Your SlideShare is downloading. ×
0
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Rede de computadores aula 25 28
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Rede de computadores aula 25 28

827

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
827
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
37
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Vida de Suporte
  • 2. Rede de Computadores Aula 7SI – Sistemas de Informação – FAPAN Juliano Veris 2
  • 3. Cabeamento Estruturado• Há uma diferença enorme em montar uma rede doméstica para uma rede de uma empresa de médio porte com 100 pontos;• Não somente porque o trabalho é complexo, mas também porque é necessário cumprir normas.• O padrão para instalação de redes locais em prédios é o ANSI/TIA/EIA-568-B, que especifica normas para a instalação do cabeamento, topologia da rede e outros quesitos que chamamos genericamente de cabeamento estruturado;• No Brasil temos a norma NBR 14565, publicada pela ABNT em 2001; 3
  • 4. Cabeamento Estruturado• A norma brasileira é ligeiramente diferente da norma internacional, começando pelos nomes que são traduzidos para o português; 4
  • 5. Cabeamento Estruturado• Qual a idéia principal? – Cabear todo o prédio de forma a colocar todos os pontos de rede em todos os locais que eles possam ser necessários; – Todos os cabos vão para um ponto central onde ficam os switches e outros equipamentos de rede; – Os pontos não precisam ser necessariamente ativados, mas a instalação fica pronta quando precisar ser utilizada; 5
  • 6. Cabeamento Estruturado• Tudo começa pela sala de equipamento (equipament room) – Área central da rede; – Local dos servidores; – Switches; – Roteadores principais; – Área de acesso restrito; – Garantir segurança física dos equipamentos; – Refrigeração; – Sala anti-chamas; – Geralmente é alocada no térreo; 6
  • 7. Sala de Equipamentos HP 7
  • 8. Cabeamento Estruturado• Como seria inviável puxar um cabo separado para cada um dos pontos de rede do prédio temos o segundo nível: armários de telecomunicações – Ficam em comunicação “direta” com a sala de equipamento; – Porém é responsável pelos seus próprios pontos de rede; – Normalmente é utilizado um rack que abriga todos os equipamentos, também instalado em uma sala ou um armário restrito; 8
  • 9. Armário de telecomunicação 9
  • 10. Cabeamento Estruturado• Além dos Switches, outro equipamento muito utilizado no armário de telecomunicação é o patch panel, ou painel de conexão;• É um intermediário entre as tomadas de parede e os switches;• Todos os cabos individuais são numerados e instalados em portas correspondentes do patch panel, e as portas utilizadas são ligadas ao switch; 10
  • 11. Patch Panel 11
  • 12. Cabeamento Estruturado• Patch Panel – Melhora a organização dos cabos; – Permite que se utilize, um número muito maior de pontos de rede do que portas nos switches; – A idéia é cabear todo o andar ou escritório, deixando todas as tomadas ligadas ao patch panel; – Sendo assim no início poucas tomadas serão usadas, e um único switch pode atender a o andar; – Fica muito mais fácil ativar/desativar ou ligar o ponto a um outro switch ou equipamento; – Não é um componente eletrônico; – Normalmente 12
  • 13. Cabeamento Estruturado• Cada andar tem um ou mais armários de telecomunicação de forma que cubra toda a área de acordo com as peculiaridades da construção;• Todos eles são ligados a um switch ou roteador na sala de equipamentos através de cabos verticais chamados de rede primária (backbone)• Geralmente é utilizado cabos de fibra óptica para esta função; 13
  • 14. Rede primária (backbone ou cabeamento vertical) 14
  • 15. Cabeamento Estruturado• Se o orçamento permitir é interessante utilizar switchs com suporte a transceivers de 10 gigabits para realizar a interligação da rede primária;• Garantindo assim banda suficiente para vários clientes simultâneos possam transferir dados na velocidade máxima de 100 ou 1000 megabits, sem que a rede primária apresente um gargalo 15
  • 16. Cabeamento Estruturado• Na entrada do prédio ainda temos a sala de entrada de telecomunicações;• Onde são conectados os cabos externos – Linhas telefônicas; – Links de Internet; – Cabos ligando o prédio a cabos vizinhos; 16
  • 17. Sala de Entrada de Telecomunicações 17
  • 18. Cabeamento Estruturado• Temos em seguida em cada andar a rede secundária (horizontal cabling);• É composta pelos cabos que ligam o armário de telecomunicações às tomadas onde são conectados os PCs da rede.• Cabeamento permanente instalado de acordo com o projeto utilizado por muito tempo. 18
  • 19. Rede Secundária ou Cabeamento Horizontal 19
  • 20. Cabeamento Estruturado• De acordo com o padrão o cada cabo da rede secundária não deve ver mais do que 90 metros,• O patch cord entre o switch e o patch panel não deve ter mais que 6 metros• O cabo ente a tomada e o PC não dever ter mais do que 3 metros• Total: 90 + 6 + 3 = 99 metros 20
  • 21. Cabeamento Estruturado• As salas e outros ambientes contendo as tomadas onde ficam as estações são chamadas de área de trabalho (work area);• Na norma da ABNT as tomadas são chamadas de “pontos de telecomunicações” e não “pontos de rede”.• Isso acontece pois o cabeamento estruturado prevê também o uso de cabos de telefone e de outros tipos de cabos de telecomunicação. 21
  • 22. Área de trabalho 22
  • 23. Visão geral Cabeamento Estruturado 23
  • 24. Cabeamento Estruturado• Benefícios: – A longo prazo é mais barato instalar todo o cabeamento de uma vez; – De preferência antes do prédio ser ocupado; – Evitando assim futuras modificações cada vez que for preciso adicionar um novo ponto de rede; – Os cabos do switch são ligados às portas do patch panel usando cabos de rede curtos, chamados patch cords; 24
  • 25. Bibliografia• 1. SOARES, L. F. G., LEMOS,G. e COLCHER, S.: “Redes de Computadores: das LANs, MANs e WANs às Redes ATM”, 2ª Ed., Rio de Janeiro, Ed. Campus, 1995.• 2. TANENBAUM, A. S.: “Redes de Computadores”, Tradução da 4ª edição, Rio de Janeiro, Ed. Campus, 2003.• 3. MORIMOTO, C. E.: “Redes Guia prático 2ª Edição”, Porto Alegre, Sul Editores, 2011.• 4. http://www.htbraz.com.br/tutoriais/trabalhos/tfopopovici.pdf• 5. http://www.oficinadanet.com.br/artigo/2204/historico_das_redes_de_computadores_1960_- _1972• 6. http://www.hardware.com.br/tutoriais/historia-redes/• 7. http://sebsauvage.net/comprendre/p2p/index.html• 8. http://www.ztuts.com/2012/02/how-to-share-p2p-without-programs.html• 9. http://johnycarvalho.com/tele_red.htm 25

×