi um grande navegador português. Ele era irmão de Bartolomeu Dias e fez parte da expedição que dobrou o Cabo da Boa Esperança. <br />Durante essa expedição, o seu navio perdeu-se após uma grande tempestade, desviando-o para o Mar Vermelho.<br />(Texto produzido em grupo)<br />
  53. 53. 6. Continuámos a leitura da obra até ao momento em que o Cavaleiro chega a sua casa. <br /> <br />Após ter chegado à Dinamarca, o Cavaleiro teve de atravessar a floresta que o conduzia a sua casa. <br />Apesar do frio e do gelo que caracterizava este espaço, não teve medo e não desistiu, pois este parecia-lhe um lugar familiar e seguro.<br />Guiado por uma estrela, o Cavaleiro nunca se perdeu e conseguiu chegar a casa, na noite de Natal, a tempo de celebrar esta festividade com a sua família.<br />
  54. 54. Roteiro de leitura do 7.ºH<br />Após a leitura <br />da obra…<br />
  55. 55. 1. Escrevemos poemas sobre a história do Cavaleiro da Dinamarca. <br />
  56. 56. O Cavaleiro da Dinamarca<br />Valente o cavaleiro, que de sua casa partiu<br />Em busca de fé e de glória<br />Este grande aventureiro, seguiu.<br />Atravessando a história e a memória,<br />Em Jerusalém, orou, viu e sorriu.<br /> <br />Pé ante pé foi seguindo o seu destino,<br />Percorreu cidades palestinianas, <br />Flamengas e italianas,<br />Tendo em todas um grande ensino.<br />
  57. 57. Escutou relatos incríveis e assustadores<br />De grandes pintores e célebres escritores,<br />Aventuras de famosos navegadores <br />E romances encantadores.<br />Andreia Pacheco e Micaela Gonçalves<br />
  58. 58. O Cavaleiro da Dinamarca<br />Valente cavaleiro<br />Que da Dinamarca partiu<br />E que sem muito dinheiro<br />Em Jerusalém sorriu.<br /> <br />Foi no Porto Jafa.<br />Que o Mercardor encontrou<br />E após uma longa estafa<br />A Veneza, finalmente chegou.<br /> <br />Aí, com muita surpresa,<br />Ouviu uma história de amor,<br />Cheia de peripécias e de tristeza,<br />De temor e dor.<br />Seguiu para Florença,<br />Onde Filippo lhe narrou<br />A grande desavença,<br />Que aí Dante passou.<br /> <br />Para a Flandres de barco partiu,<br />A história de Pêro Dias aí ouviu,<br />Para a Dinamarca seguiu<br />E a sua floresta redescobriu.<br /> <br />Terminada a viagem,<br />Recordou a aprendizagem,<br />Sempre com muita coragem,<br />Não apagou nenhuma imagem.<br /> <br />Duarte Moreira e Igor Silva<br />
  59. 59. A Viagem<br />Partiu em peregrinação,<br />Foi andando sem ninguém,<br />Para fazer uma oração<br />Na Gruta de Belém.<br />De Jerusalém a Veneza,<br />Foi uma longa viagem,<br />Foi de barco com certeza,<br />Até avistar a margem.<br /> <br />Chegado ao destino,<br />Ficou com o Mercador.<br />Conheceu um enorme hino<br />À vida e ao amor.<br />Seguiu para Florença,<br />Onde várias histórias escutou,<br />Cheio de dor e esperança,<br />Com elas muito sonhou.<br /> <br />Retomando a viagem,<br />Por Ravena e Antuérpia passou,<br />Mas pequena foi a paragem<br />E à Dinamarca chegou.<br /> <br />A floresta atravessou,<br />A sua casa regressou,<br />A família emocionou<br />E as suas histórias lhes contou.<br /> <br />José Mendes e Igor Silva <br />

×